Para nos Fundir na Vontade Divina


Para fundir-se na vontade divina

 

Volume 10 – 14 de outubro de 1911

Quão escasso é o número daqueles que fundem suas vidas completamente no amor.

Meu sempre adorável Jesus se fez ver, querendo adormecer dentro de mim; e eu, distraindo-o, disse-lhe: ‘Jesus, o que estás a fazer? Não é hora de dormir. Os tempos são tristes e muita vigilância é necessária. O que é isso? Você quer fazer algo grave acontecer hoje? ‘

E Jesus: “Deixa-me dormir, porque sinto que preciso disso; e tu, repousas comigo.”

E eu: ‘Não, Senhor, Você sofre muito e o descanso é necessário para Você – eu não.’

E Ele: “Então eu durmo, e você segura o peso do mundo – você verá se consegue”.

E eu: ‘Eu certamente não farei isso, mas junto com Você – sim. Além disso, o amor não é mais do que descanso para você? Quero muito amar-te, mas com o teu próprio Amor, para poder dar-te o amor de todos. Com Amor vou acalmar todas as tuas dores, vou fazer-te esquecer todas as dores, vou compensar tudo o que as criaturas devam fazer. Não é verdade, ó Jesus? ‘

E Ele : “O que você diz é verdade, mas o amor também é justo. Oh! Quão escasso é o número daqueles que fundem suas vidas completamente no amor! Eu recomendo a você, minha filha – dê a conhecer a todos que puder que tudo está no Amor – a necessidade do Amor – e que tudo o que não é Amor, mesmo que sejam coisas sagradas, em vez de fazê-los andar para frente, faça-os retroceder. Que a sua missão seja ensinar a verdadeira Vida de Amor, na qual há é tudo o que há de belo nas criaturas, e tudo o que há de mais belo que elas podem Me dar. ” E eu: ‘Quanto é preciso para fazê-los compreender isso. Para alguns, parece estranho que tudo esteja no Amor e que, ao amar, o Amor se comprometa a torná-los semelhantes a Você, que é todo Amor. Mas, afinal, farei o que puder. ‘

Então eu vi Jesus querendo se retirar, e eu: ‘Não me deixe; agora que estamos conversando sobre o amor Você quer se retirar? Como é? Você gosta tanto de amor … ‘Mas depois de um tempo Ele desapareceu.

Acrescento que no dia 11 disse a Jesus: ‘Ou tu me manterás na cruz, ou eu te guardarei na cruz’. E já que Jesus havia me mostrado carregando um caixão, todo preto, sobre os ombros, e Ele estava todo curvado sob aquele caixão.

Ele me disse: ” Este caixão é a Itália. Não consigo mais carregá-lo – sinto-me esmagado sob ele.” E parecia que, quando Ele se levantou, o caixão balançou, e a Itália recebeu uma sacudida terrível. “

 

Volume 11 – 30 de janeiro de 1916

Quando a alma vive completamente na vontade divina, toda a sua obra se reflete em Jesus e nela se reflete a obra de Jesus.

Eu estava me fundindo completamente no meu sempre adorável Jesus, e enquanto fazia isso, Jesus veio, fundindo- se totalmente em mim, dizendo-me: “Minha filha, quando a alma vive completamente na minha vontade, se ela pensa, seus pensamentos são refletido em minha mente no céu; se ela deseja, se ela fala, se ela ama – tudo se reflete em mim, e tudo o que eu faço é refletido nela. Acontece como quando o sol se reflete no vidro: um pode ver o outro Sol nele, completamente parecido com o Sol nos céus – com esta diferença: o Sol nos céus está fixo e permanece sempre em seu lugar, enquanto o sol no vidro vai passando.

Agora, minha Vontade cristaliza a alma, e tudo o que ela faz se reflete em Mim; e eu, ferido e arrebatado por essas reflexões, envio-lhe toda a minha Luz, para formar nela outro Sol.

Portanto, um Sol no Céu e outro na Terra aparecem. Que encanto! Que harmonias entre eles! Quantas mercadorias são derramadas para o benefício de todos!

Mas se a alma não está fixada em minha Vontade, pode acontecer a ela como ao sol que se forma no vidro, que é um sol que passa; depois de um tempo, o vidro permanece obscurecido e o Sol no céu permanece sozinho. “

 

Volume 11 – 14 de março de 1914

À medida que a alma que vive na vontade divina funde-se com Jesus, ela toma posse de tudo o que pertence a Jesus, e ele não pode recusar-lhe nada.

