Caderno 1943 Maria Valtorta – Cap 141 a 220 FIM

Caderno Maria Valtorta 1943
Caderno 1943 Maria Valtorta – Cap 141 a 220 FIM
Clique na barra abaixo para escutar em áudio

CAPÍTULO 141


9 de outubro

   1 da manhã

Tabela de Conteúdo

   Jesus diz:
«Não vos entristeçais, pois, todos vós que chorais. Confie em Mim e confie a Mim o destino de seus entes queridos.
O tempo da Terra é curto, filhos. Em breve eu vou chamá-lo onde a vida dura. Portanto, seja santo para alcançar a vida eterna, onde seus entes queridos já estão esperando por você ou onde eles se juntarão a você após a purgação.
A separação atual é tão curta quanto agora passa. Então vem o reencontro dos espíritos na Luz e, no futuro, a bendita ressurreição, pela qual você desfrutará não apenas da união com seus entes queridos, mas também da visão daqueles rostos queridos e cujo desaparecimento te faz chorar. como se um roubo roubasse sua joia mais querida.
Nada mudou, ou crianças. A morte não te separa se você vive no Senhor. Aquele que foi além da vida terrena não está separado de você. Não pode ser porque vive em Mim como você vive. Só para lhe trazer uma comparação humana, ele subiu dos membros inferiores para as partes superiores e mais nobres, e por isso te ama com mais perfeição porque está ainda mais unido a Mim, e tira a perfeição de Mim. Apenas os condenados estão “mortos”. Só eles. Mas os outros “vivem”. Eles vivem , Maria. Entenda: eles vivem .
Não chore. Rezar. Eu virei em breve.
O trabalhador, ao cair da noite, apressa o seu trabalho para terminar o trabalho do seu dia e depois vai descansar feliz depois de ter recebido uma recompensa digna. Quando mesmo para uma criatura cai o entardecer da vida da Terra, o trabalho deve ser apressado para dar os retoques finais à obra quase acabada. E dê-lhes com alegria, pensando que o descanso vem depois de tanto esforço e que a recompensa será abundante porque muito foi trabalhado.
Sou um Mestre que paga bem. Eu sou um Pai que espera por você para recompensá-lo. Eu sou aquele que te ama e que sempre te amou e sempre te amarei. Nenhuma de suas lágrimas me é desconhecida e nenhuma ficará sem recompensa. Fique cada vez mais em Mim e não tema. Não tenha medo de que eu vou deixá-lo em paz. Mesmo quando não falo, estou com você.
Só você? Oh! não diga isso! Você tem o seu Jesus com você, e onde Jesus está é todo o Céu. Você não está sozinho. Maria não estava sozinha na casinha de Nazaré. Os anjos estavam ao redor de sua solidão humana. Você, Maria, não está sozinha. Você tem a mim como seu Pai, você tem Maria como sua mãe, você tem meus santos como irmãos e anjos como amigos. Quem vive em Mim tem tudo, minha filha.
Eu não te digo: “Não chore”. Eu também chorei [407] e Maria chorou. Mas eu lhe digo: não chore por esse grito humano que é uma negação da fé e da esperança . Isso nunca chorar.
Tenha fé não apenas nas grandes coisas da Fé, mas também em minhas palavras secretas. Eles são meus, tenha certeza. E tenha esperança nas minhas promessas. Quando eu vier para te dar a Vida, você verá que aqueles que você chorou, você não perdeu. Perdido está aquele que morre sem Jesus em seu coração.
Você permanece em Jesus, Nele você encontrará tudo o que deseja.
Enxugarei para sempre toda lágrima de seus olhos, como agora consolei toda a sua dor, que não posso evitar porque serve para a glória do seu Deus e da sua.
O inverno [408] da vida passa depressa, minha pomba, e quando chegar a eterna primavera, virei coroar-te de flores, tirando os espinhos que trouxeste para o meu amor”.

   Novamente em 9 de outubro, pela manhã e depois da minha terrível crise e comunhão.

   Jesus diz:
«Há aqueles que vieram a Mim por sorte comum e há aqueles que estão predestinados a ser algo ao meu serviço.
Entre os predestinados há aqueles que viveram como anjos desde o nascimento e há aqueles que se tornaram anjos, por amor, depois de terem sido homens. Mas é igualmente os predestinados a serem estrelas iluminando o caminho dos irmãos que vão e que precisam de muitas luzes para ir.
Eu sou Luz. Luz poderosa. E deve ser suficiente para guiar os povos no caminho que conduz ao Céu. Mas os homens, cujos olhos estão muito inclinados sobre a lama, não podem mais suportar a Luz absoluta. Eles não podem mais aceitá-lo porque lhes falta o exercício espiritual da mente voltada para Deus e a confiança em Deus.
Os homens pobres ou estão separados de Mim e não me olham porque não pensam em Mim, ou são esmagados por sua pequena mentalidade que faz Deus ver e pensar da mesma maneira que eles. Portanto, não humildemente, mas apenas covardemente, eles dizem: “Sou muito diferente do que Deus quer que o homem seja, e para Deus não posso olhar para cima”.
Oh! cego e tolo! Mas são os saudáveis ​​que vão ao médico? Mas são os ricos que vão ao benfeitor? Não. São os doentes e os pobres que recorrem a quem os pode ajudar. E você é pobre e doente e eu sou o Senhor e seu médico.
Digo isso em vão. Você tem medo de Mim . Você não tem medo de pecar e se casar com Satanás, mas tem medo de olhar para Mim e se aproximar de Mim.
E então, para que você não morra fora do meu Caminho, eu te dou as estrelas de luz suave que nada mais são do que emanações de Mim, parte de Mim que vem até você para que não te leve ao terror tolo. Eu: Sol eterno, meu compenetro predestinado de Mim, e eles irradiam minha Luz entre vocês e liberam correntes de atrações espirituais para atraí-los a Mim que vos espera no limiar do Céu.
Ai da Terra se chegasse o dia em que o olho de Deus não pudesse mais escolher entre os filhos do homem os seres predestinados a serem meus portadores de Luz e Voz! Problema! Significaria que entre os bilhões de homens não há mais um justo e um generoso, pois os predestinados estão entre os justos que nunca ofenderam a Justiça e os generosos que venceram tudo, eles mesmos primeiro, para Me servir.
Você está entre estes, pequena criatura que vive de amor. Você está entre eles. Depois de tanto tormento você entendeu que só eu poderia ser para você o que sua alma queria, e você veio.
Mas eu o escolhi antes de você, para ser a voz da Voz de Jesus-Mestre. Esperei por esta hora, Maria, com coração de pai e de esposo, te meditei com meus olhares, esperando pacientemente a hora de te dizer minha Vontade e minha Palavra. Nada me foi escondido de quanto menos bem você teria feito, mas também nada do que você teria ousado a partir do momento em que se lançou na corrente do amor.
“Tarde”, você dirá, “você se manifestou, ó Senhor”. Tarde. Eu gostaria que fosse muito antes, filha, mas tive que trabalhar em você como um ourives faz com ouro bruto. Eu te formei duas vezes. No ventre de sua mãe para dar-te ao mundo, mas depois no meu ventre para te dar ao Céu e fazer-te portador da minha Luz no mundo. Eu sabia quando você viria e eu sabia quando você seria um adulto para servir. Deus não tem pressa, pois Deus sabe tudo sobre a vida de seus filhos .
Chegou a hora em que já não és mulher, mas és apenas uma alma do teu Senhor, um instrumento, como disseste. E quando você escreveu [409] você não sabia que meu amor teria usado você assim depois de tantos anos de provação. Agora vá, faça, fale de acordo com o meu desejo. Eu não digo: comando. Digo desejo , porque você comanda um assunto e pede ao seu amigo, e você é meu amigo.
E não tenha medo. Nada e ninguém. Nem as forças da Terra e nem as forças do Inferno poderão prejudicá-lo, pois você está Comigo. O que você diz não é sua palavra; é minha palavra que coloco em teus lábios para que a repitas aos surdos da Terra. O que fazes é a minha força que te dou para o bem daqueles que morrem na fome do espírito.
Você não é mais a pobre Maria, uma mulher fraca, doente, solitária, desconhecida, sujeita a armadilhas. Você é meu discípulo amado, e eu juro a você que mesmo que o mundo inteiro se mova para a guerra contra você, ele não pode tirar de você o que eu lhe dei, porque eu estou com você.
Você entendeu bem. [410]O norte são os povos que agora invadem ou tentam invadir a terra cristã por excelência: aquela onde está Roma, sede da minha Igreja. Castigo merecido pelos abusadores que baixaram a cabeça, já marcados com o meu sinal, diante dos ídolos das potências estrangeiras mentirosas que agora são as primeiras a trazer o tormento.
Dor para os honestos é esta hora. Mas não desejado por Mim. Deixe a dor ter um limite. Faça isso voltando para Mim.
Se as quatro forças do norte se aliassem contra você em uma conspiração hedionda de poderes das trevas, a luz se extinguiria em seu solo e o sangue dos mártires se tornaria fresco com sangue novo pingando em isto.
Muito, muito, muito precisamos rezar, filha do meu amor. Não posso mais te pedir outros sacrifícios de afeto, pois você está nu como Eu na cruz. Mas, se fosse possível, pedir-lhe-ia muitos mais para este fim. Vou te ajudar; mas como necessito de lágrimas por água lustral na lamacenta Itália, aviso-te que tornarei amarga a tua dor, para que valha a pena por muitas mágoas e por muitos perdão de Deus à Itália.
Diga Comigo: “Senhor, para preservar a Itália de novos desastres, e especialmente para os do espírito, concordo em beber o cálice da dor. Fica comigo, Senhor, enquanto estou consumindo minha Paixão como um pequeno redentor “, e estarei sempre contigo até o momento de levá-lo até onde cessa a Paixão e começa a ressurreição gloriosa em Mim”.

[407] Chorei , como na morte de Lázaro, em João 11,35 .
[408] Winter… é uma imagem tirada de Song of Songs 2: 10-14 .
[409] você escreveu em sua Autobiografia , à qual já nos referimos com notas aos escritos de 22 de abril e 10 e 13 de maio.
[410] Você compreendeu bem o que é dito em Jeremias 1, 14-16, ao qual o escritor se refere inserindo aqui uma anotação a lápis.

CAPÍTULO 142


10 de outubro de 1943

   1 da manhã

   Jesus diz:
«Não vos entristeçais, pois, todos vós que chorais. Confie em Mim e confie a Mim o destino de seus entes queridos.
O tempo da Terra é curto, filhos. Em breve eu vou chamá-lo onde a vida dura. Portanto, seja santo para alcançar a vida eterna, onde seus entes queridos já estão esperando por você ou onde eles se juntarão a você após a purgação.
A separação atual é tão curta quanto agora passa. Então vem o reencontro dos espíritos na Luz e, no futuro, a bendita ressurreição, pela qual você desfrutará não apenas da união com seus entes queridos, mas também da visão daqueles rostos queridos e cujo desaparecimento te faz chorar. como se um roubo roubasse sua joia mais querida.
Nada mudou, ou crianças. A morte não te separa se você vive no Senhor. Aquele que foi além da vida terrena não está separado de você. Não pode ser porque vive em Mim como você vive. Só para lhe trazer uma comparação humana, ele subiu dos membros inferiores para as partes superiores e mais nobres, e por isso te ama com mais perfeição porque está ainda mais unido a Mim, e tira a perfeição de Mim. Apenas os condenados estão “mortos”. Só eles. Mas os outros “vivem”. Eles vivem , Maria. Entenda: eles vivem .
Não chore. Rezar. Eu virei em breve.
O trabalhador, ao cair da noite, apressa o seu trabalho para terminar o trabalho do seu dia e depois vai descansar feliz depois de ter recebido uma recompensa digna. Quando mesmo para uma criatura cai o entardecer da vida da Terra, o trabalho deve ser apressado para dar os retoques finais à obra quase acabada. E dê-lhes com alegria, pensando que o descanso vem depois de tanto esforço e que a recompensa será abundante porque muito foi trabalhado.
Sou um Mestre que paga bem. Eu sou um Pai que espera por você para recompensá-lo. Eu sou aquele que te ama e que sempre te amou e sempre te amarei. Nenhuma de suas lágrimas me é desconhecida e nenhuma ficará sem recompensa. Fique cada vez mais em Mim e não tema. Não tenha medo de que eu vou deixá-lo em paz. Mesmo quando não falo, estou com você.
Só você? Oh! não diga isso! Você tem o seu Jesus com você, e onde Jesus está é todo o Céu. Você não está sozinho. Maria não estava sozinha na casinha de Nazaré. Os anjos estavam ao redor de sua solidão humana. Você, Maria, não está sozinha. Você tem a mim como seu Pai, você tem Maria como sua mãe, você tem meus santos como irmãos e anjos como amigos. Quem vive em Mim tem tudo, minha filha.
Eu não te digo: “Não chore”. Eu também chorei [407] e Maria chorou. Mas eu lhe digo: não chore por esse grito humano que é uma negação da fé e da esperança . Isso nunca chorar.
Tenha fé não apenas nas grandes coisas da Fé, mas também em minhas palavras secretas. Eles são meus, tenha certeza. E tenha esperança nas minhas promessas. Quando eu vier para te dar a Vida, você verá que aqueles que você chorou, você não perdeu. Perdido está aquele que morre sem Jesus em seu coração.
Você permanece em Jesus, Nele você encontrará tudo o que deseja.
Enxugarei para sempre toda lágrima de seus olhos, como agora consolei toda a sua dor, que não posso evitar porque serve para a glória do seu Deus e da sua.
O inverno [408] da vida passa depressa, minha pomba, e quando chegar a eterna primavera, virei coroar-te de flores, tirando os espinhos que trouxeste para o meu amor”.

   Novamente em 9 de outubro, pela manhã e depois da minha terrível crise e comunhão.

   Jesus diz:
«Há aqueles que vieram a Mim por sorte comum e há aqueles que estão predestinados a ser algo ao meu serviço.
Entre os predestinados há aqueles que viveram como anjos desde o nascimento e há aqueles que se tornaram anjos, por amor, depois de terem sido homens. Mas é igualmente os predestinados a serem estrelas iluminando o caminho dos irmãos que vão e que precisam de muitas luzes para ir.
Eu sou Luz. Luz poderosa. E deve ser suficiente para guiar os povos no caminho que conduz ao Céu. Mas os homens, cujos olhos estão muito inclinados sobre a lama, não podem mais suportar a Luz absoluta. Eles não podem mais aceitá-lo porque lhes falta o exercício espiritual da mente voltada para Deus e a confiança em Deus.
Os homens pobres ou estão separados de Mim e não me olham porque não pensam em Mim, ou são esmagados por sua pequena mentalidade que faz Deus ver e pensar da mesma maneira que eles. Portanto, não humildemente, mas apenas covardemente, eles dizem: “Sou muito diferente do que Deus quer que o homem seja, e para Deus não posso olhar para cima”.
Oh! cego e tolo! Mas são os saudáveis ​​que vão ao médico? Mas são os ricos que vão ao benfeitor? Não. São os doentes e os pobres que recorrem a quem os pode ajudar. E você é pobre e doente e eu sou o Senhor e seu médico.
Digo isso em vão. Você tem medo de Mim . Você não tem medo de pecar e se casar com Satanás, mas tem medo de olhar para Mim e se aproximar de Mim.
E então, para que você não morra fora do meu Caminho, eu te dou as estrelas de luz suave que nada mais são do que emanações de Mim, parte de Mim que vem até você para que não te leve ao terror tolo. Eu: Sol eterno, meu compenetro predestinado de Mim, e eles irradiam minha Luz entre vocês e liberam correntes de atrações espirituais para atraí-los a Mim que vos espera no limiar do Céu.
Ai da Terra se chegasse o dia em que o olho de Deus não pudesse mais escolher entre os filhos do homem os seres predestinados a serem meus portadores de Luz e Voz! Problema! Significaria que entre os bilhões de homens não há mais um justo e um generoso, pois os predestinados estão entre os justos que nunca ofenderam a Justiça e os generosos que venceram tudo, eles mesmos primeiro, para Me servir.
Você está entre estes, pequena criatura que vive de amor. Você está entre eles. Depois de tanto tormento você entendeu que só eu poderia ser para você o que sua alma queria, e você veio.
Mas eu o escolhi antes de você, para ser a voz da Voz de Jesus-Mestre. Esperei por esta hora, Maria, com coração de pai e de esposo, te meditei com meus olhares, esperando pacientemente a hora de te dizer minha Vontade e minha Palavra. Nada me foi escondido de quanto menos bem você teria feito, mas também nada do que você teria ousado a partir do momento em que se lançou na corrente do amor.
“Tarde”, você dirá, “você se manifestou, ó Senhor”. Tarde. Eu gostaria que fosse muito antes, filha, mas tive que trabalhar em você como um ourives faz com ouro bruto. Eu te formei duas vezes. No ventre de sua mãe para dar-te ao mundo, mas depois no meu ventre para te dar ao Céu e fazer-te portador da minha Luz no mundo. Eu sabia quando você viria e eu sabia quando você seria um adulto para servir. Deus não tem pressa, pois Deus sabe tudo sobre a vida de seus filhos .
Chegou a hora em que já não és mulher, mas és apenas uma alma do teu Senhor, um instrumento, como disseste. E quando você escreveu [409] você não sabia que meu amor teria usado você assim depois de tantos anos de provação. Agora vá, faça, fale de acordo com o meu desejo. Eu não digo: comando. Digo desejo , porque você comanda um assunto e pede ao seu amigo, e você é meu amigo.
E não tenha medo. Nada e ninguém. Nem as forças da Terra e nem as forças do Inferno poderão prejudicá-lo, pois você está Comigo. O que você diz não é sua palavra; é minha palavra que coloco em teus lábios para que a repitas aos surdos da Terra. O que fazes é a minha força que te dou para o bem daqueles que morrem na fome do espírito.
Você não é mais a pobre Maria, uma mulher fraca, doente, solitária, desconhecida, sujeita a armadilhas. Você é meu discípulo amado, e eu juro a você que mesmo que o mundo inteiro se mova para a guerra contra você, ele não pode tirar de você o que eu lhe dei, porque eu estou com você.
Você entendeu bem. [410]O norte são os povos que agora invadem ou tentam invadir a terra cristã por excelência: aquela onde está Roma, sede da minha Igreja. Castigo merecido pelos abusadores que baixaram a cabeça, já marcados com o meu sinal, diante dos ídolos das potências estrangeiras mentirosas que agora são as primeiras a trazer o tormento.
Dor para os honestos é esta hora. Mas não desejado por Mim. Deixe a dor ter um limite. Faça isso voltando para Mim.
Se as quatro forças do norte se aliassem contra você em uma conspiração hedionda de poderes das trevas, a luz se extinguiria em seu solo e o sangue dos mártires se tornaria fresco com sangue novo pingando em isto.
Muito, muito, muito precisamos rezar, filha do meu amor. Não posso mais te pedir outros sacrifícios de afeto, pois você está nu como Eu na cruz. Mas, se fosse possível, pedir-lhe-ia muitos mais para este fim. Vou te ajudar; mas como necessito de lágrimas por água lustral na lamacenta Itália, aviso-te que tornarei amarga a tua dor, para que valha a pena por muitas mágoas e por muitos perdão de Deus à Itália.
Diga Comigo: “Senhor, para preservar a Itália de novos desastres, e especialmente para os do espírito, concordo em beber o cálice da dor. Fica comigo, Senhor, enquanto estou consumindo minha Paixão como um pequeno redentor “, e estarei sempre contigo até o momento de levá-lo até onde cessa a Paixão e começa a ressurreição gloriosa em Mim”.

[407] Chorei , como na morte de Lázaro, em João 11,35 .
[408] Winter… é uma imagem tirada de Song of Songs 2: 10-14 .
[409] você escreveu em sua Autobiografia , à qual já nos referimos com notas aos escritos de 22 de abril e 10 e 13 de maio.
[410] Você compreendeu bem o que é dito em Jeremias 1, 14-16, ao qual o escritor se refere inserindo aqui uma anotação a lápis.

 CAPÍTULO 143


11 de outubro de 1943

   Jesus diz:
«Como me deves chamar? Quais são os nomes mais fofos? Mas aqueles [418] do Cântico dos Cânticos, filha e esposa do meu amor e da minha dor.
Você diz que somente a oração e minha palavra irão acalmá-lo em seu sofrimento atual. Sim, você alcançou este que é o ponto mais alto de união Comigo que o homem pode alcançar. Isso já é êxtase .
Porque o êxtase não é apenas ficar fora dos sentidos pela alegria de contemplar visões do Céu. É êxtase – e, mesmo do ponto de vista espiritual, muito mais profundo que o primeiro – este ser abstraído da dor moral e da vida material, mas sem perder os sentidos, de falar Comigo ou Me ouvir falar. É mais profundo porque é um trabalho dado unicamente pelo amor.
O êxtase contemplativo é muito obra da Vontade de Deus, que Ele querque uma de suas criaturas tenha uma visão das coisas celestes, ou para atraí-la mais para si, ou recompensá-la com seu amor. Este êxtase, por outro lado, de fusão ao invés de contemplação, é o trabalho realizado de iniciativa da criatura amorosa, que alcançou tal poder de amor que ela não pode se alimentar, respirar, agir exceto com amor e no amor.
É a “fusão”. É ser “dois em um”. Algo que copia, com as proporções impostas pela natureza humana, que por mais transumanizada pelo amor é sempre humana, os atos inefáveis, indescritíveis, muito acalorados que regulam as relações entre o Pai, o Filho e o Espírito Santo, Três que são Um, três amores que se buscam, se contemplam, se elogiam, envoltos e espremidos em um único turbilhão de amor incandescente que torna os Três distintos em uma Unidade inseparável.
Cante oGlória , Maria, que você alcançou a semelhança de Deus no ponto mais difícil e alto, e você o alcançou com seu amor que não pode crescer mais, porque agora você ama a Deus com todas as suas forças: com seu corpo e alma, e se você ultrapassar esse limite que atingiu, morrerá queimado de ardor.
Você vê, minha alma, se o seu Jesus está certo em dizer que o amor é o fim da perfeição humana? Renúncias, penitências, monacações não são nada comparadas ao amor total . Pode haver um eremita penitente que seja pobre em comparação com uma pessoa que vive em sociedade que sabe me amar totalmente ao ponto de aniquilar seus sentimentos em Mim.
Você vê, querida alma, se seu Mestre está certo quando diz que o amor supera a dor? Se eu não tivesse amado assim, você acredita, minha Maria, que eu poderia ter suportado a Paixão? E você acredita que sua mãe e a minha poderiam ter suportado a dela? E que os mártires teriam resistido à tortura?
O amor não entorpece o sentido doloroso do homem, mas o mistura com um licor de doçura tão revigorante que a mais terrível das dores torna-se suportável para a criatura que a sofre. O licor é a força do próprio Deus que vem até você com todo o seu poder, na verdade são os poderes de Deus que se precipitam em você, atraídos por seu amor, e anulam suas fragilidades dando-lhe o vigor de lutadores celestiais.
Eu, o Vitorioso, comunico-te a minha vitória sobre a fraqueza da carne, do coração e sobre a morte. Vivo na alma apaixonada com uma unidade inseparável como, Homem entre os homens, vivi em unidade com meu Pai. Maria, Unida à Santíssima Trindade, comunica o seu poder de amor que atraiu Deus para ela das profundezas do Céu, e com o seu sorriso ensina-vos a amar com a perfeição que era dela.
Veja então, minha alma, a que poderes divinos e sublimes e semelhanças traz o amor total.
Eu, que te escolhi para a missão de dor e luz, quero derramar sobre você as ondas do êxtase do amor. Quero saturar você com ele para que você cheire a Mim, e muito mais celestialmente do que a Rainha Ester, cuja cabeça está encharcada dos cheiros da terra para agradar seu rei. [419]Eu, na hora em que você se tornar rainha do Reino que preparei para você e me casei agora unida ao Esposo no Palácio do Rei dos reis, quero que você seja macerada de amor, que é de Mim , a ponto de você não ficar mais nada e sou eu, só eu, que vivo em você .
Você vem. Me siga. Cada vez mais de perto. Seu olho deve buscar somente a Mim e sua audição deve estar atenta para Me ouvir. Seu paladar deve achar insípido qualquer alimento que não seja meu, e seu toque repulsivo qualquer contato que não seja meu. Seu olfato deve provar apenas a fragrância de seu Esposo, não mais oculto, mas que caminha à sua frente para marcar o caminho que leva à bem-aventurança celestial.
Atraí você e cada vez mais vou atraí-lo liberando ondas de cheiros e luzes que o sequestrarão das coisas da Terra. Você é meu. Eu queria você e eu tenho você. Agora eu te seguro, e só a tua vontade, que não virá, poderá tirá-lo de Mim. Mas ela não virá. Primeiro virá a chamada “morte” [420] , que é o casamento de sua alma Comigo.
Então será completa alegria. Tomar-te-ei pela mão e direi perante a minha corte: “Aqui está a minha pequena rainha cujo vestido foi tecido com penitências e adornado com lágrimas, cuja coroa é feita de amor. Ela se preparou para essa hora com tanta dor. Agora para ela a dor acabou e vem o amor livre e eterno do Céu. Alegrai-vos, ó habitantes celestiais, por esta nova irmã que terminou as suas lutas e entra na paz”.
Eu estava rezando esta manhã às 5h30, e tinha as orações da Irmã Benigna Consolata em minhas mãos. [421] Estava lendo o ponto: “Como fazer em estado de aridez”. Todos os dias leio um ponto que permanece como pensamento religioso durante todo o dia. Li: “Chame-o pelos nomes mais doces”, e perguntei a Jesus: “Quais são os nomes mais doces para você?”.
Ele respondeu, instantaneamente, com as palavras que eu escrevi. Acho que ele quer falar comigo sobre o Cântico dos Cânticos para me levar à verdadeira incandescência. Eu acho… porque às vezes muda de assunto depois de um ponto e eu só tenho que ir atrás.
Creia, Pai, que chorei com doçura e senti, mesmo materialmente, envolver e inflamar com chamas.

[418] aqueles , isto é, os nomes dos amados no Cântico dos Cânticos 1, 7.16; 2, 1; 3, 1,3 .
[419] para agradar seu rei , conforme apresentado em Ester 5, 1-1b .
[420] a chamada “morte” , isto é, como Jesus disse em 10 de outubro: o que você chama de “morte” e não é outra coisa que “passagem” .
[421] Irmã Benigna Consolata , já mencionada em 23 de agosto.

CAPÍTULO 144


12 de outubro de 1943

   Jesus diz:
«Você também, como a noiva [422] dos Cânticos, veio a Mim um pouco escuro. Muito raras são as almas que, atraídas pelo meu amor, não vêm a Mim um pouco sombrias. A vida do mundo tira aquela brancura alva que faz a alma sair das moradas do Céu para descer para animar uma carne nascida de dois amores feitos um.
É a Terra, a atmosfera da Terra, não a atmosfera astronômica criada por meu Pai, mas a atmosfera moral da Terra – aquela criada por você, que ao ser envenenada na origem pelo Espírito do Mal, você trazer no sangue germes do mal inoculados nos progenitores – aquilo que obscurece a brancura brilhante sobre a qual é apenas uma mancha que meu Batismo lava.
Oh! esplendor da alma após a lavagem batismal! Se você pudesse ver essa brancura brilhante, você veria algo para roubar seus sentimentos. O lírio é opaco e a pérola é cinza em comparação com a alma envolta na luz batismal. É como os dois primeiros antes da sedução de Satanás, assim como foi quando o Pai os infundiu para fazê-los parecerem-se com Ele. E, na verdade, a alma revestida da graça batismal é como um espelho que reflete Deus , é um pequeno Deus que espera, amando, voltar ao Céu onde o espera o seu Amor criador.
Se o homem refletiu – e é por isso que minha Bondade não calcula as faltas cometidas antes do uso da razão – se o homem, agora capaz de distinguir o Bem do Mal – e nota que os instintos dos sentidos despertam após o uso da razão; antes, só estão vivos os instintos de vida que impelem a criança a buscar o seio ou o alimento, o calor da mãe ou o sol, a mão da mãe ou o apoio de objetos – se o homem refletia sobre o que faz, sobre o que perde fazendo, que crime, que roubo ele alcança tirando sua candura batismal de sua alma, que sacrilégio ele pratica profanando dentro de si a verdadeira imagem de Deus: Espírito de Graça, de Beleza, de Bondade, de Pureza, da Caridade infinita; se refletiu sobre o deicídio que comete matando sua alma, oh! não! o homem, para ser dotado de razão, não pecaria.
E, observa Maria, eu não falo em meu nome. Não estou dizendo que pecando você ofende a Mim que morreu por você. Falo apenas defendendo os interesses e os sentimentos de meu Pai que vos criou semelhantes a Ele, que vos ama com perfeição de amor paternal, e a quem o homem insulta com seu desafeto e defrauda em suas esperanças, que são as de poder aperte o peito no dia de sua entrada na Vida.
Poucas são as almas que não chegam a Deus um pouco obscuras, obscurecidas pelas consequências da vida que não souberam conduzir com aquela santa e cuidadosa reflexão que tiraria por respeito à alma que tem direitos mais elevados do que a carne.
Você se lembra muito dos direitos da carne, algo que morre e que só tendo vivido como serva do espírito, e não dona do espírito, ela pode se tornar, no devido tempo, uma habitante do palácio do céu. Você se preocupa com sua estética, sua saúde física, para prolongar ao máximo a vida na Terra. Mas não se preocupe com sua alma, para mantê-la bela, para torná-la cada vez mais adornada para acrescentar à sua beleza criada por Deus as gemas conquistadas por sua vontade como filhos pensativos do Pai, a quem eles querem voltar enriquecidos de méritos : verdadeiras jóias, verdadeiras riquezas, que não perecem para sempre. Você se preocupa com a saúde física, mas não se preocupa em manter sua alma longe de doenças espirituais. Você se preocupa em prolongar o que você chama de “viver” e que seria mais correto chamar de “esperar”,
Você se preocupa com tudo neste período escuro, que lhe parece tão brilhante, com sua permanência na Terra – e que já lhe expliquei [424] ser semelhante a uma gestação a ser dada à Luz, à Vida – e você olhe com horror para o poço, buraco escuro onde este seu corpo que você ama, desses idólatras que você é, retorna à verdade de sua origem: lama. Lama da qual se solta uma chama, uma luz: a alma.
Isso é o que dá valor ao corpo, seus tolos. A alma que é dom de Deus, o espírito que é a manifestação de Deus e que tem uma virtude diante da qual os da carne são um nada desprezível.
Mas como vocês, que se chamam cristãos, podem deixar de se lembrar das palavras de Cristo, da Palavra, da Verdade? Eu não disse [425]Eu: “Quem quiser salvar sua vida vai perdê-la, e quem a perder por meu amor vai salvá-la”? Não disse eu: “E de que adianta um homem ganhar o mundo se perde sua alma? O que um homem dará em troca de sua alma?” Não disse eu: “Se o grão de trigo que caiu não morre não dá fruto, mas se morre dá muito fruto”? E tudo isso não abriu os olhos do espírito para você?
Mas já, como seu espírito pode abrir os olhos se você o enterrou sob as pedras de sua carnalidade? É como um mártir apedrejado. Com a diferença de que no mártir apedrejado a carne morrerá e o espírito entrará na glória, enquanto em vez disso você apedreja seu espírito e o defrauda da Luz aqui e na verdadeira Vida.
E você tem medo da escuridão da sepultura por causa de sua carne agora entorpecida como um torrão de lama! Você tem medo disso. Sim. Mas você não tem horror de condenar às trevas eternas aquilo que é luz em você e que anseia pela Luz infinita. Seu espírito. E não pense que você, buscador sedento de riquezas, está perdendo a verdadeira riqueza. E não pense, você faminto de vida, que você se dá a Morte. Morte que não morre: a morte do espírito.
Vocês se saciam em sua imortalidade como cidadãos celestiais. Pelo contrário, você faz ainda pior: entrega sua luz nas mãos de Satanás para que ele a torne uma luz escura em seu Reino das Trevas. Oh! profanadores! Pior do que se com suas descobertas demoníacas, voltadas para o mal, você conseguisse arrancar estrelas do meu firmamento e extinguir sua luz brilhante de diamante em um pântano pútrido.
Saiba matar a carne, e não a alma, para germinar em um ouvido eterno. Sua posteridade na Terra é sempre instável. Os séculos destruíram linhagens que pareciam imortais e delas só sobrevive a memória, e nem mesmo a de muitas. Mas o que você faz em espírito não morre . Mesmo em comparação com a Terra não morre. Olhe para os meus santos. Os séculos passam e o culto permanece para eles assim como o primeiro dia.
E então nunca trabalhe para a glória de ser conhecido nos altares. Isso ainda é humanidade e o verdadeiro santo não pensa nisso. Ele só pensa em aumentar o júbilo de Deus acrescentando uma nova flor de esplendor nos prados eternos e em satisfazer sua alma que clama e agita nele por sua sede de possuir completamente a Deus.
Somos duas sedas ansiando um pelo outro, somos dois amores procurando um ao outro. Alma e Deus, Deus e alma: estes são os dois amadores perenes . Por que defraudar Deus e a alma de seu fim que é unir, além do dia terreno, na morada eterna?
Eu, a Pietà perfeita, não olhe se você vier a Mim “um pouco moreno” das reverberações do sol terrestre de suas tendências. Eu só quero que você lute para que o sol ardente da carnalidade não o torne irreconhecível ao meu olhar e repulsivo ao meu olho.
Ponha um abrigo em torno do fogo tão perigoso da humanidade: que isso seja dado por sua atenção assídua, por sua vontade de ser bom, por seu desejo de me agradar. Isto é suficiente. E se você fizer isso, você já faz tudo, porque atenção, vontade, desejo são como três pinos sobre os quais se estende a cortina que protege um coração do que pode repugnar a Deus.
Pois se uma tempestade repentina desencadeada por Satanás, invejoso de Deus, rasga o abrigo e permite que as nuvens e os raios te sujem e escureçam, eu, que vejo e sei, não te acuso, mas justifico e corro para o teu. .
Então sou eu quem vai abrigar vocês, pobres crianças. Eu te seguro no peito e te digo: “Não chore. Tenho dó de você. Estou aqui para purificá-lo, para ajudá-lo. Vamos. O Deus de amor vos dá o seu Sangue para vos purificar do lodo e o seu Coração para refúgio seguro. Venham, homens a quem Satanás mina. Perto de Mim, Satanás não vem. Levante sua cabeça para Deus. Não desanime. Eu queria ser tentado [426] a provar, como homem, qual é a sedução de Satanás e simpatizar com você, não com a mente de Deus, mas com a experiência do homem, em suas tentações. Não desanime. É suficiente para mim que você não queira pecar. É suficiente para mim que você não se desespere depois do pecado. A primeira coisa me ofende: Deus, a segunda me ofende: Salvador. Nunca duvide do seu Salvador. Nunca. Todo perdão está reservado para aqueles que têm fé no poder do Salvador. Eu te digo que eu sou a Verdade”.
Veja, pequena Maria, quanto há a dizer sobre uma simples frase [427] do Cântico? E você sente como seu sofrimento cessou? Não. Você não perdeu uma mãe. [428] Sou eu quem te embala e te canto as mais sublimes canções de embalar para consolar o teu coração choroso. Sou Eu que te seguro pela mão e te faço caminhar Comigo pelos jardins eternos. Prometi [429] e cumpro. Eu sou sua mãe e seu pai, assim como irmão e marido. Penso em sua mãe: Redentor . Eu penso em você: Amor .
Vá em paz. Estou sempre com você.”

[422] como a noiva em Cântico dos Cânticos 1, 5 .
[423] originalmente envenenado por causa do pecado original, já anotado nos escritos de 26 e 29 de setembro.
[424] Já lhe expliquei em 10 de Outubro.
[425] disse , agrupando as três citações, em Mateus 16, 25-26 ; Marcos 8, 35-37 ; Lucas 9, 24-25 ; João 12, 24-25 .
[426] tentado , como narrado em Mateus 4, 1-11 ; Marcos 1, 12-13 ; Lucas 4, 1-13 .
[427] uma frase que o escritor anota escrevendo na parte inferior, a lápis, a referência bíblica que colocamos no início do “ditado”.
[428] mãe , morreu em 4 de outubro.
[429] prometido em 12 de agosto.

CAPÍTULO 145


13 de outubro de 1943

   Jesus diz:
«Estar convosco é um acto da minha bondade. Este desejo de um Deus de amor é estar com suas criaturas, e quando as criaturas não o expulsam com sua traição, Deus não se afasta. Em certos casos, e devido a correspondências especiais da alma, a proximidade é mais sensível.
Mas ai se a alma que goza da bênção da presença sensível de Deus cai no pecado do orgulho. Ele perderia Deus imediatamente porque Deus não está onde está o orgulho . Quanto maior a humildade da criatura, mais Deus desce a ela. Maria tinha Deus dentro de si, não só espiritualmente, mas como carne viva, porque atingiu o ápice da santa humildade.
Mas se Deus deseja estar com suas criaturas, as criaturas devem desejar estar com Deus.
Demasiadas são as digressões das almas! Correm atrás dos interesses humanos, perdem-se nos caminhos do prazer humano, vagueiam atrás de doutrinas mentirosas, deslumbram-se com demasiadas miragens da ciência humana. A noite de suas vidas chega e eles se encontram tão longe de Mim! Cansados, enjoados, corroídos, eles não têm mais forças para se aproximar do Senhor. Já é muito se permanecer neles um resíduo de nostalgia celeste e memórias de fé que os fazem gritar [430] dos antigos leprosos: “Jesus, tem piedade de mim”.
É o grito que salva, porque o meu Nome nunca é inutilmente chamado. Eu, que observo na expectativa de ser chamado, corro para aqueles que me invocam e para o meu nome, diante de cujo som os céus estremecem de alegria e o abismo de terror, faço o milagre.
Mas não se deve, filhos insatisfeitos e imprudentes, vir a Mim somente na última hora. E você sabe de antemão se terá tempo e meios para Me chamar? E você sabe se Satanás, com uma última astúcia, vai jogar o último engano para esconder a aproximação da morte de você, para que ela o pegue como um ladrão [431] que vem de repente?
O mundo está cheio de mortes súbitas. Eles são um dos produtos do seu jeito de existir. Você multiplicou o prazer e a morte, multiplicou o conhecimento e a morte.
A primeira leva você à morte, e não só você que peca, mas também os filhos e os filhos de seus filhos – assim como você paga pelos pecados dos pais de seus pais – pelas consequências de sua luxúria e suas crapulae.
O segundo leva você à morte através do seu chamado “progresso”, do qual três quartos são obra do ensinamento de Satanás, porque o fruto do seu progresso são as obras e meios de destruição refinada que você cria, e o outro quarto é dado por um amor excessivo ao conforto, sob o qual reside não só o epicurismo, mas também o antigo orgulho de querer imitar Deus na velocidade, no vôo e em outras coisas superiores ao homem e mal usadas pelo homem. Pois se Salomão encontrou [432]que quem aumenta o conhecimento aumenta a dor, e descobriu então, o que devemos dizer agora que você reduziu o mundo a um caos de conhecimento ao qual falta a restrição da lei e da caridade de Deus?
Você teria muito que estudar sem atormentar sua mente em obscuridades prejudiciais ou por trás de obras assassinas. No meu Universo há páginas intermináveis ​​nas quais o olho do homem poderia, e eu gostaria que fosse, ler ensinamentos sobrenaturais e leis de beleza e bondade. Eu o criei, eu, o Deus Uno e Trino, este universo que o cerca, e não lhe causei nenhum dano.
Tudo no universo obedece a uma lei de amor a Deus e ao homem. Mas você, do curso ordenado das estrelas, da sucessão das estações, da frutificação do solo, você não aprende nada. Nada que sirva para conquistar os Céus. Os únicos que não obedecem, vocês são a desordem do Universo. E sua desordem é paga com ruínas contínuas, nas quais você perece como rebanhos enlouquecidos que descem uma ravina em uma torrente ruidosa.
Homens miseráveis ​​que embotaram o espírito sob o pecado; obtusos a ponto de não saber mais compreender a harmonia das coisas universais, que cantam todos os louvores a Deus Criador e falam dele e lhe obedecem com um amor que procuro em vão no homem.
Deixe o vaidoso vagando atrás de tanto conhecimento humano, tantas fomes humanas. E venha a Mim.
Minha Cruz está lá para algo, tão alto acima do mundo. Olha para esta Cruz onde um Deus se sacrifica por ti e, se tens entranhas de homens e não de brutos, regula-te na proporção do meu amor por ti.
Eu não te dei minha vida para mantê-lo perdendo a sua. Eu dei a você para lhe dar Vida. Mas você deve querer ter esta vida eterna e agir de acordo, e não imitar os animais mais imundos vivendo no pântano.
Lembre-se que você tem um espírito. Lembre-se que o espírito é eterno. Lembre-se de que um Deus morreu por seu espírito, você tem tanto medo de uma doença que ela não dura muito tempo, e não tema o horror da condenação cujos tormentos não têm fim.
Voltem ao modo de vida, pobres crianças. Aquele que te ama te conjura.
E a você, que ouve e escreve, eu ensino, porque você ensina aos irmãos, o caminho seguro para vir a Mim.
Imite o Mestre em tudo . Aqui está o segredo que salva. Se Ele orar, ore. Se Ele trabalha, trabalhe. Se Ele se sacrificar, sacrifique-se. Nenhum discípulo [433] é mais do que o Mestre e diferente do Mestre. E nenhuma criança é diferente do pai, se for um bom filho.
Você já reparou como as crianças adoram imitar o pai nas ações, nas palavras, no andar? Colocam os pezinhos nos passos do pai e parecem se tornar adultos ao fazer isso, porque imitar o pai que amam é para eles atingirem a perfeição.
Minha Maria, faça como esses pequeninos. Sempre faça isso. Segue as pegadas do teu Jesus, são pegadas sangrentas, porque o teu Jesus está ferido por amor aos homens. Você também, por amor a eles, sangra por mil feridas. No Céu se transformarão em gemas, porque serão muitos testemunhos da vossa caridade, e a caridade é a gema do Céu.
Traga almas para mim. Eles são tão rebeldes quanto crianças. Mas se você os atrair suavemente, eles se curvarão. Ser doce em meio a tanta amargura, que o vizinho destila continuamente, é uma coisa difícil. Mas é preciso filtrar tudo pelo amor de Mim. É preciso pensar que, para cada alma que vem a Mim, minha alegria é grande e me faz esquecer a amargura que o homem continuamente me dá. É preciso pensar que a Justiça está muito zangada e que é preciso mais do que nunca ser vítimas redimidas para apaziguá-la.
Não quero que você me siga apenas com amor. Eu quero que você me siga com dor também. Sofri para salvar o mundo. O mundo precisa de sofrimento para ser salvo novamente.
Esta doutrina, que o mundo não quer conhecer, é verdadeira. Todos os meios devem ser usados ​​para salvar a humanidade moribunda. O sacrifício oculto e a doçura óbvia são duas armas para vencer esta luta pela qual vou recompensá-lo.
Como o seu Senhor, seja heróico na caridade, heróico no sacrifício, doce nas provações, doce para com seus irmãos. Então você tomará o rosto e o manto de seu Rei, como um espelho límpido você refletirá meu Rosto.
Devemos saber imitar Maria que carregou Cristo entre os povos: Saúde do mundo”.

   Sempre no dia 13, à noite

   Jesus diz:
«Falo-vos por todos, para explicar a relação de amor entre Deus e a alma.
Não é em vão que sou chamado de “marido” de suas almas. Casei-me com você em um rito de dor e lhe dei meu Sangue como dote, já que você é tão pobre, por si mesmo, que teria sido um desprezo pela morada do Rei. vestidos. Teci a tua veste nupcial [434] e a tingi de púrpura divina para torná-la ainda mais bela aos olhos de meu Pai; Eu te coroei com minha coroa, pois quem reina usa uma coroa, e eu te dei meu cetro.
Verdadeiramente eu gostaria de dar isso a todas as almas, mas infinitos desprezaram meu presente. Preferiam as vestes, coroas e cetros da Terra, cuja duração é tão relativa e cuja eficácia é tão nula em relação às leis do espírito.
Honras, riquezas, glórias, não os amaldiçoo. Estou apenas dizendo que eles não são um fim em si mesmos, mas são meios para conquistar o verdadeiro fim: a vida eterna. Deve ser usado, se sua missão de homens os confia a você, com o coração e a mente cheios de Deus, fazendo dessas riquezas injustas não causa de ruína, mas de vitória.
Ser pobre de espírito, ganhar o céu com riquezas injustas: aqui estão duas frases [435] que você entende pouco.
Pobre de espíritosignifica não ter apego ao que é terreno; é ser livre e livre do que é pomposo, como humildes peregrinos que vão para a sua meta desfrutando da ajuda que a Providência concede. Mas não desfrutando deles com orgulho e avareza, mas como os pássaros do céu, que bicam alegremente os grãos que seu Criador espalha ao redor de seus corpinhos e depois cantam de gratidão, gratos como são pela roupa de plumas que os abriga, e porque já não procuram e não se lamentam com raiva se um dia a comida escasseia e a água do céu banha ninhos e penas, mas espera pacientemente por aqueles que não podem abandoná-los.
Pobre de espírito significa viver onde Deus o colocou, mas com a alma desapegada das coisas da terra e preocupada apenas em conquistar o céu.
Quantos reis, quantos poderosos em riquezas da Terra foram “pobres de espírito” e conquistaram o Céu, usando a força para domar o humano que neles se agitava para as glórias fugazes, e quantos pobres da Terra não o são porque, embora não possuem riquezas, ansiavam por elas com inveja, e muitas vezes mataram o espírito vendendo-se a Satanás por uma bolsa de dinheiro, por uma vestimenta de poder, por uma mesa sempre carregada do que é necessário para alimentar os vermes da podridão do túmulo!
Ganhar o Céu com riquezas injustas significa exercer a caridade de todas as formas nas glórias da Terra.
Mateus, o cobrador de impostos [436], ele sabia como fazer escada de riquezas injustas para penetrar no céu. Maria, a pecadora, soube santificar aquelas riquezas do pecado, renunciando aos artifícios com que tornava a sua carne mais sedutora e usando-os para os pobres de Cristo, a começar pelo próprio Cristo. Ao longo dos séculos, muitos cristãos, poucos comparados à massa, conseguiram fazer da riqueza e do poder sua arma de santidade. São eles que Me compreenderam, mas são tão poucos!
Minha vestimenta, a vestimenta que vos dou, é aquela que banhei com meu Sangue durante a agonia espiritual, moral e física, que vai do Getsêmani ao Gólgota. Minha coroa é a de espinhos e meu cetro é a cruz.
Mas quem quer essas jóias de Cristo? Apenas meus verdadeiros amadores. E os dispenso com um rito de alta caridade. Quando o tempo da Terra terminar, para cada um de meus únicos amantes virei, brilhando, para apresentá-los à glória.
Eu vou, Maria, eu vou. Por enquanto é hora do desejo mútuo. Porque, por mais que eu esteja perto de você, mesmo sensatamente, sou sempre como um amante que contorna as paredes que o impedem de penetrar no amado. Seu espírito olha de cada fresta para Me ver e emite seu grito de amor. Mas a carne o mantém cativo. Se também entro forçando a carne, pois sou o Mestre do milagre, são sempre contatos fugazes e relativos.
Não posso levá-lo comigo. Eu mataria sua carne, e ela ainda tem um hoje e um amanhã de utilidade para minha causa. Todo o seu trabalho ainda não está completo, e só sei quando vou parar a hora terrena que flui para você.
Mas então eu vou. Oh! como, alma que deseja sair da terra hostil, como te parecerá belo o céu! E como, comparando-os com os presentes, os abraços do Amor te parecerão iluminados!
Você diz que a ansiedade pelas vicissitudes que poderiam, nestes tempos de infortúnio, perturbar os últimos dias de sua mãe, e que isso põe um veio de paz em seu sofrimento de órfão. Mas pense quando você pode dizer a si mesmo que toda a ansiedade e todos os perigos cessaram para você e nada poderá separá-lo de seu Senhor!
Ame com superação de forças, pois eu te amei e te amo com superação de medida .
A Minha Caridade lavou-te e vestiu-te para não veres a tua nudez sobre a qual havia muitas sombras de pó humano. Toda a minha Caridade preparou para o seu bem imortal.
Aos olhos do mundo, pode parecer que minha mão ficou pesada sobre você. Mas o mundo é um tolo que não consegue ver verdades sobrenaturais.
Você sempre foi amado com um amor de predileção por Mim. Como um jardineiro que criou uma nova flor de um arbusto áspero até então desprovido de corolas e tem ciúmes dela como de um tesouro, Eu vigiei e cuido de você. Você me disse que eu tenho ciúmes de bullying. É o que faço com o amado que reservo somente para Mim.
E se fiz o deserto ao seu redor, é porque quis colocá-lo na condição de não ter outro lugar de atração que não o céu. Lá, na outra vida, está tudo o que você amou com tanta força humana. Agora você não tem mais nada na terra e você é como um pássaro preso que, através das grades da gaiola, olha para o céu onde seus companheiros são livres e felizes, e fica junto ao pequeno porto esperando que ele se abrisse para alçar vôo .
Eu vou, fique tranquilo. Até a nostalgia presente serve para enfeitar seu diadema. Seja consistente e paciente. Como uma criança que sabe que sua mãe está próxima, ela repousa sem ansiedade no amor de seu Jesus, não te perde de vista, não te abandona, não te esquece. Ele está mais ansioso do que você para falar a palavra que liberta o espírito e o introduz no Reino. Depois de tanta geada, depois de tanto despojar, depois de tanto pranto, virei dar-te o meu Sol, vestir-te de flores eternas, secar todas as tuas lágrimas.
Você que teve uma visão [437]da Luz que enche os Céus, pense como será entrar nela, tomado pela mão do seu Rei. A Luz será sua posse. Então, e não mais com as limitações de agora, viverei em ti e tu em Mim, e como noiva do Cântico poderás dizer que o teu Jesus é teu e tu dele
. mim com todo o seu carinho. Se eu estiver perto não conta. Amo ser chamado e quanto mais sou chamado, mais cedo venho, porque não resisto à voz do amor.
Antes que a noite da idade chegue, eu virei. Não voltarei, porque é você que voltou para Mim e não eu para você, de quem nunca deixei. Eu virei. Eu era como um pobre homem nas sombras esperando que você me desse seu coração, que abrisse sua porta e me deixasse entrar em você como Rei e Esposo. Mas agora eu vou. Eu virei para as núpcias. O tempo do noivado mortal está prestes a terminar e o rito do casamento eterno está prestes a começar.
Ainda tenho alguns toques para dar-te, minha vinha [439] , para te tornares completamente bela aos meus olhos. Não gema se a tesoura doer. Quando é hora de podar é sinal de que é primavera. E na primavera eu virei porque é a época dos amores. A alma entra na primavera quando o inverno mortal cessa para ela e a alegria começa no jardim de Deus”.

[430] o grito , como em Lucas 17, 12-13 .
[431] como ladrão , segundo a imagem de Mateus 24, 42-44 ; Lucas 12: 39-40 .
[432] encontrou… , como se diz em Qoèlet 1, 17-18 .
[433] Nenhum discípulo… como se diz em Mateus 10, 24 ; Lucas 6, 40 .
[434] a veste nupcial , talvez aludindo à parábola registrada em Mateus 22, 1-14 .
[435] duas frases , a primeira em Mateus 5,3 , a segunda em Lucas 16,9 (e também 12,33 ).
[436] publicano , cuja conversão é relatada em Mateus 9, 9 ; Marcos 2, 14 ; Lucas 5, 27-28 ; pecador , que não tem nome no episódio de Lucas 7, 36-50 , mas que é aqui identificado com Maria de Magdala, irmã de Marta e Lázaro de Betânia, o mesmo que o episódio referido em Mateus 26, 6-13 ; Marcos 14, 3-9 ; João 12, 1-8 .
[437] visão de 1 de julho.
[438] digamos , como no Cântico dos Cânticos 2, 16 .
[439] vinha , segundo a imagem de Isaías 5, 1-6 .

 CAPÍTULO 146


14 de outubro de 1943

   Jesus diz:
«Já vos disse [440] que os livros da Sabedoria devem ser lidos sempre com referências supra-humanas.
Exatamente o contrário do que fazem o mundo e a ciência do mundo, que não sabe se elevar ao nível sobrenatural, mas se esforça para rebaixar o sobrenatural das coisas ao seu nível terreno. Dessa forma, das páginas inspiradas ele capta o sentido artístico, sente e nota a poesia e a música, tudo, enfim, acaricia seus sentimentos humanos, mas não tenta abrir as portas além das quais seu espírito está trancado, que a humanidade nega ou esquece que possui tanto que não se importa.
E o espírito, oprimido como escravo numa prisão escura, não recebe o reflexo – digo “reflexo” porque o raio não desce pelas paredes estreitas do orgulho e da luxúria humanos – nem mesmo recebe o reflexo do sol de Sabedoria radiante para todos e para ele, enterrado no poço escuro da indiferença ao sobrenatural, tão distante; não recebe nem a mais longínqua onda desse reflexo de luz, a mais longínqua vibração dessa harmonia que não é feita apenas de palavras, mas de significados sublimes, e está cada vez mais entorpecida numa segregação criminosa.
Pobres espíritos fechados em seres dominados pela tripla sensualidade da carne! Quando uma palavra sobrenatural atravessa sua prisão, como um eco de longe, eles se assustam e tentam fazer um esforço para serem ouvidos pela carne que os oprime. Mas são tentativas vãs de um fraco oprimido por um gigante.
Para entender a Palavra como ela é, e fazer do espírito o que deveria ser: senhor da carne e não escravo , a humanidade teria que colocar o machado ao pé de matas inteiras e cortar árvores más, plantadas pela imprudência de alguns ou pelo seu pensamento rebelde e permitido crescer livremente, aliás: ajudado no crescimento por outros imprudentes e outros rebeldes à lei do Senhor. A humanidade deve fazer isso e lançar luz. Permita que a Luz desça das alturas dos Céus para os prados da Terra onde, como a grama que passa, você brota, floresce e cai em pouco tempo agora. E bem-aventurados aqueles que florescem de modo a serem dignos de serem transplantados para o meu Paraíso.
Estes são aqueles para quem a luz do espírito não é extinta e impedida. São os fortes que sabem resistir às correntes humanas. São os fiéis que sabem crer mesmo contra as afirmações humanas. Eles são os seguros que sabem continuar a sentir o Sol mesmo além das sombras criadas pelo homem, e nada os afasta dessa certeza deles. Como uma agulha de bússola sensível orientam-se para a Luz, como aves migratórias seguem seu Sol. Sabem deixar casas e parentes para vir ao Sol de sua alma.
E não me refiro, Maria, a quem entra no mosteiro. Há criaturas que, vivendo em família, “deixam-no para o meu amor” [441] mais do que se ultrapassassem a dupla grelha de um mosteiro. Você sabe alguma coisa sobre isso e sabe que lágrimas custam “seguir-Me” contra a vontade hostil da família.
“Vêm a Mim” aqueles que, contra o egoísmo, a zombaria, a incredulidade dos parentes, sabem seguir seu Rei de Amor, aqueles que não se afligem nem se sentem frios sob o assalto diário dos comentários injustos e da indiferença religiosa dos outros . Pelo contrário, eles sofrem com isso e estão ansiosos para multiplicar a Luz neles para trazê-la entre sua família obscurecida, eles se esgotam em proteger os interesses de seu Deus no seio da primeira entre as sociedades humanas: a família, e eles vem dar-me a sua vida, a fim de obter Vida para os mortos da sua família: para os mortos do espírito.
Oh! abençoado, oh! abençoado, oh! meus heróicos filhos! Eu sei o que significa ir contra o doce vínculo do amor e a dura corrente do preconceito familiar para quebrá-los e seguir a ordem do Senhor. Eu sei, eu me lembro. E um prêmio especial são os mártires ocultos do egoísmo familiar e do amor familiar, os santos mártires do meu Amor, dominadores como a morte e pungentes como o fogo.
A frase [442] do Cântico: “À noite, em minha cama, procurei o amor de minha alma sem encontrá-lo” deve ser lida sobrenaturalmente assim:
Muitas vezes e por vários motivos a noite vem à alma. As necessidades da vida, que muitas vezes vocês transformam em “solicitudes da vida”, criam sombras crepusculares, às vezes tão profundas que parecem uma noite sem estrelas. A vontade de Deus, para provar sua constância, às vezes desperta outras trevas noturnas. Durante esta escuridão “o amor de sua alma” se retira.
A alma, se não está completamente morta, ama espontaneamente seu Deus Criador. Mesmo que você não perceba, essa sua luz, essa sua chama, escondida dentro das barreiras opacas da carne, tende com saudade ao Reino de onde veio e anseia por união com sua Origem. A alma na Terra se perde entre estranhos e busca a proximidade daquele que a assegura: Deus.
Quando seu Deus se retira por negligência, já que você criou a noite com suas preocupações humanas, a alma sofre. Ocorre nela como uma perplexidade inicial. Mas então chega o momento em que ela desperta e então ela procura “seu amor” e sofre por senti-lo longe e por causa de seu relaxamento, que permitiu que a carne dominasse com suas preocupações inúteis.
Quando, em vez disso, é Deus quem, para provar um espírito, se afasta dele e permite que a noite o envolva, então esse espírito vigilante percebe imediatamente que foi abandonado por seu Amor e salta para procurá-lo, e não tem paz até que tenha chegou e perto do coração.
Às preocupações da Terra, este espírito que compreendeu a Luz opõe a única preocupação que vocês devem ter: “a da busca de Deus”. Santa solicitude da alma enamorada, à qual corresponde a solicitude divina de Deus enamorado pelas almas das suas criaturas, a ponto de se entregar pela salvação delas.
Se você perdeu minha proximidade por culpa sua ou por minha vontade, saiba imitar a noiva da Canção. Levante-se sem demora, busque sem cansaço e sem hesitação, sem medo.
Se a distância depende de você, seria vergonhoso se você não tentasse ser perdoado sendo paciente e persistente em sua busca. Se depender de Deus, seria ofensivo se você mostrasse a impaciência humana e quase com isso repreendesse a Deus que é incensurável.
Nem você deve ter medos. Quando alguém busca a Deus, Deus, mesmo que esteja escondido, zela por ele. Portanto, nada “verdadeiro” mal pode fazer o mundo ao buscador de Deus. Mesmo que se enfureça com zombaria ou perseguição, pense sempre que são coisas de relativa duração, enquanto o fruto do seu amor corajoso nunca perece.
Quando finalmente suas pesquisas amorosas permitirem que você se reúna com o amor de sua alma, abrace-o com um abraço cada vez mais forte até que você se torne uma fusão total e indissolúvel entre você e Ele.
Veja, minha noivinha, quando chega a este ponto, Jesus nunca se afasta. Basta que você gire o olhar do espírito para me ver de perto. Assim como um noivo apaixonado que vagueia pela casa do casamento, basta que a noiva se vire ou olhe para a porta para vê-lo perto dele ou no quarto ao lado.
Isso não é doce? Não te dá tanta segurança? Tanta paz e conforto?
Mas ainda não é nada. Quando desta tua casinha e da fugaz morada de carne onde ela está trancada eu atrair a tua alma para as moradas eternas, tu saberás o que é a bem-aventurança do amor. A alegria de agora é como uma gota de mel [se] comparada ao rio de doçura que derramarei sobre você”.

   Mais tarde, o mesmo 14 de outubro

   Jesus diz:
“Quando o amor se tornou tão forte a ponto de se tornar “fusão”, também é inútil temer a violência humana que rompe a vida ou a própria duração da vida.
Acredite, alma que ouve, acredite que nada é tão violento quanto o amor e tão destrutivo quanto o amor. Se a espada ou as flechas dos tiranos não tivessem desmaiado e perfurado meus mártires, se o fogo e o piche não os tivessem derretido e incinerado, se a água não os tivesse submergido ou os animais despedaçados, eles teriam morrido de qualquer maneira. até aquele ponto de incandescência de amor a que o amor recíproco entre o cristão e Cristo os havia levado. Mais que uma espada e uma flecha abre as veias e o coração o amor, mais que o fogo e o piche consomem o amor, mais que a água submerge o amor e mais que uma fera faminta aspira a amar a si mesma.
Mas esta aniquilação da criatura Apaixonada separa a gema de seu envelope, abre a fechadura ao anjo fechado na carne, melhor dizer: ao espírito, para evitar as objeções dos sofismas humanos que se perdem na análise dos acabamentos e fazem não olhe para o núcleo do pensamento. Esta aniquilação liberta o espírito imortal e o faz nascer para os Céus que o esperavam e que se abrem à sua entrada e se fecham atrás dele, colocando barreiras de paz entre ele e a Terra hostil aos santos.
Por isso vos disse: [443] «Não tenhais medo de quem pode matar o vosso corpo», porque matar o corpo é a libertação do espírito.
O amor é imolador como espada e fogo, como água e feras. E nos vossos dias, quando não são as grandes perseguições que coroaram de púrpura a Igreja nascente, digo-vos em verdade que não faltam mártires que são espada, fogo, besta a chama do amor.
O que você chama de “Florzinha” [444] não é menos mártir que Inês, porque a lâmina que bebeu a vida de ambas tem basicamente um só nome: “Amor”. E no Céu o martírio de ambos, embora consumado de forma diferente, tem a mesma recompensa, porque a glória de Deus foi o agente que os impulsionou a encontrá-lo e o amor das almas o que os levou a pedi-lo.
Da mesma forma, é inútil temer a duração da separação. O amor o encurta porque consome. Um ser pego em um vórtice de fogo não pode durar muito.
O fogo rapidamente aproxima o Fogo, perto do Deus Uno e Trino que é a perfeição do Amor, que é o próprio Amor, e que a cada momento renova e expande seu ardor que vai do Centro aos Três e dos Três à Unidade com movimentos de amor inefáveis ​​e incompreensíveis para a mente humana, e como uma onda de uma fonte fechada, ela transborda e se expande no Universo e o abraça, fertiliza, atrai, dá vida e pede para receber as vidas criadas para levá-los a conhecer o Amor, isto é, Ele mesmo, com a perfeição que não são mais criaturas enquanto estão separadas do Criador, mas criaturas quando estão reunidas novamente no seio do Criador.
Oh! Luz beatífica, oh! Três vezes santo amor, por que meu sacrifício a Deus não foi suficiente para me dar todas as criaturas? Por que, de fato, o Inimigo agiu tanto na fraqueza humana a ponto de tornar meu sacrifício impenetrável em quase todas as criaturas?
Oh! dor do Deus Homem, de Deus que deixou os esplendores superessenciais para vir à Terra para dar Amor às terras e trazer as terras ao Amor, e vê que para milhões e milhões de seres o holocausto de Deus que deixa os Céus , e do Homem que se sacrifica, foi realizado! Assim, você se afasta do Bem, do Amor que é Bom, e morre. Morra depois que eu lhe der a Vida. Você morre por não saber amar e não querer se deixar amar por Deus.
Permaneça fiel, você, entre os homens infiéis a Jesus, seu Senhor e Salvador, infiel ao Deus Triúno, Pai, Redentor, seu Amor, você que conheceu o amor. Jamais se desprendam deste caminho seguro cujo fim está em meu Coração.
O amor não é apenas o guia de sua vida, mas o empurra tão rapidamente que você voou em direção a Mim. Como uma borboleta que atrai a luz, voe para a Luz. Está aqui para vos receber e aumenta os seus brilhos de alegria porque vos vê fiéis.
Vamos. Ir para cima. Só existe Deus que é alegria para a criatura”.

[440] Eu disse , por exemplo, 29 de junho, 2 de julho (segundo “ditado”), 9 e 29 de julho.
[441] eles partem por minha causa , como é dito em Mateus 19:29 ; Marcos 10, 29-30 ; Lucas 18, 29-30 .
[442] frase , que está no Cântico dos Cânticos 3, 1 .
[443] Eu disse em Mateus 10, 28 ; Lucas 12, 4 .
[444] A florzinha chama-se Santa Teresa do Menino Jesus, mencionada nos dias 10 de maio e 14 de julho. Inês é a virgem mártir do século III, santa, venerada em Roma desde a antiguidade.

