Estudo 1 – O Evangelho como me foi Revelado Maria Valtorta


VIDEOS:

HISTÓRIA VIDEO

ESCRITOS E ESCRITURAS DE MARIA VALTORTA – POR QUE AGORA?

PREFÁCIO (Notas do Compilador) https://app.mariavaltorta.com/the-work-pt-160

A Sequência de Visões e Ditados (As notas a seguir originam-se da pesquisa do compilador e de seu querido amigo Padre Jorge Fuentes – sacerdote salesiano mexicano.)

Em 18 de dezembro de 1943, Maria recebeu o primeiro ditado do que se desenvolveria em sua “Obra” principal, intitulada (em ambas as edições em italiano e inglês):

O Evangelho como foi revelado a mim, e (em sua edição em inglês anterior): O Poema dos Homem-Deus. 

Uma série de visões e ditados, concentrando-se nas vidas de Jesus e Maria – desde antes de Maria nascer até depois de Sua Assunção ao Céu – continuou até 8 de dezembro de 1951, e foi subsequentemente organizada em 652 capítulos – em ambos os 10 volumes em italiano edições, e nos 5 volumes do Poema …. (A “Obra” ocupa cerca de dois terços de todas as visões e ditados que Maria registrou.)

Durante minha primeira leitura do Poema. Eu não percebi que as visões e ditados (o que viria a ser) nesses 652 capítulos foram dados a Maria em uma ordem diferente de sua ordem cronológica final. No entanto, para mim, eles pareciam fluir logicamente como uma sequência ininterrupta! Agora vamos ver como aconteceu. Em primeiro lugar, a escritora não sabia o número do capítulo quando começou a registrar um determinado evento. A única coisa que ela notou foi a data em que foi escrito. À medida que a Obra avançava – e ela queria que os capítulos fossem organizados em uma ordem coerente mais tarde – ela os digitou pelo Pe. Romualdo Migliorini, Seu Diretor Espiritual, em folhas soltas, para não ter que arrancar as folhas dos cadernos que usava. Essas folhas soltas foram colocadas na ordem indicada por Jesus e totalizaram 652 capítulos. Assim, no início ou no final de capítulos específicos, Jesus instruía Maria a colocar este capítulo aqui e aquele capítulo ali. [Por exemplo, no final do capítulo intitulado: “Jesus entra em Jerusalém” – a visão dada em 30 de março de 1947 (que viria a se tornar o Capítulo 588)

– Jesus diz a Maria: «Minha paciente secretária, coloque aqui a visão: “A noite do Domingo de Ramos” (concedida a Maria a 4 de março de 1945), e que a Minha paz esteja convosco. »(Esta visão subsequente mais tarde se tornará o Capítulo 589)]

Uma vez que os capítulos estavam em ordem, todos – até mesmo o escritor – conheceram a ordem cronológica real em que os eventos que ela estava descrevendo ocorreram. Este era, de fato, o verdadeiro propósito do Autor: para provar que ninguém, exceto Ele, poderia ter planejado que fosse escrito naquele DESORDEM total … (Em 10 de junho de 1944, Maria Santíssima explicou a uma Maria sofredora por que algumas das visões e ditados foram dados a ela em uma sequência diferente de suas ordem cronológica …)

«… Podíamos ter-te dado tudo num só lote … Mas no teu atual desânimo, como podes ter assistido a certas visões e ouvido certos ditados? Eles o teriam ferido a ponto de torná-lo incapaz de cumprir sua missão de “porta-voz”. Por isso os demos primeiro, evitando partir o seu coração, porque somos bondosos, e usamos visões e palavras adequadas aos seus sofrimentos, para que a sua dor não se transformasse em tortura … »(O Poema … Vol. 1, pp. . 229-30; O Evangelho … Vol. 1, p. 276) (Em 9 de fevereiro de 1944, Jesus havia dito 🙂

