The End Times – Parte 4 – Maria Valtorta


 31 – As duas bestas Satanás tem seus leais arqui-demônios, um imitando Miguel, o outro imitando Gabriel. 22 de agosto de 1943 Ditado completo Q43:152-154

Jesus diz: «Eu te disse um dia 90 que o eterno invejoso tenta copiar Deus em todas as manifestações de Deus. Deus tem seus arcanjos fiéis. Satanás tem o dele. Miguel: Testemunha de Deus, ele tem um rival infernal; e Gabriel também: força de Deus. A primeira besta, que sai do mar, que com voz de blasfêmia faz os enganados proclamarem: “Quem é semelhante à besta?”, corresponde a Miguel. Derrotada e ferida por ele na batalha entre as tropas de Deus e as de Lúcifer, no início dos tempos, curada por Satanás, ela odeia Miguel até a morte, e ama, se o amor pode ser falado entre demônios – é melhor dizer : submissão absoluta a Satanás. Um ministro fiel de seu rei amaldiçoado, ele usa sua inteligência para prejudicar a raça do homem, uma criatura de Deus, e servir seu mestre. Use força sem fim e sem medida para persuadir o homem a apagar, por si mesmo, meu signo que horroriza os espíritos das trevas. Removido que, com o pecado que remove a graça, crisma luminoso em seu ser, a Besta pode se aproximar e induzir o homem a adorá-lo como se fosse um Deus e servi-lo no crime. Se o homem pensasse a que sujeição ele se dá ao se casar com a culpa, ele não pecaria. Mas o homem não pensa. Veja o momento e a alegria do momento, e pior ainda que Esaú troca sua prole divina por um prato de lentilhas. Mas Satanás não usa apenas esse violento sedutor do homem. Por menos que o homem reflita, em geral, ainda há muitos homens que, não por amor, mas por medo de punição, eles não querem pecar seriamente. É por isso que aqui está o outro ministro satânico, a segunda besta. Sob o aspecto de um cordeiro, tem o espírito de um dragão. É a segunda manifestação de Satã e corresponde a Gabriel, porque anuncia a Besta e é sua força mais forte: aquela que destrói sem consultar e convence com doçura fingida que é certo seguir os passos da Besta. É inútil falar de poder político e terra. Não. Se alguma coisa, você pode referir ao primeiro o nome de Poder Humano e ao segundo o de Ciência Humana. E se o Poder por si mesmo produz rebeldes, a Ciência, quando é apenas humana, corrompe sem produzir rebelião e arrasta um número infinito de adeptos à perdição. Quantos se perdem por causa da arrogância da mente que os faz desprezar a Fé e matar a alma com o orgulho que separa de Deus! Que embora eu vá colher a colheita da terra no último dia, já existe um ceifeiro entre vocês. E é este espírito do Mal que te ceifa e não te faz espigas de grão eterno, mas sim palha para a morada de Satanás. Uma, apenas uma ciência é necessária. Repito mil vezes: conheça a Deus e sirva-o, conheça-o nas coisas, veja-o nos acontecimentos e saiba distingui-lo de seu antagonista para não cair na perdição. Em vez disso, você se preocupa em aumentar o conhecimento humano em detrimento do conhecimento sobre-humano. Não condeno a Ciência. Pelo contrário, gosto que o homem aprofunde com conhecimento o conhecimento que vem acumulando, poder entender cada vez mais e me admirar em meus trabalhos. Eu lhe dei a inteligência para isso. Mas você deve usá-lo para ver Deus na lei da estrela, na formação da flor, na concepção do ser, e não usar a inteligência para violar a vida ou negar o Criador. Racionalismo, Humanismo, Filosofismo, Teosofismo, Naturismo, Classicismo, Darwinismo, vocês têm escolas e doutrinas de todos os tipos e vocês se preocupam com todas elas, porque a Verdade está muito pervertida ou abolida nelas. Você simplesmente não quer seguir e aprofundar a escola do cristianismo. Resistência natural, diga-se de passagem. Aprofundando-se na cultura religiosa, você seria obrigado a seguir a Lei – e você não quer fazê-lo – ou confessar abertamente que você quer pisar na Lei. E você também não quer fazer isso. É por isso que você não quer se tornar um estudioso da ciência sobrenatural. Mas pobres tolos! E o que você vai fazer com suas escolinhas e suas palavrinhas quando tiver que fazer meu exame? Vocês extinguiram em si mesmos a luz infinita da verdadeira Ciência e acreditaram iluminar suas almas com substitutos de luz, assim como pobres loucos que tentaram extinguir o sol fazendo um novo sol com muitas lanternas. Mas embora as brumas ocultem o sol, o sol está sempre no meu firmamento. Mas embora com suas doutrinas você crie névoas que escondem o Conhecimento e a Verdade, a Verdade e o Conhecimento sempre existem porque vêm de Mim que sou eterno. Busque a verdadeira Sabedoria e você entenderá como a Ciência deve ser entendida. Libertem suas almas de todas as superestruturas artificiais e elevem nelas a verdadeira Fé. Como os pináculos de uma catedral espiritual, Ciência, Sabedoria, Inteligência e Força e Humildade e Continência, porque o verdadeiro sábio conhece não só o humano cognoscível, mas também o mais difícil: dominar-se nas paixões da carne e fazer de sua parte inferior o pedestal para elevar sua alma e lançar o espírito para os Céus, ao encontro de mim que venho e estou em tudo e que desejo ser o verdadeiro e santo Mestre dos meus irmãos» . Mais tarde, Jesus diz: «As sete últimas pragas correspondem aos sete trovões não descritos.

 

Como sempre, são descrições figurativas, mas em que a realidade não é totalmente excluída. Explico a você o quanto julgo apropriado ser explicado a você sobre eles. A primeira é a úlcera. Desde o tempo de Moisés, castiguei as criaturas que cometeram pecados imperdoáveis ​​contra Mim com doenças repugnantes. Maria, Irmã de Moisés, seu corpo estava coberto de lepra por ter falado mal de meu servo Moisés. Como não acontecer a mesma coisa e ainda mais com aqueles que falam mal de seu Deus? A lepra, ou a úlcera que seja, se espalha cada vez mais porque você espalhou cada vez mais seus pecados contra Deus e contra a admirável obra de Deus que você é. Quando você se afunda na luxúria, você não acha que comete um pecado contra Deus? Bem, sim, você o comete, porque você profana seu corpo onde o espírito reside para acolher.