CAPÍTULO 147


15 de outubro de 1943

   Jesus diz:
«A Igreja aplicou a Maria, minha bem-aventurada Mãe, os louvores [445] que o esposo do Cântico dirige à sua amada. E nenhuma criatura no mundo tem, na verdade, tanto direito de ter esses elogios para si. Deixando de lado, também e sobretudo, a sensualidade que celebra as belezas físicas, grande também em Maria, porque sua exclusão do pecado original fez de Maria uma criatura perfeita como as duas primeiras criadas pelo Pai. E as duas primeiras, obra sublime do Criador, tinham, além da beleza incorpórea da alma inocente, a beleza física do corpo criado pelo Pai.
A feiura física chegou ao homem como uma das muitas consequências da culpa. A culpa não só feriu o espírito. Também causou esse dano à carne. Do espírito, que havia perdido a Graça, vieram instintos não naturais, que resultaram nas monstruosidades da raça. Se o homem não tivesse conhecido o pecado, não teria conhecido certos estímulos e não teria contraído alianças depreciadas e malditas que depois pesaram, ao longo dos séculos, com uma marca de feiúra na primeira beleza original.
E mesmo quando o homem não chegou a se rebaixar com certos pecados, maldades, levadas à delinquência, estigmas marcados no rosto dos ímpios e de seus descendentes, estigmas que ainda hoje estudais para reprimir a delinquência.
Mas vocês, cientistas que os estudam, deveriam começar a remover do coração os primeiros estigmas de delinquência: aquele que os torna rebeldes a Deus, à sua Lei, à sua Fé. É preciso curar o espírito, não reprimir os pecados da carne e do sangue. Se o homem, cuidando primeiro de si mesmo, depois cuidasse da educação espiritual de seus irmãos, reconhecendo esse espírito que é o motor de seus atos e não o negando com palavras e mais com as obras de toda a vida, a delinquência diminuiria até para se tornar a manifestação esporádica de alguns doentes mentais pobres.
A feiúra física é tanto um sinal próprio ou de longínqua conjunção com o Mal, que com o tempo se forma mosaico, quando por um conjunto de razões, que um dia vos expliquei, [446]era necessário usar uma severidade e um absolutismo que modifiquei então com minha doutrina do amor, o deformado foi excluído dos serviços divinos. Não foi para ensinar aos homens a falta de caridade para com os infelizes que aquela lei foi dada pela Justiça. [447] Mas foi para acabar com a animalidade dos homens com o medo e o terror de que as suas ofensas contra a natureza gerassem pessoas deformadas e excluídas do serviço divino, a aspiração mais elevada dos filhos de Israel.
Então eu vim, Sabedoria Eterna, encarnada para ti, e mudei a Lei para o fogo da minha Caridade e para a luz da minha Inteligência.
Séculos e séculos se passaram desde o tempo de Moisés e, apesar de todas as leis, o homem fornicara com o Mal, com a luxúria levada a aberrações monstruosas, com a ferocidade também esta levada às obras-primas da criminalidade. Nos filhos dos filhos desses milhões de pecadores marcavam-se os estigmas dos pecados distantes dos pais enquanto, sob o envoltório de uma carne não bela e deformada por defeitos físicos ou doenças horrendas, palpitava mais um coração digno de Deus do que muitos corações de seres fisicamente belos.
E então eu, fruto do Amor e portador do amor entre os homens, ensinando-vos o amor, ensinei-vos a amar os infelizes; Chamei a Mim os aleijados, os cegos, os leprosos, os loucos e os curei quando era o caso, sempre os amei com amor de predileção e vos ensinei a amá-los assim.
Isso também respondeu a uma razão de alta justiça. Eu, que vim para redimir as deformidades do espírito e amar os vossos espíritos deformados até ao holocausto, para lhes restituir a beleza digna de entrar no Céu, não pude amar os deformados da carne, cuja deformidade era uma cruz .que em si redimiu o espírito que soube carregá-lo?
Não. O Salvador os amou e os ama, os infelizes da Terra. E se ele não pode operar o milagre em cada um de tornar seus membros destinados a perecer perfeitos – ele não pode fazê-lo por razões inúteis para explicar aos homens – ele pode dar a todos aqueles a quem uma doença degrada sua divina certeza de posse do céu, se eles saibam passar pela prova do martírio sem duvidar da bondade do Eterno e sem se rebelar contra seu destino acusando Deus disso.
Eles também me amam pela dor . Eu os recompensarei por seu amor e os desamparados da Terra se tornarão triunfantes no Céu.
Minha Mãe, a Sem culpa, a Toda bela, a Desejada de Deus, a Destinada a ser minha Mãe, possuía a integridade harmoniosa dos membros, na qual se evidenciava o polegar modelador de Deus que a havia criado à sua perfeita semelhança.
Ao longo de muitos séculos, o trabalho do artista trabalhou duro para representar Maria. Mas como representar a perfeição? Ele exala de dentro para fora. E se você ainda pode fazer uma forma perfeita com seu pincel e cinzel, você não pode colocar essa luz da alma que é uma coisa espiritual e que é o toque divino inefável afixado a uma carne que é santa, um toque que você vê brilhando dentro de seus irmãos e isso faz você exclamar: “Que rosto santo!”.
Como você pode representar Maria? O Todo Santo do Senhor! Sempre que Ela aparecia, e então você se esforçava para reproduzir Suas feições, a bem-aventurada de Sua visão exclamava: “Esta obra é linda, mas não é Maria. De resto é belo, de uma beleza que não se pode reproduzir e que não se pode descrever”.
Você poderia reproduzir Maria, você a quem para conforto na prova de que era iminente eu permiti ver [448]minha mãe e a sua, você poderia, mesmo sendo uma excelente pintora ou escultora? Não. Você declarou que mesmo sua palavra efetiva de mulher educada e capaz de compor é pobre, insuficiente, para descrever Maria. Você disse que é “leve” dizer a coisa mais linda e indescritível que existe no mundo e compará-la à minha Mãe, a nossa.
É o espírito de Maria, que emerge dos véus da carne imaculada, aquele que você não pode descrever, ó filhos dela e meus irmãos. Santificai-vos para ver Maria. Mesmo que no Paraíso você não tivesse, por um suposto, ver que você, você já seria abençoado. Porque o Paraíso significa um lugar onde se desfruta a visão de Deus, e quem vê Maria já vê Deus. É o espelho imaculado da Divindade .
Vê, portanto, que os louvores do Cântico são justamente apropriados a Maria, que com sua alma pura e amorosa feriu o coração de Deus que é seu Rei, mas que a satisfaz em seus desejos de amor por você, como ela era sua rainha .
Eu gostaria que dentro de suas forças, assim como você deve amar a Deus com todo o seu ser, você se esforce para amar Maria. Amar significa imitar, por espírito de amor, aquele que você ama.
E dei-te uma doce ordem: [449] «Compreender-se-á que me amas quando se verificar que fazes as obras que eu faço». Agora te dou o mesmo comando para minha Mãe: “Vai ver que você a ama quando a imitar”.
Oh! se o mundo tentasse imitar Maria! O mal, em todas as suas diferentes manifestações, desde as ruínas das almas às ruínas das famílias, e das ruínas das famílias às ruínas das Nações e de todo o globo, cairia conquistado para sempre, porque Maria mantém o Mal sob seu calcanhar. , se Maria fosse sua Rainha e vocês fossem verdadeiramente seus filhos, súditos e imitadores, o Mal não poderia mais prejudicá-los.
Seja de Maria. Você será de Deus automaticamente. Porque Ela é o Jardim fechado onde Deus está, o Jardim santo onde Deus floresce. Porque Ela é a Fonte da qual brota a água viva que sobe ao Céu e vos dá os meios para subir ao Céu: Eu, o Cristo, Redentor do mundo e Salvador do homem”.

[445] louvores , que estão especialmente no Cântico dos Cânticos 2, 10-14; 4, 1-15 .
[446] Expliquei em 9 de julho.
[447] lei enunciada em Levítico 21, 16-24 .
[448] Permiti ver , nos dias 12 e 19 de Setembro.
[449] comando que está implícito nas palavras relatadas em João 14, 21,23 .

CAPÍTULO 148


16 de outubro de 1943

   Jesus diz:
«Hoje quero falar de uma frase dita por Mim na Cruz. Pode parecer um interlúdio dissonante para o tema que estou falando nestes dias. Mas não é.
Tudo o que digo se refere à gema que está em você: ao espírito. Porque o espírito é o mestre do seu ser. Muitas vezes você o torna um escravo, mas esta é uma falha pela qual você responderá. O fato de você atropelá-lo e matá-lo não muda seu caráter como senhor do seu ser.
Quero chamar sua atenção para uma frase dita por Mim na Cruz. Você também está na cruz, pobre Maria. E a tua cruz, agora habitual, tornou-se agora mais dura e dura com a dor presente que te consome carne e sangue e oprime a tua moral, a ponto de estilhaçá-la. Se fosse apenas pela morte, você sofreria menos. Mas à dor da partida de tua mãe [450] junta-se a outra dor de como ela te deixou sem dizer uma palavra. Tens um pedaço de lágrimas no coração pela fome insaciável de carícias, que te acompanhou durante toda a tua vida de filha e te acompanhará durante toda a tua vida de órfã.
Dê-me este sacrifício também. Há muitas crianças sem mães. Sem por que a mãe não os ama, e sem por que a mãe os rejeitou.
Você acredita que os filhos da culpa, quando saem das brumas da infância e começam a pensar, não sofrem dessa sua condição? A caridade humana lhes dá pão e abrigo, oh! não muito mais, e muitas vezes menos do que o que é dado a um cachorro perdido ou a um animal abandonado. Mas se o cachorrinho e o animal se contentam apenas em ter comida, abrigo e carinho, os filhos da mulher, que a mulher repudia porque representam para ela o testemunho de sua culpa, têm uma mentalidade superior à do cachorrinho e do animal. , têm uma alma que sofre e que pode, em seu sofrimento de bastardos espalhados fora do ninho onde nasceram, expulsos do ninho, torná-los injustos e maus. Injusto para Mim e mau para com os homens, para com os semelhantes daqueles que os geraram para condená-los a uma espécie de vergonha.
Só eu, eu que sou Aquele que não escapa à lágrima de um homem e nem a necessidade do pardal faminto passa despercebida, só eu conheço as lágrimas e as rebeliões dessas minhas pobres criaturas, que não tiveram nem o mínimo de família .que é constituído pela memória de pais extintos. E as lágrimas são recolhidas pelo meu Amor, e as rebeliões são compadecidas pela minha Misericórdia. A justiça não é severa com essas pobres crianças nascidas de lágrimas e vergonha, mas vai, com rosto severo, julgar quem as gerou a tal destino.
Mas não é sobre isso que quero falar com você. Por isso peço-te apenas o teu sofrimento de filha que não conheceu o conforto da despedida materna. Você Me tem como poucos Me têm. Eles não sabem me ver e ouvir, senão eu estaria com todos como com você. Dá-me a tua dor de filha para que sintam que têm um Pai, que não são bastardos, que há quem os ame. E ele os ama como nenhum pai na Terra pode e sabe amar. É preciso saber aplicar a dor individual para aliviar as dores dos outros. E você, que conhece a amargura de certas situações, a desolação do coração e o conforto que vem somente de Deus, sofre de boa vontade para evitar esse que é um dos mais amargos, desolados e perigosos desesperos.
E agora vamos falar sobre a frase que eu disse na Cruz.
Se nas palavras da Sabedoria[451] Não há um inútil sobre [o] espírito, que não serão as palavras ditas por Mim, Sabedoria divina? Na Cruz completei minha missão de Redentor, mas também de Mestre.
Eu te ensinei o perdão perdoando meus assassinos e aqueles que me ofenderam como Deus e como moribundos. Eu te ensinei a ter fé na Misericórdia concedida àqueles que se arrependem prometendo o Céu a Disma. Eu te ensinei a quem ir para não se sentir só: a Maria que é sua Mãe. Eu te ensinei a pedir humildemente e a sofrer com paciência até mesmo as necessidades do corpo, pedindo um gole para meus lábios. Eu te ensinei a não reclamar se esse gole for vinagre e fel… vinagre e fel, Maria, que se dá não só aos lábios, mas muitas vezes ao coração que pede amor e recebe repulsões e ofensas. Lembra-te que o teu Jesus teve o seu Coração saturado desta mistura mais verdadeira e amarga.
Ensinei-te Quem invocar nas horas em que a dor te invade e te parece que todos, até Deus, te abandonaram. Fui, por necessidade da Redenção, realmente abandonado pelo Pai, mas mesmo assim o invoquei. Isto é o que devemos fazer, ó filhos, nas horas de provação e dor . Se até Deus parece longe, chame-o para ajudar de qualquer maneira. Sempre dê a ele amor filial. Ele lhe dará seus presentes. Eles podem não ser os que você invocou. Outros serão ainda mais úteis para você. Confie no Senhor e no seu Pai. Ele te ama e provê para você. Acredite nisso sempre. Deus recompensa aqueles que acreditam em sua bondade.
Mas antes de pronunciar a última palavra, na qual ela estava unida, com a dor angustiante daquela morte, a alegria de ter conquistado a Vida, pronunciei a sentença [452]de que vos quero falar: «Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito».
Você vê, queridos filhos, que valor tem o espírito? Meu último pensamento vai para ele, para entregá-lo nas mãos do Pai. O valor imensurável da nossa vida como homens é o espírito, digo “nosso” porque quem morreu na cruz foi verdadeiro Homem assim como verdadeiro Deus, portanto semelhante a ti na humanidade. Minha extrema solicitude vai para este meu espírito que está perto de se libertar da carne para retornar à Origem de onde veio.
O espírito de Cristo não precisava da misericórdia divina. Era o espírito divino e inocente do Filho do Pai e da Imaculada Conceição. Mas eu queria te ensinar que apenas uma coisa é preciosa na vida e preciosa além da vida: o espírito. Deve ter todos os vossos cuidados durante a sua existência e as vossas previsões na hora da morte.
Tudo o que você tem na Terra é uma coisa que morre com a carne. Nada segue você na vida após a morte. Mas o espírito permanece, mas o espírito o precede. É então que ele se apresenta ao Juiz e recebe a primeira sentença. É ele quem recolherá a carne na hora do Juízo Final e a tornará viva novamente para ouvir o decreto que a fará abençoada com seu espírito ou amaldiçoada com ela. Séculos ou momentos de morte ele conhecerá a carne antes de sua ressurreição, mas o espírito conhece apenas uma morte e não ressuscita dela.
Ai dos espíritos mortos que infundirão a morte na carne em que habitaram! A “segunda morte” que não conhece ressurreição, e que é o que você deve temer por este corpo que você ama mais do que o espírito, ou homens tolos que derrubam os valores das coisas.
Tente ter misericórdia de si mesmo, não do ponto de vista humano, mas do sobrenatural. Tende piedade daquilo que não morre como carne, mas que só pode morrer como espírito, perdendo a luz de Deus aqui embaixo, a visão e a posse de Deus no meu Céu.
Procurar. E como você é fraco para a carne que o tenta, tomada como está na sedução de Satanás, na vida e na morte você confia seu espírito ao Poderoso, ao Santo, ao Deus Misericordioso.
Quando eu te ensinei [453]dizer: “Não nos deixes cair em tentação, mas salva-nos do mal”, já não te ensinei a confiar o teu espírito ao Pai, que te criou e que não nega a sua paternidade como tu negas a tua filiação?
Pouco pode prejudicar Satanás na Terra ao espírito que confia em Deus; o espírito que na agonia invoca Deus será poupado dos terrores que a Besta suscita como última vingança; ao espírito que sopra em Deus o Coração será aberto por Deus, e da morte passará para a vida eterna, santa e bem-aventurada”.

[450] sua mãe , que faleceu em 4 de outubro. A mesma dica em 15 de outubro, onde se fala de um anterior “conforto na prova que era iminente”.
[451] Se nas palavras da Sabedoria… O mesmo conceito no início do “ditado” de 14 de outubro.
[452] sentença , relatada em Lucas 23, 46 . Os outros episódios, aqui mencionados, da Paixão e Morte têm suas notas no “ditado” de 11 de agosto e no de 7 de setembro.
[453] ensinado em Mateus 6, 13 ; Lucas 11, 4 .

CAPÍTULO 149


17 de outubro de 1943

   Jesus diz:
«Quero explicar-vos o que é o Purgatório e em que consiste. E vou explicar para você, de uma forma que impactará muitos que acreditam ser os guardiões do conhecimento da vida após a morte e não são.
As almas imersas nessas chamas sofrem apenas de amor .
Não indignos de possuir a Luz, mas nem mesmo dignos de entrar nela imediatamente, no Reino da Luz, quando se apresentam a Deus, são investidos pela Luz. É uma bem-aventurança breve e antecipada, que os torna seguros de sua salvação e os torna conscientes de qual será sua eternidade e conhecedores do que cometeram com sua alma, defraudando-a de anos de bendita posse de Deus. de purgação, são atingidos pelas chamas expiatórias.
Nisto, aqueles que falam do Purgatório dizem que está certo. Mas onde não estou certo é em querer dar nomes diferentes a essas chamas.
São fogo de Amor. Eles purificam acendendo as almas de amor. Eles dão Amor porque, quando a alma alcançou neles aquele amor que não alcançou na Terra, ela se liberta dele e se une ao Amor no Céu.
Parece-lhe uma doutrina diferente da conhecida, certo? Mas pense nisso.
O que o Deus Uno e Trino quer para as almas criadas por Ele? O Bem .
Quem quer o Bem para uma criatura, que sentimentos tem pela criatura? Sentimentos de amor .
Qual é o primeiro e o segundo mandamento, os dois mais importantes, os que eu disse [454]não ser maior do que eles e ser neles a chave para alcançar a vida eterna? É o mandamento do amor : “Ame a Deus com todas as suas forças, ame o próximo como a si mesmo”.
Pela minha boca e dos profetas e santos, o que eu te disse inúmeras vezes? Essa Caridade [455] é a maior das absolvições . A caridade consome as faltas e as fraquezas do homem, porque quem ama vive em Deus e, vivendo em Deus, peca pouco e, se peca, imediatamente se arrepende e para quem se arrepende há o perdão do Altíssimo.
O que faltava às almas? Amar. Se eles tivessem amado muito, teriam cometido alguns pecados leves, ligados à sua fraqueza e imperfeição. Mas eles nunca teriam alcançado a persistência consciente na culpa mesmo venial. Eles teriam tentado não entristecer seu Amor, e o Amor, vendo sua boa vontade, também os teria absolvido das venialidades cometidas.
Como uma falha pode ser reparada, mesmo na Terra? Expiando-o e, se possível, pelos meios pelos quais foi cometido. Quem prejudicou, devolvendo o que tirou com arrogância. Quem caluniou, retirando a calúnia, e assim por diante.
Agora, se a pobre justiça humana quer isso, a santa justiça de Deus não vai querer? E que meios usará Deus para obter reparação? Ele mesmo, isto é, Amor, e amor exigente. Este Deus, a quem ofendestes e que vos ama paternalmente e que quer unir-se às suas criaturas, leva-vos a obter esta união por Ele mesmo.
Tudo depende do Amor, Maria, exceto os verdadeiros “mortos”: os condenados. O amor também morreu por eles “mortos”. Mas para os três reinos – o mais pesado: a Terra; aquela em que o peso da matéria é abolido, mas não da alma sobrecarregada pelo pecado: Purgatório; e finalmente aquela em que os habitantes dela compartilham com o Pai a natureza espiritual que os liberta de todos os fardos – o motor é o Amor. É amando na Terra que você trabalha para o Céu. É amando no Purgatório que se conquista o Céu que em vida não soube merecer. É amando no Céu que você desfruta do Céu.
Quando uma alma está no Purgatório, ela não faz nada além de amar, refletir, arrepender-se na luz do Amor, que para ela acendeu aquelas chamas que já são Deus, mas escondem Deus dela para seu castigo.
Aqui está o tormento. A alma se lembra da visão de Deus que teve no julgamento particular. Ele carrega consigo essa memória e, como até mesmo vislumbrar Deus é uma alegria que supera todas as coisas criadas, a alma anseia por reencontrá-la. Essa memória de Deus e esse raio de luz, que a investiu quando apareceu diante de Deus, fazem a alma “ver” em sua verdadeira entidade as faltas cometidas contra o seu Bem, e esse “ver” constitui, junto com o pensamento de que para aqueles deficiências a posse do Céu e a união com Deus foi voluntariamente proibida por anos ou séculos, constitui seu castigo purgativo.
É o amor, e a certeza de ter ofendido o Amor, o tormento dos purgativos. Quanto mais uma alma perde na vida, mais ela fica como que cegada por cataratas espirituais, que tornam mais difícil para ela conhecer e alcançar aquele arrependimento perfeito de amor que é o coeficiente primário de sua purgação e entrada no Reino de Deus, o amor é sobrecarregado em sua vida e retardado quanto mais uma alma o oprime com culpa. À medida que se purifica pelo poder do Amor, acelera sua ressurreição ao amor e, conseqüentemente, sua conquista do Amor, que se completa quando, terminada a expiação e alcançada a perfeição do amor, o amor é admitido na Cidade de Deus.
É preciso rezar muito para que essas almas, que sofrem para alcançar a Alegria, sejam rápidas em alcançar o amor perfeito que as absolve e as une a Mim. Suas orações, seus sufrágios são tantos aumentos no fogo do amor . Aumentam o ardor. Mas – ah! bendito tormento! – eles também aumentam a capacidade de amar. Eles aceleram o processo de purga. As almas imersas nesse fogo elevam-se a graus cada vez mais elevados. Eles os levam ao limiar da Luz. Finalmente, eles abrem as portas da Luz e introduzem a alma no Céu.
A cada uma dessas operações, provocadas por sua caridade para com aqueles que o precederam em sua segunda vida, corresponde um salto de caridade para você. Caridade de Deus que te agradece por cuidar de seus filhos sofredores, caridade dos filhos sofredores que te agradecem por trabalhar para trazê-los para a alegria de Deus.
Nunca como depois da morte da Terra seus entes queridos te amam, porque seu amor agora está com a Luz. de Deus e nesta Luz eles entendem como você os ama e como eles deveriam ter amado você.
Eles não podem mais dizer palavras para você que invocam o perdão e dão amor. Mas eles me dizem por você, e eu as trago a você, estas palavras de seus Mortos, que agora sabem ver e amar você como deveriam. Eu os trago a você junto com seu pedido de amor e sua bênção. Já válido desde o Purgatório, porque já está infundido com a Caridade ardente que os queima e os purifica. Perfeitamente válido, então, a partir do momento em que, liberados, eles se encontrarão com você no limiar da Vida ou se reunirão com você nela, se você já os precedeu no Reino do Amor.
Confia em mim, Maria. Eu trabalho para você e seus entes queridos. Eleve seu ânimo. Eu venho para te dar alegria. Confie em mim.”

[454] Eu disse , lembrando os preceitos de Deuteronômio 6, 5 e Levítico 19, 18 , em Mateus 22, 34-40 ; Marcos 12, 28-34 ; Lucas 10, 25-28 .
[455] A caridade… , como se diz, por exemplo, em Provérbios 10, 12 ; 1 Pedro 4, 8 .

CAPÍTULO 150


18 de outubro de 1943

   Jesus diz [456] :
«Segredo da alma que não quer perder o seu Amor: Deus, deve ser – já vos disse [457] – que permaneça sempre fixo, com as forças da alma, sobre Deus
… seja o que você fizer, saiba como manter seu espírito fixo em Mim. Assim você santificará cada ação sua, tornando-a agradável a Deus e sobrenaturalmente útil para você. Tudo é oração para quem sabe permanecer em Deus, porque a união não é outra coisa que amor, e porque o amor transforma até os atos mais humildes da vida humana em adorações agradecidas ao Senhor.
Digo-vos a verdade que entre aquele que fica muitas horas na igreja repetindo palavras de que a alma está ausente, e aquele que fica em sua casa, escritório, loja, ocupação, amando-me e ao próximo por Mim, permanecendo unidos a Mim, o segundo reza e é abençoado por Mim, enquanto o primeiro não faz outra coisa senão realizar uma prática hipócrita que condeno e desprezo.
Quando a alma conseguiu alcançar esta ciência amorosa de saber permanecer fixa em Mim com seus poderes, ela produz atos contínuos de amor. Mesmo no sono material ele me ama, porque a carne adormece e acorda com meu Nome e meu pensamento presentes e, enquanto o corpo descansa, a alma continua a amar.
Oh! santos casamentos da alma com seu Deus! Vínculo espiritual que o olho humano não vê, mas que, se pudesse ver, veria um círculo de fogo que envolve Deus e a criatura, e aumentando o júbilo de Deus aumenta a glória da criatura, círculo sagrado que no Céu haverá nimbo na fronte glorificada.
A alma, excluída como está na carne, às vezes sofre como revés o cansaço da carne. Tentações de Satanás, faltas mais ou menos graves – não estou falando do pecado mortal, que separa violentamente a alma de seu Deus, mas estou falando dos pecados mais leves que, por menores que sejam, têm como consequência um esgotamento do espírito – delírios, dores, acontecimentos da vida, no mínimo treinados para a vida do espírito causam, com as demais causas, cansaço da alma.
Mas você tem que reagir a eles. São como uma daquelas languidez físicas que precedem o consumo da carne. Ai de não lutar contra eles no começo! Mas três vezes ai de não lutar contra a languidez do espírito que leva à sonolência espiritual e lentamente à morte da alma.
Deus não ama os preguiçosos, não ama aqueles que preferem seus confortos ao bom Senhor. Deus castiga aqueles que ficam mornos. Ele se retira.
O teu bom Deus chama-te a acordar, pede-te que o acolha, mostra-se ansioso por te ter procurado e pede ao teu coração que nele se refugie. Mas você não sabe que o mais belo tabernáculo para o seu Senhor é o seu coração? Tudo tenta o bom Deus a tirá-lo do sono espiritual e da preguiça espiritual. Às vezes ele tenta forçar até os portões místicos do coração e tenta entrar. Então ele se retira porque raramente recorre à violência. Ele sempre te deixa livre, mesmo que te deixar assim seja uma dor para ele, porque ele vê que você está fazendo um mau uso da liberdade.
Às vezes, quase sempre de fato, a alma sente a vinda de seu Deus, sente sua tentativa de entrar e, como a alma se lembra de que foi criada por Deus, ela se assusta com doçura.
Você atropela a alma, não a segue em seus desejos, mas ela resiste a morrer em você. Ele morre por último, morre depois que a mente morre e o coração morre de orgulho e luxúria; ela só morre quando você a mata, tirando dela a Luz, o Amor, a Vida, ou melhor, Deus. Mas até que ela morra, ela começa com alegria e pulsa com amor quando Deus se aproxima dela. Ai daqueles que não querem secundar esses movimentos da alma. Assemelham-se aos doentes que, com contínua imprudência e desobediência ao médico, agravam cada vez mais a doença a ponto de torná-la fatal.
Quando sua alma se derreter de doçura porque sente Deus além das portas, siga o movimento da alma, deixe todos os cuidados da carne, ponha esta sua soberba carne de joelhos, reconheça os direitos da rainha fechada em você, do rainha que quer seguir seu Rei, e adore a bondade do Rei que veio até você para amar sua alma que você manteve segregada, que veio para te amar e te dar o penhor da salvação também para esta tua carne, à qual você se importa tanto, mas para o qual você não sabe fazer nada realmente útil.
Deus quer que sua carne brilhe com beleza e luz sobrenaturais e eternas na ressurreição final. Eles brilham pelas obras sagradas realizadas na vida da Terra, pelas obras realizadas seguindo os impulsos da alma movida por Deus.
Se você soubesse que grande graça é cada vinda de Deus-Amor! Se você entendesse isso, diria a cada momento: “Vem, Senhor Jesus! Venha conduzir minha alma! Seja meu Rei e meu Mestre”. Se você soubesse, você marcaria cada encontro, cada vinda, entre os dias auspiciosos de sua vida como homens. E na verdade nenhum evento é tão auspicioso quanto aquele em que eu entro com meu amor em seu coração para salvá-lo e conduzi-lo, além da vida, à Vida verdadeira, eterna e abençoada.
Quando por seu próprio descuido você deixou seu Mestre passar, afligido por sua inércia espiritual; quando o remorso, o clamor da consciência que nunca se cala por completo, mesmo nos mais depravados, desperta a tua alma que tens entorpecida na tibieza e na materialidade, procura os reparos. Busque a Deus imediatamente.
Pense que sem Deus se vagueia pelos caminhos da morte a ponto de perecer para sempre. Pense também que Deus é misericordioso e tem as entranhas da caridade para você. Ele imediatamente ouve o seu grito que o chama de volta e, mesmo que esteja escondido por algum tempo para o seu castigo, ele não está longe. Você não o vê, mas Ele já está com você com o coração de seu Pai que perdoa o filho desencaminhado e anseia por tê-lo em seu coração.
Busque a Deus imediatamente. Passando pelos guardas de patrulha: [458]as armadilhas que o Inimigo lança pelo caminho para impedir que uma alma escape para se refugiar em Deus. Deixe o invejoso e cruel Satanás despojar você da vingança. Melhor você entrar nu de humanidade na vida eterna, mas rico apenas de riquezas espirituais, do que acompanhado no limiar de Deus por afetos, honras, alegrias terrenas, ser jogado fora porque já teve tudo e não merece mais nada , tendo preferido ter este “Tudo”, que cai e te arrasta à queda, à única coisa necessária a ter: a moeda para entrar na Vida Eterna, acumulada com labuta, esforço, paciência espiritual, hastes sagradas colhidas hora a hora por obedecendo minha Lei por meu amor, pérolas místicas obtidas com a dor sofrida por amor, rubis eternos criados por seu querer ser meus filhos,[459] como eu diante da tentação mais forte, do medo mais forte, da vontade divina mais forte que o homem foi capaz de suportar.
Se você soubesse o que o seu “não” disse às forças da carne, dos afetos, das riquezas, das honras é ser fiel Àquele que te ama! Se você soubesse o que é estar pronto para se deixar levar até mesmo das coisas queridas para ser tudo de Deus!
Certas privações, suportadas com resignação, se não com júbilo, pois ainda se pode regozijar pela saúde imolada segundo os propósitos de Deus, mas não se pode jubilar sobre um túmulo que se fecha sobre um pai, uma mãe, um marido, um filho, um irmão – eu fui um homem entre os homens eu também e me lembro o que é não mais ouvir uma voz querida, não mais ver a casa animada por um parente e a morada de um amigo vazia de sua presença – certas privações sofridas com resignação tem o valor de um martírio, Maria, lembra-te disso. Eles a têm como a da vida oferecida para o advento do meu Reino nos corações, das febres, das doenças sofridas para que caiam as febres das almas e as doenças dos espíritos.
E ambos os martírios terão a recompensa do martírio: [460]a estola púrpura daqueles que vieram a Mim por uma grande tribulação, a teoria do fogo que seguirá o Cordeiro junto com a teoria branca das virgens, a segunda à minha direita, a primeira à minha esquerda, porque verdadeiramente esses heróis do espírito são os filhos do meu Coração dilacerados por um martírio de amor, como os primeiros são os nascidos de Maria que mais se assemelham à Mãe e ao Filho da Mãe, são aqueles que viveram na forma de homens com sentimentos de anjos: além da carne e do sangue.
Por todos os seus meios, com santa audácia, busque o Senhor. Procure-o para reparar a preguiça de antes. E uma vez que você o encontre, não se separe mais dele.
Nele é o Bem que não morre. Nele está a Vida e a Verdade. Se você permanecer Nele, você não perecerá. Se você viver Nele você não morrerá, você não conhecerá os erros. Como um barco que entra no porto em segurança porque seu piloto soube conduzi-lo, você, guiado por Cristo, entrará no porto da Paz. Eu te digo, eu que não minto.
Nunca me neguem, crianças que eu amo. Sê fiel a Mim e eu te darei a glória.”

[456] Diz Jesus: Num exemplar dactilografado, à data do presente «ditado» acrescenta o escritor: comentando sempre o Cântico ; e ao do seguinte “ditado” acrescenta: Sempre no Cântico . Os “ditados” do Cântico dos Cânticos são nos dias 11, 12, 13, 14, 15, 18 e 19 de outubro. Mais uma aplicação do Cântico no segundo “ditado” de 27 de outubro.
[457] Já falei sobre isso em 26 de junho e 10 de outubro.
[458] os guardas , tirados do Cântico dos Cânticos 3, 3; 5, 7 .
[459] suar sangue vivo , como se diz em Lucas 22,44 ; forte tentação , como já mencionado no terceiro “ditado” de 4 de julho.
[460] a recompensa do martírio , ou seja, o prêmio reservado para aqueles que sofreram o martírio, de acordo com a visão de Ap 7, 9-17 .

CAPÍTULO 151


19 de outubro de 1943

   Jesus diz:
«E agora, minha alma, agora que chegamos ao fim do Cântico, ensino-te os últimos truques da ciência do amor.
Seja puro, pois seu Amado é mais puro que o lírio e a neve, e a noiva deve usar as mesmas vestes de seu Senhor e ter em honra o que Ele ora. A Luz está se aproximando, Maria. Também tira as sombras das sombras da carne para ser você também toda luz para a hora em que eu vier e a Luz: Jesus, te abraçará ao coração para te levar à sua morada, onde as separações impostas por ser nesta Terra não será mais.
Aumente sua beleza cada vez mais à medida que o casamento está próximo. Cinge-te com as jóias dos últimos sacrifícios, junta-te a elas com alegria porque te foram dadas por aqueles que te amam com amor eterno.
Acenda-se com o brilho do amor para dar vida ao seu aspecto espiritual. Uma noiva fria, mesmo morna, não é uma noiva. Eu quero você queimando com amor total.
Seja destemido contra todas as forças do Inimigo que tentam perturbá-lo por inveja infernal. Em vão ele lançará suas carruagens demoníacas contra você. Enquanto você permanecer fiel, quatro e quatro e dez vezes quatro demônios serão menos do que uma folha de grama sob seu pé que cruza os últimos degraus para atravessar o que ainda o separa da morada do seu amor.
Nada o perturba. Continuas apoiado em Mim. Fica até ao fim, e a tua passagem será doce e luminosa como a saída de um caminho semi-escuro e difícil e entras num prado florido cheio de sol e canto de pássaros. E, de fato, para aqueles que mereceram a posse do Céu por amar, a morte nada mais é que uma entrada na Beleza eterna e na Alegria eterna.
E como no passado você não era isento de falhas, apague também a memória dessas sombras com os meios que lhe ensinei. [461] Com um amor cada vez mais vivo . Viva somente para Mim, de Mim, Comigo. Faça com que o Pai, olhando para você, veja você tão unido a Mim que não possa separá-lo de seu Filho. Que minha Caridade te cubra como um manto nupcial sob o qual escondo as lágrimas de sua roupa.
Ai de vós se vos apresentardes sozinhos à Justiça. Por melhor que você seja, alguma ruína está sempre sobre você. Mas se vocês se apresentarem comigo ao Pai, o resplendor do Filho intima tanto sua alma que a torna bela, e meu brilho nunca é tão vivo como quando posso apresentar ao Pai um espírito que me ama e não voltou , por si só, meu Sacrifício Redentor é inútil. A Justiça do Pai não tem coração para entristecer o Filho, Salvador de um novo cidadão da santa Jerusalém, e com uma bênção cancela a dívida daquele espírito e abre-lhe o Céu.
Fuja das distrações da Terra, fique a sós Comigo. Quando se está prestes a entrar e morar em um país estrangeiro, aprende-se a língua dele para não ser incapaz de viver nele, pelo menos os primeiros rudimentos dessa língua tenta-se aprender, e quem vai sem saber uma palavra é imprudente. Ele vai lutar muito nos primeiros dias.
Na morada eterna, a Sabedoria te educa no primeiro momento, é verdade. Mas veja, minha alma, os últimos tempos da Terra são uma preparação para o Céu. Quando minha Bondade dá todos os sinais e todo o tempo para se preparar para a Vida, quando não apenas por minha Misericórdia, mas também por vontade humana, você tem a oportunidade de fornecer os últimos dispositivos para sua vinda à Vida, então ele é abençoado. que é preparado com cuidado que nunca é excessivo.
Se você colocar essa cura, todos vocês que envelhecem ou longa doença, ou a impiedosa contingência das guerras, levam ao destino quase certo de morrer, não haveria tantas paradas dolorosas no Purgatório. Você completaria sua metamorfose em Mim com amor por Mim, com um verdadeiro arrependimento de ter Me entristecido, com verdadeira generosidade, com verdadeira resignação, com todas as virtudes praticadas com boa vontade, e não teria que realizar este trabalho que não homem, mistura de carne e sangue em que o espírito reinou pouco, um espírito que conheceu a verdadeira Verdade, ou seja, que Deus é a única Coisa que merece todos os movimentos do ser.
Você tem muito tempo para se preparar para a Morada. Lembre -se [462]que, se muito é perdoado a quem muito amou, muito também é exigido de quem muito recebeu. E poucos mortais tiveram o que Deus lhe deu com um amor de predileção.
Nada te pesa, nada te repugna, nada é deixado ocioso por você para completar os toques finais do seu vestido de noiva. Se a jornada for cada vez mais difícil, pense no seu Jesus que também encontrou o último caminho que levou ao Gólgota tão doloroso. Cada vítima é um pequeno redentor: de si mesmo e de seus irmãos. E os caminhos da redenção não são plácidos caminhos floridos: são pedregosos e pedregosos, salpicados de espinheiros, que se cruzam com uma cruz nos ombros, febre nas veias, langor na carne moribunda, gosto de sangue na boca seca, espinhos na cabeça e a perspectiva da tortura final no coração.
A redenção ocorre no topo. E a última pompa do rito propiciatório são as gemas dos três pregos, a lágrima da última doçura do afeto, a solidão entre o céu e a terra, a escuridão, não só da atmosfera, mas do coração. Então o sol vem beijar o imolado. Mas primeiro é escuridão e dor.
Fique comigo, fique comigo. Quanto mais a hora chega, mais você fica unido a mim. Há somente Jesus que ajuda e há somente Jesus que instrui, pois viveu aquela experiência, que instrui para sofrer o martírio do amor.
Mas, assim como, antes de passar por ela, tive que crescer para a vida e me alimentar primeiro com o leite de minha Mãe e depois com o alimento preparado por suas santas mãos, todo pequeno redentor deve viver em Maria para ser formado para ser um Cristo. Jesus é a força da sua alma. Maria é doçura. Antes de beber o vinagre e o fel é preciso beber o vinho dopado. E isso é dado a você pelo sorriso animador de Maria. Bálsamo que me fez feliz na terra, bálsamo que me fez feliz no céu, e com Deus faz todo o céu feliz, o sorriso maternal de minha mãe é uma estrela na vida e uma estrela na morte. Ele é uma estrela acima de tudo na dor da imolação.
Olhei para aquele heróico sorriso destroçado de minha Mãe, o único consolo, infinito consolo que subia em direção à minha forca. Olhei para ele para não permitir que o desespero se aproximasse de Mim. Olhe para ele também, sempre. Olhem para ele, vocês homens que sofrem. O sorriso de Mary afasta o diabo do desespero.
Vivam unidos a Maria de quem sois filhos como eu. Viva no coração de Maria, alma que quero levar ao céu. As mãos desta Mãe que não decepciona os seus filhos estão cheias de carícias para ti. Seus braços te apertam no peito que ele me trouxe e sua boca te diz as palavras que Me confortaram.
Para que nas últimas paradas na Terra você não tenha que se perder, eu o tranco na morada de Maria. Ali a perturbação não entra porque é a Mãe da Paz. O Inimigo não entra lá porque Ela é a Vitoriosa.
Maria vos ensine as chamas supremas da Caridade, Ela que é a Filha, a Mãe, a Esposa da Caridade.
Corte todas as pontes entre você e o mundo. Viva em Jesus e Maria. Lembre-se que mesmo que o homem tivesse dado todos os seus bens para possuir o amor, isso não seria nada, porque o Amor é algo que comparado a Deus – Amor de sua alma, verdadeiro propósito de sua vida – tudo, perde valor. Possuir amor é a única coisa que importa. E o Amor é possuído quando por Ele se sabe renunciar a tudo o que se tem.
Depois disso, a paz virá, Maria. Agora é uma luta. Mas para aqueles que amam é uma luta com o coroamento da vitória.
Em breve virei trocar sua coroa de espinhos por outra de alegria. Perseverar.
Coloque meu selo [463] em cada batida do coração, em cada trabalho. Esculpe-o com lágrimas nas fibras do seu coração. Eu sou aquele que eu salvo e amo.”

[461] Eu lhe ensinei , por exemplo, em 17 de outubro.
[462] Lembre -se do que é dito em Lucas 7, 47 e em Lucas 12, 48 .
[463] Põe o meu selo , como se diz no Cântico dos Cânticos 8,6 .

 CAPÍTULO 152


20 de outubro de 1943

   Jesus diz:
«O episódio [464] da mulher encurvada, curada no sábado, é realmente teu.
Sua humanidade e a dos outros o curvaram.
Antes eras tão reta, pequena alma, que andaste no meu Caminho, impulsionada por uma força de amor ao teu Jesus, da qual compreendias a majestade do Mártir mais do que qualquer outra coisa, e que quiseste ser semelhante a Ele no martírio porque o Amor tinha revelado a você que o martírio é amor professado, confessado, realizado com perfeição.
Depois que você estava curvado. Você tinha inclinado para a terra sua alma que antes só olhava para o céu. Cuidados e afetos humanos substituíram os cuidados espirituais em que você se preocupava apenas com os interesses de Deus e, consequentemente, mesmo sem querer fazê-lo deliberadamente, com os interesses de sua alma. Os afetos humanos tomaram o lugar do amor por Mim.
Esses cuidados e afetos, muito mais avassaladores do que a minha Cruz – porque, se a cruz é um peso, é também apoio e elevação – eles te “curvaram”. E ao deixar-se curvar por motivos humanos havia atuado o Insidiador das almas, que se aproveita de suas fraquezas para torná-las meio do pecado.
E você pecou, ​​sabe? Sim, você pecou ao me dar tanta dor. Meu Conhecimento sabia que era uma fase transitória, mas eu não gostaria que você vivesse essa fase. Levou você tanto para longe do meu Caminho e tanto para longe do Céu.
Ama-me muito, Maria, porque a minha misericórdia fez maravilhas por ti. Combati-te contra o mal com o amor de um Pai, o trabalho de um médico e com a paciência de Deus. Finalmente, ouviste-me e voltaste-te para mim. Já estavas no meu caminho e quiseste seguir-me e amar-me. . Mas você estava curvado .
Seu espírito não pode se libertar de todos os efeitos posteriores de suas doenças espirituais e das tendências da carne. Você foi oprimido e irritado por muitas coisas por muito tempo e, na verdade, a outra humanidade ao seu redor certamente não foi um fator de ressurreição total. Pelo contrário, cancelou seu progresso do espírito e paralisou seus esforços para ser totalmente ressuscitado com sua maneira de agir. Esta é sua única desculpa.
Mas também quero que você faça desta situação um motivo de amor por Mim e pelo próximo que tanto o impediu. Qualquer vizinho, lembre-se disso. Se quem te fez chorar e arrebatou as novas penas que o amor, agora conhecido e praticado, te deu para voar a Mim, tivesse, ao longo da tua vida, quanto te dei de amor de predileção, pensa que teria sido melhor do que você. Este é o pensamento que eu tinha em mente ao julgar aqueles espíritos estúpidos, e este deve ser o pensamento que você deve ter para perdoá-los totalmente e amá-los totalmente.
Quando te julguei suficientemente castigada por tua deserção, quando pensei que te expiaria por isso, corrigi-te, minha alma. Eu sabia que a dor estava prestes a bater em você, e com a dor, a solidão. Não me chamam “Misericórdia” à toa. Eu sou Misericórdia . E vim a ser Parentesco, Amizade, Alegria, Tudo. Mas primeiro eu te “libertei” dos últimos laços que ainda te atrapalham.
Os “líderes das sinagogas” – existem até agora e são dados por aqueles que vêem [465] os galhos de outros como vigas e não vêem sua viga; por aqueles que acreditam ser legítimo analisar, rever, criticar a obra de Deus – se soubessem o momento e a causa que escolhi para operar o milagre, ficariam escandalizados.
Mas o que? Não sou o mestre de operar como e quando quero? E se eu quisesse fazer uma força luminosa e ativa de seu nada obscurecido, se eu quisesse fazer de você uma riqueza, miséria, não me é permitido? E se julguei que sua provação era suficiente, e agora sua constância, sua confiança, seu arrependimento, seu amor mereciam a recompensa de minha ajuda e meu amor, pode haver alguém que critique meu trabalho?
Amo servir-me do nada, que o amor e a humildade fazem caro ao meu Coração, para fazer resplandecer o meu Poder. Se eu pegasse apenas o “perfeito”, como os pobres poderiam ter esperança de entrar no céu?
Tomo os fracos, os pecadores que só sabem confiar, esperar, afeição por Mim – não digo “amor”, porque se amassem não seriam fracos e pecadores – tomo estes filhos, que em suas imperfeições se misturam veias de perfeição, e os faço luzes e mestres de seus pobres irmãos, mais fracos e pecadores do que eles. Eu os ilumino com amor, os deixo com fome de sacrifício, aceito a oferta. Tendo alcançado o estado de “vítimas”, eu os consagro à sua missão.
Todos os dias são “sábados” para Mim. Porque em todos os dias você é sempre insuficiente, se observado da Perfeição, mas também em todos os dias considero apropriado dizer: “Basta” ao que te dobra e entra na alma que escolhi no meu serviço.
Tenha sempre em mente o seu passado e o meu trabalho. A primeira servirá para você se manter humilde e se lavar cada vez mais com arrependimento. A segunda para te inflamar cada vez mais com amor.
Viva a esperança em seu Jesus, se tanto te amei, não serei severo com você.
Viva de constância. Somente a sua vontade poderia separá-lo de Mim e mergulhá-lo de volta na escuridão.
Viva com humildade. Comunico-me às almas humildes.
Viva de amor. Quanto mais você me ama, mais você vai me entender exatamente.
Viva com paz em seu coração. Eu dou a você para o seu conforto.”

[464] O episódio , referido em Lucas 13, 10-17 .
[465] vêem… , como se diz em Mateus 7, 3-5 ; Lucas 6, 41-42 .

CAPÍTULO 153


21 de outubro de 1943

   Jesus diz:
«Tomo o assunto [466] das almas recebidas no Purgatório.
Se você compreendeu todo o significado de minhas palavras, não importa. São páginas para todos, porque todos têm seres queridos no Purgatório e quase todos, com a vida que levam, estão destinados a permanecer nessa morada. Por nós dois eu continuo, portanto.
Eu disse que as almas do purgatório só sofrem por amor e expiam com amor . Aqui estão as razões para este sistema de expiação.
Se vocês, homens impensados, considerarem cuidadosamente minha Lei em seus conselhos e mandamentos, [467] verão que tudo écentrado no amor. Amor a Deus, amor ao próximo.
No primeiro mandamento eu, Deus, imponho-me ao vosso amor reverente com toda a solenidade que é digna da minha Natureza com respeito ao vosso nada: “Eu sou o Senhor vosso Deus”.
Muitas vezes vocês o esquecem, homens que se julgam deuses e, se vocês não têm um espírito vivificado pela graça em vocês, não passam de pó e podridão, animais que combinam a animalidade com a astúcia da inteligência possuída pela Besta, que faz você fazer obras de bestas, piores do que de bestas: por demônios.
Diga de manhã e à noite, diga ao meio-dia e à meia-noite, diga quando comer, quando beber, quando for dormir, quando acordar, quando trabalhar, quando descansar, diga quando amar, diga Quando você fizer amigos, diga quando você mandar e quando você obedecer, diga sempre: “Eu não sou Deus. Comida, bebida, sono não são Deus. Trabalho, descanso, ocupações, obras de gênio não são Deus. Mulher ou pior: as mulheres, não são Deus. Amizades não são Deus. Superiores não são Deus. Só um é Deus: é meu Senhor que me deu esta vida para que com ela eu mereça a Vida que não morre, que me deu roupas, comida, moradias, que me deu trabalho para que eu ganhe minha vida, o gênio para ser testemunha de sendo o rei da Terra, que me deu a capacidade de amar e criaturas para amar ‘com santidade’ e não com luxúria, que me deu o poder, a autoridade para torná-las um meio de santidade e não de condenação. Posso tornar-me semelhante a Ele porque Ele o disse: [468] ‘Vós sois deuses’, mas só se eu viver a sua Vida, isto é, a sua Lei, mas só se eu viver a sua Vida, isto é, o seu Amor. Só um é Deus: Ele. Eu sou seu filho e súdito, o herdeiro de seu reino. Mas se eu desertar e trair, se eu criar meu próprio reino no qual humanamente quero ser rei e deus, então perco o verdadeiro Reino e meu destino como filho de Deus decai e se degrada ao de filho de Satanás, pois não pode ser feito ao mesmo tempo, serve ao egoísmo e ao amor, e quem serve ao primeiro serve ao Inimigo de Deus e perde o Amor, ou seja, perde a Deus”.
Remova de sua mente e coração todos os deuses mentirosos que você colocou nele, começando com o deus de lama que você é quando não vive em Mim. Lembre-se do que você Me deve por tudo o que lhe dei – e mais dei a você se não o fez, você tinha amarrado suas mãos ao seu Deus com seu modo de vida – o que eu lhe dei para a vida cotidiana e para a vida eterna. Por isso, Deus vos deu o seu Filho, para que fosse sacrificado como um cordeiro sem mancha e lavou as vossas dívidas com o seu Sangue e para que não fizesse cair sobre os filhos as iniqüidades dos pais até à quarta geração de pecadores, como nos tempos mosaicos, são “os que me odeiam” [469] , pois o pecado é uma ofensa a Deus e quem ofende odeia.
Não levante outros altares para deuses falsos. Tenha, não tanto nos altares de pedra, mas no altar vivo do seu coração, somente o Senhor seu Deus. Servi-o e prestai-lhe verdadeira adoração do amor, do amor, do amor, ó filhos que não sabeis amar, que dizem, dizem, dizem palavras de oração, só palavras, mas não façam do amor sua oração, a única que Deus por favor.
Lembre-se de que um verdadeiro batimento cardíaco de amor, que sobe como uma nuvem de incenso das chamas do seu coração apaixonado por Mim, tem um valor para Mim infinitamente maior do que mil e mil orações e cerimônias feitas com calor ou frio. coração. Atraia minha misericórdia com seu amor. Se você soubesse quão ativa e grande é minha Misericórdia com aqueles que me amam! É uma onda que passa e lava o que constitui uma mancha em você. Ele te dá uma estola branca para entrar na Cidade Santa do Céu, na qual a Caridade do Cordeiro que se deixou imolar por você brilha como o sol.
Não use o Santo Nome por hábito ou para dar força à sua raiva, para dar vazão à sua impaciência, para corroborar suas maldições. E acima de tudo, não aplique o termo “deus” a uma criatura humana que você ama por fome dos sentidos ou pela adoração da mente.Apenas Um deve ser informado desse Nome . Para mim . E deve ser dito a Mim com amor, com fé, com esperança. Então esse Nome será sua força e sua defesa. A adoração deste Nome te justificará, porque quem trabalha colocando meu Nome como um selo de suas ações não pode cometer más ações. Falo daqueles que agem com a verdade, não dos mentirosos que procuram cobrir a si mesmos e suas obras com o esplendor do meu três vezes santo Nome. E quem eles estão tentando enganar? Não estou sujeito ao engano, e os próprios homens, a menos que sejam mentalmente doentes, comparando as obras dos mentirosos com o que dizem que entendem que são falsas e sentem indignação e nojo.
Você que não sabe amar outra coisa senão a si mesmo e ao seu dinheiro, e cada hora que não é dedicada a saciar a carne ou a encher a bolsa, você sabe, no seu prazer ou trabalhando como gananciosos e brutos, para parar que lhe dá uma maneira de pensar em Deus, sua bondade, sua paciência, seu amor. Você deve, repito, sempre ter em mente o que quer que faça; mas como você não sabe trabalhar mantendo seu espírito fixo em Deus, uma vez por semana pare de trabalhar para pensar somente em Deus.
Isto, que vos pode parecer uma lei servil, é antes prova de como Deus vos ama. Vosso bom Pai sabe que sois máquinas frágeis que se desgastam com o uso contínuo, e ele providenciou a vossa carne, mesmo que, sendo também obra dele, mandando-vos deixá-la descansar um dia em sete para dá-la. apenas refresco. Deus não quer suas doenças. Se você tivesse permanecido seus filhos, seus filhos, de Adão em diante, você não teria conhecido doenças. Estes são os frutos da sua desobediência a Deus, juntamente com a dor e a morte; e como uma fazenda de cogumelos eles nasceram e nascem nas raízes da primeira desobediência: [470]a de Adão, e brotam uma da outra, uma cadeia trágica, do germe que ficou em seu coração, do veneno da maldita Serpente que lhe dá febre da luxúria, avareza, gula, preguiça, imprudência culpada.
E é uma imprudência culposa querer forçar seu ser a trabalhar continuamente para ganhar, como é querer superaproveitar a gula ou o bom senso por não estar satisfeito com o alimento necessário para a vida e com o companheiro necessário para a continuação da espécie , mas satisfazendo-vos além da medida como animais do pântano e exaurindo-vos e rebaixando-vos como, de fato, não como brutos – que não são semelhantes, mas superiores a vocês na união, à qual obedecem às leis da ordem – mas humilhando-vos mais do que brutos: como demônios que desobedecem às leis sagradas do instinto correto, da razão e de Deus.
Você corrompeu seu instinto e agora ele o leva a preferir refeições corruptas, formadas por luxúrias nas quais você profana seu corpo: meu trabalho; sua alma: minha obra-prima; e você mata embriões de vidas negando-lhes a vida, porque você os suprime voluntariamente ou através de sua lepra que são veneno mortal para as vidas que estão nascendo.
Quantas almas há que o teu apetite sensual chama do Céu e às quais então fechas as portas da vida? Quantos são aqueles que apenas chegam ao fim e vêm à luz morrendo ou já mortos, aos quais você exclui o Céu? Quantos são aqueles sobre os quais você impõe um fardo de dor, que nem sempre pode trazer, com uma existência doente, marcada por doenças dolorosas e vergonhosas? Quantos há que não resistem a este destino indesejável de martírio, mas afixados por ti como uma marca na carne, que geraste sem refletir que, quando estás corrompido como sepulcros cheios de podridão, já não é lícito gerar filhos para condená-los à dor e ao desgosto da sociedade? Quantos, incapazes de resistir a este destino, se suicidam?
Mas o que você acha? O que vou culpá-los por seu crime contra Deus e contra eles mesmos? Não. Diante deles, que peca contra dois, há você que peca contra três: contra Deus, contra você mesmo e contra os inocentes que você gera para levá-los ao desespero. Pense nisso. Pense bem nisso. Deus é justo, e se a culpa pesa as causas da culpa também pesa. E neste caso o ônus da culpa alivia a sentença do suicídio, mas carrega a sentença de vocês, os verdadeiros assassinatos de suas criaturas desesperadas.
Naquele dia de descanso que Deus estabeleceu na semana, e deu a você seu exemplo de descanso [472]– pensa, Ele: o Agente infinito, o Gerador que continuamente se gera de Si mesmo, Ele te mostrou a necessidade de descanso, Ele o fez por você, para ser seu Mestre em vida. E vocês, poderes insignificantes, querem ignorá-lo como se fossem mais poderosos que Deus! -. Nesse dia de descanso para a sua carne que se rompe sob o cansaço excessivo, saiba cuidar dos direitos e deveres da alma. Direitos: à vida real. A alma morre se for mantida separada de Deus. No domingo, dê-a à sua alma – já que você não sabe fazê-lo todos os dias e todas as horas – para que no domingo ela se alimente da Palavra de Deus, seja saturada de Deus, ter vitalidade durante os outros dias de trabalho. Tão doce o descanso na casa do pai para um filho que o trabalho afastou a semana inteira! E por que você não dá essa doçura à sua alma? Por que você contamina este dia com crapule e luxúria, em vez de torná-lo uma luz concisa para sua própria felicidade de vez em quando?
E, depois do amor por quem te criou, amor por quem te gerou e por quem é teu irmão. Se Deus é Caridade, como você pode dizer que está em Deus se não tenta ser como Ele na caridade? E você pode dizer que é como ele se o ama sozinho e não os outros criados por ele? Sim, que Deus deve ser amado mais do que qualquer um, mas aquele que despreza amar aqueles a quem Deus ama não pode dizer que ama a Deus.
Portanto, ame primeiro aqueles que, por tê-lo gerado, são os segundos criadores de seu ser na Terra. O Criador supremo é o Senhor Deus, que forma as vossas almas e, mestre como é da Vida e da Morte, permite-vos vir à vida. Mas segundos criadores são aqueles que de duas carnes e sangue fazem uma nova carne, um novo filho de Deus, um novo futuro habitante dos céus. Porque é para os Céus que você é criado, porque é para os Céus que você deve viver na Terra.
Oh! sublime dignidade de pai e mãe! Santo Episcopado, digo com uma palavra ousada, mas verdadeira, que consagra um novo servo de Deus com a crisma de um amor conjugal, lava-o com as lágrimas de seu pai, veste-o com a obra de seu pai, torna-o portador de Luz infundindo o conhecimento de Deus nas mentes das criancinhas e o amor de Deus nos corações inocentes. Em verdade vos digo que os pais são um pouco inferiores a Deus apenas pelo fato de terem criado um novo Adão. Mas então, quando os pais sabem como fazer do novo Adão um novo pequeno Cristo, então sua dignidade é apenas um grau inferior à do Eterno.
Amai, pois, com um amor inferior ao que deveis ter pelo Senhor vosso Deus, vosso pai e vossa mãe, esta dupla manifestação de Deus que o amor conjugal faz tornar-se “unidade”. Ama-a porque a sua dignidade e as suas obras são as mais semelhantes às de Deus para ti: são os teus pais, os teus criadores terrenos, e tudo em ti deve venerá-los por isso.
E ame sua prole, ou pais. Lembre-se que um direito corresponde a todo dever e que, se os filhos têm o dever de ver em você a maior dignidade depois de Deus e de lhe dar o maior amor depois do total que deve ser dado a Deus, você tem o dever de ser perfeito para não diminuir o conceito e o amor das crianças por você.
Lembre-se que gerar uma carne é muito, mas ao mesmo tempo não é nada. Os animais também geram carne e muitas vezes a tratam melhor do que você. Mas você gera um cidadão dos Céus. Você tem que se preocupar com isso. Não apague a luz nas almas dos filhos, não permita que a pérola da alma de seus filhos se acostume com a lama, para que esse hábito não a empurre para submergir na lama. Dê amor, amor santo aos seus filhos, e não se preocupe tolamente com a beleza física, com a cultura humana. Não. É a beleza de sua alma, a educação de seu espírito que você deve cuidar .
A vida dos pais é um sacrifício, assim como a dos sacerdotes e professores convictos de sua missão. Todas as três categorias são “treinadoras” do que não morre: o espírito, ou a psique, se preferir. E como o espírito está para a carne na proporção de mil para um, considere a que perfeição pais, professores e sacerdotes devem recorrer para serem verdadeiramente o que devem. Eu digo “perfeição”. “Treinamento” não é suficiente. Eles têm que formar os outros, mas para formá-los não deformados eles têm que modelá-los em um modelo perfeito. E como eles podem reivindicar isso se eles próprios são imperfeitos? E como eles podem se tornar perfeitos se não forem modelados no Perfeito que é Deus? E o que pode capacitar o homem a modelar-se em Deus? O amor. Sempre amor. Você é ferro bruto e sem forma. O amor é a fornalha que te purifica e te derrete e te faz fluir pelas veias sobrenaturais na forma de Deus.Então vocês serão os “treinadores” dos outros: quando forem formados na perfeição de Deus.
Muitas vezes os filhos representam o fracasso espiritual dos pais. Vemos através das crianças o que os pais valiam. Pois se é verdade que às vezes pais santos nascem filhos depravados, esta é a exceção. Geralmente, pelo menos um dos pais não é santo, e como é mais fácil para você copiar o ruim do que o bom, a criança copia o menos bom. Também é verdade que às vezes uma criança santa nasce de pais depravados. Mas mesmo aqui é difícil para ambos os pais serem depravados. Pela lei da compensação, o melhor dos dois vale para dois, e com orações, lágrimas e palavras ele realiza o trabalho de ambos, formando o filho para o céu.
Em todo caso, ou filhos, sejam quais forem seus pais, eu lhes digo: “Não julguem, apenas amem, apenas perdoem, apenas obedeçam, exceto nas coisas que são contrárias à minha Lei. A ti o mérito da obediência, do amor e do perdão, do perdão dos filhos, Maria, que acelera o perdão de Deus aos pais e quanto mais acelera, mais completo é o perdão; aos pais a responsabilidade e o justo juízo, tanto para vós como para o que é de Deus, de Deus, o único Juiz”.
É supérfluo explicar que matar é falhar no amor. Amor para com Deus, de quem você tira o direito de vida e morte para uma de suas criaturas e o direito de juiz. Só Deus é Juiz e Santo Juiz e, se permitiu ao homem criar para si os conselhos de justiça para acabar com o crime e o castigo, ai de vós se, por falta da Justiça de Deus, falhardes na justiça do homem se colocando como juízes de seu próximo que falhou ou você acredita que ele falhou com você.
Pensem, pobres filhos, que a ofensa, a dor perturbam a mente e o coração, e que a raiva e a própria dor põem um véu em sua visão intelectual, um véu que os impede de ver a verdadeira verdade e a caridade como Deus vê. você pode saber como regular sua justa indignação sobre isso e não fazer uma injustiça com muita condenação implacável. Seja santo mesmo enquanto a ofensa o queima. Lembre-se de Deus especialmente então .
E vocês também, juízes da Terra, sejam santos. Você tem os horrores mais agudos da humanidade em suas mãos. Examine-os com olhos e mente imbuídos de Deus, veja o verdadeiro “porquê” de certas “misérias”. Pense que, mesmo que sejam verdadeiras “misérias” degradantes da humanidade, são muitas as causas que as produzem. Na mão que matou procure a força que a moveu para matar e lembre-se que você também é homem. Pergunte a si mesmo se você: traído, abandonado, provocado, teria sido melhor do que aquele que está na sua frente esperando uma sentença. Examinando-se severamente, pense se nenhuma mulher pode acusá-los de serem os verdadeiros assassinos da criança que ela matou, porque depois da hora alegre vocês se retiraram de seu compromisso de honra. E, se puder, seja rigoroso.
Mas se, depois de ter pecado contra a criatura nascida de seus laços e de sua luxúria, você ainda deseja obter o perdão Daquele que não se engana e não se esquece de si mesmo com anos e anos de vida correta, depois daquela incorreção que você fez não queira reparar, ou depois daquele crime que você causou, seja pelo menos diligente em prevenir o mal, e especialmente onde a leveza feminina e a miséria ambiental predispõem a cair no vício e no infanticídio.
Lembrem-se, homens, que eu, o Puro, não me recusei a redimir mulheres sem honra [473]. E pela honra que já não tinham, levantei em suas almas, como uma flor de um solo profano, a flor viva do arrependimento que redime. Dei meu misericordioso amor aos pobres coitados que um assim chamado “amor” havia prostrado na lama. Meu verdadeiro amor os salvou da luxúria que o chamado amor havia inoculado neles. Se eu os tivesse amaldiçoado e fugido, eu os teria perdido para sempre. Eu também os amei pelo mundo , que depois de apreciá-los os subjuga com desprezo hipócrita e indignação mentirosa. No lugar das carícias do pecado, acariciei-as com a pureza do meu olhar; em vez de palavras de delírio, tinha palavras de amor por eles; em lugar da moeda, preço vergonhoso de seu beijo, dei as riquezas da minha Verdade.
Isto é feito, homens, para tirar da lama quem afunda na lama, e não se agarra ao pescoço para perecer em dois, ou não se atira pedras para afundar ainda mais. É o amor, é sempre o amor que salva .
Que pecado contra o amor é o adultério, já falei [474] e não vou repetir, pelo menos por enquanto. Há tanto a dizer sobre essa regurgitação da animalidade – e tanto que você nem entenderia, porque se gaba de ser traidor do lar – que por pena do meu pequeno discípulo me calo. Não quero esgotar as forças da criatura exausta e perturbar sua alma com grosseria humana, pois, perto de seu objetivo, ele pensa apenas no céu.
Aquele que rouba, é óbvio que falta o amor. Se ele se lembrasse de não fazer aos outros o que não gostaria que fizessem a si mesmo, e se amasse os outros tanto quanto a si mesmo, não tiraria com violência e fraude o que pertence ao próximo. Portanto, não faltaria amor, como lhe falta cometer o roubo que pode ser de bens, de dinheiro ou de ocupação. Quantos roubos você comete roubando um lugar do seu amigo, uma invenção do seu parceiro! Vocês são ladrões, três vezes ladrões, fazendo isso. Você é mais do que se roubasse uma carteira ou uma jóia, porque sem eles você ainda pode viver, mas sem emprego você morre, e com o roubo do lugar sua família morre de fome.
Eu lhes dei a palavra como um sinal de elevação sobre todos os outros animais da Terra. Você deve, portanto, me amar pela palavra, meu dom. Mas posso dizer que você me ama pela palavra, quando você faz uma arma deste presente do céu para arruinar seu próximo com um juramento falso? Não, não ame nem a mim nem ao seu próximo quando você faz afirmações falsas, mas você nos odeia. Você não acha que a palavra mata não apenas a carne, mas a reputação de um homem? Quem mata odeia, quem odeia não ama.
A inveja não é caridade: é anti-caridade. Quem deseja excessivamente as coisas alheias é invejoso e não ama. Seja feliz com o que você tem. Pense que sob o disfarce da alegria muitas vezes há dores que Deus vê e que lhe são poupadas, aparentemente menos felizes do que aquelas que você inveja. Pois se o objeto desejado é a esposa de outro ou o marido de outro, saiba que o pecado da inveja é combinado com o da luxúria e do adultério. Portanto, você comete uma tripla ofensa à caridade de Deus e do próximo.
Como você pode ver, se você contrariar o decálogo, estará contrariando o amor. E assim é pelos conselhos que vos dei, que são a flor da planta da Caridade. Agora, se ao transgredir a Lei você está transgredindo o amor, é óbvio que o pecado é a falta de amor. E, portanto, ele deve expiar com amor. O amor que você não foi capaz de me dar na Terra, você deve me dar no Purgatório. Por isso digo [475] que o Purgatório nada mais é do que o sofrimento do amor.
Você amou pouco a Deus em sua Lei durante toda a sua vida. Você jogou o pensamento dele para trás, você viveu amando a todos e amando-o pouco, morno na Terra. É certo que suspires por mil e mil horas de expiação de amor o que mil e mil vezes não conseguiste suspirar na Terra: Deus, propósito supremo das inteligências criadas. Cada vez que você deu as costas ao amor, anos e séculos de nostalgia amorosa correspondem. Anos ou séculos, dependendo da gravidade de sua culpa.
Já seguros de Deus, conscientes da beleza suprema de Deus para aquele encontro fugaz do primeiro juízo, cuja lembrança vem com você para tornar mais viva a ansiedade do amor, você suspira por Ele, a distância dEle chora, por ter sido a causa desta distância te arrependes e te arrependes, e cada vez mais te tornas penetrável àquele fogo aceso pela Caridade para teu bem supremo.
Quando os méritos de Cristo vêm, das orações dos vivos que te amam, lançadas como essências de ardor no fogo sagrado do Purgatório, a incandescência do amor penetra em você mais forte e mais profundo e, entre o rugido das chamas, mais e mais mais a memória de Deus vista naquele momento se torna clara em você.
Como na vida da Terra, quanto mais cresce o amor e mais fino se faz o véu que esconde a Divindade dos vivos, assim no segundo reino cresce mais a purificação e, portanto, o amor, e mais próxima e visível a face do Deus se torna, já brilha e sorri em meio ao clarão do fogo sagrado. É como um Sol que se aproxima cada vez mais, e sua luz e seu calor anulam cada vez mais a luz e o calor do fogo purgativo, até que, passando do merecido e abençoado tormento do fogo ao conquistado e abençoado refrigério de possessão, você passa de chama em chama, de luz em luz, levanta-se para ser luz e resplandece Nele, Sol eterno, como uma faísca absorvida por uma estaca e como uma lâmpada lançada no fogo.
Oh! gozo dos jubilosos, quando vos encontrardes ressuscitados para a minha Glória, passados ​​daquele reino de expectativa para o reino de triunfo. Oh! conhecimento perfeito do Amor Perfeito!
Este conhecimento, ó Maria, é um mistério que a mente pode conhecer pela vontade de Deus, mas não pode descrever com uma palavra humana. Acredite que ele merece sofrer uma vida inteira para possuí-lo desde a hora da morte. Você acredita que não há caridade maior do que buscá-la com orações àqueles que você amou na Terra e que agora iniciam a purgação no amor, à qual as portas do coração foram fechadas em vida muitas e muitas vezes.
Alma, bem-aventurada a quem as verdades ocultas são reveladas. Prossiga, trabalhe e suba. Para você e para aqueles que você ama na vida após a morte.
Deixe o Amor consumir o estame de sua vida. Derrame seu amor no Purgatório para abrir as portas do Céu para aqueles que você ama. Bem-aventurados sois se souberdes amar a ponto de incinerar o que é fraco e pecaminoso. Os Serafins encontram o espírito purificado pela imolação do amor e ensinam-lhe o eterno Sanctus a cantar [476] aos pés do meu trono”.

