16 MEDITAÇÕES DO ANJO DA GUARDA DA MARIA VALTORTA


NONO DOMINGO DEPOIS DO PENTECOSTES ( 151-200)

Introit: Sl 54 (53): 6-7, 3
Colete:Senhor, que Teus ouvidos misericordiosos estejam abertos às orações de Teu povo suplicante e, para que possas conceder-lhes suas petições, faça-os pedir o que te agrada. Através de nosso Senhor.
Epístola: 1 Co 10: 6-13 Gradual: Sl 8: 2
Aleluia: Ps 59 (58): 2
Evangelho:Lk19: 41-47
Ofertório: Sal 19 (18): 9, 10, 11, 12
Segredo:Concedei-nos, Senhor, rogamos, que estejamos dignamente presentes nestes mistérios, pois sempre que se celebra a comemoração deste sacrifício, o a obra de nossa redenção seja efetivada. Através de nosso Senhor.
Comunhão:JN6:57
Pós-comunhão:Senhor, que a nossa participação no Teu sacramento nos purifique do pecado e nos una uns aos outros. Através de nosso Senhor.

11 de agosto de 1946
Azarias disse:
“O salmo pertence ao tempo da severidade. Você pode, portanto, ainda pedir vingança sobre seus inimigos. Mas a caridade é tão grande em nós – e deve ser tão grande em você, alma minha – que não vamos parar para comentar na primeira frase do intróit.
“Você pertence ao tempo do amor; você é um cristão, e em seus lábios apenas a oração em favor de seus inimigos deve florescer, de fato, você deve chamar aqueles que lhe causam dor não de inimigos, mas de ‘pobres irmãos’. Não estão eles realmente privados das verdadeiras riquezas, não possuindo caridade, não tendo justiça, não conhecendo as vozes sobrenaturais, de modo que não entendem a
língua dos Céus e a chamam de delírio das criaturas ou, pior ainda, mentira das criaturas? pobres irmãos seus!
“Um dia o Senhor dirá a eles: ‘Eu falei, e vocês não me conhecem. Tomei, de acordo com minha palavra,
uma” pequenina “, e a coloquei no meio de vocês, doutores, e instruí para que ela dissesse as minhas palavras, pois o Espírito do Senhor tem prazer em revelar-se aos humildes, com quem brinca, como um pai com seus filhos, encontrando neles o seu consolo. Eu falei e vocês não me ouviram, eu os chamei e os convidei a entrar em o quarto dos meus tesouros, que eu estava abrindo para você, e você não veio. Meu amor não te comoveu. Você negou minha doutrina, dizendo que não poderia haver acréscimo à doutrina que eu havia pregado na Palestina. Eu queria torná-lo rico; Eu queria fazer você aprender; Quis colocar em tuas mãos um instrumento enriquecido de notas novas para que possas cantar o infinito e desconhecido das muitas misericórdias de Deus, convertendo os corações; Eu te queria santo: o conhecimento de mim é amor, e não há limite para este conhecimento, pois o ensinamento Cristo é Deus, e Deus é infinito em seu amor e em todos os outros atributos dele, e quem sabe mais ama mais, e quem ama mais santifica-se mais. Você, como santo, fervoroso e sábio em “minha” santidade, em “meu” amor e em “minha” sabedoria, teria santificado, inflamado e instruído. Oh, minha Sabedoria, Amor, Perfeição! Por que você não me queria? Agora você é pobre. Mais do que o pobre Lázaro. Ele tinha suas feridas como um manto, mas em seu coração tinha o tesouro de poder conhecer a Deus. Ide e revesti-vos de luz; vá aprender o amor; vá meditar nas palavras que não recebeu, e quando estiver vestido e adornado com caridade, verdade e sabedoria, venha…..
“Rezar um bom negócio para que, no tempo que lhes resta, possam vestir-se e adornar-se com o que o Senhor exige dos convidados para as bodas, sem se deter dolorosamente fora da Casa de Deus, expiando a sua preguiça e tibieza, e, juntamente com estes, orgulho e egoísmo.
“Em resposta a este ponto do salmo, pare muitas vezes para pedir proteção para si mesmo. Nada mais. Você pertence ao tempo do amor, e o amor quer para os outros o que quer para si mesmo. Portanto, invoca o poder de Deus para sua defesa e sua conversão, e nada mais. E você estará realmente pedindo ao Senhor o que é agradável a Ele porque corresponde aos seus desejos –
antes de tudo, que os homens se amem como irmãos.
“’Não desejemos coisas ruins’, diz o Apóstolo. você verá neste desejar o mal para seus inimigos não apenas o pecado do ódio, mas também da idolatria. torná-lo o centro sagrado de todos os pensamentos e movimentos do homem, amado de maneira tão desordenada que está fora toda ordem por isso, pois, como o homem é composto de matéria e espírito, mas o espírito é imortal como herdeiro do céu, é
ordem proceder de modo a dar ao espírito o que lhe é destinado. Viver, portanto, sobrenaturalmente, como filhos de Deus, movidos e guiados pelo Espírito de Deus, com sujeição régia e filiação sublime; não viver como brutos, fora da justiça, fora do Caminho e da Verdade, na desordem da carne, do mundo e de Satanás.
“‘Eu sou o Senhor seu Deus.’ Deus é Deus, o Único. Ninguém deve substituir o Uno e Santo por outro deus. Quem ama a si mesmo como o único a quem todos devem dar honra e alegria é um idólatra de si mesmo. E a idolatria leva os homens a formas selvagens de religião , como desejar o infortúnio, vingar-se de seus inimigos, e clamar por isso para dar satisfação a si mesmo enquanto se afasta da Religião Cristã – isto é, da verdadeira Religião, da Caridade.
ao passo que Deus é o Esplendor da Luz Incriada e Infinita. E então ele desce ainda mais baixo, degradando se na gula, fazendo do comer não uma necessidade, mas um vício, e, depois, embriagado de vinho e comida, ele se levanta para se entregar a prazeres lascivos como o mais lascivo dos animais não faz. .
“E aqui, aliás, quero que você observe a conduta de Moisés. Ele, um santo, recusa a honra que Deus queria dar-lhe como recompensa:
‘… Deixe-me agir; vou exterminá-los e depois fazer de você o cabeça de uma grande nação.’ Mas ele implora que seus ‘pobres irmãos pecadores’ sejam perdoados e salvos. Moisés já havia entendido o amor, que quer o bem dos outros, seu verdadeiro bem, mais do que sua própria honra temporária.
“Paulo, depois da idolatria, lembra a fornicação e seu castigo: a matança dos licenciosos, pois no Povo de Deus, destinado a entrar na Terra Prometida, não poderia haver impuros, fornicadores, idólatras, homicidas, mentirosos ou o abominável, pela ação dos filhos de Levi, mais zelosos da honra de Deus do que do amor ao próprio sangue, que, ‘no sangue de seu filho e irmão’ mataram para reparar a ofensa cometida contra o Senhor, ‘consagrou suas mãos para obter a bênção.’

