12º MEDITAÇÃO DO ANJO DA GUARDA DE MARIA VALTORTA – CORPUS CHRIST


CORPUS CHRISTI
Introdução: Sal 81 (80): 17, 2
Colete: Senhor, o Senhor nos deixou neste maravilhoso sacramento um memorial da Tua paixão: concede-nos, oramos, para venerar os sagrados mistérios do Teu Corpo
e Sangue, para que possamos sempre encontrar em nós o fruto da Tua redenção. Você que é Deus, vivendo e reinando.
Epístola: 1 Co 11: 23-29 Gradual: Sal 145 (144): 15-16 Aleluia: JN 6: 56-57
Seqüência: Lauda Sion.
Evangelho: JN 6: 56-59
Ofertório: Lv 21: 6
Segredo: Senhor, pedimos a Ti, misericordiosamente concede à Tua Igreja os dons da unidade e da paz que são simbolizados em um mistério sob os dons que nós
oferta. Por meio de nosso
Senhor. Comunhão: 1 Co 11: 26-27
Pós-comunhão: Concede-nos, Senhor, nós oramos, para sermos preenchidos com o gozo eterno de Tua divindade, que é prefigurado por nossa recepção aqui no tempo,
de Seu precioso Corpo e Sangue. Você que é Deus.
20 de junho de 1946
Santo Azarias se anuncia a mim com uma daquelas canções angelicais muito doces e irrepetíveis que ficaram em minha alma como
uma das coisas mais ultra mundanas que já experimentei. A luz e o canto do Paraíso são algo indescritível tanto em sua beleza quanto em
seus efeitos.
Já tendo sido acalmado em meu tormento depois das palavras de meu Jesus anteontem, esta canção me mergulha completamente de novo na
paz plena, alegre, solene e também alegre que tem sido meu elemento desde que me tornei o instrumento de meu adorado Jesus .
E eu ouço esta canção enquanto escrevo, uma melodia pura que não é palavra, que é apenas o som de uma doçura ascendendo à bem-aventurança. Oh, é
inexprimível! Eu escuto … E eu entendo mais coisas neste momento do que em meses de meditação inteiramente por conta própria.
Sei que, passado esse momento, não poderei nem mesmo explicar o que entendi. É muito sublime! Mas o fruto do que
entendi ficará na minha alma ….
Esta canção faz-me compreender o que é a Eucaristia para os Céus, para os que neles habitam … Esta canção ilumina-me
quanto ao ardente desejo angelical de ter este Pão ….
Oh … !

Azarias fala:
“Venha, levante-se, pois, mais do que meditação, esta explicação será contemplação e adoração, e será
identificação com nosso pensamento angelical, que difere muito das explicações usuais do mistério. E difere a partir
do salmo. Ouça.
“Diz-se que a farinha e o mel com que o salmo convoca as pessoas às doçuras eucarísticas são mencionados em
memória do Maná: o pão que chove do céu, como orvalho e semente de coentro, e tem gosto de farinha com mel,
um símbolo de a Eucaristia, dada ao povo judeu.
“Mas eu, anjo, quero que saibais o que pensamos ao contemplar o Filho e a Mãe: o Filho que se fez Pão, e a Mãe,
bendita, de quem também se alimenta alimentando-se Dele. Pois, oh , é verdadeiramente assim! Pois, de que te alimentas,
senão do Pão que é Filho de Maria, Dela, Puro e doce, formado como Homem por meio de Si mesma: com o seu sangue
virgem, com seu leite como Virgem Mãe, com seu amor como Virgem Esposa?
“Sim, Deus te nutre com pura farinha de trigo. A espiga intacta, crescendo em terreno escolhido, no jardim fechado de Deus,
amadurecida no calor do Deus Sol, tornou-se farinha, farinha para dar-te o Pão de Jesus.
“Ela se tornou farinha. Não é apenas uma expressão! Por amor a você, por amor aos homens, Ela se imolou, Ela foi reduzida a
pó entre as pedras de moinho da obediência e da dor Ela, a Intacta, que casamento, Parto , e a Morte foram incapazes de afetar,
violar ou reduzir a pó, como acontece com todo mortal. Só o amor poderia. O amor a entregou à pedra de moinho onde Ela se
tornou a Corredentora, mudando de uma espiga para farinha de trigo ….
“O Filho disse: ‘Se o grão não morre, mais tarde não se torna uma espiga.’ Que mortal, mais do que Maria, aquela que não
estava destinada a morrer, pôde morrer para si e para os afetos pessoais, para dar-vos o Pão da Vida? Ela que não conheceu a
morte provou todas as mortes das renúncias para vos dar o rico fruto do Salvador e Redentor.
