MEDITAÇÕES PASCAIS ANJO DA GUARDA DA MARIA VALTORTA


RESSURREIÇÃO DOMINGO
Introdução: Sal 139 (138): 18, 5-6, 1-2
Colete: Senhor, Você destrancou hoje o portão da eternidade pela derrota da morte de Seu Filho unigênito; rogamos-te que a oração que tens
colocados em nossos corações podem ser trazidos à fruição por Sua ajuda contínua. Pelo mesmo Cristo nosso Senhor. Epístola:
1 Co 5: 7-8
Gradual: Sal 118 (117): 24, 1
Aleluia: I Co 5: 7
Evangelho: Mc 16: 1-7
Ofertório: Sal 76 (75): 9-10
Segredo: Aceita, Senhor, oramos, a oração do Teu povo com a oferta das dádivas para o sacrifício, para que o que começamos nestes mistérios de
A Páscoa pode nos ganhar, pela operação do Seu poder, o remédio da vida eterna. Por meio de nosso Senhor.
Comunhão: 1 Co 5: 7-8
Pós-comunhão: Enche-nos, Senhor, do Teu Espírito de amor e da Tua bondade, une na caridade aqueles com quem festejaste esta Páscoa.
sacramentos. Você que é Deus, vivendo e reinando … na unidade do mesmo Espírito Santo.
21 de abril de 1946
Azarias diz:
«O meu Senhor ordena-me que vos transmita estas palavras: ‘Para vosso conforto, digo-vos a palavra do Introit, que a liturgia
possui como se eu a dissesse a meu Pai. Crede na minha Palavra. Ressuscitei e ficar com você. ‘
“Ter o Senhor consigo mesmo é a certeza da ajuda e da paz para não merecer censuras. Conserve-se nesta união e não
tenha medo.
“Por mais de dois meses tenho dito a vocês em nossas Santas Missas, ‘Não temas.’ E um anjo não profere lisonjas vãs. Ele diz a verdade.
Em Nome de Deus, 1, seu guardião, assegure-se de que você não tem motivo para temer, porque o Santíssimo Jesus está com você; sua
Mão traspassada está sobre você para proteja você, e Ele, Sabedoria Encarnada, o instrui e fala com você com a sabedoria maravilhosa que
ultrapassa todas as formas de sabedoria.
«Para conservar estes dons, só tens de conservar-te de modo a poder dizer em verdade àquele que não pode ser enganado:
‘Senhor, tu me sondas e me conheces: tu sabes se me sento ou me levanto. Você sabe, ó Deus que tudo vê, se eu me sentar68
isto é, se me deixo invadir pela preguiça espiritual ou se me levanto para a batalha contínua contra as forças do mal que querem
extinguir-te em mim e extinguir a minha luz, que vem de ti para me transformar em trevas. ” Vós conheceis a verdade das minhas
ações e dos meus sofrimentos, e em nome e na memória de todas as vezes que o Teu Verbo Encarnado foi mal julgado, porque era
mal conhecido, peço-Te que me apoies e me defendes no desânimo que vem do obtuso homens que se esquecem das palavras
“não julguem” ensinadas pela tua Palavra e julgam mesmo o que não sabem. ‘
“Isto é o destino do aqueles que são ‘separados’, nas palavras de Paulo, para não ser compreendido. Meu Senhor falou com
você sobre isso há muito tempo e, por reverência, não vou repetir a lição. Mas você pode lê-lo para compreender e sentir pena da
incapacidade dos homens de compreender os que foram separados por Deus.No paraíso, onde não haverá mais diferenças,
porque toda inteligência, toda sabedoria, toda justiça e toda caridade serão dadas em igual medida com igual posse de Deus, tanto
aqueles que não foram compreendidos porque estavam percorrendo um caminho extraordinário, quanto aqueles que de forma
ordinária chegaram ao mesmo Reino Santo. do Deus vai se entender.
«Por enquanto existe e persiste a incapacidade de compreensão recíproca, como existiu para Cristo e os seus
contemporâneos e para os primeiros apóstolos e discípulos, embora estivessem unidos por um mesmo fim e tendendo a
um mesmo fim. Os Atos falam. E ainda assim eles se amavam. Eles se amavam em um único Cristo. Eles queriam sua glória.
Mas eles eram grandes espíritos em corpos humanos e, portanto, ainda escravos das reações e misérias do homem, deste
homem que nunca morre completamente e tem impulsos inesperados até no mais sagrado. E isso explica em grande parte
aquela fricção e incompatibilidade que, embora permanecendo na superfície do magnífico bloco básico da Igreja Apostólica,
o arranhou, dando a seus inimigos a chance de criticar e tente menosprezá-la.
“Mas o homem é sempre homem. E Deus, mesmo nos melhores e mais amados, com o propósito de estimulá-los a uma virtude cada
vez mais heróica, permite que algumas partículas da humanidade resistam, provocando reações que não são censuráveis aos seus olhos,
mas capazes de ocasioná-los – do mundo bastante imperfeito que acredita ser mais perfeito do que os servos de Deus – críticas, censuras,
zombarias, ofensas e julgamentos malévolos –
mentos. Essas partículas não prejudicam o desígnio de Deus e da alma de tender à perfeição e conduzir à perfeição –
antes, ajudam, mantendo a alma humilde, podada no ramo venenoso, o mais venenoso, nascido da planta maligna
de Lúcifer : orgulho.
«A união dos infinitos méritos do Santíssimo Jesus com a boa vontade e a humildade do homem, que as vossas próprias
fraquezas e imperfeições alimentam, concede que, pela Graça, inspiradora dos santos desejos, e a dolorosa morte e
gloriosa Ressurreição do Único -Filho de Deus, você pode cumprir as aspirações que Deus colocou em seus corações e,
através das portas da eternidade, reabertas pela Vítima imolada e o Vencedor eterno, chegar ao Reino bendito que não
conhece fim.
“Mas, como diz Paulo, é necessário ‘remover o fermento velho’. O fermento das paixões se renova mais
rapidamente do que o fermento no pão que a dona de casa amassa e aquece. A alma disposta sempre o
remove e sempre o encontra de novo. O mundo, acontecimentos, decepções, observações, alegrias e tristezas
tudo tende a introduzir na alma um fermento de malícia, impureza, engano e rebeldia. Não, não, queridas
almas. Um fermento só deve estar em vós. O que é santo, puro e verdadeiro, o fermento da Palavra de Deus, do
Amor de Deus, porque o Verbo é Amor. O Verbo se imolou para poder instruí-lo agora também. Por isso
também. O Verbo se imolou ao fazer-se Homem para poder falar aos homens e dar-lhes o verdadeiro fermento
da Palavra. verdadeiro conhecimento da Lei, que é Amor,
“O Verbo se imolou ao se tornar a Vítima para que pudesse trazer o Paráclito, o fermento do amor por meio do qual todas as
partículas da farinha do fermento de Jesus, suas inúmeras palavras, poderiam inchar, elevando-se em pureza, verdade, sabedoria,
compreensão e santidade no intelecto humano.
“Mas se o fermento bom é misturado com o fermento velho e mau, o mau não é melhorado, mas, ao contrário, o bom é
corrompido e, portanto, não adianta ter recebido o fermento sagrado que vem de Deus. É preciso portanto, remova toda partícula
de fermento perverso e torne-se puro, novo, como crianças recém-nascidas, e faça isso continuamente, para impedir a obra de
Satanás e da carne, e faça isso com vigilância assídua, sem abatimento, sem preguiça, sem presunção. Aja continuamente, pois,
enquanto o homem estiver na terra, Satanás, a carne e o ato mundial. E receba o santo fermento no coração purificado sempre de novo, para que seja sempre massa nova, sem
bolor nem corrupção, formada segundo a forma de Deus e digna de Deus.
“Este dia, como tudo o que existe, foi feito por Deus. Mas verdadeiramente este é um dia perfeito, um dia que supera qualquer outro
dia criativo, porque o divino, eterno Poder e Misericórdia nele brilham com todas as suas forças.
“Somente um Deus poderia estimular Misericórdia a se tornar uma vítima pelos pecadores, e somente um Deus poderia por si mesmo ressuscitar para
testemunhar que Ele é o Deus verdadeiro, pois pela morte Ele testemunhou que Ele era um Homem verdadeiro, para dizer que a Vida- Deus é mais forte que a
Morte-Satanás; e que o Autor de Tudo não pode ser morto por uma parte. E Deus, o Autor de Tudo, não poderia ser morto pelo homem e permanecer morto.
Pois se é verdade que por amor homem Ele provou as cinzas amargas da morte, também é verdade que Ele derrotou a morte, e para sempre; nem todas as
forças do Mal, quer levem o nome do grande Satanás ou dos pequenos satãs, jamais serão capazes de matar os Vivendo um de novo.