“Ora, na Lei do amor, as ofensas ainda são purificadas com sacrifícios. Não, porém, cortando veias e
matando os culpados, mas oferecendo-se como vítima por eles, à imitação do Santíssimo Redentor, e não apenas as mãos, e não apenas a bênção sacerdotal, mas todo o ser é consagrado e recebe a bênção que abre o Reino de Deus aos santos, àqueles que se imolam para salvar os pecadores e reparar as ofensas cometidas contra Deus .
“‘Nem devemos tentar a Cristo, como alguns dos que foram mortos por cobras o tentaram.’
“Deus proveu o Maná para o seu povo e deu-lhes proteção antes disso desde a noite da passagem angelical para o Egito, e eles, esquecidos dos sofrimentos sofridos no Egito e da intervenção milagrosa do Senhor, já olhavam com saudade para os peixes, as melancias, outros melões e vegetais do Egito, colocando seu estômago e seus prazeres antes dos prazeres da independência e união com Deus.
“Eles disseram novamente: ‘Estamos nauseados com esta comida tão leve’, esquecidos da morte daqueles que se fartaram além da medida com as codornas que tinham antes de chegar a Ashdod. Eles reclamaram de não ter água e não ter pão. tinham visto o milagre da água da rocha, eles tinham Deus para supri-los com o que era necessário, eles resmungaram, eles O tentaram, eles queriam o que era supérfluo.
“Um triste exemplo de muitos cristãos! E, tendo ouvido o silvo da Serpente, que sugeriu concupiscências, foram mortos por cobras. Pois quem recebe Satanás recebe a morte de Satanás. Muitos, tendo recebido tudo de Jesus Santíssimo, rejeitam o Cordeiro em favor da Serpente, e então, olhando com horror para a cova da serpente movendo-se para matá-los, esquecem de erguer o
olhar para a Cruz, sobre a qual está o Salvador.
“Finalmente, os hebreus fizeram uma coisa má, murmurando contra o Senhor, que, por um pequeno sacrifício, quis dar-lhes a terra que transborda leite e mel.
“Tentadores do Senhor, rebeldes e murmuradores dez vezes, eles mereciam a morte no deserto, abatidos por Deus, indignados com seu obstinado espírito de rebelião. que a habitação prometida é bem-aventurada e sua posse, segura, se apenas a vontade do homem, a quem Deus ajuda de todas as maneiras, a quiser, para que o laço do Maligno não seja temido como algo invencível – é uma grande tolice.
“E, no entanto, isso é o que continuamente acontece, nem esses eventos – uma figura dos eventos que você, tendo chegado ao fim dos séculos de severidade (isto é, ao tempo da misericórdia, o tempo que precede o tempo eterno da alegria ), encontraria espiritualmente servir para impedir no homem a grande tolice de perder o Céu eterno por causa do mundo fugaz.
“A advertência de Paulo é grande: ‘quem crê que está de pé, veja que não caia.’
“Sempre tenha em mente que os homens pecaram nos tempos antigos, apesar de seu terror diante de Deus. Não diga: ‘Eles eram menos avançados do que nós.’ Você recebeu, é verdade, o aperfeiçoamento da Lei e a ajuda imensurável dos Sacramentos,
feitos em canais da Graça pelo mérito de Cristo. Mas você é talvez melhor? Você progrediu no conhecimento humano, e nove décimos dele Vocês estão contra vocês mesmos. Vocês progrediram em conhecimento. Mas em espírito não progrediram. A malícia o conduz; o orgulho o governa. A tríplice concupiscência os destrói. O egoísmo dos indivíduos e das coletividades inunda o mundo
com lágrimas e sangue, em esporádicas e múltiplas efusões , ou em todo o mundo real, dilúvios fatais de sangue e lágrimas.
“Você não progrediu. Antes, entre aqueles que eram ladrões, idólatras, violentos e incestuosos nos tempos antigos, pois eles não conheciam as leis morais e religiosas com precisão e são agora, pois ainda são selvagens – e você, evoluído e conhecendo a lei de Jesus Cristo, você é mais censurável porque você faz essas coisas e as faz conscientemente. Portanto, quem não pecou gravemente até o presente momento de sua vida não se gabe. Ele pode pecar no instante seguinte, pois as rédeas que seguram o eu do homem estão relaxadas. Ele se coloca em posição de cair porque se separa de Deus.
“Paulo diz: ‘Até agora você foi assaltado apenas por humanos tentações.’ Ele não quer dizer com isso que essas tentações não devem ser temidas ou devem ser suportadas tranquilamente com as palavras: ‘Sou tão forte que sou tentado inutilmente. Eu sempre supero.’ Quem assim falasse cede instantaneamente a uma tentação espiritual: a tentação do orgulho, que abre caminho para os outros seis vícios capitais. E o orgulho impediria a efusão de Deus com seus dons, pois Deus não se comunica aos soberbos e os soberbos não recorrem a Deus. Mas quando o homem é humilde e ama seu Senhor, Deus não o decepciona, fiel como é em amar, em fazer e cumprir promessas.
“Jesus Santíssimo não disse uma palavra que se mostrou inútil ou não deu fruto. Ele disse: ‘Quando você orar, ore assim:
“Pai nosso …. E não nos deixe cair em tentação, mas livra-nos do mal . “” Se Ele disse isso a você, é porque Ele sabe que o Pai quer fazê-lo e, portanto, não permitirá que a força do homem, seu filho, seja inferior à violência da tentação.
“Reflita com cuidado. Não estou dizendo: ‘E o Senhor permite pequenas tentações para seus filhos fiéis, enquanto as dadas aos filhos infiéis são enormes’. Mas estou dizendo: ‘Ele não permite que a força do filho seja inferior à violência da tentação’.
“Ele quer que vocês sejam combatentes para serem vitoriosos. O mérito deve ser seu. A glória deve ser proporcional ao mérito e à luta sustentada. Como um bom segundo do guerreiro em listas, Ele entrega a este último novas armas Ofereça resistência eficaz constantemente aos repetidos assaltos da Tentação e lhe dá o cálice confirmador de sua Graça para restaurar a força de seu filho que combate e está pronto, quando a luta terminar, para apertá-lo em seu coração para coroá-lo com paz, reservando a
alegria da glória celestial para o momento de seu retorno a Deus.
“Ele consola Paulo, três vezes algemado pelo anjo invejoso das trevas, para que ele não tenha medo. E eu, com ele, vos conforto. E eu conforto a todos, dizendo as palavras da liturgia: ‘Os preceitos do Senhor são apenas, seus julgamentos são mais doces que o mel.’ Seja fiel
a eles, então, crescendo em graça e sabedoria aos olhos de Deus e dos homens.
“E digo-vos ainda as palavras do Santíssimo Mestre: ‘Tomai sobre vós o jugo de Cristo. É suave e leve.’
Aceite-o com santa ousadia e vontade heróica. Aceite-o com absoluta confiança no Pai e no Filho e no Espírito Santo, que são Amor, e o Amor é força. Glória a Eles eternamente.”