“E depois, como a Mãe, Ela o ressuscitou para ti com o melhor de Si, com o seu Leite virginal, e, portanto, ainda com o seu
sangue, que dava movimento ao Coração que batia só por Deus, com o seu sangue transformado em materno amor. Ela o criou
para você com seu calor, com seu cuidado, com todo o mel tirado da rocha intacta, elevando-se alto em direção ao Céu, beijada pelo Deus Sol; e, por fim, Ela O deu de comer, temperado não só com
o mel do seu amor, mas também com o sal do seu choro.
“Oh, Santo! Santa Mãe e Nutridora da Raça Humana! Celeiro Escolhido! Jardim cheio de flores e abelhas douradas!
Jardim fechado e fonte gentil
“O verdadeiro Pão é realmente Jesus, mas também é Maria, também Aquela que tornou a Palavra um Homem para dá-lo
aos homens, para redenção e nutrição. Sabedoria, Vida e Força é este Pão. Mas também é Pureza , Graça e Humildade. Pois
se este Pão é Jesus, este pão é também Maria, que fez Jesus com a farinha do seu corpo e o mel do seu Coração. Pão que
recorda a Divina Paixão. Pão que recorda o verdadeiro Corpo e verdadeiro Sangue de Jesus Cristo, mas Pão que, para ajudálo a ser digno de aproveitar a Redenção, que é a Consumação do Cordeiro no altar da Cruz, deve também lembrar-lhe
Aquele Divino que nela formou aquele Pão Útero.
“Ora, quem é o crente que ofende seu Senhor? E quem é o súdito que ofende seu Rei? E quem é o discípulo
que zomba de seu Mestre? E quem é o filho que ofende sua Mãe? É o crente, o súdito, o discípulo e o filho
pecador, de coração duro, digno de punição. Aquele que por si mesmo cria a condenação, ou melhor, as
condenações. Pois com o tempo se perde a ajuda de Jesus e Maria, na eternidade, a perda da posse de Deus.
“E ainda muitos, esquecidos da advertência de Paulo, vão à Santa Missa sem ‘se examinar’ e comem aquele Pão, bebem aquele
Sangue com uma alma impura, e Pão e Sangue, que são Redenção, tornam-se condenação, sendo sacrilegiosamente recebidos
pelo pecador .
“Ele, o Divino, não se fez Homem e se entregou por isso. Mas para que o homem se tornasse deus. Não se fez Pão para
te dar a morte, mas para te dar a Vida. Louco de amor, depois de ter salvado e redimiu vocês, Ele quis viver em vocês,
crucificadores, e fazer de vocês deuses, pois o amor sublime tem esses paradoxos sublimes. Sendo Deus, Ele se fez Homem,
e os homens o mataram, e Ele queria fazer dos homens deuses. E Ele faz deuses com a Eucaristia que, bem recebida, te
transubstancia n’Ele, como diz Paulo: ‘Eu não vivo, mas Cristo vive em mim’.
“Homens destinados a morrer – destinados a morrer eternamente, pois o pecado original sempre mantém as toxinas da morte ativas em você, e você
pode pereceis a qualquer momento, apesar da Graça que o Redentor vos restituiu com a sua imolação e os seus sacramentos,
criados por Ele e vivificados com os seus méritos – podes combater a morte com a Vida: com a Eucaristia.
“Ele disse assim: ‘Se você não comer a Carne do Filho do Homem e beber o seu Sangue, você não terá vida em você. Quem
comer a minha Carne e beber o meu Sangue terá Vida Eterna, e Eu o ressuscitarei no último dia.’ E também: ‘Eu vim para que
tenham Vida e a tenham em abundância …. Por isso dou a minha vida ….
“Mas ai daqueles que conscientemente fazem do Pão do Céu a sua condenação, a toxina que mata, usando sacrilegiosamente o
sacramento mais sublime. E prejudica também quem limita o seu poder transformador ao recebê-lo com indiferença e mornidão,
sem uma verdadeira vontade de transformar-se, em Deus e com a ajuda de Deus, para ser cada vez mais digno de recebê-la.
“Vida eucarística: vida de fusão. A comunhão não cessa quando você sai da Igreja ou quando as espécies se consumiram em
você. Vive. Não mais materialmente. Mas ainda vive, com seus frutos, com seus ardores, com a coabitação -ou, antes, a habitação
de Cristo em vós – com a vossa frutificação em Cristo, pois ‘o rebento que permanece unido à videira dá fruto’, e ‘aqueles que
permanecem em mim e nos quais eu permaneço dão muito fruto.’