32. Os sete flagelos; Babilônia; Cachoeiras da graça

No ditado de 20 de agosto Eu, Espírito Supremo. E até que ponto a luxúria do homem está chegando, preenchida com vontade fria e consciente? É melhor não mergulhar neste abismo de degradação humana repugnante. Eu lhes digo que certos animais foram chamados impuros, mas que o homem já os superou e os superará ainda mais, e que se um novo animal pudesse ser criado, obtido do cruzamento de macacos com cobras e porcos, ainda seria menos impuro do que certos homens, que têm o homem que eles olha, mas eles têm um interior mais lúbrico e repugnante do que o animal mais sujo. Como eu lhes disse, a humanidade está se dividindo cada vez mais. A parte espiritual, exígua ao máximo, ascende. A parte carnal, extremamente numerosa, desce. Desça a uma profundidade hedionda de vício. Quando chegar o tempo da ira, a humanidade terá alcançado a perfeição do vício. E você quer que o fedor interno de suas almas mortas não transpira fora e corrompe a carne, adorada mais do que Eu e usada para toda prostituição? E já que as úlceras serão causadas por você, assim encherás de sangue o mar e as águas dos rios. Você já os está enchendo com sua carnificina, e os habitantes das águas diminuem, mortos por você, contribuindo para sua fome. Você pisou tanto nos dons que Deus lhe deu para suas necessidades materiais, que a terra, o céu e as águas estão se tornando seus inimigos e lhe negam os frutos da terra e os habitantes das águas, dos rios, das florestas, do ar . Mate, mate se quiser, pise na lei do amor e do perdão, espalhe o sangue fraterno e principalmente o sangue dos bons, a quem você persegue justamente porque são bons. Mas tenha cuidado para que um dia Deus não o obrigue a saciar sua fome e sua sede com o sangue que você derramou, em oposição à minha ordem de paz e amor.

Rebelde-te às leis que te dei, rebela contra você as estrelas e os planetas que até agora doaram a luz e o calor que você precisava, obedecendo, eles, as regras que eu indiquei por bondade para com você. Doenças repugnantes como marca de seu vício; sangue nas águas como testemunho de todo o sangue que você quis derramar, e entre este está o meu; fogo do sol para fazer você saborear antecipadamente as brasas eternas que aguardam os condenados; escuridão para avisar que a escuridão espera aqueles que odeiam a Luz: tudo isso para induzi-lo a refletir e se arrepender. E não vai dar. Você vai continuar a precipitar. Você continuará cumprindo suas alianças com o mal, preparando o caminho para os “reis do Oriente”, ou seja, os ajudantes do Filho do Mal. Parece que são meus anjos que trazem as pragas. Na verdade é você. Você os quer e você os terá. Tornando-se dragões e bestas, por ter se casado com o Dragão e a Besta, você dará à luz, de seu interior corrompido, seres impuros: as doutrinas demoníacas absolutas que, realizando falsos prodígios, seduzirão os poderosos e os arrastarão para a batalha contra Deus. Você será tão pervertido que tomará por prodígios celestiais tudo o que é criação infernal. Maria, agora eu te pego pela mão para te levar ao ponto mais escuro do livro de João. Os comentadores esgotaram sua capacidade em muitas deduções para explicar a si mesmos e às multidões quem é a “grande Babilônia”. Com a visão humana, à qual não são estranhos os sobressaltos produzidos por eventos desejados ou por eventos ocorridos, eles deram o nome de Babilônia a muitas coisas. Mas como eles nunca pensaram que a “grande Babilônia” é toda a Terra? Ele seria um Deus Criador muito pequeno e limitado se tivesse criado a Terra apenas como um mundo habitado!

Com um pulsar da minha vontade eu levantei mundos e mundos do nada e os projetei, poeira luminosa, na imensidão do firmamento. A Terra, da qual você é tão orgulhoso e tão feroz, é apenas uma das poeiras que giram no infinito, e não a maior. Mas é certamente o mais corrompido. Vidas e vidas pululam nos milhões de mundos que são a alegria do seu olhar nas noites serenas, e a perfeição de Deus aparecerá para você quando você puder ver, com a visão intelectual do espírito mais uma vez unido a Deus, as maravilhas do esses mundos. Não é a Terra a grande prostituta que fornicou com todos os poderes da terra e do inferno, e os habitantes da Terra não se prostituíram: corpos e almas, para triunfar no dia da morte? Sim, ele é. Os crimes da Terra têm todos os nomes de blasfêmia, assim como a Besta com a qual a Terra e seus habitantes se aliaram para triunfar. Os sete pecados são como um horrendo ornamento na cabeça da Besta que transporta a Terra e os terrestres para os pastos do Mal, e os dez chifres, um número metafórico, estão aí para demonstrar as ‘infinitas infâmias cometidas para obter, a qualquer preço, tanto quanto ele quer sua ganância feroz. Não está a Terra encharcada no sangue dos mártires, embriagado por este licor sagrado que, ingerido por sua boca sacrílega, se transformou em um maldito filtro de embriaguez? A Besta que a carrega: compêndio e síntese de todo o mal realizado a partir de Adão para triunfar no mundo e no carpo, ela traz atrás de si aqueles que, adorando-a, se tornarão reis de uma hora e de um reino amaldiçoado . Vocês são reis como filhos de Deus, e é um reino eterno. Mas vocês se fazem reis de uma hora e de um reino amaldiçoado quando adoram Satanás, que só pode lhes dar um triunfo efêmero pago ao preço de uma eternidade de horror. A Besta -diz Juan- foi e não é. Assim será no fim do mundo. Foi, porque realmente existiu; Não é porque eu, Cristo, a tenha derrotado e sepultado porque, então, não será mais necessário para os triunfos do mundo 92. A Terra não está sentada nas águas de seus mares e não os usou para prejudicar? O que não foi usado? Povos, nações, raças, fronteiras, interesses, comidas, expansões, tudo o serviu para fornicar e realizar homicídios ultrajantes e traições iscarióticas. Seus próprios filhos, nutridos por ela com o sangue do pecado, farão a vingança de Deus sobre ela, destruindo-a, destruindo-se a si mesmos, trazendo a soma dos crimes contra Deus e contra o homem ao número perfeito que exige meu estrondo: “Basta! “.

33. As duas ressurreições : A ligação vital entre o Fim dos Tempos e o julgamento em particular. Assim como o Fim dos Tempos leva ao fim físico do mundo e ao julgamento geral. assim nossas vidas pessoais chegam a um fim corporal e ao julgamento particular.