DÉCIMO DOMINGO DEPOIS DO PENTECOSTES

Salmo: Ps 55 (54): 17, 18, 20, 23, 2-3
Coleta:Senhor, Tu mostras Tua onipotência mais especialmente por Teu perdão e piedade; aumenta a Tua misericórdia para conosco, para que nós, seguindo o caminho da
Suas promessas podem ser feitas participantes de seus tesouros celestiais. Através de nosso
Senhor. Epístola: 1 Co 12: 2-11 Gradual: Sl 17 (16): 8, 2 Aleluia: Sl 65 (64): 2
Evangelho:Lk18: 9-14
Ofertório: Sal 25 (24): 1-3
:Aceite, Senhor, este sacrifício sagrado que você incumbiu seu povo de oferecer, para que seja ao mesmo tempo um remédio para nossos males.
Por nosso Senhor Jesus Cristo.
Comunhão: Sl 51 (50): 21
Pós-comunhão:Nós Vos suplicamos, Senhor nosso Deus, que aqueles que Vós nunca cessais de renovar com Vossos sacramentos divinos, não sejam privados de Vossa
graciosa assistência. Através de nosso Senhor.

Azarias disse:
18 de agosto de 1946
“Domingo passado eu lhes disse que a expressão invocar o infortúnio sobre os inimigos não deveria ser comentada. Uma alma que se entregou ao Amor pede apenas amor, amor e misericórdia.
“Mas hoje o intróito não é um grito de vingança, é o reconhecimento da rapidez com que Deus ouve seus filhos e protege seus interesses. sua parte, que é capaz de se lembrar daqueles que se julgam maiores que Deus – e, portanto, obstruem a vontade de Deus, colocando limitações em suas obras, pensando que podem colocá-las, mas na realidade criando apenas barreiras que sustentam apenas o que é preciso para julgá-los e dar maior mérito ao justo, que sofre opressão porque serve ao Senhor, vigia-os e pode restabelecer a ordem violada – pois é desordem colocar obstáculos diante da Vontade de Deus – quando Ele quiser. Ele pode restabelecer a ordem – sempre. Ele, que é a Ordem perfeita, como Ele a restabeleceu no Céu após a revolta dos Rebeldes e a restabeleceu no Éden após o pecado de Adão, expulsando os desordenados de um Paraíso e do outro.