«Vida eucarística: vida de amor. Tanto através daquilo que a Eucaristia, memorial do amor, como do amor como fonte e
fornalha, transmite a quem a recebe – e é inegável que onde há boa vontade, mesmo que a criatura esteja fraca e amorfa, a
Eucaristia é vista como trazendo um aumento na formação, um fortalecimento da vontade, uma transformação do sentimento de
morno para ardente, do desejo de fraco para forte, da obediência ao preceito de receber a Comunhão nas Festas em fome de fazer
assim, todos os dias – e através daquilo que a alma contribui por si própria, cada vez mais assistida pela graça do Sacramento.
«A Eucaristia mantém Cristo presente em todas as suas operações como Cristo. A sua Encarnação: a Eucaristia é uma Encarnação
perpétua de Cristo. A sua vida oculta: o Tabernáculo é uma casa contínua em Nazaré. A sua vida de trabalhador: Jesus Eucaristia é o artesão
incansável que trabalha as almas. Sua missão de sacerdote ao lado dos moribundos ou sofredores: como foi ao lado da cama de José
moribundo, e com todos os que se dirigiram a ele para serem consolados, Jesus está agora ali para consolar, aconselhar, fortalecer e
pergunte, como Ele pediu aos dois de Emaús, ‘Por que você está triste?’; e para ficar com você, como um amigo e cireneu, como ‘a noite cai e o dia vai
minguando,’ como o caminho da cruz e a imolação final são consumidos.
“Ele está ali, como quando evangelizou as multidões e disse: ‘Tenho pena dessas pessoas. Vamos dar-lhes pão para que não
morram no caminho’; e, como então, Ele vos evangeliza nas virtudes da caridade , humildade, paciência e mansidão. Um Cordeiro,
mais do que nunca um Cordeiro que não abre sua boca diante de quem O golpeia, Ele, em seu silêncio externo, fala a você com as
torrentes de centelhas divinas que emergem da Santíssima Hóstia em que sua Divindade se aniquila e diz a você: ‘Sede meus
imitadores em generosidade, mansidão, humildade e misericórdia.’ E, a partir de quinta-feira à noite até a hora nona, Ele os ensina
a serem redentores ….
“Maria, uma vez eu disse a você que Jesus Cristo é ‘o compêndio de o amor de os três.’ Agora eudizer-lhe que a Eucaristia
‘é o compêndio de o amor de Jesus, em quem o compêndio de o Amor Tríplice Perfeito já está presente. ‘ E deixe isso te
contar tudo.
«Jesus Eucaristia ensina-vos a falar e a calar, a trabalhar e a contemplar, a sofrer e a humilhar-vos e,
sobretudo, a amar e amar e amar.
“O Espírito Santo dá as luzes para compreender. Mas o Verbo Encarnado, que se tornou Eucaristia, dá o fogo a
falar e converter por meio da caridade, que destrói as heresias, cura os corações, preenche eles com o conhecimento de
Deus, e os guia para Deus. E Ele lhes dá o ardor para serem mártires. Dos lábios da criatura eucarística flui a Sabedoria, pois
a vida eucarística é também a vida da Sabedoria, e deste coração surge o heroísmo, pois a Eucaristia comunica Cristo. O
mais sagrado e perfeito herói. E a vida eucarística é vida apostólica, pois Cristo dentro de vocês os transforma em apóstolos,
e o grau apostólico mais ou menos poderoso nunca é separado do grau de vida eucarística alcançado.
«E, por fim, a vida eucarística é a vida deificada pela Carne e pelo Sangue, pela Alma e pela Divindade de Jesus, que
desce a ti para habitar em ti.
“Você chama os vasos eucarísticos, os tabernáculos e tudo o que toca o Santíssimo Sacramento ‘sagrado.’ Mas é apenas um recipiente
ou um ser tocado. Uma ação externa, portanto. E ainda assim impressiona um personagem sagrado no objeto cujo destino é
conter ou tocar a Eucaristia, pois a Santa Hóstia é o Corpo do Senhor Jesus.
“Mas, então, o que sua o corpo se tornará, em cujo interior o Santíssimo Corpo desce e se desvanece na espécie, absorvido,
como todo alimento do homem, pelos sucos que o transformam em seu sangue? Voce entende? Em seu sangue. Seu sangue, o
sangue de vocês que se alimentam da Santíssima Eucaristia, contém – não metaforicamente – o que foi a Espécie do Corpo
Santíssimo, assim como o seu espírito retém a graça que emana deste Corpo completo, dotado de Carne, Sangue, e Alma, como a
de todo homem, e, além disso, com a Divindade, pois é o Corpo do Verbo Divino.