“Maria, pequena Maria de Jesus, tu também, com a grande Maria de Lázaro, ‘viste o túmulo do Cristo vivo e a glória de Cristo
Ressuscitado, e as testemunhas do anjo, e a mortalha e as vestes’, como o A sequência pascal declara. Por causa deste dom, que
toda tristeza amarga vinda de todos vocês, exceto de Deus, provar doce para você. E que cada presente dado a você seja uma
ajuda para obter o Céu, por não imitar aqueles que usam um benefício dado gratuitamente com orgulho, desobediência e
imprudência, acreditando que já estão seguros porque foram beneficiados e não considerandoque o presente é um teste e que, à
medida que é dado, pode ser retirado e junto com ele – se, em vez disso do produzindo amor pela verdade, obediência e justiça, faz
com que o engano, o orgulho e a desobediência fermentem – a posse imediata do a recompensa eterna pode ser retirada, ou, E se a
ingratidão do o beneficiado atinge um grau grave, até a posse do a recompensa eternamente, que é o próprio Deus
“Os judeus, os príncipes dos sacerdotes e os escribas e fariseus tiveram tempo para se arrepender e tornar benigno para eles o infinito
Dom da Palavra que o Homem de Israel fez, contanto que a Justiça não dissesse: ‘Basta’. Depois – quando nem a Doutrina, nem a Morte,
nem os sinais dos elementos e cumprimento das profecias, nem o novo abalo da Criação no retorno do fôlego ao Corpo sem vida foram
capazes de dobrar as mentes arrogantes de Israel para a verdade – depois disso, ‘Deus se levantou para fazer justiça’.
“E a justiça, a justiça paciente, foi a separação nítida das cabras das crianças, isto é, daqueles que absolutamenterejeitou o
presente daqueles, como Gamaliel e outros, que, após a morte de Cristo, saíram por aí batendo no peito e dizendo: ‘Pecamos! Ele
era o que disse que era! Que Deus tenha misericórdia de nós. ‘ Ainda não eram cordeiros, mas já predispostos a tornarem-se tais,
foram justamente separados, com justiça divina, dos indomáveis cabras infernais que haviam transformado a dádiva de Deus em
sua ruína.
“E entre aqueles que puderam passar de cabritos a cordeiros e aos quais a misericórdia concedeu perdão por causa do
seu arrependimento, quantos são entre os santos que, com a Virgem Mãe, os apóstolos e os mártires mencionados no
Prefácio, são lembrados hoje e invocou que eles podem ajudar aqueles que vivem na Terra a se tornar o ‘viventes do céu,
unir-se em oração e oferta, para que os dias dos crentes transcorram em paz espiritual e não sejam atingidos pela
condenação eterna, mas contados com o rebanho dos eleitos.
“Os que eram crianças também conquistaram o Reino! Pois Deus tudo pode fazer, se ao menos o homem oferecer a sua boa vontade.” Não
temais, então, queridas vozes, e não aceitem as insinuações do mundo, que muitas vezes acredita que é aprendido apenas porque tem um
monte de teorias em sua cabeça e se pergunta: ‘Como um ninguém pode se tornar um alguém se não fizermos
“Esta razão, inteiramente composta pelo orgulho de si mesmo, já é uma resposta à pergunta. E ela responde por si mesma.
‘Sim, é possível que isso aconteça; em primeiro lugar, porque tudo é possível para Deus e lícito para Deus e, em segundo lugar,
porque o próprio Deus, para confundir os soberbos, não toma ninguém e os torna o que Ele quer.
“Aquela que era Cheia de Graça disse esta verdade: ‘Ele humilhou os poderosos e exaltou os humildes.’
“E quem quiser impor limites a Deus ou sugerir a Deus as ações a serem praticadas, comete o pecado do orgulho. Não seja o
orgulho, mas a caridade em vós, juízes, e em vós, ó julgados. Pois quem perde a caridade, perde Deus Não a humanidade no
pensamento, mas a fé no poder do Senhor. Não o orgulho, mas renunciando ao julgamento em favor do julgamento perfeito.
Caridade no aceitar, caridade no examinar, caridade no suportar. Caridade para não aumentar o peso que carrega aqueles que
carregam o peso de um extraordinário outro presente para deixá-los desanimados e com medo de sofrer a morte espiritual por causa desse presente. Caridade em pensar que quem
chama seu irmão’ em aramaico] compromete uma pecado, e, aos olhos dos homens, aqueles que estão simplesmente ‘separado’ no
serviço de Deus muitas vezes aparecer para sejam tolos e possuído pessoas. Caridade em pensar que a condenação que você aplica sem justiça em
provas seriam ser desagradável para você se aplicado a você.
“E para vocês, vozes crucificadas, eu digo, Caridade! Caridade no para- G dando a quem fala sem saber o que ele esta
dizendo,quem quer que seja J. udgessem ter o direito para e assim sem luz espiritual, e quem o aflige de mil maneiras.
Caridade e silêncio. Fechado em seus corações,como os apóstolos no Cenáculo, aumente sua fé. Não rejeite o presente por
medo dos homens. E você terá o Paráclito, queÉ já anunciado para ajudá-lo a converter o orgulhoso e responder àqueles
que o perseguem. Ele, Jesus, disse isso antes de morrer. Ele repete isso para você agora que saiu da morte. Ele o fará, pois
Jesus, Deus, não mente.
“Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo”.

EM ALBIS DOMINGO
Introdução: 1 P 2: 2; Sal 81 (80): 2
Recolher: Faze, oramos, Deus Todo-Poderoso, que nós, que celebramos a solenidade pascal, possamos, por tua generosidade, permanecer fiéis a ela na conduta de
nossas vidas. Por meio de nosso
Senhor. Epístola: 1 Jo 5: 4-10
Aleluia pascal.- Mt 28: 7; Jo 20:26
Evangelho: Jo 20: 19-31
Ofertório: Mt 28: 2, 5, 6
Segredo: Recebe, Senhor, nós oramos, os dons da Tua Igreja exultante e depois de dar-lhe a causa de tão grande alegria, conceda-lhe o fruto da alegria eterna.
Por meio de nosso Senhor.
Comunhão: Jo 20:27
Pós-comunhão: Nós Te pedimos, Senhor nosso Deus, que os mais sagrados mistérios, que Tu tens dado para assegurar em nós a obra da Tua redenção, possam ser
um remédio para nós em nossa vida presente e um presságio de eternidade. Por meio de nosso Senhor.
28 de abril de 1946
Azariah diz:
“Vamos nos juntar ao declaração sincera de o grande apóstolo Pedro ao alegre lembrança de o bebê inocente que hoje é
regenerado no Santo Batismo ‘e, ao deixar de ser somente uma filho nascido do cara quem tira vida do leite que é ofereceu a ele
para nutrirish seu pequeno corpo, passes sobre para um mais perfeito alimento-que do o espírito e é uma merda de o seio
inesgotável dos méritos de Cristo seu primeiro alimento regenerando em ele a Vida da alma com a Graça infundido por o
Sacramento.
“A primeira comida dela! suficiente para nutra-a com Deus nela inocência e torná-la de Deus. Mais tarde, com o uso de razão – a
qual iremos solicitar dela numa tenra idade de Céu então que ela logo será capaz de possuir e desfrutar dela Ep 4:13 eu o três
teológicos virtudes e alcançar a maturidade perfeita em Cristo com solicitude maravilhosa ela vai ansiar cada vez mais por leite
espiritual e, por meio dele, crescer em saúde.
“Mas os ‘filhos’ não são apenas aqueles nascidos recentemente de uma ventre de mulher, mas também dos recém-nascidos para a vida da Graça,
de modo que em sua família, distante, mas querido querido por causa de o que custou você em orações e sacrifícios, mais de um é uma “criança espiritual” a quem o seio divino deve ser oferecido para que a
criança cresça solícita em Cristo durante o tempo restante para vida neste mundo.
“Esse começo de Santa Missa em em Albis Sunday pode, portanto, ser devotado a para que possam saborear outro gole de Sabedoria
sobrenatural, qual é sempre um presente de valor infinito dando vida que não conhece morte.
“Yearn, ó você ‘a quem a bondade do Senhor trouxe perto do jorro do qual sua Palavra emite – e Ele trouxe você lá através de
sua infinita Misericórdia e para um fim previdente e orgulhoso, para que todos de você pode ser dele e pode haver vozes fi-ee de
todos os preconceitos e todas as formações anteriores que podem falar, para que possa haver corações para mostrar o que Deus
pode fazer nos corações para que haja certas provas da veracidade da ‘porta-voz’, para proclamar por palavras e atos que Maria é
uma ‘voz’ sincera, uma ‘voz’ do anseio da graça, 0 você que recebeu isso Presente, para alimentai-vos cada vez mais com o peito,
derramando sobre os famintos que a ele se apegam os méritos santificadores de Cristo, os rios confirmadores da Graça, as luzes
da Sabedoria. Cada vez mais Católico para ser cada vez mais apenas.