[466] o tema tratado em 17 de outubro.
[467] mandamentos , que se resumem nos preceitos de Deuteronômio 6, 5 (amor a Deus) e de Levítico 19, 18 (amor ao próximo), já mencionados em 7 de julho e 17 de outubro. Os dez mandamentos dependem deles, que são comentados aqui e que são transmitidos em Êxodo 20, 1-17 ; Deuteronômio 5, 1-22 .
[468] disse-o no Salmo 82,6 .
[469] aqueles que me odeiam , como é dito em Êxodo 20, 5 .
[470] primeira desobediência , no contexto do pecado original, já mencionado em 26 e 29 de setembro e 12 de outubro.
[471] como sepulcros… , segundo a imagem de Mateus 23, 27 .
[472] seu exemplo de descanso , como lemos em Gênesis 2: 2-3 .
[473] Não recusei redimir as mulheres sem honra , como Maria Madalena (reconhecida, no “ditado” de 13 de Outubro, na pecadora sem nome do episódio de Lc 7, 36-50 ), a samaritana (no João 4, 5-26 ) e a adúltera (em João 8, 3-11 ).
[474] Já falei sobre isso em 25 de setembro.
[475] Digo , como já disse em 17 de outubro.
[476] para ser cantado , como em Isaías 6, 1-3 .

CAPÍTULO 154


23 de outubro de 1943

   Jesus diz:
«Isto vos fará sofrer. Mas nem sempre consigo falar com você sozinha, noivinha do amor e da dor.
Escreva para todos. A palavra de Obadias [477] é a página da Itália neste século passado. Também não há erro na descrição do solo.
Ó Itália, Itália à qual tanto dei e à qual me esqueceste e esqueceste dos meus benefícios! E daquele Piemonte, onde há um testemunho [478] de Deus não inferior ao do Tabernáculo mosaico – porque, se houvesse duas mesas nele [479]escrito pelo profeta de Deus, eis a história da minha Paixão escrita com a tinta do Sangue Divino no linho que a piedade ofereceu para envolver a minha nudez de Imolada – e daquele Piemonte o erro que agora desabrochou em tão dolorosa flor e que vai te dar uma fruta tão venenosa!
O orgulho do coração, o pecado eterno do homem, veio para enganar seus governantes, ó Itália, seus governantes a quem foi fatal ter vencido. É sempre fatal quando o dom de Deus não desce ao coração de um filho sincero, respeitoso e amoroso do Pai.
O dom fermenta, misturando-se com o seu bem com o mal que há em você, e produz um amálgama de destruição. Primeiro destrua a graça em você, então a benevolência de Deus para você, terceiro o fruto dessa benevolência. No seu caso, as vitórias iniciais, misturando o motivo legítimo da ressurreição nacional com o orgulho, de onde vêm a arrogância e os erros, destruíram aquele bem que eu lhe havia concedido.
Imediatamente você estava errado. Você acreditou estar seguro porque teve sucesso. Mas vocês não sabem, ó reis e governantes, que vocês são enquanto eu quiser e enquanto seus erros não despertarem os meus: “Basta”? Mesmo se você tivesse se tornado o mais poderoso da Terra e seu trono tivesse sido fixado nos picos onde a águia varre, feito nas próprias rochas das montanhas que coroam esta terra, coroada com minhas estrelas, um pensamento de minha vontade poderia desmoroná-la e precipitar seus restos no vale.
Você esquece muito que Um é Aquele que é Poderoso e que todo poder vem dEle. Como aqueles que fazem mau uso da saúde milagrosa recuperada pela misericórdia divina, você fez mau uso das satisfações que eu lhe dei e você pensou que poderia passar sem Mim e minha Lei.
Não adianta, ó reis e povos, prestar uma falsa reverência à minha Cruz e à minha Igreja. É necessário viver a lei da Cruz e respeitar verdadeiramente a Igreja. Deus não zomba de si mesmo e não se engana. Você não tem que tentar sua paciência infinita.
Um erro, dois erros, dez erros que você cometeu. Enviei-vos castigos, enviei-vos alegrias, enviei-vos os meus santos para vos reconduzir ao Bem. Você respondeu aos castigos com rebeliões, às alegrias aproveitando-se delas para fins humanos e às vezes ilícitos, aos meus santos zombando deles. Você sempre piorou. Aumentei os benefícios para atrair você e você sorriu para o espírito inimigo. Sim, pode-se dizer que neste povo e em seus governantes “não há mais prudência”, não há mais “sabedoria”, mas apenas orgulho, escárnio, leveza, pecado.
Você colocou tudo sob seus pés para torná-lo um banquinho e subir. Mas as coisas de Deus não ficam debaixo dos seus pés. Eles devem ser aceitos de joelhos e com espírito de criança, e não usados ​​como meio de triunfo humano. Então, como as pedras de um arco triunfal sacudidas pela emoção da minha raiva, elas se desconectam, caem e te esmagam.
E você está sobrecarregado. Seus filhos serão empurrados para as fronteiras, terra pobre que não tem mais luz divina. Como rebanhos batidos nas costas por pastores raivosos, seus mestres agora e outrora batem em seus filhos, e já que você queria esses mestres da crueldade no lugar do santo Mestre em cujas mãos estão as bênçãos e a paz, e como você não sabia chorar o lágrimas que alcançam o perdão e lavam os pecados, você os lavará com sangue misturado com um longo e amargo grito de vitória.
Onde estão seus amigos, ou terra que você não queria Deus como amigo? O traidor está reservado para aquele que trai. E é inútil e prejudicial dizer agora: “Foi este, aquele foi o traidor”. Vocês todos traíram . Traiu Deus seu Pai, traiu sua Palavra de Vida, traiu sua consciência. Você é tantos Judas. Você vendeu por alguns centavos e por alguns mentirosos promessas de perto e de longe, esperando que a traição produzisse um fruto. Mas qual que não era veneno? Qual deles, isso não era a morte?
Você se alegrou com a ruína dos outros. E porque? Para o seu interesse? Não. Você é duplamente culpado por isso. Você adorava o bezerro que lhe parecia de ouro e era apenas de ouro em pó. Você serviu os precursores da Besta. A Besta lhe dá os frutos de seu reino sombrio. Morte, ruína, miséria, fome, vergonha, servidão, colapso da fé, liberdade, honra, e se você não se apegar à Cruz, sua última salvação, você virá a imitar as bestas tornadas hidrofóbicas pela fome e pela raiva: você, você despedaçarão uns aos outros e acreditarão que estão saciados matando os servos de Deus, mas não farão nada além de destruir o Bem que ainda floresce entre vocês e se tornarem hienas em roupas humanas, demônios em roupas humanas.
Mas vocês não ouvem a Voz de Deus clamar em suas consciências? Você não pode ouvi-lo trovejando pelos céus chamando você mais uma vez para salvá-lo? Não, você não ouve. E, o que há de ruim no mal, nem mesmo aqueles que deveriam estar acostumados a percebê-lo e conhecê-lo sentem mais. Eles têm um manto consagrado, mas profanam o coração. Eles são surdos. E se eles não ouvem, como podem fazê-los ouvir?
Veja bem, digo mais uma vez. [480] Observai os sinais, vós leitores dos livros de Deus e simples fiéis. Os sinais são terríveis . Afaste-os com a Cruz. [481] Trazei as cruzes e as minhas efígies. Expulse Satanás com o Cristo Vencedor. Tenha fé. Tenha fé. Você morre sem ter fé. Eu gostaria que você abençoasse cada região, cada província, cada cidade Comigo, o Redentor. Não festas. Não é a hora. Mas verdadeiras adorações e puras bênçãos para libertá-lo do que assombra você e seus mestres agora e antes.”
Jesus me faz entender que gostaria de orações aos seus simulacros de Redentor. Para esta área, [482] à Sagrada Face. Mas sem festas. Cidade a cidade, país a país, vila a vila.
Ter que escrever certas páginas dolorosas é uma tortura. Meus nervos estão enrugados. Mas como fazer isso?

[477] palavra , que é o conteúdo do muito curto livro de Obadias , do qual o presente “ditado” constitui, em parte, uma paráfrase aplicada aos eventos históricos do momento.
[478] testemunho , representado pelo Santo Sudário, que se conserva e venera em Turim, Piemonte, região de origem da família de Saboia, abaixo denominadas os “governantes” da Itália.
[479] nele havia duas tábuas , como é dito em 1 Reis 8, 9 (de Deuteronômio 10, 1-5 ).
[480] Repito que já foi dito, por exemplo, nos dias 21 e 22 de julho, 5, 20 e 21 de agosto (segundo o “ditado”).
[481] com a Cruz , isto é, pela Cruz ; Traga para fora , isto é , mostre , levante .
[482] plaga , ou seja, região ; Volto Santo , este é o nome de um Crucifixo guardado na Catedral de Lucca e que é muito reverenciado especialmente na Toscana.

CAPÍTULO 155


24 de outubro de 1943

   Jesus diz:
«Mesmo que te doa, escreve. Ainda é uma profecia cumprindo. E literalmente. O que Isaías disse [483] ao rei Ezequias é o que acontece lá. Insisto em pedir orações. E já que você está exausto, digo-lhe as palavras do rei: “Que a paz e a verdade estejam em sua vida”.
Descanse agora. Eu estou contigo.”

[483] disse ele , extensivamente em 2 Reis 19-20 (as “palavras do rei” em 2 Reis 20, 19 ).

CAPÍTULO 156


25 de outubro de 1943

   Jesus diz:
«O homem acredita poder controlar Deus e as suas obras.
Porque ele faz isto? Por reflexão apenas? Não, sempre por orgulho. É sempre o veneno, um dos três venenos de Lúcifer, que atua nele. Em seu orgulho, ele não avalia a diferença entre ele e Deus, e o trata igualmente.
É verdade que Deus vos chama filhos seus, feitos à sua imagem e semelhança, [484]mas digam-me, homens, nas relações entre pai e filho, que seguem apenas a lei de uma consciência justa, um filho é tratado em pé de igualdade com seu pai? Não. O amor do pai não isenta o filho de respeitar o pai. E o grande amor do filho, mesmo pelo melhor dos pais, é sempre impregnado de reverência como a do pai da autoridade. Será uma autoridade feita de sorrisos e boas palavras, mas será sempre uma autoridade que aconselha e regula.
E deveria ser diferente para o Santo Padre? Mas se um pai da Terra merece seu amor reverente e grato porque com seu trabalho ele os nutre e veste, se ele merece seu respeito porque sua experiência os guia, se ele merece sua obediência porque é a maior autoridade que vocês têm como indivíduos – e assim foi a partir de Adão – Deus, o Pai que te criou, que te amou, que proveu suas necessidades, que te salvou por meio de seu Filho na parte que não morre, o Pai que governa tudo. ‘Universo – pense : todo o Universo – para que seja servo do homem e lhe dê chuva e orvalho, dê-lhe luz e calor, dê-lhe orientação e caminho, dê-lhe comida e roupa, dê-lhe voz e conforto, dê-lhe fogo e bebida pelo curso dos ventos e pelas evaporações das águas que formam as nuvens que borrifam a terra, pelo sol que a seca e fecunda e com suas torrentes de luz esteriliza das doenças e consola a vida, pelas estrelas que, semelhantes a relógios eternos e bússolas impecáveis, marcam o tempo e a direção de sua jornada por terras e desertos, por montanhas e oceanos, pelas colheitas, pelos frutos, pelos animais e pelas ervas, pelas canções e línguas dos animais que você serve, pelas plantas que vivem ou enterradas há milênios e pelas fontes que não apenas saciam sua sede, mas curam seus males porque neles dissolveu elementos saudáveis, não deve este Deus Pai ser amado, respeitado, obedecido, servido? Servido não porque sois servos, mas porque é doce e justo dar, a quem tanto faz por vós, o pouco que podeis dar na vossa pequenez.
E vós, filhos de Deus e irmãos de Cristo que vos fala para vos ensinar a amar, só tendes a dar ao nosso Pai, santo e maravilhoso – porque de nada Ele precisa, Senhor como é do Universo que lhe obedece como tu não sabe, e você não quer – você só tem que dar amor porque Ele quer este amor de você como eu, Deus como Ele e Seu Filho santíssimo, eu lhe dei e dou a ele.
Este é o seu dever. E como esse dever se desenrola, eu já lhe mostrei. Ame-o obedecendo-o e cumprirá seu dever. E, depois de tê-lo amado com obediência às suas vozes de amor, não reivindique o direito de reclamar se ele não o compensar por isso.
Que direito você tem? Diga [485]sempre: “Nós apenas cumprimos o nosso dever”. Sempre diga a si mesmo: “Deus fez isso antes de nós”. Sempre diga a si mesmo: “A aparente falta de recompensa é apenas para os sentidos. Deus não deixa sem recompensa quem o ama e lhe obedece”.
Você conhece, poeira espalhada no chão, os segredos do Altíssimo? Você pode dizer que leu os decretos de Deus, escritos nos livros do amor divino? Você vê o momento presente. Mas o que você sabe sobre o próximo minuto? Você não reflete que o que pode parecer bom para você no momento presente é ruim no futuro, e que se Deus não lhe concede, é para evitar uma dor, um cansaço maior do que você vive? Mas mesmo que fosse, mesmo que fosse, é lícito para você se impor a Deus? O que você fez mais do que precisava? Você não acha que não você, mas Deus está sempre em crédito para com você, porque Ele lhe dá infinitamente mais do que você dá a ele?
Ó Justiça que és Bondade! Ó sublime e santa Justiça, que és justo para contigo somente e misericordioso para com teus filhos! Ó Justiça, rio que não transborda para castigar, mas para derramar suas ondas feitas pelo santo Sangue de minhas veias, jorrado até a última gota, feito das lágrimas de Maria, feito do heroísmo dos mártires e dos sacrifícios dos santos, rio cuja corrente é a Pietà e que preferes voltar à fonte com um milagre de poder, porque a Misericórdia é o teu aterro e é mais forte que a tua indignação, e o Amor é a outra barragem, e é o amor de um Deus do que de si mesmo ele ele mesmo fez um baluarte para reparar o homem do castigo e conquistá-lo para a Vida!
Amai esta Justiça que se arrepende de vos castigar, amai este Pai que cumpre o seu dever de pai e é bondoso em não vos pedir que sejas exacto no cumprimento do vosso dever.
Eu disse e repito: por um verdadeiro ato de amor, Deus também interrompe o movimento das estrelas, revoga o decreto do Céu. Se a fé pode mover árvores e montanhas, o amor vence a Deus. Cada ato de amor verdadeiro faz brilhar o divino vórtice de fogo e luz em que vivemos amando uns aos outros com um brilho cêntuplo, faz os céus descolorirem de alegria para a alegria do Deus Uno e Trino, e como de uma nuvem celestial faz as graças e o perdão descem também sobre aqueles que ele não sabe amar por piedade daqueles que sabem amar.
Ame e abençoe o Senhor. Como você sabe pedir e como exige ser ouvido, saiba agradecer. Muitas vezes você se esquece disso. A graça de Deus também se retira porque sois terras estéreis que não sabem exprimir uma flor de gratidão pelo Pai que cuida de vós.
Aos que sabem lembrar que são crianças mesmo na alegria digo abençoando-os: “Vão em paz. Tua fé amorosa te salva agora e sempre”.
Jesus diz novamente:
«O grão deve morrer [487] para se tornar o alimento da vida. Quando você não for mais desta Terra, então eles virão se alimentar com o pão da Palavra que eu lhe dei para os irmãos.
O homem é tal ser que somente antes do holocausto ele se rende. Eu tenho após a morte. Você não é mais do que o seu Jesus, não tema. O que agora parece cair em pedra impenetrável germinará quando você se tornar ouvido em meu Reino. Mas primeiro vem a obra da vida e as trevas da morte.
Para ter sucesso, toda missão precisa de lágrimas, sofrimento, escárnio, sacrifício . Deixe-os zombar. Já que eles não querem ver e ouvir aqueles que mais precisam deles, eu amontoarei escuridão e silêncio sobre eles. Nem poderão se arrepender comigo, porque eles, e só eles, quiseram isso com sua pertinácia à preguiça do espírito, ao orgulho do espírito, à negação do poder do Espírito Santo.
O que eu disse [488]para quem está pecando contra o Espírito Santo? E eles não sabem que em Cristo está o Pai e o Espírito? E eles não se lembram que eu disse que o Consolador viria trazer a Luz? Mas o Consolador, o Espírito de Vida, é Um com a Palavra do Pai e com o Pai. Ao negar a Mim e a Palavra que sou, o Pai que permite que a Palavra se derrame novamente é negado, o Espírito que move a Palavra é negado.
Não nos negue. Mas ai de vós se negardes o Espírito que desce com as suas luzes para iluminar uma criatura e purificar uma carne com o seu Fogo para que vos transmita as palavras de Sabedoria. Se o instrumento é vil, nós que o habitamos o tornamos digno de ser aceito, e o que ele lhe diz para lhe dar em nosso nome. Não cabe a você julgar. Eu tomo os pobres e os pequeninos para torná-los dignitários de Cristo Rei.
“Eles” já são julgados, Maria, por sua teimosia impregnada de humanidade, só por isso. Deixe os “mortos” [489] se enterrarem . Você fica na Vida e prossegue. Quando você estiver Nele completamente, a glorificação e o amor sem obstáculos virão.”

[484] feito à sua imagem e semelhança , conforme indicado em Gênesis 1, 26-27 .
[485] Diga-o , como em Lucas 17, 10 .
[486] pode mover-se… , como é dito em Mateus 17:20 ; Marcos 11, 23 ; Lucas 17, 5-6 .
[487] O grão deve morrer… , como se diz em João 12:24 .
[488] Eu disse em Mateus 12, 31-32 ; Marcos 3, 28-29 ; Lucas 12, 10 ; eles não se lembram do que eu disse em João 14, 16,26 .
[489] Deixem os mortos… , como se diz em Mateus 8, 22 ; Lucas 9, 60 .

CAPÍTULO 157


26 de outubro de 1943

   Jesus diz:
“Uma das coisas que devem ser levadas em consideração por aqueles que julgam seu caso com pouca fé e muita humanidade, que o racionalismo torna hostil e incrédulo às obras gratuitas e maravilhosas de Deus, é o tom diferente de as minhas comunicações.
Deve ser probatório. Mas, como nada é mais ofuscante do que a incredulidade, nada é mais alterador do que a realidade divina do espírito do mundo, esta será uma pedra de tropeço sobre a qual aqueles que não souberem abrir suas velas no mar aberto de A fé em Deus e a preferência por ficar perto deles vão parar na terra, nas águas rasas de sua ciência racional e de sua aridez espiritual. Dirão que, enquanto um dos tons é solene e hierático, impregnado de antigo, o outro é mais modesto e mais humano e mais moderno. O que lhes parece um antiálibi a seu favor, é a prova inegável de sua sinceridade.
Falo a todos como Rei e Mestre, mas para você, pequeno amado e pequeno discípulo, falo primeiro como Esposo e Irmão do que como Rei e Mestre. Ao contrário, a realeza desaparece com você porque não falo por você do alto de um trono, mas desço para tomá-lo em meus braços e ensiná-lo, pois sou Mestre, falando-lhe de amor.
Não há duas pessoas falando e não é, sobretudo, você que faz as duas vozes. Um é Aquele que fala: Eu sou Aquilo. Eu Deus, Rei e Mestre dos homens, eu que te escolhi para meu amor, eu, seu Esposo”.

CAPÍTULO 158


27 de outubro de 1943

   Jesus diz:
«Há batismo [490] e batismo, filha que eu amo. Todos vocês que são católicos têm o Batismo que lava a culpa de origem e que deveria ter as mesmas consequências de santidade para todos, se todos vocês visassem o Céu em vez de serem confrontados com os olhos do espírito e com as raízes do seu ser na lama da terra.
O Batismo, sacramento instituído por Mim em lugar do batismo de João, o precursor, tem em si todos os elementos para conduzi-los à santidade . Ele te dá Graça e quem tem graça tem tudo.
Mas é você quem ignora a Graça e a joga fora como um presente inútil. Entre o severo dever de ser fiel a esta Graça, que não é outro senão Deus em vós com todos os seus dons, e o fácil compromisso com a carne e o sangue, com o dinheiro, com o Mal para gozar, ou crer gozar. poucos momentos da eternidade que são a sua vida na Terra, você prefere o compromisso.
Quando o Filho de Deus, Aquele que vos ama, vier entre as multidões marcado com o seu sinal indelével, aquele sinal que é mais glorioso do que uma coroa real, porque vos dá um reinado sobrenatural de filhos e herdeiros do Altíssimo Rei, ele constata que poucos lutaram contra o instinto e contra Satanás, ou lavaram as manchas de Satanás e do instinto com arrependimento, para ter claro e eficaz aquele sinal de predestinação. Aos poucos, amados do meu Coração, eu, o Filho de Deus, a quem o Pai se refere todo o juízo [491] , venho conceder um batismo de fogo ardente, que neles queima e consome toda a humanidade. para libertar o espírito e capacitá-lo a receber o Espírito que fala.
Seleção severa e eleição dolorosa em sua alegria. Pois quem não é mundo, quem não é guardado ou feito mundo por amor e arrependimento, não pode ser aceito por meu grão. O joio vazio e estéril, o joio e o cocô nocivo, os inúteis tentáculos parasitas serão separados por meu exame rigoroso.
O joio são os orgulhosos: orgulhosos de coração ou de pensamento por sua ciência racionalizadora e errônea, os fariseus e escribas do tempo presente. O joio e o trapaceiro, os rebeldes à Lei e os envenenadores de corações: os corruptores, os escandalosos para quem teria sido melhor se tivessem sido expulsos do ventre materno já extinto. As gavinhas são os fracos, os mornos que querem se beneficiar da comunhão dos santos, mas sem se esforçar para dar a contribuição do menor esforço. São os preguiçosos do espírito, aqueles que precisam sempre de espora, apoio, calor para viver sua pobre vida espiritual; sem os coeficientes de várias ajudas, eles rastejariam no chão incapazes de se esticar até o céu e seriam pisoteados pelo Maligno: pisoteados , digo, não pegos. Eles também são desprezados por isso. Ele não se importa porque sabe que a morte da alma é dada por eles mesmos.
Eleição dolorosa porque é preciso, como ouvido destinado a se tornar farinha de Deus, aceitar os golpes da debulha, a imolação da mó, a purificação do batedor, isto é, dores, dores, dores, mortificações, ascese sem medida .
Oh! para ser refeição de acolhimento é preciso saber se despojar de todas as impurezas pelo amor . Nenhuma outra coisa como o amor é absoluta para realizar esta purificação de sua personalidade para torná-la apta a viver no Céu.
Mas pensa, minha alma, pensa depois de tanta dor como te parecerá belo o meu Paraíso. Todo o amargo que você bebe aqui por causa do seu Rei, você encontrará lá em cima transformado em doçura. Todas as feridas que o dilaceraram aqui serão joias eternas lá. Toda dor será alegria.
O tempo passa, cada momento passa. Eu permaneço e minha Eternidade permanece comigo. E eu e será seu presente, o que você conquistou com seu amor e com sua dor. Uma eternidade de luz e alegria eterna. Uma eternidade com Deus, com Deus, Maria.
Sempre pense isso. Você vai ansiar por dor como o ar que respira.”

   Mais tarde, à noite

   Jesus diz:
«“ Abre-me, meu amado. Seu cônjuge pede para você entrar. À tua boca que tanto desejou ser beijada deixei beijar, aos teus braços que tantas vezes foram apertados pelo braço do Amor que dei para segurar o Amor”. Este é o hino [492] desta manhã.
Você vê se Quem te deu o lírio pode te dar tudo o que você quer? Eu me dei, Lírio nascido de Maria que é Lírio imaculado. Agora estou convosco em Corpo e Alma, em Sangue e Divindade. Eu estou com você como em um altar.
Aqui, no teu quarto onde a tua fé brilha mais que uma lâmpada e o teu amor perfuma mais que um incenso, como na gruta de Belém coloquei a minha cuna, a minha cuna pequena que me contém tão grande como no céu. Mesmo no menor fragmento sou como no seio do Pai e ao meu redor estão os anjos que adoram. Sua fé faz você acreditar nisso, e por essa fé você é abençoado.
Eu quero te contar um segredo. A santa que amas desde a infância: Maria de Magdala, [493] penitente agora nas terras da França e sozinha entre as falésias, soube abstrair o espírito, apanhado no redemoinho do amor, para mandá-lo para onde eu estava. as espécies sagradas. E este seu desejo de me adorar no Sacramento como me adorou enquanto vivia na Terra, comoveu-me ainda mais do que as suas penitências.
Sou muito pouco adorado pelos cristãos, pelos palavrões que precisam mais do que um aparato para me adorar. Oh! mas me ame somente pela força do amor! Veja-me e acredite em mim somente pela força da fé! Saiba que não tive adorações mais vivas do que as dos voluntários presos ou exilados em celas e desertos, e que não tive altar mais digno do que o do pequeno Tarcísio [494] importando os linhos sagrados com seu sangue.
Para encontrar algo mais perfeito, você deve pensar nos transportes inefáveis ​​de minha Mãe curvada sobre minha cune ou no altar palpitante, mais branco que o lírio e iluminado pelo amor, em seu corpo castíssimo carregando-me ou em seus braços, em seus seios … travesseiro para o sono do Menino Deus.
Maria: seja Maria. Maria adoradora do Pão vivo que desceu do Céu, da Carne e do Sangue do Filho de Deus e de Maria, como foi nossa Mãe. Peça-lhe que lhe ensine seus ardores eucarísticos.
Maria, faça de sua casa uma Nazaré e uma Betânia. Já é, desde que eu estou lá, e mais fazei-o com total amor ao vosso Jesus Eucarístico. A doença do coração amoroso não é um obstáculo. Infinitas são as igrejas onde estou sozinho. Venha com seu espírito neles. Compensar a falta de amor dos outros.
Aprenda comigo a dizer [495]: “Eu ansiava. Desejei ardentemente vir a Ti, Jesus que estás sozinho em tantos altares, para te dizer que te amo com tudo de mim. Eu desejei ver-te, ó meu Sol Eucarístico, desejei consumir o meu Pão que és Tu. Para tanto desejo tem piedade de teu servo, Senhor. Deixa-me ir ao teu altar celeste para te adorar para sempre, ó Cordeiro de Deus. Faze-me ver-te com a alma arrebatada na tua glória, ó meu Sol divino que agora me aparece velado pela fraqueza da minha condição de vida. Deixe-me amá-lo, como gostaria de amá-lo, por toda a eternidade abençoada. Abra as portas da Vida para mim, Jesus minha vida. Vem, Senhor Jesus, vem. Que o que é carne pereça na Comunhão da Luz, e o espírito te conquiste, meu Deus Uno e Trino, único amor da minha alma “.”

[490] batismo , que é mencionado em Mateus 3, 11 ; Marcos 1, 8 ; Lucas 3, 16 . O escritor coloca no início, junto à data, a referência a Mateus 3, 11-12 , que inclui as figuras do “trigo” e do “joio”, citadas abaixo. Também será útil consultar Lucas 3, 17 e Mateus 13, 24-30.36-43 .
[491] é adiado , conforme declarado em João 5, 27 .
[492] a canção , substancialmente extraída de Song of Songs 1, 2; 5, 2 . Segue-se a referência a um “lírio”, de que falava a escritora a 10 de Maio e a que chamava “do divino Semeador”, porque nasceu numa velha caixa que se encontrava na varanda da casa e em cuja terra não alguém já havia plantado um bulbo.
[493] Maria de Magdala , já mencionada em 13 de outubro.
[494] Tarcisio , ou Tarsicius , santo menino do século III, foi martirizado em Roma por ter querido defender a Eucaristia da profanação.
[495] dizem , como Jesus na Última Ceia, em Lucas 22, 14-16 .

CAPÍTULO 159


28 de outubro de 1943

   Jesus diz:
«Muitos quiseram comer com sangue. [496] E o sangue dá-lhes um nó nos estrangulamentos. Sangue extorquido por arrogância, por orgulho, por desejo de poder. Muito sangue foi derramado e é derramado na Terra por aqueles que perderam até a menor concepção do Bem e do Mal e é uma zombaria nas mãos de Satanás, que o agita como sua bandeira para deslumbrar e enganar os fracos.
Muito “ilegal” foi feito para se tornar “legal” apenas porque foi cometido por pessoas poderosas . Mas pense, ó poderoso de uma hora, que o único Poderoso já tem na mão o raio para incinerar você, primeiro, nas mãos dele os frutos que você roubou, e depois, se você ainda não se arrepender, incinerar você .
Verdadeira posse da terra [497]não será dado aos violentos, aos assassinos, aos corruptores, aos traidores, aos viciosos. Pertencerá àqueles que vivem de acordo com a minha Lei. Você pode tirá-los deste dia terreno antes do pôr do sol; mas no terrível e deslumbrante Dia da Minha Vinda eles julgarão, comigo, vocês, vocês que agora se acreditam lícitos todo veredicto ilícito.
Ai de vós, então, quando atrás de Cristo, o Juiz, cuja tremenda Majestade sacudirá os mundos com um tremor muito mais forte do que aquele que abriu os túmulos e rasgou o véu do Templo na hora de minha morte, ai de vós quando atrás de Mim você verá todos aqueles que você matou e torturou e cujas dores eu terei presente ao julgá-lo por toda a eternidade.
Suas cidades, reinos, povos caem por sua culpa. Você queria arquidignificar, e com um absolutismo feroz. Eu faço solidão ao seu redor. Você permanecerá como uma coluna sobrevivente de um edifício desmoronado. Mas lembre-se que quem vive entre as ruínas pode ser arruinado e que quem faz as ruínas certamente está fadado à ruína . E novamente você poderá dizer que está feliz se ao cair você se lembrar que eu sou o Senhor do mundo.
Você, minha alma, não trema e não fique orgulhosa. Igualmente prejudiciais são o medo e o orgulho. O elogio e a zombaria deixam você indiferente. Viva apenas com o pensamento de servir à causa de seu Deus. A zombaria sofrida pela causa de Deus já é uma auréola.
Elogio! Oh! os louvores dos homens! Eles são a coisa mais vã que existe e a mais fácil de desaparecer no ar. Mais do que uma bolha de ar subindo de um fundo lamacento, um gás de lama pútrida, para irromper na superfície das águas sobre as quais marca um círculo imediatamente dissolvido, tal é o elogio dos homens. Sempre vem do sentimento humano, arrasta consigo seus miasmas, quebra o espelho da paz íntima e então nada resta dela. Bem-aventurados aqueles que, como a água que quer manter-se pura, continuam a trabalhar em Deus e a ir rápido, deixando para trás até a memória do louvor inútil suscitado ao entrar em contato com a humanidade que só é assim.
Que o louvor humano nunca o seduza. Sempre pense que metade é feita por hipocrisia e a outra metade por leveza. Como hoje te bajulam, amanhã te denigrem. Basta pensar que mesmo os melhores, desse tipo, mas todos humanos, ouvem você pelo deleite das palavras, não pelo suco das palavras. Gostam de conceitos porque são harmoniosos e artísticos, não meditam sobre a espinha dorsal que os sustenta: “Você é para eles como uma canção cantada por uma voz doce e doce, eles ouvem suas palavras, mas não as colocam em prática” .
Deixe-os fazer isso. Muito ruim para eles. Recusam outro dom da minha paciente Misericórdia e, recusando-o, acumulam sobre si as brasas da minha Justiça, porque tinham quem trouxe de novo a Palavra, e a Palavra mais uma vez desprezaram. Mais uma vez a profecia pode ser aplicada a esta geração[499] de Isaías: «Ouvirás e não compreendereis, olhareis e não vereis. Porque o coração deste povo ficou entorpecido; eles ficaram com dificuldade de ouvir e fecharam os olhos para que não vejam, ouçam e entendam com o coração e se convertam e eu não os cure”.
Geração adúltera e perversa, que acredita tão facilmente naqueles que te matam no espírito e rejeita a Cristo e seus profetas que querem te dar a Vida, quantas vezes, geração daqueles já marcadosdo sinal de Cristo, que é uma contradição para vós dispostos ao Inimigo e à carne, quantas vezes não tentei salvá-los obtendo em troca as pedras para os meus profetas e a crucificação para o vosso Mestre! Geração tola e traidora, geração de Judas que me vende e troca por um apetite impuro e nega a Luz para se afundar nas trevas, o que você quer seja bem-vindo. Terás a morte porque não quiseste a Vida, e não terás outros sinais para acordar a tua sonolência de crapulona que os terríveis sinais da minha cólera.
“Mas quando o que foi predito acontecer, e aqui vier, então você saberá que em seu meio havia um profeta, um servo, uma ‘voz’ minha.”
Filha, você escreve: “Ai dos pastores que se alimentam”. Pastores de almas e pastores de homens. Meus sacerdotes e chefes de nações.
A tremenda responsabilidade de ser mordomos de vidas e de Vidas não pode ser realizada em santidade e justiça a não ser se você permanecer em minha Santidade e em minha Justiça. Não há outros. Fora de Deus e de sua Lei não há honestidade contínua de obras. Você pode resistir por algum tempo, mas depois decai e é sua própria ruína e a dos outros.
Torça sua missão; você pasta em vez de pastar. Não se esgotem na santa e doce tarefa de fortalecer e curar as almas, vocês, os primeiros pastores, e na justa e abençoada tarefa de proteger seus súditos, vocês, os segundos pastores. Você perseguiu ou negligenciou. Você condenou ou matou. Ó tremendo julgamento que te espera!
Repito [500]: os desesperos dos sujeitos recaem sobre aqueles que os despertam. Cada perplexidade, cada blasfêmia contra quem os faz jorrar. Toda agonia das almas, naqueles padres que não sabem o que são rigorosos e sem caridade.
Ai, ai, ai de vocês, poderosos. Mas sete vezes ai de vós, sacerdotes. Porque, se os primeiros trazem a morte aos corpos mais do que às almas, você é responsável pela morte das almas , a começar pelas dos poderosos que você não pode conter, ou, pelo menos, não tente conter com um firme “Non licet”. ” [ 501] , mas que façam o seu mal por uma deferência mentirosa que é traição a Cristo.
Eu te disse: [502]“O bom pastor dá a sua vida pela vida das suas ovelhas”. Você cuida para manter o seu; e as ovelhas, grandes e pequenas, espalhadas, presas dos ferozes, e morreram de comer pastos insalubres.
É preciso saber colocar ferro no pé da grande planta que danifica. E não pese o perigo de que ele ou seus rebentos se voltem contra você com o ferro para tirar sua vida, mas aja para preservar a Vida mais elevada. Você faz isso cada vez menos e a ruína devasta a Terra e a ruína devasta os espíritos.
Agora vos digo: Eis que eu mesmo me tornarei seu Pastor. Eu virei reunir minhas ovelhas. Eu os colherei em meus pastos dos caligos das doutrinas tolas e perniciosas que dão as febres mortais do espírito. Eu os separarei, na verdade eles se separarão de si mesmos dos cabritos e carneiros, porque eles ouvirão a Voz que os ama. Já não o ouvirão como agora, através dos meus servos, mas fluindo como um rio de Vida da boca da Palavra, que voltou para tomar posse do seu Reino.
Com piedade recolherei minhas ovelhas, mesmo aquelas que sua negligência arruinou. Mas longe, longe do meu rebanho os lobos em pele de cordeiro, longe dos pastores preguiçosos, longe dos ávidos de riquezas e prazeres. Quem me segue deve amar o que é claro e honesto. Os que me seguem devem ter caridade para com o irmão e não engordar deixando a outros a miséria de grama pisada e suja e água enlameada por desgraças humanas. E isso também vale para aqueles que nas congregações leigas tendem apenas a posições que agradam à arrogância. Orgulho baixo , se você quer ser meus cordeiros, e dureza de coração baixo . Eles são os chifres pontiagudos com os quais você fere e repele os mansos e oprime os fracos.
Quando eu tiver purificado o rebanho do que é falso e impuro, no meu tempo como Rei da Paz, instruirei os restantes para a educação final. Eles Me conhecerão como agora somente os eleitos Me conhecem. Não serão doze, mas doze mil vezes doze mil criaturas chamadas ao conhecimento do Rei. Heresias e guerras cairão. Luz e Paz serão o sol da Terra. Eles se alimentarão do germe vivo da minha Palavra e não mais definharão com fome espiritual. Eles me adorarão em espírito e em verdade.
Quando ocorrer a última revolta de Satanás contra Deus, não faltará o último Judas entre os chamados ao conhecimento do Rei. O ouro da Cidade Eterna deve ser purificado por três filtros para se tornar um incensário diante do trono de o glorioso Cordeiro. E este será o último filtro. Mas os “fiéis” permanecerão fiéis, saberão que estou com eles e que são o meu povo eterno.
Mas a partir de agora, ó meus amados, ó alma que me ama e a quem amo, saiba que, antes mesmo de eu vir reunir meu rebanho para levá-lo aos pastos eternos do Céu, vocês são meus amados cordeiros. Antes dos outros entrareis no meu Reino porque sois o meu rebanho e eu sou o Senhor vosso Deus, vosso Pastor que toma as suas delícias entre vós e que vos chama à sua morada para viver convosco na paz reservada aos fiéis de Cristo. ”

[496] eles queriam comer com sangue , como é dito em Ezequiel 33:25 . A escritora coloca no início, junto à data, a referência à longa passagem de Ezequiel que vai de 33, 23 a 34, 30 (escreve assim: Ezequiel c. 33-34 – v. 23-33 e 1 -30 ); e insere a lápis, ao lado das três citações textuais (de Ezequiel) que encontraremos, respectivamente a referência ao v. 32 , no v. 33 e v. 2 .
[497] verdadeira posse da terra , como na bem-aventurança enunciada em Mateus 5, 5 .
[498] mencionado em Mateus 27, 51-54 ; Marcos 15, 38 ; Lucas 23:45 .
[499] profecia , que está em Isaías 6, 9-10 e que é retomada em Mateus 13, 14-15 ; Marcos 4 , 11-12 ; Lucas 8, 10 ; João 12, 39-40 .
[500] Repito o que já disse, por exemplo, em 29 de julho.
[501] Non licet , isto é, não é lícito , como a advertência de João Batista a Herodes em Mateus 14, 4 ; Marcos 6, 18 .
[502] Já o disse em João 10, 11 ; mas seguem referências a outros pontos na passagem de João 10: 1-18 .

CAPÍTULO 160


29 de outubro de 1943

   Jesus diz:
“Quando eu faço Sofonias dizer [503] que tirarei tudo da terra, eu o faço profetizar o que acontecerá no antecedente do último tempo, o que então anunciei falando, prefigurado sob a descrição do ruína do Templo e de Jerusalém, da destruição do mundo, e o que o Amado profetizou em sua Revelação.
As vozes se sucedem. Com efeito, posso dizer que, como num edifício sagrado erguido para testemunhar a glória do Senhor, as vozes sobem de pináculo em pináculo, de profeta em profeta antes de Cristo, até ao cume mais alto em que a Palavra fala durante a sua vida como um homem. , e depois descer de pináculo em pináculo, ao longo dos séculos, pela boca dos profetas que seguem a Cristo.
É como um concerto que canta os louvores, as vontades, as glórias do Senhor, e durará até o momento em que as trombetas angélicas reunirão os mortos dos túmulos e os mortos do espírito, os vivos da Terra e a vida do Céu, para que se prostrem diante da glória visível do Senhor e ouçam a palavra da Palavra de Deus, aquela Palavra que infinitamente rejeitou ou negligenciou, desobedeceu, zombou, desprezou, aquela Palavra que veio, [504 ] veio: Luz no mundo, e que o mundo não queria aceitar preferindo a escuridão.
Eu sou o cume do edifício de Deus, uma palavra mais alta e verdadeira que a minha não pode existir. Mas o meu Espírito está na boca das “palavras” menores, pois tudo o que fala do que é de Deus é uma palavra inspirada por Deus.
A fome e as mortes por epidemias serão um dos precursores da minha segunda vinda. Punições criadas para castigá-lo e chamá-lo de volta a Deus operarão, com seu poder doloroso, uma das seleções entre os filhos de Deus e Satanás.
A fome dada por roubos e guerras malditas, desejadas sem justificativa de independência nacional, mas apenas pela ferocidade do poder e orgulho de demônios disfarçados de homens, dada pela prisão, pela vontade de Deus, de leis cósmicas, pelas quais o geada será dura e prolongada, então o calor estará queimando e não mitigado pelas chuvas, então as estações serão invertidas e você terá seca nas estações chuvosas e chuvas no tempo de amadurecimento das colheitas, portanto, enganado por sofrida pelo calor ou pelo frescor inusitado, as plantas florescerão fora do tempo e, depois de já geradas, as árvores se cobrirão de novas flores inúteis que esgotam a planta sem frutos – já que toda desordem é nociva e leva à morte, lembre-se disso, Ó homens – a fome atormentará cruelmente esta raça protestante e inimiga de Deus.
Os animais, privados de feno e forragem, de grãos e sementes, perecerão de fome e, da fome do homem, serão destruídos sem lhes dar tempo de procriar. Aves do céu e peixes das águas, manadas e rebanhos serão atacados de todos os lados para dar aos vossos ventres o alimento que a terra não vos dará à luz, mas dificilmente.
As mortalidades criadas por guerras e pestilências, por terremotos e tempestades, precipitarão o bem e o mal na vida após a morte. A primeira pelo teu castigo que, privado do melhor, vais cada vez pior; o segundo como seu castigo, que terá, de fato, o tempo previsto, o inferno para sua habitação.
A vítima preparada pelo Senhor para purificar o altar da Terra profanada dos pecados da idolatria, luxúria, ódio, orgulho, será você, homens que perecerão mil e dez mil sob a foice afiada do relâmpago divino. Como a grama cortada em um prado em abril, vocês cairão uns sobre os outros: as flores sagradas misturadas com as venenosas, os caules macios misturados com os espinheiros. A mão dos meus anjos escolherá e separará os bem-aventurados dos malditos, trazendo os primeiros para o Céu e deixando os últimos aos tridentes dos demônios para o pasto do Inferno. Ser reis ou mendigos, sábios ou ignorantes, jovens ou velhos, guerreiros ou sacerdotes, não fará diferença e será um baluarte contra a morte. A punição será lá e tremenda.
O olho de Deus escolherá os destinados removendo as “luzes” para que não sofram mais com a neblina criada pelos homens unidos a Satanás, levantando a “escuridão” que gera as trevas porque está possuída pelo pai das trevas: Satanás.
O olho de Deus, que penetra nos palácios, nas igrejas, nas consciências – e não há barreira e não há hipocrisia que o impeça de ver – perscrutará o seio da Igreja: a Jerusalém de agora, perscrutará o seio das almas e ele escreverá o decreto único para os indiferentes, os indiferentes, os mornos, os rebeldes, os traidores, os assassinos do espírito, os deicidas.
Não, não pense que Deus não fará mal nem bem por suas obras. Juro a ti, juro a Mim mesmo, juro pela minha Justiça, juro com triplo juramento, te farei bem pelo bem que fizeres e mal pelo mal que fizeste.
Se a imundície da carne e de sua vida de brutos te fazem crosta nos olhos da alma para impedi-la de ver Deus, nada a encobre para Deus. Vou pesar a mão sobre aqueles que gostam de estar na lama e que querem ficar na lama apesar de todos os convites e todos os meios que eu lhes der para sair dela. Eles se tornarão lama na lama, pois da lama do pecado eles fazem o alimento favorito de sua fome impura.
Aproxima-se o dia, filhos que negaram o Pai. O tempo da Terra é longo e curto ao mesmo tempo.
Não foi ontem que você gozou de um bem-estar honesto dado pela paz e pelas obras pacíficas que dão pão e trabalho? Não foi ontem, ó vós que viveis nesta hora terrível, que gozastes a alegria da família não desmembrada e destruída, a alegria dos filhos à volta da mesa do pai, da cama: o noivo ao lado da noiva, do pai curvado sobre a cabeça dos filhos como professor e amigo? E agora? Onde está tudo isso? Rápido como um pássaro voando para praias distantes, esse tempo passou. Foi ontem… agora você se vira e vê que uma série de dias, que o horror multiplica com sua intensidade sanguínea, separa você dele. Você se refugia na memória, mas pilhas de escombros e extensões de túmulos destroem a doçura da memória com a realidade do presente.
Oh! homens, homens que insultam a Deus com as vozes da boca e do coração, acreditando ser lícitos fazê-lo, ouvi, homens, a voz de Deus, mutilada e desoladora, que já troveja sobre o mundo, porque não adianta falar-vos por a boca de seus servos e amigos, e que ele anuncie sua ira para você, e que ele ainda te chama porque sofre punindo você.
Antes que a cegueira de seus espíritos seja total, venha ao Doutor e à Luz. Antes que o sangue seja suficiente para ser um lago de morte, venha à fonte da Vida. Reúna as suas miseráveis ​​capacidades de amor e volte-as para Deus, o amor te perdoará por essas migalhas de amor, sobras de roubos da carne e de Satanás, que você oferecerá a Ele.
As primícias e a totalidade dos bens devem ser entregues a Deus. Mas supondo que você não foi capaz de fazer isso, ó filhos que me custaram sua vida, dê ao grande, misericordioso e poderoso Senhor o que ainda resta para você. Na tua pobreza de espírito, pobreza que não é evangélica, mas humana, arranca o último talo do teu coração, nega o resto da carne e dá-o a Mim. Sei que o sacrifício da vida custa menos a um meu amado, pois o amor o embriaga, do que lhe custa sacrificar um beijo. E pelo seu esforço, desproporcional à oferta, eu lhe darei uma recompensa desproporcional ao presente. Eu darei a você, contanto que você venha .
Quem trabalhou bem na última hora será admitido no Reino como aquele que sustentou o arado, até cair sobre ele, desde o amanhecer até o início da noite. Você não vai se arrepender de ter uma morada diferente no céu; não há a mesquinhez da inveja humana. Mas conquista este Céu que criei para ti e que te abri com a minha morte na cruz. Venha ao Senhor antes que o Senhor venha sobre você com sua majestade como Juiz .
Quanto a vocês, meus amados, permaneçam no caminho que escolheram. Redemoinhos e tempestades não poderão fazer você perder a meta que sou, cujo Coração está aberto para recebê-lo com o beijo do amor mais vivo. Que reinos e povos caiam, e o que agora se acredita ser poderoso se torna cinzas e escombros, e o que agora se acredita ser lícito ditar vontades e doutrinas se torna pó esmagado pela Vontade e Lei de Deus.
Em meu curto reinado sobre o mundo serei eu quem reinarei, eu e os remanescentes do meu povo, que são os verdadeiros fiéis, aqueles que não negaram a Cristo e cobriram o sinal de Cristo com a tiara de Satanás. Então as divindades mentirosas de poder excessivo cairão, as doutrinas obscenas negando a Deus, o Senhor Todo-Poderoso.
Minha Igreja, antes que a hora do mundo termine, terá seu triunfo resplandecente. Nada é diferente na vida do Corpo Místico do que era na vida de Cristo. Haverá a hosana na vigília da Paixão, a hosana quando os povos, tomados pelo encanto da Divindade, dobrarem os joelhos diante do Senhor. Depois virá a Paixão da minha Igreja militante e, finalmente, a glória da eterna Ressurreição no Céu.
Ó bem-aventurança daquele dia em que as ciladas, a vingança, as lutas desta terra, de Satanás, da carne terminarão para sempre! Minha Igreja será então composta de verdadeiros cristãos. Então, no penúltimo dia. Poucos como no princípio, mas tão santos como no princípio. Terminará em santidade como começou em santidade. Do lado de fora permanecerão os mentirosos, os traidores, os idólatras. Aqueles que no último dia imitarão Judas e venderão sua alma a Satanás prejudicando o Corpo místico de Cristo. Nelas a Besta terá seus tenentes para sua última guerra.
E ai daqueles que em Jerusalém, nos últimos tempos, serão culpados de tal pecado. Ai daqueles que exploram suas vestimentas para benefício humano. Ai daqueles que deixam perecer seus irmãos e negligenciam fazer pão para as almas famintas de Deus da Palavra que lhes confiei. Entre aqueles que negam abertamente a Deus e aqueles que o negam com obras, não farei diferença. E em verdade vos digo, com a dor de um sublime Fundador, que na última hora três quartos da minha Igreja me repudiarão, e terei de cortá-los do tronco como ramos mortos corrompidos pela imunda lepra.
Mas você que permanecerá em Mim, ouça a promessa do Cristo. Espera-me com fidelidade e amor e virei a ti com todos os meus dons. Com o dom dos presentes: Eu mesmo. Eu virei para redimir e curar. Virei iluminar a escuridão, superá-la e dissipá-la. Virei ensinar os homens a amar e adorar o Deus Eterno, o Senhor Altíssimo, o Santo Cristo, o Pai, o Filho, o Espírito Santo. Eu virei para trazer a vocês não a paz deste mundo, o eterno destruidor da Paz, mas a Paz do Reino que não morre.
Alegrai-vos, meus servos fiéis. Isso lhe diz a boca que não mente. Você não terá mais que temer nenhum mal, porque eu porei fim ao tempo do mal, eu anteciparei este fim por pena dos meus bem-aventurados.
Acima de tudo, regozije-se, ó você, meu amado de agora. Para você ainda mais solícito será o advento de Cristo e seu abraço de glória. Para você as portas da Cidade de Deus já estão se abrindo e seu Salvador sai ao seu encontro e lhe dá a verdadeira Vida.
Mais um pouco e eu irei até você. Quanto a Lázaro [505] , meu amigo, vou chamá-los um a um: “Saiam!”. Fora desta vida na Terra que é uma sepultura para o espírito aprisionado na carne. Fora. Na Vida e na liberdade do Céu.
Chame-me com seu amor fiel . Que seja a chama que derreta as cadeias da carne e dê ao espírito a liberdade de vir rapidamente a Mim. Diga o mais belo clamor [506] escrito pelo homem: “Vem, Senhor Jesus”.

[503] Faço dizer , em Sofonias 1, 2-3 ; Eu anunciei , em Mateus 24, 1-31 ; Marcos 13, 1-27 ; Lucas 21, 5-28 ; ele profetizou , em Apocalipse 14, 14-20; 19, 11-21; 20 .
[504] veio… , como se diz em Jo 1, 9-11 .
[505] Quanto a Lázaro , em João 11, 43 .
[506] um grito , que encerra a revelação em Apocalipse 22, 20 .

CAPÍTULO 161


30 de outubro de 1943

   Jesus diz:
«Vamos ler juntos a Sabedoria. Começa com a exortação [507] , muitas vezes ditada por Mim, a todos os poderosos da Terra para serem poderosos mais em justiça do que em força.
A força não é um atributo da santidade . Não coloca o homem em um nível sobre-humano. Há apenas uma força que te eleva: a do espírito . Mas essa é a antítese da força que você ama e admira como uma grande coisa.
Você ama “violência”, “arrogância”, “ferocidade”, e chama esse trinômio de “força” e o venera com medo como a fera acorrentada teme o domínio do domador. Mas cuidado que essa força é comum aos brutos. Força de carne e sangue só, faz você cometer atos de carne e sangue. E, portanto, raramente é justiça.
Eu disse isso [508]e repito: “Vocês, poderosos, são tais enquanto eu permitir e não além”. O que, então, é esse acenar do chicote sobre aqueles que não têm autoridade específica? Despojado daquela vestimenta que lhe veio como herança, se você é rei, ou por sorte e astúcia, se você é dignitário, ministro, chefe de província, chefe de país, diretor de instituto, de fábrica, de escritório , de um convento, o que você é diferente dos outros? Nada.
Muitas vezes seus inferiores são mais merecedores desse lugar do que você. Merecendo humanamente e acima de tudo espiritualmente. Pense sempre que se mesmo por medo se calam, eles te julgam e Deus te julga, quem melhor de tudo vê suas ações e seu ser das estátuas douradas e coroadas de barro, e lama negra da lagoa mais corrupta. Os mentirosos e os respeitos obrigados com os quais você quer se enfurecer, repugnam a Deus, que perdoa aqueles, entre as multidões, que os fazem a você porque são obrigados a fazê-lo, e amaldiçoa você e os outros: seus idólatras a ponto de acreditando que vocês são deuses e para lhes dar aquele culto de honra e respeito que eles não Me dão.
Só um é Deus, Aquele que fez a Terra sobre a qual você governa em seu curto dia e com seu orgulho tolo ou cruel. Se você realmente quer ser “grande”, “forte”, extraia essa grandeza e essa força do Grande e Poderoso: de Deus, seguindo sua Palavra, permanecendo nele como filhos. Você não é mais do que o último dos nascidos de mulher, comparado a Deus que é o Pai Criador de tudo e que pode ter o pobre homem que você despreza em seu coração como uma pérola preciosa, um deleite para ele por sua santidade, enquanto ele olha com reprovação, você que o desafia do alto do seu precário assento.
De quanta luz vocês que governam a Terra precisam? A luz vem de Deus, só Ele é o Pai e gerador da Luz. Portanto, permaneça sob seu raio sagrado, siga a Luz, não a rejeite pelas Trevas.
Busque o Senhor como seu conselheiro. Ele não é um desses conselheiros tolos, mentirosos e egoístas que ficam ao seu redor, lisonjeando e despertando seus piores instintos, seja por um espírito servil ou por um plano interessado para enganá-lo, para criar sua queda e tomar seu lugar . ] assento do qual você caiu.
Mas não pense em procurá-lo, este santo e onisciente Senhor, com uma mentira de intenção. Malditos sejam aqueles que sempre mencionam a Mim, e minha Providência comigo, para enganar as multidões fingindo ser cordeiros enquanto são lobos. Aquele grande e poderoso Nome, que troveja e brilha como sol abençoado sobre os bons e como relâmpago sobre os ímpios desta Terra e da morada de Satanás, torna-se em seus lábios carvão blasfemo que desce para queimar o coração.
Estou onde um filho me chama. Mas eu não valido as obras dos ímpios com minha ajuda . Pensai, ó homens, que seus triunfos efêmeros, que vos fazem crer que estou com eles e duvidar de Minha Justiça, não vieram de Mim. Ele é seu líder e pai: é Satanás, que os concede a ele como filhos e soldados dedicados, para criar um tormento cada vez maior para eles após a morte.
Eu estou onde há um crente que acredita em mim. Mas eles não são fiéis. Se fossem, eles observariam minha Palavra e a Vontade de Quem me enviou. Em vez disso, eles pisoteiam o primeiro, desobedecem ao segundo e ofendem o Espírito Santo, matando seu espírito com ódio contrário ao amor, com luxúria profana, com orgulho corruptor das almas. São barcos sem leme apanhados no vento e na correnteza. Afastam-se cada vez mais da meta que é Deus e acabam perecendo no poço do abismo.
Quando um coração está cheio de pensamentos de carne ou pensamentos de inferno, a quintessência de pensamentos de carne, como Deus pode entrar nele com suas luzes? Quando um coração, já de Deus, se separa dele mal trabalhando, como pode meu Espírito continuar sendo seu mestre?
Eu sou a Misericórdia. Tenho pena e perdôo. Muito perdão. Eu perdôo o que eu vejo você fazendo por fraqueza humana, não aquela feita com frio cálculo humano. E nunca serei um juiz tão severo como aquele que, com seu pensamento vendido a Satanás, comete mais crimes do que um bandido, induz outros a cometer crimes e, sobretudo, comete o crime dos crimes: o de induzir as almas a duvidar de Deus. Hoje isso é crime de
homicídio e o deicídio é direito exclusivo de não poucos. Matam corpos e almas e matam a ideia de Deus nas almas tornando-as cegas como órbitas vazias.
Tarde demais as multidões se beijam. Mas eu vejo no momento em que você pensa e age, e todos vocês, ímpios da carne e do espírito, serão julgados com o mais severo julgamento “.

[507] exortação lida em Sabedoria 1, 1-11 . Esta poderia ser a referência quase indecifrável que o escritor anota a lápis ao lado da data.
[508] Disse-o a 23 de Outubro.
[509] para você , em vez deles , é nossa correção ( substituir parece correto substituir você ).

CAPÍTULO 162


31 de outubro de 1943

   Jesus diz:
«Há dois tipos de morte. Eu já expliquei. [510] Há a pequena morte, aquela que te levanta da terra e liberta o teu espírito da carne. E há a grande morte, aquela que mata o que é imortal: o seu espírito. Desde o primeiro aumento novamente. A partir do segundo você não se levantará para sempre. Você estará para sempre separado da Vida: isto é, de Deus, sua Vida.
Mais tolos que os animais, que obedecendo à ordem do instinto sabem regular-se na alimentação, nos casamentos, na escolha de suas casas, vocês, com sua contínua desobediência à ordem natural e sobrenatural, muitas vezes se dão a primeira e a segunda morte de você mesma. A intemperança, o abuso, a imprudência, as modas tolas, os prazeres, os vícios matam sua carne como tantas armas manejadas por você em delírio. Vícios e pecados então matam sua alma. Por isso digo: [511] “Não vás buscar a morte com os erros da tua vida e a perdição com as obras das tuas mãos”.
Eu te disse: [512]Deus, que criou tudo, não criou a morte. Sua obra é o sol que brilha há séculos de milênios; sua obra é o mar contido em seus limites em um globo que gira nos espaços; sua obra as estrelas infinitas para as quais o firmamento é como um espaço sobre o qual se espalham as jóias caídas de um enorme baú aberto; animais e plantas: desde os colossais, como elefantes e baobás, até os mais esbeltos, como a pena delgada do musgo e o mosquito efêmero do medronheiro; sua obra vocês homens, com corações mais duros que jaspe e com uma língua mais afiada que diamante criada e enterrada pelo Eterno nas entranhas da terra, com o pensamento mais sombrio de carvão criado nas camadas terrestres com a decomposição de milênios, com inteligência como poderoso como uma águia nos espaços, mas com uma vontade teimosa e rebelde como a de um macaco.
Mas a morte não o criou. Isso foi gerado pelo seu casamento com Satanás. Seu pai, na ordem do tempo terreno, Adão, a gerou antes de gerar seu filho. Ele a gerou naquele dia em que, fraco diante da fraqueza da mulher, cedeu à sua vontade seduzida e pecou [513] onde nunca houve pecado, pecou sob o silvo da Serpente e as lágrimas e rubores dos Anjos . Mas a pequena morte não é um grande mal quando a carne cai sozinha com ela, como uma folha que fez seu ciclo. De fato, é uma coisa boa, porque leva você de onde você veio e onde um Pai espera por você.
Assim como Deus não fez a morte da carne, Deus não fez a morte do espírito. Pelo contrário, ele enviou a Eterna Ressurreição, seu Filho, para lhe dar Vida quando você já estava morto. O milagre de Lázaro, [514] do jovem de Naim e da filha de Jairo não são grandes. Eles estavam dormindo: eu os acordei. Por outro lado, o milagre é grande quando eu fiz “viver no Senhor” de uma Madalena, um Zaqueu, um Disma, um Longinus, mortos no espírito.
Viva no Senhor! Não há coisa maior na beleza, na alegria, na duração, no esplendor do que isso. Acreditem, ou filhos, e tentem estar “vivos”. Viva no Deus Triúno, viva no Pai, viva para a eternidade.
Você que chama a Terra de inferno, e por mais infernal que você a tenha tornado com seus sistemas ferozes, é um paraíso comparado à morada de Satanás, não dê o inferno ao seu espírito como o objetivo final. Dê a ele Deus que é o céu para o seu espírito e deixe o inferno para o inferno, para os condenados, para os malditos que rejeitaram a Vida, comida repugnante para seus corações pervertidos e acolheram a morte da qual eles eram bem dignos.
Se tudo acabasse na Terra, ainda faria pouco mal parecer mal por um curto período de tempo. Os homens logo a esqueceriam, porque a memória é como uma nuvem de fumaça que logo desaparece. Mas a Terra não é tudo. Tudo está em outro lugar . E nesse “tudo” você encontrará o que realizou na Terra esperando por você.
Nada será sem julgamento. Pense nisso. E, como demente, não esbanje as substâncias que Deus lhe deu, mas faça com que frutifiquem para a sua imortalidade. Aqueles que viveram no Senhor não morrem. O que aqui embaixo era dor, desânimo, provação, mudará para eles no futuro em recompensa, em triunfo, em alegria.
Nem você acha que Deus é injusto ao distribuir os bens da Terra e a duração da vida. É o que pensam os que já estão fora de Deus: os que vivem no Senhor fazem disso uma alegria das privações, das dores, das doenças, da morte prematura, pois em todas as coisas vêem a mão do Pai que os ama e que só pode dar as coisas úteis e boas; essas coisas, além disso, que ele deu a Mim, seu Filho.
Eles, já expulsos deste mundo, pensam e desejam apenas a glória de Deus, e Deus os vestirá com glória por toda a eternidade. Os ímpios serão esquecidos ou lembrados com horror; mas os santos, os justos, os filhos de Deus receberão adoração duradoura e santa, porque o Senhor cuida de seus amados e não apenas se preocupa em dar-lhes alegria no Céu, isto é, Ele mesmo, mas dá-lhes verdadeira honra desde os homens, fazendo brilhar o espírito de um santo como uma nova estrela nos olhos e na mente dos homens”.

[510] Já o expliquei várias vezes, especialmente nos dias 4, 5 e 22 de agosto (terceiro “ditado”) e nos dias 7, 9, 10 e 16 de outubro. Ao lado da data, o escritor anota a lápis uma referência bíblica que pode ser interpretada da seguinte forma: Sabedoria 1, 12-16 ; 2-5 .
[511] Digo , como em Sabedoria 1, 12 .
[512] Eu disse isso em 23 de setembro.
[513] ele pecou , ​​de acordo com o relato de Gênesis 3 .
[514] O milagre de Lázaro, do jovem de Naim e da filha de Jairo , lembrado em 14 de julho e 28 de agosto; de uma Madalena , que é Maria de Magdala mencionada em 13 e 27 de outubro; de um Zaqueu , no relato de Lucas 19, 1-10 ; de um Disma , já mencionado em 11 de agosto; de um Longinus , já mencionado em 23 de abril e 7 de setembro.