Hoje eu estava me fundindo totalmente em Jesus, a ponto de sentir Jesus vivo e real dentro de mim. Enquanto eu o sentia, Ele me disse de uma maneira tão terna e comovente que senti meu pobre coração quebrar: ‘Minha filha, é muito difícil para Mim não contentar alguém que faz a minha Vontade. Como você vê, não tenho mais mãos, pés, coração, olhos ou boca. Não tenho mais nada do meu testamento, já que você levou tudo – você tomou posse de tudo. Não tenho mais nada que não seja seu. É por isso que castigos merecidos não estão sendo derramados sobre os muitos e grandes males que inundam a terra: porque é difícil para Mim não te contentar. Além disso, como posso fazer isso se não tenho mãos? Você não acredita em mim, não é? Se as mãos fossem absolutamente necessárias para Mim, eu seria forçado a roubá-las de você ou convencê-lo a que você mesmo as desse a Mim. Quão difícil é isso – quão difícil é para Mim desagradar alguém que faz a minha Vontade! Eu me desagradaria. “

Fiquei surpreso com esse falar de Jesus. Não só isso, mas pude realmente ver que tinha as mãos, os pés e os olhos de Jesus; então eu disse a Ele: ‘Jesus, deixa-me ir.’

E Ele: “Dê-me um pouco mais de vida em você, e então você virá.”

 

Volume 11 –  agosto de 1914

Fusão em Jesus para aliviá-lo de sua dor pelos pecados das criaturas.

Como estava no meu estado normal, veio o meu sempre adorável Jesus, de uma forma diferente da habitual que teve comigo durante este período da minha vida – isto é: se Ele vier, é só para um pouco, passando rapidamente e com a cessação quase total dos sofrimentos que Ele costumava comunicar a mim quando Ele veio. Só a Sua Santa Volição é o que compensa tudo …

Então, esta manhã Ele veio e ficou por várias horas, mas em um estado que faria chorarem pedras. Ele tinha dor por toda parte e queria ser acalmado em cada parte de Sua Santíssima Humanidade. Parecia que, se Ele não tivesse recebido alívio, teria reduzido o mundo a uma pilha de escombros. Parecia que Ele não queria ir, para não ver os massacres e as vistas dos túmulos do mundo, o que quase O obrigou a fazer coisas ainda piores. Eu O apertei contra mim e, querendo aliviá-lo, me fundi em sua inteligência para poder me colocar em todos os intelectos das criaturas e oferecer um bom pensamento a cada mau pensamento, a fim de reparar e aliviar todos os pensamentos ofendidos de Jesus. Da mesma forma, eu fundieu mesmo em seus desejos de estar presente em todos os desejos maus das criaturas, a fim de colocar meu desejo bom e acalmar os desejos ofendidos de Jesus; e assim por diante com todo o resto. Então, depois que O aliviei parte por parte, Ele foi embora, como se estivesse animado.

 

Volume 11 – 27 de agosto de 1915

Fundir-se na vontade divina é preencher-se com todas as qualidades de Jesus.

Eu estava me Fundindo na Santíssima Vontade do bendito Jesus e, enquanto fazia isso, me encontrava em Jesus; Ele me disse: “Minha filha, quando uma alma se funde em minha vontade, é como quando dois recipientes, cheios de diferentes fluidos, são despejados um no outro; cada um deles permanece cheio com o que o outro continha. da mesma forma, a criatura permanece cheia de Mim e Eu dela. E visto que minha Vontade contém Santidade, Beleza, Poder, Amor, etc., a alma, enchendo-se de Mim – Fundindoe se abandonando em minha Vontade – chega a ser preenchido com minha própria Santidade, meu Amor, minha Beleza, etc., da maneira mais perfeita dada a uma criatura. E eu me sinto sendo preenchido por ela, e encontrando minha santidade, minha beleza, meu amor, etc. nela, eu olho para ela como se fossem suas próprias coisas, e eu gosto tanto disso que me apaixono por ela , mantendo-a com ciúme no lugar íntimo dentro de Mim – enriquecendo-a e embelezando-a continuamente com minhas qualidades Divinas, a fim de ficar cada vez mais encantada e apaixonada. “

 

Volume 11 – 15 de novembro de 1916

A alma forma seu paraíso na terra.