O sangue dos mártires e dos profetas ferverá naquela hora, perfumando meu trono com um cheiro agradável e doce, e os torrões de terra, que recolheram os gemidos dos mortos por ódio contra mim, recebendo seus últimos tremores, Eles lançarão um grande grito feito de todos esses gemidos santos e tremerão com convulsões de angústia, sacudindo as cidades e as casas dos homens em que pecam e matam, e enchendo a abóbada do Céu com uma voz que clama por Justiça . E haverá Justiça. Eu virei. Eu virei porque sou Fiel e Verdadeiro. Virei dar a Paz aos fiéis e o Santo Julgamento aos vividos. Virei com o meu nome cujo significado é conhecido apenas por Mim e em cujas letras estão os principais atributos de Deus de quem sou Parte e Todo. Escreva: Jesus : Grandeza, Eternidade, Santidade, Unidade. Escreve: Cristo: Caridade, Redenção, Imensidade, Sabedoria, Trindade, Onipotência (de Deus condensada em nome do Verbo humanizado). E se vos parece que falta algum atributo, pensai que a justiça está incluída na santidade, porque quem é santo é justo, Com a força que desencadeia o horror afastada do meio, descerão como cachoeiras de graça, como rios de águas celestiais, das grandes correntes espirituais, para dizer palavras de Luz. Mas da mesma forma que ao longo dos séculos não recolheram as Vozes isoladas, a começar pela do Verbo, que falam do Bem, os homens serão surdos, surdos sempre, salvo os marcados pelo meu sinal, meus queridos amigos atentos segue-me, surdo às vozes de muitos espíritos, às vozes semelhantes ao murmúrio de muitas águas que cantarão o novo cântico para guiar os povos ao encontro da Luz e sobretudo a Mim: Palavra Eterna. Quando as últimas 95 tentativas forem completadas, Satanás virá pela última vez e encontrará seguidores nos quatro cantos da terra, e eles serão mais numerosos que a areia do mar. Oh! Cristo! Oh! Jesus que morreu para salvar os homens! Somente a paciência de um Deus poderia ter esperado tanto tempo, feito tanto e obtido tão pouco sem retirar seu dom dos homens e fazê-los perecer muito antes da hora marcada. Só a minha Paciência que é Amor poderia esperar por ti, sabendo que, como areia filtrada por uma peneira muito sutil, dificilmente uma alma alcançaria a glória em comparação com a massa que não sabe, que não quer filtrar pela peneira de a Lei, do Amor, do Sacrifício, para me alcançar. Mas na hora da sua vinda, quando, como Deus, Rei e Juiz, eu vier reunir os eleitos e amaldiçoar os réprobos, lançando-os lá onde o Anticristo, a Besta e Satanás já estarão para sempre, após a vitória suprema de Jesus Cristo, Filho de Deus, Vencedor da Morte e do Mal, A esses eleitos que souberam permanecer “vivos” na vida, vivos no espírito à espera de nossa hora de triunfo, eu lhes darei a posse da morada celestial, eu me darei a eles sem pausas e sem medida. Vácuo naquela hora, Maria. Ligue para ela e me chame com toda a força do seu espírito. Eis que venho quando uma alma me chama. Juntamente com o Amado que viu da terra a glória do Cordeiro, Filho de Deus, a glória do seu e do teu Jesus, dize a cada batida do teu coração: “Vem, Senhor Jesus”». Sou um trapo, um pobre trapo. Só tenho minha alma submersa em doçura. Ao me ditar, Jesus me faz entender que quando diz Terra quer dizer mundo tomado não como um globo de pó e água, mas como uma união de pessoas. Não sei se consigo explicar bem.

Quando ele diz Terra, ele quer dizer, eu direi: entidade moral, e quando ele diz terra, ele simplesmente quer dizer um planeta feito de terra, montanhas e águas. Culpado o primeiro, inocente o segundo. É por isso que ele pode dizer sem se contradizer que o sangue dos mártires se tornou veneno para a Terra que o bebeu (em seus habitantes) com cólera sacrílega e o derramou (em seus poderes estatais) com abuso blasfemo do poder temporal; enquanto o globo terrestre, girando no espaço do éter, bebeu com respeito e acolheu com amor o paz após os castigos, de evangelização espiritual sangue dos mártires e suas convulsões agonizantes, e os apresenta, um e outro, ao Eterno, pedindo, maternal e piedoso, que não tenham sido derramados e sofridos em vão e que lhes seja feita justiça. Estou feliz por ter recebido a explicação direta do Livro de que tanto gosto, mas humanamente lhe asseguro que estou arrasada. Parece-me ser algo vazio, uma coisa espremida. Não tenho mais nada dentro depois de ter tido tanto. Esses dias, esmagado pelas vozes altas que ouvia dentro de mim, eu tinha intolerância ao ruído humano, e tive tanto ao meu redor! Sofri muito, preso entre os obstáculos comuns da vida e as exigências sobrenaturais do Mestre. Nós vamos. Já está feito. E agora eu digo: “Um pouco de descanso, senão o pobre rabisco de Jesus acaba quebrando como uma máquina usada”. Agora para você para a cópia. Mas quando você me trouxer o fascículo, me traga este caderno também. Custa-me menos corrigir se tenho o manuscrito à minha frente. Se não, como me lembro e adiciono as palavras que faltam? Quem se lembra? Então eu devolvo. E, em vez disso, ainda há a dizer. Jesus diz: «Antes de encerrar este ciclo, devemos falar das duas ressurreições. A primeira começa no momento em que a alma se separa do corpo e aparece diante de Mim no julgamento particular. Mas é apenas uma ressurreição parcial. Mais do que ressurreição, pode-se dizer: libertação do espírito do envoltório da carne e espera que o espírito se reúna com a carne e reconstrua o templo vivo, criado pelo Pai, o templo do homem criado à imagem e semelhança do Deus. Uma obra que está faltando uma parte é incompleta e imperfeita. A obra do homem, perfeita em sua criação, é incompleta e imperfeita se não estiver unida em suas várias partes. Destinados ao Reino luminoso ou à morada escura, os homens devem estar neles para sempre com sua perfeição de carne e espírito. É por isso que falamos da primeira e da segunda ressurreição.

Mas observe. Quem matou seu espírito com uma vida terrena de pecado vem a Mim, no julgamento particular, com um espírito já morto. A ressurreição final fará com que sua carne assuma novamente o peso do espírito morto para morrer totalmente com ele. Enquanto aquele que derrotou a carne na vida terrena vem a Mim, no julgamento particular, com um espírito vivo que, entrando no Paraíso, aumenta sua vida. Também os purgativos estão “vivos”. Doente, mas vivo. Uma vez curados em expiação, eles entrarão no lugar que é a Vida. Na ressurreição final o teu espírito vivo da minha Vida, ao qual estarás indissoluvelmente unido, será necessário a carne novamente para glorificá-la e viver totalmente com ela assim como eu vivo com ela. É por isso que falamos da primeira e da segunda morte e, consequentemente, da primeira e da segunda ressurreição. O homem deve chegar por sua própria vontade a esta posse eterna da Luz -porque no Paraíso você possui Deus, e Deus é Luz-, assim como por sua própria vontade quis perder a Luz e o Paraíso. Eu lhe dou a ajuda, mas a vontade deve ser sua. Eu sou fiel. Eu te criei livre e livre te deixo. E se você pensar o quanto esse respeito de Deus pelo livre arbítrio do homem é digno de admiração, você pode entender como seria seu dever não abusar dele, usando-o para o mal, e ter respeito, reconhecimento e amor para com o Senhor, seu Deus. Para aqueles que não abusaram, eu digo: “Sua habitação no céu está preparada, e desejo ardentemente  que estejais na minha bem-aventurança”

34. Uma seqüência clara de períodos históricos Neste texto, Jesus deu a Maria Vallorta um esboço claro dos períodos históricos que ocorreriam de 1943 até o fim do mundo.