“Se o teu corpo fosse santo porque é o templo do Espírito Santo, que desce em ti e respira, o que deveria ser para ser
um tabernáculo digno para o Deus que vem habitar em ti – ainda mais: para se fundir contigo , para vir a ser você-e, uma
vez que o Maior não pode ser absorvido pelo menor: para absorvê-lo, para fazer você se tornar Ele, isto é, deuses, como Ele
é Deus? Digo-te: deves imitar com todo o esforço a Virgem, a quem o Verbo se uniu a ponto de se tornar carne de sua carne
e sangue de seu sangue, e dela receber a vida, obedecendo aos movimentos do coração de sua Mãe, de sua Mãe. leis vitais,
para se formar e ser Jesus.
“Cristo, quando concebido, obedeceu à sua Mãe. Mas a Mãe a que pureza superabundante Ela se levou, Ela, já a TodoPura, para colocar ao redor do Divino um Santo dos Santos ainda mais seleto do que aquele que brilha em Moriah! Ela
própria um tabernáculo celestial, um trono celestial, para que Deus ainda pudesse viver no Céu, tanto quanto possível,
antes de sofrer com os contatos do mundo.
«Devem agir assim os que amam Jesus. Fazem-se recônditos celestiais, para que neles a Eucaristia viva ainda num
Céu pulsante e adorador, preservado do fedor e da blasfémia do mundo.
“E neste pequeno Paraíso, no seu pequeno Paraíso, no qual, se é assim, realmente não falta nada – pois os Três estão
presentes na Eucaristia, inseparáveis embora sejam Três, formando a Unidade sublime que se chama Trindade, e a
caridade de Maria e dos santos não está ausente, adorando sempre onde está o Senhor, nem os coros angelicais ausentes,
com seus hinos que te levam ao céu – sê capaz de louvar com palavras, mas com amor.
Seja capaz de elogiar. Não tenha medo de elogiar demais. Jesus Eucaristia merece louvor incomensurável
porque seu milagre de poder e amor é superior a todo louvor humano.
“Alma minha, não vou comentar para você a seqüência perfeita do grande e santo Tomé. Simples e profundo, como
todas as coisas que vêm de Deus, é auto-explicativo. Eu, no entanto, digo-lhe o seguinte: Tomé, aquele que ama a Eucaristia,
sua Luz e Mestre em compreender as verdades teológicas e torná-las compreensíveis, pois ele compôs nada mais fez do
que escute o que estava subindo de seu espírito com uma voz de luz. Ou seja, Tomás de Aquino era então uma ‘voz’
transmitindo o que o Divino Amado dizia para a alegria de seu adorador.
“Mas é sempre assim, alma minha. Quando Ele fala com você, Ele o faz para sua alegria. Quando um ‘nenhuma coisa’ diz o que
os anjos mal podem exprimir, é porque Ele fala ou concede que um cidadão dos Céus possa falar-vos, para a vossa instrução e para
a instrução dos vossos irmãos. Ele é o Bom Pastor que o conduz às pastagens que florescem com flores de verdade e sabedoria. Ele
é o Amor que te sacia e te dá palavras. Ele mesmo. Palavra e comida.
Ele se dá e produz frutos diversos, sempre como a Eucaristia, conforme seja recebido pelo bem ou pelo não.
E é justo que assim seja, porque a Palavra é Eucaristia e a Eucaristia permanece a Palavra sob uma forma
diferente, mas com a mesma santidade divina. Visto que são, então, um e o mesmo, os dons e os frutos
produzidos são idênticos: Vida, Sabedoria, Santidade, Graça.

“A comunhão pode ser chamada de Verbo e Pão. Pois a primeira é a Comunhão do Espírito de Deus para o espírito e intelecto
do homem, e a última é a Comunhão de Deus Carne e Sangue para todo o homem, para transformá-lo em Deus pela operação da
santíssima graça e infinito amor.
“Como com a Comunhão do Pão Angélico, digo-vos, também no que diz respeito à Palavra: nunca a recebais indignamente,
para que não seja ‘morte’ para vós, mas com um espírito reto, humilde, obediente, cheio de amor, sacia-te com ela e com a
Eucaristia no tempo para com ela ser rico para a eternidade, porque estes Alimentos, que vêm do Céu, se ajudam e se completam,
dando a Vida plena e eterna segundo a promessa da Palavra de Jesus: ‘Quem guarda minhas palavras não verão a morte na
eternidade, ‘e J ‘Quem comer este Pão viverá para sempre. ‘
“Aleluia! Aleluia! Aleluia!”
Três aleluias penetrantes e então a canção inexprimível novamente que anula toda dor, ansiedade e cuidado e me submerge na brisa
dos céus ….