“Você pode e deve dizer, experts no vozes do escuridão e vozes de luz, que os efeitos dessas duas vozes opostas são
bastante diferentes, assim como os estados espirituais que essas vozes criam. Podeis concluir que só a voz da luz, por vir da
Luz, vos fez filhos da Luz e fi-lentos do Santíssimo Jesus, que vos mostra o amor colando-vos milagres de proteção. Você
pode dizer isso. Satanás não serve a Deus redimindo para Deus aqueles que estavam no caminho do erro. Só Deus e seus
servos servem a Deus, trazendo para a Luz e para o Caminho que termina no Céu as almas que estavam na névoa e no
caminho errado.
“Deus te quis aqui por Maria para que, como muitos dos milagrosamente curados no Evangelho, aos negadores,
aos incertos ou aos denegridores do milagre que é teu parente – um ‘ninguém’ a quem Deus usa porque tem prazer
na indigência para confundir e mortificar os orgulhosos – você pode dizer: ‘Eu não sei quem Ele é. Eu sei que fui
miserável e Ele me curou na alma e no corpo.’ demonstração do homem nascido Cego para aqueles que o
censuraram por ter recebeu a visão de um réprobo: ‘Eu não sei se Ele é um pecador, mas eu só sei disso: que eu era cego e agora vejo … Desde que o
mundo começou, nunca se falou da abertura de alguém os olhos de um cego de nascença. Se aquele que me curou não fosse
Deus, Ele não poderia ter feito isso. ‘
“Sim, assim você pode responder às dúvidas insinuantes sobre a porta-voz: ‘Não sabemos o que ela é. Sabemos apenas
que ela curou nossos espíritos. Desde o início do mundo, nunca se falou que o diabo abriu os olhos de quem estava em
pecado para a luz de Deus. Se aquela que nos curou não fosse um instrumento de Deus, suas páginas não teriam sido
capazes de nos converter. ‘
“E agora, segurando firme em meu abraço de amor a alma que tenho em guarda, a pequena cristã, seus parentes e todas as almas que desejam
crescer espiritualmente, devo prosseguir para ensinar o espírito das palavras na liturgia. E prestei atenção atenção, ó queridas vozes que para as
suas missões precisam muito de supernutrição em sabedoria.
“Como se recebe o leite espiritual para que seja útil ao espírito? O apóstolo explica como: ‘Como bebês recém-nascidos.’ Isso é,
sem qualquer malícia. Não há malícia nos compromissos entre o Alto e o Baixo, entre o espírito e a carne, entre o lícito e o ilícito;
nenhuma malícia em pensamentos, atos, apetites e esperanças.
“Você deve estar livre de cálculos de todo tipo. E desejar isso como seu único alimento, sem antes sobrecarregar o espírito com
outros alimentos pesados e prejudiciais; e se seu espírito já está tão sobrecarregado, esvazie-o, rejeitando o estimulante, pesado,
ácido alimentos de todo tipo de sensualidade e de egoísmo com mil faces. E deseje esta comida porque você acredita que ela é
vivificante, agindo dentro de você. Não vá a esta comida, então, que geralmente é distribuído em casas de oração, por meio de
cerimônias e pregação, aos sacramentos e outros meios, apenas para ser visto e dizer: ‘Praticando assim, serei abençoado na
morte’.
“Oh, não é freqüentando os lugares de oração que o homem se santifica! É com toda a vida. Vocês indevidamente, chame de
‘prática’ o que é apenas ‘frequentar’. Quem vai com frequência a um lugar o frequenta. Quem quer que ponha em prática o que lhe
é ensinado ou transmitido naquele lugar, pratica. Mas quantos escribas e fariseus entre aqueles que vão aos lugares de oração uma
ou várias vezes por dia são vistos pelos anjos no altar! Quantos!
“É preciso praticar os ensinamentos, fazer agir seus frutos e os dos sacramentos, não fora do cálculo para ter
louvor na terra
e um bom lugar no Céu, mas pelo desejo superespiritual de honrar o Senhor desta forma e não desfrutar imperfeitamente do alimento que
Ele oferece ao seu espírito. Então, com sinceridade, humildade e caridade de propósito, o leite espiritual, que é sincero, pode agir
verdadeiramente em você e fazer você crescer em saúde.
“Alguém balançará a cabeça, dizendo: ‘Quem é assíduo em práticas piedosas não pode pecar.’
“Oh! As fornicações do A falsa piedade é mais numerosa do que as pessoas pensam! Muitas almas, semelhante a muitos cônjuges lascivos,
tem duas vidas, e uma cessa no limiar do a Igreja. Assim que eles saírem do isso, eles vão desligado aos amores
adúlteros com a carne, egoísmo e concupiscência. Nutridos pelo Manso, eles são cruéis com seus irmãos e irmãs;
purificado pelo sangue do caridade derramada para todos, eles não são caridosos com seus egoísmos ferozes; instruídos pela Palavra, eles
cometem atos contrários ao ensino da Palavra.E não podem ser chamados de adúlteros? Eles não podem ser chamados de mentirosos? No mínimo,
borboletas impensadas ou ociosas, garrafas azuis barulhentas perdendo seu tempo em uma curiosidade infrutífera, na vadiagem de
sensualidade espiritual; Considerando que o verdadeiro amante do o leite espiritual está unido a este alimento e não busca nada que o distraia, mas a procura e então produz seus sucos doces, como uma abelha industriosa.
«E vós, verdadeiros filhos do Santíssimo Senhor, ‘cantai com alegria a Deus vosso protetor, elevai vossos gritos de alegria ao
Deus de Jacó,’ ao vosso Deus que os alimenta consigo mesmo. Aleluia! E rogai a Ele que ‘por sua graça, Ele concederá que vocês
conservem os frutos das festas pascais em suas vidas e em suas obras.’ Pois, se não os conservaste, seria inútil ter sugado o leite
espiritual, que não se transformaria em suco nutritivo, mas em elemento nocivo, como todo dom de Deus que os homens não
conseguiram dirigir a um Renda-se. Ore ao Senhor porque nenhum homem no mundo pode se sentir tão forte no espírito a ponto
de dizer: ‘Posso agir por conta própria’. Se falasse assim, ficaria muito fraco, pois o verme do maldito orgulho estaria nele para
comer o cerne de sua alma, e a planta, corroído em suas profundezas, em vez de permanecer ereto em direção ao Céu, pronto
para ser transplantado para cima, entraria em colapso, perecendo no lodo da sensualidade. Até seu último suspiro, o homem
precisa de Deus e dos Santos para perseverar nos caminhos da Luz e da Justiça.
“E agora vamos ler as palavras do Serafim apostólico, do nosso irmão João, um irmão por causa de sua pureza casta e perfeita
amor, companheiro no ministério da Cruz de Cristo, anjo de carne e alma na procissão dos espíritos, velando pelo sublime
Mártir e pela sublime Mulher Mártir, companheiro na assistência à Rainha dos Anjos e aos homens, uma ‘voz ‘da pulsação
divina, possuidor da Caridade e apóstolo da Caridade, beato João, uma luz entre as luzes do céu.
“’Todo aquele que é nascido de Deus triunfa sobre o mundo.’
“Sim. Uma resposta aos silogismos, às dúvidas, ao questionamento excessivo do porquê do aqueles que, mesmo em questões
do o espírito, deseja tratá-los como se fossem questões materiais (tanto a Sabedoria quanto a ciência – a primeira sobrenatural, a
última humana – procuram dissecar com o mesmo sistema do raciocínio limitado, porque é despojado do a luz que permite
compreender e aceitar o primeiro – isto é, a Sabedoria que somente a Fé torna compreensível) é dada pela duração
do o que vem de Deus. Obras humanas não sobrevivem ao impactodo eventos ou suportar a erosão do Tempo. Mas o que
vem de Deus não perece.Toda a História divina oferece prova disso: a história anterior à vinda do Verbo e aquela que
aconteceu desde aquele momento até o presente, bem como o que acontecerá até o fim do mundo escreve ‘O Fim’ sobre o
longa descrição histórica das relações de Deus com a humanidade.
“Desde o primeiro capítulo desta história multimilenar a verdade que o homem vem de Deus e Deus lhe dá a salvação e reserva
o céu para ele nunca foi perdida ou anulada. E quando não houver mais tempo e a última palavra for acrescentada à longa História,
os ressuscitados verão que, já que nasceu de Deus, a linhagem dos santos triunfou sobre o mundo e o tempo e os enganos
humanos e satânicos, possuindo perpétua vida no Reino eterno criado no princípio para os filhos de Deus, conservado para esses
filhos mesmo depois do pecado, restaurado pelo Holocausto de Cristo, aberto por sua morte, e dado aos justos para a alegria do
Pai em dar o que Ele tinha criado para eles.