27 de agosto de 1943 Ditado completo Q43:288-289

Jesus diz: «Também no Apocalipse parece que os períodos se confundem, mas não é assim. Seria melhor dizer: eles se refletem em tempos futuros com aspectos cada vez mais grandiosos. Agora estamos no período que chamo: dos precursores do Anticristo. Então virá o período do Anticristo, que é o precursor de Satanás. Isso será auxiliado pelas 169 manifestações de Satanás: as duas bestas mencionadas no Apocalipse. Será um período pior do que o atual. O mal cresce cada vez mais. Uma vez que o Anticristo for derrotado, o período de paz virá para dar aos homens, impressionados com o estupor das sete pragas e a queda da Babilônia, tempo para se reunir sob meu signo. A era anticristã chegará ao seu poder máximo em sua terceira manifestação, ou seja, quando chegar a última vinda de Satanás. Você entende? É preciso acreditar, e não ponderar. Verdadeiramente você tinha entendido, precisamente porque você não pondera. Os ditames não se contradizem. É preciso saber lê-los com fé e simplicidade de coração. Como quem precisa urgentemente entender alguma coisa, sempre vou direto ao que mais importa e que aqui é o meu reino. Porque no reino está a justificação de ter encarnado e ter morrido. Porque no reino está a prova do meu infinito poder, bondade, sabedoria. Porque no reino está a prova da vida eterna, da ressurreição da carne, do meu poder de Juiz. Por isso, quando falei para explicar o Apocalipse, nos pontos específicos explanados, quase sempre coroei meu Julgamento, meu triunfo, meu reino, a derrota de Satanás em si mesmo, em sua criatura, nos precursores. Leia bem e verá que não há contradição. O que é dito, é dito” .

28 de agosto Jesus diz: «Quando digo ser “o sacrifício eterno” não estou dizendo um conceito novo. Aqueles que estavam mais próximos de Mim – Pedro e João – têm o mesmo conceito. Nem todos aqueles que meditam nas obras do Pai, do Filho e do Espírito podem tê-lo de forma diferente. Talvez vocês fiquem maravilhados que Deus, conhecendo todas as coisas por sua infinita Inteligência, procedeu a criar o homem, e vocês quase se perguntam se Deus sabia ou não sabia tudo o que o homem teria feito. Oh! eu sabia! Nada é desconhecido para o Deus Triúno. Todos os eventos do Universo: nascimentos e mortes de planetas, formação e desintegração de nebulosas, vida ou morte nas estrelas lançadas ao espaço, cataclismos, explosões, são conhecidos, eternamente, pelo Eterno. E da mesma forma todos os acontecimentos da Terra são eternamente conhecidos: um dos milhões de mundos criados por Deus, que vos é conhecido porque sois seus habitantes. E eternamente todos os acontecimentos do homem, tomado como habitante da Terra, são conhecidos. Antes de Adão existir, Deus sabia que Adão pecaria. E com ele pecaria, por milênios, a raça de Adão. Nenhum dos pecados dos homens, nem uma das virtudes dos homens, são desconhecidos à nossa Sabedoria, seja no momento em que ocorrem, seja por um tempo tão adiantado que não tem comparação com nenhum limite de seu tempo, indo retroceder nos séculos dos milênios até a inexistência do tempo: até a eternidade. Lança o teu olhar, ó Maria!, para a nossa eternidade. Mergulhe neste sinal de Deus. É como se você olhasse para um céu muito claro e pensasse que além desse azul, que parece ser o limite, há outro, outro,ortex de éter, um remanso de azul que quanto mais alto você sobe, mais profundo se torna, nem você pode encontrar um limite. Seu azul, que é, que nada mais é do que seu não-ser, como substância consistente. Seu azul é feito por incalculáveis ​​milhões de quilômetros de éter nos quais dançam os mundos criados por meu Pai.

No ditado de 17 de agosto de 170 A mesma é a nossa eternidade. É! Quando isso começou? Nunca! Quando isso vai acabar? Nunca! Quanto tempo vai durar? Sempre! Desde quando isso dura? Desde sempre! Nunca. Sempre. Medite o imenso poder que há nessas duas palavras aplicadas à Perfeição. Não o seu “sempre” ligado à sua curta vida e isso nem dura tanto quanto a vida dura. Não é o seu “nunca” sujeito a negações tão rápidas. Mas nosso “sempre” e nosso “nunca” que não conhecem nenhuma diminuição e estão vestidos em nossa Perfeição. Nada está escondido de Deus. Nada. E então, vocês se perguntam, pobres homens, por que Deus criou o homem? Oh! quão inútil por quê! Você gostaria de julgar a obra de Deus? Processar suas ações? Quando você estiver na glória, você entenderá todo o misterioso porquê. Você lerá, com o olhar do espírito livre, páginas que agora ignora, que agora quer inutilmente folhear caindo, por seu inútil orgulho de formigas que querem furar um monte de mármore, nos erros mais perniciosos. Quantos mistérios o Universo ainda tem para você! Você está imerso no mistério. Mistério de Deus. Mistério do porquê de Deus. Mistério da segunda vida. Mistério das leis cósmicas. Mistério das relações entre este seu planeta e os outros mundos. Mistérios das relações entre os vivos na terra e aqueles que já passaram para a segunda vida. Sua curiosidade humana, a necessidade de sua alma retornar às suas origens, lhe dão preocupações santas e profanas. Santos, quando sois impelidos a fazer o bem desejando aprofundar o mistério e a união com o sobrenatural para vos sentirdes menos exilados fora do Reino do espírito e vos tornar cada vez mais capazes de compreender as palavras espirituais e merecer a vida espiritual que chega perfeição na outra vida, na minha felicidade. Não santos, quando quiserem, descartando a bela e simples Fé, imitem Adão e saibam o que não adianta agora saber, violando o segredo, forçando portas celestiais, perturbando descansos paradisíacos, atravessando barreiras intocáveis. Isso está errado, meus filhos. Acredite. Deixe a seu Deus a iniciativa de instruí-lo sobre os mistérios do além. Ele sabe até onde pode lhe apresentar o segredo que está além da morte. Confie em seu Pai e Mestre. Não queira ir além do limite desrespeitosamente. Não queira mais do que Deus quer. Respeito. Isto é para todos aqueles que não estão satisfeitos com o que eu disse e querem saber mais. Mas você acha que se fosse bom saber, eu teria esquecido os três ressuscitados do Evangelho? No entanto, nenhum deles disse o que está do outro lado. Nem eu, Verbo do Pai e Sabedoria infinita, vos revelei o mistério da morte e com ela outros, cujo conhecimento não é necessário para a vossa santificação, mas sim é prejudicial a ele. Acreditar é maior do que saber. Acreditar é amar. Repito 100. Acredite, portanto, que se Deus te criou foi por um impulso de amor. Acredite com amor para responder a tal amor. E com sete vezes amor, creia que eu, o eterno Imolado, sou assim chamado com palavras justas porque, antes que o tempo existisse, eu sou o destinado a ser imolado para salvá-lo. Ele não começou meu holocausto com minha vida corporal. Não. Ela existia antes de eu me tornar carne no ventre da Virgem. Não começou com a expulsão de Adão. Não. Ela existia antes de Adão pecar. Não começou quando o Pai disse: “Façamos o homem”. Não. Ele existia antes de tal pensamento criativo.