“Eleve seu clamor ao Senhor, então, e lance todos os seus cuidados sobre Ele. Ele o sustentará sobrenaturalmente com as horas de amor beatífico e materialmente, não permitindo que você seja duramente pressionado e provado além da medida.
“A Oração… Alma minha, a oração desta Santa Missa parece ser o eco ou o motivo musical que sustentou e inspirou sua canção nos últimos dias. Você pediu, à custa de seu sacrifício, ‘Deus para mostrar mais sua onipotência perdoando e tendo misericórdia, ‘entregando-se a eles com a plenitude de seu amor como Ele faz com você – para que eles, pelo poder do fogo do amor, expandam seus corações fechados e os tornem quentes e luminosos, livres do que os oprime – e os santificando.
Onipotência e Generosidade. No Gólgota também, e em Cristo Santíssimo, Deus foi atingido, e nestes
atributos.
“O homem levantou a mão contra Deus. Ele feriu a Caridade que estava em Cristo e se fez carne para dar o amor supremo de Deus aos homens, que por três anos forneceu ajuda na evangelização, milagres e ajuda material recebida miraculosa ou humanamente de quem podia dá-lo aos necessitados. O homem repudiou e amaldiçoou o Verbo Divino, chamando-o de louco e demônio. Ele repudiou a onipotência visível na encarnação, por obra não do homem, mas do Espírito Santo, nos milagres que envolvem os elementos, doenças e conversões marcantes, que são milagres maiores que uma cura corporal. O homem zombou de sua generosidade e a rejeitou como se fosse poluição. Deus enviou seu Filho amado, sua Palavra, e com Ele seu perdão e seu amor; e os homens zombavam e algemavam o que era a Generosidade de Deus como um opróbrio, um monstro.
“Mas a Grande Vítima – a tela santíssima através da qual, quando Ele foi perfurado até totalmente
transformado em uma ferida, assim como Davi e Isaías o descrevem, Deus, Amor Celestial, foi ferido pelo ódio composto de Satanás e homens, por todos os Ódio que está na Terra e, perene e eterno, no Inferno – mas a Grande Vítima pediu exatamente o que você pediu: que a Justiça altere seu curso. venham e se ofereçam possam ser realizados – para que o Amor possa triunfar, regenerando espíritos em Deus.
“Eu disse ‘todo o ódio que está na Terra e, perene e eterno, no Inferno.’ Não me enganei ao usar o presente para uma ação passada, como agora é a Morte do Redentor.
“O Verbo, Jesus, é o Expiador Eterno, Amor Eterno e Expiador. Ele era assim antes do homem existir e será até o último homem. E o fruto de sua expiação permanecerá além do tempo, pois eterno é o povo dos santos , e eles, além do tempo, serão fruto da expiação de Jesus.
“E o ódio é, como o amor, também eterno. Não uma perfeição de eternidade, como a de Deus, que nunca teve um começo, que é o eterno é. .Eterno no Inferno, que existe desde então e que nunca terá fim. Eterno no coração dos homens que o escolheram como seu senhor e o levarão consigo para além do tempo. O Incapacitador na Terra desde que o sangue de Abel foi derramado porque do ódio de Caim, o ódio incansavelmente fere a Deus. Inteiramente presente a Cristo na hora do seu sofrimento, o ódio o esmagou, como um corpo lançado sob uma pedra de moinho – tão numerosas foram as feridas que infligiu ao amor encarnado. Depois do tempo continuará a blasfemar no povo dos amaldiçoados, que será, além do tempo, fruto da obra de Satanás. E estas duas eternidades, O Amor e o Ódio, o
Expiador e o Pecado, Jesus e Lúcifer, serão, num é contínuo, o Rei do Céu e o Rei do Abismo, cada um à frente do seu povo.
“Daquele povo que deveria ter sido um da Humanidade no séquito de seu Criador e Senhor que, por sua própria vontade, escolheu se dividir em dois povos, com o novo ramo escolhendo para si um rei amaldiçoado através do qual se transformou está de costas para Deus, escolhendo o mal como sua lei Pois o mal incurável não deve ter sido nascidos nas trevas do Gentilismo ou de uma idolatria ou
mesmo na neblina de uma fé herética em que persiste uma lembrança da Verdade, das partes da Verdadeira Religião – mas são privados da Vida porque essa religião é separada da Mística Corpo, que é o único Corpo vivo. O mal é, antes, viver, depois de ter nascido na Igreja, viver como hereges, pagãos, separados e mortos por causa do pecado.
“Não há Vida fora da Igreja Romana. Mas todos podem entrar na Vida, e a Igreja Romana não se recusa a receber dentro dela os ‘mortos’, aqueles procedentes de outras religiões, sejam revelados ou idólatras, e trazê-los para a Vida. , assim como o Túmulo de Jesus Santíssimo recebeu um cadáver e deu à luz o Vivo, aquele Vivo que voltou à vida por Si mesmo porque Ele é Vida, aquele Vivo que, como Cabeça do Corpo Místico, não pode deixar de vivifica tudo o que lhe pertence e nele entra.
“A Igreja faz isso. Ela é a Noiva. E ela é a Mãe. Como uma Santa Noiva, ela deseja apenas dar à luz filhos para seu Esposo para que muitos homens levem Seu Nome em todas as partes da Terra. Ela é a Mãe. Casada com a Divindade, que é Pai, possuindo esta qualidade de Primeira Pessoa, de Geradora do Filho, de Fecundadora da Virgem que deu à luz o Homem por obra do Espírito Santo, de Criador dos homens – um Pai, portanto, em relação a si mesmo e suas criaturas. Tendo um Pai como seu Esposo, a Igreja só pode ser uma Mãe. Ela assumiu o pensamento e os afetos de seu Criador, Fundador, Esposo e Cabeça – ela é Mãe. E, como Mãe, ela treme de desejos afetuosos por cada criatura.
Ela vê em cada criatura espalhada sobre a Terra uma semente que deve nascer e produzir para o Céu,e ela estende os braços e abre o peito para receber as sementes informes para nutri-las consigo mesma e trazê-las para seu Esposo.
“Mas a Igreja militante é feita de Igreja que ensina e aprende, assim como o corpo é feito de órgãos e carne.
Os órgãos, sem a carne protegendo-os, não poderiam formar um corpo. A carne, sem o os órgãos que o
mantêm suprido de sangue, nutrido com secreções glandulares e oxigênio, purificado das toxinas que se formam a cada dia e dejetos, não poderiam viver. os órgãos e os membros, entre as partes de ensino e aprendizagem. E a Igreja docente dirige-se à Igreja aprendente, esta grande Mãe, e diz: ‘Ajude
para trazer à Vida as sementes sem forma que estão na Terra.’
“Como? Com sacrifícios, pois o sacrifício dos fiéis ajuda os sacerdotes. E com ofertas. Pois a evangelização implica um fardo muito caro. Penetrar, expandir e fazer-se amado significa gastar. O dinheiro é uma das armadilhas que Satanás criou para Mas, como tudo o que o Mal criou, pode ser redimido. O grande Pecado é redimido pelo sacrifício de Cristo. A riqueza também pode ser redimida se usada para um propósito santo. E, eu lhes digo, não há propósito mais santo do que usar as
riquezas para as obras de misericórdia. E quase todas as obras de misericórdia corporais e espirituais são realizadas por missionários, isto é, bons sacerdotes – pois toda a Terra é terra de missionários, e fora da porta de sua igreja, no limiar de seu convento, o sacerdote ou religioso encontra o idólatra, o herege, o incrédulo, o ateu, e o ‘morto’ – a semente sem forma a ser levada ao seio da Mãe Igreja para que Ela a produza para Deus.
“Ele, o Verbo, assim disse: ‘Quem der um único copo d’água a um discípulo meu não terá falta de recompensa’. E Ele disse: ‘Fazei amigos com riquezas injustas, para que, quando morrerdes, eles vos recebam nas moradas eternas.’
“Por dever para com a Mãe e santa astúcia para consigo mesmos, os católicos, os crentes no Senhor Jesus Cristo, devem obter estes amigos: os cristianizados por meio de sua ajuda espiritual ou econômica – melhor, porque é perfeita, se espiritual e econômica em ao mesmo tempo para recebê-los, na morte de seus salvadores indiretos, nas moradas eternas.
“Quem reza por si mesmo não é um bom católico. Quem pensa em seu glória futura, suas necessidades presentes, suas lutas e seu trabalho e não pensa na glória da Mãe, nas suas necessidades, nas suas lutas e nos seus labores para reunir e gerar para a Verdade, a Vida, o Caminho e a Luz os pobres irmãos que são como órfãos sem pai nem mãe na Terra ou em O Céu porque estão fora da Família em que o Pai é Deus, a Mãe é a Igreja, e os irmãos e irmãs são os santos e o católico não é um
bom filho da Igreja de Cristo. Por que, ó católicos, vocês são tão mornos em conseguir que numerosos irmãos na humanidade entrem na doce e santa comunhão dos santos? Por que, se você diz que ama o Senhor e Seu Nome, não trabalha com sacrifício e dinheiro para que Ele seja amado por todos os homens?