“Mas qual é a vitória que triunfa sobre o mundo? ‘É a nossa fé’, assegura João. De fato, sem fé em Deus, em sua
recompensa, na sabedoria de seus mandamentos, como pode o homem superar os anjos no mérito de as lutas a serem
vividas para merecer a recompensa prometida? Não sucumbiria ele, como o soldado que sabe que está separado dos
companheiros, desarmado, sem esperança, e se abandona aos inimigos, derrotado pelo desespero e não por eles?
“Mas o crente sabe! O crente sabe! Ele vê. Por trás da muralha dura, cruel e insidiosa que o cerca, separa, se
opõe e o tenta por todos os lados e tenta persuadi-lo de que tudo acaba aqui embaixo, que o além não existe,
que Deus não existe, que não há recompensa ou punição, e que é sábio aproveitar a hora presente, ele vê,
como se já estivesse na outra vida, pois a fé dá uma visão sobrenatural; ele vê isso Deus existe, essa vida dura e
há uma recompensa. E ele chega a essa recompensa por meio da fé, que o faz ter esperança e amor e lutar e
vencer Satanás, o mundo e a carne.
“E se ainda podia ser difícil crer antes da vinda do Salvador Jesus, nos tempos de severidade e indignação,
em que o homem só tinha palavras como base de sua fé, depois da vinda do Salvador a fé tinha todos os meios
crescer e triunfar. Fé no perdão de Deus, na possibilidade da salvação, na verdade da Lei, no Reino do Céu.
Jesus testemunhou para tudo, e em tudo, e por tudo. Por sua Santíssima Encarnação. Por sua Palavra Divina.
Por sua Santíssima Morte. Por sua gloriosa ressurreição.
“A fé, em corações não vendidos às trevas, se expandiu enormemente por meio desses testemunhos, sentindo que um Deus que se
humilha na carne para salvar o homem sem dúvida perdoará e terá uma recompensa e um reino para dar aos salvos. A certeza de um
segundo, a vida imortal cresceu enormemente, pois de outra forma a Encarnação não teria sido necessária – se tudo acabasse na morte. A
fé em Cristo, o verdadeiro Filho do verdadeiro Deus, se expandiu enormemente com a prova de sua verdadeira Humanidade oferecida por
sua capacidade de derramou seu sangue e morreu, e com a prova de sua verdadeira Divindade, por meio dos testemunhos da voz do Pai,
dos milagres e da Ressurreição.
“Para quem tinha um coração desejoso de crer, a fé se tornava mais fácil por meio de Jesus Cristo, acreditando ser o verdadeiro
Homem e verdadeiro Deus, prova de amor, perdão e poder.
“E quem acredita nisso vence o mundo, porque sua fé está apoiada em um fundamento que não
desmorona.
“’Este é aquele Jesus que veio com a água e com o sangue’, diz o apóstolo.
“Que água? Que sangue? Só a água material do Baptismo, cuja natureza foi modificada pelos seus méritos, passando de um
rito purificador para um rito regenerador? Não, não apenas com a água material, mas pelo testemunho do Pai e do Espírito, que veio indicá-lo em sua natureza divina no início de seu
ministério no momento da água batismal, para iluminar sua figura, celebrar sua humildade e mandar que Ele seja venerado
como Aquele em quem o Senhor Eterno se compraz. Não apenas com a água material, mas com a água emergindo de seu
peito cortado para dizer aos negadores – então, agora e sempre – que Ele era a verdadeira Carne e realmente morrera após
ter dadotudo seu sangue mais precioso para os homens.
“Oh! Quando a fonte é abençoada para o batismo, as substâncias que a liturgia prescreve são derramadas nela. Mas você não
acha que uma gota meritória daquela água santíssima que flui do peito cortado do Cordeiro crucificado é infundida por um divino
prodígio, na água natural em cada fonte batismal para tornar válido o instrumento, para que regenere para a Graça? Esta é a água
que regenera o homem, anulando o pecado original! Aquela que é tirada do Cordeiro imolado para a redenção dos homens,
golpeado mesmo depois da morte para que nenhuma dúvida ficasse, esvaziado de todo vestígio de vida, até as águas depois do
Sangue, pela imensidão do Pecado exigido a totalidade do Sacrifício.
“O Espírito testificou que Cristo é a verdade. O Sangue testificou que Cristo é Homem. A água testificou que a Redenção foi
totalmente cumprida, assim como no Jordão e na água Deus testificou que a Manifestação estava começando.
“Há três no céu que dão testemunho da Divindade: o Pai, que O proclama seu Filho; o Verbo, que se
manifesta, e o Espírito, que O coroa com seus relâmpagos.
“Há três na Terra para testemunhar a sua Humanidade: o espírito, rendido após uma agonia tremenda; o Sangue, derramado
na Paixão dolorosa; e a água, o único sobrevivente do Único Sangrado Seco, gotejando em uma totalidade supergenerosa de
redenção do lado agora sem batimentos cardíacos O Redentor mesmo depois da morte!
“E, como o testemunho oferecido pelos homens não pode ser negado, então o testemunho oferecido por Deus não pode ser
negado, mas, antes, como o primeiro e mais válido, aquele de Deus deve ser aceito que Ele sempre deu a seu Filho, desde desde o
momento da sua Encarnação pela obra do Espírito Santo ao da sua Ascensão em Corpo e Alma após o cumprimento da sua missão
na Terra. Por isso, quem aceita estes testemunhos, da Terra e do Céu, acredita que Jesus Cristo é o Redentor, Salvador, Juiz e
Filho de Deus e, portanto, possui em si mesmo o testemunho de Deus. Mas aqueles que dizem que crêem em Deus e rejeitam a fé
na Santíssima Divindade e Humanidade de Cristo não têm Fé neles e estão, conseqüentemente, separados de Deus, atacantes de
Deus e mortos para Deus.
«Para eles, o Ressuscitado que os precedeu no Reino dos Céus é nulo e vazio. Para eles, é nula e vã a contínua
manifestação de Cristo nas obras dos Servos de Deus e da Igreja por Ele fundada. As palavras da esperança divina são
inúteis. .Não há paz em quem não acredita. Deus se manifestar também é inútil. Eles rejeitam isso como um delírio. Uma
vez perdida a fé, ou simplesmente esmagada pelos racionalismos e pela ciência, não é mais possível admitir que Deus é
onipotente e, portanto, os milagres – quaisquer que sejam sua forma e natureza – também são negados. Oh, a quantos
Santíssimo Jesus poderia dizer as palavras ditas a Tomé: ‘Vem aqui, observa e não sejas incrédulo, mas acreditam!’
“O mundo está repleto de Thomases! Pois bem, meu Senhor me manda dizer àqueles que por orgulho – esta é a planta ruim que
extingue a fé – não podem admitir nada além do que eles entendem, esquecendo que Deus é infinito em tudo e eles são limitados em todos
os aspectos: ‘Bem-aventurados aqueles que são capazes de crer mesmo sem compreender a razão de algo.’ Bem-aventurados por sua
simplicidade, por sua humildade, bem-aventurados por seu abandono.
“Sempre bem-aventurados, mesmo que sejam enganados. Porque a armadilha pesaria sobre quem a arquitetou e
não sobre quem nela cair. E, além disso, para repetir as primeiras palavras da epístola, o que vem de Deus é
testificado por sua duração. Falsos fenômenos logo caem. Ou porque cessam ou porque degeneram em atos e
palavras de erro. Portanto, se algo dura – e dura com seriedade decorosa e virtude sagrada – vem de Deus, e é
preferível aceitá-lo e dizer: ‘Glória a Ti, Senhor, por esta manifestação sua’, em vez de dizer , ‘Eu não posso acreditar
que Deus pode fazer isso.’
“Dois pecados contra a Caridade. Com relação ao Senhor Deus, a quem você ofende colocando limitações sobre Ele e seus
instrumentos, a quem você injustamente culpa. Se você não entender, fique em silêncio. No céu você vai entender. Mas não julgue para
não ser julgado. Deixe para Deus a tarefa de fazer resplandecer a Verdade e a Misericórdia.
“Maria, alma minha, não ofenda o Senhor por abrigar oN dúvida dos homens e de Satanás por um instante. Ore por quem não consegue ver e ouvir a Deus, mas seja firme na sua verdade. Rejeita o Inimigo, que usa a dúvida quando não pode usar qualquer outra tentação para separar as almas de Deus, com as palavras sempre
vitoriosas ‘Afasta-te, Satanás, no Santo Nome de Deus e pelos santíssimos méritos de Jesus Cristo Nosso Senhor. ‘
– Vou deixá-la, Maria. Vou dar o seu beijo ao menino inocente que está nascendo da Graça. Que o Senhor esteja
convosco e os anjos, meus irmãos, vos façam companhia.
(A criança inocente a que Azariah se refere nesta Santa Missa é a filha de Paola Belfanti, Marcella, batizada hoje.)