CAPÍTULO 163


1º de novembro de 1943

   O Senhor Jesus diz :
«Fui eu que dei aos meus santos a Sabedoria [515] de que sou possuidor absoluto. Sou eu que falo aos amados para que espalhem minha Sabedoria entre os homens. Sou eu que abençoo com gratidão meus escolhidos que se consumiram para serem portadores de minha Sabedoria. Sou eu que os recompenso, porque o amor à Sabedoria é amor a Deus , pois não pode haver conhecimento da Sabedoria e rebelião contra Deus. Quem ama a Sabedoria ama a sua fonte: ama a Deus. Quem ama a Deus ganha o prêmio.
Portanto, vós, que aspirais sempre à glória, aspirais a esta glória verdadeira e eterna. Abandone os cetros e celebridades da Terra e tende a conquistar a fama e a coroa imortal da santidade bem-aventurada. Esforçai-vos por merecer a Sabedoria e da Terra possuireis tudo, pois possuireis Deus, que falará em vós, vos guiará, vos consolará, vos elevará, vos fará meus amigos e profetas do Altíssimo. Você então entenderá, você falará, você verá não com seus órgãos e suas habilidades, mas com a visão e a mente dAquele que está em você como o Santo dos Santos em seu tabernáculo vivo.
Vocês serão, meus queridos irmãos, como minha Mãe foi quando me carregou em seu ventre e comuniquei meus movimentos de amor a ela. Maria, véu [516]preciosíssima e casta para o Vivo, para o Sábio, para a Santa, já infundida de Sabedoria por sua pureza superangélica, foi una com a Sabedoria quando o Amor a fez Mãe da Sabedoria encarnada. Nem ficas vencido quando Com Mim-Eucaristia no teu coração, e com o coração de Deus disposto a viver – esta é a condição essencial – te tornas um Comigo e em Mim sabes permanecer, mesmo depois da consumação das Espécies, com o teu adorando amor.
Seja eu das “Marias”. Carregue o Cristo dentro de você. O mundo precisa, entre tanta ciência inútil, ter alguém que comunique a verdadeira Sabedoria. E quem me tem em si mesmo, aliás quem se anula em mim, ainda que não fale palavras, comunica a sabedoria com as suas obras, porque as suas obras testificam de Deus.
Eu então, por piedade dos cegos e surdos, dos analfabetos do espírito, dou voz e pena nas mãos e lábios daqueles que eu escolho, para que o Espírito de Deus possa ser ouvido novamente e os apóstatas sejam salvos e os que se encontram na direção certa. andarilhos, levantem-se os caídos e confiem em Quem tem nome: Misericórdia.”

   No mesmo 1º de novembro, às 12h30, depois de uma antiprofissão de fé de mc [517] que me faz sofrer tanto

   Jesus diz:
«A que devemos comparar alguns pobres infelizes? Para alguns maníacos infelizes que, enquanto o belo sol está lá fora e perto deles com afetos e comida, se recusam a sair, alimentar-se, conversar e se esconder como feras em sua toca, no escuro, deixando-se morrer de fome.
São abismos de erro, de horror, de ódio às vezes, que devem ser preenchidos com paciência, misericórdia, amor e dor. Paciência suportando suas idéias, misericórdia aproximando-as apesar da repugnância que a lepra de seu espírito nos dá, amor porque o amor é o vencedor e o remédio mais poderoso de todos, e a dor porque para dar Vida e Luz é preciso morrer como se faz a lâmpada que arde ao ser consumida e o grão que dá comida se morrer.
Dadas essas coisas, isso é o suficiente. As palavras são inúteis porque essas almas estão atordoadas por Satanás que as impede de ouvir. É necessário primeiro vencer Satanás, e isso é vencido com oração e dor, não com as discussões em que ele é professor para persuadir sua doutrina.
Que você sofra é natural. Cada uma dessas palavras, antes de ferir minha Carne, passou pela sua, porque você se colocou entre o mundo e o Mestre para defender seu Rei. É o ofício das vítimas. Mas dou um beijo em cada ferida e para cada uma te digo: obrigada, Maria, pelo teu amor. Que você seja abençoado.”
São 16h e eu desfruto de um raro momento de solidão.
Ao esforço de suportar as vozes ao meu redor, que eu gostaria de experimentar ouvindo apenas a “Voz” que vocês conhecem e que amo com todo o meu ser, ou lembrando que a “Voz”, agora foi combinada com o duplo esforço de ouvindo algumas… (a caridade, da qual me deram tão altas instruções, me proíbe de escrever a palavra que vem espontaneamente) de, direi: palavras ignorantes. Espero que a ignorância seja compadecida pelo bom Deus, e espero que o ignorante que a professou tão amplamente seja perdoado precisamente por sua ignorância.
Claro que é como se eu fosse açoitado, sofri tanto. Então, obviamente, ele entendeu e tentou compensar isso me trazendo um doce. Quão amargo era aquele doce encharcado de ofensa ao meu Deus eucarístico! Não podendo, pelo contrário: não querendo falar, porque teria sido muito severo, fiquei calado, mas acho que meu rosto falou.
À tarde, então, disse a Paola que preciso de silêncio, porque palavras demais cansam meu corpo exausto. E ela contou aos outros. Mas não é o corpo que está perturbado e sofre. É o espírito que está perturbado. Eu gostaria de poder viver isolado pelo menos 18 horas por dia, ou pelo menos ficar com aqueles que me entendem e conhecem e respeitam a terrível, santa e doce necessidade de Deus por mim.
Meu Jesus me consolou, como vedes, com as palavras ditas às 12h30. Mas a amargura de certas coisas ouvidas e de certas observações feitas sobre o estado de certas almas permanece.
Agora a pausa para a paz cessa e eu, por sua vez, paro de escrever.
Felizmente a Paola dedica-me uma fotografia com estas palavras: “Amo-te e quero agradecer-te porque vivendo ao teu lado sinto-me mais perto de Deus”. Graças a Deus! Se ele não o levar para onde eu quero, eu a levo. E como é jovem, e talvez seja mãe de família, é bom que esteja impregnada de Deus.

[515] La Sapienza , a cujo livro o escritor se refere com a anotação a lápis Cap. 6 do v. 11 em diante que coloca ao lado da data.
[516] véu , como aquele colocado diante do Santo dos Santos, em Êxodo 26,33 .
[517] mc significa meu primo GB , como aponta o escritor, anotando-o em uma cópia datilografada. Giuseppe Belfanti era primo da mãe do escritor, pois era filho do irmão de Giuseppina Belfanti, avó materna de Maria Valtorta. Sua filha Paola será mencionada abaixo. Para ambos, remetemos a nota de rodapé ao “ditado” de 11 de agosto.

CAPÍTULO 164


2 de novembro de 1943

   Retomo hoje, 2 de novembro, porque ontem, entre as pessoas que vieram e… a desagradável visita inglesa, [518] não pude mais escrever.
Quanto às impressões sofridas durante esse penoso quarto de hora, direi que são diferentes e variadas.
A primeira foi que somente orando eu me sentia suficientemente calmo. Parecia-me impossível que enquanto eu o invocava sobre mim mesmo e sobre todas as colheitas perto de minha cama e, com maior caridade, sobre todos os outros que fugiam das ruas ou tremiam nas casas, Ele, cujo nome é poderoso, não m ‘tinha que ouvir. Tive, e percebi três ou quatro vezes durante a oração, a sensação de que Ele me abraçou e me fez entender que eu estava tranquila porque estava protegida por Ele.
Em meu estado muito grave, seria mentira dizer que meu coração não sofreu com isso. Se fico impressionado com um barulho alto, um choro, a colisão de dois carros, ver uma pessoa cair, uma briga, notícias, etc. etc., pode-se muito bem pensar o que meu coração físico terá sofrido com essa reviravolta. Mas ela foi capaz de ver que, tendo ajudado o coração com uma punção energética, como moral não estava descentralizado.
A segunda é que foi desde a manhã, depois daquela profissão anticatólica, [519] que tive a impressão, melhor dita: a persuasão , de que se os inimigos tivessem vindo naquele dia teria havido alguma coisa ruim. E realmente! …
Terceiro: quando as coisas terminaram, fiquei aliviado ao pensar que havia passado o pesadelo, que há 20 dias me incomodava, de um bombardeio aéreo. Falei com ele sobre aquele sonho ao qual queria aplicar o fato da morte daqueles 5 na Piazza Mazzini há cerca de 15 dias. No sonho eu tinha visto balas caírem de cima em Viareggio e entendi que vinham de aviões. Mas eu queria me iludir que tudo tinha acontecido com aquele tiro curto. [520]
Poderia tudo ter acontecido agora? Deus permita, porque confesso que não gosto da ideia de morrer enterrado vivo ou dilacerado em um hospital. Aceito minhas 5 doenças e vou aceitar outras 5, outras 10, com todos os tormentos, mas só peço para ficar na minha casa onde tantas coisas Jesus trabalhou para mim e que é sagrada para mim por Ele, porque dado a mim por Ele[521] e porque o meu morreu nele.
Quarta e última impressão: de gratidão por ela. Eu tinha certeza que ele viria, mas vê-lo vir me comoveu e me acalmou. Nunca há absolvidos e abençoados suficientes em certos momentos!
Naqueles dias em que ela estava ausente, eu estava sempre com o coração suspenso pelo medo de algum acidente particular meu ou algum acidente geral. Eu sei bem, por experiência, que médicos e padres são muito difíceis de tê-los quando são mais necessários e desejados. E, portanto, lamentei que você estivesse longe, porque só você pensa em mim.

[518] A visita inglesa é chamada de bombardeio aéreo, o primeiro em Viareggio, ocorrido na noite de 1º de novembro de 1943.
[519] profissão anticatólica do primo, de que falava na véspera.
[520] bala falhou. Devido a um exercício militar ocorrido nos Alpes Apuanos, uma bala, que deveria ter acabado no mar, caiu na Piazza Mazzini, matando cinco pessoas.
[521] que me foi dado por ele, porque Jesus a fizera encontrar uma casa como ela desejava. Os detalhes na Autobiografia , no segundo capítulo da quarta parte.

CAPÍTULO 165


3 de novembro de 1943

   Jesus diz:
«Fiquei calado ontem para deixar-vos um caminho não para descansar, mas para obedecer . O Pai lhe disse para escrever suas impressões e a maneira como você me sente. Seus pontos fortes e seu tempo são limitados, se você faz uma coisa, não pode fazer a outra. E assim te deixei quieto para te dar um jeito de obedecer. O Pai não te deu uma ordem, ele apenas expressou um desejo. Mas para os verdadeiramente obedientes, até mesmo um desejo se torna uma ordem.
A obediência tem mais valor do que a palavra , mesmo que seja uma palavra escrita sob meu ditado. Porque você ouve e escreve a palavra, mas ela não é sua; você o repete, mas não é seu. A obediência, por outro lado, é sua . É apropriado dizer: [522]“Deixe-a em paz, porque você sempre tem os pobres e a mim você nem sempre tem a mim”. Você sempre tem os pobres com quem falar. A oportunidade de espalhar o precioso aroma da santa obediência, desafiando os comentários dos outros, você nem sempre tem.
E saiba que a obediência foi a virtude do Verbo , destinado a ser Homem e a tornar-se o Redentor. Amor, poder, perfeição, sabedoria são comuns às Três de Nossas Pessoas. Mas a obediência é minha, exclusivamente minha. Obedeci encarnando-me, tornando-me pobre, submisso aos homens, cumprindo minha missão de evangelizador, morrendo.
Portanto, quando obedeceis, tanto aos homens em suas obediências, como a Deus nas grandes obediências que envolvem renúncias e sacrifícios de sangue e aceitação da morte, às vezes morte atroz, você é como Eu que fui obediente até a morte, [523] que fui o ‘Obediente por excelência, o Obediente mais divino.
Depois de Mim em obediência estava a doce Mãe que sempre obedeceu, e com seu sorriso amoroso, a vontade do Altíssimo.
O terceiro foi meu casto pai da Terra, que em sua força viril fez bordados de obediência, ao contrário, dobrou sua força viril e seu senso de justiça como fio de seda para curvá-los à vontade de Deus
. três mais obedientes do mundo e os terão amigos aqui e além, no céu”.
E agora tento descrever as etapas e as maneiras pelas quais a palavra da querida “Voz” vem até mim e de mim.
Às vezes, quando é noite, em meu semi-sono – mais acordado do que dormindo, porque ouço ao mesmo tempo o que está acontecendo no quarto ou na rua – ouço a Voz me dizer uma frase repetidas vezes, como se me convidasse a sentar e escrever. Se tenho força física suficiente, sento-me e, lutando contra a sonolência e a dor, começo a escrever.
Seguem  se então a frase ou as poucas frases iniciais, como um fio que se desenrola, os outros, e o sofrimento causado pelo contraste da alma tensa na escuta, e que gostaria de ser servida pelo corpo, e o corpo enfraquecido, cessa quem se recusa a servir a alma ao sair do repouso para escrever.
Às vezes, porém, a “Voz” é tão dominadora – que, junto com o som, às vezes tem que me comunicar uma força especial que dura o tempo que eu preciso – que eu tenho que sentar imediatamente e escrever imediatamente, ou, se for dia, pare o que eu fizer para escrever.
Muitas vezes sinto a aproximação do momento do treino e, portanto, da proximidade com o Mestre, de uma espécie de choque, de penetração, de infusão, não sei explicar com exatidão. Em suma, é algo que me penetra e me dá uma alegria luminosa . Insisto no “luminoso” porque é como se eu passasse de um lugar sombrio no calor e na alegria do sol.
Mas isso nem sempre acontece. Estes são os momentos mais altos, como são aqueles em que as palavras são unidas pela visão mental do que Ele descreve (como quando Ele me mostrou Maria em sua glória no Paraíso). Geralmente é uma proximidade, muito próxima . Mas sempre proximidade.
As aulas são assim.
Às vezes, como esta manhã para a passagem que estou juntando a eles em um pedaço de papel destacado, [526] nada justifica e provoca essa instrução dada. Por exemplo, esta manhã eu estava a mil milhas de distância desse pensamento. Eu não rezei, pelo contrário, eu estava empenhado em uma ocupação inteiramente materialligado às minhas necessidades especiais como paciente. Digo isso para lhe dizer o quanto eu estava longe de pensar em coisas místicas. A “Voz” começou a falar sem levar nada em conta. Então ele esperou, depois de me dar, direi assim, a primeira linha, que eu havia terminado aquela ocupação. Então ele me empurrou para escrever, e me fez entender para pegar meio pedaço de papel, o que seria suficiente. Eu tinha uma folha de papel inteira na minha mão, mas ele me fez largar. Como você pode ver, de fato, foi o suficiente.
A primeira frase, dita enquanto eu não sabia escrever, foi: “A obediência tem mais valor do que a palavra. A obediência era a virtude da Palavra”. Mais tarde, sobre esse tema inicial, Jesus, quando já podia escrever, ditou suas palavras, assim como eu as escrevi no papel.
Outras vezes, porém, ele começa a aula espontaneamente, fazendo-me abrir ao acaso o livro que Ele quer e no qual apresenta imediatamente a frase, sobre a qual realiza o treinamento mais ou menos longo. Às vezes ele usa qualquer livro, talvez um jornal, do qual extrai seu ensinamento.
Depois há os dias em que ela não fala, e depois fico tão infeliz que me parece que sou uma criança que já não tem perto da mãe e a procura por toda a parte e a chama. Eu também ligo para ele e o convido abrindo a Bíblia aqui e ali. Tem dias que ele fica inexoravelmente calado e eu tenho muita vontade de chorar. Há outros que, depois de me terem feito andar para cima e para baixo sem me ouvir, desistem, e então sinto aquela sensação dita no início, então percebo que a graça está chegando.
Você percebe que enquanto antes eu era capaz de fazer meditações por conta própria – meditações pobres comparadas com o que estou recebendo agora – agora eu sou absolutamente incapaz de fazer isso sozinho . Eu tenho um bom foco em um ponto. Eu não ganho nada com isso e o Mestre geralmente nunca me explica o ponto que eu gostaria de explicar naquele momento. Explique o que ele quer e de uma forma mais distante de como eu teria explicado e como geralmente é explicado.
Da mesma forma, não consigo mais me interessar pela leitura de livros. Eu, leitor ávido, agora deixo os livros estagnarem sem abri-los. Se eu os abro, depois de algumas linhas me canso e os fecho. E não me canso de ler. Fico cansado porque tenho comida sem gosto ou nojenta.
E assim são as conversas habituais. Eles são um verdadeiro esforço. Eu gostaria de ficar sozinho e em silêncio, porque a conversa me incomoda muito e parece mais boba do que nunca. Tenho que fazer prodígios de caridade para suportar meu próximo que tenta me fazer companhia e ficando ali a Companhia querida me proíbe, a única que desejo e que a alma suporta: a de Jesus ou de uma pessoa que, como é ela, ela não desconhece o meu segredo.
Mas quem são essas pessoas? Você, [527] Marta, Paola e seu pai. Este último entende por um e por 99 não entende, e portanto… Faltam três. Mas Marta está sempre em movimento e à noite está tão cansada que adormece. Então ela e Paola. Perto de você, e especialmente dela, eu descanso e me divirto. Mas os outros são difíceis e dolorosos.
Em relação ao livro de Ricciotti, não gostei desde o primeiro momento em que o folheei. Bem traduzido como Cântico. Mas as razões do autor… são justamente aquelas que não consigo mais assimilar. Além disso, com a insistência de um refrão, a Voz me sussurra: “Não se preocupe com esse trabalho. Eu não quero”. Ele não diz mais nada. Mas, vendo que ela insiste, decido dizer-lhe que não vou ler mais lá do que li e, confesso, não sinto dor porque, repito, sinto que estou mastigando palha.
Feito. Aqui é obedecido.

[522] dizer , como em Mateus 26, 10-11 ; Marcos 14, 6-7 ; João 12, 7-8 .
[523] até à morte , como diz São Paulo em Filipenses 2,8 .
[524] Então… Ao lado deste parágrafo, a escritora insere 3-11 , como para notar que ela passou para o dia seguinte.
[525] ele me mostrou , na “visão” descrita em 12 de setembro.
[526] folha avulsa , que se insere no caderno autografado e nos dois lados em que se escreve o “ditado” de 3 de novembro.
[527] O senhor é o Pe. Migliorini (notas de rodapé de 22 de abril, 13 de agosto e 4-5 de outubro); Marta é Marta Diciotti (nota de rodapé 3 de junho); Paola e seu pai são os Belfanti mencionados nos escritos dos dois dias anteriores.

CAPÍTULO 166


4 de novembro de 1943

   Quanto [528] ao desejo que tens de que te diga o que sabia da Sagrada Escritura, posso assegurar-te formalmente que só conheço os 4 Evangelhos. Aqueles que conheço de cor e há anos. Li então uma vez, há 13 anos ou mais, o Cântico dos Cânticos e em edição protestante, que entreguei ao então pároco de S. Paolino: Dom Guidi, já falecido. Li os Provérbios de Salomão em um livro de cultura. E meu conhecimento termina aí .
Ler a Bíblia é para mim como andar em um mundo desconhecido que me permaneceria impenetrável, porque sozinho entendo apenas o seu significado superficial e o que as notas no fundo das páginas comentam sobre mim, que, noto, são diferentes daqueles que eu dou ao Mestre.
Quando eu estava na escola, eles me fizeram estudar História Sagrada em um pequeno texto adequado para nossa tenra idade, e você sabe como são esses textos: reduzidos ao mínimo. Lembrei-me dos pontos salientes, mais nomes do que fatos, e confesso que, exceto Adão, Abraão, Esaú, Moisés, Ló, Rute, Ester e alguns outros, não me lembrava mais de nada. Um belo burro, sem dúvida! Além dos Evangelhos, eu sabia do Novo Testamento aquelas passagens relatadas nas epístolas e pronto .
Mesmo agora que tenho a Bíblia [529] à minha disposição, porque você pensou nisso, eu não fui, e por ordem sobrenatural, além de Ester. E confesso que muitas e muitas páginas dos Reis [530]e os Paralipomeni me fizeram dormir, enquanto eu gostava muito de Tobia. Depois disso, o Mestre me levou tanto que não consegui seguir em ordem, tanto que fiquei preso no capítulo 13 de Jó. O resto, retirado dos pontos que o Mestre me explica de tempos em tempos, é uma palavra desconhecida para mim .
Repito que nos dias em que Jesus se cala e o convido, com a confiança do amor, abrindo o Livro aqui e ali, nem paro para ler. Olho para um ponto e se sinto que Jesus dá sinal de que está falando bem, se não, abro em outro lugar enquanto ele fala. Se depois de três ou no máximo quatro tentativas, em diferentes pontos, abertas ao acaso entre as 1838 páginas do Livro, eu entendo que ele não quer falar, me resigno e leio sozinho de onde permaneci e que é agora página 729. [ 531]
Eu não poderia ser mais detalhista do que isso e mais obediente. E eu estive entre muitos obstáculos, que vão desde constantes interrupções até tonturas causadas por minha condição considerada muito grave ontem pelo médico. A condição pulmonar e cardíaca é digna de todos os medos humanos. De todas as alegrias sobrenaturais, para mim.
Sei que tenho pulso muito fraco, filiforme, arrítmico, depressível. Eu sinto. Não é à toa que eu era enfermeira. Eu sei que a paralisia pode me levar a qualquer minuto. Eu sei que tontura e colapso são causados ​​por anemia cerebral e atrofia cardíaca. Sei que respiro com apenas metade do pulmão à esquerda e que à direita é como se o pulmão fosse um galho seco. Eu sei tudo. Mas estas são as minhas riquezas e as fontes da minha paz.
No passado confio-me à Misericórdia de Deus, no presente confio-me à sua ajuda. Para o futuro, a perspectiva de ir em breve para Aquele que amo brilha como um sol alegre. Portanto, todo agravo não tem toque fúnebre, mas soa como um sino de festa anunciando a aproximação de minha entrada na Vida.

   4 de novembro, 9h30 (depois de terminar de escrever minhas impressões)

   Jesus diz:
«Disseste bem. [532] É palha de mascar, e quero que se alimente de grãos puros. A palha não nutre, enche sem nutrir. E assim é de muita ciência.
O que é sempre um perigo em toda ciência é até pernicioso quando é uma ciência das coisas de Deus . Mas é assim que é agora. Os doutores da ciência sagrada se esquecem muito do que estão tratando, a serviço de quem são e de que poderes falam. Esquecem também com quem falam e as consequências de seus ensinamentos que, como as ondas, repercutem no mar ao atingir diretamente o primeiro que os lê. Eles podem ser “luzes”. Eu sou a fumaça que vela a luz mesmo onde ela está.
Eles adoram exibir a erudição humana. Na verdade te digo que se for mais fácil[533] que um camelo passe por um olho que um homem rico não se salve, será ainda mais difícil para um clérigo humanamente culto, ou quem trata de assuntos de religião com ciência humana , ser salvo. Não só terão que responder por terem se saturado, transbordando de erudição humana, negando o lugar e expulsando de si o que é ciência sagrada, mas terão que responder pelo incalculável mal que fizeram a outros , a começar por sua irmãos para descer aos simples fiéis e simples homens.
Em verdade vos digo que a luz que lançará sobre a fronte de um crente humilde, que só sabe fazer suas orações sem mais vertigens da cultura, fará corar de vergonha essa gente que gosta de Dives [534]queriam todos os alimentos na mesa, esquecendo apenas um: o da caridade . E a Caridade será fechada para eles, será muito mesquinho com eles. Como eles eram fechados e mesquinhos com Isso.
O Cântico que ofusca a relação de amor entre Deus e a Igreja e entre Deus e as almas não é compreendido pelos doutos. Não pode ser. Somente os amantes de Deus ouvem o som da oitava corda, [535] aquele som que é dado pelo toque do dedo de Deus movido pelo amor. Os outros têm os ouvidos fechados para aquela voz celestial, que é a verdadeira voz de rainha entre as vozes que a cercam em coro e que são vozes para os sentidos humanos. Não é entendido pelos eruditos, que estão criando uma nova Babel [536]onde a Palavra se ergue como a haste de uma vela mística, que não precisa de erudição humana para ser compreendida, mas pureza de alma e amor . E não são compreendidos por aqueles para quem o Amor se torna Pão, se torna Voz, se torna Luz.
Tira as franjas e os filactérios [537] em que te pavoneias e veste-te com uma simples túnica de linho puro, envolta por uma faixa púrpura. Era o manto de Cristo Mestre e deixe-o ser seu. Pureza, ou portadores de religião. Pureza seja sua vestimenta. Pureza de carne, dupla pureza de coração, tripla pureza de pensamento .
Não distribuas, a quem te pede o pensamento de Deus, um pensamento contaminado pelo teu pensamento separado de Deus e saturado de erudição humana. Amor, amor, amor ao redor e dentro de você. Ao redor para as multidões verem, e dentro porque é do que está dentro que a essência irradia para fora. E você não pode infundir o que você não possui, você não pode falar, com a voz certa, do que você não entende.
As almas não precisam de ciência, mas de luz . Para a ciência já existem muitos volumes e muitos estudiosos. Dê as palavras de Sabedoria às multidões. E dê-lhes palavras de sabedoria extraídas de Mim.
E agora que falamos disso, continue a escrever sobre Sabedoria [538]. Coloco esse gloss no meio do comentário porque é o seu lugar. Eu concedi a você depois da obediência porque a obediência me torna gentil e mais Mestre do que nunca. Eu quero te segurar como uma boa criança pela mão, e quanto mais você estiver com a alma de uma boa criança, mais eu serei seu Pai e Mestre.
“A sabedoria guardou aquele que Deus fez primeiro… ela o tirou de seu pecado e lhe deu o poder de governar sobre as coisas.”
Adão no Paraíso terrestre, puro e obediente, foi instruído diretamente por Deus.Quando Adão era culpado [539], ele desmereceu o ensinamento de Deus.O último cuidado paterno foi vestir os dois e ensiná-los a cobrir o que agora era um estímulo aos sentidos contaminados. Como o primeiro casal pode ter se estabelecido na Terra se uma força espiritual não os guiou?
Deus é sempre um pai , filhos que não pensam nisso. E mesmo quando golpeia, golpeia somente com bondade e bondade. Ele não te joga nu e abandonado nas ruas da ruína deixando você sozinho. Se você atrair punição, Ele une ajudas espirituais a ela. Mas você, feito de carne e osso, não aprecia isso. Você só quer o que é alegria e comida de sua carne e sangue.
Adam não ouvia mais a voz do Ofendido. Mas o Ofendido não o deixou sem luz, pois o amava como obra de suas mãos. Ele lhe deu as luzes do instinto e as luzes do arrependimento. O primeiro por sua carne, o segundo por sua alma. Com sincero arrependimento mereceu a salvação e com instinto reinou sobre as coisas.
Nas crianças as luzes, que nada mais são do que a Sabedoria, eram mestras do progresso. Menos naqueles que rejeitaram a Sabedoria ele ouviu o Erro, isto é, Satanás, que armou sua mão [540] com a pederneira com a qual o inocente foi extinto.
A sabedoria instruiu os honestos a salvar a raça dos homens e as raças dos animais no castigo das águas abertas sobre o mundo que se tornou uma cloaca.
A sabedoria acendeu Abraão para o grande sacrifício e trouxe o coração de seu pai para a salvação, pois tirou os justos e obedientes do fogo que vinha do céu.
A sabedoria não abandona aqueles que se confiam a ela com um coração puro e um pensamento reto . Mas ele foge dos seus que querem escolher sua refeição e seu caminho, e aquele que conhece os caminhos do erro e come o alimento da morte.
Como o sol que sobe cada vez mais alto na abóbada do céu e brilha cada vez mais e ilumina, assim a Sabedoria cada vez mais alta brilhou para os homens que souberam amá-la. Ele disse progresso do espírito e progresso da inteligência. Ele brilhou no milagre do Sinai [541], em que deu aos homens a Lei que não muda. E se sua dureza agora se abrisse para o sangue que você bebe – porque os rios e mares da Terra se tornaram sangue, e a orelha e o cacho que lhe dá pão e vinho se alimentam de sangue – gostaria agora de se abrir para receber de volta Sabedoria como se abriu [542] aos judeus do Egito.
Isso também é um castigo da Misericórdia, filhos. São vocês que fazem disso um castigo da Justiça. Reconheça-me como Pai e não como um rei inexorável. Faça-me rei, mas rei de amor, rei de sua casa: pai, seu pai e não juiz.
E vocês não estão todos – vocês que vivem em Mim e vocês que se afastaram de Mim – atormentados de alguma forma? A primeira pela dor dada pelos homens, a segunda pela dor não consolada por Deus? Vocês não estão todos sofrendo agora na Terra? A fome também é para os neutros, um massacre de pestilências, os perigos de novos flagelos estão sobre todos, mesmo os distantes, sobre o mais neutro de todos.
Venha a Mim para se salvar! Chore não só de pesar pelo bem-estar material que você perdeu, mas pelo remorso de ter sido privado de Deus. Chore, mas chore batendo em seu peito, chore em minhas mãos que, se bateram em você, fizeram isso por amor, para te acordar do sono mórbido [543] em que caíste e onde perecerás se aí ficares.
Pare de adorar aqueles que não são Deus. Você ainda não se convenceu de que o que você adora contra a Lei se torna um castigo para você? Não diga que você não acreditou, você não sabia. Há um século venho aumentando as “vozes” e as aparições, ambos milagres do Bem, para chamá-los de volta ao meu Caminho. Por um século eu aumentei o peso dos castigos para chamá-los de volta à minha Lei. Não conte com nada. E quanto mais Deus vai embora, mais você, ao invés de chamá-lo, vai embora.
Como vou chamá-lo para lhe dar o nome exato? Vou chamá-los de “Malice”, porque vocês se encheram de malícia, vocês se venderam à Malícia.
Não, você não pode me acusar de nada. Não sou eu que te destruo. Foram vocês que fecharam as portas ao Amor, que os observaram como um pai curvado sobre as cunhas de seus filhos, e vocês abriram as portas para Satanás.
Na minha Justiça, que não pode ficar passiva, ainda sou indulgente. Recordo-vos, em meio às chuvas de infortúnios, que Eu sou Deus e não há outros além de Mim. Recordo-vos que sou o Poderoso e Perfeito e vós a lama que é alguma coisa enquanto permanece sob a ação da Graça, orvalho sagrado, que impede que a lama se transforme em pó. Recordo-vos que quem se desvia de Mim cai em excessos e causa ruína. Recordo-vos que a palavra e as promessas dos homens são uma nuvem passageira que muitas vezes se dissolve em relâmpagos, e que só uma é a Palavra e a Promessa que salva. A do teu Deus.
E se para sustentar a tua tese dos endemoninhados me dizes que ao castigar os justos caem com os culpados, [544]Eu lhes digo que não eu, mas vocês são os assassinos deles, e vou pedir-lhes que dêem conta desse sangue, ó raça de hienas que você vive apenas rasgando, ó raça de cobras que você passa sufocando ou contaminando mentes e corações com seus tóxico.
Não, que eu não seja severo com aqueles que não sabiam o que Deus era. Mas com vocês cristãos, que são Judas, eu serei implacável.

[528] Quanto a… É a continuação imediata, sem interrupção, do texto anterior. Mas ao lado deste parágrafo o escritor anota a nova data: 4-11 .
[529] A Bíblia que ela usou, e que lhe foi dada pelo Pe. Migliorini, é traduzida e comentada pelo Pe. Eusebio Tintori ofm. Publicada pelo Instituto Missionário da Pia Sociedade de São Paulo, foi impressa em Alba em 1942.
[530] Havia quatro livros de Reis , que nas novas versões se tornaram os dois primeiros livros de Samuel e os outros dois de Reis ; os Paralipomeni tomaram o título de Crônicas nas novas versões.
[531] a página 729 contém, do livro de  , as últimas palavras do capítulo 11, todo o capítulo 12 e os três primeiros versículos do capítulo 13.
[532] Você disse bem , no dia anterior, no final.
[533] se for mais fácil… como em Mateus 19:24 ; Marcos 10, 25 ; Lucas 18, 25 .
[534] como Mergulhos na parábola de Lucas 16, 19-31 .
[535] oitava nota , aludindo ao canto dos Salmos. “Na oitava” lemos no título do Salmo 6, 1; 12, 1 .
[536] Babel , ou seja , confusão , como em Gn 11, 9 .
[537] as franjas e os filactérios , como em Mateus 23, 5 .
[538] sobre a Sabedoria , isto é, sobre o livro da Sabedoria, do qual o escritor insere, a lápis, a referência a C. 10, 11-12 , que acreditamos que deve ser interpretado: Sabedoria 10-12 . A citação textual, que se segue, é de Sabedoria 10, 1-2 .
[539] culpa , no relato de Gênesis 3 .
[540] armou a mão , como fez com Caim em Gênesis 4, 8 ; ele instruiu o honesto , que era Noé, no relato de Gênesis 6: 9-22; 7, 1-5 ; grande sacrifício , que é narrado em Gênesis 22: 1-18 ; o justo e o obediente , provável referência a Abraão e Ló, conforme se diz em Gênesis 19:29 .
[541] milagre do Sinai , narrado em Êxodo 19, 16-25; 20 ; Deuteronômio 5 , que inclui “a Lei que não muda”, comentada no “ditado” de 21 de outubro.
[542] abriu (implícito: o mar) como é narrado em Êxodo 14: 15-31 .
[543] o sono é a nossa correção dos sonhos
[544] … os justos … Neste ponto o escritor anota na parte inferior, a lápis: Será que ele pretendia aludir ao Justo, ao seu Vigário ameaçado por duas bombas inimigas?

CAPÍTULO 167


5 de novembro de 1943

   Jesus diz:
“Quando um homem, mesmo longe do conhecimento do verdadeiro Deus, sabe, pela elevação de uma alma justa, que deve haver um Deus e em seu coração ele levanta um altar ao Deus desconhecido de quem Paulo fala , [545] este homem está muito mais próximo de Deus do que aqueles que, depois de terem sido instruídos sobre a existência de Deus, quiseram dar teorias humanas das maravilhosas obras de Deus
. homúnculos iguais a eles, daqueles que adoram uma estrela ou um animal. Estes são selvagens e complicados. Os primeiros, por outro lado, são homens avançados que enlouquecem. Como aqueles que se mutilam espontaneamente, amputam sua parte mais nobre e sagrada e a jogam fora como uma parte ruim.
Olhe para as coisas de Deus com olhos honestos e pensamento honesto. Você se verá brilhando Deus . Por que examinar as leis das vidas e os segredos do universo e primeiro não confessar que este universo e essas leis são a prova inegável de um Deus?
Mas todo o seu progresso provavelmente aumentará o gramado que lhe dá seu verde por uma folha de grama? Mas sua ciência consegue gerar um novo animal quebrando as leis que Deus estabeleceu desde que os criou macho e fêmea? [546] Mas, apesar das suas experiências que o enchem de arrogância, será que consegue, não digo, criar a vida, mas deter a morte?
Não. Você consegue fertilizar os óvulos do mais simples dos milhões de animais que existem. Você pode continuar a bater de um coração embrionário. Mas você não pode fazer o que Deus fez: um homem do nada. Mas você não pode manter o bater de um coração moribundo quando Deus diz ao pó [547] para voltar ao pó e à alma para voltar a Ele. Sem semente você não pode fazer brotar uma única folha de grama. Com toda a sua eletricidade, você não pode restaurar a energia de um corpo morto. Você só pode gerar doenças e mortes, massacres e infortúnios.
E assim como você não consegue fazer isso, apenas aumentando a confusão na Terra e nas consciências, você não sabe mais como criar dentro de si aquela Fé sem a qual o erro é inevitável. Desviar. Você faz religiões.Mas você não tem religião .
Ame um filho, um marido, um parente mais do que a Deus. Você perde o amor e o respeito por Deus se ele o rouba de você. Ame, de fato: venere como um deus algum homem infeliz que se proclama “deus” e é três vezes mais lama do que você, e diante dele você dobra não apenas as costas – não seria ruim – mas dobra seus critérios, sua consciência acima todos. Pecado para agradá-lo. Se ainda tenho pena daqueles que pecam por amor desordenado de um parente, não perdoo aqueles que se vendem e vendem sua consciência a um poder contrário a Deus.
É preciso ser filhos de Deus mesmo contra os tiranose aceitar qualquer coisa além de queimar a alma em face dos ídolos de lama. Quando o homem perde o santo culto do verdadeiro Deus e cai na idolatria de seus seres iguais ou inferiores, depravando em si a jóia maravilhosa que o torna semelhante a Deus, tudo nele foi depravado. E não é exagero dizer que o tempo em que você está é um campeão de tal depravação. Não falta um .
Aos meus altares, vocês cristãos mentirosos que são cristãos por fora, mas não são cristãos por dentro, vêm muitos que não são o que deveriam ser. E isso é ruim para o homem, que deve saber não fornicar e, se a carne com sua voz de sangue o estimular, escolher uma esposa sem esperar ser já velho, mas trazer a essa noiva um corpo incontaminado. Por justiça, porque ele quer isso dela, e por caridade, porque nem sempre as contaminações são isentas de perigo, mas sim, junto com o corpo que se degrada e a alma que se corrompe, há a doença que tantas vezes os leprosos. , e tal lepra comunicada ao companheiro e ao inocente.
É duplamente ruim para uma mulher apresentar-se a Deus, no altar de Deus por juramento a um homem, com a mancha mais feia que pode manchar uma mulher. Mentindo a Deus, ao homem seu companheiro, ao mundo, ela rouba uma bênção, uma proteção e um respeito de que não é digna. Mas a bênção sobre ela se transforma em punição porque Deus não é enganado. Ladrão e adúltera serão julgados com base nesses pecados dela. Ladrão porque defrauda sua companheira de seu direito e lhe rouba uma confiança da qual ela não é digna, e de Deus uma bênção da qual ela é ainda mais indigna, rouba de uma mãe pré-nascida e direitos, nem, em seus mortos alma, não há emoção quando se pensa nos reprimidos antes do amanhecer da vida ou nos abandonados à beira da vida como cachorrinhos vadios. Adúltera , por que[548] “aquela que olha para um homem com desejo já comete adultério”, e ela consumiu o adultério porque não conseguiu domar o desejo da carne, mas saciar sua fome em sua fome depravada.
Vivendo na idolatria, torna-se fácil derramar sangue em assassinatos únicos ou em assassinatos coletivos, como as guerras, que quase sempre, e as de agora, nada mais são do que roubos e fraudes não justificados por nenhum motivo. Vocês são ladrões das terras e direitos dos outros e assassinos vocês são filhos dos outros.
Vocês são mentirosos e fraudadores na pequena e na grande esfera. Não há mais honestidade na vida. A palavra do homem é desprovida de honra e, portanto, você comete calmamente obras de desonra.
Você é corrupto. No pensamento, nos gostos, nas obras, nos sentidos. Corrompido até o âmago. Mais de corpos enterrados dez vezes quatro dias. [549] Também vós sois corruptos no que vos criei incorruptível: no espírito que matastes e que é todo um verme fervilhando de pensamentos imundos e obras imundos.
Corruptos e corruptores. De seus semelhantes, jovens e velhos. Já nem sequer respeitas a infância diante da qual fornicas indiferentemente com atos e palavras, sujando esses botões de lírio com a tua podridão. Eles vão abrir já sujos e dar cheiros de morte, cada vez mais, porque cada vez mais você os corrompe. Tua arte, até arte, sinal de tua realeza sobre os outros animais, sinal de tua natureza de semideuses que do verdadeiro Deus teu Criador teve uma centelha de seu pensamento criador, até a arte é corrupta e corrompe e repugna aqueles que, mais raros que pinheiros solitários, ainda sabem lembrar-se do Céu e permanecem tensos para o Céu.
Você é infiel. Infiel a Deus, país, família, cônjuge, filhos, parentes, amigos. Judas, que vende tudo por um brilho de dinheiro ou por um sorriso de cobra feminina, você nem sabe mais o que é a fidelidade que torna a alma segura em honrar a Deus acima de todas as coisas e a qualquer custo, que torna o coração heróico em defendendo a bandeira, que faz o amor com quem te ama sincero e a amizade com quem confia em ti constante.
Você é briguento . E em todas as ocasiões você se torna uma ferramenta para facilitar seu instinto de besta para soltar e afundar suas presas em sangue fraterno.
Você é um mentirosoporque dizes que ama a Deus, à pátria e à família, mas o dizes só com os lábios, pronto a trair tudo e todos se esperas ter lucro na Terra. E como, de acordo com sua alma cega, pouco pode vir diretamente de Deus, você faz de Deus um trampolim para você ganhar a estima dos homens ao nomear Deus, usando a hipocrisia para ter uma boa aparência e obter o que deseja. aparência de cordeiros, ou bodes hipócritas cheios de pecado.
Vocês são opressoresporque, não seguindo minha lei de caridade, é inevitável que você caia na lei oposta, e você acredita que o delito é lícito enquanto lhe convém: portanto, você odeia seus semelhantes e os oprime e, por sua os colegas são duros de coração, eles sabem como se levantar, oprimir aqueles que não reagem porque são “filhos de Deus” no verdadeiro sentido da palavra.
Contaminantes de tudo que você toca . É o olhar, mesmo o seu olhar, uma contaminação, homens cheios de apetites obscenos. É a palavra destinada a seduzir como o silvo de seu verdadeiro pai: a Serpente infernal. É o pensamento que dá origem a obras que são veneno da mente e dos olhos, de modo que o estímulo do seu veneno desce para perturbar os sentimentos e despertar os sentidos.
Invertido nos sentidos. Nunca antes, fruto de séculos de vício, essa característica, que o torna inferior aos brutos, é generalizada. Nem você luta contra isso, mas, como você é depravado, você fica satisfeito com isso e o explora para suas bolsas. Você enoja os demônios. E não digo mais por respeito ao meu porta-voz.
Isso lhe dá a idolatria de significado e poder que você agora pratica tão seriamente. E vocês se abandonam sem pensar que disso e dos frutos disso vocês serão punidos por Aquele que vê.
Não sou um deus de carne ou barro que nem sempre está presente ou que não tem olhos para ver. Eu sou aquele que é, [550] e que onde quer que esteja, e do alto do meu trono examino e observo as obras dos homens.
Eu sou Aquele que falou para lhe dar uma maneira de conduzi-lo. O que eu disse eu disse, e no decorrer de milênios isso não muda. Eu sou o Eterno, Único Deus. Eu sou o Senhor teu Deus de quem não há outra cópia. Sou único na minha Santíssima Trindade.
Malditos aqueles que não se importam comigo e me repudiam para seguir a Besta”.

[545] de que fala Paulo , no discurso relatado em Atos 17, 22-31 . Ao lado da data, o escritor escreve a lápis a referência a Sapienza 13-14 .
[546] Ele os criou macho e fêmea , como lemos em Gênesis 1:27 .
[547] Deus diz , como em Gênesis 3, 19 .
[548] porque… , como se diz em Mateus 5, 27-28 .
[549] quatro dias , com referência à morte de Lázaro, em João 11, 17,39 .
[550] Aquele que é , conforme definido em Êxodo 3, 14 .

CAPÍTULO 168


6 de novembro de 1943

   Jesus diz:
«Sei que estás enfraquecido e fraco. Eu sei e julgo você levando isso em consideração. Eu não seria mais justo se não levasse em conta sua fraqueza e as obras do Maligno.
O que me torna severo é que muitas [vezes] você não cai por fraqueza ou armadilha demoníaca. Cair conscientemente . Você deliberadamente se joga no abismo dizendo a si mesmo: “E o que me importa Deus?”. É então que eu te chamo “Judas” [551] . Você me vende com meu precioso Sangue. Você me entrega nas mãos de Satanás, dando-lhe sua alma, que é minha porque eu a comprei de volta com a minha morte. Vocês me traem chamando a si mesmos de cristãos, mas realizando obras anticristãs.
Judas também consumiu a Eucaristia e Comigo no peito foi pegar o dinheiro do escambo e com as mãos contaminadas por esse dinheiro me abraçou para me sinalizar ao inimigo. Judas te enoja. Mas o que você está fazendo de diferente quando tenta explorar sua posição como cristão para seus próprios fins e não serve aos interesses de Cristo? Você os serve tão pouco que deixa para ir atrás do Sedutor.
Quanta misericórdia terei para aqueles que caem com vontade contrária à queda e se arrependem de sua queda! Uma, duas, dez, cem quedas não maliciosas não ferem mortalmente o Amor. São arranhões mútuos, que suas lágrimas curam e meu amor cura. Tu me dizes: “Tem piedade, Senhor” e eu te digo: “Vem, pobre filho, ao Pai”.
Você é sempre meu até que o amor se extinga em você. E é pelas crianças feridas que dei o meu Sangue. Portanto, seja justo e misericordioso com você como eu sou. Esforce-se para me conhecer e amar para não privar sua alma do direito à alegria eterna.
Volte para o caminho da Vida. Meus mandamentos são assim. Tente tê-los presentes ao longo do dia. Pois se então a fraqueza o arrasta para erros leves, asseguro-lhe que não deve desmoronar. Amanhã você fará melhor do que hoje e depois de amanhã melhor do que amanhã. Uma planta cresce lentamente. Uma nova raiz a cada dia, uma nova folha a cada dia. Mas quando ela cresce como ela é linda! Assim é a perfeição, crianças. É conquistado passo a passo.
Mas o que você acha, que eu darei uma recompensa menor para aqueles que não foram subitamente altos? Não, pelo contrário. Entre aqueles que foram santos por minha graça e aqueles que quiseram ser santos contra sua natureza, olharei duas vezes apaixonado por este herói do amor. A recompensa na eternidade é única: a visão de Deus. Mas o abraço inicial da união entre o lutador vitorioso contra a carne, o mundo e o diabo, que toda a sua vida terá nele agitado sua essência serpentina, mil vezes cortada e mil vezes ressuscitado, será intenso com um êxtase especial.
Te digo. Acredite em mim, verdade. Quão urgente é a necessidade dessa lembrança em você agora! Você morre sem lembrar que é um cristão. Volte-se para Cristo. Diz [552]Sabedoria: “E quem se voltou para aquele sinal não foi curado pelo que viu, mas por ti, Salvador de todos”.
Aqui, ou crianças. Não se cure de seus males individuais e públicos porque você não sabe como Me ver . As práticas não contam, a retaliação cria um mal maior, a vingança mata quem as faz mais cedo do que quem as recebe, [553] os abrigos caem sem te reparar. Mas se você viesse a Mim, você seria salvo. Sobre a vida desta Terra e a do além.
Repito meu desejo. [554] Façam- se muitas adorações à Cruz, que é o trono do poder de Jesus, vosso Salvador . Como a cobra [555]levantado na cruz tinha o poder de curar os judeus, então eu, o imortal, levantado na cruz, terei o poder de pôr em fuga o que te assusta e atormenta, porque eu sou o Senhor da vida e a morte e posso colocar a vida onde a morte já está se aproximando e superando a morte chamando de volta à vida.
Ninguém, exceto eu, pode fazer isso. Satanás pode lhe dar todos os poderes, mas não aquele para invocar o movimento vital. De fato, ela os instrui a quebrar vidas em ódio ao Doador da vida, que, para nutri-los não apenas para a vida corporal, para a qual ele os faz germinar e espigar trigo, mas para a vida espiritual, lhes dá o Pão que os anjos adoram, pois ele é a Carne do Filho de Deus. Ele a dá a você, pedindo-lhe nada além de amor e fé em troca, e de fato, como um santo Mendicus, ele implora que você o receba em você, pois isso faz dele seu alegria de estar com você.
Em você esse Pão se transforma em Vida e Graça, se transforma em Saúde, em Luz, em Alegria, em Sabedoria. Você se torna tudo quando você é um com o Filho de Deus. A Palavra do Pai fala docemente quando é como um coração em seu ventre. E é a minha Palavra que preserva para a vida eterna aqueles que não renunciam à sua filiação sobrenatural.
Bem-aventurados aqueles que não só te amam, ó Pensamento do Pai que o Amor faz Verbo, nas horas de alegria, mas que antes mesmo de haver alegria, mesmo sob nuvens de furacão, te bendizem, Luz que não conhece pausas no brilho. Bem-aventurados aqueles que sabem louvar-te com lágrimas no coração e confiam no coração e estão certos da tua misericórdia. Em verdade vos digo que quem com o mais belo ato de fé souber esperar em Deus, enquanto as trevas se aproximam trazendo desespero, conhecerá o Sol eterno.
Poucos, muito poucos, esses verdadeiros crentes. Nesta noite de desamparo que emergiu do inferno, espíritos doentes caem como folhas podres da água e rasgados pelo vento. Seu peso os arrasta e, para aumentar a carne, eles têm Satanás que os mantém cegos e apertados para evitar que tenham uma ânsia de elevação que seria suficiente para salvá-los. O medo, o desânimo os embotam, o vício os paralisa, o desespero os queima. São ruínas que estremecem com sombras fátuas e não sabem que devem tremer por si mesmas, matadoras de sua imortalidade.
As igrejas estão vazias, os altares não têm adoradores, o Pão místico não é procurado, as virtudes trinas estão definhando ou mortas e as cardeais igualmente.
Há dificuldade e esforço caótico para buscar salvação e desprezo, desprezo, desprezo pelos filhos da Luz, mais do que desprezo, desejo de opressão para extinguir aquela Luz que eles odeiam. Mas quanto mais vos desprezam e vos pisam, queridos filhos que são a minha luz trazida aos homens, tanto mais este pobre mundo cairá nas trevas. Crime [556] e crimes formarão um muro e barreira à Luz. E sob esses abrigos pesados ​​a humanidade perecerá em uma prisão desesperada.
Rejeite os sinais que te mando do céu e ria dos avisos sobrenaturais. Sinta-se livre para acreditar que tudo é legítimo. Quando você menos acreditar, eu lhe darei um sinal diante do qual você cairá aterrorizado e a raiva que você agora lança contra os indefesos será lançada sobre você.
Esse sinal sou Eu. Quando eu aparecer, não na Terra – o tempo ainda não chegou – mas espiritualmente para os filhos da ira e o pai do extermínio, suas armas e as dele cairão como pó quando o vento cessar. E se da Terra, em vez de maldições, tivessem subido orações, já teria sido essa minha aparição, e vocês teriam sido libertados, desgraçados que tremem e não sabem como chegar aos que te amam, de teus terrores.
Eu estou ganhando. Eu sou quem eu conheço. E ver vocês correndo aqui e ali como ovelhas assustadas seguindo os conselhos mais tolos, obedecendo aqueles que são, além de tolos, perversos, é uma grande dor para mim. Eu gostaria de morrer uma segunda vez para abrir os olhos de sua alma e fazer de você aquele povo santo, grande e glorioso, que Deus se propôs a fazer quando criou o Primeiro Pai. Eu gostaria de criá-lo uma segunda vez para não vê-lo tão distorcido pelo meu Pensamento. Mas o que é, é.
Eu falo com todos. Serei ouvido por alguns. Inclusive menos. A sabedoria não é mais amada e não é mais compreendida. Mas aos seus fiéis a Sabedoria sempre dará força e luz na Terra, salvação e alegria além da Terra. Ela se dará, e o homem que a serviu e a mereceu estará entre os cento e quarenta e quatro mil de que fala João, [557]e será dele a santa Jerusalém, onde está o trono da Sabedoria que se sacrificou para se apresentar aos homens de boa vontade”.

[551] Judas , mencionado em Mateus 26, 14-16.20-25.45-50; 27, 3-10 ; Marcos 14, 10-11 . 17-21 . 41-46 ; Lucas 22, 3-6 . 19-23 . 47-48 ; João 13, 21-30; 18, 1-9 .
[552] Diz em Sabedoria 16, 7 . Mas logo no início, junto à data, o escritor colocou a lápis a referência ao capítulo 15 , pois o presente “ditado” alude, pelo menos em princípio, a Sapienza 15 , com a qual já parece haver um contato no final do “ditado anterior”, onde se fala de “um deus de carne ou barro” ( Sabedoria 15, 8 ).
[553] recebe-os… Referindo-se aqui com uma cruz, anota o escritor em baixo, entre parênteses: isso também aqui alude ao bombardeamento do Vaticano ontem à noite?
[554] Repito o desejo expresso em 23 de Outubro.
[555] a serpente , mencionada em Números 21, 8-9, referida em João 3, 14-15 .
[556] O Crime… Recordando aqui também com uma cruz, o escritor anota em baixo, entre parênteses: talvez outra alusão ao bombardeamento da cidade pelo “filho da Luz”? E na palavra desarmado , algumas linhas abaixo, ele observa: (e aqui?) .
[557] de que João fala em Apocalipse 7, 4; 14, 1 .

CAPÍTULO 169


8 de novembro de 1943

   Jesus diz:
«“Agora e na hora da morte”. É a invocação [558] que se reflete no “Livrai-nos do mal”. Você não pensa sobre isso, mas é assim. Eu te dei uma Mãe além de um Pai e, se você pedir ao Pai que se liberte do Mal, você não dirá à Mãe que mantenha longe de você a morte que é o mal?
Mas pense com a mente elevada em Deus e peça com a inteligência dos filhos de Deus. Você não precisa se preocupar tanto com o mal e a morte no sentido humano da palavra, mas com o mal e a morte no sentido sobrenatural, o mais verdadeiro , porque sua corrente é uma vestimenta que descansa, sua morada atual é que você parte, mas além deste dia espera por você um futuro em que você se tornará possuidor do que é verdadeiro de você.
E ai de ti se por tua perversidade escolheres para ti a parte amaldiçoada. A morte do espírito não vem uma vez antes de sua alma. Ele vagueia ao seu redor durante todo o seu dia terreno, porque o doador da Morte não deixa um minuto para se aproximar de sua presa. Nem sempre está dentro de você essa vigilância e essa força que inutilizam as artimanhas do Inimigo. Sua fraqueza o leva ao torpor, seus apetites carnais ao desejo de comida, no qual você encontra a morte.
Mas você tem uma Mãe no Céu, uma Mãe que vê o Sangue de seu Filho sobre você e que te ama por esse Sangue como seus próprios filhos. Uma Mãe que é poderosa com Deus devido ao seu triplo status de Filha, Noiva e Mãe de Deus.
“Agora”: rezem a Maria pelo vosso presente de homens, ameaçados por tantos perigos. “E na hora da morte”: reze por si mesmo no momento decisivo da vida. “E na hora da Morte”, isto é, quando seu espírito atingido pelo Mal pode perecer.
Maria é a Vencedora de Satanás. A verdadeira morte, a do espírito, não virá naqueles que sabem rezar à Mãe pela hora da vida, pela hora da terra, pela hora da tentação e pela hora da morte.
Como filhos sob o véu da mãe, a oração de Maria protege-vos do ardor dos sentidos e do diabo, faz-vos crescer em Cristo e entrar no seu Reino. E se Cristo pode ressuscitar os mortos para a Graça, Maria, verdadeiramente amada, impede que a Morte os separe de seu Filho”.

[558] a invocação , que está na oração da Ave-Maria , é colocada em relação com o “Livrai-nos do mal” que está na oração do Pai Nosso , ensinada por Jesus em Mt 6, 9-13 ; Lucas 11, 2-4 .

 

CAPÍTULO 170


9 de novembro de 1943

   Jesus diz:
«“ Que paz? As fornicações de sua mãe Jezabel e seus numerosos venenos ainda existem ” [559] .
Eu havia dito [560] que para obter a verdadeira paz, e não parar na guerra, era necessário tirar de vocês o que é fornicação com Satanás. Disse-o pela boca dos meus santos e fiz com que a minha Mãe o dissesse. Venho repetindo isso há décadas e você insiste nisso há décadas. Eu lhes disse com uma palavra urgente nos últimos tempos. Mas você não mudou. De fato, cada vez mais você fez da fornicação com Satanás sua forma de vida.
Você colocou tudo diante de Deus. E esse Deus que você invoca na hora do medo é para você uma entidade tão distante, desconhecida, que se você fosse consistente não teria mais que invocar ou blasfemar, tanto você se distanciou dele. Até suas invocações são blasfêmias, porque você o chama com lábios sujos, porque você o invoca enquanto ainda é um com Satanás, porque você ousa misturar seu santo nome com seus planos de crime.
A paz foi prometida [561]aos homens de boa vontade. Cristo veio trazer a Paz. Mas se você expulsar Cristo e sua vontade não for boa, como você pode ter paz? Você tem paradas. Mas não serão mais do que pausas entre uma e outra carnificina, para dar tempo aos vossos espíritos vendidos a Satanás para aprenderem com ele novas doutrinas de morte e novos instrumentos de destruição.
Morte às almas e morte às carnes. Destruição de espíritos e destruição de coisas. Seu crescimento em Satanás é impressionante. Em breve você terá atingido a idade em que nada mais terá que lhe ensinar, e então o Inferno poderá dar à luz seu filho: o Anticristo, porque os tempos estarão maduros e os homens terão merecido conhecer o horror que precede o fim.”

[559] novamente”. Aqui o escritor insere a referência bíblica a lápis, que no neo-vernáculo corresponde a 2 Reis 9, 22 . Esta é a resposta de Jeú a uma pergunta de Ioram, relatada como está na versão da Bíblia de propriedade do escritor (nota de rodapé de 4 de novembro).
[560] Eu havia dito , por exemplo, em 15 de agosto.
[561] promessa , em Lucas 2, 14 .