Já no ditado de 26 de agosto de 171 Aquele holocausto, cumprido pela segunda Pessoa de Nossa Santíssima Trindade, é como a batida no centro do coração eterno do nosso Ser, desde sempre. Desde então, você entende? Eternos como Nós somos eternos. Tudo planejado e tudo predeterminado, eternamente. Eu sou o Sacrifício eterno, a Vítima eterna, Aquele que vos comunica o Seu Sangue para vos curar das doenças da culpa, Aquele que vos fortalece com ela em Deus, Aquele que vos dá todas as certezas de fé e esperança e nutre com a sua caridade para que possais crer, viver em Deus, santificar-vos pela Palavra que não morre e que não deixa morrer os que dela se nutrem. Acreditem em Mim, meus amigos, e peçam-Me a graça de acreditar cada vez mais. A luz da fé e da caridade permitirá que você veja seu Deus, seu Jesus, cada vez mais claramente, já nesta vida”.

 

29 de agosto Jesus diz: «Vejamos juntos este ponto do livro de Samuel: “A obediência vale mais do que os sacrifícios, a docilidade é melhor do que a gordura de carneiros. A rebelião é o pecado da feitiçaria, a contumação é o crime da idolatria” (1S, cap. 15°, v. 22).

A obediência. A virtude que você não quer praticar. Você nasce e, assim que consegue expressar um sentimento, é um sentimento de rebelião contra a obediência. Você vive sendo desobediente. Você morre ainda desobediente. O batismo apaga o pecado original, mas não anula a toxina que o pecado deixa em você. Qual foi, no fundo, o pecado original? Uma desobediência. Adão e Eva queriam desobedecer ao Pai Criador, incitados a realizar esse ato de falta de amor pelo Supremo Desobediente, que se tornou um demônio ao recusar a obediência de amor ao Deus Supremo. Este veneno se aninha em seu sangue e apenas uma vontade constante sua o torna incapaz de prejudicar seu espírito de maneira mortal. Mas, oh meus filhos!, que coisa mais meritória do que isso pode ser cumprida por vocês? Dê uma boa olhada Ainda é mais fácil fazer um sacrifício, uma oferta, praticar uma obra de misericórdia, do que obedecer constantemente à vontade de Deus. Parece-vos minuto a minuto como água que flui e passa trazendo outras ondas de água e por trás dessas ainda outras. E você é como um peixe que, ainda submerso na Vontade de Deus, escorrega por você. Se você quiser sair disso, você vai morrer, meus filhos. É o seu elemento de vida. Não há nem uma gota dele que não venha de uma razão de amor. Acredite. Obedecer é fazer a vontade de Deus. Essa vontade que vos ensinei a pedir para se cumprir com o Pai Nosso e que vos ensinei a praticar com palavra e exemplo, levou à morte. Não obedecer e rebelar-se é cumprir um pecado de magia, diz o livro. Na verdade, o que você está fazendo se rebelando? Você peca. E o que o pecado produz? Seu noivado com o diabo. Você, portanto, não faz mágica? Você não se transforma magicamente de filhos de Deus em filhos de Satanás? Não obedecer e não querer se submeter é como um pecado de idolatria, continua o livro. Na verdade, o que você está fazendo não se segurando? Você rejeita Deus ao rejeitar Sua Vontade. Você o repudia como Pai e Senhor. Mas como o coração do homem não pode deixar de adorar qualquer coisa na posição do verdadeiro Deus que você rejeita, você adora a si mesmo, sua carne, seu orgulho, seu dinheiro; você adora Satanás em suas  manifestações mais nítidas. É por isso que vocês se tornam idólatras. De que? Dos deuses mais horrendos que os têm escravos e escravos infelizes. Vinde, vinde, queridos filhos do meu amor, vinde ao jugo paterno que não faz mal, que não oprime, que não degrada, mas que vos segura e vos guia e vos assegura de chegar ao reino abençoado onde não há mais dor. O mundo, que quer desobedecer, não sabe que este ato de obediência bastaria para se salvar. Reentrar no sulco de Deus, seguir a voz de Deus, obedecer, obedecer, redescobrir a casa do Pai, deixar escapar uma quimera de falsa dignidade, redescobrir a mão do Pai que abençoa e cura, redescobrir encontrar o coração do Pai que ama e perdoa. pensem, crianças, que para vos dar novamente a graça perdida, dois Puríssimos, dois Inocentes, dois Bons, tiveram que consumar a máxima Obediência. A salvação da raça humana começou no tempo com o “fiat” de Maria diante do meu arcanjo e terminou com o “consummatum” de Jesus na cruz. As duas obediências mais dolorosas e as menos obrigatórias, porque minha Mãe e eu estávamos acima da necessidade de expiar o pecado com obediência. Nós, que não pecamos, redimimos seu pecado obedecendo. E vocês, pobres filhos, não vão querer imitar o seu Mestre e obter misericórdia com a obediência que é prova de amor e fé? Mais bela e agradável que as próprias igrejas, que me levantam por voto, e que qualquer voto, é esta flor espiritual da alma, nascida na terra, no coração do homem, mas que floresce no Céu, eterno, para a tua glória». 30 de agosto Jesus diz: «Que a tua resposta, seja ao teu próximo que se surpreende e te faz observar o aparente abandono de Deus em relação a ti, seja ao tentador que te quer persuadir de que todo o teu sacrifício não obtém alívio de Deus, seja o mesmo que o velho Tobias. Você também deve dizer a si mesmo: “Somos filhos de santos e aguardamos a vida que Deus dará àqueles que nunca perdem a fé nEle”.