SEGUNDO DOMINGO DEPOIS DA PÁSCOA
Introdução: Sal 33 (32): 5-6, 1
Colete: Senhor, Você levantou um mundo decaído pela humildade de Seu Filho; conceda alegria perpétua ao Seu povo fiel, para que aqueles a quem Você tem
salvo dos perigos da morte eterna, Você pode conceder felicidade eterna. Pelo mesmo Cristo nosso Senhor.
Epístola: 1 P 2: 21-25
Aleluia pascal: Lk 24:35; JN 10:14
Evangelho: JN 10: 11-16
Ofertório: Sal 63 (62): 2, 5
Segredo: Que esta oblação sagrada, Senhor, sempre nos traga Sua bênção salvadora; para que o que representa em um mistério possa realizar por sua eficácia. Pela
nosso Senhor.
Comunhão: JN 10h14
Pós-comunhão: Conceda-nos, oramos, Deus Todo-Poderoso, que nós, que recebemos de Ti a graça de uma nova vida, possamos sempre nos gloriar no Teu dom. Através da nossa
Senhor.
5 de maio de 1946
Azarias diz:
“A Terra está cheia da Misericórdia do Senhor; e se fosse recebida de coração assim como é derramada sobre todos os vivos,
não haveria mais miseráveis, pecadores ou separados. Mas inteiramente unidos em um único rebanho – guiado e protegido pelo
Pastor que deu a sua Vida pelas suas ovelhas e que se oferece Vida, a todos, para dar a Vida – a Humanidade procederia na unidade
e com a força dessa união, por ela defendida contra os ódios, as divisões políticas, egoísmos, e cupidez entre Estado e Estado,
Gente e Gente, defendidos contra este mal, cuja chama é atiçada pelo Adversário para provocar sempre novos e sempre
infortúnios maiores para a humanidade.
“Mas a misericórdia permanece inerte para muitos, não por conta própria, mas por causa do número excessivo que não quer
recebê-la. Como o Senhor, de quem é gentil atributo, a misericórdia pode dizer: ‘Estou às portas de corações e bate. ‘ Mas muitas
vezes o Amante eterno e benéfico recebe em resposta a resposta da Noiva na Canção: “Eu tirei minha túnica. Por que vesti-la de
novo? Eu lavei meus pés. Por que sujá-los de novo?”
“Sim, esta pobre Humanidade responde dessa forma ao seu Poderoso Amante, o Único que a ama e poderia salvá-la, e o faz
não reflita sobre o quão grande é o seu amor e quanto pode esperar deste grande amor de um Deus que se humilha
oferecendo-se e pedindo para ser recebido!
“Essas pessoas orgulhosas que dizem: ‘Queremos muito agir por conta própria, e Ele não pode mais nos amar’, e, portanto,
aqueles que gemem de arrependimento (mas com uma contrição espúria que não supera o ponto estagnado do gemido de
desespero humano sobre sofrimentos materiais e reclamar por ser atormentado por eles, mas não passar para o grau luminoso de
contrição – isto é, o grau que diz: “Eu pequei. Seu castigo é justo. Obrigado por me dar uma maneira de expiar com dor nesta vida.
Mas tenha misericórdia de mim pelo amor de sua misericórdia ‘) assemelham-se ao preguiçoso Sulamita que ainda não conhece o
Noivo perfeitamente em sua infinita beleza e poder, para possuir os quais nenhum sacrifício é muito pesado e não salta o convite
daquele que os perdoa antes mesmo que eles peçam perdão e se apresentem, dizendo: ‘Me receba. ‘
“Ou o homem se levanta, quando o desespero é tanto que a Humanidade reconhece nele a marca da garra da Besta infernal,
mas se levanta quando Ele, cansado de esperar, se foi. Nem é capaz de imitar o esposo arrependido que repara seu resfriado
preguiça por ir incansavelmente em busca dele, desafiando as trevas, vigias, pesados orvalhos e perigos, concordando em ser
despojada de suas vestes – que são muito pobres, mesmo parecendo régias, como são aquelas da Humanidade como uma rainha
em tempos difíceis que perdeu o Rei que a fez tal – se ao menos ela pudesse encontrá-lo novamente. E ainda assim sua Palavra
enche os céus criados por Ele e eles dão testemunho Dele, assim como tudo na Criação dá testemunho de seu poder providencial,
e os eventos confirmam profecias, e não há dúvida de que a Palavra do Pai é Rei, Salvador, Redentor e, portanto,o único pastor.
“Como pode o homem, tantos homens, persistir numa surdez que os seres inferiores não apresentam, que obedecem às
ordens recebidas no início e, se estrelas e planetas, dão luz e calor e levam a vida prestando assistência aos habitantes do seu
planeta, como você não pode; se animais, eles procriam, e cada um fornece o que deve; se plantas, dão frutos ou servem com
madeira; se elementos, fornecem calor, alojam, ventilam, transportam, nutrem? Por que o homem – tantos, muitos homens – não
aceitam o convite que busca uni-los em Uma Única Igreja fundada por Aquele que morreu pelos homens? Por que os ramos
querem permanecer separados avaliadas e selvagens, quando, se religadas ao tronco, seriam nutridas com boa seiva? O homem é pior do que as plantas, que
aceitam o enxerto e o transplante para serem mais úteis e frutíferas?
“Sim, o homem é pior do que a árvore. E ele se priva de tanto bem porque é obstinado em sua separação. E, embora os
retos de coração não faltem entre os separados, vemos assim que eles mutilam e esterilizam sua retidão. por querer
permanecer separado do tronco, cujas raízes afundam na terra das catacumbas e cujo cume toca os céus: de Roma; e,
portanto, a Igreja Una Católica Apostólica se chama Romana, criada não por um homem pobre, pobre mesmo se um rei
poderoso em um trono humano, não por um excomungado já marcado com o sinal do Inferno, mas pelo Deus Homem, o
eterno, Três Vezes-Santo Rei.
“Sim, homem, e muitos homens que, embora conhecendo a Cristo como evangélicos, ortodoxos, orientais, gregos, cismáticos,
maronitas, luteranos, calvinistas e valdenses – apenas para citar alguns dos principais ramos separados – atropelam até mesmo a
prova de amor que Cristo deu para a sua salvação: as suas humilhações. E preferem ficar empobrecidos quando podiam ser
enobrecidos; preferem ser ‘morto’ quando eles poderiam ser ‘vivo,’ por causa de sua obstinada vontade de serem ‘separados’.
“A condenação sobre eles? Não. Eles continuam a ser seus irmãos. Pobres irmãos longe da Casa do Pai. Comer um pão
que não os satisfaz, viver em uma névoa que os impede de ver a Verdade radiante, saciando sua sede de impuros não
oferece a Água que vem do Céu e leva ao Céu. A tristeza de suas religiões se reflete em seus ritos. Seus hinos lembram as
canções dos exilados, as canções dos escravos. A busca de quem sabe que tem pai, mas não mais o encontra está em sua
pregação. A exibição de alguém compensando o vazio da verdade com coreografia está em suas cerimônias.
“Procuram sentir Deus e fazer com que Deus se sinta; falam a língua de Deus e dos seus santos para se convencerem de
que ainda são seus irmãos e salvos por Ele. Mas a melancolia da separação está sobre eles e neles. Eles são os falsos ricos,
os falsos bem alimentados, os pobres obcecados em ter nutrição e abundância; mas estão subnutridos e muito, muito
pobres. Os grandes tesouros da catolicidade, os tesouros infinitos de Cristo, o Cabeça da catolicidade, estão fechados para
eles.
Oremos por eles … E você que pode sofrer, sofra por eles. “Sofrer! Um presente de Deus aos homens. Participar na missão de
Cristo. Um meio de se tornar salvador além de ser salvo. Uma nobreza que os melhores entre os homens em sabedoria e
santidade possuem. Pois somente aqueles que compreenderam e desejam sabedoria e santidade amam o sofrimento. Mas se
o homem cristão meditasse em como Cristo se revelou e sempre agiu, ele amaria o sofrimento.
“Lucas diz que os discípulos reconheceram o Senhor quando Ele partiu o pão. Talvez porque Jesus tivesse
uma maneira especial de partir o pão?
Mas esse foi o seu discurso. Jesus nunca mudou seu sotaque, tom e método. E ainda assim eles não O
reconheceram como o Salvador.
“Mas quando Ele pegou o pão intacto e o abençoou, ofereceu e depois partiu e deu a eles, então eles O reconheceram.
“Jesus era o Pão do Céu, o Pão Intacto que não havia sofrido nenhuma manipulação do homem. Intacto, santo e
gentil, Ele desceu do Céu à Terra em uma noite de inverno e se separou pela primeira vez em uma medida misteriosa
do Dois que com Ele formaram a sagrada Tríade. A dor da separação, da primeira ruptura, marcou a entrada da Luz
no meio das Trevas. E por trinta e três anos, em um ritmo crescente, a vida de Cristo foi nada mas uma sucessão de
humilhações metaforicamente comparáveis às do pão reduzido a migalhas e espalhado em frações progressivas,
aniquilado a ser: um meio para todas as necessidades. Em migalhas por todas as fomes, por todas as almas, por todas as necessidades das almas? Quem foi mais aniquilado do que Ele,
incompreendido por amigos ignorantes e de mente fechada e por inimigos ressentidos? Quem estava mais quebrado para dar, pelo
sofrimento e ação incansável, saúde aos corpos e almas, e sabedoria e perdão e exemplo a todos?