MISSA SANTA NA OITAVA DE CORPUS CHRISTI

Introdução: Sal 18 (17): 19-20,2-3
Colete: Concede, Senhor, que possamos ter um temor perpétuo e amor ao Teu santo nome; pois Você nunca falha em dirigir e governar aqueles a quem Você estabelece em
a firmeza do Seu amor. Por meio de nosso Senhor.
Epístola: 1 JN 3: 13-18 Gradual: Sal 120 (119): 1-2 Aleluia: Sal
7: 2
Evangelho: Lk 14: 16-24
Ofertório: Sl 6: 5
Segredo: Senhor, que possamos ser limpos por este sacrifício, que deve ser oferecido em Teu nome; para que a cada dia nossa vida na terra se torne mais parecida com a vida
do céu. Por meio de nosso
Senhor. Comunhão: Sl 13 (12): 6
Pós-comunhão: Tendo recebido Seus sagrados dons, imploramos a Ti, Senhor, que por nossa assistência assídua nestes sagrados mistérios, eles possam ainda mais
certamente valem para nossa salvação. Por meio de nosso Senhor.
23 de junho de 1946

Azarias diz:
“No passado, no presente, no tempo futuro e no tempo eterno, o Senhor separou você e o salvou porque Ele o amou, e
Ele o salva e irá salvá-lo porque Ele o ama. Mas você deve reconhecê-Lo e temer Não. Você sempre O reconheceu, mesmo
quando o seu amor ainda era muito imperfeito e combatido pela juventude e pelas provações e tristezas da sua
juventude.Você deve reconhecê-Lo agora também, e sempre, até que esteja com Ele.
“As ações dos outros não devem permanecer como véus espessos entre Ele e você, de tal forma que você não conheça mais o
seu Rosto, a sua Voz, o seu amor, a sua paz e a sua verdade. Não direi uma palavra sobre aqueles que destroem a paz e confiança
de coração com seu modo de agir, que desanima as almas e as torna duvidosas. Mas eu te digo: suas ações, mesmo que te feram,
não devem derrotá-lo com medos e dúvidas sobre a verdade da Voz e seus origem.
“O Senhor cuidou de você, pobre alma, e você O reconheceu. Pois não é possível se enganar entre Deus e Satanás, entre
as vozes celestiais e infernais, se quem as ouve não leva em conta as delícias do palavras, mas os efeitos que elas
produzem. Satanás pode imitar Deus na palavra, mas não pode comunica aquela graça e paz que as palavras de Deus ou dos espíritos de luz produzem. Ele não pode produzir graça e santidade porque suas palavras estão sempre misturadas com insinuações que não podem ser aceitas por uma alma na graça. E ele não pode produzir uma sensação de
paz porque a alma em graça começa com horror às vozes infernais, e mesmo que o indivíduo não tenha outros sinais para reconhecer quem é o
espírito que fala, este estremecimento da alma é suficiente para dar ao homem o sinal de que é a escuridão que está se manifestando naquele
momento. Satanás pode enganar os pecadores atordoados pelo pecado, os irrefletidos e irrefletidos, os curiosos que, por desejo excessivo de
conhecimento, imprudentemente se aproximam de todas as fontes. Mas ele não pode enganar um espírito reto unido a Deus. Tudo o que ele pode
fazer é perturbá-lo, aproximando-se dele ou ferindo-o por sua própria ação, ou pelos desafortunados que, raramente percebendo que o estão
fazendo, muito mais prontamente inconscientes de fazê-lo, em um dado momento são instrumentos usados por Satanás para causar dor e
consternação aos instrumentos de Deus. Mas então Deus intervém e leva você para longe, para o claro, e o salva, banhando-o em seu oceano de paz
e amor. Como Ele fez com você, porque Ele o ama.
“Hoje é também a vigília da Natividade do Batista, e a
A introdução daquela Santa Missa canta: ‘Não temas, ó Zacarias, pois eu a tua oração foi ouvida … ‘Digo-te:’ Não temas, ó
Maria, porque a tua oração foi ouvida. ‘ Jesus ouve as orações daqueles que O amam. E Ele interveio para que você não
pereça em um mar de abatimento. Mas, não falando só a vocês, mas a todas as almas, digo que o Senhor sempre ama e
traz para a luz, para a segurança, aqueles que se confiam a Ele sem medo.
“Supere o medo que paralisa o amor, a confiança e a oração. Supere o medo que ainda mostra em você a ignorância de Deus e
de seu poder, e também mostra uma fé em Deus que não é boa. A fé boa e verdadeira é humilde e aceita tudo , pois diz: ‘Se Deus
assim o diz ou me manda dizer, é um sinal de que é algo verdadeiro’. Mas essa fé total nunca está associada ao medo,
desconfiança, dúvida ou, pior ainda, uma teimosa e íntima persuasão de que Deus não pode fazer tal e tal coisa. Deus pode fazer
tudo. Você deve esperar que Deus seja capaz de fazer tudo. Você deve acreditar que Deus pode fazer tudo.