CAPÍTULO 171


10 de novembro de 1943

   Jesus diz:
«Mesmo que se faça a observação que repito para mim mesmo, não me afasto do meu propósito. Mesmo os pecados dos homens se repetem, apesar de todas as advertências, com uma monotonia desanimadora. Ao som de sua voz de culpa, contraponho minha voz de justiça, para que não se diga que não falei e sou acusado de tê-los deixado em erro.
Minha Voz vem dizendo as mesmas coisas há 20 séculos e essa acusação não deveria acontecer. Mas o homem, que acha conveniente esquecer o que é condenado por seus delitos, sempre diz que não sabia disso ou daquilo. É uma desculpa que o desonra e rebaixa porque ela é uma mentirosa e porque, por mais mentirosa que seja, ela acusa sua inteligência de ser imperfeita e sua memória danificada.
Como podemos deixar de lembrar os ensinamentos repetidos e repetidos? Vocês se colocam abaixo dos brutos que aprendem o que o homem lhes ensina. Você, tão orgulhoso, não pensa que isso é uma grande vergonha para o seu orgulho?
Maria, escreve mais uma vez a explicação da parábola [562] do semeador. Vou ditar a você para uma categoria especial de pessoas cujo erro me entristece. Erro de imprudência em alguns, erro de orgulho em outros, erro de rebelião em outros ainda e de escândalo na outra categoria.
A parábola diz que parte da semente caiu no caminho e foi bicada pelos pássaros. A segunda parte caiu na pedra e vestiu ràdiche, mas imediatamente murchou por falta de humor. O terceiro caiu entre os espinheiros e sufocou. A quarta, que caiu em solo bom, cedeu em graus variados.
A Palavra de Deus é a semente da vida eterna. Mas a Palavra está muito prejudicada e por muitas coisas. Deixo essas muitas coisas e falo apenas de uma coisa, eu diria tão mortal quanto, talvez mais , do próprio pecado. E nenhum espírito de pusillus deve se escandalizar se eu disser que talvez seja mais mortal que o pecado. É verdade.
O pecador cuja mente não está corroída pelo ácido do racionalismo tem noventa chances de saber acolher a Palavra e encontrar a Vida. O racionalista tem apenas dez e até menos chances de manter-se capaz de salvação através da Palavra.
Pior que a erva daninha é o racionalismo . Quando você vir sua obra, quando tudo da Terra e dos homens for conhecido, verá que essa heresia foi a mais perniciosa porque foi a mais sutil e a mais penetrante. É como um gás. Você a absorve e ela te mata, mas você não a vê, às vezes você nem sente o cheiro, ou o odor, sendo agradável, é inalado por você com prazer. Igualmente é o racionalismo.
As grandes heresias tinham duas coisas boas nelas: em primeiro lugar, elas se originaram de uma fé. Errado como você pensa, digno de condenação como você pensa. Mas sempre uma fé. Eles, portanto, tiveram seus mártires, suas lágrimas, suas lutas para se afirmar, e as almas justas os embelezaram ao longo dos séculos com luzes de santidade que não têm desvantagem para eles além de serem florescidas em uma árvore maligna não enxertada em Cristo. A segunda coisa boa das heresias é o grande barulho produzido por elas, de modo que quem não queria pertencer a elas sabia como não pertencer a elas. As mesmas lutas com a Igreja e com os Estados eram um sinal para os católicos, constituíam uma fronteira além da qual se ia apenas conscientemente.
Isso falta ao racionalismo e penetra despercebido mesmo onde se acredita que não pode entrar. Entra por mil buracos, como uma cobra. Ele se veste com roupas legítimas, de fato admiráveis, e age sob elas, mas contra elas. É um vírus. Quando se percebe, já o espalhou no sangue e dificilmente se livra dele.
A reação do pecado é violenta sob o raio da Minha Misericórdia. Mas a do racionalismo não é nada . Como um espelho em chamas, torna impraticável o caminho para a graça e o rejeita. Pelo contrário, faz-se dele um ardor nocivo para acabar de dar a si mesmo a própria condenação.
O racionalista faz com que as coisas de Deus sirvam ao seu propósito. Não ele mesmo para o propósito de Deus. Ele dobra, explica, usa a Palavra à luz, pobre luz, de sua mente perturbada e, como um louco que já não sabe o valor das coisas e das palavras, dá-lhes significados que só podem sair do mais astuto. obra de Satanás esterilizou.
Existem racionalistas e racionalistas. Vou começar pelos mais velhos . Os “super-homens”. Os negadores de Deus querem explicar a Criação, o Milagre, a Divindade, segundo seus conceitos cheios de orgulho humano.
Onde há orgulho, não é Deus . Tenha certeza disso. Onde há orgulho não há fé . Existe Satanás, e Satanás é o malabarista mais habilidoso para seduzir o homem e fazer com que a folha de papel alumínio apanhada na lama pareça ouro puro.
Esses negadores de Deus, que acreditam estar desanimados por aceitarem humildemente o que não podem explicar apenas por sua capacidade mental, e mataram dentro de si a capacidade de amar, são os gigantes do racionalismo.
Eu não dou uma palestra para os homens e, portanto, não cito nomes. Você pode colocar os nomes por conta própria. Para Mim são estrelas mortas, precipitadas em migalhas na lama. Eles não têm mais nome ou têm apenas um que será queimado no Dia da Justiça em suas frontes protuberantes e em seu coração mais ressecado que uma pedra.
Eles passam a vida devastando. São piores que uma avalanche e um furacão, piores que uma demência, piores que uma febre. Onde eles vão eles matam.
Nestes a Palavra não desce de forma alguma. Muitas coisas estão sobre eles para impedir a Palavra. Eles são uma das categorias dos “Mortos do espírito”. Rebelde e escandaloso.
segunda categoria são as humanidades cultas. Estes não negam a Deus, mas na simplicidade divina, que se tornou tal que até os mais humildes a podem compreender à luz do amor, põem toda uma sarça de erudição humana. Eles se vestem como pavões orgulhosos de sua cauda de cem olhos, e como pavões são bonitos apenas na aparência: não podem andar, não podem cantar no caminho e nos louvores do Senhor.
Falta-lhes amor, que é nervo para a asa voar para Deus e que é corda para a lira para bendizer a Deus. A Palavra desce sobre eles e cria raízes. Mas então ele morre porque eles o inundam e sufocam sob as folhas inúteis de seu conhecimento humano.
Você sabe como eles sentem a Palavra? Como quem ouve outro falando em outra língua desconhecida para ele. Ele ouve a voz e vê o movimento dos lábios, mas não entende nada. Também se assemelham a quem, com deficiência auditiva, grita enquanto o outro fala baixinho. Termina que o barulho de suas palavras encobre a voz do outro. Por muita erudição fazem Babel em si. Por muito conhecimento não aceitam as luzes, tão simples e puras, que Deus colocou para que o homem veja o caminho que o conduz ao Pai. E eles fazem Babel e trevas também para os outros.
Terceira categoria, aqueles que pavimentaram seus corações com as pedras do racionalismo alheio para torná-lo menos ignorante. Eles são os adoradores de ídolos humanos. Eles não sabem adorar a Deus com todos eles mesmos, mas sabem ficar em êxtase diante de um pobre homem que se apresenta como um super-homem. Eles fecham a porta à Palavra divina com desconfiança, mas aceitam as explicações de alguém semelhante a eles que tem fama de erudito.
Bastaria que pedissem humildemente a Grace que os iluminasse e os instruísse sobre o valor dessas notas, e Grace lhes mostrasse como essas explicações, essas doutrinas se baseiam em suportes corroídos na base por vermes e moldes, e como essas vozes estão desafinados e divergentes daqueles de Deus.
Eles querem ser educados e super-homens, e pegam a primeira comida que vêem. E os ídolos são pomposos e prometem divindades a todos. É a voz [563] da Serpente: “Coma deste fruto e você será como Deus”. E eles comem em sua ignorância.
Um é o fruto que faz de vocês deuses, ou homens. A que está pendurada na minha Cruz.
Um é aquele que diz [564] às vossas mentes: “Effeta”. O Cristo.
Uma é aquela que fertiliza o solo místico do seu coração para que ali nasça a semente. Meu sangue.
Um é o sol que aquece e faz crescer em você o ouvido da vida eterna. O amor.
Uma é a ciência que como um arado abre e lavra sua gleba e a torna capaz de receber a semente. Minha Ciência.
Um é o Mestre: eu, o Cristo. Venha a Mim se você quer ser ensinado na Verdade.
A quarta categoria é a dos imprudentes. São caminhos abertos por onde tudo passa. Não se cercam de uma santa defesa da fé e da fidelidade ao seu Deus, acolhem a Palavra com grande alegria, abrem-se para recebê-la, mas também se abrem para receber qualquer doutrina sob o pretexto especioso de que se deve ser condescendente .
Sim. Tanta condescendência com os irmãos. Não despreze ninguém. Mas rigoroso nas coisas de Deus, orar pelos irmãos, instruir os irmãos, perdoar os irmãos, defendê-los de si mesmos com um verdadeiro amor sobrenatural. Mas não seja cúmplice de seus erros. Permanecer granito contra o desmoronamento das doutrinas humanas. Nada passa sem deixar rastro. E é uma grande imprudência colocar um ponto contra o coração. Pode tirar a vida ou marcar feridas que dificilmente cicatrizam e sempre deixam uma cicatriz.
Bem-aventurados os que são só terra de Deus e assim permanecem com assídua vigilância. Bem-aventurados os que, macios como o torrão que acaba de se mover, não têm pedras para seus irmãos nem pedras para a Palavra.
O amor faz delas almas adoradoras da Palavra e almas compassivas para com os desviados longe da Palavra. Mas o amor é a sua mais bela defesa e nenhuma obra má pode prejudicar o seu espírito no qual a Palavra da Vida cresce como um opulento ouvido. Quanto mais cresce lá, dando frutos onde de trinta, de cinquenta, de cem, mais neles o amor é vasto.
Para aqueles que a possuem de maneira absoluta, a Palavra torna-se sua própria palavra, pois eles não são mais, mas são um com Deus seu amor”.
Jesus diz:
«Pequeno Cristo que caiu debaixo da cruz, levante-se e tome a cruz e ande derramando lágrimas e derramando sangue.
Nem sempre a culpa é da pessoa. As vítimas caem pela dor dos pecados dos outros e pelo conhecimento do fruto dessa dor. E são as quedas mais sagradas, as quedas semelhantes às minhas, porque caíram por caridade.
Maria, as vítimas colocam duas cruzes em seus ombros esbeltos. A de seu Jesus, que eles querem levar, e a que seria um castigo dos irmãos. Para as vítimas, a quem o futuro é revelado, o oceano de dor causado pelos pecados dos homens aparece como um mar e, apesar do véu do choro, todo o choro futuro lhes é revelado.
Não adianta fechar os olhos, Maria. É a mente que vê porque, unida à minha, tem admiráveis ​​percepções minhas. É um presente. Mas é como o presente que os soldados de Pilatos me deram para me coroar rei: é um presente que dói. São espinhos. [565] Aqui estão os espinhos. Mas seja fiel a eles. Além serão rosas.
Veja além do pranto, além da escuridão, além do oceano de dor humana, cuja onda te cobre e te encharca – porque o lugar da vítima é como o quebra-mar de um porto e recebe sobre si a fúria das tempestades do mar aberto e ele quebra fazendo-se quebrar – veja, além do horror que o mundo cria, a terra da paz, a aurora da alegria, a vida de êxtase que te espera.
Além deste tormento, é o vosso Jesus que vos espera. Além dessas chamas está o frescor dos jardins eternos. Lá você não terá mais sede, mais fome, mais cansaço e dor. Serei sua fonte e alimento, serei seu descanso e alegria. Você descansará em Mim ao saber que Eu te amo e ser capaz de Me dizer que você me ama. Além desta vida pobre está o amor verdadeiro. Por enquanto é a cruz. Mais um pouco e eu vou. Agora escreva para os surdos de espírito. [566]
Isaías    diz : “Onde devo golpeá-lo novamente se você acrescentar outras prevaricações?”. E acrescenta a descrição de um corpo torturado, que Me aplicaram na hora da Paixão.    Mas não sou eu, vocês são os tão reduzidos pelo seu pecado . E se eu estava todo machucado e machucado, só estava porque naquele momento
Eu era como você é agora , atingi o domínio do pecado.
As obras de sua mente (o chefe) são obras doentias. Seu pensamento dificilmente está certo. Corrompido e comido pela tripla luxúria, você só pode gerar pensamentos doentios. Suas ações e obras trazem a marca de suas doenças mentais espirituais. Seus sentimentos, brotando de um coração tão doente quanto a mente, são ainda mais queimados pela luxúria e pelo orgulho. Chamá-los de sentimentos é impróprio: são ainda menos de sentidos , acreditem ou homens famintos de sensualismo e egoísmo. Seu motor não é mais amor. É o interesse, a satisfação, o orgulho. Profanador de si mesmo, você escraviza seus membros e órgãos aos seus desejos doentios.
Onde está o seu espírito? Na carnificina onde as coisas que morrem apodrecem. Quanto espaço para o seu espírito eu lhe dei! E você deprava seu espírito para querer a prisão e pervertê-lo para obras de prisão, e com isso todos vocês. Vocês arruínam um ao outro e não há bálsamo para suas feridas, porque aqueles que lhe dariam esse bálsamo são massacrados e mortos por você.
Venha a Mim mais algumas vezes. E por que você vem lá? Para me tornar cúmplice de suas ações assassinas? Deus não se presta a matar. Você está vindo por medo de ser morto? Então por que você mata? Não adianta me oferecer ofertas quando além da mesa límpida vejo sangue escorrendo de suas mãos, podridão de seus corações, e acima do murmúrio mentiroso das orações ouço assoviar os maus pensamentos que fervilham em suas mentes.
Falsos cristãos, você me enoja. Perto do meu altar você me parece Judas. Não é vendendo os irmãos, não é roubar, não é matar, não é mentir, não é fornicar, não é corromper que se pode dizer ser meu fiel. Eu lhe disse com minhas palavras extremas [567] como um Mestre – e, mesmo entre vocês, quando alguém está em agonia, ele nunca mente – o que deve ser feito para ser meus amigos e ter meu Pai com você e seus. Eu disse para você ser puro, bom, caridoso, obediente, eu disse para você acreditar em minha Palavra e seguir meus ensinamentos, eu disse para você permanecer unido a Mim para não morrer.
Você tem feito isso? Não. E você morre disso. Eu olho para longe de vocês porque vocês são tantos discípulos traidores para Mim. E se é verdade que eu também gostaria de resgatar o Iscariotes, porque sou Todo Amor, não é menos verdade que, quando o vi perto da Mensa [568] e perto do Jardim depois de já ter fechado o infame mercado , tudo em Mim é levantado com desgosto.
Não te fecho as portas da Vida e da Paz. Mas no reino da Vida e da Paz os seres impuros não devem circular. Mergulha nas benditas cisternas onde a púrpura do meu Sangue torna brancas as tuas estolas manchadas. Mergulhe nas chamas do Amor sacrificando seus amores imundos a um amor que o torne digno de sua origem e de seu objetivo. Eu me destruí para fazer de Mim um fogo purificador para os pecados dos homens.
Por favor, não peque. Basta querer. Eu farei o resto, que te amo divinamente. Diga a si mesmo: “Não queremos pecar”. E tente não. Como doente de uma terrível doença, agora superada, dia a dia você verá a febre do mal cair e a força da saúde aumentar. Seu gosto retornará ao que é bom e benéfico. A serenidade, que você agora busca em vão através de seus divertimentos lascivos e suas buscas impiedosas de egoísmo, fluirá de volta para você através da retidão e compaixão que você mais uma vez exerce. Ser bom, ou criança, torna a alma semelhante à de uma criança: confiante, alegre, leve, em paz.
O reino dos céus, eu disse, [569]pertence àqueles que se fazem semelhantes às crianças. Mas você terá uma antecipação desse reino abençoado ainda na Terra se você vier ao Pai com sua alma devolvida inocente, pois Deus ama as criancinhas e, diante de uma alma que sabe se tornar pargola por amor a ele e volta pura, honesto, amoroso, fiel. , abre as barragens da Misericórdia fazendo fluir torrentes de graça.
O mundo moribundo precisa dessa lavagem de Misericórdia para limpar toda a sujeira e todo o sangue e se cobrir com bens para as necessidades dos homens.
Não é a ferocidade que dá pão e riqueza. Acredite. A benção divina não tem ferocidade, e onde falta, ainda que semeie grãos, nasce a cicuta e se cria cordeiros, eles se transformam em hienas.
Não, crianças. Volte para o Senhor, e Deus repetirá para você, quando você voltar para sua casa, o milagre [570]do maná antigo. Nada é impossível para Deus e nada é impossível para o homem que vive em Deus.”

[562] parábola que está em Mateus 13, 3-9.18-23 ; Marco 4, 3-9.13-20 ; Lucas 8, 4-8.11-15 . Teve aplicações nos “ditados” de 5 e 24 de julho e 25 de outubro.
[563] voz , que fala em Gênesis 3, 4-5 .
[564] ele diz , como em Marcos 7, 34 .
[565] espinhos , como os da coroa mencionados em Mateus 27, 28-29 ; Marcos 15, 17-18 ; João 19, 2-3 .
[566] Diz… E acrescenta… em Isaías 1, 5-6 .
[567] palavras extremas que são relatadas sobretudo em João 13-17 .
[568] na Mensa… no Jardim… , como na nota sobre Judas ao “ditado” de 6 de Novembro.
[569] Disse -o em Mateus 18, 1-5 ; Marcos 10, 13-16 ; Lucas 18, 15-17 .
[570] milagre , que é narrado em Êxodo 16 .

CAPÍTULO 172


11 de novembro de 1943

   Jesus diz:
«Olhemos juntos para os tempos que, como uma aurora plácida que surge numa noite de tempestade, precederão o Dia do Senhor. Você não estará mais lá. Mas do lugar de seu descanso você se alegrará, porque verá a luta do homem perto do fim e já a dor se desvanecerá para dar aos vivos tempo para se recuperar da última breve convulsão da Terra, antes de ouvir o comando que reúne em todos, em sua vida e em todas as suas posses, desde o tempo de Adão em diante.
Eu já te disse. [571] A minha Igreja terá o seu dia de hosana antes da paixão extrema. Então virá o triunfo eterno.
Católicos – e o mundo inteiro conhecerá então a Igreja Romana, porque o Evangelho ressoará dos pólos ao equador, e de um lado do globo ao outro, como um bando de amor, a Palavra irá – católicos, ferozes luta da qual este é apenas o prelúdio, fartos de matar-se e seguir governantes brutais, com uma sede insaciável de matar e uma violência insuperável, eles se voltarão para a Cruz triunfante, redescoberta depois de tanta cegueira. Acima de tanto rugido de massacres e tanto sangue ouvirão a Voz que ama e perdoa e verão a Luz, mais branca que o lírio, que desce dos Céus para instruí-los nos Céus.
Como uma marcha de milhões e milhões de tribos, os homens irão com seu espírito em direção a Cristo e depositarão sua confiança naquele que está na Terra.em que não tenha sede de opressão e desejo de vingança.
Será Roma que falará. Mas não a Roma mais ou menos grande e duradouramente grande que os líderes do povo podem obter. Será a Roma de Cristo. Aquele que conquistou os Césares, os derrotou sem armas e sem lutas, com uma única força: o amor; com uma única arma: a Cruz; com um único oratório: a oração. Será a Roma dos grandes Papas, que em um mundo obscurecido pelas invasões bárbaras e atordoado pela destruição conseguiu preservar a civilização e espalhá-la entre os incivilizados. Será Roma que enfrentou os arrogantes e pela boca de sua santa Idade Antiga soube tomar o partido dos fracos e colocar o aguilhão de um castigo espiritual mesmo naqueles que aparentemente resistiram a qualquer remorso.
Vocês não podem chegar a um acordo duradouro entre vocês, povos diferentes. Todos vocês têm as mesmas aspirações e as mesmas necessidades, e como uma balança o peso da maioria de um é em detrimento do outro. Você vive para sempre ter a maior parte e se mata por isso. É uma história alternativa que se torna cada vez mais séria.
Ouça a voz daqueles que não têm sede de domínio e querem reinar, em nome de seu santíssimo Rei, somente sobre os espíritos . Chegará o dia em que, desiludido com os homens, você se voltará para Aquele que já é mais espírito do que o homem e retém o que é necessário da humanidade para fazê-lo persuadir de sua presença. Sairá da boca dele, que eu inspiro, a palavra parecida com a que eu te diria, Eu, Príncipe da Paz. Ele vos ensinará a pérola mais preciosa do perdão mútuo e vos persuadirá de que não há arma mais bela do que a relha e a foice que fere a gleba para as tornar opiáceas e que corta as ervas para as tornar mais belas. Ele vos ensinará que o esforço mais santo é aquele que se faz para conseguir um pão, uma roupa, uma casa para os irmãos, e que só amando como irmãos não há mais conhecimento do veneno do ódio e da tortura das guerras .
Filhos, comecem a marcha para a Luz do Senhor. Não vá mais tateando na escuridão cega. Meus amados na cabeça, superando todos os medos humanos desde que estou convosco, ou mais caro ao meu Coração, os outros arrastados pelo exemplo dos meus santos, comecem este novo Êxodo para a nova Terra que vos prometo e que será vossa mesma Terra, mas mudada pelo amor cristão.
Separe-se daqueles que são idólatras de Satanás, do mundo e da carne. Sem desprezo, parte com isso. O desprezo não ajuda. Arruinar sem beneficiar. Mas separe-se deles para não ser infectado por eles. Ame-os com um amor redentor, colocando sua fé em Cristo entre você e eles como um baluarte. Você não é forte o suficiente para poder viver entre eles sem perigo. Muitos séculos de decadência espiritual cada vez mais forte o enfraqueceram. Imite os primeiros cristãos. Saiba viver no mundo, mas isolado do mundo em virtude de seu amor a Deus.
E nunca se curve a acreditar que o miserável que não difere dos brutos é um super-homem, porque como eles ele tem toda a sua melhor parte no instinto: a única coisa que não o torna pior que um bruto. O Profeta diz:[572] «Deixa, pois, o homem que tem o espírito nas narinas». Eu quero que você interprete a frase neste sentido. O animal sem fôlego nada mais é do que roupas imundas. Sua única vida está na respiração. Fechadas as narinas a essa respiração, ela deixa de existir e se torna uma carniça.
Há muitos homens que não são superiores a ela, não tendo outra vida senão a vida animal, que dura enquanto durar sua respiração. O espírito está morto, o espírito foi feito para os Céus. Portanto, é correto dizer que há homens que têm como espírito o sopro de suas narinas e dos quais é melhor estar espiritualmente distantes, para que o sopro de Satanás e da bestialidade que vem deles não afete sua humanidade e torná-la semelhante à deles.
Orem por eles, seus abençoados. Isso é caridade. E então é isso. As palavras não entram fechadas à Palavra. E não pense que é exaltado quem fuma e sopra sua arrogância e orgulho de suas narinas como uma fera furiosa. Excelso é aquele que tem o espírito vivo e é, portanto, filho de Deus. Os outros são pobres coitados cuja elevação fictícia está fadada a um grande colapso e cuja memória sobrevive apenas como lembrança de escândalo e horror.”

[571] Eu disse isso em 29 de outubro. Ao lado da data, o escritor escreve a lápis a referência a Isaías 2, 2-4 .
[572] diz ele em Isaías 2, 22 , ao qual a própria escritora se refere inserindo uma anotação a lápis.

CAPÍTULO 173


12 de novembro de 1943

   Jesus diz:
«Quando chegar o tempo do meu reino pacífico – e virá porque o prometi e não falho as minhas promessas – todos os bons da Terra virão a Mim. Será o período de que falei para vós, [573] o período em que o espírito terá alcançado aquela evolução pela qual vos separareis espontaneamente em duas partes. Aqueles que vivem fora do espírito ficarão em suas trevas esperando ser uma milícia para o Príncipe do Mal. Os que vivem no espírito virão na esteira do santo Filho de Deus, o Germe do Senhor, amado e abençoado pelos homens em graça, que então entenderão o que agora é entendido por poucos escolhidos e saberão qual é a minha glória e que é deles como filhos de Deus.
Reunirei meus santos,porque é santo quem me ama e me segue, obediente e fiel . Eu os reunirei dos quatro cantos da terra. E por seu amor perdoarei as iniqüidades dos homens. A bondade dos santos extinguirá o rigor da Justiça, e meu amor e o dos santos purificarão a Terra com seu fogo. Como um grande altar a Terra será pacificada consigo mesma e com Deus, e neste altar o Mestre instruirá os homens no exato conhecimento da Verdade, para que os bons não vacilem quando Satanás, furioso por ver Cristo adorado pela humanidade, será desencadeado para a última batalha.
Luta de espírito contra espírito. Satanás se oporá ao meu Reino espiritual e à minha educação com sua guerra satânica contra os espíritos para enganar quantos puder, os mais fracos, e de suas reservas, de suas fortalezas, onde estão os que permanecem fiéis à Besta mesmo após a derrota de a Besta e de seu ministro, ele atrairá agentes de sedução para arruinar uma última vez a obra de Deus, cuja ruína começou ao pé da árvore [574] do Bem e do Mal.
A era satânica será três vezes mais feroz que a era anticristã. Mas será breve porque para os vivos daquela hora toda a Igreja rezará triunfante entre as luzes do Céu, a Igreja no purgatório rezará entre as chamas purgativas do amor, a Igreja militante rezará com o sangue dos últimos mártires.
Salvos serão aqueles que, enquanto as trevas e o ardor, as tempestades e os relâmpagos de Satanás perturbarem o mundo, saberão ficar à sombra do tabernáculo de onde brota toda a força, porque eu sou a Força dos viventes e quem se alimenta de Mim. com fé e amor unem-se à Minha Força. E estes serão poucos salvos porque, depois de séculos e séculos de meu amor pelo homem, o homem não aprendeu a amar.
Mas ninguém poderá me acusar se ele se perder. E o que mais eu poderia ter feito por vocês, ó filhos de Deus que preferiram vagar longe da casa do Pai e às vezes vender sua progênie divina ao Inimigo de Deus? Não diga que eu, poderoso, poderia impedir o mal de minar você e poderia torná-lo bom por minha autoridade. Então você teria sido menos merecedor do que o talo de grama que o pé pisa sem sentir, porque a grama nasce da semente obedecendo ao decreto de Deus. Ela nasce e cresce por si mesma. E não tem o menor cuidado do Altíssimo como vocês têm. Sol e orvalho tem um caule de Deus e um torrão de terra. Tens o intelecto para te conduzir, tens a Graça para te iluminar, a Lei para te regular, Eu como Mestre, meu Sangue para a salvação.
Eu te dei tudo e você me deu tão pouco, cada vez mais pouco! Com a paciência de Deus eu te curei e você sempre se voltou contra mim. Os menos culpados eram sempre idiotas. Você sempre temeu estar fazendo demais para o seu Deus que fez tudo por você.
É por isso que os castigos vêm até você. São ainda um apelo de amor para vos convencer de que existe um Deus e que os outros deuses, a quem servis com aquela fidelidade que Me negais, não vos podem dar senão promessas mentirosas e um mal certo. De castigo em castigo, aumentado à medida que aumentas a idolatria e a fornicação, chego a grandes castigos, e este é um deles, para que não mais uma fileira da minha vinha, mas toda a vinha esteja aberta e invadida, devastada e perturbada por ele a quem você serve e a quem eu deixo pode persuadi-lo de seus dons de morte.
Por isso vos digo: “Venham a Deus, chamem a Deus com verdade de pensamento e coração, e Deus olhará para o horizonte sangrento e Satanás torturador fugirá deixando-vos livres”.
Mas você não chama Deus. Basta pensar em fazer o mal comum com um único bem: aumentar sua riqueza, adquirir poderes cada vez mais elevados, gozar e gozar. Aqueles que sofrem – os melhores – não se importam. Muito menos de Deus. Pelo contrário, você se levanta para desafiar, ousando chamá-lo, ó blasfemos, para validar seus atos e pensamentos satânicos. Você o desafia a se mostrar porque diz a si mesmo: “Deus não existe. Nós somos Deus”. Na tua língua maldita e na tua alma já vendida Satanás acumula as brasas infernais e eu as acendo com a minha fúria.
Amaldiçoo-vos desde agora, serpentes em roupagem humana, e se as excomunhões dos meus santos e as execuções dos meus bons as tendes como pena de pardal que se cair sobre vós não dói – visto que sois possuidores de uma coração de granito – a minha maldição penetrará para atormentar-te, porque sou eu que abro os vales, escarpa as montanhas, separa os mares, sacudo a terra com a vontade do meu pensamento, e posso penetrar na pederneira do teu coração e esmigalhe-o como se fosse uma frágil bolha de vidro soprado.
Profanadores, mentirosos, iníquos, sejam amaldiçoados por todo o mal que fazem, por todas as almas que me lançam no desespero da bondade de Deus, que me corrompem com seus exemplos e que me roubam arruinando-os de todas as maneiras. Mas não se preocupe. Assim como serei justo e compassivo para com os fracos que com a tua força inclinaste para o mal, também serei justo e inexorável contigo. Acima desta Terra. Seu poder, suas riquezas roubadas, destiladas da dor de milhares de homens, se desvanecerão em suas mãos como fumaça de palha que queima porque está suja demais para ser guardada. Nem haverá qualquer defesa contra você que aprovou a medida.
Quem tem ouvidos para ouvir deve ouvir. Não estenda a mão manchada de sangue contra a brancura do Santo que fala em nome do Santo dos Santos e contra o santuário mais eleito do templo de Jerusalém, porque seus fundamentos foram batizados, ainda antes de serem iniciados, por o sangue de meus heróis, e suas pedras tinham as lavagens púrpura de infinitos mártires por orvalho. Nele [575] está a cama onde repousa a carne da minha Pedra escolhida, esperando para reerguer-se ao lado de seu Mestre. E eu juro a vocês que aquele lugar é muito mais sagrado do que o Templo de Salomão, e aos profanadores deste lugar, que já é o Paraíso – vocês entendem por quê – acontecerá o que aconteceu com todos aqueles que desafiaram a glória do Senhor. . ”

[573] Falei no dia anterior e várias outras vezes. Por exemplo, em particular sobre a separação espontânea “em duas partes”, em 21 e 22 de agosto (no segundo “ditado” de ambas as datas) e em 28 de outubro. Após a data do presente “ditado” o escritor coloca a referência a Isaías 4, 2-6 ; e abaixo, entre cinco parágrafos, ele insere a lápis a referência a Isaías 5: 1-29 .
[574] árvore , mencionada em Gênesis 2, 9,16-17; 3 .
[575] Nela , que é Roma , como anota o escritor em uma cópia datilografada, acrescentando: Porque toda Roma é um santuário por ter sido impregnada com o sangue e as virtudes dos primeiros cristãos .

CAPÍTULO 174


13 de novembro de 1943

   Jesus diz:
«Para merecer transmitir a Palavra de Deus é preciso ter lábios e corações limpos. Mundo do coração, pois é do coração que saem os movimentos que movem o pensamento e a carne .
Ai daqueles que não se mantêm puros e se atrevem a falar em meu nome com uma alma de pecado. Eles não são meus discípulos e meus apóstolos. Eles são meus predadores. Porque me roubam almas para dá-las a Satanás.
As almas, tanto as que seguem o padre com respeito e fé, como as que o observam desconfiadas, estão sujeitas a refletir, desde que tenham uma razão, sobre a conduta do padre. E se eles virem que aquele que diz: “Seja paciente, seja honesto, seja casto, seja bom, seja caridoso, seja longânimo, perdoe, ajude” é, ao contrário, tomado por raiva, dureza, bom senso, ressentimento, ‘ egoísmo, ficam escandalizados e, mesmo que não se afastem da igreja, sempre sentem um choque dentro de si. São como atropelamentos que vós – sacerdotes que não são vítimas do vosso sublime ministério, que vos faz continuadores dos Doze entre as multidões que vinte séculos depois têm sempre de ser evangelizadas, pois Satanás continuamente destrói a obra do Cristo e cabe a você reparar os ferimentos de Satanás – eles são golpes de aríete que você dá para a edificação da Fé nos corações. Mesmo que não caiam, ficam feridos, e então um ombro de Satanás é suficiente para fazê-los cair.
Muitos estão entre vocês que imitam o décimo segundo apóstolo e por baixos interesses humanos vendem as partes de Mim [577] – as almas que, banhadas em meu Sangue, eu vos confiei – ao Inimigo de Deus e do homem. O estado atual, para pelo menos cinquenta partes – e sou muito indulgente – depende de você, sal que se tornou insípido, um fogo que não aquece mais, uma luz que fumega e não brilha, pão que se tornou amargo e conforto que Tornou-se tormento, porque, eles vêm até você para apoio, você apresenta um todo eriçado de espinhos: dureza, anticaridade, indiferença, rigorismo dado às almas que vêm até você para ouvir a palavra de um pai em que há o eco da minha doçura , do perdão, da minha misericórdia.
Pobres almas! Troveja neles. E por que você não troveja para si mesmo? Faz você se parecer com os emuladores dos antigos Sinédrios? Mas esse tempo passou. Coloquei uma lápide sobre ela, porque ela merecia ser enterrada para não prejudicar mais, e sobre ela ergui meu trono de Misericórdia e Amor dado por uma Mesa e uma Cruz onde um Deus se faz pão e um Deus se faz um anfitrião para a redenção de todos.
Aprende de Mim, eterno Sacerdote, como se é sacerdote. Ser sacerdote significa ser angelical, significa ser santo. Em você as multidões devem ver o Cristo com total evidência . Ai! que você muitas vezes mostra a eles um aspecto mais parecido com o de Lúcifer.
Quantas, quantas almas pedirei contas aos meus sacerdotes! Repito a frase de Paulo.[578] E pensas que seria melhor confessar abertamente que já não podes permanecer assim, em vez de viver como vives. Só você me abjuraria. Permanecendo, afaste muitas almas de Mim. Deixe de lado tantas franjas e solicitudes de uma vez por todas.
Para o cultivo, volte aos Textos e peça a Deus que purifique sua mente e seu coração com o fogo da continência e do amor para entender como eles devem ser entendidos. Porque, sabe, fizeste das gemas ardentes do meu Evangelho seixos opacos sujos de lama, ainda que não os tenhas feito em seixos de anátema para apedrejar as pobres almas, dando às palavras de amor um rigorismo que congela e leva ao desespero .
É você quem merece essas pedras, porque se um rebanho é despedaçado por lobos, ou cai em uma ravina, ou se alimenta de ervas venenosas, de quem é a culpa noventa vezes em cem? Sobre o pastor preguiçoso ou crapulone que, enquanto as ovelhas estão em perigo, se diverte, ou dorme, ou lida com mercados e bancos.
Peça a Deus, por uma penitência de vida, que ele te purifique de tanta humanidade, que um serafim te purifique continuamente com a brasa ardente retirada do altar pelo Cordeiro, eu poderia dizer: do Coração do Cordeiro, que arde desde a eternidade pelo zelo de Deus e das almas.
A penitência não mata nada além do que deve ser morto. Não tema pela sua carne, que você deve amar pelo que ela merece: muito pouco, e que você ama como uma coisa preciosa. Meus penitentes não morrem disso. Eles morrem pela Caridade que os queima. É a Caridade que os consome, não são os cabelos e as disciplinas. A prova é que às vezes atingem idades longevas e com uma integridade física que os solícitos protetores da carne não alcançam. Meus santos extintos em tenra idade são os queimados na fogueira do Amor, não os destruídos pelas austeridades.
A penitência dá luz e agilidade de espírito porque doma o polvo da humanidade que se mantém firme até o fundo. A penitência te puxa por baixo e te lança para cima, em direção ao Amor.
Simplicidade, caridade, castidade, humildade, amor à dor são as cinco grandes gemas da coroa sacerdotal. Desapego da preocupação, longanimidade, perseverança, paciência são as outras joias menores. Eles fazem uma coroa de gemas pontudas que circundam o coração em um círculo. Mas é justamente por estar tão apertado, ser ferido, que esse coração aumenta seu esplendor e se torna um rubi vivo entre uma coroa de diamantes.
Eu nem mesmo digo a você: “Tende o coração [579] do meu Pedro”; Eu te digo: “Tende o coração do meu João”. Eu quero esse coração em você, porque foi o coração apostólico perfeito desde o alvorecer de seu sacerdócio até sua noite.
Eu infundo a mente de Peter com meus vigários, mas você tem que fazer seu coração. E esse coração é indispensável em quem é sacerdote para mim: desde o meu Santo Altíssimo, que é tão branco na alma e no pensamento como na roupa e que é a Hóstia maior nesta Missa sangrenta que a Terra celebra, ao meu ministro mais pequeno. que parte o Pão e a Palavra numa aldeia remota: um punhado de casas que o mundo não sabe trazer à sua superfície, mas que a Eucaristia e a Cruz fazem augusto como um palácio, mais do que um palácio: fazem-no semelhante ao templo máximo do cristianismo porque, num cibório de ouro cravejado de pérolas ou num cibório miserável, é o próprio Cristo, o Filho de Deus, e as almas que se prostram a ele – vestidos com o manto de púrpura e real do cardeal, ou coberto com uma batina humilde e panos pobres – eles são iguais a mim. Eu olho para o espírito, crianças. E eu abençoo onde vale a pena. Não me deixo seduzir pelo mundo,
Mude seu coração, sacerdotes. A salvação desta humanidade está muito em suas mãos. Não me deixe eletrocutar multidões de consagrados responsáveis ​​por imensas ruínas que de corações se espalharam pelo mundo”.

[576] é do coração que saem… , como se diz em Mateus 15, 19 ; Marcos 7, 21 . Ao lado da data, o escritor coloca a referência a Isaías 6, 6 (mas deveria ser: 6, 6-7 ).
[577] as partes de Mim , no sentido esclarecido na nota de 23 de setembro.
[578] as palavras de Paulo , talvez com referência às recomendações contidas em Timóteo 3, 1-12; 5, 17-25 ; Tito 1, 5-9 .
[579] o coração pode ter sido escrito no lugar da mente , como se deduz do parágrafo seguinte.

 CAPÍTULO 175


14 de novembro de 1943

   Jesus diz:
«Quando cumpristes o vosso dever – continuo a falar [580] a vós sacerdotes – autorizo-vos a dizer o que ensinei a dizer aos meus apóstolos enviados em missão à Palestina. Mas lembre-se de não se cansar cedo demais. Tenho repetido minha doutrina por três anos. Eu era Deus. Depois de três anos, um em cada doze Me traiu entre aqueles que estavam saturados de Mim. Infinitos outros Me abandonaram na hora da provação. Você finge ser mais solícito do que Eu? Mais poderoso? Mais obedecido?
Lembre -se [581] que se os irmãos são perdoados setenta vezes sete, os filhos espirituais – e todos os católicos são filhos para você: todos , sem exceção – devem ser perdoados setenta vezes setenta vezes.
Lembre-se que para você não há diferenças entre humanos e almas. De fato, há uma inversão de valores. O homem admira e reverencia o honesto, o bom, o puro. Você não deve admirar, mas amar aquele que é um infeliz espiritual. Quanto mais sujo, mais longe de Mim, e mais você deve ser pai e luz para ele. Nenhuma repugnância, nenhum cansaço, nenhum abandono, nenhum medo é concedido a você. Você tem que se curvar a todas as misérias. Você tem que procurá-los para curá-los. Você tem que amá-los para trazê-los ao Amor. Rejeitado, volte ao assalto; riram, aumentem sua caridade. Use coisas humanas para trazer almas para o sobrenatural.
E o que devo ensinar-lhe os doces truques do amor? Você nunca teve um pai, uma mãe, irmãos, com quem os usou para capturar um amor cada vez maior? Seus fiéis são filhos para você. Oh! um pai ser amado pelo filho quantas coisas ele estuda! O filho ainda é uma criança e o pai, cansado do trabalho, também se debruça sobre a cuna e repete as palavras doces para ouvi-las e depois dizer do inocente bocal. Ele é uma criança, e o pai se inclina para ensinar a criança a dar pequenos passos, e lhe mostra as flores e as estrelas, educa a mente para as primeiras sensações, para os primeiros pensamentos. Mesmo que seja um retardado, um tolo, o pai se esforça para abrir a mente do filho. Mesmo que fosse um homem indomável e caprichoso, com mil artimanhas tenta mudar seu coração.
E você? Por que você não tem coragem de pai para seus filhos espirituais? Eles são ateus? Isso não importa. Eles são luxuriosos? Isso não importa. São porões de vícios? Isso não importa. Ore e ouse . Hoje, amanhã, e depois de amanhã de novo, e sempre, sempre, sem se cansar.
Muitas vezes basta saber olhar uma alma com um olhar de amor verdadeiro para conquistá-la. Muitas vezes as almas não são tão más quanto você pensa que são. Eles estão enojados, estão doentes, estão envergonhados. Desgosto o que o mundo, e o clero entre ele, teve por eles. Doente porque Satanás superou a fraqueza deles. Vergonha de estar doente. Eles querem ser curados, mas têm vergonha de confessar suas doenças.
Dê-lhes o que eles não têm: amor santo. Vá conhecê-los. Convença-os a se abrirem sem vergonha. São flores relutantes. Mas se o amor os aquece, eles se abrem.
Oh! orvalhos santos e raios abençoados que vocês sacerdotes atraem sobre as almas com seu sacrifício ! Arrependimentos e redenções que os tornam filhos de Deus, sacramentos e graça que você infunde e que fazem de você e deles santos. Sejam abençoados por este trabalho, ou servos fiéis que cuidam da minha colheita e da minha vinha. E abençoado mesmo se você se curvar sobre as ervas selvagens que brotaram fora da minha vinha. [582]
Não é necessário sair da pátria para ser missionários, ou crianças. Europa, o mundo é todo terra de missão, porque o homem é mais uma vez idólatra e herege. Em verdade vos digo que seria necessário limpar a terra natal, por causa da pátria, antes das outras, porque é de uma pátria cristã que vem o bem-estar da pátria, e onde estão agora as nações cristãs?
Olhe a sua volta. O que você vê? Montes de ruínas e montes de vítimas. Quem os fez? Um? Dois? Quatro indivíduos? Não. Eles são os agentes, os ministros do Mal que os usam como rei despótico. Mas eles são o que são porque as populações que governam os deixaram assim por terem neles o expoente capital de seus próprios sentimentos. De um povo desprovido de Deus – e os povos estão agora desprovidos de Deus porque o arrancaram de sua alma substituindo-o por carne, dinheiro e poder – germinam cobras que matam por sua tripla fome que Satanás desperta.
Escusado será dizer: “Eles foram a causa do mal presente.” Digam a todos, quero dizer a todos , inclusive vocês sacerdotes: “Fomos nós”, e serão sinceros.
Agora mais difícil é o trabalho no campo inculto. Mas aja. Seja como meus primeiros apóstolos novamente. Voltem a ser heróis do sacerdócio que é a única milícia sagrada. Todos cumprem seu dever até a imolação. Que se as multidões persistirem em se perder, eu providenciarei para elas. Você terá a mesma recompensa mesmo se vier a Mim com seus braços quebrados no trabalho duro, carregados com pouquíssimos ouvidos.
Mas por favor – e eu sou Deus – não seja culpado de falta de amor. Eles não perdoam a falta de caridade. É a negação de Deus.”

[580] Continuo a falar , com referência a Isaías 8, 5-16 , pois o escritor coloca, junto à data, a referência a Isaías 8, 5 .
[581] Lembre -se do que é dito em Mateus 18, 21-22 .
[582] a minha vinha , segundo a imagem de Mateus 20, 1-7 .

CAPÍTULO 176


15 de novembro de 1943

   Jesus diz:
«O Pai está olhando para você. Como um passarinho está quente e seguro sob o cuidado vigilante de seus pais, assim você está sob o olhar de Deus que olha para você com amor. Pense que você está meditando, aquecido, nutrido pelo Amor.
Deus eterno, nosso Pai, está acima de você. Veja e sinta essa força que se espalha sobre você do alto do céu, esse riso que te enche de alegria sobrenatural, essa luz que te aquece e te conduz. Você precisa ver com os olhos da sua mente para poder fazer seu pão hoje.
Mais comida será dada a você. E bom amargo. Mas isso alimentará tanto o seu espírito que tornará aquele amargo incapaz de matar.”

Enquanto corrigia os papéis datilografados, de repente tive essa comunicação. Eu o tinha em momentos em que estava lendo jornais que eram tudo menos felizes e pessoais. Eles foram ditados por uma severidade geral e terrível. E ao mesmo tempo eu tinha a visão intelectual do “amor do Pai”.
Digo “amor do Pai” porque não poderia dizer que vi o Pai Eterno como vejo o Filho: humanamente. Mas eu também vi. E se falando na época [583] de Maria Santíssima eu disse que via o corpo espiritualizado de Maria como uma emanação de luz na luz, mas sempre em forma de corpo, agora posso dizer que vi um imensa Luz, de uma alegria incomparável, da qual surgiu uma ideia de rosto . eu digo: ideia, porque era como se a imensa luz a velasse com camadas e mais camadas de esplendor para poder me fazer ver com meu pobre olho humano.
Um rosto inclinado sobre mim e dois braços estendidos como se para me proteger ou me abraçar. Nada mais. O que vislumbrei foi de uma beleza incomparável. O olhar vivo da juventude perene e impregnado também da dignidade da idade madura e da bondade do olhar de um velho. Igualmente o rosto era majestoso, mas sem sinais de velhice ou juventude excessiva. Um rosto perfeito de idade e forma.
Minhas pobres palavras, como você me compadece de sua insuficiência para descrever!
O que é absolutamente indescritível é o que meu Jesus diz “o riso” do Pai. É um movimento que não tem voz, mas contém todas as palavras mais reconfortantes. E eu, como um passarinho até aquele momento trêmulo de solidão e medo, de frio e languidez, sinto-o penetrar, aquecer, certificar-se.
Bendito seja o Altíssimo que me permite compreender a sua santíssima paternidade por uma criatura tão pobre como eu.

[583] oportunamente , em 12 de setembro.

CAPÍTULO 177


16 de novembro de 1943

   Jesus diz:
«Abandone tudo e retenha apenas Deus, a Luz, a Graça, o Amor de Deus. Nada do que é da Terra te perturba. Você é uma filha de Deus . Dei-te a ver esta condição sublime para te revestir de força e serenidade. Os cuidados do Altíssimo, como dois braços amorosos, estão estendidos sobre você. Chegará o tempo em que eles se unirão para levá-los além dessas fealdades terrenas, para levá-los à Luz que agora os observa amorosamente.
Pense sempre nisso: “Sobre mim está o Pai de Jesus, que também é meu Pai. O Amor que uniu o Pai ao Filho me une ao Pai, e é o amor do Filho que me deu o amor do Pai. Em mim, portanto, tenho o Deus Uno e Trino, pois tenho o amor deles”. Você se sentirá elevando-se como de uma águia em vôo por este pensamento e penetrará no Fogo que quer acendê-lo até o fim para torná-lo digno Dele.
E agora vamos, minha vozinha. O tempo é curto e muito é a Palavra. E ainda maior é a ignorância da Palavra. Vamos dar a esses miseráveis ​​tudo o que pudermos, para que eles não nos acusem de sua ruína. O mundo também perecerá porque quer perecer. Mas a Justiça do Senhor e os justos poderão dizer: “Tudo te foi dado para te salvar, ainda mais do que era teu dever, porque o amor é um filho pródigo que nunca se contenta em dar”.
Não desmorone a convicção de que o esforço que você faz é inútil porque as palavras sagradas caem sobre almas embotadas e fechadas como cofres de aço. Por esse rosto três vezes santo que a bondade te mostrou [584] e que para ti é um riso de amor, por esse rosto que os homens forçaram a retirar sob a montagem de uma avalanche de crimes, que depois de ter devastado a terra se precipita contra o Céus, continua a ser a mão que serve a Palavra.
Esconderam a Face de Deus, negam-na. Eles não acreditam Nele. Eles substituíram o que é sua ruína para você. Estão à mercê das forças ocultas rebeldes ao sinal de Deus e os que servem, os que crêem, os que obedecem. Rumores e rumores vêm de fontes falsas e não há um que diga a verdade ou um reflexo da verdade. São o riso dos demônios que zombam do homem e que se transformam em palavras falsas para afastá-lo cada vez mais do caminho, daqueles que escutam.
Querem conhecer o futuro para se regularem. O futuro está aqui: na minha Palavra . Para evitar este presente, que é pior que um pesadelo e uma condenação, foi preciso estudar esta Palavra, saber lê-la e ajustar-se aos seus ensinamentos morais, históricos e sobrenaturais. Para tornar o futuro menos atroz seria ainda necessário estudar esta Palavra que ensina o Bem e a Verdade.
Repito: [585]deixar os mortos onde estão. Se eles são abençoados, eles podem te dizer apenas o que a Palavra já te diz, porque os santos do Senhor falam a mesma língua que o Senhor. Se eles estão condenados, eles só podem dizer as palavras de seu pai, professor e rei da mentira. E você pode acreditar que o Mentiroso tem um átomo de misericórdia e lhe concede uma luz que é uma luz de salvação? Mas não, ao contrário, ao perseguir seu propósito, cria miragens dentro das quais está o abismo.
E você está caindo no abismo, não tendo mais a luz da manhã como seu guia: Deus, seu Santo Padre. Orbes liderados por cegos, [586]seus espíritos equivocados vagam de erro em erro, de ruína em ruína. Vocês se chocam e dão um ao outro sempre novas dores e causam novas feridas e novos desastres, vocês se odeiam pelo mal que fazem a si mesmos e pegam esse ódio que sobe em seu coração com as duas mãos e o lançam contra Deus fazendo-o responsável pelo seu mal. E o ódio, incapaz de alcançar o céu, cai sobre você no fogo e nas chamas, na fome, nos mortos, na desolação, no desespero, na escuridão. Tampouco haverá trégua enquanto você souber a duras penas que a violência é inútil, que o sangue embaraça e não nutre, que o ódio não cria, mas destrói. Nem haverá trégua até que seus corações se voltem para Deus.
Eu sou Aquele que pode te dar paz, e não com o uso de suas armas homicidas, mas com minha arma sagrada: a Cruz, mas quebrando suas armas homicidas com meu amor.
Não precipite o Julgamento de Deus ao passar a medida do pecado. Não deixe que a pausa entre o tempo do Anticristo e o tempo de Cristo seja muito curta, porque, se é verdade [587] que os últimos dias serão abreviados por amor dos eleitos, também é verdade que é necessário fazer uma pausa de paz para se restabelecer na última luta satânica.
Mandarei derrubar a pedra na caverna de Lúcifer após a derrota da Besta e seus servos; mas você, com sua aclamação do Mal, não dá força ao Diabo para sacudir essa fechadura. Não façais, de vossos espíritos devotados à carne e a Satanás, alavancas para abrir a prisão infernal e trazer o Maldito para a última presa antes que os corações dos homens sejam rebatizados na Palavra do Senhor”.

[584] ele lhe mostrou no dia anterior. Junto à data do presente “ditado” o escritor coloca a referência a Isaías 8, 17-22; 9, 1-6 .
[585] Repito o que já disse em 11 de Setembro.
[586] Orbes guiados por cegos , como em Mateus 15, 14 ; Lucas 6, 39 .
[587] se o que é dito em Mateus 24, 22 é verdade Marcos 13, 20 .

CAPÍTULO 178


17 de novembro de 1943

   Jesus diz:
«Vós vos tornais instrumentos de Satanás, realizando obras de iniqüidade.
Grande ou humilde, você não é diferente na atuação. Vocês são valentões e ladrões. O grande com grande arrogância e ladrão. Os pequeninos com arrogância e ladrão sempre maiores do que sua condição sugeriria que poderiam permitir, e ainda não se sentem felizes e anseiam por ser algo mais para oprimir e roubar mais.
Não há categoria social isenta de culpa. E aqueles de vocês que são honestos pela lei moral ou santos por amor de Deus são suas maiores vítimas porque, ao derrubar a lei do amor, você dá uma compensação de ódio àqueles que lhe dão amor e bondade, você é mau com o bem e torturadores daqueles que, em nome de seu Deus, não pagam mal com mal.
Mas mesmo que não pareça, não pense que você ficará impune. A multidão vê o castigo dos grandes e o dos pequenos escapa-lhes, porque o grande que cai faz muito barulho e o pequeno passa despercebido entre os muitos casos do mundo. Mas não fique impune desta vida. Levo-te quando e onde menos pensas. O resto virá mais tarde na vida após a morte, onde não haverá misericórdia para os de coração duro.
Mas você, você que agora é grande, o que você fará quando, em proporção ao seu erro, você se levantar contra a ira de Deus e os oprimidos? Você não a sente já pairando sobre você e subindo como uma nuvem cheia de relâmpagos e superando as represas? E quando a nuvem se abrir e a onda transbordar, para onde irão vocês que espalharam ódio, dor, injustiça em seu caminho, semeadores loucos e demoníacos, usurpadores do pão alheio e destruidores do bem alheio?
O que você não pensou, [588]enquanto você tinha tempo a seu serviço, para fazer das riquezas injustas um refúgio no coração dos homens e de Deus? Quanto bem você poderia fazer, e viver abençoado e passar abençoado para a Vida da verdadeira glória! E como podes tu, tu sem fé e sem amor, viver quando estás reduzido como reduziste?
Vocês se fazem instrumentos de Satanás. Mas eu, mais poderoso do que Satanás, quando julgo ser a hora de um novo dilúvio, tomo-vos e uso-vos uns contra os outros: nações contra nações e, no pequeno: parentes ou amigos contra parentes e amigos, para fazer algum homem o castigo do homem, punindo os pecados do homem pelos pecados de seus semelhantes. Você oprime? E permito que outros o oprimam. Você rouba uma pátria? E permito que outros roubem sua pátria. Bem diz [589]Isaías: “Cajado e vara da ira de Deus”. Isso vocês estão um com o outro quando passarem a medida.
Portanto, seria bom que aqueles a quem a luta é propícia e a vitória um amigo não se acreditassem eternamente favorecidos por Deus, muito menos não se acreditassem tão perfeitos a ponto de merecer toda realização humana de Deus.
Não. Se aquele que triunfa abusar de seu triunfo, eu o ferirei e o derrubarei no pó. Eu sou o Rei e o Senhor e ninguém é maior do que Eu. Eu sou o Justo e não conheço a parcialidade. Meu olhar vê todos com uma luz igual. O mesmo é o estoque de onde você vem, as mesmas são suas obrigações para com Deus, seu Criador, e o mesmo é o pensamento dele para todos vocês. O mais civilizado entre vocês é para Mim como o menos civilizado, como o selvagem que ignora tudo o que não é sua floresta virgem. Perscrutador como sou da verdade dos teus pensamentos e da inocência dos teus sentimentos, olho muitas vezes com amor para o selvagem, que se prostra adorando a forma que para ele é deus e essa forma se torna boa para isso, e torço seu olhar com desdém do civil, que nega Deus, conhecido por ele, com a palavra blasfemo, o pensamento negador e as obras malditas.
Passada a hora do castigo, digo o meu “Basta” e reúno as multidões espancadas e dispersas, dou-lhes a paz e o pão, pois sou Pai, não o esqueçais, e se não vos embriagestes de sangue ou embriagados de o desejo de beber eu sempre te daria paz e pão. Quanto mais cedo e mais abundante e seguro eu dou o pão e a paz, tanto mais numerosos entre as multidões de tolos são os justos de Deus, esmagados no castigo comum, não pelo castigo deles, mas pela sua redenção. Porque para florescer, o Bem precisa sempre das lágrimas dos santos e dos holocaustos dos redentores.
Oh! bem-aventurados estes cristos que ignorais, mas que o meu Coração recolhe como pedras preciosas numa urna! Oh! bem-aventurados estes anjos que sabem, entre o coro de blasfêmias e obscenidades em que pereceis, cantar a “Glória” e o “Sanctus” ao seu Deus! Purificadores desta Terra dos miasmas que seus pecados criam, vivem ardendo como incensários e oferecem a Deus o fogo mais sagrado: o do amor. Para estes farei novamente o milagre do perdão, o milagre de recolher os restos mortais do meu povo e fazê-los entender que só em Deus há saúde. Os outros, aqueles que não querem ser meu povo – e lembrem-se que não meço pela sua medida – continuarão seguindo a bandeira de seu rei.
O mundo não deve morrer sem que o exército de Cristo seja reunido sob seu comando. Espalhado, batido, abatido, feito semelhante à areia que o vento espalha nas margens do mar, ouvirás a ordem e virás a Mim, porque chegará o tempo em que Eu serei Rei destes pobres reinos sem coroa e desses súditos sem reis. Já vejo os espíritos daquele tempo voltando-se para o chamado e vindo lutando contra todos os obstáculos semeados por séculos de erro, vindo para a Luz e para a Verdade. Digo “espíritos”, porque só os viventes do espírito poderão conhecer a Voz que os chama.
Ó vocês que agora já vivem no espírito, precursores de Cristo em sua segunda vinda, antítese dos precursores do Anticristo que trabalham em seu nome a obra preparatória da desolação, preparem os caminhos para mim com seu holocausto. Os precursores do filho de Satanás têm uma vestimenta de dignidade humana; os precursores do Filho de Deus têm a mesma coroa de seu Rei, e seu trono e cadeira são a cruz e a dor.
Mas como sempre, e sobretudo na hora em que a Dor teve que vencer o Pecado, é sempre a dor que salva, é sempre o sacrifício que redime. E agora o mundo, para ser redimido, precisa não tanto de se cobrir de espigas de trigo, mas de almas heróicas de vítimas da caridade”.

[588] pensamento… , como no conselho encontrado em Lc 16: 9 na conclusão da parábola do mordomo infiel.
[589] diz em Isaías 10, 5 . A anotação que o escritor coloca ao lado da data do presente “ditado” refere-se a todo o capítulo 10 de Isaías

CAPÍTULO 179


18 de novembro de 1943

   Jesus diz:
«Continuo a falar aos meus precursores, àqueles que com o seu holocausto preparam os caminhos do Senhor e evangelizam sem outra forma que não a da sua vida santa.
Alegrai-vos, meus fiéis servos, que não vos contentais em salvar a vossa alma, mas vos ofereceis para que a Luz vença as Trevas e que a salvação seja dada a muitos que não estão ansiosos por isso agora. Quando chegar a minha vez, não estarei sozinho no reinado. Você estará comigo . A partir desta Terra estarás Comigo durante o meu Reino de amor e paz. Eu não te prometi [590]que você estará onde eu estarei e que você terá um lugar no meu Reino? Como dignitários de um palácio, seus espíritos me coroarão na terra, servindo-me como ministros luminosos, e herdarão aquela posse da terra que prometi aos mansos e que se tornará uma posse dos céus quando a terra não mais existir. ser.
Muito antes dessa hora, ou vocês, justos, possuirão o Céu. Já está aberto para recebê-lo no momento do seu trânsito para fora da sua prisão atual. Mas então será uma possessão completa e resplandecente, conhecida de todas as criaturas, a assunção à glória mesmo da carne com que conquistaste o Céu, tornando-o o principal instrumento de sacrifício pela fidelidade ao teu Deus.
Vencedores de Satanás que a carne corrompeu, vencedores do sentido que em vós é despertado pela herança do pecado e pela incitação de Satanás, possuireis o Universo juntamente com o vosso Deus e sereis espelhos de Deus que aparecerão no vosso carne glorificada em todo o seu esplendor. Vocês serão semelhantes ao Pai, ó filhos santos. Semelhante a Jesus, meu Filho santíssimo [591] . Semelhante a Maria, nossa Rainha.
Você terá a semelhança intelectual do Pai e dos dois mais gloriosos Vivendo no Céu a semelhança humana e, já que ter o Intelecto é como ter a Palavra e o Amor e onde há Um são os outros Dois da Tríade perfeita, você tendo a semelhança do Pai, vocês serão possuidores daquela Perfeição que fez o homem semelhante a Ele e o escolheu como seu filho.
Antes dessa hora vocês serão os dignitários de meu Filho, vocês verão o milagre do amor de uma Terra imersa em paz e destinada a ouvir Deus, vocês saberão o que teria sido a vida do homem se ele não tivesse se rebaixado com a união de Satanás.
Você não será enganado nesta hora, nem seguidores amorosos do Amor feitos carne. O que agora você ouve ressoar em você, a palavra de meu Filho ao seu mais amado, você ouvirá ressoar nos quatro pontos do globo, e você verá homens apressados ​​em sede de verdadeira Ciência. Homens, não brutos em roupas humanas, nem demônios com rosto humano, nem Judas perpétuo que vendem meu Filho e ferem o Amor trino com seu mercado que é inseparavelmente Um.
Se agora é a hora em que hostes de anjos sob o comando de Deus lutam contra hostes de demônios que querem subjugar a Terra, então será a hora em que hostes de justos lavrarão a Terra para prepará-la para a Palavra, reinando uma vez na Terra antes do desaparecimento do mundo.
Lá onde o Mestre está, lá estão os discípulos, e você estará lá, porque você amou o Mestre mais do que a si mesmo, você estará lá onde Ele dará a última lição.
E então com Ele, host de luz atrás da Luz que remonta ao Céu, você retornará à morada para rezar pelos vivos na última hora e aguardar a Hora do Juízo em que você ainda estará com meu Filho, não mais Salvador, mas Juiz do mundo, porque o tempo da salvação terá passado e o número dos escolhidos terá terminado.
Triunfem em seu triunfo naquela hora, crianças. E como te amo digo-te que deves estar sem medida na vontade ativa de conquistar a santidade, porque aquela hora será tal para ti que mil vidas sacrificadas por ela e os tesouros da Terra deixados por esse tesouro não seriam suficiente para igualar a glória desse tesouro. ‘agora e a bem-aventurança da possessão eterna de Deus’.

[590] prometido , em João 14, 2-3 ; prometido aos mansos , em Mateus 5, 5 . Ao lado da data, o escritor coloca a referência a Isaías 11 .
[591] Meu santíssimo filho. Assim, o escritor anota em uma cópia datilografada: Aqui Deus o Pai começa a falar em vez do Filho . No caderno autografado, por outro lado, ele coloca uma cruz no início do parágrafo seguinte, para lembrar a seguinte nota, escrita em um pedaço de papel que depois costurou na página do caderno : a Deus Pai lá também será a semelhança do Filho como Deus. Portanto, quem é à semelhança de Deus, o Espírito Criador, tem apenas que tomar a semelhança física de Deus encarnado e de sua Mãe, que foi criada à perfeita imagem e semelhança de Deus ( explicação dada por NS ao ditado de 18-11) .

 CAPÍTULO 180


19 de novembro de 1943

   Jesus diz:
«O crente identifica-se com o seu deus e a criança com os seus pais. Portanto, não é errado dizer dos precursores de Satanás o que Isaías diz em seu capítulo 14. e nos versículos 12-15.
Eles não queriam imitar seu mestre e pai [592] na tentativa de se proclamar deuses e de oprimir as multidões aqueles que chamo de precursores do mal? Não falavam de Deus com vergonhosa condescendência, como se fossem os superdeuses? Eles não assumiram o direito de ordenar o que é mais sagrado, o que Deus também respeita no homem? Eles não apenas se permitiam dar ou receber permissão para viver, mas também para pensar.
O pensamento que dei ao homem e que ele é livre – já que tudo o que Deus te deu está livre de imposições de qualquer tipo e mais livre teria sido, pois nem mesmo a carne teria tropeçado nessa liberdade, se a carne fosse para primeiro deixado livre da escravidão da culpa – o pensamento é esmagado por esses superdeuses de lama e horror. Eles não exigem obediência às leis sagradas do amor, como eu amorosamente te ordeno sem forçá-lo a segui-lo. Eles impõem obrigações cruéis que te escravizam mais do que bois com o pescoço oprimido pelo jugo e as narinas ofendidas pelo anel constritor. Eles as impõem a todo o seu ser, e nenhuma das três formas de você – a física, a moral, a espiritual – está isenta dessa escravidão.
Sim, o espiritual também. Os polvos do Mal reinante penetram e se estendem também para o vosso espírito e, a seu bel-prazer, querem ou não que esse espírito se volte para Deus ou para a sua Lei. Sua ira como filhos de Satanás explode em ferozes perseguições. Mas mesmo quando, jogando fora a máscara humana que esconde sua cabeça de serpentes infernais, não alcançam as grandes perseguições, são os truques sutis, o desmoronamento do edifício da Fé, as formas de vida destinadas a substituir o paganismo pela religião , aqueles com os quais envolvem seu espírito para estrangulá-lo.
E nem sempre tendes forças para permanecer fiéis, pois tendes espíritos não alimentados pelo amor e pelo Evangelho. Vocês se curvam à escravidão humana, vocês que consideram indigno do homem obedecer aos mandamentos de Deus e perdem, para um homem ou para vários homens, o mais belo dom de Deus: o “livre arbítrio”. Vocês são fantoches movidos por um ou mais homens. Você poderia ter sido, nesta vida e além, seres livres no reino de Deus seu Pai.
Afaste-se, afaste-se, enquanto puder, das leis da Besta, afaste-se dela. Seu destino já está selado. Quando o machado de Deus cortará as partes da horrível Besta que tortura [593]da Terra e que constituem os precursores da Unidade do Mal que transtornará a Terra, certifique-se de estar muito longe daqueles que caem no forno do abismo como membros pútridos desta manifestação de horror.
Uma Babilônia [594] , que agora está surgindo e que terá seu apogeu do império, será sucedida um dia pela santa Jerusalém. Faça que naquele dia e no Dia sem pôr do sol sobre você não seja a marca dos poderosos da Babilônia, dos Lúcifers menores, da descendência, das excrescências de Satanás, mas o sinal santo, inconfundível e glorioso do Filho de Deus. ”

[592] mestre e pai , que é Lúcifer, cuja queda é mencionada em Isaías 14, 12-15 .
[593] tortura refere-se à Besta ; constitui deve referir-se às partes da fera hedionda .
[594] Babilônia Santa Jerusalém são referências claras a Apocalipse 17, 5; 18, 2-3; 21, 2.10 .

 CAPÍTULO 181


20 de novembro de 1943

   Jesus diz:
«Muitas vezes «não voltes os olhos» [595] para Aquele que é a tua Providência. Você coloca as franjas, muitas vezes inúteis, em uma coisa e depois diz a si mesmo: “Nós fizemos isso”.
Não. Vocês não são os autores dela, na verdade, muitas vezes são seus destruidores porque neutralizam os frutos que vêm de uma obra, quando você não destrói a própria obra com suas mãos e mentes destrutivas.
Deus lhe dá tanto, Ele lhe dá tudo o que é útil e necessário para sua carne e sangue, e para sua mente e espírito. Você para isso tudo, especialmente que tudo que visa a mente e o espírito, cava um “lago”. Oh! Sim! Um lago. Mas é um lago em que as águas límpidas de Deus estagnam e se corrompem porque são postas em contato com muitas outras coisas e descobertas por todas as invasões.
Assim, com o conhecimento, multiplicado demais, mas não elevado a Deus, você fez um perigo para você, assim como com a religião que você quis inflar com tantas inutilidades, analisar com uma lente humana, profana por querer explicá-lo sem referência a Deus, rebaixar tornando-o fórmula e não forma de vida.
É sempre a mesma reprovação que tenho para lhe fazer. Acreditaram-se iguais ou mesmo superiores a Deus e caíram em obras não como filhos de Deus, mas apenas como animais racionais, os super-racionais da Terra, mas humanamente racionais. E já é muito quando você é razoável e se respeita a ponto de dizer: “Vamos tentar agir pensando no amanhã”. Na maioria das vezes você pensa apenas no hoje e em fazer de hoje uma folia para a sua carne que você ama.
Nem mesmo quando você está nos tormentos de um castigo você sai dessa sua euforia doentia. Mas, pelo contrário, você quer desfrutar e viver como brutos apenas com a intenção de satisfazer a fome e o significado. E entre um gozo e outro você zomba de Deus em quem você não acredita mais, apenas para jurar ou implorar quando você sofre. E porque? O que você espera? Não é assim que você recebe ajuda de Deus, eu sou para aqueles que são honestos e fiéis. Mesmo fraco, eu o perdoo e o ajudo. Não são para os ridicularizadores e renegados que sabem fazer sua parte e dar aos meus filhos apenas dor e tormento.
E você [596], primeiro dos meus filhos, fortaleça seu coração colocando sua boca contra a fonte mística de meu peito dilacerado. Como tu és meu arauto, e mais que arauto meu Vigário na Terra, aquele que representa o Cordeiro, e do Cordeiro tens coração e palavra, assim serás um novo Cristo na dor e no destino.
Quanta dor já está na xícara que se aproxima! E não ajuda você já ter bebido tanto e ter vivido como um justo! Não te ajuda porque a dor a enche cada vez mais quanto mais você bebe dela, porque a dor é destilada e ordenhada pela Força inimiga, que, incapaz de morder Cristo, morde a carne de suas criaturas. E que criatura mais minha do que você, que é manso e justo, que é evangélico como meu João?
Como o Amado, [597]afixe-se ao céu até ser arrebatado pelo ardor da contemplação, porque a hora da dor está cada vez mais próxima e você precisa estar saturado de contemplação para poder sofrer a paixão sem desistir.
Permaneça “Luz do mundo” [598] em meu lugar, mesmo que a escuridão venha sobre você para esmagá-lo. Mesmo quando você cair, levante minha Cruz que é Luz. Mesmo morrendo, deixe-se ouvir a Voz que fala do Céu através de você, meu Servo exemplar.
Você chorou e não ajudou em nada saber o segredo de Fátima. Seus cuidados no mundo voltaram-se contra você como aqueles acostumados a um homem possuído. Mas não importa. Minha Mãe está com você e eu com Ela.
Estamos perto das grandes “vozes” e das pequenas “vozes” que falam em meu nome e que se consomem para que a Voz de Cristo ainda soe nesta Terra cheia de demônios. Sejam abençoados, grandes e pequenos portadores da Palavra. Nós venceremos contra Satanás . Te digo. E na hora da vitória a minha própria Luz será a tua luz que te fará brilhar como novos sóis.”
Oh! Pai, que doces sensações ontem e hoje.
Ontem de manhã tive as carícias de Maria Santíssima, apenas carícias, não modos de falar. Trabalhei e pensei. Claro para o céu. Disse a mim mesma que chegaria o dia em que não seria mais órfã, sozinha e amada, mais ou menos bem como sou agora. Eu tinha as carícias da Madona na minha cabeça, nas minhas bochechas. Lágrimas, pensando em como estou agora sem parentes, caíram sobre mim no trabalho e eu implorei por conforto, e o conforto veio em forma de carícias. Não é a mão forte e grande de Jesus e ele me atraindo como amigo, para não dizer como amante. Era uma carícia suave, leve e maternal de uma mão pequena e leve. Na cabeça e bochechas. Um toque inconfundível e cuja lembrança é meu deleite.
Esta manhã então, ao amanhecer, enquanto eu estava meio dormindo e rezando – eu rezei o terço – eu disse: “Oh! Mamãe de Jesus, o que posso fazer por você?”. E Ela me disse: “Me ame”. É o bastante. Ele não disse mais nada. Mas como ele disse isso! É a primeira vez que ouço a palavra da Santa Madona. Ainda hoje penso naquele “Ame-me”, dito tão docemente como se fosse uma mãe debruçada sobre a cama da filha e que lhe sussurra nos cabelos, entre um beijo e outro, o seu mais querido desejo de mãe.
Foi preciso Nossa Senhora para me fazer saborear isto que nunca tive na minha vida de filha!… O que sinto só pode ser descrito com uma palavra: “Êxtase!”.

[595] não voltes os olhos , como se diz em Isaías 22,11 . A nota do escritor ao lado da data refere-se a Isaías 22, 14.11.18 .
[596] o senhor se refere ao Papa, como se depreende das seguintes palavras.
[597] Como o Amado , em Apocalipse 4, 2 .
[598] Luz do mundo , como em Mateus 5, 14 ; João 8, 12 .