Eu estava lamentando com meu doce Jesus que Ele não me amava mais como antes, e Ele, todo o bem, me disse: “Minha filha, não amar quem Me ama é impossível para Mim. Pelo contrário, sinto-me tão atraído por ela, que ao menor ato de amor que ela faz por Mim, eu respondo com amor triplo e coloco uma veia divina em seu coração, que administra a sua ciência divina, santidade e virtude divinas; e quanto mais a alma Me ama, mais este divino a veia sobe, e regando todos os poderes da alma, se difunde para o bem das outras criaturas. Eu coloquei esta veia em você, e quando você falta a minha presença e não ouve a minha voz, esta veia vai compensar tudo , e será a voz para você e para as outras criaturas. “

Outro dia, eu estava me fundindo , como sempre, na vontade do bendito Jesus, e Ele me disse: “Minha filha, quanto mais você se funde em mim, mais eu me fungo em você. sobre terra que a alma forma seu paraíso; conforme ela se enche de pensamentos santos, de afetos, desejos, palavras, obras e passos santos, ela vai formando seu paraíso. A mais um pensamento ou palavra sagrada, mais um contentamento corresponderá, e muitas variedades de beleza, de contentamento, de glória, por tanto mais bem quanto ela tenha feito. Qual será a surpresa desta alma quando, uma vez quebrada a prisão de seu corpo, imediatamente ela se encontrar no mar de tantos prazeres e alegrias, de tanta luz e beleza, de tanto bem quanto ela fez – seja mesmo um pensamento! “

 

Volume 12 – 8 de março de 1921

Com Seu Amor, A Virgem Chama O Verbo Para Se Encarnar Em Seu Ventre. Com o seu amor, e fundindo-se na vontade divina, Luisa convoca a vontade divina de ter vida na terra dentro dela.

Enquanto orava, eu estava fundindo- me totalmente na vontade divina, e meu doce Jesus saiu de dentro de mim e, jogando o braço em volta do meu pescoço, me disse: “Minha filha, com seu amor, com suas orações, com ela aniquilação, minha mamãe me chamou do céu para a terra, para me encarnar em seu ventre. Você, com seu amor e com sua contínua dissolução de si mesmo em minha vontade, chamará minha vontade de ter vida na terra dentro de você; e então você vai me dar vida em outras criaturas.

Porém, saiba que como minha Mamãe me chamou do Céu para a terra dentro do Seu ventre, visto que o ato que Ela fez foi um ato único, que nunca mais se repetirá, Eu A enriqueci com todas as graças. Eu a dotei de tanto amor a ponto de fazê-la superar o amor de todas as criaturas unidas. Eu dei a Sua primazia nos privilégios, na glória – em tudo. Eu poderia dizer que todo o Eterno se reduziu a um único ponto, e se derramou sobre Ela em torrentes, em mares imensos; tanto assim, que todos permanecem abaixo dela.

Ao chamar a minha Vontade para dentro de você, este também é um ato único, portanto, pelo decoro de minha Vontade que deve habitar em você, devo derramar em você tanta graça, tanto amor, a ponto de fazê-lo superar todas as outras criaturas . E uma vez que minha Vontade tem supremacia sobre todos, e é eterna, imensa, infinita, devo comunicar isso àquele em quem a Vida de minha Vontade deve ter Seu início e conclusão, dotando-a e enriquecendo-a com as mesmas qualidades de minha Vontade, dando a ela supremacia sobre tudo. Minha vontade eterna levará o passado, o presente e o futuro; Isso os reduzirá a um único ponto e os colocará em você. Minha Vontade é eterna, e quer ter vida ali onde encontra a eternidade; É imenso e quer vida na imensidão; É infinito e quer encontrar o infinito. Como posso encontrar tudo isso,

Ao ouvir isso fiquei assustado e apavorado – se o escrevi é porque a obediência se impunha – e disse: ‘Jesus, o que estás a dizer? Você realmente quer me confundir e me humilhar até o pó. Sinto que não posso nem tolerar o que Você está dizendo – sinto um terror que me assusta por completo. ‘

E acrescentou: “O que Eu te digo servirá a Mim mesmo; é necessário para a Santidade e dignidade de minha Vontade. Não Me rebaixo para residir onde não encontro as coisas que Me pertencem. Você não será nada que não seja o depositário de um bem tão grande, que você deve guardar com ciúme. Portanto, crie coragem e não tenha medo. “

 

Volume 12 – 18 de março de 1917

Efeitos de fundir-se em Jesus.