“E na Última Ceia Ele não resumiu em um rito todo o significado de Si mesmo e sua missão e seu holocausto? Os
evangelistas concordam em dizer que, ao chegar a um ponto na Ceia Pascal, Ele introduziu um novo rito no antigo um: Ele
pegou o pão, abençoou-o e partiu-o, dando um pedaço a cada um de seus Doze e dizendo: ‘Este é o meu corpodado para
você. Faça isso em minha memória. ‘
“Oh, eu imploro, ó cristãos! Liberem seus pensamentos de suas limitações pesadas; clarifiquem seu olhar espiritual, e Vejo, e
Compreendo além de seus limites habituais!
. . . Este é o meu corpo dado por você. ‘ ‘Dado’, ele quis dizer, desta forma:’quebrado, pelo amor do seu bem Me estimula a quebrar
Eu mesmo, para me deixar, o Intocável, ser quebrado pelos homens … ‘
“’Faça isso em minha memória.’ O rito eucarístico se instaura com estas palavras, mas não só.
“O conselho para os eleitos entre os seus redimidos também está nessas palavras. E esse conselho é ‘Para ser digno da
eleição pela qual eu os escolhi – meus verdadeiros servos entre os servos em memória de Mim, que por isso vos ensinam o
forma e maneira de se tornarem Mestres e Redentores, quebrar-se em pedaços. Sem repugnância, orgulho, medos ou
considerações humanas. Dividir, quebrar, aniquilar e se destruir,dê-se aos homens, pelos homens e por amor a mim, que,
por amor a eles, me entrego a quem Me quebra, como eu me entreguei a quem queria milagres e instrução ”.
“Alguém incapaz de quebrar e se entregar não é um bom discípulo. E a generosidade, a imolação de quem
consegue quebrar-se para saciar a fome dos irmãos é o sinal que faz com que sejam reconhecidos os verdadeiros
servos de Deus.
“’E eles O reconheceram quando Ele partiu o pão.’ E eles vão reconhecê-los por vocês se libertarem da caridade e da
justiça. Eles os reconhecerão como verdadeiros servos.
“Portanto, ó queridas vozes, ó instrumentos escolhidos, amem o que é humilhante, doloroso, laborioso, sagrado quebrando em pedaços pelo
bem dos irmãos e a glória de Deus. Então o Bom Pastor falará por você e dirá: ‘Eu sou o Bom Pastor e conheço minhas ovelhas e minhas
ovelhas me conhecem’. Ele dirá: ‘Minhas ovelhas? Aqui estão eles. Estes são os únicos! Esses que colocam seus pés onde eu os coloco,
mesmo que o caminho final seja o do Calvário. E uma vez que eles realmenteconhecer Eu, eles fazem o que eu fiz, dispostos a serem
quebrados se ao menos puderem salvar seus irmãos. ‘
“O bendito apóstolo Pedro confirma as minhas palavras na sua epístola. Ouçam-no: ‘Cristo sofreu por nós, deixando-vos
o exemplo para que sigais os seus passos.’
“As ovelhas do verdadeiro redil já não pertenceriam a ele se abandonassem seu pastor seguindo as pegadas de
outro, para outros pastos que não eram do dono do rebanho. E seus passos não envolvem alegria material, mas
sofrimento fecundo para quem o sofre e para os outros, porque sofrer com Cristo e em Cristo significa continuar a
redenção de Cristo.
“Nem nenhum de vocês instrumentos especialmente escolhidos – junto com todos vocês que desejam chamar a si mesmos de cristãos
fervorosos, reclamar de provações, tristezas e angústias, classificando-os de injustos porque não são merecidos.
“‘Aquele’, diz o Apóstolo, ‘que nunca cometeu pecado ou proferiu palavras enganosas, que, quando amaldiçoado, não amaldiçoou,
quando maltratado, não ameaçou e se colocou nas mãos daqueles que O julgavam injustamente, suportou nosso peca a si mesmo, em seu
corpo, na cruz. ‘
“Quem entre os homens pode dizer isso sabendo que não é mentira? Quem pode dizer: ‘Nunca pequei ou proferi palavras
enganosas, nem amaldiçoei ou senti rancor por aqueles que me odiavam, e sem reagir me coloquei nas mãos dos meus algozes “?
Ninguém pode dizer isso. E por que, então, você se queixa, se Ele não o fez? Por que você reage, se Ele não ofereceu resistência?
“Vocês não têm então em vocês a chave do segredo pelo qual se pode sofrer com alegria e com vontade de sofrer? O segredo é este:
‘Para que, mortos para o pecado, os homens vivam a injustiça, curados de suas feridas através de suas feridas. ‘
“É isso! Amor, mais uma vez amor, sempre mais amor perfeito fornece a chave para a alegria do sofrimento. Aqueles que
compreenderam o Mestre e desejaram imitá-lo completamente podem morrer para que os homens vivam na justiça e sejam
curado das feridas de seus pecados.
“Por todos os nossos irmãos, Maria! Por todos os nossos irmãos,  verdadeiro Christians! Sem farisaísmo que anule o Cristianismo: uma religião de amor para levar de volta ao antigo Israel, cheio de severidade.
«Sofrer, portanto, não só pelos nossos irmãos e irmãs católicos, mas pelos irmãos ‘separados’, pelas ovelhas perdidas,
para que regressem ao Pastor e Bispo instituído por Cristo: o Sucessor de Pedro, Cabeça dos Cordeiros e também o próprio
cordeiro do Cordeiro Eterno.
«E te confio nos braços do Bom Pastor, cordeiro consumido, pela caridade do teu sofrimento de hoje, deste teu
sofrimento, que deposito nos turíbulos celestiais para que, junto com todas as orações dos santos, queime e dar Rv 5: 8;
8: 3-4
fora fragrância diante do trono de Deus para obter misericórdia para os ‘separados’ e a graça de um retorno ao único redil.
“Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo! Aleluia!”
O Eterno, ao entardecer: “Maria! Abençoo-te por tudo o que fazes pelas almas!”

TERCEIRO DOMINGO DEPOIS DA PÁSCOA
Introdução: Sal 66 (65): 1-3
Colete: Senhor, mostras aos que estão errados a luz da tua verdade, para que possam voltar ao caminho da justiça; conceder a todos os que se professam
Cristãos para que rejeitem o que é contrário a esse nome e sigam o que está em consonância com ele. Por meio de nosso Senhor.
Epístola: IP 2: 11-19
Aleluia pascal: Sl 111 (110): 9; Lc 24:46
Evangelho: Jo 16: 16-22
Ofertório: Sal 146 (145): 2
Segredo: Que esses mistérios sagrados, Senhor, nos capacitem a subjugar os desejos mundanos e aprender a amar as coisas do céu. Por meio de nosso Senhor.
Comunhão: Jo 16:16
Pós-comunhão: Que os sacramentos que recebemos, Senhor, te imploramos, sejam um alimento vivificador para nossas almas e uma proteção para nossos corpos.
Por meio de nosso Senhor.
12 de maio de 1946
Azarias diz:
“Seria, de fato, adequado para toda a Terra cantar louvores ao Senhor com uma voz exultante. Mas se, com as faculdades que
lhes foram concedidas, os mais baixos da Terra o fazem, pois simplesmente realizar aquilo para o que se foi criado é também
cantar louvores a Deus, o Criador, o rei do homem da Terra – o rei das criaturas animais, mestre e explorador dos reinos animal,
vegetal, aquoso e mineral – é incapaz de fazê-lo. Nem com ordem, nem com amor. Ordem, por meio da natureza animal, que o
coloca em pé de igualdade com todas as espécies criadas com a matéria, deixando-o em primeiro lugar na escala dos que vivem na
Terra. Amor, pela natureza espiritual com que Deus o dotou para torná-lo semelhante a Si mesmo, este anel que une a
materialidade dos brutos e a espiritualidade dos anjos, este ser para quem Deus reservou uma vida imortal, como o que é
participação em Deus, para quem Ele criou um Reino de bem-aventurança eterna, não pode perecer no nada.
“O homem viola a ordem, toda a ordem. Portanto, ele também viola o amor. Pois a desordem é o ódio,
levando a obras prejudiciais aos irmãos e negligente para com Deus. mal, quem faz mal a seus irmãos, usando
o superior em inteligência com a qual está dotado para causar dano, quem, quem, por pouco tempo se acreditando um pequeno deus, nessa época
for incapaz de homenagear a Deus e obediência, mostra que infringe a ordem e, portanto, está desordenado e demonstra que
odeia seus semelhantes e odeia a Deus, prejudicando os primeiros e ofendendo a Deus de mil maneiras.