«… Já disse que apressarei a descrição das “nossas” tristezas, para que sejam conhecidas. Mas, como você vê, alguns dos de Minha Mãe já haviam sido ilustrados. Expliquei o voo antes da Apresentação, pois era necessário fazê-lo naquele dia. Eu sei. Você entende e vai explicar a razão ao Pai (Migliorini) verbalmente. Tenho planejado alternar suas contemplações e Meus consequentes esclarecimentos, com ditados verdadeiros e próprios, para confortar você e seu espírito, concedendo-lhe a bem-aventurança de ver, e também porque desta forma a diferença de estilo entre sua composição e a Minha será evidente … Além disso … nas contemplações, não vou manter uma ordem cronológica correspondente à dos Evangelhos. Selecionarei os pontos que achar mais úteis naquele dia para você ou para outras pessoas, seguindo Minha própria linha de ensino e bondade … »(O Poema … Vol. 1, p. 238; O Evangelho … Vol. 1, p. 283)

Correlação dos Escritos de Maria com as Escrituras (Estas notas adicionais se originam da pesquisa do compilador , realizado ao longo de vários anos …)

Como muitos católicos de meus anos de crescimento nas décadas de 1940 e 1950, eu me lembrava pouco mais do que as passagens da Escritura que tinha ouvido na missa de domingo. Durante minha segunda leitura do Poema , ocorreu-me que esses livros estavam cheios de Escrituras. Um pouco mais tarde, fiquei muito feliz ao descobrir que o Padre Delisi – um abade em um mosteiro em Conyers GA, EUA – tinha referências cruzadas de mais de 1.600 passagens do Poema – aos Evangelhos. Nos anos seguintes, e investigando muitas outras referências na segunda edição italiana de 10 volumes de capa mole do “Trabalho”, esta lista agora é expandida para cerca de 7, 000 passagens que direta e indiretamente se referem a passagens tanto do Antigo como do Novo Testamento. (Veja

“Onde está? – Um Guia para o Evangelho como Me foi Revelado”; e “Um Guia do Peregrino para o Poema do Homem-Deus”.)

Agora, você pode imaginar uma mesa de computador com 2 colunas verticais de 7.000 linhas – Os números do volume / página do Poema à esquerda, e os números do livro e capítulo / versículo da Escritura à direita. Assim, tive minha primeira mesa: Poema da Escritura. Em seguida, transferi a coluna da direita para a esquerda, classifiquei essas 7.000 linhas em ordem alfabética de A a Z – os Atos dos Apóstolos a Sofonias – e agora tínhamos Escritura para Poema !! Em tudo isso, não encontrei contradição entre os versículos da Escritura e o que Maria Valtorta havia escrito!

Além disso, descobri que Maria Valtorta, tendo sido levada para trás no tempo, tinha testemunhado 98. 5% de todas as passagens nos quatro Evangelhos que se referem à vida de Jesus e Maria !! Declaração do Papa Pio XII O que se segue é a declaração frequentemente citada do Papa Pio XII dada a três testemunhas em 26 de fevereiro de 1948 – em relação aos manuscritos publicados posteriormente como O Poema do Homem-Deus: “Publique esta obra tal como está. Não há necessidade de opinar sobre sua origem, seja ela extraordinária ou não.

Quem ler vai entender. (Hoje em dia) ouvimos falar de muitas visões e revelações. Não estou dizendo que todas seriam verdadeiras, mas há algumas que são autênticas ”. Comentário do Bispo Roman Danylak (Em um testemunho datado de 24 de junho de 2001, o Bispo Roman Danylak – então de Toronto e ex-Roma – descreve sua experiência com a principal obra de Maria Valtorta, O Poema do Homem-Deus: ) Como sacerdote e bispo da Igreja Católica aprendi a respirar com os “dois pulmões do Cristianismo”, oriente e ocidente … Fui batizado na Igreja Católica Bizantina Ucraniana … e minha formação teológica, filosófica e canônica veio das escolas do oeste. Lendo os textos do Poema do Homem-Deus … repetidamente experimentei a riqueza literária desta Vida de Cristo por um mestre artesão: a exatidão factual de suas descrições da geografia e as cenas de Israel e os eventos de o Evangelho. Ela narra uma história que inclui um elenco de centenas de apóstolos, discípulos, amigos e inimigos de Cristo.