Eu estava orando, Fundindo- me totalmente em Jesus, e queria cada pensamento de Jesus em meu poder para ter vida em cada pensamento de criatura, e para reparar com o mesmo pensamento de Jesus; e assim com todo o resto.

E meu doce Jesus me disse: “Minha filha, minha Humanidade na terra não fez nada além de conectar cada pensamento de criatura com o meu. Então, cada pensamento de criatura se refletiu em minha mente, cada palavra em minha voz, cada batida de coração em meu coração , cada ação em minhas mãos, cada passo em meus pés, e assim com todo o resto. Com isso, ofereci reparações divinas ao Pai. Agora, tudo o que fiz na terra, continuo no céu, e como pensam as criaturas , seus pensamentos fluem em minha mente; conforme eles olham, eu sinto seus olhares nos meus.

Portanto, uma eletricidade contínua flui entre Eu e eles, assim como os membros estão em comunicação contínua com a cabeça. E eu digo ao Pai: ‘Meu Pai, eu não sou o único que está orando, reparando, satisfazendo, apaziguando, mas existem outras criaturas que fazem dentro de Mim tudo o que Eu faço. Ainda mais, com seu sofrimento, eles compensam a minha Humanidade, que é gloriosa e incapaz de sofrer. ‘

Ao fundir- se em mim, a alma repete tudo o que eu fiz e continua a fazer. Qual será o contentamento dessas almas que viveram suas vidas em Mim, abraçando junto Comigo todas as criaturas e todas as reparações, quando estarão Comigo no Céu? Eles continuarão suas vidas em Mim; e como as criaturas pensarão ou me ofenderão com seus pensamentos, estes se refletirão em suas mentes e continuarão as reparações que fizeram na terra. Eles serão, junto Comigo, as sentinelas de honra perante o Trono Divino; e como as criaturas na terra Me ofenderão, elas farão atos opostos no céu. Eles protegerão meu trono; eles terão o lugar de honra; eles serão os que mais Me compreenderão – os mais gloriosos. Sua glória será completamente Fundido no Meu, e Meu no deles.

Portanto, que sua vida na terra seja completamente Fundida na Minha. Não pratique nenhum ato sem fazê-lo passar para Mim; e toda vez que você se fundir em mim, derramarei novas graças e nova luz em você, e me tornarei a sentinela vigilante do seu coração para manter longe de você qualquer sombra de pecado. Eu irei guardá-lo como minha própria Humanidade, e eu irei comandar os Anjos para cercá-lo como uma coroa, para que você possa ser protegido de tudo e de todos. “

 

Volume 12 – 28 de março de 1917

O ‘Eu te amo’ de Jesus. O Ato Imediato Feito Com Jesus.

Continuando em meu estado normal, meu sempre amável Jesus mal se fez ver – mas tão aflito a ponto de levar alguém à pena. Eu disse a Ele: ‘O que é, Jesus?’

E Ele: “Minha filha, coisas inesperadas surgirão e de repente ocorrerão; revoluções estourarão por toda parte. Oh, como as coisas ficarão piores!” Todo aflito, Ele permaneceu em silêncio.

E eu: ‘Vida da minha vida, diga-me outra palavra.’ E Jesus, como se soprasse em mim, disse: “Eu te amo”; e parecia que tudo e todos iriam receber uma nova vida daquele ‘eu te amo’. Repeti: ‘Jesus, mais uma palavra.’

E Ele: ” Eu não poderia te dizer uma palavra mais bonita do que ‘eu te amo’. Este meu ‘eu te amo’ enche o céu e a terra. Ela circula pelos santos, e eles recebem uma nova glória; desce aos corações das almas dos peregrinos, e alguns recebem a graça da conversão, alguns da santificação; penetra no Purgatório e derrama-se sobre suas almas como orvalho benéfico, e eles se sentem revigorados por ele. Até os elementos se sentem investidos por uma nova vida em fecundar, em crescer .Todos percebem o ‘eu te amo’ do teu Jesus. E sabes quando a alma atrai um dos meus ‘te amo’? Quando, fundindo- se em Mim, assume a atitude divina e, dissolvendo-se em Mim, ela faz tudo que eu faço . 