“Ele disse assim: ‘A colheita é realmente grande, mas há poucos trabalhadores. Peça ao Senhor da colheita que envie muitos trabalhadores para a sua colheita.’ E você não se lembra quando Ele disse isso? Mateus diz: ‘E, vendo as multidões, compadeceu-se delas, cansadas e exaustas, como ovelhas sem pastor’. Essas palavras saíram dos lábios de Jesus Nosso Senhor, então, quando um amor compassivo o fez afligir por aqueles que estavam sem pastor, cansados e esgotados.
“Quem não tem esperança de vida futura, quem não tem a fé que satisfaz o espírito, isto é, a verdadeira fé sem lacunas, a fé católica (para todas as outras religiões, todas as outras fés apresentam lacunas e rupturas, porque não pode ser apaziguada, diante das quais em certas horas estremece a mente que sente que não é na verdade) – quem não medicar sua dor como um homem com o bálsamo e o mel da Caridade e, finalmente, quem não tem todos os auxílios espirituais que são concedidos por viver na Igreja e se beneficiar dos méritos de Cristo e dos Sacramentos está bastante desgastado e cansado
e se sente como uma ovelha sem pastor à mercê de ladrões e lobos.
“Vocês homens não conhecem e meditam sobre a tristeza das almas por Graça. Nós as vemos. E sentimos por elas a mesma compaixão que o Mestre sentiu ao ver uma colheita tão grande deixada em estado de negligência.
“Almas que vivem na Igreja, reúnam-se no lamento de Cristo. Os celeiros do Senhor aguardam a colheita antes da hora da grande reviravolta. Aja, para que o gramado inculto seja semeado e dê fruto e então haverá trabalhadores seguindo o Semeadores, pois entre os obreiros do Senhor, os verdadeiros obreiros, a foice da morte passa rapidamente e os corta, e aquele que semeou muitas vezes não colhe, de modo que é preciso rezar e rezar para que sejam numerosos. tão numerosos quanto as
espigas de grão, quero dizer – para que a semente, cada semente, tenha dois anjos para protegê-la: o de Deus, que é espiritual, e o da Igreja, que é sacerdotal. O mundo morre por falta de sacerdotes .
“Você sabe o que significa Sacerdote? Significa consagrado. Significa dedicado, oferecido completamente ao seu Deus e levar almas ao seu Deus. Tudo deve perecer para o Sacerdote. Tudo. E só Deus e só as almas permanecem. Ele deve ser despojado de tudo, inclusive de sua humanidade, deve ser imolado para sua missão, como Cristo.

“Quando assim é, é obreiro de Cristo. Pode semear e colher, certo de que o joio não crescerá em seu sulco, certo de fazer de cada homem uma alma, uma alma imaculada.
“No Céu não existem as cores das diferentes raças. Tudo é luz e beleza, pureza e amor. O Mestre do Céu e da Terra deixa entrar no Céu aqueles de alma imaculada e adornada. Ele não rejeita os negros, os mongóis, os polinésios qualquer um. Eles são seus filhos. Eles são os irmãos de seu Filho, que os amou a todos desde o seio do Pai, e depois na Terra e na Cruz, contemplando também aqueles cuja existência o mundo naquela época ignorava Os índios sul-americanos com os patagônicos, os da longínqua Oceania, os australianos e os peles-vermelhas, junto com os esquimós, todos foram vistos passando como que revistos pelos olhos do Moribundo contra o céu escuro do Bem Sexta-feira. E charnecas do norte cobertas de gelo e florestas e charnecas desoladas e florestas virgens equatoriais e ilhas desconhecidas tão grandes quanto continentes, tão pequenas quanto atóis, e regiões queimadas por fogo subterrâneo e calotas polares árticas onde a vida parece impossível foram delineadas para ele em seu futuro e mais todos eles o seu Sacrifício e o seu Amor sem limites desejaram que o sol de Deus traçasse a sombra de uma cruz e que, do mesmo modo, o seu Tau, impresso pelo Missionário nas almas, fizesse idólatras e pagãos membros do seu Povo.

“Não te esqueças do último desejo de Cristo, expresso na oração da Quinta-feira Santa, já implícito nas palavras ‘Eu te rogo por todos os que acreditarem em Mim pelas palavras dos meus sacerdotes, para que sejam um, como Tu estão em Mim, e Eu, em Ti, ‘e expresso ainda mais cedo no discurso do Bom Pastor:’ Tenho outras ovelhas que não são deste aprisco;
devo reuni-las também, e elas ouvirão minha Voz , e haverá um único rebanho e um único pastor. Por isso o Pai me ama, porque dou a minha vida pelas minhas ovelhas.’ E ambos se repetiram no Coração moribundo quando a agonia já lhe cravava os lábios, entre a hora sexta e a hora nona.
“Trabalhe para que o desejo de seu Salvador se realize. Não seja orgulhoso, como os fariseus de outrora, que se julgavam os únicos escolhidos por Deus. Não julgue isso entre os idólatras e você, entre os cismáticos e você, é um abismo que não pode ser preenchido e que é apropriado que haja porque você é ‘o puro’, e eles são os impuros.
“Paulo diz: ‘Vocês sabem que quando vocês eram gentios, vocês deixaram vós mesmos sejam levados a ídolos mudos, obedecendo àqueles que vos conduziram.’ “Mas foram os gentios que se deixaram conduzir após ídolos maiores pecadores do que aqueles que, no papel de sacerdotes pagãos, apresentaram os ídolos a eles como deuses, ou você, que, conhecendo o verdadeiro Deus, já tendo sido regenerado pela Graça, tantas vezes segue os ídolos que a tríplice concupiscência e Satanás presente a você?
“Vocês são realmente maiores pecadores porque, conhecendo a Verdade, vocês a subordinam ao que é vaidoso e dissoluto.
Esses gentios, como os gentios de hoje, como os idólatras atuais, uma vez que conheceram a Verdade, a seguiram, mesmo no custo de suas vidas, rejeitando heroicamente o passado para abraçar a Fé, que se tornou seu eterno Presente.
“Portanto, não demonstrem desprezo e espanto para com aqueles que ainda não conhecem o verdadeiro Deus, mas façam com que saiam da ignorância para entrar na sabedoria e, acima de tudo, ajam de modo a não ser um escândalo para os que vivem em seu meio. como idólatras, hereges, incrédulos ou cismáticos. Faça-os incapazes de dizer: ‘Eles não acreditam no que dizem, pois
de outra forma seriam diferentes.’ Que suas ações sejam obras missionárias para os gentios que, sob diferentes nomes, convivem com vocês em suas cidades e às vezes em suas próprias famílias. Ai de quem prega e levanta a voz em nome de Deus e depois realiza ações repreensíveis que seu próximo juízes. Ele então mostra que ele é um falso filho de Deus e um hipócrita.
“Cada um dê o que Deus lhe permite dar para a edificação do seu próximo, e dê-o de maneira santa, para que se manifestem as obras misericordiosas de Deus. o que não tem, ou o que lhe foi tirado como castigo depois de tê-lo usado mal, ele é um hipócrita odioso a Deus, um mentiroso e idólatra, pois se envolve em autoadoração e exige isso dos outros, e fala palavras enganosas e, portanto, tem o diabo em si mesmo.
“‘Ninguém que fala pelo Espírito de Deus chama Jesus de anátema.’ E levar uma vida que não está em conformidade com sua doutrina é chamar Jesus de anátema.
E ninguém pode dizer ‘Senhor Jesus’ a não ser pelo Espírito Santo.’ De fato, Cristo só é reconhecido por aquele que, tendo a Graça em si mesmo, pode reconhecer, isto é, conhecer Jesus pelo que Ele realmente é, em Jesus, o Senhor Salvador, Sabedoria e Palavra que deve ser seguida e escutada com fé, caridade, esperança e humilhação sempre com a verdade, sem invejas que venham a negar os dons de um irmão porque não são seus, sem egoísmos avarentos, guardando para si o que o Espírito Divino deu em diferentes formas e medidas, mas extraindo-os de uma única Fonte, a Una próprio Espírito.
“Que cada um de vocês se contente com seu destino espiritual: quem tem, porque pode dar; quem não tem, porque pode receber. Pois, quer você dê ou receba, você possui tudo de um só – de Deus, que distribui dádivas com perfeita sabedoria, sabendo para quem serão bons e para quem não, dando e querendo dar apenas para o seu bem.ligadopara não recusar o que Deus lhe dá, você deve ver Deus em tudo e seu desejo de ser amado por todos os homens. E sejam alegres, cada um de vocês, dando o que puderem. Muito, pouco, não importa. É o suficiente para ser o que você é capaz de dar.
“Deus sabe. Deus vê. Deus julga. Todo ato do homem bom é justificado por Deus, mesmo que pequeno. Todo ato do homem é visto pelos olhos de Deus com justiça.
“Ama, pois, e tudo farás bem. Para Deus, para a Igreja, para com o próximo que está mais próximo de ti, pertencendo à única Igreja verdadeira, para com o próximo que está mais longe, estando fora do Aprisco, para o pecador, para trazê-lo de volta à Salvação. Faça o Amor derrotar o Ódio. Nos indivíduos e em toda a Humanidade.
“Permanecei na certeza de que Deus está convosco – ó vós, todos vós, que servis ao Senhor com este ou aquele dom. Permanecei na firme esperança de que Deus não permite que seus servos sejam confundidos e prossigam sempre em direção à meta, dando graças ao Senhor para sempre.
“Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.”