Ela tece uma tapeçaria magistral da vida e do drama de nosso Divino Salvador e de Sua Santíssima Mãe, tendo como pano de fundo a história e a topografia de Israel e da Palestina do primeiro século da era cristã, como cronista fiel e acurado do drama divino da história da salvação … Quem deseja conhecer a Cristo e sua Mãe Santíssima, a sublime pedagogia do Divino Mestre ao proclamar o Evangelho da Salvação e formar este grupo heterogêneo de pescadores, um cobrador de impostos e um fanático convertido curado de lepra … tal pessoa encontrará um guia e mentor admirável nesta obra monumental de Maria Valtorta . São João escreveu em seu evangelho: “Há muito mais além do que Jesus fez. Se tudo isso fosse escrito, não acho que o próprio mundo conteria os livros que teriam sido escritos. ” (Jo. 21:25)

Esta obra principal de Maria Valtorta, O Poema do Homem-Deus, é o Evangelho ampliado e, com seus outros escritos, está em perfeita consonância com os Evangelhos canônicos e com as tradições e o magistério da Igreja Católica. (Em 30 de novembro de 1998, o Bispo Danylak concedeu seu próprio Imprimatur para os escritos espirituais de Maria Valtorta no italiano original e em traduções para o inglês aprovadas pelo Centro Editoriale Valtortiano. Um Imprimatur é uma decisão de um bispo que exerce seu carisma de ensino autoridade, garantindo aos fiéis que uma obra está livre de erros morais e doutrinários. Os Escritos Essenciais de Maria Valtorta – Linha do Tempo (Diagrama)

Nascimento e Vida escondida de Maria e de Jesus.

1. Introdução. Deus quer um seio sem mácula.

“Deus me possuiu no principio de seus caminhos.”
Salomão, Provérbios cap. 8 v. 22.

22 de agosto de 1944.

Jesus me ordena: “Pega um caderno todo novo. Copia, na primei ra 1.1 folha, o ditado do dia 16 de agosto. Neste livro se falará dela”.
Obedeço e copio.

16 de agosto de 1944.

Jesus diz:
“Hoje escreve apenas isto. A pureza, na sua expressão máxima*, tem um tal valor que torna o seio de uma criatura capaz de conter o que não podia ser contido”.
A Santíssima Trindade desceu com a sua perfeição em um pequeno espaço, habitando-o com as suas Três Pessoas, encerrando lá o seu Infinito, sem diminuir-se com isso, pois o amor da Virgem e a vontade de Deus dilataram este espaço até transformá-lo num Céu. Eis como essas características se manifestaram:
* Assim como no sexto dia, o Pai recria a Criatura, tendo uma “filha” digna e verdadeira, feita à sua perfeita semelhança. A imagem de Deus estava estampada em Maria de tal modo que só no Primogênito do Pai lhe era superior. Maria pode ser chamada a “segundo gênita” do Pai porque,
pela perfeição que lhe foi dada e sabida conservar, por dignidade de esposa e mãe de Deus e também de Rainha do Céu, vem depois do Filho do Pai no seu eterno Pensamento, que “ab aeterno” nela se compraz;
O Filho, sendo também para ela “Filho” ensinando-a, por mistério de graça, a sua verdade e sabedoria quando ainda não era mais que um embrião que lhe crescia no ventre;
O Espírito Santo, aparecendo entre os homens por uma antecipada Pentecostes, por uma prolongada Pentecostes, Amor “naquela que amou”, consolação dos homens, pelo fruto do seu ventre, santificação, pela maternidade do Santo.
Deus, para manifestar-se aos homens, da forma nova e completa que inicia a era da Redenção, não escolheu para seu trono um astro do céu, nem o palácio real de um poderoso. Não quis nem mesmo as asas dos anjos como base para seus pés. Quis um seio sem mácula.

Eva também tinha sido criada sem mancha. Mas espontânea mente quis corromper-se. Maria, tendo vivido num mundo corrupto (Eva, ao contrário, vivera num mundo puro) não quis prejudicar a sua inocência nem mesmo com um pensamento voltado ao pecado. Sabia que o pecado existe. Viu os
vultos diversos e horríveis. Viu todos, até o mais horrendo vício: o deicídio. Mas os conheceu para expiá-los e ser, eternamente, aquela que tem piedade dos pecadores e ora por suas redenções.

Este pensamento será introdução a outras coisas santas que darei para teu 1.4 conforto e de muitos outros”.

Compartilhe a Divina Vontade