E eu: ‘Meu amor, muitas vezes é difícil manter essa atitude divina constantemente.’

E Jesus: “Minha filha, o que a alma nem sempre pode fazer com seus atos imediatos em Mim, ela pode compensar com sua atitude de boa vontade. Eu ficarei tão feliz por ela que me tornarei a sentinela vigilante de cada um de seus pensamentos, palavras, batimentos cardíacos, etc., colocando-os dentro e fora de Mim como meu cortejo, olhando para eles com muito amor, como fruto da boa vontade da criatura. Então, quando a alma, Fundindo- se em Mim, faz seus atos imediatos Comigo, sinto-me tão atraído por ela que faço o que ela faz junto com ela, transformando sua obra em obra Divina. Levo tudo em consideração e recompenso tudo, até as menores coisas. Nem uma só. ato de boa vontade permanece defraudado na criatura. “

 

Volume 12 – 18 de abril de 1917

Derramando-se na vontade divina e fundindo-se em Jesus.

Eu estava me fundindo no meu doce Jesus para me difundir em todas as criaturas, e fundi- las todas em Jesus. Então, continuei me lançando entre as criaturas e Jesus, para evitar que meu amado Jesus fosse ofendido e para evitar que as criaturas O ofendessem.

Agora, enquanto eu fazia isso, Ele me disse: “Minha filha, conforme você se derrama em minha Vontade e se funde em Mim, um Sol se forma em você. Conforme você continua pensando, amando, reparando, etc., os raios são formados;.. e meu Will, como pano de fundo, torna-se a coroa destes raios Portanto, a Sun é formado que, erguendo-se no ar, se funde com orvalho benéfica sobre todas as criaturas Portanto, quanto mais você Fuse -se em mim, mais Você continua formando sóis.

Oh, como é lindo ver esses Sóis que, nascendo e nascendo, permanecem circunfundidos em meu próprio Sol, e derramam orvalho benéfico sobre todos! Quantas graças as criaturas não recebem! Estou tão impressionado com isso que, à medida que eles se fundem , eu despejo orvalho abundante de todos os tipos de graças sobre eles, para que possam formar sóis maiores e possam derramar o orvalho benéfico mais abundantemente sobre todos. “

E enquanto eu estava me fundindo , eu podia sentir luz, amor, graças sendo derramadas sobre minha cabeça.

 

Volume 12 – 10 de maio de 1917

Como Jesus dá movimento e vida a todas as criaturas com sua respiração.

Continuando em meu mau estado, eu estava tentando me fundir em meu doce Jesus de acordo com minha maneira usual; mas por mais que tentei, foi em vão.

O próprio Jesus distraiu-me e, suspirando fortemente, disse-me: “Minha filha, a criatura nada mais é do que o meu sopro. Enquanto respiro, dou vida a tudo. Toda a vida está na respiração. Sem respirar, o coração já não bate, o sangue não circula mais, as mãos permanecem inativas, a mente sente a inteligência morrer, e assim com todo o resto.

Portanto, toda a vida humana consiste em receber e dar esse fôlego. Mas enquanto Eu dou vida e movimento a todas as criaturas com meu sopro, querendo santificá-las, amá-las, embelezá-las, enriquecê-las, etc. com meu hálito sagrado, conforme elas devolvem a Mim o sopro que recebem, elas Me enviam ofensas , rebeliões, ingratidões, blasfêmias, negações e todo o resto. Eu envio a respiração pura e eles a devolvem impura. Eu o envio em bênção, e ele volta para Mim amaldiçoando. Eu envio todo o amor, e ele retorna ofendendo-Me no mais íntimo do meu Coração. Mas o Amor me faz continuar a enviar meu fôlego, a fim de manter essas máquinas de vidas humanas; do contrário, eles não funcionariam mais e acabariam naufragados.

Ah! minha filha, você ouviu como a vida humana é mantida? Por minha respiração. E quando encontro uma alma que Me ama, como seu hálito é doce, como ela Me diverte – sinto-me animado. Um eco de harmonias é formado entre mim e ela; então ela permanece distinta das outras criaturas, e ela será distinta também no céu. Minha filha, eu não pude conter o meu Amor, e eu queria Me derramar com você. “

Então, hoje eu não pude Me fundir em Jesus, porque Ele mesmo me manteve ocupado em Sua respiração. Quantas coisas eu entendi, mas não sou capaz de dizê-las bem – então paro por aqui.