CAPÍTULO 182


21 de novembro de 1943

   Jesus diz:
«Vós, homens, que recuperais a saúde depois da doença [599] da morte, pensai, pensando bem, apenas em agradecer-me pela saúde física recuperada. Jamais reflita que eu lhe dei essa prova para fazê-lo refletir que espera por você um fim além do qual há um começo , assim como o pôr do sol ao entardecer marca, afinal, que se inicia o ciclo para o qual virá um novo. aurora. Mas o seu alvorecer na vida após a morte não é o início de um dia de algumas horas. É o início de um dia eterno.
A doença quer que você reflita sobre isso e para isso você deve voltar sua saúde recuperada. Para prover ao que não morre um dia de paz.
Se você soubesse refletir sobre isso, quantas presas o inferno perderia! Mas você costuma fazer mau uso da saúde que lhe dou e dos anos que adiciono à sua existência para esse fim. Na doença você fica impaciente, desanima, deixa de rezar muitas vezes, dizendo: “É inútil eu fazer isso. Tanto foi Deus que me enviou, e com que propósito peço que o tire de mim?”. Curado, você não pensa naquele que te fez sanidade. [600] Com a tua incongruência e com a tua ingratidão desrespeitosa, culpas a Deus por te enviar as doenças, mas não lhe dás crédito por as ter tirado.
Se você acha que Ele dá o mal, por que você não acha que Ele deve ser capaz de dar o bem? Muito pelo contrário, crianças. O mal, seja qual for, tem sua origem em 99 partes de vocês mesmos e o bem tem uma única fonte: Deus. Deus que inspira e ilumina aqueles que cuidam de você, Deus que estende seus dias para dar tempo aos remédios para agir e aumenta as resistências aos dê ao corpo a possibilidade de reagir, Deus que com vontade instantânea pode fazer você se levantar curado, contra toda esperança e sem qualquer outra ajuda, por uma razão inescrutável.
Mas antes de você se alegrar pela alegria de ser curado, você deve se alegrar com a possibilidade de que Deus lhe conceda reparar os erros anteriores à doença e trabalhar para merecer a vida que não morre.
Trabalho para libertar sua alma da perdição e com meu amor apago seus pecados sempre esperando em você. Você, o que você está fazendo? Dê amor ao amor que você recebe e fique “vivo”.
Estar “vivo” não significa ser deste mundo, significa estar no Senhor. Significa possuir Graça e ter direito ao Céu. Vivo não é aquele que respira, come e dorme com uma alma morta: já está apodrecendo nu prestes a cair, como um figo podre em um galho, na cova cujo fundo é o inferno. Vivo é aquele que, mesmo morrendo na carne, possui a “Vida”, e na medida em que a vitalidade cessa daqui, a “Vida Verdadeira” se aproxima e cresce nele. Vivo é aquele que, ao morrer, já harpa os louvores que cantarão eternamente ao Senhor e, enquanto as trevas descem sobre suas pupilas, vê cada vez mais claramente, com os olhos do espírito, a face do Pai.
Vivo está aquele que, curado da doença humana, sente a redenção de seu Senhor e lhe dedica cada movimento.
Vivo é aquele que conhece a Verdade e sobretudo as alegrias e riquezas humanas quer esta Alegria e esta Riqueza: a Verdade. E todos os seus dias ele se dedica a possuí-lo, porque o conhecimento dele colocou nele a santa sede de conquistá-lo “.

   Mesmo dia 21-11 (mais tarde)

   Jesus diz:
«Isto, Maria, é para ti. E para almas apaixonadas como você.
Lucas, narrando [601] o banquete na casa de Simão, conta o que a amante redimida costumava me mostrar seu amor. As lágrimas, o cabelo, o perfume.
Simone fica escandalizada porque me tocou. Mas escandalizava-se quem fosse escandaloso e borrifasse seu interior sombrio em tudo o que via. Um puro [por outro lado] não viu nada capaz de escândalo.
Não água, mas lágrimas, gotas do coração, um humor não poluído por germes impuros, mas filtrado por amor e arrependimento, feito digno de Deus e julgado precioso por Deus porque é sinal de um espírito que compreendeu a Verdade. Não os linhos, mas os cabelos, seda viva da qual a mulher se torna uma sedução e um culto, e que, regenerada pela Graça, a humilha para se tornar uma toalha das plantas de seu Salvador. O perfume: uma das ferramentas ensinadas por Satanás à mulher e que a mulher voltou para Deus destrói para fazer bálsamo para seu Senhor.
Vi e calei, e nem uma daquelas lágrimas quentes e contritas, nem uma dessas carícias de mechas que não punham a carne já impura em contato com a Carne que não conhecera mancha, mas colocara entre uma e outra um véu que não poderia ser indignado de Deus, e nenhuma dessas gotas de nardo, menos, muito menos perfumadas que o amor de quem as derrama, passou por inúmeras. E cada um, visto que cada um era uma profissão de amor e uma confissão de erro, tinha perdão e bênção.
E enquanto a admiração desdenhosa do fariseu, a quem eu teria muito a reprovar, mortificava a arrependida com as palavras de uma reflexão escandalizada e insincera por essa profissão voluntária, corajosa e humilde de arrependimento e amor, dei-lhe total absolvição de todo o passado.
Ele foi lavado por suas lágrimas. Sua escuridão foi conquistada pela Luz do amor e sua geada conquistada. Maria era amada por sua generosidade e confiança. Seu coração tinha sido um instrumento do mal para ela, mas em seu próprio coração ela encontrou o caminho para o Bem. E seu coração havia sido um professor para ela conquistar um lugar na Vida e no Coração do Mestre.
Eu a amava muito porque ela amava muito; ela me amava muito porque eu lhe perdoei tudo.Tudo, Maria. Eu perdôo a todos aqueles que me amam com tudo de si .”

[599] saúde após doença é o tema da citação bíblica que o escritor anota ao lado da data: Isaías 38, 5.7.15-19 .
[600] ele te fez a saúde é nossa construção ao invés de saúde ele te fez ; bem como On this (no parágrafo anterior) é nossa correção no lugar de This . Não costumamos anotar pequenas correções (que são muito raras) e correções ortográficas. Às vezes, adicionamos algumas palavras no texto colocando-as entre colchetes.
[601] narrando em Lucas 7, 36-50 . O “amante remido” identifica-se com Maria de Magdala, como se verá a seguir e como já explicámos numa nota ao segundo “ditado” de 13 de Outubro.

CAPÍTULO 183


22 de novembro de 1943

   Jesus diz:
«Amemo-nos uns aos outros, ou amado, e falemos de amor, porque nada é mais doce para quem ama do que isso.
Os remidos do Evangelho, [602] como os três magos que adoravam a minha Divindade encarnada, deram aos meus pés três dádivas: o coração pelas lágrimas, a carne pelos cabelos, a mente pelo perfume. Você deve igualmente dar tudo sem guardar nada para si mesmo, nem mesmo o sopro vital.
“Águas poderosas não são suficientes para extinguir o amor – e os rios não o sobrecarregam. Se alguém desse tudo em troca de amor, cairia em grande desprezo”.
As águas que visam extinguir o amor são dadas por todas as coisas da vida, cuidados e até necessidades. Os rios, da vontade alheia que tenta impedir o espírito de se entregar inteiramente ao seu Deus
, mas o verdadeiro amante não leva em conta o primeiro e não se assusta com o segundo. Acima de tudo o que constitui a preocupação da vida pelos outros, ele coloca o que é sua necessidade vital: amar o seu Deus. Espírito absorvido, e eu poderia dizer: “ressuscitado” em Deus, ele já vive projetado fora do que constitui a chamada “vida” para os outros. Ele, o santo reversor dos valores humanos, vê apenas um objetivo a ser alcançado: o interesse não dos seus, mas de Deus; ele só se preocupa com uma coisa: conquistar a Vida sem levar em conta a pobre vida terrena que é uma flor que não dura muito no caule. Manso, pois já é um com o seu Deus, torna-se leão quando tem de defender aquele seu tesouro, e as perseguições familiares e sociais não conseguem subjugar este espírito índio, mas sim, como uma onda furiosa do mar, transportam-no rapidamente em direção à praia, no coração de Deus.
Oh! tormentos mais felizes dos meus amadores, destes conhecedores e provadores da Verdade, que, como o autor do Cântico, dizem, não com palavras vãs, mas com as palavras verdadeiras de toda uma vida vivida e consumida para este fim, que quando mesmo que alguém desse tudo de seus bens para conquistar o Amor, ainda assim daria pouco, porque até o presente do dia terreno é uma moeda irrisória quando comparado à posse do Amor que é infinito.
Então me dê tudo de você, sem reservas. O ferro que derrete no cadinho sai mais bonito. A alma, que o amor derrete e consome, renasce como flor da eternidade nos canteiros celestes.
É aí que eu quero você. Mas primeiro você ainda tem que passar pela obra de nossos dois amores: o seu como criatura para Mim, o meu como criatura para você. Quando esses dois atos de violência lhe roubarem todo o seu ser , então eu virei para conduzi-lo à Paz.”

[602] remidos do Evangelho , de que falámos no «ditado» anterior; magos , que é narrado em Mateus 2, 1-12 . A citação no parágrafo seguinte é do Cântico dos Cânticos 8, 7 

CAPÍTULO 184


23 de novembro de 1943

   Jesus diz:
«Eu sempre dou o dobro, o triplo, o cêntuplo, o infinito em compensação pelo que você não dá. Porque eu os amo, filhos, e os julgo com um rigor que tempera o amor. Portanto, não te pago como suas iniquidades exigem, mas, mais forte do que a necessidade de punição, sinto a necessidade de ajuda para você, porque vejo você infeliz e sofro por vê-lo como tal.
Observe em meus castigos desde que o homem é. Você verá que sempre tentei salvar aqueles que apenas tinham um pouco de bem em si mesmos. Os salvos nos flagelos com que castiguei o homem que se tornou prevaricador, sacrilégio, ladrão, assassino não eram perfeitamente justos. Mas vi neles o esforço para serem justos, e isso, mesmo que mínimo, de retidão, que representava toda a sua capacidade de serem justos, me bastava.
E pode um pai, que tem um filho doente, mas disposto, zombar dele porque ele não é um trabalhador esforçado, um caminhante incansável, um homem forte que nada enfraquece? Não, pelo contrário, ele trabalha duro para compensar as deficiências de seu filho, e o faz com cuidado ansioso para que ele não perceba e mortifique-se. E seu Pai que você tem no céu, o Santo Padre, poderá agir diferente?
Eu te aviso, coloco a ajuda em suas mãos e faço isso com tanto cuidado que você não percebe e acredita que é capaz de tanto. Não, crianças. Sou eu que trabalho em você por três quartos, você faz o resto com sua vontade.
Maria, você acha que sozinha você poderia ter feito o que pode? Oh! pobre filha! Você ainda estaria no a, b, c do amor e dando os primeiros passos no caminho da perfeição. Mas eu te levei, eu te ensinei, eu te trouxe. Como o vento que rouba uma flor na beira de uma rua, eu te levantei acima da poeira e da lama e te trouxe para a Luz. Eu o carregarei cada vez mais nisto se você me conceder sua vontade.
Mas quantos têm vontade justa? Poucos, muito poucos. Então, apesar de todo o meu cuidado, você não progride.
Durante vinte séculos uma “Voz” disse o que já foi dito [603]de Isaías: “Preparai os caminhos do Senhor”. Mas os caminhos estão cada vez mais confusos para o Senhor por sua má vontade subserviente à Besta, que te faz acumular montanhas de orgulho, criar fendas de culpa, caminhos tortuosos de mentiras, vales de preguiça.
Como pode o santo Pastor reunir seu rebanho disperso se as ovelhas não se reuniram primeiro ao redor da vara de sua Palavra? Aqui estou. Venho apascentar os meus cordeiros mais uma vez e sustentar as ovelhas que amamentam, ou seja, os ministros de Cristo que vos dão o leite da sua Palavra.
Deixe de lado o que não é meu pasto. Reúna-se ao redor da Cruz . É o sinal da vitória sobre todos os inimigos do homem. Todos os inimigos. As externas dadas por guerras, pragas, fome. Os internos, duplamente, incalculavelmente destrutivos, dados pelo espírito do mundo, o racionalismo, a tripla idolatria, os asseclas de Satanás.
Abram os olhos, homens. Remova deles a crosta que tanto erro acumulou em você, e me veja como eu sou , em todo o meu poder de Deus Um e Três, Criador, Redentor, seu Animador.
Humilha o teu barro soberbo que não é capaz de nada eterno e reconhece este teu nada que só é grande se Deus o soprar estando no teu espírito. Humilhe a sua inteligência, que é minha porque eu a infundi em você, e sempre pense no que eu sou e no que você é.
Não há necessidade de trabalhos pesados ​​da ciência para vir a acreditar. O livro mais bonito é o universo que criei do nada e sem ajuda humana. Saiba ler o nome de Deus nele e olhando para a imensidão do firmamento você começa a entender minha imensidão, olhando para o movimento das estrelas você começa a entender meu poder.
Átomos de poeira no grão girando nos espaços que vocês chamam de Terra – uma poeira transportada pelo sopro de Deus e que passa rapidamente entre infinitas outras poeiras semelhantes a ela – você não se sente esmagado por seu orgulho se contemplar o firmamento além do qual eu sou? Efêmeras que duram o espaço de um momento de eternidade, você não começa a entender minha Eternidade cuja duração é um abismo sem fundo no qual afundam milênios e são pulsações de meu ardor?
Volte para o Senhor que você deixou para trás. Ele em sua qualidade trina voltará a ser o Criador do Bem que você destruiu, o Salvador do Bem que ficou lá, o Animador do Bem que você agora não sabe mais servir.
Vamos. Eu os levarei se vocês se derem a mim.”

[603] já mencionado em Isaías 40, 3 e repetido por João Batista em Mateus 3, 1-3 ; Marque 1, 2-4 ; Lucas 3, 3-6 . A anotação que o escritor insere a lápis ao lado da data do presente “ditado” refere-se a todo o capítulo 40 de Isaías.

CAPÍTULO 185


24 de novembro de 1943

   Jesus diz: [604]
“Diante de um Deus que encarna uma parte [605] de si mesmo para salvar as suas criaturas culpadas, o Universo se assusta com espanto e prostra-se num silêncio de adoração antes de explodir no canto das esferas e dos deuses. mundos, jubilosos pela Perfeição que desce para trazer Amor ao planeta coberto de pecado.
O Vencedor, meu santo Filho, veio perseguir as forças do Mal, colocá-las em fuga e trazer o pacto da aliança e paz entre Deus e o homem.
Ele ainda passa entre vocês e não deixa outra pegada senão a do seu amor, pegada que só os puros e honestos de coração reconhecem e seguem, porque a Paz atrai os pacíficos, a Misericórdia os bons, a Justiça os justos, a Pureza os puros. Ele ainda vem e te pega pela mão e te diz: “Não tenha medo, porque eu vim em seu auxílio”.
Em todas as suas necessidades, em todas as suas dores, em todos os seus infortúnios, do que você está cauteloso? Vocês têm entre vocês Aquele cujo desejo o Pai não sabe recusar, porque meu Filho superou todos os meus desejos e eu lhe devo justa compensação.
Se vocês refletirem, ó cristãos, filhos do meu Filho que os gerou à Graça com seu sacrifício de homem e de Deus, se refletirem sobre o destino que vos desenhei, não digam que me adoram e me amam por toda a vida. , mas me ame e me adore por mais cem vidas, se você pudesse reviver mais vidas. Ama-me, portanto, com um super-amor e ama em igual medida a minha Palavra que veio para te dar Vida.
Mesmo se você estiver morto, você viverá novamente se você crer Nele; mesmo se fossem terras áridas e sem vegetação, vocês se cobririam de verdura e águas frescas, porque por onde meu santo Filho passa e ali descansa a graça do Senhor flui em rios e lírios e rosas, palmeiras e oliveiras crescem e muito mais as virtudes no coração do homem são mais altas que o cedro.
Quando você vê um santo se erguer da Terra corrompida como uma flor de um monte de palha podre, quando do nada do homem você vê um atleta de Cristo se levantar e uma luz brilhar onde havia trevas, e uma voz soar onde antes havia silencie, e ilumine e instrua em nome de Deus, eleve seu olhar e sua alma para buscar o poder criador do prodígio: o meu , que como tirou o homem do lodo, do homem pode tirar o santo, o portador de Deus, o tabernáculo de Deus, a arca sagrada sobre a qual repousa minha Glória e da qual minha Sabedoria fala aos espíritos.
Não tenha medo de se aproximar de Nós que amamos você. Não divida nossa Unidade amando Um e não o Outro . Nós nos amamos e estamos unidos pelo amor. Faça o simigliante.
O Filho não deve fazer você negligenciar o Pai. Ele não. Ele ensina você a me amar e de seus lábios santos fez brotar a oração perfeita ao Pai do Céu. O Filho não deve fazer você negligenciar o Espírito Santo. Ele não. Como na soleira da pregação vos ensina a rezar a Mim, Santo Padre, [606] assim também na soleira da Paixão vos ensina a amar o Paráclito que será o Iluminador da verdade ensinada.
Sem o Pai você não teria o Filho, e sem o Filho você não poderia ter o Espírito. Sem o Espírito você não poderia entender a Palavra e sem entender a Palavra seguir seus ditames com retidão e ganhar a posse do Pai.
Como elipses de luz, as causas e os efeitos vão de Deus: o pólo superior, para você: o pólo inferior, e de você eles voltam para Deus. Você não pode interromper a parábola mística. A unidade não quebra . Quebrado seja, com um amor deformado, você não pode mais voltar sem perigo para a Perfeição, porque você perturba com sua desordem o rastro da Caridade que arrasta consigo como uma rede divina os espíritos daqueles que entenderam o que é Deus e não ame a Deus, Espírito, perfeito, a não ser com amor do qual a humanidade está excluída.
Não dê ouvidos a vozes falsas que lhe dizem uma doutrina diferente daquela que meu Filho trouxe. E como podem esses leiloeiros de “novos verbos” dizer palavras de Vida se a Vida não está nelas, se elas são mais falsas que os simulacros dos deuses mentirosos? Não faça deles deuses: é abominação acreditar como tal e é abominação acreditar nisso. Só um é Deus: Eu e Aquele que enviei, que se encarnou pelo Amor . Os outros são iníquos vendidos a Satanás e vendedores de vocês à maldita Serpente.
Olhe para o meu santo Filho, para o meu Cristo obediente como servo, Ele o Eterno meu igual, por amor ao Pai. Ele é quem tirou a amargura do meu ventre e se juntou aos filhos que se separaram de mim. Meu espírito está nele, porque sou um com aquele que se faz ministro do Pensamento do Pai. Compare com o seu “messias” mentiroso e veja quão doce e perfeito é meu Filho, o Esperado dos povos, o Salvador do mundo.
Nele, cheio de todas as virtudes levadas à perfeição, residem a Justiça e a Misericórdia, mas como Ele é manso e santo, não impõe, não grita, não ameaça nem oprime. O primogênito de todos vocês, o consagrado desde a eternidade ao Senhor, fala com a voz do seu amor, ensina pelo exemplo e redime com o seu sacrifício. É como a água morna que desce dos céus em abril para limpar e reviver flores e torrões e trazer vida onde as tempestades rasgaram as folhas. É como a luz que desce para mostrar o caminho , e é tão plácida que você não percebe, exceto quando é perdida por você. É como uma voz que chama para conduzir à Verdade , e não há palavra dura em seus lábios para as misérias do homem.
Ele deixou o abraço do Pai para se tornar um embaixador para vocês da minha Lei e se imolou para uma vida sombria e uma morte trágica para que pudesse ser colocado um selo na aliança entre a humanidade e Deus que nenhuma força pode levantar: seu Sangue, que permanece como uma esplêndida assinatura ao pé do tratado de perdão.
Ele usou seu poder indestrutível de Deus, não anulado em sua nova aparência de homem, não para reinar, mas para fazer você reinar: sobre o mal, sobre a doença, sobre a morte. Ele usou sua Sabedoria não para esmagá-lo, mas para elevá-lo. Ele fez de si mesmo uma moeda de resgate, uma estrada, uma ponte, para fazer você superar os obstáculos que o impediam do Céu e adquirir o Céu para você.
E eu tive que carregar sobre Ele, o Inocente, a mão, porque seus pecados passados, presentes e futuros eram infinitos, e o sacrifício oferecido para anulá-los deve ter sido infinito. Você pode medir essa massa de sacrifício? Não, você não pode. Só eu, que sou Deus, posso saber. Só eu conheço os sofrimentos de minha divina Criatura .
Não olhe para a tortura material que durou algumas horas. Não somente a Palavra sofreu naquela hora. Para todo o sempre em sua bem-aventurança de Deus o rio indescritível de angústia com sua dor foi misturado. Dor por ofensas contra seu amado Pai, dor por desprezo à luz do Paráclito, dor por ofensas contra a Palavra trazidas desnecessariamente às multidões, dor por pecados futuros que teriam colocado seus pés imundos sobre a santidade de seu ser santíssimo , dor pela inutilidade de seu sacrifício por muitos seres vivos.
Não olhe para os flagelos, os espinhos, os pregos com que a Carne foi martirizada pelos cegos daquele tempo. Veja os tormentos espirituais que você dá ao meu Santo com sua resistência ao seu pedido.
E quem é mais surdo e cego do que você? Você não rompeu tímpanos e pupilas, mas quebrou seu espírito, para que a Lei sublime que meu Filho veio trazer-lhe, e ainda carrega você, não penetre em você, ou se penetra em você imediatamente, sai dela como se através de uma peneira quebrada.
Portanto, como resultado dessa sua deformidade espiritual da qual vocês são os autores voluntários, vocês têm guerras atrozes nas quais, além de vidas e substâncias, vocês perdem cada vez mais amor e, portanto, perdem cada vez mais Deus.
Mas nem todos vocês são leprosos e loucos. Entre vocês, raros como pérolas no seio das ostras, estão os fiéis de meu Filho e meus. A eles eu digo: “Permanecei fiéis a nós e eu juro a vocês que estarei com vocês. Sede os arautos da minha Palavra e as testemunhas da Justiça, da Misericórdia, da nossa Santidade. Nesta vida você nos terá perto e na próxima estará perto de nós e verá as obras da Divindade. Quando Aquele a quem me referi todo julgamento [607]ele virá dividir a colheita do joio e abençoar os cordeiros amaldiçoando a áspide e os carneiros, você estará ao seu redor, rodas de luz alegre ao redor da tremenda e régia Luz da Divindade encarnada. Você será o novo povo de Deus, o povo eterno sobre o qual meu bendito e santíssimo Filho reinará, e você proclamará seus louvores às estrelas e planetas, porque tudo [608] que foi feito foi feito para tornar a vítima um trono , todo ‘Herói, ao Santo em quem não há mancha e em quem repousa a complacência do Pai, e as estrelas e os planetas devem, na hora de seu triunfo, fazer um tapete de pedras preciosas para o Rei do mundo que passa seguido por sua procissão de santos para entrar na Jerusalém eterna, quando esta história da criação terá terminado com a destruição da Terra e o julgamento dos gentios “.”
No início escrevi a este ditado: “Jesus diz”. Mas, como vedes, é aqui o Santíssimo Padre que fala celebrando o Filho.

[604] Jesus diz . Em uma cópia datilografada, no entanto, o escritor observa: Fala o Pai Ss. Todo o ditado é de Deus Pai . No caderno autografado ele coloca, após a data, a referência a Isaías 41-43 .
[605] parte deve ser entendida não como porção , mas como pertencimento, com base na justificativa apresentada na primeira nota do “ditado” de 29 de setembro. Mais abaixo, reafirma-se a inseparável Trindade de Deus.
[606] ensina a rezar a Mim, Santo Padre, em Mt 6, 9-13 ; Lucas 11, 2-4 ; ensina a amar o Paráclito em João 16: 7-14 .
[607] a quem me referi todos os julgamentos , como é dito em João 5:22 ; dividir a colheita do joio , como está dito em Mateus 13: 30.40-43 .
[608] tudo … foi feito para … como está proclamado em Jo 1, 3 ; Colossenses 1, 16 ; Hebreus 1, 2 .

CAPÍTULO 186


25 de novembro de 1943

   Jesus diz:
«Todas as almas são criadas pelo Pensamento do Pai, que envia estas suas filhas para animar os corpos gerados na Terra. Mas a alma do Puríssimo não brotou apenas do Pensamento do Pai.
Os três amores que convergem no centro, onde nossa Divindade se une e brilha, partem do vórtice de ardores que é nossa Santíssima Trindade. Aí está o ápice do Amor feito pelos três amores reunidos, e para fazer uma comparação humana poderia dizer que aí está o coração da nossa Santíssima Trindade.
Desse coração veio a alma de Maria. Como uma centelha lançada por nossa Vontade de amor, ela se gerou de nossos três amores e de nossos três desejos de possuí-la como filha, como mãe, como noiva, e para criá-la colocamos todas as nossas perfeições porque ela foi destinada a ser a pedra da construção do verdadeiro Templo, a arca da nova aliança, o início da redenção que, como todas as coisas de Deus, traz o símbolo simbólico de três do Deus Triúno.
A primeira etapa da redenção é a criação – mais especialmente obra do Pai – da alma imaculada destinada a descer para habitar uma carne que teria sido um tabernáculo para Deus, e o amor do Filho e do Espírito Santo vigiava abençoadamente sobre sua formação. A segunda vez é quando, por obra do Espírito, aquela sem culpa, toda bela e pura, fundiu o seu ardor de virgem apaixonada por Deus ao ardor do amor de Deus e por obra do Espírito gerou Cristo para as pessoas. Terceira vez, quando Cristo cumpriu sua missão de Redentor ao morrer na Cruz. Mesmo assim, Maria estava unida à obra de Deus e, por obra do Filho, tornou-se co-redentora e vítima com Ele.
A Mãe é a flor totalmente desabrochada em toda a púrpura de seu manto real. Mas a Mãe, para ser tal, teve que começar não só no botão inviolável da Virgem mais cândida, mas também na semente ainda não nascida da qual surgiu o caule, o botão, a flor.
Ao celebrar a data da Imaculada Conceição de Maria, doce fruto do nosso amor e portadora do Fruto do amor infinito, consagrado à tua salvação que sou, tenha em mente não só Maria recém-concebida, mas sua origem – três vezes santa porque para criá-la concorreram nossos três amores – e sua dignidade especial como iniciadora do perdão do Eterno ao homem.
Alvorada serena do dia da Redenção, Ela vem a vós em seu casto esplendor de estrela da manhã e de aurora celeste. A sua astúcia enquanto se prepara para recebê-la precede o meu, e o seu sorriso ensina-vos a Glória a cantar ao Eterno, que na sua mais perfeita Caridade realizou por vós os dois amorosos prodígios da imaculada Conceição de Maria e da minha Encarnação. “

CAPÍTULO 187


26 de novembro de 1943

   Jesus diz:
«Detenhamo-nos no comentário de Isaías. Você está tão cansado, meu amigo, e com tanta dor que precisa de conforto e não de excesso de peso. Minhas palavras, por outro lado, não são dissonantes com o assunto que estamos tratando. Mas, ao contrário, são como um “a solo” na epopeia profética que anuncia minha vinda, minha missão, minha glória.
Deste modo, faremos um dom ao Pai que vos guia e que deseja ouvir Maria, como uma criança que tem a mãe longe e quer saber dela para conhecê-la e amá-la cada vez mais. E em verdade vos digo que padre Romualdo é realmente um “filho” [609] para minha Mãe e minha Mãe é realmente uma “mãe” para ele.
Nem todos os seus companheiros são semelhantes a ele sob o disfarce que os torna iguais. É o coração que é diferente. E é o coração que é tudo. Na sua não é malícia, não é orgulho, não é dureza, não é humanidade dos sentidos e da mente . Assim como tirou o hábito burguês de homem para assumir um assento sagrado, despojou-se de sua humanidade para se tornar apenas servo de seu Senhor, portador de Cristo, luz e voz de Deus e de minha e de sua Mãe.
O seu é o coração de uma criança governando uma mente adulta. E se para ser amado por Mim e conquistar o Céu é preciso saber tornar-se como as crianças, [610] o mesmo é ser amado por minha Mãe que, ao ver um coração que a reflete em pureza, humildade, simplicidade, fé, caridade com a mesma facilidade de uma criança,ele pega aquele coração e o aperta no Coração em que eu dormi .
Não há um mês do ano que não tenha uma festa de Maria como uma joia no cenário de seus dias. Mas dezembro é o mês mariano por excelência, porque contempla as duas maiores glórias de Maria: a imaculada Conceição e a Maternidade divina e virginal. Quero abrir reflexões sobre essa maternidade.
Nada impediu Deus de dar à luz seu Filho na cidade de Jerusalém. Capital da Palestina, centro de fé e poder, na mente humana poderia parecer a cidade mais adequada para o nascimento do Rei dos Judeus. Mas as visões de Deus diferem das dos homens.
Jerusalém não era mais santa. Levava esse nome, mas a corrupção estava em todas as suas camadas: do Templo ao Palácio, das milícias aos cidadãos. Jerusalém já tinha tudo o que queria e quanto aos ricos Dives [611] convém dar-lhe a resposta de Abraão: “Lembra-te de que tens todos os bens”. Todos menos o necessário porque o rejeitou: “o bem de propriedade de Deus” .
Orgulho, arrogância, avareza, dureza, ciência humana, riqueza, luxo e luxúria. Tudo estava nele. E seu ventre estava saturado com esses alimentos humanos, deixando morrer de fome o pobre Lázaro de seu espírito, que, cheio de pragas, desejava ser alimentado com o alimento de Deus, mas encontrou apenas as pesadas pedras das práticas farisaicas no lugar de mel. de Deus.
Deus se retira de onde está tudo o que não é Ele e onde ninguém tenta colocá-Lo naquele “tudo”, para fazer toda a base do trono do Senhor, ao qual todas as coisas da Terra estão sujeitas.
Você, por outro lado, faz das coisas da Terra a culminação de seu pensamento, sobrepondo-as a Deus. Cuide para que o que aconteceu em Jerusalém não aconteça com você. Já está acontecendo com você porque Deus, não mais procurado por você, se retira deixando você em seu “tudo” lábil e perverso, deixando você contar suas riquezas malditas, falsas e demoníacas. Existe apenas uma moeda que tem valor em um tesouro. Um. E você não é o dono.
O presente que faria Jerusalém grande na eternidade foi, portanto, tirado dela. Nem o nascimento e nem a morte de Cristo teriam fechado seus muros, mas apenas o crime da condenação de Cristo, contra o qual até as pedras se rebelaram, caindo para minha morte [612] e desmoronando em obediência à vontade de Deus, quando Jerusalém foi rapada por aqueles a quem, em vão, demasiado respeitado poder, haviam dado Jesus de Nazaré como um cordeiro para ser abatido.
Isso acontece, filhos, quando a medida não é respeitada. O crime nasce e a conseqüente ruína nasce. O erro que nega Deus, substituindo-o pelos deuses das paixões humanas, faz com que Deus o abandone e tire a bênção de permanecer entre vocês. A idolatria dos homens faz com que os idólatras se tornem assassinos para que se transformem em executores de castigos, pois sobre os servos, sobre os escravos é permitido sacudir o chicote e soltar o chicote. É lícito onde a Lei de Cristo não está viva. E idólatras e idólatras negaram essa Lei. Por isso, aos escravizados dão o pão da sua prisão: destruição e cadeias.
Quando, como um fruto maduro prestes a cair do galho, o Filho do Homem estava por vir Luz no mundo, a Vontade Dele, para quem os imperadores mais poderosos são como festuca de palha em uma estrada, predispôs o César para promulgar o Edito. [613]
Não a cidade santa de nome, mas decaída de sua santidade por sua má vontade, mas a cidade-origem em que ainda perdurava a fé do meu servo Davi era aquela que deveria acolher o prodígio do amor dentro de seu perímetro. Em Nazaré, a desprezada pelos judeus, a Abençoada ficou grávida de Mim. Em Belém dos caídos, segundo a orgulhosa suposição dos judeus, Maria deve ter colocado seu beijo de Virgem sobre o Filho de Deus e o dela, que apareceu com o brilho de uma estrela na caverna que há séculos havia sido ordenada para recebê-lo .
É aos humildes que Deus vai . Isso explica por que os eleitos para serem anunciadores de uma graça, conhecedores de uma aparição, portadores de uma vontade divina, propagadores da Palavra, são geralmente pobres aos olhos do mundo, sobre os quais Deus repousa com seu Espírito para abri-los. olhos e ouvidos para o super-sentido, que vê além das fronteiras do humano nas regiões de Deus.
Quando eu quero e, tanto quanto eu quero, eu posso. Posso derrubar um gigante do ateísmo ou do racionalismo com um simples toque de minha vontade, porque sou da linhagem de Davi, o lutador de Golias, [614]e acima de tudo eu sou o Poder, a Força, a Vontade perfeita. Com uma carícia colocada naqueles que, no amor, tendem a mim o espírito, com um simples toque do polegar, posso abrir os sentidos espirituais à visão e audição das coisas sobrenaturais e torná-lo capaz de “conhecer a Deus” como um noiva o conhece noivo.
Até amanhã, filha. Eu irei te levar com Maria que sai da casa de Nazaré para ir a Belém. Descanse em paz.”

[609] filho , expressão análoga em 13 de agosto.
[610] para tornar-se como crianças , como é dito em Mateus 18, 3-4 .
[611] os ricos mergulhos da parábola narrada em Lucas 16, 19-31 .
[612] caindo na minha morte , como lemos em Mateus 27, 51 .
[613] o Edito mencionado em Lucas 2, 1 .
[614] O captor de Golias , conforme relatado em 1 Samuel 17 .

 CAPÍTULO 188


27 de novembro de 1943

   Jesus diz:
«Se todas as mulheres não depravadas conhecem o êxtase da alegria feminina pensando na alegria da próxima maternidade, que êxtase terá alcançado minha santa Mãe, agora próxima de sua sublime maternidade?
A maternidade bem compreendida é o ápice do amor. Mais quente que o amor que une os filhos de uma só cuna, mais casto que o amor que une duas carnes, o amor maternal, quando é justo, é o amor completo, perfeito e supremo dos amores da Terra.
Mas Maria não era apenas a criatura que ama a criatura que se forma nela e que é fruto de um duplo amor pelas criaturas. Maria amou em seu filho Deus, que veio a ela com sua Vontade, com seu Amor, com sua Obediência, para se tornar carne de sua carne.
Ele olhou para seu ventre invadido e viu nele o cibório do Deus vivo. Ele sentiu outro coração batendo e ele sabia disso Coração de um Deus feito carne. Ele antecipou com desejo o momento de fazer de seus braços o meu altar para a primeira oferenda da Hóstia do perdão. E a si mesma jurou me amar como só Ela, sem peso de culpa, poderia me amar para reparar de antemão o que já fazia seus olhos lacrimejarem e seu coração sangrar: as torturas da minha missão de Redentor.
Se é costume dos piedosos fazer um retiro espiritual na véspera de um evento importante para eles, para conhecer a Vontade do Senhor e ser dignos de sua bênção sobre a obra que está prestes a começar, você pode muito bem entender como esta Criatura, já perfeita na oração, cingiu-se de véus místicos para se isolar em um retiro espiritual que crescia cada vez mais à medida que o evento se aproximava.
A viagem de Nazaré a Belém foi feita por Maria como se estivesse cercada por um claustro místico aberto apenas para o Céu, que se aproximava cada vez mais dela para estar acima dela com todos os seus esplendores, suas teorias angelicais, suas harmonias. véu de dossel real cravejado de jóias.
Ele já estava em êxtase. E a multidão que viu passar um homem silencioso conduzindo um burro montado por pouco mais de uma menina completamente absorta em um de seus pensamentos, afastou-se porque parecia que uma luz emanava daquele grupo e um perfume celestial permanecia atrás dele. E a multidão não conseguia explicar por que os mais pobres entre eles pareciam reis diante dos quais as multidões se dividem em deferência como ondas do mar atravessadas por um navio majestoso.
Foi a Estrela do Mar que passou, foi o navio que transportava a Paz que passou entre as guerras do mundo, foi o Vencedor que passou por onde Satanás se arrastou, para limpar o caminho do Verbo que veio reunir o Céu ao Terra.
Pálida e mansa ela foi ao encontro do Amor, não mais apenas o abraço do fogo espiritual, mas o calor da carne real que era de uma mulher, mas que era Deus, e quando José rompeu esse êxtase, penetrando-o respeitosamente como se atravessasse o limiar de Deus, para dar à sua Mulher conforto de comida e descanso, não foram palavras longas, mas apenas um olhar, uma palavra: “José!”, um aperto de mão, e em José a onda de êxtase foi derrubada como de um copo cheio para a borda.
Palavras perturbam a atmosfera onde Deus vive, nem palavras são necessárias para que o justo se convença da presença de Deus e dos efeitos maravilhosos dessa presença no coração.
Ou se acredita ou não. Se você tem Deus em você acredita porque você sente Deus, além dos véus da carne, vivendo em uma criatura. Se você não tem Deus, nenhuma palavra pode persuadi-lo da fusão de Deus com um coração humano. É a fé que dá a capacidade de crer, e é a posse de Deus que dá a possibilidade de ver Deus vivendo em seu próximo. O mistério de Deus não pode ser explicado com um método humano, os porquês de Deus, eles estão acima de seus métodos. Somente vivendo humildemente no sobrenatural você pode ver, através da fresta aberta pela Bondade para você, as relações espirituais e os contatos fascinantes entre uma alma e Deus.
Como faíscas dançando em um fogo, as criaturas escolhidas por Deus para o êxtase vivem em uma festa de esplendor, em um rugido de chamas divinas, em uma fusão de faísca com chama para viver cada vez mais, acender e acender. Alimento que é nutrido no Centro do Amor, eles levam seu amor ao Amor e aumentam sua glória, e dele extraem sua própria vida e glória.
Maria tinha o Fogo Santíssimo nela e ela era fogo. E as leis da vida foram quase anuladas por esse viver de ardor. E cada vez mais eles foram cancelados à medida que o fogo se aproximava para se transformar em carne recém-nascida, então no momento feliz de minha aparição ao mundo ela mergulhou em êxtase, no esplendor do Centro de Fogo de onde emergiu carregando a Flor do Amor, passando das vozes da Chama divina às melodias angélicas, da rutilação da Trindade contemplada à fusão, à visão dos coros angélicos que desceram para dar o anúncio à Terra e a promessa de Paz e coroar a Rainha Mãe, a Mãe do Rei dos Reis; e depois de ter abraçado a Deus com seu espírito arrebatado, ele abraçou o Filho de Deus, seu Filho, com seus braços que não conheciam o abraço humano”.

 CAPÍTULO 189


28 de novembro de 1943

   Jesus diz:
«O sinal característico do meu nascimento no mundo foi a luz.
Muitas vezes os fatos são caracterizados por fenômenos que vocês chamam e explicam como coincidências fortuitas e, em vez disso, são os presságios, os chamados de Deus para atrair sua atenção, desviados atrás de mil coisas mais ou menos necessárias, sobre um fato que marcará uma época. na história do mundo ou na vida de um indivíduo.
Eu era a “Luz” [615] , e a luz me precedeu, me cercou, me anunciou, me conduziu e conduziu os puros de coração a Mim.
Eu te disse [616]que uma luz parecia emanar de Maria enquanto, sobre a pobre média dos pobres, ela passava juntando-se pelas estradas da Palestina. Já lhes disse outras vezes que aqueles que têm Deus dentro de si não emanam apenas espiritualmente vibrações de luz e perfume, pois o Tesouro interno emana da caixa viva que o carrega e é perceptível aos outros seres. Você diz então: “Este tem algo nele que é especial. Que cara! Que maneiras! De um santo”.
Maria era a Santíssima e carregava o Santo dos Santos. Ela possuía, portanto, a perfeição da santidade humana já tão indicada como quase igual à de seu Deus. Ela possuía a Perfeição divina que se revestiu de carne pedindo-lhe que a alimentasse com seu sangue virgem, que a formasse, que fosse sua refúgio para os nove meses de sua formação de homem.
Deus se alimentou de Maria. Deus-Homem é feito de Maria, e de minha dulcíssima Mãe tomei as características físicas e morais da doçura, da mansidão, da paciência. O Pai me deixou a Perfeição, mas eu quis assumir, do Abençoado que era meu casto ninho, a vestimenta física e a vestimenta moral mais preciosa do caráter.
Maria sendo a mais sagrada de todas as criaturas da Terra, ela emanava santidade não mais como um vaso fechado do qual se filtram moléculas de perfume, mas como uma estrela acesa emitindo éteres e raios de poder sobrenatural.
Se o Batista vacilou [617]no ventre de sua mãe, recebendo a onda da graça que emanava de Maria e sendo por ela santificado, a emanação fora tão poderosa a ponto de superar as barreiras da carne além das quais se formou o fruto de Zacarias e Isabel para ser evangelizador (Evangelho significa dizendo “boas novas” e João dava aos homens a “boa notícia” do meu estar entre os homens, por isso não me engano ao chamá-lo de meu evangelizador: isso para as falácias da palavra) quem se aproximasse diretamente de Maria não poderia ficar sem repercussões.
Deixou atrás de si um rastro de santidade ativa e, só que os corações não rejeitaram a Graça, os que se aproximaram tornaram-se predestinados à santidade. Quando tudo for conhecido sobre o homem, você verá que nos primeiros seguidores do Filho de Maria há muitos daqueles que tiveram relações até mesmo casuais com ela e permaneceram lavados e penetrados pela graça que dela derramou. Você conhecerá muitos prodígios, então, operados por minha Toda bela e Toda graça.
Maria agora converte os corações mais duros e salva os pecadores mais teimosos, mas o ciclo de seu poder não começou desde o dia em que, Estrela que volta ao céu, Ela ressuscitou para descansar novamente em meu Coração e fazer mais bonito por Mim. Paraíso, para completá-lo, porque agora era Ela, a Mãe a quem amei infinitamente e a quem devo tudo, como homem, em troca de tudo o que dela tive. A santificação do povo por meio de Maria começou a partir do momento em que o Espírito a fez Mãe e o Filho de Deus se fez carne em seu ventre bendito.
Saturado dessa emanação a ponto de se tornar quase como o Cheio de graça, era José. Lágrimas de felicidade caíram sobre o Justo pela alegria que o inundou, a alegria mística de um contemplador que se debruça sobre um milagre da manifestação de Deus.Adoração e silêncio eram as características de São José. Venerável respeito pelo bem-aventurado de quem era o protetor natural. É amor.
O primeiro amor casto de um esposo, amor como o dos homens segundo o pensamento do Criador: amor sem o aguilhão do sentido e sem a lama da malícia. Um amor natural e angélico juntos porque na alma de Adão e seus filhos, segundo o pensamento criador, devia ser a pureza angélica do espírito misturada com a ternura humana, e como uma flor que desabrocha sem pecado do caule que a carrega por isso tinha que, sem verme de luxúria, o amor surgir nos esposos e dar filhos a leitos castos.
Ser casto não significa proibir o casamento. Significa fazê-lo pensando em Deus que faz dois animais racionais, dois criadores menores, e como Deus criou macho e fêmea sem pensar em malícia e não colocou luz de carne em suas pupilas para revelar a carne aos inocentes, então os esposos deve fazer do casamento uma santa criação alegre por berços, mas não manchada pela luxúria.
O esposo amoroso honesto e santo procura tornar-se semelhante ao outro esposo, pois aquele que ama tende a se assemelhar à criatura amada, de modo que o casamento, bem entendido, é elevação mútua, pois não há ninguém que seja completamente pérfido e basta melhorar cada um tomando como exemplo o bem do outro para subir a escada da santidade em competição mútua. Como uma planta que lança um galho mais alto que o anterior e sobe, sobe para o azul, assim é a santidade conjugal e individual. Hoje é uma virtude. Amanhã desta virtude surgirá outra cada vez mais elevada, e das virtudes humanas da resistência mútua nos elevamos às alturas do heroísmo sobrenatural.
José, santo e casto esposo da Santa e Casta, desde criança com o mestre aprendia dia a dia o conhecimento de ser semelhante a Deus e, como em seu justo coração nada era obstáculo à Graça, dia a dia de seu amado Mestre ele tomou semelhança, assemelhando-se assim a Deus de quem Maria era a cópia mais perfeita.
Na noite santa, o que despertou José, orando com tanta força que chegou a se cercar de uma barreira mística isolando a alma do exterior, foi a luz.
Na gruta, a princípio iluminada por uma pequena fogueira de mato que já definhava por falta de comida, alargava-se uma luz calma que aumentava pouco a pouco até à luz da lua que, primeiro coberta por véus de nuvens, depois se liberta da e desce direto para tornar a Terra prateada.
Na claridade estava Mary, ainda ajoelhada – desde que eu nasci enquanto Ela era agora – mas abaixada sobre os calcanhares. Foi Maria que com lágrimas e sorrisos beijou minha carne infantil.
Não há muitas palavras até agora. O de sempre: “Joseph!”, E a apresentação a ele do Fruto do seu ventre sagrado.
A Família foi a primeira redimida por Deus . Reconstruído como o Eterno havia pensado. Dois que se amam de maneira santa e que santamente se encontram curvados sobre um recém-nascido, e no beijo que trocam naquela cuna não há gosto de luxúria, mas gratidão mútua e promessa mútua de amar um ao outro com amor mútuo que ajuda e confortos.
Quando os primeiros pastores entraram, encontraram novamente os dois Santos unidos assim pelo amor e pela adoração, e José parecia, um homem maduro, o pai da Virgem e do Menino, tanto em sua aparência era visível que a ternura desprovida de carnalidade que, infelizmente, só se vê nos olhos de um pai.
A Luz já estava na Terra e dos céus abertos a luz descia em ondas de anjos anulando com seu esplendor paradisíaco a luminosidade das estrelas da noite clara. Não foi percebida pelos eruditos, pelos ricos, pelos saciados de prazeres, mas foi dada aos humildes trabalhadores que cumpriram seu dever.
Dever sempre sagrado, seja ele qual for. O dever do rei que assina os decretos não é superior ao do camponês que lavra a terra ou do vaqueiro que cuida do rebanho. É o dever. É a Vontade de Deus, portanto é sempre nobre. Portanto, alcança a mesma recompensa ou a mesma punição sobrenatural. E não será usar uma coroa ou segurar uma gravata que o salvará do castigo ou lhe negará o prêmio. Aos que cumprem o seu dever, fazendo assim a santíssima Vontade, Deus se manifesta e o toma como testemunha dos seus prodígios.
E aos pastores Deus se manifestou e [os pastores] foram chamados a testemunhar o prodígio de Deus. Na luz que agora se tornara deslumbrante, porque todo o Céu estava ligado e na caverna, Emmanuel era visível aos segundos redimidos da Terra : aos trabalhadores. Porque Deus veio para santificar a Obra depois da Família. O trabalho, dado como maldição [618] ao homem depois da culpa de Adão, tornou-se uma bênção, pois o Filho de Deus queria tornar-se obreiro entre os homens.
A Luz veio ao mundo. E a pequena gruta, não a limitada zona rural de Belém, não foi suficiente para contê-la. A Luz se espalhou para leste e oeste, como uma pipa [619]e ao sul. Ele não falou com os foliões com sua aparência, ele não disse palavras para os buscadores de prazer com sua vibração. Ele falou àqueles que, puros de coração e ansiando pela Verdade, humilharam a mente culta aos pés de Deus e se sentiram átomos diante de Sua Santidade.
Aos poderosos que se fizeram instrumento de conquistas espirituais a Luz foi mostrada, e ele os chamou para adorá-la com um brilho que enchia as quatro pontas do firmamento. Aos poderosos, porque Deus veio para santificar os poderosos depois dos trabalhadores e da família, e com os poderosos, a ciência. Mas não para os poderosos ímpios e para os cientistas ateus Deus se manifesta e os cobre de bênçãos, mas para aqueles que fazem do dom do poder e do conhecimento um meio de elevação sobrenatural, não de opressão ou negação.
Deus também é Rei dos reis e Deus também é Mestre dos professores. A Luz encontrou muitos mestres na Terra, mas somente para os mestres desejosos de Deus a Luz se tornou um chamado. É sempre assim. A graça opera onde há o desejo de possuí-la e quanto mais ela age, até se tornar Palavra e Presença, mais vivo é o desejo de possuir e ser possuído.
Diante do Rei dos reis, guiados pela única coisa digna de ser atribuída a Deus: a luz, os poderosos vieram das terras remotas, o primeiro escalão dos infinitos que, para todo o sempre, teria empreendido a marcha mística para vá para Deus, para os poderosos da Palestina, não para aqueles que se acreditavam guardiões dos segredos e decretos de Deus – e os tornaram incompreensíveis, [620]para eles, tais decretos e segredos, porque não havia santidade neles, e os sinais do Céu e as palavras do Livro eram meros meteoros e palavras simples sem significado sobrenatural – mas para aqueles distantes.
Eu tinha vindo Luz ao mundo. Luz para o mundo. Luz para o mundo. Chamei o mundo para a Luz. No mundo todo.
E eu chamo isso . Chamo isso há vinte séculos, sem parar. Na tua escuridão não cesso de deixar brilhar a minha Luz. Se soubesses ultrapassar a barreira de neblina que espalhaste pelo mundo, verias o Sol divino sempre resplandecente e benigno sobre os homens, sobre todos os homens.
Nem é surpreendente que aqueles que estão mais distantes da Roma católica agora o precedam. Gaspar, Melchior, Baldassarre, [621]de três pontos da Terra nas costas pacientes dos camelos vieram à Luz do mundo, não vista pelos compatriotas do Filho de Maria. Africanos, asiáticos, australianos vêm à Cruz que você rejeitou. E eles vão te ultrapassar . No último dia, quando o tempo e os homens serão iluminados em todos os pontos e lados, vocês verão a lacuna ingrata deixada por vocês, católicos há séculos, enquanto os outros: idólatras e hereges, fascinados por Cristo, o Santo Senhor, terão fluíram com suas almas feitas virgens pela Graça.
Quantos movimentos obscuros no mundo civilizado! É sua vergonha e seu castigo. Você nunca deve ter e nunca deve permitir que a Luz dada a você pela primeira vez seja rejeitada e negada por você. A escuridão mata você e você não quer deixá-la. Deles vêm, como os odiosos animais da noite, todos os males que te atormentam e se alimentam do teu sangue, do teu tormento.
Você não me quer mais. Você não me entende mais. Você não me conhece mais. Nem mesmo os da “minha casa” [622] me conhecem mais. E acho difícil conhecê-los, de tanto que as muitas doenças da carne e da mente os tornaram feios.
Mas – neste primeiro domingo do Advento, que anuncia a vinda da Luz ao mundo, eu vos suplico, ó filhos – mas se já não ousais olhar para Mim, Redentor e Juiz, porque a dor desanima a vossa alma e com medo, justiça terror, olhe para mim, criancinha no ventre de Maria. Uma criança não pode ter nada além de carícias e sorrisos. E eu tenho estes para você.
Tem misericórdia da minha nudez e da minha pobreza. Não de roupas e dinheiro, mas de amor. Do seu amor . Não quero ouro, nem incenso. Eu só quero o seu amor. Eu quero porque me amar e me conhecer é Vida e Verdade. Assim como Maria me gerou pelo amor, quero gerar você pelo amor. O meu está vivo e funcionando, mas o seu também é necessário.
Venha a Mim e receba-Me em você. Abrirei torrentes de Luz e Graça em vocês e farei com que se tornem filhos de Deus como eu sou. Bem-aventurados os que recebem minha Luz. estarei neles. Eu viverei neles, em seu espírito. Já que o Verbo não precisa de moradas de barro, mas de moradas vivas: ele quer os espíritos dos homens para sua morada.
A glória de Deus é revelada a quem me recebe, porque onde eu estou o Pai e o Espírito estão comigo, e a glória do Senhor se revela plena e alegre a eles, e a graça é a sua vida e, como o sol de ‘no alto do céu, a Paternidade, a Fraternidade, a Caridade divina estão sobre eles e eles dão antecipações de bem-aventurança.
Maria em seu brilho extático me oferece ao seu amor. Curve a testa para o Amor feito carne. Ele deixou os céus para levá-lo aos céus. Ele veio na guerra para trazer a paz a vocês.”
Por três dias os rios de êxtase se abriram para minha alma e eu me alegro tanto na visão quanto na palavra. Minha alma se faz candura e luz, porque a candura da Virgem Mãe e a Luz estão em mim.
Glória a Deus por sua bondade que concede ao seu servo ver o que os anjos viram e que inunda minha alma com sua paz.
O rádio agora está transmitindo o Agnus Dei para a missa dominical. Mas eu vi o Cordeiro recém-nascido dormindo no ventre da Candor… e é mais bonito que a mais bela música…

[615] Eu era a “Luz” , como em João 1, 1-14; 8, 12 .
[616] Eu disse , na véspera; Já disse outras vezes , por exemplo, em 10 de junho e 30 de setembro.
[617] saltou , como lemos em Lucas 1:41 .
[618] dado como uma maldição , em Gênesis 3, 17-19 .
[619] pipa (norte), em vez de Austro (meio-dia), é a nossa correção.
[620] e eles tornaram esses decretos e segredos incompreensíveis para eles é uma frase modificada por nós em vez da original: e esses decretos e segredos os tornaram incompreensíveis
[621] Gaspar, Melchior, Baldassarre são os nomes atribuídos aos Magos mencionados em Mateus 2, 1-12 . O evangelho do nascimento e da infância, dos quais vários episódios emergem aqui, está contido em Mateus 1, 18-25; 2 ; Lucas 1, 26-56; 2 .
[622] “minha casa” parece aludir às expressões de Marcos 6, 4 ; João 1, 11 .

CAPÍTULO 190


29 de novembro de 1943

   Jesus diz:
«Desde o início da oração, a graça do Senhor desce sobre ti. Falo da oração santa, não do pedido tolo de coisas inúteis, ou de Deus e da moral reta reprovada. O Eterno que cuida de você do céu não tem um coração de bronze semelhante ao seu que você é duro com seus irmãos e ingrato para com Deus. Ele imediatamente se inclina sobre você quando com um coração humilde, amoroso e confiante, quando com sacrifício e constância , você pede a Deus que tenha misericórdia.
Pão e conforto, conhecimento e orientação que Deus lhe dá quando você se volta para Ele. E se você nem sempre for atendido, não pense que ficará sem resposta à sua oração. Por um “isso” negado por uma Inteligência que tudo sabe, recebes outras dádivas que nem sempre aprecias imediatamente e das quais não agradeces imediatamente. Mas mais cedo ou mais tarde você tem que reconhecer essa Bondade inteligente que te cura. E se você não o conhece aqui, certamente será além da vida da Terra que você saberá o quão grande e bom o Senhor foi para você.
Para Daniel que ainda estava orando [623] – e você poderia fazer sua oração mesmo agora – meu anjo falou.
O Consolador, que é também o Anunciador, nunca está separado daquilo que me diz respeito. Mensageiro de Deus, espírito obediente e amoroso, sempre fez sua alegria para levar a vontade de Deus aos homens e consolar os que sofrem. Ele não deixou o céu rapidamente apenas para o anúncio abençoado, para consolar Joseph, para consolar minha terrível agonia. Ele já tinha ido aos profetas para trazer a palavra e revelar o futuro que me diz respeito como Messias. Espírito inflamado de amor, paira próximo aos que desejam de Deus e traz os suspiros dos amantes a Deus e as luzes de Deus aos seus amantes.
Só um poderia remover a prevaricação, o pecado e a injustiça da Terra, que merecia um novo dilúvio e que só foi submersa e purificada por um Sangue divino e inocente. Eu, verdadeiro Deus feito carne para você. A corrupção, o pecado, a injustiça e a guerra entre o homem e Deus terminariam quando o Santo dos Santos, o Inocente morto por amor aos homens, fosse ungido não pela unção real, mas pela unção fúnebre.
Suspiro dos Patriarcas e de todo o povo de Deus, o Messias teve que ressuscitar para criar a nova Jerusalém que não morre para sempre. A Igreja que vive e viverá até o fim dos séculos e que continuará a viver em seus santos além dos dias desta Terra. E a Daniel é dado conhecer o número de dias que separam os vivos do tempo do Senhor e as consequências da iniqüidade do povo que responde ao prodígio de Deus com condenação.
A condenação de Cristo marca a condenação do povo.
Um crime sempre atrai uma punição. E como nenhum crime é maior do que o de assediar o inocente e caluniar o inocente, que punição poderia ser reservada para aqueles que mataram o Inocente, senão a destruição total do lugar onde a abominação se instalou?
Agora os sacrifícios são inúteis quando a medida é excedida. Deus é longânimo, mas não é injusto. E perdoar a persistência em pecar depois de ter dado todos os meios para conhecer o erro e sair dele, e retornar a Deus, seria uma injustiça da parte de Deus para com os justos e para com aqueles a quem os ímpios torturaram.
As setenta e duas semanas podem agora ser até séculos, ó filha, e no fim delas vem a desolação na Terra e abominação onde tudo deveria ser sagrado. Você já está a caminho.
Demasiado desmoronamento da ciência humana corrói como uma cárie os corações dos meus ministros que não sabem que pertencem a Deus, mas ao mundo, e que absorvem o espírito do mundo e dão ao mundo seu fôlego não mais do Céu. É a grande dor de Cristo. Muitas áreas sem igrejas. Muitas igrejas sem padres. Muitos fiéis sem guia. Muitos corações sem amor.
Se Gabriel voltasse, dificilmente encontraria corações que soubessem rezar como Daniel e que acolhessem sua palavra sem vivissecá-la a ponto de matá-la para estudá-la e chegar ao ponto de negá-la. E isso já não é uma abominação na casa de Deus, onde pelo menos seus ministros, esses pelo menos, deveriam ser luz para as multidões?
Cristo, você o está matando pela segunda vez. Em seu espírito você o mata. E em breve você não será mais seu povo, mas uma tribo de idólatras. Portanto, não reclame se o céu estiver fechado em seu fermento de abominação.
Em verdade vos digo que, se não vos converterdes ao Senhor vosso Deus, a desolação durará até ao fim ”.

[623] ele orou , como lemos em Daniel 9, 20-27 , ao qual se refere a nota do escritor ao lado da data. Há referências a três episódios em que o mesmo anjo, que havia falado com o profeta Daniel, apareceu para anunciar ( Lucas 1, 26-38 ), consolar ( Mateus 1, 20-21 ) e confortar ( Lucas 22, 43 ) ).

 

CAPÍTULO 191


30 de novembro de 1943

   Jesus diz:
«Foi-te dito [624] a razão pela qual Belém foi a predestinada de todas as cidades de Judá para ser aquela que receberia o Salvador. Grande não tanto pela morte de Raquel e pelo cetro que lhe veio com a linhagem de Judá [625] , mas por ter acolhido o verdadeiro Rei a quem todos os povos, até o fim dos tempos, ou com amor sem limites ou com ódio igualmente ilimitado, eles assistirão.
O esperado dos gentios, cujo cetro é uma cruz, cuja lei é o amor e o perdão, cuja obra é a redenção, onde Raquel morreu, dando à luz o filho de sua dor e dando a Jacó o filho querido como a mão direita de um homem, ele tinha de vir à luz Daquela, muito maior do que Raquel em méritos e dores, que se fez mãe não por obra carnal, mas por obra do Espírito Santo e pela vontade do Eterno, deu à luz seu Unigênito contra seu humano pensamento.
O Filho foi dado à Virgem que nunca pensou conhecer a maternidade. O pão da obediência foi partido por Maria antes de ser partido por Jesus, que, como o Pai, não obriga os seus a obedecer-lhe, mas pede-lhes que adiram ao amor para se doarem a eles. Maria, portanto, deu à luz o Messias, o Mestre do mundo, que permanecerá em sua terra (Palestina) até que a terra culpada o rejeite de seu ventre, tingindo suas vestes não com o sangue de uvas, mas com seu sangue divino. .
O Filho do Homem subirá então ao Céu, saindo do sepulcro como uma pedra lançada de um arco. Mas ai daquele lugar que o rejeitou, e ai daqueles corações assassinos! Por todas as desolações infligidas ao Santo eles serão desolados e com o nome de deicídio ficarão na história ao longo dos séculos.
Nascido como Filho de Deus desde os dias da eternidade, gerado como filho do homem desde o tempo marcado por Deus, Ele não governará com as vestes e a coroa do domínio humano. Mas se ele não reinou na terra de Judá e se a terra de Judá o tratou como um criminoso, seu reino, eu juro a você, virá sobre isso também.
Em sua mão direita reunirei todas as raças, pois meu Filho as redimiu a todas, escolhendo dentre elas aqueles que têm sede de Verdade em si mesmos. Rei cujo reinado não terá fim, ele dominará na eternidade e em tudo que pus um banquinho a seus pés trespassados, com sua força de amor.
E bem-aventurados aqueles que se converterem ao amor por ele ou permanecerem fiéis a ele até o fim. Eles herdarão a Terra com Ele, e a Paz da qual Ele é o Criador será sua herança para todo o sempre”.
Também aqui [626] percebo, lendo o escrito, que o Pai Nosso fala.
São 9 da manhã. A outra música, a do dia 29, escrevi à noite, em meio a sofrimentos atrozes que me torturavam o dia todo até culminar em uma crise de asfixia às 18h.
Foi desde as primeiras horas da noite que Jesus me teve em seu poder: desde que me disse: “Procure o ponto das 70 semanas”. E asseguro-lhe que também sofri por isso durante o dia. Eu era meio sonhador. Os outros também notaram. E eu mal podia esperar que fosse noite, porque senti que Jesus estava esperando aquela hora para falar. Mas eu estava tão cansado que confesso a você como se estivesse em confissão que escrevi apenas pela força que me foi dada palavra por palavra por Jesus.Dormi em pé, com os olhos fechados. Assim que terminei, fechei o caderno sem me preocupar com mais nada, e só esta manhã compreendi o significado do que havia escrito mecanicamente.
Bom Jesus! Que secretária grogue eu devo ter sido! Mas se ele está feliz…
Mas você também percebe: não há exclusões ou palavras omitidas, uma removida na segunda e outra na terceira e quarta página. Sinal de que, se tudo estava esgotado, até o espírito, a ponto de não gozar das palavras de Jesus, sua força guiou minha mão.

[624] foi dito em 26 de novembro; predestinado em Miquéias 5, 1-5 ao qual se refere a anotação do escritor ao lado da data; a morte de Raquel mencionada em Gênesis 35, 19-20 .
[625] Judas também sabia ler David , já que o escritor sobrepôs os dois nomes. Belém pertencia à tribo de Judá e era o lar de Davi.
[626] Aqui também , como em 24 de novembro.

CAPÍTULO 192


1 de dezembro de 1943

   Maria diz :
«Desde que carreguei o Filho dentro de mim, tenho visto todas as coisas com olhos diferentes. No ar que me rodeava, no sol que me aqueceu, no raio de lua que desceu ao meu quartinho para me fazer companhia nas minhas meditações noturnas, no brilho das estrelas, nas flores do pequeno jardim ou nos campos de Nazaré, na água que cantava na fonte construída por José para evitar o cansaço físico e moral de sair da minha solidão quase habitual, nos cordeirinhos com voz de criança, vi meu Senhor, o Pai do meu Filho, Esposa do meu espírito virginal, vi sobretudo o meu Filho para quem tudo foi feito. [627] Os seus olhos abriram-se em mim e vi com os olhos do meu Deus que era a minha criatura.
As virtudes cresciam em mim como um fluxo de maré crescente e quanto mais crescia minha Criatura, mais sua infinita Perfeição penetrava em sua Mãe, como se de sua carne sagrada o poder, que ele teria liberado inteira nos três anos de vida. seu ministério. , fluiu com raios de éter espiritual para renovar-me a todos.
Oh! filha! Deus, na sua bondade, fez-me saudar: [628] “Cheio de graça”. Mas a plenitude estava em mim quando eu era um com meu Filho. Então foi minha alma que, una com Deus, teve a abundância das virtudes dEle.
A caridade foi o preeminente daquele momento. Se antes amava, depois superei o amor da criatura, porque amei com o coração da Mãe de Deus. Arsi. O fogo é um véu de geada em um campo de inverno comparado ao calor que havia em mim. Eu via as criaturas não mais com o pensamento de uma mulher, mas com a mente da Esposa do Altíssimo e da Mãe do Redentor. Essas criaturas eram minhas.
Minha maternidade espiritual começou então porque, não, não havia necessidade de Simeone [629]falou para conhecer o meu destino. Eu sabia porque possuía a Sabedoria em mim. Ela se tornou carne em mim e suas palavras correram como sangue pelo meu ser e fluíram para o coração onde eu as guardei. A vida futura do meu Filho não tinha segredos para sua Mãe que o deu à luz. E se isso era tortura, já que eu era Mulher, era também bem-aventurança igual à da minha Criatura, pois fazendo a Vontade de Deus e redimindo para reunir a Deus os divididos e obter a anulação da culpa e o aumento da glória do Pai, é o que faz felizes os verdadeiros filhos de Deus. E os fundadores são meu doce Jesus e eu, pela bondade do Pai, sua Mãe.
Quando você realmente ama, você vive não para si mesmo, mas para os outros. Quando se possui Deus, ama-se perfeitamente e por trás da caridade vem todas as outras perfeições. Até os sentidos humanos são aperfeiçoados, de modo que tudo ao nosso redor adquire luz, voz, cor diferente e, sobretudo, carrega um sinal que só os possuidores de Deus vêem: o seu, santo e inefável; e não há necessidade de dizer palavras para orar, pois basta que nossos olhos pousem nas coisas criadas para que nosso coração se eleve na oração mais elevada que é a fusão com o Criador.
Cantemos então o Magnificat [630]por todas as coisas que o Senhor fez por nós, porque, Maria, quando nos entregamos a Deus, Deus nos faz rainhas e nos separa de seus bens, para que até os mais humildes possam dizer: “Minha magnífica alma, seu Senhor , que olhou para o seu servo por quem fez grandes coisas, e de agora em diante meu nome é ‘bendito’! “.”