DÉCIMO PRIMEIRO DOMINGO DEPOIS DO PENTECOSTES
Introito: Sal 68 (67): 6-7, 36, 2

Colete:Deus todo-poderoso e eterno, cuja abundante bondade excede tudo o que seus suplicantes podem desejar ou merecer; por tua misericórdia sobre nós, perdoando-nos os pecados dos quais nossa consciência tem medo e acrescentando-nos o que não ousamos pedir. Através de nosso
Senhor. Epístola: 1 Co 15: 1-10 Gradual: Sl 28 (27): 7, 1 Aleluia: Sl 81 (80): 2-3 Evangelho:Mk7, 31-37 Ofertório: Sal 30 (29): 2-3
Segredo:Senhor, olhe com misericórdia, oramos, para nosso humilde serviço, para que o que oferecemos seja um presente aceitável para você e um apoio para nossos fraqueza. Através de nosso Senhor. Comunhão:Pr3: 9-10
Pós-comunhão:Senhor, que possamos encontrar na recepção do Teu sacramento um suporte para nossas mentes e para nossos corpos, para que, sendo redimidos em ambos, possa gloriar-se no pleno efeito deste remédio celestial. Através de nosso Senhor.

25 de agosto de 1946
Azarias disse:
“O que é a santa morada de Deus? A esta pergunta alguns responderiam: ‘Céu’; outros, ‘A Igreja’; outros, ‘O coração do homem’. E ninguém estaria completamente errado, embora não alcançasse a perfeição na resposta, pois Deus habita no céu, está em sua Igreja e está no coração dos homens que estão na graça. Mas, para falar com precisão, Deus está em si mesmo Ele tem sua morada em sua infinita Caridade, a única morada que, na perfeição e no infinito, pode conter o Perfeito e Infinito. Na Caridade tudo se faz, procede, é gerado, se satisfaz, descansa, se acalma. , Ele mesmo – é a santa habitação de Deus.
“Por isso as palavras da liturgia afirmam: ‘É Deus quem faz habitar em sua casa os do mesmo caráter’; isso significa sabiamente que só os que vivem na caridade habitam em Deus. Conceito contido na declaração de Jesus Nosso Senhor:
‘Permanece em mim e eu em ti… Se alguém permanece em mim e eu nele, esse dá muito fruto’, e na oração divina: ‘que todos sejam um, como tu és em Eu, ó Pai, e eu em Ti.’ Palavras que, recolhidas pelo Apóstolo do Amor, ressoam na sua Epístola, escrita muitos anos depois da Santa Ceia, quando, no limiar da Outra Vida, João, sem necessidade de êxtase, já contemplava ‘a morada de Deus’, que descia para receber aquele que havia compreendido a Caridade: ‘Quem ama nasce de Deus e O conhece… Deus é Amor. … Se nos amamos uns aos outros, Deus habita em nós, e sua caridade em nós é perfeita. Nisto sabemos que estamos Nele e que Ele está em nós, pelo fato de que Ele nos deu Seu Espírito.’
“Três operações que resumem todas as obras, todos os seus frutos, todas as fases do homem a criatura, que, depois de um tempo, retorna à Origem para sempre. ‘Quem ama é nascido de Deus.’ Quando uma mulher dá à luz um filho, é dito:
‘Esta criança nasceu para esta mulher.’ Nasci para. Ou seja, ele emergiu dela, de seu ventre. Ela o formou, o vestiu de carne, dotou-o de sangue e órgãos, e não apenas essas coisas materiais, mas imprimiu nele, se não tudo, pelo menos algum aspecto de caráter e semelhança física com ela.
“A mulher é apenas uma criatura imperfeita, e sua matriz é imperfeita. Mas Deus não é imperfeito.
Considere, então, o caráter e a semelhança que Ele imprime naqueles que emergem de seu seio. assume uma imagem e semelhança inicial, mas, por sua vontade espontânea, cada alma pode, por assim dizer, retornar ao Pai e nascer de novo Dele. Esta é a ‘recriação’ da alma da qual os Doutores da Igreja falaram.
“Depois destas minhas palavras, você vê toda a verdade profunda das palavras de São João: Quem ama nasce de Deus e O conhece. Quem ama. Pois, se não amasse a Deus, não tentaria volte para Ele e renascer de Deus por um ato de vontade pleno e pessoal.
“O teu primeiro nascimento é querido por aqueles que te geraram. Deus o sanciona e enobrece concedendo à matéria a alma, mas este nascimento é independente da tua vontade. A Igreja, Esposa de Deus, coopera no teu nascimento fortalecendo a criatura com a Graça Baptismal e, depois, com os demais Sacramentos, mas só a criatura, ao atingir a idade do entendimento e da vontade,
pode querer nascer de Deus em um segundo e mais perfeito nascimento, o que se faz pelo amor a Deus e ao próximo, pois esta é a Lei.
“A segunda operação: a habitação de Deus em você e a sua em Deus através da Caridade. Deus desce para habitar em um coração que O ama. A alma sobe para habitar na morada de Deus – isto é, em idade. É então que ‘a caridade dele em você é perfeita’. Tão perfeito que se anula a distância entre o Céu e a Terra, a separação entre criatura e Criador, e eles, o finito e o infinito, o nada e o Todo, tornam-se ‘um’, como pediu seu Santíssimo Mestre.
“A terceira operação: conceder à criatura o Espírito de Deus. O Espírito de Deus é Amor. O Espírito que Jesus chama de Espírito da Verdade, o Consolador, Aquele que pode ser recebido por quem não é do mundo, Aquele que ensinará tudo e trazer à mente tudo o que é santo, Aquele que procede do Pai. O Espírito Santo imprime naqueles que O recebem o caráter de verdadeiros cristãos, isto é, irmãos de Cristo e, portanto, filhos de Deus.
“O Introito diz que Deus tem aqueles de caráter semelhante habitando em sua morada. O caráter é o de amor. Jesus Santíssimo disse: ‘Na casa de meu Pai há muitos lugares.’ Mas para ocupá-los um único caractere é necessário – o da caridade.
“Um terá seu lugar no céu por ter sido mestre das almas na terra; outro, por ter sido discípulo; outro, por
sofrimento; outro, por sabedoria; outro, por pregação; outro, por uma vida oculta – alguns por permanecendo no mundo, mas como bons cidadãos, filhos, maridos e pais; alguns, por outro lado, renunciando a tudo por uma vocação de clausura ou monástica. rico ou pobre, instruído ou analfabeto – deve possuir um único caractere:a da caridade, que é “paciente, beneficente, não invejosa, insolente, facciosa ou egoísta” – a caridade que ama o próprio irmão no próximo e não faz aos outros o que não quer para si, a caridade que controla concupiscências, alimenta a fé, sustenta a esperança e cria, como uma árvore poderosa, múltiplos ramos de seu tronco, e estes são a fortaleza, a justiça, a prudência, a temperança, a humildade, a obediência e a sinceridade, pelas quais aquele que a possui pode entrar na
Jerusalém celestial , do qual serão excluídos os pusilânimes, incrédulos, abomináveis, homicidas, fornicadores, venenosos, idólatras e mentirosos – e nada impuro entra.
“Finalmente, ó minha alma, a caridade por si mesma põe em fuga o diabo, porque a caridade é luz, e o diabo ama as trevas; a caridade é sabedoria, e as palavras enganosas de Satanás são desmentidas pela sabedoria; a caridade é a verdade, e a O Maligno odeia; e a Caridade é Deus, e Satanás não pode suportar a visão de Deus.