“Não mate o amor com dúvida ou negação – nunca. Não quebre a cadeia do amor que une você a Deus com a afirmação dos
duvidosos ou daqueles que querem julgar a Deus segundo a sua medida – a afirmação de Zacarias que foi assim castigada :
‘Como isso é possível se … Zacarias permaneceu com sua pergunta selada em seus lábios até que ele foi novamente capaz de crer e louvar
ao Senhor, reconhecendo que Ele era capaz de operar todos os prodígios.
“Ó queridas almas, nunca mereçam o castigo da mudez espiritual pela desconfiança do Todo-Poderoso. E orem para serem mantidas
neste espírito de fé absoluta no Senhor vosso Deus e do temor unido ao amor do Bendito Senhor, conforme as Orações de hoje
Convocação da Santa Missa.
“Observe a bela fé do Batista naquele que ele não conhecia, exceto pelo que os profetas falaram sobre Ele. Nada
indicava o Messias no humilde viandante que vinha para as margens do Jordão. Mas a fé, quando é absoluta , quando
se funde com a caridade absoluta, dá a presciência e a possibilidade de ver e compreender Deus, mesmo quando Ele
se oculta sob uma forma aparente de vida comum. E João viu o Divino Messias no homem da Galiléia, e como o santo
temor de Deus o fez um santo, então o amor santíssimo fez dele um vidente.
“O temor de Deus que preserva o homem dos pecados dá certa visão ao espírito do homem, e o espírito que ‘vê’ não pode deixar de
acreditar em Deus e em suas Palavras e assim salvar-se da morte espiritual. João, o Precursor, pregou o medo de Deus para limpar o
caminho para Cristo, que estava vindo para salvar seu povo. Jesus, o Salvador, pregou o amor para conduzir seu povo aos caminhos da
salvação.
“O medo sempre precede o amor; é, por assim dizer, a incubação do amor, a metamorfose do sentimento em um grau superior. O
medo permanece do homem; o amor já pertence ao espírito. O homem que teme a Deus está inegavelmente no caminho certo se seu
temor de Deus é justo – isto é, não ignorante, temor irracional de Deus; mas é sempre o caminho trilhado por alguém que ainda não abriu
suas asas para voar para um conhecimento ainda mais elevado do que Deus é – isto é, Misericórdia e Amor. O homem que teme ainda se
sente ‘punido’ pelo pecado antigo e pelos seus pecados atuais. O homem que ama se sente ‘perdoado’ pelos méritos de Cristo e revestido
por eles, a tal ponto que o Pai não o vê mais como sujeito, mas como filho.O medo é bom para controlar e controlar a matéria, mas o amor
é ótimo para introduzir o calor da santidade no espírito.
“O culpado com o seu medo se arrepende, mas o seu arrependimento permanece mudo e obscuro porque é sufocado, como uma chama
debaixo do alqueire, pelo temor de Deus Juiz. O culpado que se junta o amor ao medo experimenta suspiros, e sua alma já está iluminada, ajudando-o a falar com o Pai e a ver seu estado espiritual pelo qual não só os
pecados graves, mas também os pecados veniais e as imperfeições se revelam como uma camada baixa de grama debaixo de muito árvores altas e,
ao ver, ele pode não só cortar as árvores, mas também arrancar as estelas, deixando o solo limpo para semear ali as virtudes que agradam a Deus.
“O culpado, além do mais, que tem o amor como sua força, não só tem o arrependimento perfeito – porque ele se arrepende, não por
medo do castigo, mas em uma agonia por ter sofrido seu amado Deus – mas no próprio amor recebe seu primeiro absolvição. E, na
verdade, aquele que ama com todo o seu eu raramente chega a pecados mortais. Apenas um ataque súbito e feroz de Satanás e da carne
pode derrubá-lo por um momento. Mas o amor geralmente preserva a pessoa de cair, e o mais forte isto é, os pecados mais fracos estão
na mesma medida, tanto em número como em gravidade, a ponto de serem reduzidos a imperfeições que mal se manifestam em quem
atingiu o absoluto no amor e, portanto, na santidade.