[627] para quem tudo foi feito , como em Jo 1,3 ; Colossenses 1, 16 ; Hebreus 1, 2 .
[628] fez-me saudar , como se diz em Lucas 1,28 .
[629] Simeão , cuja profecia é relatada em Lucas 2, 25-35 .
[630] Magnificat , que se lê em Lucas 1, 46-55 .

CAPÍTULO 193


2 de dezembro de 1943

   Jesus diz:
«Sempre, quando o homem se separou de Deus e do sobrenatural para se dedicar a si mesmo e às coisas naturais, diminuiu em si mesmo a felicidade de possuir também o natural.
A primeira a morrer é a alegria sobrenatural, essa segurança e essa paz que te fortalece nas vicissitudes da vida, porque o homem não se sente só, mesmo que esteja num deserto, mesmo que sobreviva em um país destruído, porque sente sobre si mesmo e ao seu redor o amor de um Pai e a presença de forças imateriais, mas sensíveis aos seus sentidos espirituais. Bem-aventurados os que estão nesta alegria! Eles possuem as riquezas eternas.
O segundo a perecer é o bem-estar natural. Não olhe com inveja para aquele que, embora vivendo em desgraça para Deus, parece ter enchido seu prato. Você não sabe o que e quantas outras coisas estão faltando na casa dele, ou quanto tempo aquele prato vai durar cheio.
Em todo caso, saiba que quanto mais aumenta o bem-estar atual do rebelde contra Deus, mais aumenta o rigor de sua vida após a morte. Não serão os mergulhadores [631] no colo de Abraão, mas o Lázaro com um coração rico em obras santas e obediência à santa Vontade.
Os rebeldes vivem, e também os esquecidos do Senhor, esforçando-se para aumentar a bolsa e o celeiro, casas e fazendas, ofícios e honras. Ó infelizes iludidos, que se esforçam mais para saciar-se quanto mais o germe do pecado os rói, como faz um roedor em um saco de trigo que sempre embota, mesmo que esteja sempre cheio, pois o castigo de Deus está em seu trabalho!
O que você tem, hoje que você fez o propósito de sua vida com o presente que morre e você não tem mais os olhos do espírito para ver Deus ou o batimento cardíaco do espírito para pensar em Deus? Suas façanhas foram bem sucedidas? Sua riqueza aumentou? Sua felicidade cresceu? Não. Como o fogo de um celeiro eles tinham um fogo rápido que seduzia os simples (não de espírito), mas que durava tão forte quanto um lampejo na panela e que perecia deixando poucas cinzas que o vento dispersava e tornava amargo no paladar e hostil aos olhos. Seu aparente triunfo resultou em derrota e dor e o dominou e o seduziu.
Volte para Deus, eu digo mais uma vez. Acima dos interesses individuais, e também nacionais, há um interesse maior: o de Deus. E é isso que deve sempre ter precedência. Se assim fosse, você não cairia nos erros e crimes, individuais ou nacionais, em que você cai, pois o interesse de Deus não é feito de coisas más, mas santas. E onde há santidade não há erro e crime.
Não apenas, trabalhando como você faz, você empurra Deus para puni-lo em seus campos, em seus rebanhos, dando-lhe fome e seca, mas você impede a propagação do céu de um orvalho muito mais vivificante do que o orvalho do noite que cobre os caules dos prados e faz crescer as colheitas e os fenos. É o orvalho da graça nos corações que você impede de ser dado a você. É Cristo que não pode trabalhar em você .
Escusado será dizer: [632]“Que os céus chovam os justos na terra”. Ele desceu uma vez, mas você permaneceu, e mais e mais você se tornou, terras áridas e pederneiras áridas. Enclausurado você está em seu espírito preso em carne e sangue, morto por carne e sangue, e o Salvador não pode entrar para salvá-lo.
No entanto, eu irei. Virei incansável e singularmente para tentar as portas dos corações, e onde encontrar quem me abrir entrarei para fazer de vós um lar de paz. Eu virei, porque ainda sou o Desejado pelos justos da Terra e pelos santos para a Terra, virei assumir meu Reino para minha segunda vinda e meu triunfo final.
Eu atrairei o mundo dos vivos do espírito para Mim e raças e nações convergirão para Mim para ver Minha glória coroada com uma cruz. A paz fluirá, pois sou o Senhor da Paz, fluirá como um rio de leite sobre o mundo para virginizá-lo de brancura depois de tanto sangue, que clama a Deus em todos os continentes sua dor de ter sido tirado das veias pela mão dos irmãos.
O sangue, desde Abel até o dia da minha morte, lavei desta Terra com meu Sangue. Mas mais tarde, o crime do ódio humano, que é fruto satânico, tornou a Terra impura, e não há torrão em seu planeta que não tenha conhecido o gosto do sangue. Desses torrões embebidos em sangue humano surge um miasma que o torna cada vez mais selvagem. Existe apenas o meu poder que pode purificar o que o cerca e o que você tem dentro de você. E quando chegar a hora, virei limpar você e a Terra do ódio humano para que seja apresentável a Deus com seus seres vivos.
A última luta será de ódio puramente satânico e então haverá apenas Satanás e seus filhos para odiar. Agora você odeia todo mundo . Até os santos entre vocês odeiam [633]mais ou menos o inimigo e o vizinho. E isso facilita as obras de Satanás e atrapalha as obras de Deus em indivíduos ou nações.
Não tenha nenhum ressentimento ou desprezo, você que me é mais querido, pelo menos você. Eu morri por todos, lembre-se disso. Italianos, franceses, ingleses, espanhóis, alemães ou romenos são igualmente tingidos com meu Sangue. Eu consolidei todos vocês no estoque da Videira divina com meu Sangue. Por que te odiar então? Nenhuma divisão de raças, nenhuma divisão de cultos justifica seu rancor.
Só eu sou o juiz. Quem se enfurece com o próximo em nome da Fé ou da Pátria é contrário à Caridade e, portanto, a Deus. Não amaldiçoarei os enviados para lutar porque ensinei obediência às autoridades. [634]Mas meu anátema já foi dito, e encherá o firmamento de trovões no dia do Juízo, para aqueles que, sob um manto mentiroso de patriotismo e defesa da Fé, reivindicam o direito de saquear e matar para servir a si mesmos.
Não acene uma bandeira na qual você não acredita. Não pronuncie defesa do que você despreza em seu coração. Não diga: “Eu sou o defensor de Deus e da Pátria, da causa de Deus e da Pátria”. Você mente . São vocês os primeiros a atacar isso e aquilo e que prejudicam não a Deus, superior aos seus ataques, mas ao país. Comece a defender Deus em você e a Pátria em você, e não troque [635] Fé e Pátria por um prato de lentes ou por trinta denários malditos.
Destruidores e mentirosos. Adúlteros da Fé e da Pátria. Escarnecedores de sua doutrina e de sua mente, porque dizem uma coisa e fazem outra, porque sabem que o que fazem é ruim e fazem o mesmo, porque defendem uma ideia ou a Fé e depois a traem por um amor baixo, porque você mente para si mesmo e para os outros porque destrói o que os outros cultivaram para lhe dar como legado.
Ó cruéis, que destroem até a obra de Deus e matam o templo de seu corpo, no qual está uma alma morta, e o templo de Deus, pois nas igrejas os fiéis e os ministros “vivos” não são mais do que muito raros !
Quais são os seus rituais feitos com uma alma morta? Não vos recordais que a Deus [636] devem ser oferecidas hóstias vivas, perfeitas e primeiras? E você oferece as sobras, os mortos, os mortos?Morto porque o que você toca com a alma morta você mata, você é massacrado porque o que você dá a Deus com a alma doente você deforma, você avança porque você guarda para Ele o que te ultrapassa depois de ter se tornado gordo para seu gozo.
Volte para Deus, volte para Cristo. Sacerdotes, voltem a se tornar “padres”. Você precisa de sua consagração, este óleo que flui do eterno Sacerdote. Muitos de vós estão reduzidos a lâmpadas sem óleo, [637] e os fiéis estão perdidos porque não têm luz nas trevas. Traga a Luz para eles. Eu sou Luz do mundo. [638] Mas não podes levar-me se não me tiveres dentro de ti.
E não insulte meu porta-voz se ele lhe disser isso. Abençoe-o, em vez disso, porque ele faz você conhecer a verdade e lhe dá a oportunidade de olhar nas dobras de sua alma e remover tanta poeira que a suja. Se a verdade é amarga e você está arrependido, pense que é sua culpa se ela lhe for contada. Esta verdade não era para ser merecida. Foi melhor. Mas já que você mereceu, não tenha fermento para o meu porta-voz que lhe diz com lágrimas. Pois se o escolhi para fazer isso, é porque o amo e vejo em seu espírito uma morada na qual sempre sou recebido com respeito como súdito do rei e com a simplicidade de uma criança para com o pai.
Eu disse: [639]“Quem me ama faz as mesmas obras que eu”. Porque vivo em meus amadores, vítimas que se aniquilam no amor até morrer, e neles trabalho as maravilhas do meu poder.”
Logo depois de mim. Jesus diz:
«Tomei-te como uma criancinha e coloquei-te entre eles porque é às crianças que Deus fala de preferência. Filhos de anos ou filhos de espírito, porque neles há simplicidade e pureza para acolher as revelações de Deus
. instruir você. Os adultos não precisam ser conduzidos, a menos que sejam cegos ou educados porque “sabem” e se gabam disso.
O que eles sabem? Diz [640]o Amado que eu amo e que te ama como você o ama, sua irmãzinha, que se todas as maravilhas feitas por Cristo fossem escritas, a Terra não seria suficiente para conter os volumes.
Se a hipérbole é forte, não é menos verdade que, se desde o momento em que vim ao mundo até agora e desde agora até o fim do mundo, as maravilhas que realizo fossem escritas, haveria numerosos volumes como estrelas em o céu, e também é verdade que o que aqueles que pensam que sabem tudo sabem é um punhado de areia comparado com a areia da praia.
As luzes de Deus são inesgotáveis ​​e inesgotáveis ​​e não há nenhuma que seja inútil ou não exata. Portanto, aqueles que “sabem” são semi-analfabetos, aos quais não posso ser Mestre, porque em seu orgulho tolo acreditam que não precisam de mestre e se permitem rever a obra de Deus que leva uma criança para instruir os sábios. .
Se te incomodam com as suas críticas e censuras farisaicas, responde à minha resposta: [641] “Não sabes que devo servir aos interesses de meu Pai?”, E não te assustes.
Você estava em meus braços antes. Agora o Pai e a Mãe também te seguram. Você está mais seguro do que um bebê no peito da mãe e um pássaro sob a asa da mãe. Mas continua “pequeno”. Você sempre terá nosso leite para se alimentar .
E os cegos de boa vontade, pondo a mão na tua mãozinha, que não avilta porque a ajuda de uma criança nunca mortifica, poderão ter orientação no caminho da Vida.
Vá em paz, descanse. Eu te abençoo. ”
Escrevi esta primeira peça de 1h às 2h. Depois fui dormir para descansar. Mas depois de alguns minutos Jesus voltou a falar. Confesso que estava de nicho para sair das cobertas agora que estava começando a esquentar. Mas a insistência foi tanta que me decidi e, congelando de novo, escrevi o segundo ditado, todo para mim.
Agora são 10 da manhã e quando abro o jornal vejo o decreto sobre os judeus. Você não acha que tem [relevância] para o 6º e 7º lado do ditado de 2? (Eu fiz uma marca vermelha [642]na passagem que me parece ser uma resposta divina a este decreto humano).
Você deve ter notado que ontem eu estava feliz… A voz de Maria cantou em meu coração e me encheu de felicidade. Eu queria dizer a ele minha alegria imediatamente. Mas eu não podia. Mas acho que olhando para mim ela deve ter entendido que eu estava imerso em uma nova alegria.
Verdadeiramente o Senhor é bom demais para mim!
Maria diz:
«Você não deve desmoronar muito pensando em quando você me amou pouco. Você não é o único. Mas eu sou a Mãe e compreendo e perdôo. São as lacunas dos ainda imperfeitos. Não amo menos porque sou pouco amado. É suficiente para mim que você ao menos ame meu Filho, e você o amou muito quando ainda não me amava apenas um pouco.
Na minha vida de Mãe de Deus, faço-vos observar um fato que escapa a muitos e que é também uma indicação segura da relação que se estabelecerá entre mim e os redimidos pelo meu
Jesus . não tinha olhos e expressões de amor além do meu bebê. Giuseppe e eu éramos figuras secundárias para eles. Ao pé da pobre liteira onde dormia, quando não dormia no meu colo, punham os seus presentes e a sua ternura. Nem me arrependi de não ter sido elogiado como a planta que havia dado a Flor do Céu ao mundo. Foi o suficiente para mim que eles amassem minha Criatura e a amassem tanto. Haveria muitos para odiá-lo então!
Entre os presentes no sempre novo rito de apresentação no Templo, ninguém pensou em mim. Eles olharam para o meu Tesouro e o elogiaram por sua beleza sobre-humana. Mas a sua Mãe não deram nada além de elogios humanos. Só os santos me conheciam pelo que eu era; e Isabel, [644] Simeão e Ana viram em mim a Mãe do Salvador, dando-me com o seu reconhecimento o mais sublime louvor. Os primeiros eram “bons”, estes três eram “santos”.
O Espírito Santo opera nos corações dos santos e lhes dá a luz do conhecimento sobrenatural. O Espírito Santo ilumina os corações dos santos para que eles me vejam. Ver-me à luz de Deus significa amar-me em verdade. Meu filho santíssimo, sua obra para atrair você para o seu amor. Eu te amo e espero orando por você.
Eu sou a Virgem da espera. Desde os anos mais tenros esperei pelo Esperado do povo. Eu sou a Co-redentora que espera a hora de morrer aos pés da Cruz para te dar a Vida. Eu sou a Mãe que espera o seu amor verdadeiro , não o culto superficial que se limita a muitas palavras. Orar não significa: fazer muitas orações. Significa amar. Significa deixar seu coração falar .
Eu sou o Silencioso. Nova Eva, eu te ensino o silêncio. De falar, a Sedução entrou em Eva. Do meu silêncio a Redenção entrou no mundo. Aprende comigo a virtude do silêncio, porque no silêncio externo o coração fala a Deus e Deus ao coração. Meu silêncio não era o silêncio inerte de uma alma morta. De fato, era muito ativo no espiritual.
Quando meu Filho estava em meus braços, eu, por Aquele que não podia falar porque não era nada mais do que um pequenino que só sabia chorar – meu Filho Deus, a Voz do Pai, a Palavra do Pai se aniquilou por amor, uma criança errante com voz de cordeiro – para ele eu disse a oferenda ao Pai. Eu disse o primeiro “Pater noster” na gruta fria de Belém, segurando em meus braços meu Cordeiro que veio ao mundo para ser morto e dar vida aos mortos na alma. Eu disse o “Fiat voluntas tua”, chorando, pela primeira vez. E você sabe o que significa para a Mãe dizer essas palavras ao Eterno?
Agora, quando vejo que por amor de meu Filho uma criatura cumpre a Vontade divina, que é sobretudo a vontade de amor, cancelo sua dívida para comigo e aumento meu amor por ela. Jesus então traz para mim. Deixo ao meu Jesus o cuidado de me fazer amada. Onde Ele está também está o Espírito de Deus, e onde Ele está o Espírito é Ciência e Luz. Portanto, é inevitável que você também seja educado no amor por mim.
E quando você vem me amar, de verdade, então eu venho. E a minha vinda é sempre alegria e salvação.”

[631] os Mergulhos… o Lázaro… , com referência à parábola relatada em Lucas 16, 19-31 .
[632] dizer , como em Isaías 45, 8 . Mas ao lado da data do “ditado” o escritor colocou a referência a Ageu 1-2 (que é, na prática, todo o livro de Ageu).
[633] Até os santos entre vós odeiam… esta é uma expressão a ter em conta no contexto da guerra então em curso.
[634] Ensinei a obediência às autoridades , como se depreende do episódio relatado em Mateus 22, 16-21 , que se reflete nas exortações explícitas de Romanos 13, 1-2 e 1 Pedro 2, 13-14 .
[635] escambo , com referência a Gênesis 25, 29-34 e Mateus 26, 14-15 .
[636] eles devem ser oferecidos… , como é amplamente prescrito em Levítico 1-7 ; Números 15, 1-31 ; e como é dito em Malaquias 1, 11 .
[637] lâmpadas isentas de óleo , com referência à parábola relatada em Mateus 25, 1-13 .
[638] Eu sou a Luz do mundo , como em João 8, 12 .
[639] Já o disse em João 14, 12 .
[640] Diz em João 21, 25 .
[641] resposta que pode ser lida em Lucas 2, 49 .
[642] marca vermelha que não está no caderno autografado (o escritor deve tê-lo feito em uma cópia datilografada). No entanto, a referência à segunda parte do primeiro dos “ditados” de hoje é clara.
[643] chegaram à gruta , conforme narrado em Lc 2, 8-20 .
[644] Isabel em Lucas 1: 39-45 ; Simeão e Ana em Lucas 2, 25-38 .

CAPÍTULO 194


3 de dezembro de 1943

   Jesus diz:
«Eu sou Aquele que venci Satanás.
Infinito assédio me causou desde que eu estava no mundo, desencadeando-me contra o ódio do poder cego e ganancioso que sempre sonha que outros lhe tirem seus bens usurários, incitando-me contra a classe dominante indigna e que se sentiu reprovada por meus méritos. Minha palavra também foi reprovação. Mas quando eu ainda não falava já estava sofrendo, porque a santidade é uma vergonha para os indignos. Ele despertou em mim inimigos e traidores e me levou a duvidar de discípulos e amigos. Ele me cercou no deserto, [645] me esmagou com seus terrores no Getsêmani. E não feliz, ainda me rouba continuamente seduzindo os corações dos homens.
A batalha entre mim e ele não terá fim senão quando o homem for julgado em todos os seus exemplos. E a vitória final será minha e eterna. Agora a Besta infernal, sempre vencida e cada vez mais feroz para ser conquistada, me odeia com ódio infinito e transtorna a Terra para ferir meu Coração. Mas eu sou o Vencedor de Satanás. Onde ele contamina, passo com o fogo do amor para purificar. E se com paciência inesgotável eu não tivesse continuado meu trabalho como Mestre e Redentor, agora todos vocês seriam demônios.
Para purificá-lo do maior pecado, obedeci ao desejo do Pai. O maior pecado foi a desobediência ao mandamento de Deus. Dela veio uma sede de poder, orgulho e luxúria. As três Fúrias que sempre te mantêm em seu poder quando você não sabe como aniquilá-las com uma vida vivida em Deus. Eu fiz as pazes com minha obediência à desobediência inicial. [646]
Para vos purificar de outros pecados, vesti as miseráveis ​​vestes de iniquidade que eram as vossas vestes e, para lhes tirar a iniqüidade de toda a raça humana, embebi-os com o meu Sangue e nele os purifiquei.
Então veio a glória. Mas primeiro havia a dor. Então veio o direito de julgar. Mas primeiro havia o dever de expiar. Mais tarde fui feito fundador do novo Templo no qual se encontra a santíssima fonte do Espírito Septiforme. Mas primeiro eu tinha que ser a Vítima imolada para purificar a Casa de Deus.
E o que vocês pensam, ou vocês sacerdotes que pesam o leve jugo de cumprir seu dever? Quão fácil foi para mim ser um Sacerdote? E qual de vocês, por mais oprimido por cuidados, é oprimido por tormentos iguais aos meus? Mas estas almas que te confio, sabes que são a parte que adquiri com a minha morte? Não deixe que eles se percam. Arranque-os de Satanás ao custo de sua vida como eu os arrebatei ao preço da minha.
Para aprender, você só precisa estudar a Mim. Não é necessário ser aprendido. Sede apenas buscadores de Deus, e Deus: eu, eu vos esclarecerei”.

   No mesmo dia, às 8h

   Para mim. Jesus diz :
«A minha Mãe falou-te [647] da sombra que a envolvia como Mãe de Deus, o que não se opõe ao que disse há dias.
Se todos notaram algo especial naquele casal que mal passava pelas ruas lotadas, como uma luz e um perfume, isso não iluminou sua cegueira e não teve voz para sua surdez de espírito. Era uma percepção semelhante a quem através de bandagens opacas ouve, mais do que vê, o brilho do sol em sua cabeça enfaixada e ouve um ruído distante que mal chega ao tímpano como um suspiro de ar quebrado por um som tão leve que não é mais palavra.
Minha mãe chamava a si mesma de “A Silenciosa”. Muitos atributos deveriam ser acrescentados às suas ladainhas, e sobre esses atributos você teria muito que ponderar. Virgem Silenciosa, Virgem luminosa e Mãe da Luz, Ela foi e é.
Com extrema relutância ele levantou alguns véus para meus evangelistas, mas apenas aqueles véus que em sua ciência sobrenatural ele considerava úteis ao meu interesse. Quanto a ela, silêncio absoluto. Ele guardou tudo em seu coração, como diz Lucas [648] , e do coração para seus entes queridos ele extrai lembranças como pérolas de um baú de tesouros.
Que as multidões não soubessem entender, ainda que permanecessem santificadas pelo falecimento de minha Mãe, não deveria, portanto, ser surpreendente. Eles eram, como Ela disse, não santos. Mais ou menos bons, eles tinham Deus longe de seus corações, e onde não há Deus não há luz.
Que Deus protegeu o Abençoado sob o véu de uma vida aparentemente comum, nem [deve ser surpreendente]. Deus não ama o que os humanos amam: celebrações e auto-celebrações ainda menos humanas. Ele se cobre de reserva e envolve seus entes queridos nela. O mundo é mais profano e Satanás é tanto mais astuto quanto mais ele é derrotado. Deus protege seus entes queridos e a si mesmo neles de curiosidades babacas e armadilhas venenosas, pois cuida muito bem de seus instrumentos porque quer que cumpram sua missão. Somente aos “santos” ele dá a conhecer a verdade oculta.
Que Maria depois do meu nascimento parecesse uma mulher ainda mais comum: uma jovem mãe e nada mais, nem deveria me surpreender. Como ostensório de onde saiu a Hóstia Santíssima, Ela agora era a Santíssima para si mesma, mas não carregava mais o Santo dos Santos. E se você pensa que o Santo dos Santos, precisamente na hora em que ele redimiu a Terra com soberania eterna com seus seres vivos, seus mortos, seu futuro, apareceu aos olhos do mundo como um criminoso [649] torturado por sua crimes, também é lógico que a Mãe, desde que se tornou a Corredentora e, portanto, redentora da Terra, aparentava ser uma mulher pobre e simples.
O tempo luminoso de minha formação nela havia passado, e o esplendor da alegria que na noite enchera o coração de Maria, a gruta, os céus, desvaneceu-se na madrugada em que o sol da redenção começou a nascer, sol tingido de sangue , composto de dor infinita. A aurora encontrou Maria já imersa no pensamento do tormento futuro. A oferenda já havia sido feita em meu nome e as duas frases mais cristãs [650] da Terra foram amarradas, formando uma corrente para estrangular o Mal: ​​“Eis a serva do Senhor. – Senhor, seja feita a tua vontade”.
Santos e benditos lábios de minha Mãe, que ao meu nada infantil emprestaste o som virginal de palavras perfeitas! Em seu heróico “sim”, repetido quando a maternidade o tornava duplamente heróico, o Céu se inclinou, venerando o Redentor Mártir Nela. Como um colar ao qual uma pérola é aumentada dia a dia, começaram os dias dolorosos de Maria. No final, foi o Gólgota.
É por esta longa dor que lhe digo: “Ame-a”. Eu te abençoo quando você me ama. Mas pelo amor que você dá à minha Mãe, eu preparo para você uma morada mais radiante no Céu”.

[645] Cercou-me no deserto , como está narrado em Mateus 4, 1-11 ; Marcos 1, 12-13 ; Lucas 4, 1-13 ; ele me esmagou com seus terrores no Getsêmani , como pode ser entendido pelas expressões de Mateus 26, 36-39 ; Marcos 14, 32-36 ; Lucas 22, 44 . A “batalha entre mim e ele” justifica a referência a Zacarias 3 , que o escritor coloca ao lado da data.
[646] desobediência inicial , ou primeira desobediência como no “ditado” de 21 de outubro.
[647] falou-lhe a 2 de Dezembro; dias atrás , 27 e 28 de novembro.
[648] é dito em Lucas 2, 19,51 .
[649] como criminoso , segundo a profecia de Isaías 53, 12 retomada em Lucas 22, 37 .
[650] as duas frases , que se lêem em Lucas 1,38 .

CAPÍTULO 195


4 de dezembro de 1943

   (Imediatamente após o sono, 23h30)

   Jesus diz:
«Quando o sol nasce de manhã no céu claro, ele nasce no lado oriental. É do Oriente que a luz vem até você e cada vez mais avança e cresce até encher o céu de raios e a terra de calor e festa.
O que é mais bonito e maior do que o nascer do sol a cada nova manhã? Fala-vos do Supremo Ordenador de todas as coisas, cujo poder infinito regula o curso dos astros com o pensamento de amor por vós, seus filhos, e a quem obedecem os astros, esses imensuráveis ​​gigantes do Universo, enquanto vós, imperceptíveis poeira espalhada em um planeta, não um dos maiores, girando pelas ruas sem limites do firmamento, você não considera um dever obedecer por respeito e gratidão para com aqueles que te amam e são um Deus.
Página que você pode reler todas as manhãs, quantas vezes quiser, com os olhos da alma, a luz que volta bastaria para fazer você meditar por todas as horas do novo dia na Presença, no Poder, na Bondade de Deus, e lembrá-lo de Mim. : Luz do mundo, Sol Eterno, Santo Oriente.
A denominação de “Oriente” dada a mim [651] pelos antigos de Israel não está errada. Linda como a aparição da estrela pela manhã é a minha aparição ao mundo, e para ele mundo, como o Sol, trouxe a Luz começando o dia de Deus escurecido até sua formação desde a primeira culpa, dia que terá sua brilhante pôr do sol no momento final para ser ressuscitado eternamente com todos os seus eleitos no Reino de Deus.
Eu sou o Oriente de Deus, aquele que o anuncia aos povos: gerado por ele venho sob ele, nem, como o sol, conheço o pôr-do-sol. Estou fixo, eterno em minha Divindade em torno da qual os povos giram como estrelas que tiram de Mim vida e luz, e não Eu, mas você conhece as trevas das trevas, porque em você, não em Mim, a luz se põe, porque você do Luz você afasta colocando entre Ele e você as barreiras e distâncias de uma vontade não condizente com Deus ou de pecados cometidos contra a lei de Deus
.
Mas não o templo material de pedras e argamassa que séculos e homens podem arruinar em seus assaltos do tempo ou das guerras. Mas o Templo cuja Pedra eu sou: minha Igreja que não morrerá nem com a morte da Terra e, como uma nuvem de incenso e a fragrância de uma flor, subirá ao lugar de Deus, livre agora como uma mulher liberta de todos os serviços para unir o seu Fundador em matrimônio eterno cujas testemunhas serão seus santos. Antes o templo não coletivo, mas único – e ser solteiro não é menos santo e eterno que o Templo da minha Igreja – do que o seu espírito que eu reconstruí depois que Satanás o minou com a culpa, regenerando-te para a Graça, inundando-te com o meu Sangue. , instruindo você da minha Palavra.
Esta é a minha glória. Tendo devolvido a Deus os templos vivos de suas almas rededicadas, e o Santo Padre me reveste com esta glória, dando-me o poder de Juiz sobre todas as criaturas que fiz minhas ao preço de um sacrifício sem medida.
Eu sou o vosso segundo Criador porque retomei as criações do Pai, fiz cadáveres de culpa, e infundi-lhes vida não com um sopro do sopro de Deus como em Adão [652] – barro moldado que só o sopro dá Infundido Deus feito carne e alma – mas com a minha morte. Eu me despojei da vida para te dar Vida. Despi-me da veste de Deus [653] para vestir a vestimenta de um homem, e perdi isso também para você depois de ter conhecido todos os horrores da vida: dor, fome, traição, tortura, fadiga, agonia, morte.
Oh! redenção do homem, reparação e homenagem ao meu Santíssimo Padre, quanto me custa!
Consagrador, construtor e vítima, tenho o direito de ser o Sumo Sacerdote. Nem o Pai me nega este direito, mas o proclama por sua justiça e caridade, pois eu com meu Pai estou no entendimento da paz infinita, pois ele é meu pai e eu sou seu filho e eu sou o obediente a ele. e o Amante a quem o Amor leva a obedecer para dar alegria e glória ao Santo Padre.
A partir do momento em que – o “Oriente” do mundo – vim trazer a Luz às Trevas, chamei-vos com o poder da Caridade e da Palavra. E mesmo dos países mais distantes viestes a Mim, pois não sou um Deus falso e cruel, mas o Deus verdadeiro e misericordioso que opera os milagres de amor para tirar a ovelha perdida do seu rebanho sob o seu sinal.
E porque vos amo com um amor incompreensível por vós, tão perfeito é, não só vos salvo, colocando-vos nas minhas fileiras, como vos faço meus colaboradores na construção do Templo que não conhecerá a destruição e no qual o Trino A glória descansará, e todos vocês saberão o que é, ascenderão à Vida perfeita e se tornarão capazes de conhecer a Deus.
Eu, a Verdade do Pai, eu juro a você. Aos que Me ouvirem: Voz do Senhor, o destino da alegria infinita de conhecer a Deus será preservado.”

[651] dado a mim em Zacarias 3, 8 , e também em Zacarias 6, 12-15 , que é a citação colocada pelo escritor ao lado da data. Nas novas versões da Bíblia, em vez de “Oriente” é chamado de “Sprout”.
[652] como em Adão , no relato de Gênesis 2,7 .
[653] despido das vestes de Deus deve ser entendido no sentido da expressão quase análoga que está no “ditado” de 29 de Setembro.

 CAPÍTULO 196


5 de dezembro de 1943

   (às 2h)

   Jesus diz:
«Não vim [654] para negar a Lei e os Profetas, mas para confirmá-la e aperfeiçoá-la, modificando as inexatidões e as superestruturas que o homem ali colocou, em parte por sua própria imperfeição e em parte por uma humanidade superior à alma.
O homem é levado ao mal-entendido. Não é perfeito em seus sentidos místicos e em seus sentidos naturais. Somente vivendo em Mim ele aperfeiçoa o primeiro, então sou Eu que trabalho nele. O homem também está inclinado a complicar as coisas porque, em seu orgulho tenaz e indestrutível, ele sempre é atraído pela sedução de retocar até mesmo a obra de Deus.
Vocês são deuses [655]sendo filhos de Deus, mas Deus é sempre o Maior, o Perfeito, Aquele que se gera de si mesmo. Vocês são os menores, aqueles que se tornam perfeitos se vivem em Deus e são gerados por Deus. Então, por que você sempre quer modificar com suas complicações o que Deus em sua simplicidade, que é um dos sinais de sua natureza, dá perfeito em sua simplicidade?
Quando me tornei Mestre encontrei a Lei, originalmente tão clara e linear, que se tornou um emaranhado de imposições e uma confusão de fórmulas que a tornavam impraticável para os fiéis. Claro que pesos e fórmulas eram para os humildes. Os poderosos, essas fórmulas e esses fardos os criaram, mas não os carregaram.
O sacerdócio, os escribas e os fariseus me deixaram enojado e indignado. E se eu vi entre eles algumas almas leais, a quem amei divinamente, vi também a multidão de outros, mais numerosos que rebanhos de cabras selvagens, que com seu mau cheiro infundiu seus mercados, suas falsidades, impiedades, durezas a Casa do Senhor e fez do Senhor algo terrível para os pobres da Terra.
Eles jejuaram por Mim e sacrificaram aqueles túmulos fétidos? Não. Para uso e louvor humano. Era conveniente ser os Doutores da Lei e confortável ser do povo escolhido em Israel. Mas não havia verdade de desejo e oferenda para atrair o Messias e suas bênçãos.
E o Messias foi para outro lugar, na região desprezada, mas onde um Todo-Santo e um Justo merecia acolher e proteger o Germe de Deus.
E agora, ó filhos, vocês jejuam ou rezam pelo amor de Deus? Não. As tuas privações naturais, que podem acontecer pelo jejum, não suportas com resignação, mas fazes delas uma fonte de ódio e de xingamentos contínuos, tolos e sacrílegos. Suas orações são imundas e despedaçadas por seus sentimentos íntimos e são vistas por Deus como coisas impuras colocadas sobre a pedra do altar. Deus os incinera soprando sua fumaça contra o chão.
Mais uma vez venho repetir a forma que você deve usar para apresentar sacrifícios e orações a Deus, cujo perfume puro sobe do altar ao trono de Deus como holocausto de uma vítima perfeita.
“Julgue de acordo com a verdade, seja misericordioso e compassivo para com seus irmãos, sejam eles quais forem, não oprima viúvas e órfãos, pobres estrangeiros, pessoas humildes e fracas da Terra, não tenha pensamentos de ódio, vingança e más ações para com seus semelhantes. homens em seu coração. Amor, em suma, porque o amor é o compêndio da Lei e quem ama tudo faz tudo, e o amor é o incenso que perfuma as hóstias da propiciação e a água lustral que limpa as pedras do teu altar”.
Não endureça seu coração e sua audição mais do que você já tem. Não feche seu coração e sua audição para a Voz de Deus falando através de seus “porta-vozes”, como os antigos uma vez endureceram à Voz de Deus falando através dos Profetas.
Se você não me ouvir, por justiça não te ouvirei, e você deixará de me ter por Deus, por Pai e Salvador. Então conhecereis a plena e inexorável ira do Senhor e, tendo rejeitado o Pão da Palavra de Deus, mordereis o pó e como bestas sem comida vos dilacerareis uns aos outros morrendo de horror por conhecer uma coisa ainda mais terrível e horror eterno. . ”
Jesus diz: [656]
«Salvador das nações, não posso deixar de ser Salvador do meu povo. Minha pela lei antiga, minha pela nova lei.
Humanamente saí dessa raça e se ela riu de mim, me interpretou mal, me traiu, me matou, se fez isso tendo a alma sobrecarregada e envolvida pelo magma da culpa que meu Sangue não lava, sendo esta raça um ramo que faz não quer enxertar-se no toco da videira divina, não é menos verdade que eu também morri por ela, que tenho sobre ela direitos de Rei e amor de Criador.
Com aspereza e ferocidade os pais dos pais destes agora rejeitaram o dom do Eterno e pediram ao meu Sangue [657] para alimentar seu ódio à Verdade. Com paciência, com inteligência, com força e com bondade os atrairei para Mim.
As boas ou iníquas obras do homem sempre servem a um fim sobrenatural, porque a maldade humana é recolhida por Deus e no contato de suas mãos se transforma em instrumento do bem. Nada deixa Deus sem volta em sua obra clarividente para alcançar o propósito que é reunir os seres humanos em um único núcleo para o último dia, como eles se ramificaram de um único núcleo para a Terra dividindo-se como riachos que transbordam do copo de uma fonte.
A obra já começou e os perseguidores que prejudicam e ofendem o humano não sabem que estão criando com sua iniqüidade o grande dia do Senhor, no qual como ovelhas dispersas reunirei meu imenso rebanho aos pés da cruz e Vou renomeá-lo com o nome de “cordeiros” os filhos selvagens do rebanho que já era meu, expulsando aqueles que sob meu signo são as víboras e lobos da sociedade humana.
Quando souberem Me reconhecer e chorar com o coração contrito, transformarei a antiga condenação de vocês, deicidas, em perdão e bênção, pois não posso esquecer o bem feito por seus antigos Pais, que rezam por vocês que vagam o Reino. Portanto, você também, que foi o primeiro a receber a Lei, do que é ingrato a Deus.
Os mesmos mandamentos que dou aos meus nascidos do místico trabalho da cruz, digo também a você, que se fez uma forca sacrílega e uma fonte de condenação da cruz.
Fale a verdade e sirva a verdade. Venha para isso. Bata no peito por aqueles que zombaram dela e esperavam matá-la. Eles só se mataram porque a Verdade é imortal em sua natureza divina. Não se cubram em sua insígnia para propósitos humanos. Mas uma vez que você se aproximou dela, ame-a como uma noiva agora conhecida. É isso que deve gerar Vida eterna para você. Mas não se pode gerar se dois não fazem uma coisa só, buscando não o prazer dos sentidos, mas a santidade do propósito. Seja honesto e sincero com todos e principalmente com Deus, cujo olho perfura os corações e os atravessa e os vê como melhor do que o cientista e bacteriologista vê em seus corpos as doenças que os consomem e os germes que os corroem. .
Aplique amor à verdade nos relacionamentos com Deus e com o homem. Não traia. Ele traiu um de sua raça vinte séculos atrás, instigado e seguido por desonestos e perversos. Remova essa vergonha, que o esmagou por séculos, com sua ação justa e leal.
Para ser amado, é preciso ser amado. Você se esqueceu disso muitas, muitas vezes. Amor paz. É o sinal de Cristo, que vossos pais mataram atraindo sobre vós a guerra que não tem fim e com pausas de trégua explode e ressurge como doença incurável no corpo da Terra e não vos dá segurança e descanso. Agora você deve aprender a amar esta paz para ser de Cristo e assim terminar o êxodo eterno de sua raça.
Todos os torrões do mundo estremecem sob seus pés e te afastam. Até mesmo seus antigos torrões. Mas se eu, Senhor do mundo, estender a mão e abrir a boca para dizer: “Basta! Eles são meus novamente”, a Terra não poderá mais persegui-lo. As tendas sobrenaturais do Céu estarão acima de você para proteção.
Lembra-te de quando persegui os poderosos por ti, abri o mar, fiz brotar fontes na aridez dos desertos e chover comida dos céus, quando coloquei meus anjos para abrir uma passagem para você entre os inimigos para trazê-lo a Terra que prometi aos primeiros santos da terra. Eu sou sempre aquele Deus poderoso e misericordioso. [658]Sou duas vezes mais forte agora que não sou apenas o Pai Criador, mas o Filho Salvador, agora que a Terceira Pessoa gerou o milagre da Encarnação de um Deus para torná-lo a Vítima expiatória de toda a humanidade.
Estou esperando que você possa dizer: “Paz” à Terra, e dizer ao Céu: “Abra-se para acolher os vivos. Tempo acabou!”. Vamos. Não tenho coração diferente, agora que estou no céu, do que tinha no Gólgota quando rezei por seus pais e perdoei Disma [659] “.
Jesus diz-me:
«Ditei esta passagem hoje para que a possas escrever, em vez de amanhã que não a possas fazer. Coloque a data amanhã . O colar de ditados deve ser regular como um movimento pendular.Um dia você vai entender melhor porque eu digo para fazer isso . Agora descanse em meu Coração.”

   8h do mesmo dia 5-12

   Mais tarde , Jesus diz :
«Tem paciência, minha alma. Não posso ficar sem falar contigo, porque falar com quem me ama constitui o meu deleite, o meu desejo, a necessidade do meu Coração amoroso de ti.
Você já viu como dois cônjuges que realmente se amam? A noiva, enquanto está em casa, olha o relógio a cada momento, corre para a janela, para ver se o tempo passa, para ver se o noivo volta do escritório. O noivo, assim que pode, foge para dizer uma palavra de amor à sua noiva. Ele acabou de deixá-la e lembra-se que ele também poderia dizer isso para fazê-la feliz, e se assim que puder, ele corre para contar a ela. É o amor que os move.
Eu também, assim que me calo, sinto que tenho mais a lhe dizer. Eu gostaria de falar com você noite e dia, ter você todo para Mim, gostaria que você pudesse se dedicar inteiramente a Mim. Se você soubesse como Eu te amo!
Agora escute. Anos atrás, lendo os escritos do meu servo Contardo Ferrini, [660] você se perguntou várias vezes – porque você era analfabeto em mística – em que consistia “a conversa no céu”.
Eis: quando você me ouve e eu falo com você, quando em vez de murmúrios superficiais de orações eu te rapto no fogo das revelações e cuido de mim, quando você me diz: “Vem, Jesus, falar com o teu servo “, quando provares o sabor da minha Palavra que deposito em ti como numa arca do tesouro, numa hídria, para que a dês aos pobres e sedentos da Terra,então temos uma conversa no céu .
Você era muito apegado a fórmulas, como a maioria dos católicos fervorosos. Eu desamarrei você. Lancei sua alma, do mar das circunscrições formuladas, da pequenez das práticas, para os espaços sem limites do mar místico da oração. Eu o envolvi, suguei, sequestrei você, apontei você para o fogo da oração.
Você era um pequeno pardal amarrado. Agora você é uma águia que varre e domina e se eleva em direção ao Sol e o encara e é fortificada por ele.
Suba cada vez mais, como a águia de vôo concêntrico. Acima estou eu, a Águia eterna, que espera por você para levá-lo além dos sentidos ao conhecimento do amor.
Sempre obedeça ao chamado, com presteza e confiança. Abandone-se ao vento do amor. Ele te apoia, não te atrapalha. Ele expira para trazê-lo a Mim de onde vem. Perca-se, gota d’água em meu oceano infinito, perca-se, faísca de luz em meu brilho sem limites. Torne-se parte do seu Deus e Senhor, do seu Esposo. Abro todas as portas dos meus tesouros para que você os possua.
Eu te amo!”

   10h às 5-12h

   Maria diz :
«Falando da apresentação no templo, Lucas diz [661] que “o pai e a mãe ficaram maravilhados com as coisas que se diziam do Menino”.
Maravilha diferente dos dois cônjuges. Eu, a quem o Esposo Espírito revelara todo o futuro, maravilhava-me sobrenaturalmente, adorando a Vontade do Senhor que se revestiu de carne para querer redimir o homem e que se revelou aos viventes do espírito. Surpreendi-me mais uma vez que Deus me tivesse escolhido, sua humilde serva, para ser a Mãe da Vontade encarnada. José também se maravilhou humanamente , pois não sabia nada além do que as Escrituras lhe disseram e o que o anjo revelou [662] . Eu estava em silêncio.
Os segredos do Altíssimo eram como se colocados na arca fechada no Santo dos Santos e só eu, a Suprema Sacerdotisa, os conhecia, e a Glória de Deus os velava dos olhos dos homens com seu brilho insuportável. Eram abismos de brilho e só o olho virginal beijado pelo Espírito de Deus poderia consertá-los. É por isso que tanto Joseph quanto eu ficamos maravilhados. Caso contrário, mas igualmente [663] espantado .
A outra passagem [664] de Lucas também deve ser interpretada desta forma: “Mas eles não entenderam o que ele lhes havia dito”.
eu entendi. Eu já sabia antes e, se o Pai permitiu minha embaixada como mãe, não me ocultou o sentido sublime das palavras de meu Filho. Mas calei-me para não mortificar José, a quem não foi concedida a plenitude da graça.
Eu era a Mãe de Deus, mas isso não me isentava de ser uma esposa respeitosa para com o Bem que era meu companheiro amoroso e irmão vigilante. Nossa família não conhecia o mende, em nenhum motivo e campo. Nós nos amávamos de maneira santa, preocupados com apenas uma coisa: o Filho .
Oh! Jesus devolveu todo o conforto na hora da morte, como só Ele poderia fazer, ao meu José, em lembrança de tudo o que havia recebido daquele Justo. Jesus é o modelo para as crianças, assim como José é para os maridos. Eu tive muita dor do mundo e para o mundo. Mas meu santo Filho e meu justo consorte não trouxeram outras lágrimas aos meus olhos além daquelas de sua dor.
Quando José não estava mais ao meu lado, e eu era a primeira autoridade terrena de meu Filho, não demonstrei mais que não entendia calando. Ninguém ficaria mortificado ao ver-se vencido em entendimento, e em Caná [665]Eu falei. “Faça o que Ele te disser” eu disse, pois sabia que Jesus não me nega nada e que por trás de suas palavras sustentadas já era o primeiro milagre despertado por mim e oferecido a mim por meu Filho, como uma rosa branca nascida primeiro em uma rosa arbusto na primavera.
Você tem que saber ler o Evangelho, Maria. Os homens não podem lê-lo. Eu guiarei a tua mão e te explicarei onde o meu Jesus não te explica. Eu sou a mãe de vocês dois. Quero que minha filhinha conheça seu doce Jesus, nosso Jesus, como poucos o conhecem.
Quanto mais você o conhece, mais você vai amá-lo. Quanto mais você o amar, mais feliz você me fará.”

[654] Eu não vim… como em Mateus 5, 17 . Ao lado da data, o escritor coloca a referência a Zacarias 7, 4-14 , a cuja passagem pertence, em parte, a citação textual que encontraremos a seguir.
[655] Vós sois deuses , como no Salmo 82, 6 .
[656] Diz Jesus que precedem a data de 6-12 (mas o “ditado” é do dia 5, como se dirá no final) e a referência a Zacarias 8, 7.12.13.16.22 . (Neste “ditado” e nos dois seguintes, as indicações de data e hora foram inseridas posteriormente pelo escritor).
[657] pediu o meu Sangue , como lemos em Mateus 27, 25 .
[658] aquele Deus poderoso e misericordioso , cujas obras, aqui mencionadas, são narradas em Êxodo 14: 21-31; 16; 17, 1-7; 23, 20-23; 32, 33-34; 33, 1-2 .
[659] Disma , o bom ladrão já mencionado em 11 de Agosto e 31 de Outubro.
[660] Contardo Ferrini , beato (1859-1902). Ilustre jurista, foi um modelo do leigo católico.
[661] Lucas diz , em Lucas 2, 33 .
[662] revelado em Mateus 1, 20-24 .
[663] igualmente , isto é, em igual medida , mas não da mesma forma .
[664] a outra passagem , a de Lucas 2, 50 , à qual a própria escritora se refere após a citação.
[665] em Caná , no relato de João 2, 1-11 .

CAPÍTULO 198


7 de dezembro de 1943

   Jesus diz:
«Satanás seduziu os filhos de Deus com um pensamento de orgulho. Ele inoculou nos inocentes a sede de ser grande de todas as grandezas: de poder, de conhecimento, de possuir.
“Você se tornará como Deus” [666] . Durante séculos o silvo da Serpente se extinguiu, mas o som que já não dividia o ar se fundiu com o murmúrio de sangue no coração do homem. Ainda está fundido com este seu sangue que é mais caro para você do que sua alma. E viva prejudicando-se em corpo e alma para obedecer ao imperativo de seu sangue envenenado por Satanás.
Mas você está errado ao aplicar valor e significado a coisas e palavras. Ser semelhante a Deus já tinha dado a você [667]o Pai Criador como dote. Mas uma semelhança em que o que é carne e sangue não tem nada a ver, mas espírito, porque Deus é um ser espiritual e perfeito e fez você grande em espírito e capaz de alcançar a perfeição pela Graça, plena em você. , e ignorância do Mal .
Eu vim para colocar as coisas e as palavras na luz certa e com palavras e ações eu te mostrei que a verdadeira grandeza, a verdadeira riqueza, a verdadeira sabedoria, a verdadeira realeza, a verdadeira deificação não é o que você acredita .
Não queria nascer num palácio, nem pompa na minha vida, nem corte de dignitários, nem ministros, nem carruagens e cavalos, nem cadeiras ilustres, nem palácios e bens.
Vim manso e humilde como uma criança pobre que não tem nem o asilo de um quarto pobre, mas uma caverna, um refúgio para os animais, para seus primeiros dias no mundo. Vim como refugiado em terras estrangeiras, fugitivo diante do baixo poder dos homens, conheci a fome e a degradação de ser um sem-teto que tem que arrebatar seu sustento com pequenas mordidas com mil empregos humildes. Eu vim como filho de operário, e pobre também: um trabalhador da aldeia a quem camponeses, carroceiros, donas de casa pedem cabos para suas ferramentas agrícolas, raios e aros para as rodas de suas carroças rurais, consertos de armários e banquetas e fez pobres camas para os vários esposos, humildes como o carpinteiro de Nazaré, que teve de construir uma casa ou uma cuna para o primeiro pequenino.
Eu vim como um peregrino que não tem pedra sobre a qual reclinar a cabeça e deve deitar-se onde o Criador o faz encontrar uma, que não tem alimento senão aquele dado pela caridade de quem o acolhe e que pode ser pão e sal. , ou a tigela de leite de cabra, ou o peixe assado nas brasas de lavradores, pastores, pescadores, como o rico banquete [668] do fariseu em que os pratos suculentos me eram amargos porque não eram temperados com amor, mas com apenas curiosidade, ou as refeições em Betânia, descanso da alma de Cristo que encontrou sua mãe lá em Marta cheia de cuidados materiais e em Maria cheia de adoração e sentida compreendida por uma mente erudita de um amigo.
Eu entrei [669]como filho de David na cidade real – que, ao entrar, já me expulsava como se eu fosse um aborto vergonhoso – montado num jumento que me foi oferecido pela generosidade de um homem simples que me conhecera Mestre e Filho de Deus
. de reprovação que nem era minha em sua madeira bruta, e fui maquiada e enterrada em bandagens e aromas adquiridos por quem me amava e no sepulcro oferecido pela misericórdia de quem me amava.
Eu era ótimo porque queria ser pequeno . Lembre-se, você que, sendo pequeno, quer ser grande, a qualquer custo, mesmo ilícito. E meu Reino não terá fim nem fronteira, porque à custa de minha total aniquilação eu o conquistei.
Se você me tivesse feito reinar em vez de me matar primeiro na cruz e depois em suas consciências, você conheceria eras de paz, desde que a Terra desde o momento em que coloquei meu pé inocente sobre ela, pois sou o Rei de paz, eu sou a própria Paz. Eu vos teria dado a paz nas nações e a paz nas vossas consciências, porque com o meu Sangue (o sangue da circuncisão bastaria para redimir a humanidade) vim para vos libertar do poço sem água que Satanás tinha cavado para vós e onde pereceu e pereceu … porque, embora eu o tenha tirado dela, você quis voltar a ela, pois o Sedutor a pavimentava de ouro e a pintava na parede direita com imagens lascivas e na esquerda com imagens de poder. Três coisas que são de maior valor para você.
No entanto, deixei-me estender na cruz para fazer do meu martírio uma flecha que perfura os Céus fechados e abre o caminho para o perdão de Deus, meu exército pacífico conquistando os céus.
Vamos. Antes que chegue a hora em que você não poderá mais vir, venha a Mim. Vista-se com minhas vestes e marque com meu sinal. O anjo de Deus preservou [670] os filhos de Israel do extermínio do Egito pelo sangue do cordeiro aspergido nas ombreiras e nas arquitraves. Eu, Cordeiro de meu Pai e Senhor, salvo seus filhos para meu Pai pelo meu Sangue, com o qual manchei não a matéria da madeira e da pedra que morrem, mas a sua alma imortal.
Aos que foram marcados pelo meu Sangue as trombetas do apelo universal serão infundidas de novo vida e das dobras do solo, em que dormiram durante séculos, os ossos dos justos se levantarão para se revestir, com alegria, em carne perfeita, porque serão nutridos do Pão vivo que desceu do Céu para ti e do Vinho espremido das veias do Santo que virginaliza a tua alma e a torna digna de entrar na Jerusalém do Céu”.

   O mesmo dia

   Maria diz :
«Mais um presente da Madre por ocasião da minha festa.
Há duas outras frases [671] nos Evangelhos que se referem a mim e que você interpreta mais ou menos bem. Vou explicá-los para você.
Mateus diz: “Enquanto Jesus falava, sua mãe e seus irmãos estavam do lado de fora tentando falar com ele. Um disse: ‘Sua mãe e seus irmãos estão procurando por você’. Mas Ele respondeu: ‘Quem é minha Mãe e quem são meus irmãos? Eis minha Mãe e meus irmãos: quem faz a Vontade de meu Pai'”.
Repúdio de sua mãe? Não. Louvado seja sua Mãe que foi perfeita em fazer a Vontade do Pai. Bem, meu Jesus sabia o que eu estava fazendo! Uma vontade que eu tinha feito minha e diante da qual não recuei, embora cada golpe de minuto me repetisse, como um golpe num prego cravado no coração: “Isto termina no Calvário”. Bem, ele sabia que eu merecia ser Mãe de Deus por ter feito esta Vontade e, se não o tivesse feito, Ele não me teria por Mãe.
Portanto, entre todos os que o ouviam, ligado a ele por um vínculo superior ao sangue, por um vínculo sobrenatural, eu era o primeiro em tempo e conhecimento, entre todos os discípulos – porque a Palavra de Deus me instruiu desde Eu o carreguei em meu ventre – eu era “sua Mãe” no sentido que Ele deu ao seu dizer divino, e unido ao reconhecimento humano dos ouvintes Ele me deu seu reconhecimento divino como uma verdadeira Mãe, porque eu dei vida ao Vontade de seu Pai é minha.
Lucas relata que, enquanto Jesus falava, uma mulher disse: “Bem-aventurados os seios que te deram à luz e os seios que mamaste”. Ao que meu Filho respondeu: “Bem-aventurados os que ouvem a palavra de Deus e a guardam”.
Ser a Mãe de Jesus era uma graça da qual eu não podia me gabar. Entre os milhões e milhões de almas criadas pelo Pai, Ele, por um decreto inescrutável, escolheu a minha para ser sem defeito. O Eterno não quer que eu me humilhe no Céu, porque me fez Rainha no momento feliz em que, deixando a Terra, fui rodeada pelo abraço do meu Filho, saudade aguda do tempo da separação, desejo que me consumiu como uma lâmpada acesa. Mas se ele permitisse, eu ficaria para sempre prostrado diante de seu Fulgore para humilhar a mim mesmo em memória de seu decreto de bondade que me deu uma alma batizada de antemão sobre todas as almas, não com água e sal, mas com o fogo de seu amor. .
Ter Ele chupado meu peito não poderia nem mesmo despertar em mim chamas de orgulho. Ele poderia muito bem ter vindo à Terra e ser Evangelizador e Redentor sem rebaixar sua Divindade encarnada pelas necessidades naturais de uma criança. Assim como ascendeu ao Céu após sua Missão, para que pudesse descer do Céu para iniciá-la, dotado de um corpo adulto e perfeito, necessário para seu peso carnal. Meu Senhor e Filho tudo pode e eu tenho sido apenas um instrumento para tornar mais compreensível e persuasiva a real Encarnação de Deus, Espírito puríssimo, para vós, na forma de Jesus Cristo, filho de Maria de Nazaré.
Mas tendo observado a palavra de Deus e aguçado os sentidos da alma com total pureza desde a infância, isso foi grandeza; e ter ouvido a Palavra que era meu Filho para fazer dele meu pão e cada vez mais fundir-se com meu Senhor, isso foi bem-aventurança.
“Oh, Palavra sagrada! Presente dado ao amado de Deus, manto de fogo que cinge de esplendor, Vida que se torna a Vida daqueles a quem você se dá, que sejas cada vez mais amado por eles, como eu te amei, com ardor e humildade.
Trabalha nestes meus filhos, [672] ó Palavra santíssima, já que os tomei como meus aos pés da Cruz para consolar o meu tormento de Mãe cujo Filho adorado foi morto, e conduzi-los ao Céu por um caminho de verdade … resplandecente e de obras ardentes.
Traze-os ao Coração onde dormiste menino e foste morto, onde ainda há gotas do teu Santíssimo Sangue e das minhas lágrimas, para que o resto da sua humanidade desapareça desse contacto e eles, luminosos com a tua Luz, entrem Contigo na Cidade onde tudo é perfeição eterna e onde Tu reinas e reinarás, meu Filho santo!” . ”
Jesus diz:
«Dize ao Pai que entre os motivos probatórios está o dos ditados que, pelo seu conteúdo, certamente não podem sair de um coração que os acontecimentos especiais induzem a agitar criando pensamentos contrários aos que escreves: entre estes, nota o Pai aqueles escritos nos dias da morte de sua mãe [673]e recentemente o dos atuais 6. Adicione este motivo aos outros. É uma prova segura da fonte não humana de seus escritos.”

[666] Você se tornará semelhante a Deus , como em Gênesis 3: 5 . Ao lado da data, o escritor coloca a referência a Zacarias 9, 9-11.13.16-17 .
[667] dado , em Gênesis 1, 27 .
[668] banquete , que é narrado em Lucas 7, 36-50 ; em Betânia , com Marta, Maria e Lázaro, como em Lucas 10, 38-42 e em João 11, 1-3; 12, 1-11 .
[669] entrou … enterrado … , como é narrado em Mateus 21, 1-11; 27, 57-60 ; Marcos 11, 1-11; 15, 42-46 ; Lucas 19, 28-44; 23, 50-56 ; João 12, 12-15; 19, 38-42 .
[670] preservado , como narrado em Êxodo 12, 1-14 .
[671] duas frases , a de Mateus 12, 46-50 ; Marcos 3, 31-35 ; Lucas 8, 19-21 ; e a de Lucas 11: 27-28 .
[672] os meus filhos tornaram -se vossos filhos na transcrição da “Oração da Virgem ao Verbo” num papel inserido no final do décimo caderno autografado, que inclui os “ditados” de 29 de Novembro a 11 de Dezembro. Do outro lado da mesma folha, Maria Valtorta voltou a escrever a oração da seguinte forma sob a legenda “O mesmo dito pelos fiéis”:

Ó Santa Palavra! Presente dado ao amado de Deus, veste de fogo que você cinge de esplendor, Vida que se torna a Vida daqueles a quem você se dá, que Você seja cada vez mais amado com ardor e humildade. Trabalha nestes teus filhos e de Maria, que os tomou como seus ao pé da Cruz para consolar o Coração de sua Mãe cujo Filho adorado foi morto e para dar glória ao teu Divino Coração, ou Palavra santíssima do meu Senhor Deus. Conduzi-os ao vosso Coração e ao Imaculado Coração de vossa Mãe, onde dormistes criança e morrestes, onde ainda há gotas de vosso Sangue e suas lágrimas maternais, para que o resto de sua humanidade desapareça desse contato e eles , luminosa tua Luz, que eles entrem contigo na Cidade onde tudo é perfeição eterna e onde Tu reinas e reinas, Santo Filho de Deus, Verbo encarnado do Pai.

[673] mãe , falecida em 4 de outubro; o do atual 6 , que foi relatado como o segundo “ditado” de 5 de dezembro.

CAPÍTULO 199


8 de dezembro de 1943

   Maria diz : «Lucas [674]
sempre    escreve , meu evangelista, que meu Jesus, depois de circuncidado e oferecido ao Senhor”, cresceu e se tornou forte cheio de sabedoria, e a graça de Deus estava nele “; e mais adiante ele repete como, agora um menino de doze anos, ele foi sujeito a nós e “cresceu em sabedoria, idade e graça diante de Deus e dos homens”.    Um desvio da piedade dos fiéis fez com que se alterou a ordem mantida por Deus também em relação a si mesmo, quanto à sua existência como Filho do homem. A lenda adora fazer de meu filho um ser prodigioso e antinatural, que desde o nascimento teve atos de homem e, portanto, foi algo tão irregular que se tornou monstruoso.

Essa piedade errônea não é punida por Deus, que a vê e se compadece dela e a julga obra de um amor que não é perfeito na forma, mas sempre agradável porque é sincero.
Mas quero falar-vos do meu Filho como era quando sem a Mãe nada podia fazer: uma criatura terna, delicada, loura, ligeiramente rosada e bela, bela como nenhum filho de homem e boa, mais boa que os anjos .que criou seu e nosso Pai. Seu crescimento não foi nem mais nem menos o de uma criança saudável cuidada pela mãe.
Inteligente meu bebê. Muito. Quão perfeito pode ser. Mas sua inteligência despertava dia a dia seguindo a regra comum a todos os nascidos de mulher. Era como se o nascer do sol entrasse em seu pequeno cabelo loiro. Os primeiros olhares, já não vagos como os dos primeiros dias, começaram a recair sobre as coisas e sobretudo sobre a sua Mãe. Os primeiros sorrisos incertos e depois cada vez mais confiante quando me inclinei sobre sua cunha ou o peguei no colo para lhe dar leite, lavá-lo, vesti-lo e beijá-lo.
As primeiras palavras informam e depois cada vez mais claras. Que felicidade ser a Mãe que ensina o Filho de Deus a dizer: “Mãe!”. É a primeira vez que ele disse bem esta palavra, que ninguém como ele jamais foi capaz de dizer com tanto amor, e que me disse até o último suspiro, que festa minha e de José e quantas beijos na boca onde estavam os primeiros dentes!
E os primeiros passos com os seus pezinhos tenros, rosados ​​como a pétala de uma rosa carnicina, esses pezinhos que acariciei e beijei com amor de mãe e adoração de fiel e que depois os mandaria pregar na cruz e Eu os teria visto contrair-se em agonia, machucar-se e congelar-se.
E suas quedas quando começou a ir sozinho. Corri para pegá-lo e beijar seus hematomas… Ah! então eu poderia fazê-lo! Um dia eu o teria visto cair sob a cruz, já agonizante, rasgado, sujo de sangue e da imundície lançada sobre ele pela multidão cruel, e não poderia mais correr para levantá-lo, para beijar suas feridas sangrentas , pobre Mãe de um pobre Filho executado. !
E suas primeiras gentilezas: uma flor colhida no jardim ou na rua e trazida para mim, um banquinho arrastado aos meus pés para me deixar mais confortável, um pegar um objeto que havia caído em mim.
E seu sorriso. O sol da nossa casa! A riqueza que cobria de seda e ouro as paredes nuas da minha casinha! Quem viu o sorriso do meu Filho viu o Céu na Terra. Um sorriso sereno até criança. Um sorriso cada vez mais pensativo até se tornar triste quando ele se tornou adulto. Mas eu sempre sorrio. Para todos. E foi uma das razões de seu encanto divino que as multidões o seguiam enfeitiçadas.
Seu sorriso já era uma palavra de amor. Então, quando o sorriso se juntou à voz, que o mundo não tinha mais bela, até os torrões e os talos do trigo estremeceram. Era a voz de Deus falando, Maria. E era um mistério, que só as razões inescrutáveis ​​de Deus explicam, como Judas e os judeus puderam, depois de ouvi-lo falar, traí-lo e matá-lo.
Sua inteligência, cada vez mais aberta ao ponto de atingir o perfeito, me inspirava admiração e respeito. Mas ela era tão temperada com bondade que nunca mortificou ninguém. Meu querido Filho, que foi doce com todos e principalmente com sua Mamãe!
Quando eu era jovem, eu me proibia de beijá-lo como quando ele era criança. Mas eu nunca perdi seu beijo e sua carícia. Foi Ele quem incitou a sua Mãe, cuja sede de amor ele compreendia, a beber a vida beijando a sua carne santa, a beber a alegria.
Antes da Última Ceia, ele veio buscar o conforto de sua Mãe. E ele ficou no meu coração como quando era criança. Ele queria ser saturado de amor de mãe para resistir ao desafeto de um mundo inteiro.
Depois eu o tinha em meu coração já frio e sem graça nas luzes lívidas da Sexta-feira Santa. E ver o meu sempre Filho – porque para uma mãe o seu filho é sempre um filho, e tanto mais quando sofre ou está morto – ver o meu Filho todo chagado, desfigurado pelo sofrimento sofrido, incrustado de sangue, nu , rasgado até o coração, para ver ainda aquela boca abençoada que só tinha palavras sagradas, aqueles olhos adorados cujo olhar era uma bênção, aquelas mãos que só se moviam para trabalhar, abençoar, curar, acariciar, aqueles pés que se cansaram de tentando reunir seu rebanho e que o rebanho havia traspassado, foi um tormento sem limites que varreu a terra para redimi-la e invadiu os firmamentos que estremeceram de piedade.
Todos os beijos que eu tinha no coração e que, nas separações forçadas desses últimos três anos, eu não tinha conseguido lhe dar, eu dei então. Nenhuma contusão foi deixada sem beijos e lágrimas. E só eu sei a que número eles chegaram. Beijos e lágrimas foram os primeiros a lavar seu corpo morto, e nunca me bastou beijá-lo antes de vê-lo desaparecer sob os aromas, o sudário, o sudário e as bandagens, e por último além da pedra derrubada no fechamento do Sepulcro.
Mas na manhã da Ressurreição pude contemplar o Corpo glorificado de meu Filho. Ele entrou com o raio do sol, inferior a ele em esplendor, e eu o vi em sua beleza perfeita, minha porque eu o havia formado, mas Deus porque já havia passado a hora humana e estava voltando para o Pai trazendo-me para os céus com sua carne divina modelada em meu ventre à minha semelhança humana.
Não havia proibição para sua mãe [675]tinha para Maria de Magdala. Eu poderia tocá-lo. Eu não teria contaminado sua Perfeição que subiu ao Céu com minha humanidade, porque aquele mínimo de humanidade que eu tinha, em minha condição de Imaculada Conceição, havia queimado como uma flor lançada ao fogo na estaca expiatória do Gólgota. Maria-Donna havia morrido com seu Filho. Agora Maria-alma permaneceu, ardente para ascender com o Filho ao Céu. E meu venerável abraço não poderia perturbar a Divindade triunfante.
Oh! abençoado por esse amor dela! Pois se depois eu sempre tive em mente seu Corpo atormentado, e a lembrança daquela tortura ainda não perdeu seu aguilhão, a lembrança de seu corpo glorioso, triunfante, belo, de uma beleza divina e majestosa que é a alegria dos céus, foi o meu conforto perene durante os dias demasiado longos da minha vida, e foi o meu desejo perene de acabar com a minha vida para vê-lo novamente.
Maria, a minha festa começou há duas horas [676] e eu te guardei comigo fazendo-te conhecer o meu Jesus. Agora descansa olhando para aqueles que te amam e que te esperam e vendo a beleza que faz a alegria dos santos”.