«A Liturgia recorda este dever do homem, como vivente na terra, de amar e louvar ao Senhor, o primeiro entre as formas de
amor reverente por Aquele que é digno de todo o louvor, ato prudente que, ao recordar o intelecto do pensamento de Deus,
impede todo o ser do homem de realizar obras que só quem não tem fé pode realizar. Mas muito poucos aceitam o conselho, o
convite litúrgico, e a Terra carece de muitas vozes humanas no coro da criação ao seu Criador. O mais belo as vozes no imenso coro
são escassas, pois muitos homens se esquecem de que existem porque Deus as mantém.
“No tempo do salmista, as obras da Criação ainda eram reconhecidas como sendo de Deus. O homem agora nega até mesmo
estas. E este ser, que é incapaz de criar por si mesmo um único caule de feno delgado, mas inocente e útil, nega a Deus o atributo
de Criador, freqüentemente substitui a Matéria pesada e obscura no lugar de Deus, o Luminoso e, repetindo a frase maldita, ‘Como
você, eu sou’, a frase do Rebelde, consegue ser o criador da morte e da dor, tirando das coisas criadas por Deus, que ‘eram boas’,
os elementos para criar o que ‘não é bom’, o que é tormento e alienação.
“Como nos dias do salmista, porém, enquanto com suas obras e seus pensamentos vão contra Deus, contra pedido,
contrapaz, e contra tudo, é claro que também vão contra a sinceridade e, por hipocrisia, cálculo e baixeza, adulam Deus
com falsas celebrações utilitárias, destinadas a enganar os outros e dignas de ofender a Deus mais do que qualquer
ausência honesta de culto. .
“Ó hipócritas que sempre dizem, ‘Deus! Deus!’ enquanto exclama J! P’in seus corações;sua obras cobrem a Terra. Mas com o
quê? Com ruínas, dor, morte! A sublime terribilidade de Deus deu ‘coisas boas’ em seu terrível Poder, de acordo com o antigo
modo de expressar a grandiosidade ou perfeição de um poder; Ele os deu em seu poder infinito, de acordo com a expressão
adequada de reconhecimento de Deus. E essas obras, terríveis em poder, feitas por Deus, cobriram a Criação com coisas, seres,
elementos, ajudas, leis naturais e leis sobrenaturais que proporcionam edificação, contentamento e vida.
“Este é o homem sem Deus, pois não tem caridade para com Deus nem com os irmãos, fazendo suas obras, verdadeiramente
terríveis no sentido atual da palavra, terríveis, cruéis, que destroem o que Deus fez, atropelam todo direito e todo dever,
ridicularizar todas as leis naturais e sobrenaturais, anular o amor e causar ruína, dor e morte.
“O homem pode controlar esta avalanche de ímpios? Ele pode individualmente, não cooperando com ela, isto é, liderando uma
verdadeiramente Vida cristã de ordem, justiça e amor. E Deus ajuda esses dispostos, dando-lhes todos os meios para viver com ordem,
justiça e amor.
“Ele lhes concede Graça pelos méritos de Cristo, sustenta-os com os Sacramentos, amplia a Fé com as provas da Verdade e do Amor de
Deus. E, desde o nascimento do homem até sua morte, Ele nada faz senão continuar essas ajudas e outras ainda , todas elas sobrenaturais,
entre as quais não menos importante está o ministério angelical, para fazer o homem chegar à morte na graça e na paz para receber a
glória eterna.
“Ele pode fazer isso coletivamente juntando-se a seus outros irmãos com uma irmandade benevolente. Uma sociedade cristã
contra uma sociedade anticristã, uma família de filhos fiéis ao Pai contra uma família de filhos degenerados que abandonaram o
Pai das Luzes para escolher o pai das Trevas como seu pai.
“Mas o homem é tão fraco que sua vontade não é suficiente para oferecer resistência à força do Mal, que em mil formas percorre o
mundo e o corrompe, e corrompe as almas, seja definitivamente
ou por sequestros, com assaltos repentinos. O homem sozinho não pode resistir a Satanás, pois Satanás é você mesmo e a carne e o
mundo. E, então, vamos rezar, anjos, junto com vocês, homens bons, pedindo ao Todo-Poderoso, que deu aos errantes o que eles precisam
para voltar aos caminhos da justiça, para conceder aqueles que já estão neste caminho – mas quem pode ser arrancados dela por alguma
armadilha ou alguma curva de sua vontade – o que eles precisam para ter a força para rejeitar tudo o que é contrário à vida cristã e praticar
o que está em conformidade com ela, com firmeza e constância até o fim- isto é, peçamos que Deus conceda sua ajuda. Com a ajuda do
Senhor, os fracos se tornam fortes; o medroso, heróico; o sensual, temperante; e a Justiça é alcançada, e as pessoas se mantêm e vivem
nela, pois mesmo que alguém caia em uma violência De assalto, através de uma sonolência espiritual momentânea, vemos que com a ajuda de Deus ele rapidamente se levanta e segue
em direção à meta: o paraíso.
“E agora meditemos nos ensinamentos de Pedro, que pode falar como um mestre, tanto pela sua experiência humana
como porque foi instruído pela Palavra e iluminado pelo Espírito Paráclito para que pudesse ser o mestre perpétuo da
Apostólica Igreja.
“Simão de Jonas, de Cafarnaum, Cefas de Nosso Senhor Jesus, pode falar aos homens como um homem que procurado e foi
capaz para se tornar um Apóstolo e como um Apóstolo sobre quem a Chama Pentecostal desceu para consagrá-lo ao ensino
perfeito.
“Você já meditou, ó alma minha, sobre o símbolo daquela língua de fogo que – você o viu – repousava sobre a cabeça de cada
um dos Apóstolos enquanto coroava a Mulher Santíssima com uma coroa? você o compreende. Geralmente é dito: na forma de
uma chama para ser perceptível aos apóstolos e para significar amor e luz. Sim, isso, também – mas não apenas isso.
“O Paráclito poderia ter – e teria bastado – vindo na ‘grande rajada de vento’ e penetrado no Cenáculo – onde o Rito
Eucarístico já havia sido cumprido: a doação de Deus feito Carne aos seus fiéis para que Ele estar neles mesmo
depois da separação e eles não seriam abandonados por seu amado Mestre; Ele poderia ter penetrado e
permanecido, um globo de esplendor maravilhoso para iluminar as mentes que deveriam falar ao mundo do Deus
Verdadeiro e de seu Cristo.
“Mas o Paráclito não se limitou a isso. Ele também, como o Verbo Encarnado, quebrado e gaue a si mesmo, em uma
comunhão, em um derramamento e doação de seus dons de sabedoria, inteligência, conselho, ciência, fortaleza, piedade e
temor de Deus, assim como Jesus se deu em corpo e sangue, alma e divindade. E visto que, apesar da sanguinária e
santíssima lavagem no Sangue do Cordeiro, que lhes tinha purificado as almas, mas não destruído a sua humanidade – que
teve de lutar por conta própria e evoluir para a espiritualidade perfeita – essa humanidade permaneceu, mesmo depois do
Ressurreição, pesada e maçante, Amor Inefável, o Criador junto com o Pai e o Filho – pois a União e a Vontade dos Três que
se amam divinamente são inseparáveis e desejados para criar o novo homem apostólico, quando o Pai no devido tempo já
o havia criado para a vida e o Filho para a graça. O Paráclito, agindo sobre essas duas criações, queria completar e aperfeiçoá-los, queimando as escórias mais pesadas e venenosas remanescentes na humanidade do homem apostólico,
situadas na cabeça, onde os cinco sentidos se unem a serviço da sensualidade material, onde se encerra o órgão que
preside as sensações e transmitindo-os aos órgãos mais remotos, e onde está o agente do pensamento. A cabeça: o ápice
do homem, o único animal que fica ereto, quase como se para testemunhar sua realeza, e que, por sua erecção, parece
simbolizar o fato de que, como o sol reina mais nos picos e nos parafusos de eletricidade natural desce, então ele, o ápice
da criação, reúne sobre si o divino Sol e recebe os comandos e confortos sobrenaturais maravilhosos de seu Pai que está
nos céus.
“Mas na cabeça, às vezes, e muito freqüentemente, informada com pesadas lajes de sensualidade tripla, o Sol Divino e as mensagens do Pai não
podem entrar enquanto os vapores corruptos de uma humanidade corrupta sobem.
“Ele, o Santíssimo Mestre, disse: ‘É do coração que vêm os maus pensamentos, homicídios, roubos,
adultérios, fornicações, falsos testemunhos, invejas e blasfêmias.’ , para a cabeça, produzindo pensamentos
perturbadores que são então transmitidos aos órgãos executivos.