“Toda perturbação que o Adversário possa criar, lembrando faltas passadas ou sugerindo tentações presentes, é anulada pela Caridade, que é misericordiosa e excede os méritos e desejos das criaturas que a amam, concedendo – além da libertação do Maligno e de seus artes perturbadoras – mesmo o que a criatura humilde e amorosa não ousa presumir obter com sua oração.
“Jesus Santíssimo te chama de ‘pequeno João’. Hoje eu gostaria de chamá-lo de ‘pequeno Paul’. Não Saulo, mas Paulo. Pois você nunca foi Saulo. A caridade o deslumbrou antes que a idade da razão o tornasse responsável por suas ações, e você ficou cego para o mundo desde então, vendo apenas o resplendor alegre em que seu Senhor se revelou para você cada vez mais, e você estava morto para o mundo, e o mundo, para você, pois o Espírito que não é do mundo sempre o tomou, e para sempre, e você O tomou como sua Vida.
“Mas você se tornou um pequeno Paulo pela vontade de Deus. E a vontade de Deus é esta: que você dê a seus irmãos e irmãs o Evangelho que você recebeu. ‘ A ti também, nem apóstolo, nem mestre, o menor de todos, em ciência e grau segundo os homens, instrumento útil somente pelo mérito de sua caridade, que nunca recusou servir a Deus e quis ser consumido no serviço, desde que seus irmãos amem o Senhor – a você também, e precisamente por causa desses dois últimos fatores, o Senhor apareceu, e você O viu e ouviu, e você O vê e ouve, e você O verá e ouvirá aqui e no futuro.
“E então, pequeno Paulo, com o grande Paulo, diga as palavras sinceras, humildes e agradecidas, e deixe que estas sejam o encerramento desta meditação dominical antes de voltar o olhar do espírito para Aquele que mais uma vez se apresenta a você para tornálo bem-aventurado, para instruí-los e dar-vos as lições a serem transmitidas às almas.
“Pela graça de Deus sou o que sou, e a graça que ele me deu não foi inútil; antes, trabalhei mais do que todos os outros; não eu, porém, mas a graça de Deus que está com Eu. ‘
“A justiça deste reconhecimento das obras de Deus em ti; a salvação da humildade que sabe o que fez e porque o fez: pelo mérito da graça de Deus, que quis que fosses o que és! E você O honra. E O honra sempre para não se tornar um Caim não reconhecendo o mérito de Deus e direito às riquezas e belezas dos frutos de sua alma. “Honra-o com os teus bens, com as primícias de todos os teus bens, oferecendo tudo Àquele que tudo te dá, para que Ele, derrubando as barreiras levantadas pela inveja,
vivendo para si e em muitos, espalhe seus tesouros sobre aqueles a quem foram dados. E não tenha medo de que a efusão sobre você cesse. Quanto mais você dá, mais você terá, pois os tesouros de Deus, os rios da Sabedoria, são inesgotáveis, e enquanto os frutos ainda persistem nos ramos, a planta já se enfeita com novas corolas que serão novos frutos amanhã. .
“A árvore da Vida brota flores e folhas e amadurece seus frutos sem cessar para aqueles que a amam, servem e respondem de boa vontade aos desejos da Graça de Deus.
“A Graça de Deus que está convosco protege e sustenta contra aqueles que gostariam de se alegrar com a vossa queda para silenciar a voz da consciência, que os censura por muitas coisas: primeiro, pelos pecados contra a caridade; segundo, pelos seus comportamento no que diz respeito a fazer com que o dom de Deus dê lucro.
“Mas rogai por eles, por todos, para que tenham a caridade que é a origem de toda virtude e
salvação.” Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.