 

Volume 12 _ 16 de maio de 1917

Efeitos das Horas da Paixão.

Encontrando-me no meu estado normal, Fui fundindo- me inteiramente no meu doce Jesus, e depois me derramei nas criaturas, para dar Jesus integralmente a todos.

E o meu amado Jesus disse-me : «Minha filha, cada vez que a criatura se funde em Mim, dá a influência da Vida Divina a todas as criaturas; e de acordo com as suas necessidades, as criaturas obtêm os seus efeitos: os que são fracos, sentem força; aqueles que são obstinados no pecado recebem luz; aqueles que sofrem, recebem conforto; e assim com todo o resto. “

Então, eu me encontrei fora de mim mesmo. Eu estava no meio de muitas almas – elas pareciam estar purgando almas e santos – que estavam falando comigo e mencionando uma pessoa conhecida por mim, que morreu há não muito tempo. E eles me disseram: ‘Ele se sente feliz por ver que não há alma que entre no Purgatório sem levar a marca das Horas da Paixão. Cercadas pelo cortejo destas Horas e ajudadas por elas, as almas refugiam-se. E não há alma que voe para o Céu, sem ser acompanhada por estas Horas da Paixão. Estas horas fazem com que um orvalho contínuo desça do céu à terra, ao purgatório e até mesmo ao céu. ‘

Ao ouvir isso, disse a mim mesmo: ‘Talvez o meu amado Jesus, para manter a palavra que Ele deu – que a cada palavra das Horas da Paixão Ele daria uma alma – está permitindo que não haja uma alma salva quem não se beneficia destas Horas. ‘

Depois, voltei para dentro de mim e, ao encontrar meu doce Jesus, perguntei-lhe se isso era verdade.

E Ele: “Estas Horas são a ordem do Universo; colocam o céu e a terra em harmonia e me impedem de mandar o mundo à ruína. Sinto o meu Sangue, as minhas feridas, o meu Amor e tudo o que fiz, sendo postos em circulação e eles fluem sobre todos para salvar todos. Enquanto as almas fazem estas Horas da Paixão, eu sinto meu Sangue, minhas feridas, minhas ansiedades por salvar almas sendo colocadas em movimento, e eu sinto minha própria Vida sendo repetida. Como poderiam as criaturas obter algum bem senão por meio destas Horas? Por que você duvida? Esta coisa não é sua, mas minha. Você tem sido o instrumento tenso e fraco. “

 

Volume 12 – 03 de setembro de 1919

A fusão de si mesmo em Jesus equilibra as reparações.

Eu estava lamentando com meu doce Jesus sobre meu estado deplorável e como permaneci como um ser inútil que não faz o bem. Então, qual é o propósito da minha vida? E meu amado Jesus me disse: “Minha filha, o propósito da sua vida é conhecido por mim, e não cabe a você investigá-lo. No entanto, saiba que apenas Fusingtu mesmo em Mim todos os dias, e muitas vezes ao dia, serve para manter o equilíbrio de todas as reparações, porque só quem entra em Mim e tira de Mim a origem de tudo o que faz, pode equilibrar as reparações de todos e de tudo. Ela pode equilibrar a Glória do Pai por parte das criaturas, porque um Princípio eterno e uma Vontade eterna estão dentro de Mim, e por isso pude equilibrar tudo: satisfação, reparação e Glória completa ao Pai Celestial por parte de todos .

Portanto, ao entrar em Mim, você vem renovar o equilíbrio de todas as reparações e da Glória da Eterna Majestade. Você acha que isso é trivial? Não te sentes que não podes prescindir dela, e que não te deixo antes de te ver Fundindo- te em cada um dos meus membros, para receber de ti o equilíbrio de todas as reparações, ao te substituires em o nome de toda a família humana? Tente reparar-Me em tudo o máximo que puder. Se soubesses quanto bem o mundo recebe quando uma alma, sem sombra de interesse pessoal , mas somente por amor a Mim, se eleva entre o Céu e a terra e, unida a Mim, equilibra as reparações de todos! ””.

 

Volume 13 – 15 de dezembro de 1921

Reordenando-se em Jesus Fundindo-se à Sua Vontade. Somente os Atos Feitos no Divino Se Devolverão à Origem em que A Alma Foi Criada e Levarão Vida Dentro da Esfera da Eternidade.