“Mesmo se nos apóstolos não houvesse homicídios, roubos, adultérios, fornicações, falso testemunho e blasfêmias, que
multidão menor de deficiências menores – mas ainda indigna de mestres espirituais – estava neles e poderia crescer, por orgulho
de ser senhores e auxiliados de maneira extraordinária pelos extraordinários dons de Deus! Quantos caem em descrédito por isso!
Em quantos os extraordinários dons são uma ruína!
“Deve-se dizer, na verdade, que a seleção dos espíritos se realiza por causa do pecado, mas pode-se afirmar que não só pela
escuridão os cordeiros se separam dos cabritos, mas também pelos meios luminosos dos dons extraordinários. Deus
freqüentemente se derrama com esses dons, mas raramente persiste, pois é posto em fuga pelo orgulho, engano e sensualidade
espiritual da criatura beneficiada por esse dom extraordinário.
“Nos apóstolos isso não aconteceria. No filho das trevas, no miserável deicida Judas, o dom dos milagres iniciara a ruína
do apóstolo. Mas nos doze destinados a evangelizar o mundo não haveria mais ruínas. E eis que o Espírito em sua
Comunhão Pentecostal queimando e purificando a sede dos sentidos e do pensamento: as cabeças dos homens
apostólicos, enquanto Ele coroou com amor a cabeça da Virgem, sua Esposa, e se aproximou para beijar com o único beijo digno
da Santíssima Virgem Mãe, aquela que foi toda agraciada, Filha, Esposa e Mãe da Graça, Maria, Rainha dos Apóstolos e da
Igreja na Terra, Rainha dos Anjos no Céu. Aleluia!
“E agora que eu expliquei o símbolo da quebra do Fogo do Paráclito em tantas línguas e de sua queima sobre as
cabeças dos Apóstolos, voltemos ao Apóstolo Pedro, que, tendo se tornado espiritual após a Comunhão do Espírito,
lembrou que tinha sido um homem e com caridade e conhecimento e verdade disse e diz aos homens que são seus
discípulos e irmãos as regras para alcançar a espiritualidade que os torna santos.
“Ele diz: ‘Eu imploro a vocês, como estranhos e peregrinos, que se abstenham de desejos carnais.’
“Com efeito, o homem cristão é um estrangeiro e peregrino no meio das multidões pagãs. O mundo, pagão nos seus costumes, e a
própria humanidade, mais ou menos latente, ou mais ou menos violenta no cristão, faz com que o espírito proceda como peregrino e
estrangeiro por países que não são seus, desconhecido e perigoso.
“E nós vemos, então, que Pedro avisa: ‘Abstenha-se de desejos carnais’ como seres de outra nação que poderia tomar vocês e então
fazer de vocês seus escravos.
“Proceda com cautela. Pois você não conhece a verdadeira face das coisas ao seu redor. Eles podem ter uma boa aparência e ser
abjetos, uma aparência inocente e ser malandros. Cuidado. Não façam alianças fáceis. Tenham caridade, mas não deixe o que pertence a
outros que não pertencem à linhagem escolhida por você penetrar em você.
“A caridade que ora e perdoa e instrui com ações ainda mais do que com palavras. Mas discrição. Lembre-se sempre que o
espírito é mais delicado que uma virgem e que, se deflorado, não tem mais o belo frescor da inocência. O perdão desce sobre o
espírito arrependido e penitência torna-o mais uma vez aceitável para o Senhor. Mas a memória permanece, a memória da queda.
E a memória mortifica e pode ser útil a Satanás para sacudir espectros nas horas do crepúsculo que todo homem encontra – e
especialmente em a hora da morte – para tornar o homem temeroso e desconfiado de Deus.
“Ó suprema segurança de um espírito imaculado dos pecados mortais e dos pecados voluntários! Como devias ser procurada e
protegida, suprema segurança, para que o homem se alegre de ti!
“Seja cauteloso, então, enquanto vocês são estranhos e peregrinos. Para o seu próprio bem e para a honra de Deus. Você não quer
trabalhar para a glória dele? E você deve, portanto, estar empenhado em converter os pagãos escravizados aos sentidos e aos mundo. Mas
como você pode ser se os sensuais e mundanos pudessem opor contra suas palavras o fato de que você é como eles? Tenha cuidado,
então, para não provocar reclamações por sua conta, mas, ao invés, por suas obras autenticamente sagradas, tome cuidado para provocar
reflexões positivas que preparam a vinda do Senhor aos pagãos do mundo, que, no dia da sua conversão pelo seu mérito, os glorificarão
como seus salvadores, juntamente com o grande e Três Vezes Santo Deus e Salvador.
“E Pedro disse: ‘Esteja sujeito a toda autoridade por consideração a Deus.’
“E daí? Deus talvez proteja certas autoridades desfavoráveis? Oh, não abrigue esse pensamento! Mas o que acumula méritos
sobre você – sua obediência a toda autoridade humana, de modo que não se pode dizer que você é rebelde e turbulento e um
escândalo para os outros – ao mesmo tempo, acumula condenações sobre qualquer pessoa que detém autoridade e a usa
iniquamente. Sujeita-se, portanto. E até que ponto? No que diz respeito à lei humana. Mas se uma autoridade humana desejar
penetrar no domínio de Deus e imponha sobre você leis contrárias à Lei Divina, então seja livre e capaz de morrer, mas sem trair a
Deus e sua Lei por medo de um homem ou de vários homens.
“E também não o faças por cálculo, para ganhar o favor dos homens, mas com um espírito sobrenatural que é
capaz de distinguir e praticar a boa ordem em oposição ao que é mau e de fazer o que não prejudica o direito à vida ,
cujas perseguições não destroem, pois, ao contrário, levam à vida os fiéis à Lei Santa.
“Respeite a todos. Deus deixa a vontade do homem livre. O homem não tem o direito de violar a vontade de seus irmãos. E eternamente
amaldiçoados são aqueles que pela violência impõem a escravidão ao pensamento humano para ter multidões de escravos presos às suas idéias
heréticas e perniciosas.
“Sejam leais adversários de seus inimigos ideológicos. Procurem levá-los à sua idéia, que é sagrada, pela santidade de vida e
não pela eloqüência do seu discurso. Mas nunca se rebaixem aos seus sistemas de acusação e violência secretas, de desprezo e
calúnia. Mesmo que aqueles que o desencaminham sejam irmãos pobres envoltos em ideias heréticas, eles ainda são seus irmãos.
O Salvador veio e orou, sofreu e morreu por eles também. Deves orar e sofrer pela sua conversão, à imitação de Cristo Nosso Senhor.
“Não dê ao rei ou aos chefes de estado maior honra do que você dá a Deus. Você chora por ter feito isso. Você confundiu um homem,
um homem miserável, com um enviado de Deus, esquecendo que são as obras dos homens que fale de sua pertença a Deus ou Satanás. E
você está ressentindo amargamente por essa sua idolatria tola. Nenhuma idolatria fica sem punição. Tenha isso em mente. Honre as
cabeças, então, mas adore somente a Deus.
“E respeite a maior dependência – isto é, a dependência do cidadão de seus líderes, dos filhos de seus pais e dos servos de seus
senhores – sem rancor e inveja, sem desonestidade ou traição. Aprenda a ver Deus além do homem e conforme você obedece
magistrados, parentes ou mestres, que também podem não atrair o amor, olham para além deles e dizem: ‘Pai, eu te servi. Eu o
sirvo cumprindo sua ordem, que é ser manso e obediente. ‘ Oh, você verá que é fácil obedecer se você acreditar firmemente que essa obediência é vista e abençoada por Deus como a maior das obras meritórias do homem; como o Santo em quem Cristo é tão visível, o vosso São Francisco de Assis, diz, a alegria perfeita não reside na ciência ou nas coisas diferentes, mas em fazer a vontade do Pai e ser capaz de sofrer pacientemente as aflições e as tristezas por amor a Deus.
“Vês, alma minha, que as palavras do Apóstolo ressoam nas do Pai Seráfico, proclamando-o uma graça e uma grande graça – poder, por consideração a Deus, suportar dificuldades e sofrer injustamente, para quando sofre-se o
castigo pelos pecados cometidos, é apenas expiação, uma dívida que se paga, e nada mais. Mas quando sem ter cometido pecados, feito o bem, é concedido a você sofrer, é uma grande graça que resplandece no olhos de Deus,
um tesouro que se acumula a seu favor no Reino dos Céus.
“E agora te deixarei, alma minha, sob o manto da Esposa Coroada do Espírito Santo e Rainha dos Apóstolos, e, portanto, das ‘Vozes’, das grandes ‘Vozes’ – e, por causa dela missão, que se perpetua para todo o sempre, de todas
as ‘vozes’ que cumprem com mérito a sua missão para a glória de Deus e a salvação das almas. Ela é, portanto, a tua Rainha, ó voz.
“Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo”.
1 Uma referência a Mussolini, conforme anotação de Maria Valtorta em cópia datilografada.

Compartilhe a Divina Vontade