Filhos de santos e chamados à mesma santidade. Você não é filha de Deus, Maria? E quem é mais santo que seu Pai? Se Ele, que é o Santo dos Santos, quer tanta dor para você, é sinal de que essa dor finalmente tem uma alegria proporcional à dor: isto é, tanta alegria imensurável, e alegria sem fim. A alma que chega a acreditar firmemente que tudo o que lhe acontece tem sua origem no amor e produz alegria eterna, está segura como em uma fortaleza. Não pode perecer. Ele sofre, mas sua dor é sobrenatural e traz frutos sobrenaturais de vida. Ainda um pouco e então a alegria virá. Ainda um pouco e então eu vou. Não virei com os limites que agora devo impor ao encontro para adaptá-lo à sua humanidade. Mas virei como Deus para a alma: isto é, livremente, completamente. Não temas. Você verá então como minha morada é infinitamente mais bela do que o que você viu em seus sonhos e imaginou com seus pensamentos. Você verá então como a união comigo será sem penalidade, deixando um corpo que é um vínculo para a alma e um perigo contínuo. Nunca perca a fé em seu Jesus. Estou perto de você e você percebe isso. Mas não recuse nenhuma das ajudas que coloquei à sua disposição. O caminho sobrenatural que você percorre não o isenta de seguir o caminho comum a todos os seres vivos da Igreja.  Um óleo te libertou, e de uma escrava do Inimigo te fez filha de Deus. Um óleo fez de você um soldado de Cristo. Que um óleo te faça parte do Reino. A alma que entra na glória torna-se rainha. E para os reis, você leu, a unção era necessária. Eu quero que até mesmo as sombras dos pecados passados ​​sejam canceladas de você. Quando chegar a hora, você deve vir ao meu encontro, virgem sábia e prudente, com todos os adornos apropriados para casamentos. A dor é uma grande absolvição quando sofrida com santidade. Mas, repito, nem mesmo a minha carícia deve levá-lo a pensar que está isento dos deveres de todos. a pérola escondida, que só Jesus sabe, não deve, aos olhos do mundo, ser diferente das almas irmãs que, pela vontade do vosso Senhor, se transformam menos em jóia do que vós».

35 – O poder de amar a Deus
10 de setembro de 1943

Jesus diz: «Filha, vamos ler juntos os últimos versículos de Eclesiastes. Se ele foi muito sábio, eu sou a Sabedoria de Deus. Portanto, infinitamente superior a ele, e como tal instruo meu povo. Eu o instruí por 20 séculos. Comecei a instrução com a minha Palavra e continuei através da palavra dos meus amados servos. Mas entre os instruídos do meu povo tenho discípulos favoritos para quem o Mestre se torna mais que um mestre: um amigo, e com a riqueza de um rei abre as portas dos tesouros das confidências e revelações. Eu tomo estes queridos pela mão e os levo comigo aos segredos escondidos e os faço capazes de receber minha Palavra, dada com uma amplitude que é reservada aos meus novos Joãos. Meu pequeno João, eu confio em você com minha Palavra. Transmita-o aos professores, para que o usem para o bem das criaturas. Ela vem do Único Pastor, do bom Pastor que escreveu a verdade da sua Palavra com o seu Sangue. Quando um Chefe do mundo, quando um Gênio da Terra, confia a um fiel seguidor uma bandeira ‘sagra’ ou um segredo precioso, quando eles transmitem um slogan ou a fórmula de uma invenção, Com que sagrado respeito os fiéis a carregam e a transmitem! Mas sou muito mais do que um chefe ou um gênio. Eu sou Deus, Palavra e Sabedoria do Pai, vosso Senhor e Redentor. A Minha Palavra não serve apenas para dar um bem à Terra, mas para dar o Bem que não morre: a Vida eterna. É por isso que não há nada mais sagrado e precioso do que a minha Palavra. Receba-o com sua alma de joelhos e que seu amor seja o incenso que purifica seu coração que o recebe, sua mão que o escreve, sua boca que o repete, seu olho que o lê. Viva como um anjo e como um sacerdote, porque eu lhe permiti ouvir o que os anjos ouvem e o que, por espiritualidade e missão, é semelhante ao grande João, apóstolo e evangelista  sacerdotes. E vive cada vez mais como vítima, porque o sacrifício é o que abre os ouvidos do espírito, e o sangue lava a língua que fala do Senhor. Nestes dias que antecedem a festa da Cruz, tenho uma imensa necessidade de almas crucificadas. Faça-Me a caridade de sofrer por Mim. Creia em seu Jesus! Se eu pudesse voltar para a Cruz por você, como, como eu voltaria! Mas não posso 2. E entre tanto sangue inimigo, que com ódio fratricida o homem espalha sobre a Terra, falta o meu sangue, que não posso mais derramar da Cruz por ti. Enquanto eu transformo as espécies do Pão e do Vinho no Corpo e Sangue de Cristo nos altares da terra – muito poucos, e muito poucos rodeados de almas verdadeiramente orantes – vocês, meus pequenos, flores queridas do meu jardim, substitui o Redentor e dá-me o teu corpo como hóstia de propiciação pelos pecados do mundo. Minha filha, não procure mais nada, digo também com Eclesiastes. O que mais você quer além da missão de ser um pequeno Cristo ao invés do seu Jesus?

E o que você quer maior do que a minha Palavra? Deus é simples. Quanto mais perto você chegar Dele, mais simples você se tornará. Cada vez mais sentirás em ti o tédio e a vaidade da ciência humana, mesmo aquela que se dirige a Deus, mas que é escrita pelo homem. Quanto mais Deus falar com você, mais você notará o sofrimento do som áspero e amargo das palavras humanas em comparação com o tom doce e sobrenatural da minha palavra. Não se canse com muitas doutrinas, não atrapalhe muitos regulamentos. Seja simples e gratuito. Que em você é apenas o jugo leve que não é peso, mas asa: meu. Você só tem que fazer uma coisa para vir a Mim sem erro. Aquele que o Eclesiastes aconselha, mas que modifico assim: “Ame a Deus e observe os seus mandamentos”. Não digo: “temor”, digo “amor”. O amor é muito mais alto que o medo e tem mais certeza de chegar ao fim “O medo é para aqueles que ainda estão longe de Deus, para que não se desviem. Como um cego, ele impede que a bestialidade encerrada no homem se imponha diante de qualquer sombra sedutora ilusória. Mas para aqueles que já estão perto de Deus, acima tudo para aqueles que estão nos braços de Deus, o guia deve ser o amor. Deus julgará todas as suas ações. Mas é natural que as ações movidas pelo amor nunca sejam completamente más e de modo a desagradar ao Senhor. Elas terão o sinal de sua brevidade humana, mas será coberto pela insígnia deslumbrante do amor que cancela os pecados e torna as ações do homem agradáveis ​​diante do Senhor. Isso mesmo, minha filha. Enquanto o mundo está cheio de clamor homicida e o ódio transborda dos corações, nós dois que nos amamos, em silêncio e em paz, falamos de amor. E não há nada que faça o vosso Jesus tão feliz como estas, minhas pequenas Betanias, em que sou o Mestre que repousa e que ensina uma Maria apaixonada que o olha e o escuta com todo o seu amor. Ontem você não conseguiu escrever o que eu te disse? Não importa. Não se atormente. A semente dessas palavras está em você de qualquer maneira. Sempre que eu quiser, farei germinar. E vai ficar ainda mais bonito. Seja sempre gentil e paciente. dou-te a minha paz». 