«O apóstolo João, o bendito e amoroso João, dá-te na sua epístola a medida do que a caridade pode fazer e as alturas
que alcança e, por outro lado, mostra-te o abismo em que cai de cabeça quem carece de caridade. ‘Nós saiba que fomos
transferidos da morte para a vida porque amamos nossos irmãos. ‘
“Da morte para a vida! Que frase lapidar, Maria! O homem está morto – ele está morto se não amar. O homem se levanta e adquire vida, depois
de morto, se ele ama. O que é esse milagre? Os pobres, os verdadeiros pobres do mundo – isto é, aqueles que não conhecem a Deus não podem
compreender esta verdade e zombar dela como uma palavra de delírio. Mas quem acredita, realmente acredita, compreende.
“Deus é Caridade. Quem ama, portanto, está em Deus. Quem é que dá ou restaura a vida? Deus. Se Ele tira o homem do
lodo e o vivifica com o sopro divino exalado sobre o barro, ou coopera na procriação de homens ao criar uma alma para o
embrião animal que foi concebido em um ventre – a alma: a vida do homem, que não é uma besta e que, sem esta vida de
sua existência, nem mesmo estaria materialmente vivo, pois o faz não é suficiente para que ele tenha fôlego nas narinas,
como um animal, mas ele deve possuir esta joia espiritual, esta veia espiritual que o mantém unido ao Santíssimo Seio do
seu Criador e alimentado por Aquele que é Espírito e Luz, sabedoria e amor. E, finalmente, se, para aquele que já entregou sua alma, Ele reformula essa alma, levantandoa novamente. É sempre o ato divino de querer que faz viver a criatura.
“Mas a criatura tem uma vida em vida: a sua alma. E a alma, que não morre pela morte física, pois é imortal, pode de
fato morrer se, como eu disse antes, se separar do seio de seu Senhor O ódio – em qualquer forma ou manifestação – é a
faca que corta o laço com o Senhor, e a alma, separada de seu Deus, morre.
“Só a caridade, portanto, torna os mortos vivos. Pois sem a caridade vocês estão mortos. E muitos estavam mortos, a maioria, antes que a
Caridade se fizesse Carne para ensinar o Amor como Salvação.
“O apóstolo João pode dizer com razão, então, que os verdadeiros cristãos sabem que foram transferidos da morte para a vida
por meio da Caridade que os ordenou a amar seus irmãos até o holocausto, dando um exemplo de amor perfeito. O mandamento
do amor , que os bons aceitam, é como o sopro de vida exalado sobre o barro para transformá-lo em Adão, ou o fiat que se repete
a cada infusão de uma alma em um embrião humano, e, acima de tudo, como o grito do Ressurreto -Eu digo a você: Levante-se! e
‘Lázaro, saia!’ – para aqueles que foram ressuscitados na Palestina.
“Deus, que entra novamente com amor, traz os mortos de volta à vida por meio do amor. Mas quem não ama permanece na
morte – isto é, no pecado – porque o pecado, em todas as suas formas, é ódio. O filho que não ama respeita os pais e oprime com
pretensões e egoísmo, quem faz mal ao próximo com violência, roubo, calúnia e adultério é assassino. Não é preciso matar para
ser assassino. Quem faz morrer de vergonha ou de dor , quem leva as almas ao desespero por ações que tiram sua paz e fé e
honra e estima, e meios de trabalhar, de viver, e capacitar os membros de sua família a viver, e quem traz pessoas com sua
ferocidade sanguinária ou sutil perseguição moral para desesperar de Deus e morrer odiando-O também é um assassino de seus
irmãos, e é como se ele tentasse matar Deus, em uma nova crucificação,pois Deus está em seus irmãos e seus irmãos estão em
Deus, de quem eles são filhos, e o assassino de seus irmãos, aquele que odeia seus irmãos materialmente ou moralmente ou
espiritualmente, não os atinge sozinho, mas, por meio deles, ele golpeia Deus e, como todos os deicidas, está morto.
“Os mortos não entram no Reino de Deus. O Reino de Deus é iniciado no espírito do homem na Terra com união com Deus e é completado no Céu com a posse plena de
Deus. Aqui, na Terra, Deus em você; no céu, você em Deus. Mas Deus não entra na putrefação da morte, e a
putrefação da morte não entra no céu. Na Jerusalém eterna, assim como não haverá templos, ‘pois seu templo é o
Senhor, em quem todos existiremos’; assim como não haverá necessidade de sol ou lua, pois seu brilho é Deus, e sua
luminária, o Cordeiro; assim como não haverá portões, pois não haverá mais um Inimigo para ele, ou Trevas para
odiá-lo; então não haverá ninguém impuro e corrupto nele, nada morto, mas somente aqueles que escreveram seus
nomes no Livro da Vida – isto é, na Caridade que é Vida. ‘Disto conhecemos a caridade de Deus:
“Esta é a medida do amor perfeito: a imolação. E JesusLove deu a você com Ele mesmo morto em um cadafalso depois
tendo dado a você doutrina e milagres – isto é, ainda amor, mas não amor perfeito. A perfeição do amor está no sacrifício.