   No mesmo dia 8 de dezembro, às 6h

   Maria diz :
«Quando na ira da Sexta-Feira Santa encontrei o meu Filho numa encruzilhada que conduzia ao Gólgota, não saíam palavras dos nossos lábios senão: ‘Mãe!’, ‘Filho!’.
Ao nosso redor estava a Blasfêmia, a Ferocidade, o Desprezo e a Curiosidade. É inútil, diante dessas quatro Fúrias, expor o coração com seus batimentos cardíacos mais sagrados. Eles teriam se precipitado para machucá-lo ainda mais, porque quando o homem toca a perfeição do Mal, ele é capaz não apenas do crime contra os corpos, mas também do pensamento e do sentimento de seus semelhantes.
Nós olhamos um para o outro. Jesus, que já havia falado às mulheres [677]compassivo, incitando-os a chorar os pecados do mundo, eu só olho fixamente, através do véu de suor, lágrimas, poeira, sangue, que cobriu suas pálpebras.
Ele sabia que eu estava orando pelo mundo e que gostaria de dobrar o céu em seu auxílio, aliviando-o não da tortura, pois isso deveria ser feito por decreto eterno, mas por sua duração. Eu teria gostado de dobrá-lo ao custo de meu martírio ao longo da vida. Mas eu não podia. Era o tempo da Justiça.
Ele sabia que eu o amava como nunca antes. E eu sabia que ele me amava e que o beijo de sua mãe teria sido um alívio para ele mais do que o véu da misericordiosa Verônica [678] e qualquer outra ajuda. Mas mesmo essa tortura era necessária para redimir os pecados da falta de amor.
Nossos olhares se encontraram, se entrelaçaram, se separaram rasgando nossos corações. E então a multidão oprimiu e empurrou a Vítima em direção ao seu altar e a escondeu da outra vítima que já estava no altar do sacrifício e que era eu, a Mãe Dolorosa.
Quando te vejo tão duro, teimoso no pecado, e penso que o nosso duplo tormento infinito não te fez bem, penso que tormento maior era necessário para neutralizar o veneno de Satanás em ti e não o encontro, porque tormento maior do que o nosso não há.
Eu segurei, desde o momento da minha Imaculada Conceição, a cabeça de Satanás sob meu calcanhar [679]por Sem Culpa. Mas, não tendo podido corromper meu corpo e minha alma com seu veneno, derramou veneno como ácido infernal em meu Coração materno e, se está imaculado pela graça de Deus, está entristecido como não poderia pelo obra de Satanás, que o traspassou até a morte pelos filhos do homem que mataram meu Filho desde a hora do Getsêmani até o fim do mundo.
A Mãe te diz, criatura que me és querida, que na bem-aventurança do Céu as ofensas que fazes ao meu Filho sobem para me ferir como flechas e cada uma reabre a ferida da Sexta-feira Santa. Mais do que as estrelas nos firmamentos de Deus são as feridas que meu Coração carrega por você. E você não tem piedade da Mãe que lhe deu a vida.
Voltarei para falar com você hoje porque quero mantê-lo comigo o dia todo. Hoje sou Rainha no Céu mais do que nunca e carrego sua alma comigo.
Você é uma garotinha que sabe pouco sobre a mamãe. Mas quando você sabe tantas coisas e me conhece não como uma estrela distante da qual apenas um raio pode ser visto e o nome é conhecido, não apenas como uma entidade ideal e idealizada, mas como uma realidade viva e amorosa, com meu coração de Mãe de Deus e de Mãe de Jesus, de Mulher que entende as dores de uma mulher porque as mais atrozes não foram poupadas e ela só tem que lembrar as suas para compreender os outros, então você me amará como ama meu Filho: isto é, com tudo de você.”

   No mesmo dia, às 12h

   Diz Maria :
«Foi a piedade de Longino [680] que me permitiu aproximar-me da Cruz, à qual chegara por atalhos íngremes, levado mais pelo amor do que pela minha própria força.
Longino era um soldado íntegro que cumpria seu dever e exercia seu direito com justiça. Ele, portanto, já estava predisposto às maravilhas da Graça. Por essa sua piedade obtive o dom das gotas do Lado e foram batismo de graça, pois sua alma estava sedenta de Justiça e Verdade.
Os anjos haviam dito [681]na aurora do nascimento de Jesus: “Paz na terra aos homens de boa vontade”. No crepúsculo do dia mortal de Cristo, o próprio Cristo deu a sua Paz a este homem de boa vontade. E Longinus foi o primeiro filho que me nasceu do trabalho da cruz, porque Dishma [682] foi o último remido pela palavra de Jesus de Nazaré como João foi o primeiro, e eu poderia dizer que ele, com seu coração de um iluminou o lírio de diamante do amor, era a luz nascida da Luz, e as Trevas nunca poderiam obscurecê-la.
Eu só tinha tomado este “filho de Cristo” (o padre M. sabe o que o sufixo significa em hebraico: bar) das mãos do meu Filho, iniciando o ciclo da minha maternidade espiritual com uma flor que já desabrochou no Céu; da minha maternidade espiritual nascida como rosa púrpura das palmas pregadas no tronco da Cruz, tão diferente da rosa branca [683] da alegria de Caná, mas igualmente dada pelo amor de Cristo à sua Mãe pelos homens, e pelo amor de Cristo aos homens por sua Mãe que não mais teriam um Filho.
Um milagre de amor marcou a época da evangelização, um milagre de amor o da redenção, porque tudo o que vem do meu Jesus é amor e tudo o que vem de Maria também é amor. O coração da Mãe não difere do coração do Filho a não ser na Perfeição divina.
Do alto da Cruz as palavras desciam lentamente, espaçadas no tempo como o bater da hora em um relógio celestial. E eu havia colecionado todos eles, mesmo aqueles que menos se referiam a mim, porque até um suspiro do Moribundo foi recolhido, bêbado, sugado pelo meu ouvido, pelo meu olho, pelo meu coração.
“Mulher, aqui está o seu filho” [684] . E gerado pela minha dor, dei filhos ao Céu a partir daquele momento. Nascimento virginal como meu primeiro, este parto místico de você para Ele. Eu te entrego à luz do Céu através de meu Filho e minha dor. E esta geração, que começou com essas palavras, não tem uivos de carne dilacerada, porque minha carne estava livre de culpa e condenação .de gerar pela dor, o coração dilacerado uivava sem voz com o soluço silencioso do espírito, e posso dizer que você nasce pela brecha aberta pela minha dor de Mãe em meu coração de Virgem.
Mas a palavra-chave daquela cruel tarde de abril era sempre uma: “Mãe!”. Conforto do Filho só para me chamar, pois ele sabia o quanto eu o amava e como meu espírito subiu em sua cruz para beijar meus santos Torturados. Mais e mais repetidas e mais dolorosamente repetidas à medida que o espasmo subia como uma maré crescente.
O grande clamor de que falam [686]os evangelistas era esta palavra. Ele disse tudo e realizou tudo, confiou seu espírito ao Pai e invocou o Pai sobre sua dor incomensurável. E o Pai não se tinha mostrado a Esta, em quem até aquela hora se comprazia e que agora, carregado dos pecados de um mundo, era olhado com rigor por Deus.A Vítima chamada Mãe. Com um grito de dor excruciante que perfurou os Céus, fazendo chover perdão, e que perfurou meu coração, fazendo chover sangue e lágrimas.
Peguei aquele grito em que pelas contrações da morte, e dessa morte, a palavra naufragou em um lamento excruciante, e carreguei aquele som dentro de mim como uma espada de fogo até a manhã de Páscoa, quando o Vitorioso entrou, flamejante. mais do que o sol daquela serena manhã, mais bela do que eu já tinha visto antes, porque a tumba me engoliu um Homem-Deus e me devolveu um Deus-Homem, perfeito em sua majestade viril, jubiloso pela prova cumprida.
“Mãe” mesmo assim. Mas, ó filha!, este foi o grito de sua alegria irreprimível, da qual Ele me fez partilhar apertando-me contra o Coração e lavando o absinto de vinagre e fel no beijo de sua Mamãe.
Não te surpreendas se no dia da minha festa da candura te falei da minha dor. Cada dom de Deus para a justiça é contrastado com um presente do destinatário. Cada eleição traz consigo deveres tremendos e doces ao mesmo tempo, que se tornam alegria eterna quando o julgamento termina.
Eu devia corresponder ao dom supremo da imaculada Conceição, o de ser a Mãe do Redentor, ou seja, Mulher da Dor. E o tormento do Gólgota é a coroa aposta na glória da minha imaculada Conceição.”

[674] Escreve… repete… , em Lucas 2, 40,52 .
[675] proibição , nas palavras relatadas em João 20, 17 .
[676] a minha festa , a da Imaculada Conceição, que se celebra a 8 de Dezembro.
[677] já tinha falado às mulheres , com as palavras relatadas em Lc 23, 27-31 . Os demais fatos evangélicos lembrados nos “ditados”, mas não documentados nos quatro evangelhos canônicos, serão encontrados na grande obra O Evangelho como me foi revelado , que Maria Valtorta começará a escrever em 1944.
[678] O véu de Verônica , já mencionado em 28 de junho, 1 e 17 de setembro.
[679] meu calcanhar é dito com referência a Gênesis 3, 15 .
[680] Longinus , já mencionado em 23 de abril, 7 de setembro e 31 de outubro.
[681] disseram , conforme relatado em Lucas 2, 13-14 . Em traduções modernas lemos: “Paz na terra aos homens que ele ama “.
[682] Disma , já mencionado em 11 de agosto, 31 de outubro e 5 de dezembro.
[683] candida rosa , de que se fala no final do último “ditado” de 5 de dezembro.
[684] “Mulher eis aí o teu filho” , como em João 19:26 .
[685] condenação , encontrada em Gênesis 3, 16 .
[686] de que falam em Mateus 27, 50 ; Marcos 15, 37 ; Lucas 23, 46 .

CAPÍTULO 200


9 de dezembro de 1943

   Jesus diz:
«Nunca como neste momento devo repetir [687] a quem me representa: “Apascenta os meus cordeiros”.
Muitos deles ficaram selvagens. Mas não é tudo culpa deles e por isso eles têm pena de mim.
Eu os havia confiado aos poderosos para cuidar deles. Eu já tinha dado tanto aos poderosos para que eles não quisessem mais e fossem bons para os súditos que não são poderosos a não ser por mandato de Deus. Na realidade eles são rebanho de Deus, são filhos de Deus, e devem ser tratados com respeito pensando do verdadeiro Rei: o Senhor, de quem sou um povo.
Em vez disso, eles os usaram como rebanhos sem mestre. Empurraram-nos para onde lhes parecia, alimentaram-nos com os alimentos que lhes pareciam, para escurecê-los no pensamento e esquecer o Bem corrompendo-os com doutrinas que amaldiçoo, fizeram escravos daqueles a quem também é negada a liberdade de pensamento, e como ovelhas, eles os levaram ao matadouro para seus propósitos criminosos para toda a humanidade. Inteiro . Aquela que para eles é “pátria” e aquela que é “pátria alheia”. Eles se enriqueceram explorando o sacrifício de súditos, ladrões dos bens de Deus e do homem que são Alma e Existência, assassinos de ambos.
Pois bem: lá do alto, por todo o absinto que é dado como alimento às multidões e que as leva a desesperar até de Deus, por toda a fome sofrida pelos corpos e almas dos meus filhos, por aqueles que nesta ruína permanecem os cordeiros do rebanho de Deus e nenhuma paixão [688] os transforma em rebeldes contra Deus, como seus sedutores e mestres, filhos do mal e precursores do Anticristo, venho com minha palavra e meu amor alimentar os pobres do meu rebanho e repito a ti que és meu vigário [689] :
“Apascenta os meus cordeiros dando-lhes a palavra infatigável e as bênçãos com que enchi a tua mão inocente, que não conhece outro sangue senão o meu Sangue que levantas no altar para o rito de propiciação, e outro gesto que não seja o meu para abençoar aqueles de quem você, como eu, tem misericórdia.
Eu dei duas varas à sua mão e você é querida para mim porque você usou a do amor. Mas o amor, que é poderoso até mesmo sobre o Poder de Deus, cai como uma pedra lançada contra a rocha quando se dirige a certas pessoas que têm aparência de homens, mas são demônios com coração de granito. Portanto, golpeie com a outra vara e deixe que os fiéis saibam que você não é cúmplice dos pecados dos grandes. Tornam-se cúmplices mesmo quando não se atrevem a trovejar contra suas atrocidades. Seu Mestre não gosta de maldições e raios. Mas há momentos em que é necessário saber usá-los para persuadir não os poderosos, cuja alma possuída por Satanás é incapaz de persuadir, mas os pobres do mundo que Deus e os justos de Deus não compartilham e apoiar os métodos e bullying daqueles que ele ultrapassou todos os limites e acredita ser um deus enquanto ele é apenas uma besta impura.
Fale, em nome da Justiça que você representa. Está na hora. E que as multidões saibam que minha Doutrina não mudou e que a Lei é uma só, que há um só Deus, que seu primeiro mandamento é o amor, que Ele, novamente, como nos séculos dos séculos anteriores à minha vinda, em que confirmei a Lei, [690]ele ordena não roubar, não fornicar, não matar, não pegar as coisas dos outros. Diga aos ladrões de agora, que não se contentam com uma bolsa, mas roubam almas de Deus e terras dos povos; diga-o aos fornicadores, aos grandes fornicadores da hora, cuja fornicação não é a bestial com uma mulher, mas a demoníaca com o poder político; diga aos matadores de agora, que se arrogam o direito de matar povos inteiros depois de matar em outros povos – os seus – a fé em Deus, a honestidade de qualquer forma, o amor ao bem; diga aos insaciáveis ​​de agora, que gananciosos como chacais atacam onde gostam do que gostam e tornam lícito todo crime só para tirar o que não é deles.
Falar significa ‘ dor ‘ e às vezes ‘ morte ‘‘. Mas lembre-se de Mim. Sou mais precioso do que ‘alegria’ e ‘vida’, porque dou àqueles que são fiéis a Mim uma alegria e uma vida que não conhece termo nem medida. Lembra-te de Mim que soube purificar [691] a minha casa da imundície e seguir em linha reta um único propósito: a glória de meu Pai . Isso me rendeu ódio, vingança, morte, porque aqueles atingidos pela minha fúria encontraram um vendedor que me entregou em seu poder por trinta moedas de prata.
Sempre, e entre os mais confiáveis, temos um inimigo, um vendedor. Mas não importa. O discípulo [692] não é mais do que o Mestre, e se eu, sabendo que o chicote de minhas palavras, mais do que o chicote de cordas – um meio simbólico e não real – me trouxe a morte, falei, falei. E se eu suportei, por amor dos homens e por seu amor, um inimigo e um traidor e o horror de um beijo de traição, você, meu primeiro entre meus filhos agora, não deve recuar do que antes. .
Se então, apesar de todos os meios, a Justiça perecer e, cada vez mais arrastados pelos dominadores de Satanás e dominados, pela mímica do mal, eles se desprendem cada vez mais de Deus, então eu levantarei a Luz e a Verdade. E isso acontecerá quando mesmo em minha casa – a Igreja – houver muitos que, por interesse humano e fraqueza indigna, estarão entre os dominados pelos semeadores do mal em suas várias doutrinas. Então você vai saber[693] o pastor que não cuida das ovelhas abandonadas, o pastor ídolo de quem fala Zacarias [694] .
Lembre-se do Apocalipse de João. O dragão recorda: [695] o gerador do Mal do futuro Anticristo, que prepara o seu reino não só perturbando as consciências, mas esmagando a terça parte das estrelas nas suas espirais e tornando as estrelas lamacentas. Quando essa colheita demoníaca ocorrer no Pátio de Cristo, entre os grandes de sua Igreja, então, na luz que se faz apenas brilhar e mantida como a única lâmpada nos corações dos fiéis a Cristo – porque a Luz não pode morrer, eu prometeu, [ 696]e a Igreja, mesmo em tempos de horror, guardará o necessário para retornar ao seu esplendor após o julgamento – então virá o ídolo pastor, que estará e ficará onde seus senhores quiserem.
Quem tem ouvidos para ouvir deve ouvir. A morte será boa para os vivos naquele momento “.”

   Mais tarde

   Jesus diz:
«Parece-me ter repetido muitas vezes que ou se crê ou não se crê , que o meu tempo não é medido pela vossa medida , que serão bem-aventurados os que crerem sem exigir provas .
Acrescento agora que a profecia pode ter períodos de repetição ou aparente negação, que então se tornam apenas um teste dado por Deus à fé dos homens.
Todas as profecias antigas e modernas (eu digo antigas aquelas de Adão até minha vinda e modernasos da minha chegada ao presente, já que seus vinte séculos são uma fração de hora em relação à minha Eternidade) apresentam pontos em que parecem errados, pois você acha que eles devem ter acontecido em um determinado período e não aconteceram. Mas o olho do meu servo vê com o meu Olho. Em vez disso, você vê com o seu. Então meu servo fala ou repete em meu nome, e o que você acredita que já foi superado pode ser um evento ainda a ser cumprido no futuro. Isso é verdade para todas as profecias, mesmo aquelas dos maiores espíritos.
Para quem olha com seus olhos humanos, até a Profecia perfeita: a minha pode parecer errada e contrariada pelos fatos. Não parece, lendo os Evangelhos, [697]que o fim do mundo logo se segue à destruição de Jerusalém? Mas quantos séculos se passaram desde então? No entanto, o fim do mundo será precedido pelos sinais que estou dizendo e que muitas vezes já pareceram próximos de sua ignorância e medo. Só eu sei o momento em que começarão e não acho necessário dizê-lo. Também por bondade para com a vida daquela hora.
Você certamente não quer pensar que eu, o Profeta perfeito porque o repositório dos segredos da Divindade, errei! Como você não quer acreditar que Pedro, Paulo e sobretudo João, que permaneceram unidos ao seu Mestre mesmo além do tempo de minha estada entre os homens, cometeram um erro. E Pedro não diz: “O fim de todas as coisas está próximo”? E Paulo: “… Nós, os vivos, permanecemos até a vinda do Senhor”, e ainda: “Vocês bem sabem que quem o detém é o Senhor, para que ele só se manifeste no devido tempo. Já está em ação o mistério da iniquidade”? Parece, portanto, que o Anticristo estava em ação desde então e só Deus não permitiu que ele se manifestasse plenamente para ser incinerado por Mim. E ele exorta os cristãos daquele tempopermanecer firme na fé para resistir à iniqüidade em ação. E meu João, finalmente, o mais iluminado, aquele a quem os Céus foram conhecidos com perspectivas de acontecimentos futuros conhecidos apenas por Deus e meu Coração foi aberto com todos os segredos mais secretos, não termina o Livro tão sublime que parece escrito com caneta raptada de um arcanjo: “… a hora está próxima… Eis que venho em breve. Aquele que dá testemunho destas coisas diz: Sim, venho em breve”?
Agora, portanto, digo a vocês as mesmas palavras dos meus santos: “Diante do Senhor um dia é como mil anos e mil anos como um dia. Não é que o Senhor tarda, mas usa a paciência… Há algumas coisas que são difíceis de entender que os ignorantes e instáveis ​​oprimem à sua perdição”.
Oh! bem-aventurados os crentes e os que se contentam sem necessidade de muitas provas, bem-aventurados os que descansam na palavra do Senhor, mesmo que lhes pareça obscura, e não provocam os tormentos de Tomé, que sofreu mais dias do que outros por não acreditando na minha Ressurreição, e outros dias depois pelo arrependimento de não ter acreditado em nada senão depois de ter observado!
“As perguntas estúpidas, as genealogias, as disputas e as batalhas, escapam delas, sendo inúteis e vãs”, como diz Paulo. Lembre-se que João a algumas linhas de distância diz: “… Mesmo agora já existem muitos anticristos, dos quais podemos entender que é a última hora … Eu não escrevi para você (para você) como para aqueles que fazem não conhece a verdade, mas quanto a quem a conhece e sabe que nenhuma mentira pode vir da verdade”. Por fim, lembro que quem repete as palavras de Deus ou fala diretamente não o faz por vontade humana “mas inspirado pelo Espírito Santo”, como diz Pedro em sua segunda carta.
Por conta própria, meu porta-voz é um pobre nada que nunca sente tanto nada como quando eu coloco um ponto bíblico na frente dele e digo: “Interprete-o”. Então ele parece um passarinho que caiu em uma rede e está assustado. Eu, que perscruto o seu coração, vejo-o derreter-se num estupor e num tremor como o de um estudante obrigado a responder ao examinador sobre o que não sabe. E eu gosto dela sem saber por que ela o mantém baixo e dobrável como um véu de seda.
Quanto às passagens, é inútil espalhá-las como alimento para os répteis, que podem usá-las como arma nociva e como mordaça contra meus pequenos cristos. Já disse [698] e repito que é preciso muita prudência, pois você vive entre répteis venenosos. Por que você quer alimentar curiosidades tolas? Não digo o que faço para sua diversão ou para me curvar ao seu conjunto mórbido de futuros conhecidos. Quando você sabe, você muda? Não. Não seja mentiroso ou ingênuo. Não mude. Os espíritos justos já têm mais do que o suficiente do que é dito para todos sem levantar os véus mais profundos. Os outros… ah! os outros! Quando não fazem dela um instrumento para prejudicar a muitos, fazem dela um instrumento para prejudicar a si mesmos, porque estudam, não acolhem , estudam minha nova Palavra só com luz e método humano. E eu não disse que esse método é matador?
Eu disse – e se não me canso de repetir minha Doutrina, canso de repetir as ordens relativas ao “porta-voz” – que só quando ele não estiver mais no mundo ele terá plena consciência de seu cansaço. Não fique ansioso para fazer exposições gerais. Ele não. Ele não se importa em ser conhecido, admirado, pelo cansaço e pela quantidade de trabalho. Com lágrimas de sangue ele ainda permite que você use páginas “todas dele” para o bem de muitos e para o meu amor. Os outros não querem porque eu não quero, e no meu “porta-voz” não passa de uma vontade: a minha .
Você tem nos ditados dos baús de tesouros de gemas suficientes para tornar o mundo brilhante. Por que você quer extrair tambémdiamantes que em poucos anos poderão ser manuseados sem que as forças do Mal se apropriem deles para destruí-los? Você não percebe que está nas mãos dos inimigos de Cristo?
Quem escreve é ​​conduzido. Mas quem copia [699] deve saber compreender o que deve ser posto à disposição de quem, por sua vez conduzido por Mim, pode compreender e abençoar. Guarda, pois, para a hora em que marcarei todo o trabalho do meu “porta-voz” e darei aos pobres do mundo, segundo a sua condição, o que deve ser dado. E reze para não se deixar levar pela humanidade em sua escolha.
Para eventos do dia, PM já notou [700]a concomitância e pode testemunhar isso. De resto, repito, você usa como o diretor de Benigna usou, [701] que estava em tempos melhores que estes e tinha uma matéria menos explosiva nas mãos, direi para ficar no personagem com o tempo presente cheio de explosões não tanto pó quanto química, mas de substâncias infernais.
Não repita as perguntas porque eu não vou responder. Não quero sair da regra porque não vou abençoar. Pegue o seu trabalho e dê ao meu porta-voz. Ele lhe dirá os pontos que não devem ser disponibilizados aos curiosos e aos perversos. Vou segurá-lo pela mão na escolha.
São os pequeninos que sentem o perigo por instinto como passarinhos. E meu “porta-voz” não é menos criança do que eu era no ventre de minha mãe. Eu o amo por isso.”

[687] repita o que foi dito a Pedro em João 21: 15-17 .
[688] paixão também pode ser lida pressão
[689] a ti que és o meu vigário , isto é, ao Papa, a quem dirige desde o início: «Devo repetir a quem me representa».
[690] Confirmei a Lei , como em Mateus 5, 17 . Os dez mandamentos são ilustrados no “ditado” de 21 de outubro.
[691] Eu sabia purificar , como no episódio referido em Mateus 21, 12-13 ; Marcos 11, 15-17 ; Lucas 19, 45-46 ; João 2, 13-17 .
[692] O discípulo… , como em Mateus 10, 24 ; Lucas 6, 40 . A traição de Judas é narrada em Mateus 26, 14-16.20-25.45-50; 27, 3-10 ; Marcos 14, 10-11.18-21.41-46 ; Lucas 22, 1-6.21-23.47-48 ; João 13, 21-30; 18, 1-9 .
[693] você saberá que também poderia ser lido você saberia
[694] de que ele fala em Zacarias 11, 17 (em traduções modernas “tolo” é preferido em vez de “ídolo”). No início do “ditado”, junto à data, o escritor colocou a referência a Zacarias 11, 4.7.10.13-15.17 .
[695] o dragão mencionado em Apocalipse 12, 3-4 .
[696] Prometi-o em João 8, 12 .
[697] lendo os Evangelhos , por exemplo: Mateus 24, 34 ; Marcos 13, 30 ; Lucas 21, 32 . Seguem-se as citações textuais, às quais o autor acrescenta (diretamente no texto, entre parênteses ou no rodapé da página manuscrita) as referências bíblicas relacionadas, que preferimos agrupar segundo a ordem canônica e na forma usual, completando-as com duas referências que colocamos entre colchetes: [ João 20, 24-29 ]; 1 Tessalonicenses 4, 15 ; 2 Tessalonicenses 2, 6-7 ; Tito 3, 9 ; 1 Pedro 4, 7 ; 2 Pedro 1, 21 ; 3, 8-9,16 ; 1 João 2, 18-21; [ Apocalipse 22, 20 ].
[698] disse em 15 e 23 de agosto e 26 de outubro.
[699] quem copia é o Pe. Migliorini (conhecido em 22 de abril, 13 de agosto e 4-5 de outubro) a quem devemos os exemplares datilografados das obras de Maria Valtorta.
[700] já pôde anotar , no “ditado” de 24 de julho.
[701] Benigna é Benigna Consolata Ferrero, já mencionada em 23 de agosto e 11 de outubro.

CAPÍTULO 201


11 de dezembro de 1943

   Jesus diz:
«A minha Igreja já conheceu períodos de obscurantismo devido a um complexo de coisas diferentes. Não se deve esquecer que se a Igreja, tomada como entidade, é uma obra perfeita como o seu Fundador, tomada como um complexo de homens, ela apresenta as deficiências próprias do que vem dos homens.
Quando a Igreja – e para isso me refiro agora à reunião dos altos dignitários dela – agiu segundo os ditames da minha Lei e do meu Evangelho, a Igreja experimentou momentos de esplendor. Mas ai quando, colocando os interesses da terra acima dos do céu, ela se poluiu com paixões humanas! Três vezes ai quando ele adorou a Besta de que fala [702]Giovanni, que é o poder político, e se fez escravo dele. Então, necessariamente, a luz escureceu em crepúsculos mais ou menos profundos, seja por causa da falta de Chefes elevados a esse trono pelas artes humanas, ou por causa de sua fraqueza contra as pressões humanas.
Estes são os tempos em que existem os “pastores de ídolos” de que já falei, [703] consequência, afinal, dos erros de todos. Porque se os cristãos fossem o que deveriam ser, poderosos e humildes como são, não haveria abuso e interferência, e nenhum castigo seria causado por Deus que retira sua luz daqueles que a rejeitaram.
Nos séculos passados, desses erros surgiram os antipapas e os cismas, que, ambos, dividiram as consciências em dois campos opostos, causando incalculáveis ​​ruínas de almas. Nos séculos futuros, esses mesmos erros poderão causar o Erro, ou seja, a Abominação na casa de Deus, sinal precursor do fim do mundo.
Em que consistirá? Quando isso vai acontecer? Você não precisa saber disso. Digo-vos apenas que um período muito negro para a Igreja só pode vir inevitavelmente de um clero demasiado amante do racionalismo e demasiado ao serviço do poder político .
Mas não se preocupe. A profecia de Zacarias é soldada como um anel a um anel com a de João. Após este período de penoso trabalho em que, perseguida por forças infernais, a Igreja, como a mística Mulher de que fala João , depois de ter fugido para se salvar refugiando-se no melhor e perdendo os membros indignos no místico (digo místico , ), ela dará à luz os santos destinados a conduzi-la na hora que precede os últimos tempos.
A mão do pai e do rei terá aqueles que terão que reunir as linhagens ao redor da cruz para se preparar para a reunião de Cristo. Nem uma raça falhará com seus melhores filhos.
Então virei e contra todas as armadilhas e artimanhas, os ataques e os crimes de Satanás contra minha Jerusalém terrena – a Igreja militante – colocarei meu poder em defesa.
Derramarei o meu espírito sobre todos os remidos da terra. E aqueles que agora sofrem, expiando os pecados de seus pais, e que não sabem encontrar a salvação porque não ousam voltar-se para Mim, encontrarão a paz porque, batendo no peito, invocarão – de uma maneira muito diferente caminho de seus pais [705] – sobre eles, aquele Sangue já derramado, e que queda inesgotável dos membros que seus pais perfuraram. Como fonte estarei no meio do meu rebanho todo recomposto, e lavarei em Mim toda a feiúra do passado que o arrependimento já começou a apagar.
Então, Rei de Justiça e Sabedoria, perderei os ídolos das falsas doutrinas, purgarei a Terra dos falsos profetas que de tantos erros tiraram. Substituirei todos os doutores, todos os profetas, mais ou menos santos ou mais ou menos ímpios, porque o último ensinamento deve ser um mundo de imperfeições , tendo que preparar para o Juízo Final aqueles que não terão tempo de purgação sendo logo chamados para a tremenda revisão.
Cristo Redentor, cujo objetivo é redimir-vos e que não deixa pedra sobre pedra para fazê-lo, e já está iniciando e acelerando seu segundo treinamento para combater com voz de verdade as heresias culturais, sociais e espirituais que surgiram em todos os lugares, falará com os sinais de seu tormento. Rios de luz e graça fluirão de minhas feridas, feridas que mataram o Filho de Deus, mas que curam os filhos do homem.
Esses carbúnculos vivos de minhas feridas serão uma espada para os impenitentes, os obstinados, os vendidos a Satanás, e serão uma carícia para os “pequeninos” que me amam como um pai amoroso. Esta carícia de Cristo descerá sobre suas fraquezas para fortalecê-los, e minha mão os encaminhará para a prova em que só resistem aqueles que me amam com amor verdadeiro. Uma terceira festa. Mas isso será digno de possuir a Cidade do Céu, o Reino de Deus.
Então eu virei, não mais Mestre, mas Rei , para tomar posse de minha Igreja militante, agora feita Una e Universal como fez minha Vontade.
O antigo trabalho cessou para ele. Venceu para sempre o Inimigo. Lavou a Terra dos rios da Graça, desceu sobre ela uma última vez para fazê-lo como era no princípio, quando o pecado não havia corrompido este altar planetário destinado a cantar os louvores de Deus com os outros planetas, e para os culpa do homem que se tornou a base da forca de seu Senhor feito Carne para salvar a Terra. Derrotados todos os sedutores, todos os perseguidores que com ritmo premente perturbaram a Igreja minha noiva, Ela conhecerá tranquilidade e glória.
Juntos subiremos para uma última ascensão, eu e meus santos, para tomar posse da Cidade sem contaminação, onde meu trono está preparado e onde tudo será novo e sem dor. Imerso em minha Luz, você reinará comigo para todo o sempre.
Isto é obtido por Aquele que se encarnou no ventre de Maria por vocês e nasceu em Belém de Judá para morrer no Gólgota”.
Então para mim. Jesus diz:
«Não te aborreças, Maria. Diz comigo: [706] «Agradeço-te, Santo Padre, porque escondeste estas coisas aos poderosos e as revelaste a mim, que sou pequeno».
Deixe que os pensamentos dos outros se torçam ao seu gosto. Você sabe que a fonte de seus escritos é Deus, que vem de Deus.
Você trabalha para uma glória humana? Não. Você trabalha para minha glória. Portanto, não se preocupe com as queixas humanas ou elogios humanos. Você faz a sua parte. Seu prêmio serei eu. Os demais, se não souberem fazer o seu e meu presente não levar em conta, terão a devida compensação.
Fique calmo em sua felicidade, que é o melhor sinal da procedência desses escritos. Sua felicidade vem de sua transformação em Bem . Seu anjo olha para você satisfeito porque vê você mudado em Mim. Ajude como puder, o quanto puder, a obra de seu Jesus. Trabalhe continuamente em si mesmo. Você deve lutar pela Perfeição. Você sofre para ter sucesso e sofre pelos irmãos tão surdos às vozes do amor.
Se fiz de ti uma cisterna da minha palavra para beber aos sedentos, deves aspirar à Palavra, à custa de um sacrifício contínuo. Sofrimentos da carne, sofrimentos do coração, sofrimentos da mente, sofrimentos do espírito, tudo deve servir a você para esse propósito. Eu permito tudo porque quero que seu poder de vítima, que com seu sofrimento conquista as almas no Céu, aumente cada vez mais.
Da dúvida de que Satanás tenta inocular você, a única arma que lhe resta para aborrecê-lo, da dúvida de que você está errado, eu lhe asseguro. Viva seguro em Jesus
, vá em paz. Mesmo que o mundo rejeitasse o seu dom, eu não tiraria de você o mel da minha Palavra, e ele permaneceria todo em você como um tesouro real do qual você seria rainha absoluta. Durma com a minha bênção.”
Jesus diz:
«Quando o Criador criou a Terra, tirou-a do nada reunindo os gases do éter, já criado e tornado firmamento, numa massa que girando solidificou-se como uma avalanche meteórica que crescia cada vez mais em torno de um núcleo primitivo.
Sua negação também (eu chamo de negaçãoA ciência que quer dar explicações negando Deus) admite a força centrípeta, que permite que um corpo gire sem perder parte de si mesmo, mas atraindo todas as partes para o seu centro. Você tem as máquinas que, mesmo grandiosas, repetem microscopicamente o poder centrípeto criado por Deus para criar os mundos e mantê-los obrigados a girar em torno do sol, um pino fixo, sem sair dos caminhos celestes, por eles marcados, perturbando o ordem criativa e causando cataclismos de destruição incalculável.
A Terra, formando-se assim na sua corrida nebular de projéteis que se solidifica ao percorrer os espaços, teve que abduzir à força emanações e elementos de outras fontes, que e que nela permaneceram encerrados sob a forma de fogos vulcânicos, enxofres, diferentes águas e minerais, que sobem à superfície testemunhando sua existência e os mistérios, que com toda a vossa ciência não podeis explicar com verdade exata, da Terra, planeta criado do nada por Deus, meu Pai.
Quantas forças boas vocês que são mestres em descobrir e usar forças do mal ainda ignoram! Você pede estes últimos ao Mal, e ele te ensina a fazer você e os torturadores de seus semelhantes em seu nome e para seu serviço. Mas não peça boas forças ao Bem que te ensinaria paternalmente como ensinou aos primeiros homens, que também foram culpados e condenados por ele, os meios e as maneiras de usá-los, de sua existência terrena.
Existem fontes benéficas e sucos saudáveis ​​que você ainda não conhece e que seria muito útil conhecer. Não só isso: há alguns que você conhece mas não quer usar, preferindo outros, verdadeiras drogas do inferno, que arruínam seu corpo e sua alma.
Talvez por isso deixem de existir essas fontes, em cujas gotas se dissolvem os sais sequestrados pelos minerais encerrados no seio do vosso planeta e emergindo das camadas e veios do solo até à superfície, gelados ou ferventes, insípidos, incolores, inodoros. , ou com sabor. , da cor, do olfato sensível aos seus sentidos? Não. Eles continuam sendo criados como o sangue em seu corpo, no interior da Terra, para um processo de assimilação e transformação contínua como o do alimento que se torna sangue em seu estômago, nutrindo os tecidos e medula, órgãos e células, que são então produtoras de sangue. Eles continuam a gemer enquanto o suor continua a chegar aos tecidos. Eles obedecem. Quando isso acabasse, ocorreriam explosões terrestres e a Terra, como uma caldeira sem aberturas,
Maria, eu quero que você seja como uma dessas fontes.
Eu os alimento com um processo de assimilação a Mim que minha bondade quis. Mas você, sem se preocupar se os enfermos do espírito vêm ou não para beber o que geme de você e que é a minha Palavra, você deve continuar sua missão como uma fonte que se enche e se deixa tirar ou, se for não extraída daqueles a quem é particularmente oferecida e por aqueles que mais deveriam, porque não se acredita que seja sã e santa, transborda, e dela se beneficiam aqueles que por acaso entram em contato com ela.
Eu sempre alimentarei em você a fonte da minha Palavra. Basta-me que me dê amor, humildade, vontade, espírito de sacrifício. Mas se você tem amor, você já tem tudo porque é o gerador de todas as virtudes. Quem ama é humilde para com o amado em quem vê toda a perfeição. Quem ama está disposto a agradar o amado. Quem ama não sente repugnância ao sacrifício, se esse sacrifício puder ser útil ao amado. Isso também para os amores humanos. Isso então se multiplica quando o amor é sobre-humano.
E você que já conhece o fruto da humildade e do sacrifício, dois poderosos ímãs que me atraem com todos os meus dons sobrenaturais, aumenta a humildade e o sacrifício até o aniquilamento e o delírio.
Viva as vítimas que são os delirantes do amor divino, os seqüestrados nele, os conquistadores do mundo que põem sob seus pés e os conquistadores de Deus, de Cristo, a Vítima Suprema!”

[702] do qual ele fala extensivamente em Apocalipse 13 e em outros capítulos do livro, como já notamos no “ditado” de 3 de julho.
[703] de que já falei em 9 de Dezembro com referência ao livro do profeta Zacarias. No presente “ditado” o escritor coloca, junto à data, a referência a Zacarias 12-14 .
[704] mencionado em Apocalipse 12 .
[705] seus pais , o “povo” mencionado em Mateus 27:25 .
[706] Reze comigo a oração relatada em Mateus 11, 25 ; Lucas 10, 21 .

CAPÍTULO 202


12 de dezembro de 1943

   Jesus diz:
«A alma ainda mais disposta a ser totalmente de Deus está sujeita a ser distraída pelas necessidades da existência.
Você não precisa ser escravo deles para se distrair com eles. Mas mesmo que você já seja tão espiritual que seja mais alma do que corpo, desde que a carne cubra sua alma como a casca contém o fruto, você está sujeito às exigências da carne. Reduzidas ao mínimo que eu também aceitei, não são uma falta, mas um dever e uma prudência.
Não preguei a destruição da carne pela carne com uma raiva mórbida, semelhante à de certos ascetismos em uso nas religiões espalhadas pelo mundo. Eu, e eu lhe mostrei pelo exemplo, ensinei [707]que não é necessário preocupar-se com a carne que morre, mas com a alma imortal; Eu ensinei a não temer o que pode matar seu corpo, mas o que mata seu espírito; Eu ensinei que se você pode escolher entre a preservação do corpo e a preservação da alma, você deve sempre escolher o quanto preserva a alma. Mas eu não ensinei apenas a torturar a carne por má interpretação religiosa e menos ainda por religião hipócrita.
Em verdade vos digo que, mesmo que jejuem com a boca e não jejuem com o coração, negando-se a prejudicar o próximo com suas ações, palavras e até pensamentos, seu jejum é vergonhoso para mim e há morte da alma , porque as práticas sem caridade nada mais são do que o empilhamento de pedras para a lapidação do vosso futuro eterno.
Como eu lhe digo: “Não mate sua alma com as ações da carne”, então eu lhe digo: “Não mate sua carne com comportamentos profanos, mas simplesmente exaltados”. Seja santo em espírito, em pensamento, em sentimento, em obras, na carne .
Como você pode conseguir que a vida não o distraia e a alma, como sua rainha, mantém o sujeito-carne sob um império onde não há injustiça?
Com amor. É o que você é mestre e como um maestro regula todas as suas ações que, como os diversos instrumentos de uma orquestra, se fundem em um único som cheio de harmonia, que pode ser uma frase melódica leve, uma peça mais complexa ou até mesmo uma grandiosa. sinfonia, dependendo do seu poder de amar.
Os gigantes do amor obtêm o coro pleno e imponente de uma sinfonia super-sublime, acompanhado por anjos e santos que vêem os gigantes do amor não diferentes deles, ainda vivendo na Terra, mas com alma de serafim.
Os apaixonados já sabem cantar sua melodia na qual se curvam para ouvir, prontos para se juntar a ela, anjos e santos, quando entendem que o ardor fiel obtém o crescimento do amante e o faz como um amante gigante do amor.
A vontade de amor só saberá repetir uma frase melódica como o chamado de um pardal ao sol que tarda a revesti-lo de seus raios dourados, pois não sabe voar alto, como uma cotovia na festa da aurora, encontrando o sol carregando o corpo, a quem o desejo anula o peso, além de sua capacidade de voar, e seu canto além de suas possibilidades de resistência, até cairem destruídos pelo desejo quando, tendo alcançado o bem procurado, morrem na exultação da fusão com o raio dourado. Mas mesmo esse tímido e breve lembrete – porque é fiel e é tudo o que a criatura pode dar – é abençoado por Deus e preserva da poluição as ações desse ser.
Quem são os gigantes do amor? Eles são as almas-vítimas .
Você as distingue em vítimas de justiça, vítimas de expiação, vítimas de amor. Mas não faça distinção! A vítima é sempre uma vítima do amor .
Quem expia, por que expia? Pelo amor dos irmãos por quem ele paga a parte da expiação que seria deles: o amor ao próximo, levado ao heroísmo.
Quem é a vítima da justiça, a quem se oferece? A Deus ofendido para oferecer-lhe conforto contra a ofensa. Amor de Deus, levado ao heroísmo.
O amor é o eterno sacrificador. Aquele que sacrificou Deus fez Carne e aquele que sacrificou sua carne e alma tornando-o semelhante ao Cristo Redentor.
A alma vítima tem a certeza, como se já estivesse fechada em meu Reino eterno, de ser salva, pois cada batida do coração, movimento, palavra, sentimento, ação é santificada pelo amor que a preserva das impurezas humanas.
A alma-vítima está agora mesmo se não orar. É a sua vida de oração.
A alma vítima penetra em Mim e do centro do Meu Coração que a chama de “Irmã” leva e distribui graças e bênçãos sobre os irmãos. Não há restrições para minhas vítimas. Tudo o que é meu é deles, que quiseram oferecer seu ser ao Sacrifício eterno.
A alma da vítima está estendida sobre um ferrão cujos vértices são a dor e o amor. A dor por não ver Deus amado como seu heroísmo de amor lhes permitiu ver que Deus deve ser amado.
Mais do que doenças e infortúnios, eles são torturados pelas misérias espirituais que, como as ruínas de um país destruído por um inimigo, cobrem as almas de seus semelhantes, apagando a marca de Deus neles e enterrando seu santo nome sob o peso do pecado. .
Mais do que a própria dor, é doloroso para eles sentir sua incapacidade de alcançar a perfeição do amor, seu sonho, porque gostariam de dar a Deus um dom digno de sua perfeição. E se eu fui conduzido ao meu altar por três pregos, eles também o são, porque meu amor, seu amor e sua dor são os três pregos que os mantêm crucificados até a morte, que nada mais é do
que exalar o espírito. tendo “realizado tudo” [708] .
Meu amor! Oceano de fogo que do alto dos Céus cai sobre uma alma e com uma contínua vinda de ondas de ardor a consome como se fosse cera mole atingida por uma chama. Fome insaciável que é comum a dois que se amam, e Cristo quer devorar a sua criatura para fazer dela a sua parte e a criatura quer aspirar a Deus em si mesma para fazer de si a sua vida.
Tudo pára diante desse governante que passa fazendo valer seus direitos. A existência, a inteligência, os afetos abrem-se e fazem asas, e procede e entra, pois o amor é o rei de todas as coisas. A alma então toma as paixões de seu esposo de amor e as torna suas. Tesouro de tesouros é ela ser martirizada dia a dia para este fim e ver com os olhos do espírito a luz voltar aos corações e eles se voltarem para Deus, poiso amor mesmo sem palavras converte e sem cordas arrasta .
O amor é a força que sustenta o universo e o amor é o que salva o mundo. E não os líderes, nem os cientistas, nem os eruditos, mas os amantes são aqueles que sabem encontrar os caminhos das vitórias que levam ao Bem, rasgando com seu ímpeto ardente as cadeias satânicas que os tornam escravos do Mal que os odeia. .
E se o amor dos crentes obtivesse o milagre de tempos melhores, que com o seu modo de vida você se impediu, o amor das vítimas, que é o amor mais próximo da perfeição do meu, é o que faz um ímpeto que sobe de Satanás para destruí-lo em uma maldição desesperada e que abre as portas do Perdão fundindo-as com o fogo de seu holocausto.”

[707] Ensinei , por exemplo, em Mateus 6, 25-34 ; Lucas 12, 4-5 . 22-31 .
[708] “tudo está consumado” , as últimas palavras de Jesus, a Vítima, relatadas em João 19,30 .

 CAPÍTULO 203


13 de dezembro de 1943

   Comentando o Salmo 34. Jesus diz :
«Falo-vos, minhas queridas vítimas, que necessitais de um anjo consolador que vos exorte a sofrer como eu o sofri [709] porque, se me é caro foi fazer a Vontade de meu Pai com o meu espírito aceso caridade, não fiquei sem os terrores e rebeliões da carne diante do sofrimento.
Vocês também, pequenos Jesus, não ignorem o dualismo entre o espírito e a carne. O espírito que clama: “Imolação para salvação” e a carne que geme: “Tenha misericórdia! Quero viver e não sofrer”. Mas eu venho, e para fortificar a vossa carne também para a dor vos dou a minha Palavra.
Também tenho pena da vossa carne, porque quando é um instrumento de redenção, quando o Espírito de Deus a possui e a move como quer, como um caule de erva que o vento beija, não é repreensível, mas matéria sagrada e que conhecerá a glória no meu reino.
Eu também santifiquei a carne redimindo-a com minha doutrina e meu Sangue. E quem vive fiel à minha doutrina e não zomba do meu sangue, mas em virtude dele, de vez em quando se purifica nele, se aperfeiçoa, torna sua carne santa e agradável a Deus.
É a vestimenta do seu altar. O altar é a alma sobre a qual o espírito se imola. Mas todo altar deve ser coberto com linho puro para estar pronto para ser uma mesa mística. Uma carne pura, sacrificada, embelezada de dor, é a toalha de mesa que cobre o seu altar, uma toalha de mesa branca, lisa e decorada, onde o eterno Sacerdote não despreza vir e realizar o rito com a hóstia do seu espírito.
Não esperem, queridas vítimas, gratidão e compreensão do mundo. [710]
“Tu estás no mundo e o mundo não te conhece, porque já não és do mundo”. Nisto, você vê, você é semelhante ao seu Mestre.
Você se sacrifica pelo mundo “e o mundo olha para você balançando a cabeça ou cobrindo você com zombaria” e golpeando você com suas armas perversas. Nisso também você é semelhante a Mim.
O mundo tenta levá-lo a armadilhas perigosas “com perguntas tortuosas que parecem elogios e são inquisições destinadas a colocar as pedras em suas mãos para apedrejá-lo”. Responda ao mundo “com silêncio e paciência” e se ele insistir em sua inquisição maligna – para persuadir a si mesmo, e se sentir justificado, e [para persuadir] você de que o que você diz é blasfêmia – responda: “Eu faço o que meu Pai quer . Meus trabalhos são óbvios, não trabalho nas sombras para prejudicar. Eu trabalho à luz da verdade. Se lhe parece que estou indo mal, prove-me; se você não pode, porque não há maldade no que eu faço, por que você me bate?”. Ainda que o mundo os mate, eu lhes darei vida dupla, pois serão mártires duas vezes: do mundo e do amor.
Não se canse de ser vítima. As injúrias e ingratidão do mundo, embora sejam como marteladas contra uma carruagem frágil, não te empurram para fora do caminho roxo do sacrifício – meu caminho – que é enxertado no caminho real da glória e conduz seu espírito à alegria de minha casa.
Não diga: “Tudo é inútil”. Quando parece que a semente caiu em torrões estéreis porque não brota imediatamente em folhas tenras, é então que ela cria raízes profundas e depois cresce mais robusta, dando uma moita de espigas de granito. Mas são as suas lágrimas que devem borrifar os torrões áridos e é o seu sangue, seja sangue de veias ou sangue do espírito, ou seja, o holocausto total, aquele que deve nutrir o pó sem sucos e torná-lo solo fértil.
A oração é como a água que evapora sob os raios do sol e sobe e depois desce para nutrir a terra. A tua oração – e toda a tua vida é oração – sobe, sob a acção do amor, ao meu trono e pede os teus irmãos. Eu, que vejo, e não me engano, abençoo-a e a devolvo a quem é digno de recebê-la. E se entre os teus irmãos tens apenas inimigos do amor, isto é, de Deus e teu, a tua oração, que a minha bênção fez uma “graça”, volta a ti e te enche de bens celestiais.
Não se canse de chamar de “irmãos” aqueles que te tratam como inimigos. Os pequenos Jesus não sabem ter senão “irmãos”, mesmo que os outros não saibam ter por eles outra coisa senão ódio inimigo. Deixe para o inconsciente, e para o consciente de Satanás, fazer seu trabalho. Você faz o seu. Eu observo e julgo e dou a cada um de acordo com o mérito.
Falei com você para decepcioná-lo sobre as satisfações humanas de sua vida como vítimas. Eu, Vítima Suprema, nunca tive, durante os trinta e três anos de minha vida, tantos ferimentos quanto nas poucas horas que vão do Getsêmani até a minha morte. Mas foram precisamente essas horas que Me fizeram o Redentor. Lembre-se disso.
Por enquanto, somente em Mim você deve esperar consolo. Terminada a prova, você terá a felicidade de ler os nomes dos salvos por você no livro da Vida e aguardar, firmemente em meu Coração, seus agradecimentos quando, redimidos do “nosso” sofrimento, entrarem na Paz. ”
Para mim:
«Não falo para satisfazer a curiosidade da superstição ou mesmo da simples humanidade. Não sou um oráculo pagão e não quero que você seja um pagão. Portanto, não vou levantar a alegria da minha Palavra para você, mas vou lidar com a minha Palavra em pontos exclusivamente voltados para o espírito, sem fazer paralelos entre ela e os eventos de hoje ou próximos.
Essa lacuna permanecerá como um aviso para muitos e durará o tempo que eu quiser. Mas se for feito uso não espiritual do seu trabalho, eu mandarei você escrever só para você mesmo e, caso você não obedeça, eu levantarei a Palavra para você.
O homem corrompe tudo o que toca. Seu Jesus está inquieto e severo hoje. Não com você, pobre alma, mas com aqueles que não são retos de coração e pensamento”.

[709] Tive-o , como lemos em Lucas 22, 43 . O Salmo 34 corresponde ao Salmo 35 da nova numeração.
[710] de todo o mundo. Seguem algumas citações mais ou menos textuais, das quais agrupamos as referências na ordem bíblica: Mateus 26, 63; 27, 39-44 ; Marcos 14, 61; 15, 29-32 ; Lucas 23, 9.35-37 ; João 8, 28-29; 10, 24-39; 15, 19; 17, 14-16; 18, 20-23 . A referência a todo o relato da paixão e morte de Jesus está no “ditado” de 7 de setembro.

CAPÍTULO 204


14 de dezembro de 1943

   Segundo mistério glorioso. Maria diz :
“Existem generosidades particulares cuja fragrância só é emanada pelas almas que são uma com meu Senhor e cujo perfume só é apreciado por Deus ou por aqueles que já vivem no reino de Deus.
É generosidade saber renunciar liberdade e fechar-se num convento aquelas alegrias humanas que Deus permitiu e meu Filho abençoou são interditadas porque entram no campo dos desígnios criativos e perpetuam, através das criaturas, a obra do Criador.
Fonte eterna de novos espíritos, o Pai cria almas no Céu. Sementes destinadas a fazer semente, são revestidas de uma carne e, tornando-se macho e fêmea, na união de duas carnes em uma, criam novas roupas na Terra para as novas almas destinadas a descer à Terra e povoá-la com as criaturas de Deus
. há maior alegria, depois de amar o Senhor, de ser mãe da própria criatura e de dizer: “Eu te formei, te alimentei e te carreguei, te dei meu sangue e meu leite, tuas carnes são minhas e meu pensamento é seu porque você é o pensamento e o propósito de sua mãe”.
Há uma maternidade superior, mas que já não é humana e já está incluída na grande e insuperável alegria primeira de todas, de amar o Senhor, porque é o amor total ao nosso santíssimo Senhor que nos faz amar as criaturas. ponto de nos tornarmos mães para eles, prontos a dar-lhes vida através da nossa dor e com o propósito de dar um aumento de glória ao Eterno, aumentando os cidadãos do seu Reino.
É generosidade oferecer-se vítimas para o mundo. É uma grande generosidade porque te torna semelhante ao Meu Jesus, vítima inocente, santa, consumida pelo amor. Mas há uma generosidade ainda maior: generosidade heróica em sua heroicidade geral.
Deus, grande de um modo inconcebível para vós, compensa as almas generosas com rios de delícias. Ele se comunica com eles em contatos espirituais. Dá luzes que são palavras e palavras que são luzes. Ele dá vitalidade que é descanso, e repousa em seu Coração que é vitalidade. Ele apóia a alma generosa e se une a ela quando vê que a generosidade da criatura foi tão violenta que não mede força, de modo que a criatura se flexiona, como meu Filho, sob um peso exorbitante ao qual não recusa. , mas ela apenas pede. por um momento para se sentir aliviada por poder se levantar e prosseguir, até o clímax, porque é no sacrifício total que ela sabe que está alcançando a alegria.
Nós iremos,a heroicidade da heroicidade no sacrifício é quando uma criatura empurra o seu amor para saber ser generoso mesmo renunciando a este conforto de ter a ajuda e a presença sensível de Deus .
Maria, eu tentei. Eu sei. Eu posso te ensinar nesta ciência do sacrifício. Já que isso não é mais apenas educação, é ciência. Quem chega a este ponto não é um estudante: é um professor da mais difícil das ciências: saber renunciar não só à liberdade, à saúde, à maternidade, ao amor humano, mas saber renunciar à consolação de Deus que faz tudo os sacrifícios são suportáveis, não apenas isso: torna-os doces e desejados. Então se bebe o amargo que meu Filho bebeu e se conhece a solidão que cercou meu Coração desde a manhã da Ascensão até minha Assunção.É a perfeição do sofrimento . E, no entanto, Maria, eu estava feliz no meu sofrimento. Não era egoísmo em mim, mas apenas caridade acesa.
Como eu sabia, em graus ascendentes, fazer todas as oferendas e separações, sempre tendo em mente que a oferenda e separação, que a perfurou, realizou a vontade e aumentou a glória de Deus, meu Senhor, e posteriormente me desapego do Meu filho por sua preparação para a missão, por sua pregação, por sua captura, por sua morte, por seu sepultamento – todas as coisas das quais eu sabia a curta duração – então pude sorrir e abençoá-lo, sem levar em conta a lágrimas do coração, na primeira aurora do quadragésimo dia de sua vida gloriosa, quando, sem testemunhas como na manhã da ressurreição, Ele veio [711]para me dar seu beijo antes de subir ao céu.
Eu, Mãe, perdia o Filho com sua presença que me dava uma alegria inefável. Mas eu, seu primeiro crente, sabia que para ele a parada no mundo inimigo terminou, que se ele não podia mais prejudicá-lo, já que ele já era inatingível às armadilhas do homem, ele nunca deixou de ser hostil a ele.
Os Céus se abriram para acolher em glória o Filho que voltava para o Pai depois da dor. O Amor Trino voltou a se unir sem a necessidade de separações. Deixe-me também faltar a luz e o alento, pois o mundo já não era habitado pelo meu Jesus e no ar não era mais o seu alento que o santificava. Mas que depois de ter sido “Filho do homem” voltaria “Filho de Deus” revestido de sua glória divina para sempre. Foi o meu último “Fiat!” [712], nem foi menos pronto e generoso do que o de Nazaré.
Sempre “fiat” à vontade de Deus, quer venha a nós para se tornar parte de nós, [713] quer se desprenda dela para subir para preparar a nossa morada no seu Reino. Cinge-o de amor quando está conosco, vive no amor olhando para onde está, para lembrá-lo de que seu servo o ama e espera seu sorriso convidativo para morrer num jorro de alegria que é o início luminoso do dia luminoso e eterno . do Paraíso. Depois de acolhê-lo, servi-lo, escutá-lo enquanto está conosco, viva sem diminuir o amor em um grau, porque ele não está mais visivelmente presente para nós.
Ofereça esta renúncia para sua glória e para os irmãos. Para que a nossa solidão se transforme neles em companhia divina, e o silêncio, que agora é a nossa languidez, se transforme em Palavra para tantos que precisam ser evangelizados pela Palavra.
Temos as memórias, Maria. Outros não têm nada. Temos certeza de que Ele trabalha para preparar o lar para nós. Outros vêem o tempo como um rio cuja foz é o nada. Digo “nós” porque compartilho com você meus pensamentos no momento. Vamos
, vamos- e convosco os generosos que querem alcançar as alturas da generosidade – também esta renúncia, se vos for pedida, para que o vosso tesouro seja o tesouro de muitos outros e os destituídos de espírito sejam revestidos dessa Luz, os analfabetos de o espírito dessa Ciência que, uma vez infundida, nunca deixa de estar viva e ativa, e que a Bondade concedeu aos seus amados para torná-los seus escolhidos”.

[711] veio… , como já noticiamos na nota de 24 de abril.
[712] “Fiat!” , isto é, “Faça-se!”, como em Lucas 1, 38 .
[713] parte de nós , no sentido esclarecido na nota de 23 de setembro.

CAPÍTULO 205


15 de dezembro de 1943

   Jesus diz:
«Escreves: [714] “… Micol… e, vendo o Rei David a saltar e a dançar, desprezou-o no seu coração”.
Existem muitos semelhantes ao Micol. Eles têm um coração estéril com o chamado bom senso . São, isto é, acreditam que são mentes quadradas: são apenas mentes áridas colocadas soberanas sobre corações ainda mais áridos. O orgulho os governa e, como o sangue pulsa em suas veias, o orgulho vive e circula em seu espírito e os cega, os ensurdece, os obscurece. Já não conseguem ver e compreender o que é a alegria sobrenatural e caem diante do êxtase dos simples que o amor os torna capazes de ver Deus.
Veja Deus! Alegria que é a alegria do Céu e que Deus concede aos vivos que o amam com todos eles. Veja Deus através das formas trazidas à sua carnalidade para ser sensível a você.
Davi não dançou na frente da arca para a arca. Mas porque viu nele refletido o Rosto da Graça, Beleza e Poder do Altíssimo. O amor dá uma santa embriaguez, que obriga o homem a cantar e a agitar, pois o mundo ao seu redor se restringe ao seu coração que se expande na paixão e o próprio mundo é sempre fomentado para ele por uma nova expansão, porque em tudo ele vê impresso o sinal de Deus diante do qual o homem, apanhado no tremendo e doce redemoinho da caridade, se derrete num transporte de alegria sobrenatural que só os seus semelhantes compreendem. Outros, como Micol, desprezam em seus corações.
Não despreze os únicos que entenderam como Deus é superior a todas as coisas, até mesmo a essa estima, essa tranquilidade, essa utilidade com a qual você tanto se importa. Ore ao Mestre do mundo para tornar seu coração capaz de amar e compreender.
Tire o seu orgulho ridículo. Vocês não são os guardiões da perfeição. Esses humildes, esses simples, esses pequeninos são os guardiões, pois possuem a Ciência, a Verdade, a Caridade. Eles possuem Deus . E como um sinal e uma voz eles se interpõem entre vocês, para que a ideia de Deus não seja completamente apagada de seus áridos corações cheios de conhecimento humano.”
Jesus diz:
«Meus amados, que vivem fechados no círculo dos meus braços como dentro do recinto do antigo Tabernáculo, dou-te a minha ordem nestes tempos de ira que não veio por ti, mas pelos pecados do mundo.
Quando no infortúnio geral você vir homens se agitando e perturbados e desejando uma dor injusta, não se junte a eles. Compadecei-vos dos infortúnios comuns, mas reconhecendo-os como sinal da Justiça divina, não vos abandoneis aos desequilíbrios humanos.
Meu Espírito tocou suas pupilas e lhes deu uma visão que o olho humano não tem. Você vê além da Terra e conhece a verdade das coisas. Portanto, dê a esta hora o nome e o cuidado que ela merece: expiatório , não imprecatório como os homens geralmente fazem, atraindo sobre eles uma nova ira do Céu.
Que os culpados chorem porque esta hora é o fruto deles. Vós, prostrados diante da minha glória, bendizei-a, porque com mais um castigo recorda a humanidade infiel e idólatra ao único e santo Deus, e permanece em Mim.
O óleo do amor está sobre vós e de vós transborda sobre o mundo. Vocês são os que o atraem, seus vasos preciosos em que os sacrifícios de sua vida são feitos de incenso, lâmpadas acesas que nenhum vento perturba, e você estende seu espírito iluminado como uma chama reta em direção ao meu altar.
Não te esqueças da tua eleição e não profanes o signo régio com contaminação humana. Permaneça no Tabernáculo para abençoar aqueles que amaldiçoam, para orar por aqueles que precisam de toda misericórdia. O mundo estará seguro para você.”

[714] Escreva o que lemos em 1 Crônicas 15, 29 , ao qual o escritor se refere imediatamente após a data (mas escrevendo Paralipomeni, como era no vernáculo). No início do segundo “ditado” ele coloca a referência a Levítico 10, 6-7 .

CAPÍTULO 206


16 de dezembro de 1943

   Jesus diz: [715]
«O verdadeiro servo de Deus, perante qualquer pressão das forças humanas que o querem desviar dos caminhos do Senhor, responde: [716] « Posso dizer ou fazer outra coisa do que o Senhor me ordenou?”.
A obediência à ordem de Deus , qualquer que seja essa ordem, é o sinal do servo de Deus . As necessidades divinas são infinitas e todas justificadas por um fim de amor. A isso eu imporei calar, a quem falar, a este isolar-se, a este outro tornar-se cabeça das almas. A isso darei visão sobrenatural e a essa outra voz sobrenatural. Bem, deixe meus servos fazerem de acordo com minha vontade e eles serão iguais a mim em mérito .
Eu não forço para que você não possa me negar a obedecer. Não, nem mesmo aqueles que são macios em Minha mão, como um linho pronto para ser fiado, são forçados por Mim a obedecer. Mas quanto mais são “meus”, tanto mais fácil e querida é para eles a obediência, de modo que mesmo à custa do seu perigo – visto que o mundo odeia os que pertencem a Deus – e o seu sofrimento – visto que o mundo faz florescer o seu ódio em sofrimento pelos meus “santos” – eles permanecem fiéis ao meu comando.
Bocas limpas pelo amor e corações feitos espelhos de Deus pela caridade, que é a sua vida, não operam e repetem apenas o que lhes sugiro. Bem-aventurados seguidores de meu Filho, imitam seu Mestre cuja obediência foi infinita porque era divino e porque não usou sua natureza para escolher obediências fáceis, mas provou todas elas e as fez suas, mesmo aquelas que repelem o homem, uma criatura inferior … a Deus, e a quem o Filho também abraçou para ser um exemplo para vocês.
Mas eu, que não minto nem mudo, juro-lhes que minha bênção está sobre eles, pois não há ídolo em seus corações, mas apenas um altar é erguido: o meu, do qual troveja – mas para eles é a voz do Pai. que não aterroriza, mas como a voz de um órgão celeste, rapta o espírito à santa alegria – minha Vontade, tão sagrada para eles quanto para Mim.
Estou com estes meus servos. E minha presença é como o anel de vitória de que fala o Livro, pois põe em fuga todos os inimigos do espírito e o torna um conquistador seguro do Céu.
Depois de terem vislumbrado o Rosto de Deus durante sua vida, bondoso e sorridente, através dos véus das distâncias e da Vontade, eles conhecerão “a Estrela nascida de Jacó”, meu Filho santo, o Justo em cuja Mão trespassada coloquei o cetro de rei, a vara sagrada que no Dia do Juízo marcará os bem-aventurados e os malditos e que para os meus servos será tão doce como uma carícia.
Siga o Eterno Dominador agora mesmo. Ele te conduz de maneira segura à posse do Reino de Deus somente aquilo com obediência, de que o homem de quem o Livro fala é um exemplo, você não quer fazer o bem ou o mal com sua própria cabeça, mas apenas o que o Senhor te diz”.

[715] Diz Jesus, mas mais abaixo parece que fala Deus Pai, como nos “ditados” de 18 e 24 de Novembro.
[716] responde , como Balaão em Números 23, 12 . Ao lado da data, o escritor coloca a referência aos Números 23, 19.12.21 . Abaixo, antes do parágrafo que começa com as palavras “Estou com estes meus servos”, insere nas entrelinhas a referência aos Números 24, 13-17 .

CAPÍTULO 207


17 de dezembro de 1943

   Jesus diz:
«A incredulidade [717] é uma das maior