36 – A bandeira de cristo juiz

14 de setembro Jesus diz: «Chama-se “Festa da Santa Cruz”. Seria melhor dizer “Festa do Sacrifício”, porque na Cruz se realizou a apoteose do meu Sacrifício como Redentor. E dizendo: do sacrifício, pode-se dizer “do Sangue”, porque na Cruz terminei de derramar meu Sangue até a última gota, até quando não for mais sangue, mas soro de sangue: a última transudação de um corpo que morre . Quanto sangue, Maria! E eu o derramei em todos os lugares, para santificar tudo e todos. Também este meu sofrimento e sangramento em vários lugares tem sua razão, que você não investiga, mas que eu, para a festa da Cruz, quero revelar a você. Eu o derramei no Getsêmani, pomar e olival, para santificar o campo e as obras do campo. O campo criado por meu Pai com suas colheitas, suas videiras, suas plantas frutíferas, suas plantas menores, mas todas úteis ao homem e do qual o Pai ensinou o uso e cultivo, com ensinamentos sobrenaturais, aos primeiros homens da terra. Eu o derramei lá para santificar a terra e os trabalhadores da terra, entre os quais também estão incluídos os pastores das diferentes espécies de animais concedidos pelo Pai ao homem para sua ajuda e sustento. Derramei meu Sangue no Templo, porque já estava ferido por pedras e paus, para santificar o futuro Templo no Templo de Jerusalém, cujo cimento começou naquele tempo: minha Igreja e todas as igrejas, casas de Deus, e de seus ministros. Também o derramei no Sinédrio porque, além da Igreja, também representava a Ciência. E só eu sei o quanto a ciência humana precisa de santificação, que se serve para negar a Verdade e não para crer cada vez mais nela, vendo Deus através das descobertas de sua inteligência. Eu o derramei no palácio de Herodes, para todos os reis da terra, investidos por Mim com o poder humano supremo para a proteção de seus povos e a moralidade de seus estados. Também nos palácios só eu sei quanto, quanto, quanta necessidade seria lembrar que U não é apenas Rei: o Rei dos reis, e que Suas Leis são a lei soberana também sobre os reis da terra, que são tais enquanto eu não deveria intervir para privá-los da coroa da qual, seja por culpa óbvia e pessoal ou por fraqueza – falta imaterial, mas não menos condenável e condenável porque é causa de muitos danos – já não são dignos . E assim derramei meu Sangue no Pretório onde residia a Autoridade. Sejam o que forem, porque são, até que sejam as autoridades, o poder, já vos disse há muito tempo 112. O que devem ser para não serem amaldiçoados pelo eterno Justo, só podem obter em virtude da obediência a minha Lei de amor e justiça e do meu preciosíssimo Sangue, que vence o pecado dos corações e fortalece os espíritos, tornando-os capazes de agir em santidade, mesmo quando os acontecimentos, permitidos por Deus para testar uma Nação e castigar outra Nação, levem à Autoridade prevalecente não é do mesmo País, mas do País vitorioso e opressor. Acima de tudo, neste caso, a Autoridade deve lembrar que é assim por permissão de Deus e sempre com um propósito baseado na santificação de ambas as partes. Daí a necessidade de não usar o poder para prejudicar a si mesmo e aos oprimidos e dominados com um abuso injusto de poder. Eu dei meu Sangue, espargindo-o como chuva santa na casa de Pilatos, para redimir esta classe na Terra que tem uma necessidade infinita de ser redimida, porque desde que o mundo existe, ela acreditou que poderia tornar lícito o que não é . Eu ruborizei os soldados flagelados com cada vez maior aspersão de sangue para infundir nas milícias um senso de humanidade no episódio doloroso das guerras, doenças malditas que sempre ressurgem porque vocês não sabem extirpar o veneno do ódio e injetar amor em si mesmos . O soldado deve lutar, tal é a lei do seu dever, e não será punido por lutar e matar porque a obediência o justifica. Mas ele será punido por Mim quando, em sua luta, usar a crueldade e permitir abusos que não são necessários e que, 112 Por exemplo, nos ditados de 30 de junho, 28 de julho e, mais amplamente, 29 e 30 de julho 191 além disso, são sempre amaldiçoados por Mim por inúteis e contrários à justiça, que deve ser sempre justiça mesmo quando uma vitória humana exalta ou um ódio racial desperta sentimentos contrários à justiça. Meu Sangue molhou as ruas da Cidade, deixando vestígios que, embora não sejam mais vistos, permaneceram e permanecerão eternamente presentes nas mentes dos habitantes dos mais altos Céus. Quis santificar as ruas por onde passa tanta gente e se comete tanto mal. E se você pensa que meu Sangue derramado por toda parte não santificou todos os ministros da Igreja, não santificou os palácios, nem as autoridades, nem as milícias, nem as pessoas, nem a ciência, nem as cidades, nem as ruas e nem mesmo os campos, eu te respondo que eu derramei de qualquer maneira mesmo sabendo que para muitos seria uma acusação de condenação ao invés de ser salvação segundo o fim para quem o derramou, e eu o derramei para aqueles poucos da Igreja, da Ciência, do Poder, dos Exércitos, do Povo, das Cidades, do Campo, que souberam coletá-lo e entender sua voz de amor e seguir essa voz em seus mandamentos. Bem-aventurados eles, para sempre! Mas o último Sangue não foi derramado nos torrões, nas pedras, nos rostos e nas roupas, em lugares onde a água de Deus ou a mão do homem pudessem lavá-lo e dissolvê-lo. o último sangue, recolhido entre o peito e o coração que já estava congelando e brotou no último ultraje – para que no Filho de Deus e do Homem não ficasse uma gota de líquido vital e eu fosse realmente o Cordeiro imolado para o holocausto agradável ao Senhor, as últimas gotas do meu Sangue não foram espalhadas. Havia uma Mãe debaixo daquela Cruz! Uma Mãe que pudesse finalmente abraçar o madeiro da Cruz, erguer-se em direção à sua Criatura morta, beijar Seus pés trespassados ​​e encolhidos no último espasmo, e recolher em seu véu virginal as últimas gotas do Sangue de seu Filho que escorria do aberto lado e regou meu corpo sem fôlego. Minha mãe mais dolorosa! Desde o meu nascimento até a minha morte Ela também teve que sofrer por isso: por não poder dar à sua criatura aquelas primeiras e últimas consolações que até o mais miserável dos filhos do homem tem no nascimento e na morte, e com seu véu teve que fazer roupas para o Filho recém-nascido e uma mortalha para o sangramento Filho. Esse Sangue não foi perdido. Ela é e vive e brilha no véu da Virgem. A púrpura divina sobre a inocência virginal será a bandeira de Cristo Juiz no dia do Juízo». 