Quando estava no limiar da Paixão, quando já podia dizer que havia terminado sua pregação, quando deveria estar abatido
porque ao rio de palavras faladas ali correspondia apenas um minúsculo riacho de convertidos, Ele mesmo exclamou:
‘Quando eu for levantado da terra, atrairei tudo para mim ‘. Cristo sabia,
portanto, que somente a imolação superaria os obstáculos de Satanás e da carne, e as palavras germinariam sob a chuva de
seu Sangue.
“Imolação. Generosidade. Generosidade material nas obras de misericórdia corporal. Generosidade moral nas obras de misericórdia
espiritual. Supergenerosidade, porque é espiritual, em poder morrer
de amor para dar vida aos espíritos dos irmãos mortos no espírito, comunicando a caridade de que estão privados. O
exemplo é mais sagrado e ativo do que as lições, e a ação é a única
coisa verdadeira. Seja capaz, então, de amar ‘com obras e em verdade’, não apenas com palavras, e a caridade de Deus estará em você.
“E você, alma minha? Para você aqui está a epístola da Santa Missa na véspera de São João Batista. O Senhor já falou
com você há muitos meses sobre esta passagem de Jeremias. Mas ela não fará nenhum mal , para te persuadir de que você
é o que você
É porque Deus quer que você seja isso – e é a vontade de Deus, a palavra de Deus que ocorre e ressoa em você – que você releia as
ações que a Divindade realiza para preparar suas ‘vozes’.
153
Antes de te formar no ventre de sua mãe, eu te conheci. ‘ “Claro, alma minha! Deus não ignora suas criaturas. Ele respeita
sua liberdade de ação; Ele sabe quais caminhos eles passarão para se santificar ou se condenar; Ele vê o que será a causa
do mal ou a causa do bom para eles; Ele já sabe quem se imolará secretamente para contender com Satanás por uma alma,
com o sentido de criatura possuindo essa alma, e coopera com suas luzes, as inspirações e méritos de Jesus, para lutar
contra Satanás e sentir para salvar um filho dele para o céu.
“E Deus, por sua aspiração como Pai, teria desejado apenas santos entre os homens. Mas o Mal é contra o Bem, e se a batalha
aumenta os méritos do vencedor, também é verdade que a batalha deixa muitos dos fracos na lama. …
já que o lactente sorri instintivamente para o seio nutrindo-o sem saber exatamente o que está vindo dele, e
o estende com suas mãozinhas e boca ávida, então você instintivamente estendeu a mão para Ele consigo
mesmo e não quis nada mas ele. Uma ação amorosa mútua que permitiu a Deus formar você e você formar a si
mesmo, para o êxito da Vontade de Deus é sempre formada por duas fontes: o seu amor e o amor da criatura,
fundidos em um único amor e desejo de fazer o que é bom.
“‘Não sei falar’, disse Jeremias. E você disse e disse: ‘Não sou digno. Por que eu? Não pode um nada ser escolhido
por Você?’
“E o Senhor respondeu a Jeremias e a ti: ‘Não fales assim, pois cumprires toda a comissão que te confio e dirás o que te
ordeno. Não temas diante dos homens, porque estou contigo para libertar vocês.’
“Oh, como o Senhor se deleita em coisas humildes e obedientes!

não tema, alma minha; seu ‘nada’ seria capaz apenas de amar. Mas o Senhor estendeu a mão, tocou em sua “vítima” e disse
a você: “Eis que estou colocando minhas palavras em sua boca para o bem de seus irmãos”.
“’Quando eu for elevado, atrairei tudo para mim’, disse o Redentor.
“Você pediu e obteve a cruz e, erguido sobre ela, você esperava, por seu sacrifício, atrair muitos ao Senhor. E o
Senhor deu a você não só este ímã, mas também o outro, a Palavra, para atrair seus irmãos para Deus.
“Permanece na cruz até o fim e atrai os teus irmãos para Deus, sofrendo e recebendo as palavras, morrendo a cada momento e dando
a cada momento, pelo amor, com amor, com um amor que não supera o abatimento: ‘Pois o amor completo é mais forte do que a morte, e
as águas não podem extingui-lo, nem os rios o submergem. ‘ Que a sua nem mesmo seja abalada pela indiferença dos homens ou pelo
rancor de Satanás.
“Fica aí, onde Deus te atraiu: no seu amor. E não temas, pois, antes mesmo de o invocares, Ele age,
libertando a tua alma dos que te perseguem.
“Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo”

Compartilhe a Divina Vontade