DÉCIMO SEGUNDO DOMINGO DEPOIS DO PENTECOSTES

Introito: Sl 70 (69): 2-4 Coleta: Deus Todo-Poderoso e Misericordioso, por cujo dom vem que Teu povo possa Te prestar um serviço verdadeiro e digno, concede-nos, rogamos, que possamos correr sem impedimentos para a realização de Teu promessas. Através de nosso Senhor. Epístola: 2 Co 3: 4-9 Gradual: Sl 34 (33): 2-3 Aleluia: Sl 88 (87): 2 Evangelho: Lc 10:23-37 Ofertório: Ex 32:11, 13, 14

Segredo: Olha com misericórdia, rogamos, Senhor, pelos sacrifícios que colocamos sobre o teu altar; para que ambos obtenham o perdão dos nossos pecados e deem glória ao Teu nome. Através de nosso Senhor. Comunhão: Sl 104 (103): 13, 14-15 Pós-Comunhão: Que a nossa santa comunhão neste mistério nos dê vida, Senhor, rogamos; e que isso nos dê tanto a expiação de nossos pecados quanto a proteção. Através de nosso Senhor.

1 de setembro de 1946
Azarias disse:
“Juntemo-nos ao altar onde à sua hora (são 15h30) se celebra a Santa Missa. Um pensamento consolador!
Não há momento nas 24 horas em que em algum ponto do globo o Sacrifício eterno seja Quão maior é esta
celebração contínua do Cordeiro divino do que a imolação, que hoje espanta os homens, das hostes de animais
no Templo de Moriá!
“Mas não quero cansar você, alma minha, que acaba de sair de uma agonia tão profunda, vítima com a Vítima pelos
pecados do mundo. E falarei apenas da epístola. Mas em troca , para fazê-lo entender, farei com que considere alguns
versículos que precedem a epístola de hoje e a esclarecem.
“Ouçam. ‘Mas graças a Deus, que sempre nos conduz à vitória em Cristo Jesus e por meio de nós espalha por toda parte a fragrância do
conhecimento de si mesmo. Diante de Deus, nós somos, de fato, o cheiro suave de Cristo para aqueles que estão sendo salvos e para
aqueles a caminho da destruição – para os últimos, o cheiro da morte produzindo morte; para os primeiros, o cheiro da vida produzindo
vida.’
“Isto são os servos de Deus, seus instrumentos em diferentes missões para as quais Deus os consagra. Quer sejam apóstolos ou vítimas, médicos ou fiéis ou ‘vozes’, devem ser os
altares do incenso e do holocausto de onde não, na verdade, a fragrância de Paulo ou Pedro, de Bento ou Boaventura, de
Madalena ou de Teresa, de Maria (você ou outros), mas apenas o perfume de Cristo deve subir a Deus. Espalhe em honra a Deus,
espalhe para perfumar seus irmãos e impregná-los com isso. Apóstolos ou vítimas, instrumentos ou vozes, os servos de Deus
devem estar tão unidos a Cristo Jesus que O carreguem entre os homens em uma encarnação perpétua, para que o mundo o
conheça e de livre vontade se dê a vida ou a morte, aceitando ou rejeitando o Senhor, sem poder dizer como desculpa: ‘Nós não o
conhecíamos.’
“Paulo pergunta: ‘E para tais coisas, quem entre nós é o melhor 2 Co 2:16 adequadoT
“Na verdade, quem, senão aqueles que por amor se consagram inteiramente ao serviço de Deus, são
indicados para realizar esta obra? então por obrigação – e também há alguns assim – não, de fato, aqueles que
o fazem por reflexão humana, mas apenas aqueles que o fazem por amor, com uma imolação conhecida
apenas por Deus e os anjos, podem perfumar o mundo, pois o cheiro do holocausto não se exala quando ainda
está longe do sacrificador e do altar, mas quando ele já sofreu o martírio e está totalmente consumido,
queimando entre as chamas da fogueira.
“Quem, senão aqueles que fazem o sacrifício movidos apenas pelo amor, para que não se deixem adulterar a palavra de Deus
para dela tirar proveito, mas ‘em sua pureza, como ela vem 2 Co 2:17 de Deus, eles a dão aos seus irmãos, ‘ainda que por isso lhes
sobrevenha a dor e o rancor daqueles por quem a palavra de Deus se torna morte, que não a recebem com amor, mas zombam
dela como loucura?
“Paulo, falando em nome dos apóstolos, dos quais ele é o mínimo, através da participação no corpo apostólico – mas ele não é I Co 11: 1
realmente o mínimo em termos de mérito – diz: ‘Você é a nossa carta … 2 Co 3: 2-3 conhecida e lida por todos os homens, pois é bem sabido que
você é uma carta de Cristo redigida por nós, escrita não com tinta, mas com o Espírito do Deus vivo, não em tábuas de pedra, mas nas
tábuas vivas de corações de carne. ‘
«E estas palavras, que são de Paulo, são realmente palavras do Espírito de Deus, que se dirige a vós, ó instrumentos
de Deus, falando pelos lábios do Apóstolo: ‘Vós sois uma página viva de Cristo redigida por Nós: Pai, Filho, Espírito Santo, com o nosso Espírito, nos
vossos corações’. Isso é o que vocês são, verdadeiros instrumentos de Deus.
“E você deve acreditar nisso, não, de fato, para se vangloriar, mas para reconhecer a obra do Senhor em você, e dar-Lhe louvor
por isso, e reverenciar o presente que você recebe, e usá-lo com veneração e justiça para vocês e seus irmãos, pois com o dom,
Deus lhes dá a capacidade de lidar com ele, e essas capacidades só se perdem quando um instrumento declina por orgulho,
engano, desobediência e egoísmo.
“Muitos, demasiados, acreditam que são mestres só porque conhecem as palavras. Mas não é o conhecimento das
palavras que vivifica – é poder fazê-las viver em ti. Muitos se gabam de serem médicos porque carregam os médicos ‘veste e
desdenha quem não tem, e eles gostariam de impor silêncio sobre aqueles que falam em nome de Deus. Mas que mão
pode impedir o Espírito do Senhor de falar nos seres que são capazes de ser espirituais ao dar e recebendo, aprendendo e
praticando?
“E aqui lemos a consideração de São Paulo: ‘Se o ministério da morte … foi cercado por tanta glória … de que glória
maior é o ministério do Espírito a ser cercado?
“Mas isso deve ser dito aos negadores e zombadores, àqueles que pensam que podem dizer a Deus: ‘Por que isso ninguém, e
não para nós. E o Senhor responderá a eles um dia, e será tarde demais para eles.
“Alma minha, deixa cair tudo o que pode ser glória passageira, e vele constantemente sobre o que é um dom incorruptível e a
glória que resta. Mantenha uma vigilância constante para que o que vem de Deus não seja profanado, alterado ou humilhado. seu
dever até a hora nona e seu último batimento cardíaco – eles para a fumaça deles. E, ao morrer, confie o dom novamente ao
Senhor, dizendo: ‘Em tuas mãos entrego o meu espírito e as palavras do teu Espírito, para que possas salvar da corrupção e do
desmembramento. ‘
“Fique em paz. Deus está com você.”

Compartilhe a Divina Vontade