36 O período de paz acaba com o fim do mundo

16 de setembro de 1943

Jesus diz: «Não é no sentido em que você entende. A hora da paz e do perdão chegará também para vocês italianos, a hora em que vocês fortalecerão novamente sua aliança com o Senhor depois de terem estado nas mãos de Satanás que os maltratou como se você fosse um novelo de linha em suas mãos . de uma raiva louca. Mas as palavras de Joel (cap.H, v.18-32) não são ditas particularmente para este ou aquele povo. São para o meu povo, para o povo do Uno, Verdadeiro, Grande Rei: do Senhor teu Deus, Uno e Trino, Criador e Redentor do gênero humano. Esse período de bem-estar de que fala Joel é o anúncio antecipado do que João fala em seu Apocalipse muito mais tarde. Após as tremendas guerras que Satanás trará à Terra através de seu Mensageiro das trevas, o Anticristo, chegará o período de trégua em que, depois de ter mostrado a você com a prova sangrenta de quais dons Satanás pode ser o autor, tentarei atraí-lo para Mim, cobrindo-o com meus dons. Oh! meus presentes! Eles serão sua doçura! Você não conhecerá a fome, o caos, as calamidades. Seus corpos e mais suas almas serão acariciados por minha mão, a Terra parecerá nascer para uma segunda criação, totalmente nova nos sentimentos que serão de paz e harmonia entre os povos e de paz entre o Céu e a Terra, porque eu vou espalhe sobre ti o meu Espírito que te penetrará e te dará a visão sobrenatural dos decretos de Deus. Será o Reino do Espírito. O Reino de Deus, o que você pede – e você não sabe o que você pede porque você nunca reflete – com o Pai Nosso. Onde você quer que o Reino de Deus seja realizado se não em seus corações? É a partir daí que meu Reino na Terra deve começar. Grande reino, mas sempre limitado. Depois, o Reino virá sem limites, nem de terra, nem de tempo. O Reino eterno que vos fará eternos habitantes do Céu, porque, naturalmente, falo aos meus súditos e não aos réprobos que já têm o seu horrível rei: Satanás. Teu Deus fará todos os prodígios para atrair para Si o maior número de seres viventes, porque sou um Deus de Misericórdia, de Perdão e de um Amor tão infinito que por mais que pudesses estudar e penetrar na sua medida, não consiga. O que você acredita ser o infinito do meu amor por você é como um pequeno seixo da margem de um rio comparado a toda uma cadeia de montanhas, cujas bases dividem os continentes e cujos topos estão cingidos entre as nuvens. Mas você acredita que tantos prodígios de Amor e tantas luzes do Espírito converterão os homens ao seu Deus Eterno? 

Desiluda-se. Se eu tivesse o cuidado que terei convosco pelas necessidades do vosso corpo -só estas- para com os pobres animais desprovidos de razão, esses animais, com as suas linguagens informes, louvariam-Me do amanhecer ao anoitecer, e se soubessem onde encontre-me, eles partiriam de todas as partes do globo para vir e agradecer ao seu caridoso Tutor. Mas não homens. Eles são praticamente totalmente surdos às vozes e dons espirituais, e quase totalmente surdos aos dons corporais, em vez de reconhecer minha Bondade 194 e me amar por gratidão, Aproveitarão o bem-estar que lhes darei para descer cada vez mais ao abismo de que gostam, onde chafurdam como bestas imundas em um pântano, e o que seduz os nove décimos da humanidade os espera: ganância, luxúria , fraude, violência, roubo, heresia, superstições e outras corrupções dos sentidos e da mente, tão horríveis que parece impossível aos honestos que possam ser verdadeiras, mas são verdadeiras e fazem os Céus avermelharem e agitarem nossa Divindade com indignação. Nem a dádiva paterna dos dons nem os sinais aterradores do céu poderão fazer dos vivos naquele tempo filhos de Deus. E então meu grande e terrível dia chegará. Não é um dia de vinte e quatro horas. Meu tempo tem uma medida diferente. Eu disse “dia” porque no dia a gente trabalha, e eu vou trabalhar nessa hora. Farei a última seleção dos vivos na terra. E isso ocorrerá no último ataque de Satanás. Então serão vistos os que têm em si o Reino de Deus e os que têm o reino de Satanás. Porque estes últimos com boca, atos e sobretudo com coração blasfemo cometerão o último desprezo à minha Lei e os últimos sacrilégios a Deus, enquanto os primeiros, os filhos e súditos do Senhor – enquanto a última batalha acontecer a Terra com um horror indescritível – agarrar-se-ão à minha Cruz, invocarão o meu Nome que salva; e minha vinda como Juiz não os aterrorizará, pelo contrário, será a alegria deles porque os fiéis são os salvos, aqueles que Joel chama de “restos” do Senhor, ou seja, aqueles que permanecem para o Senhor após os assaltos de Satanás. Abençoados, abençoados, abençoados para sempre esses meus filhos. Deles é o paraíso eterno. Unidos com os fiéis ao Senhor de todos os tempos, eles possuirão Deus cuja posse é a bem-aventurança eterna». Desde esta manhã parecia que Jesus me fez descansar, depois de ter dito o “Veni, Sancte Spiritus” como é meu costume, eu abri a Bíblia ao acaso. Coincidentemente era o segundo capítulo do livro de Joel, e precisamente os versos que vão do número 18 ao 32. Dei a essas palavras uma interpretação tal como meu coração italiano sonha com todas as suas forças. Mas Jesus me explica um significado muito maior… e Maria, como um jumento, escreve dizendo para si mesma que só o Senhor é sábio.

Compartilhe a Divina Vontade