Como eu estava no meu estado normal, meu sempre adorável Jesus, ao vir, disse-me: “Minha filha, reordene-se em Mim. E você sabe como pode se reorganizar em Mim? Fundindo-setudo de você em minha vontade. Mesmo a respiração, o batimento cardíaco e o ar que você respira não devem ser nada além de fusão em minha Vontade. O mesmo ocorre com a ordem entre o Criador e a criatura, e ela retorna à origem de onde veio. Todas as coisas estão em ordem, têm seu lugar de honra e são perfeitas, quando não se movem desde a origem de onde vieram. Uma vez que partem da origem, tudo é desordem, desonra, imperfeição. Somente os atos praticados em minha Vontade se devolvem à origem em que foi criada a alma, e ganham vida na esfera da Eternidade, trazendo ao seu Criador as homenagens divinas e a glória da própria Vontade. Todos os outros atos ficam lá embaixo, esperando a última hora de vida, cada um para passar por seu próprio julgamento e pela dor que merece, porque não há nenhum ato feito fora da minha Vontade, nem mesmo o bem, que pode ser chamado de puro. O mero objetivo que falta à minha Vontade é jogar lama sobre as mais belas obras; e então, o mero movimento de sua origem merece uma penalidade. A criação foi entregue nas asas da minha Volição, e nessas mesmas asas Eu gostaria que ela voltasse para Mim – mas espero em vão. É por isso que tudo é desordem e confusão.

Portanto, faça a minha Vontade de me dar, em nome de todos, reparação por tamanha desordem. “

 

Volume 14 – 28 de março de 1922

Tudo o que Jesus fez na terra foi um ato contínuo de se doar ao homem. Correspondência para cada coisa criada.

Continuando em meu estado normal, eu estava Fundindo tudo de mim na Santa Vontade do meu amado Jesus; e Ele me disse: “Filha da minha Vontade, se você conhecesse os presságios, os prodígios que ocorrem quando você se funde na minha Vontade, você ficaria estupefata. Ouça um pouco: tudo o que eu fiz na terra é em contínuo ato de doação ao homem, envolvendo-o como uma coroa. Meus pensamentos formam uma coroa em torno da inteligência da criatura; minhas palavras, minhas obras, meus passos, etc., formam uma coroa em torno de suas palavras, obras e passos, de modo que, por suas coisas com as Minhas, posso dizer a meu Pai Celestial que suas obras são como as minhas.

Agora, quem assume esta minha atitude contínua? Quem se deixa enredar pelas minhas obras, com as quais coroei toda a família humana? Aquele que vive em minha vontade. Enquanto você estava fundindo seus pensamentos em minha vontade, meus pensamentos que o cercavam como uma coroa ouviram o eco dos meus pensamentos em sua mente, e identificando-se com os seus, eles multiplicaram os seus com os meus e formaram uma dupla coroa em torno da inteligência humana. E meu Pai Celestial recebeu, não só de Mim, mas também de Ti, a glória divina da parte de todas as inteligências criadas; o mesmo com as palavras e com todo o resto. E Ele recebe esta glória divina não só das criaturas, mas de todas as outras coisas criadas, porque todas as coisas foram criadas para fazer o amor contínuo correr para o homem, e o homem, por justiça, deve dar homenagem e amor ao seu Criador por cada coisa criada .

Agora, quem compensa isso? Quem faz aquele FIAT, pelo qual todas as coisas foram feitas, dela, para espalhar homenagem, adoração, amor divino por seu Criador sobre tudo? Aquele que vive na minha vontade! Ela torna aquele FIAT Onipotente seu quase com cada palavra dela. O eco do Eterno FIAT ecoa dentro do seu Divino FIAT no qual ela vive, e se espalha, corre – voa, impressionando outro FIAT em cada coisa criada, e devolvendo ao seu Criador a homenagem e o amor por Ele desejados.

Isso foi feito por mim quando eu estava na terra. Não houve nada pelo qual eu não retribuísse meu Divino Pai por parte de todas as criaturas. Agora está feito – e eu quero, espero – por alguém que vive em meu testamento. Se pudesses ver como é lindo ver a minha glória, meu Amor, minha profunda adoração unida à tua, em cada piscar das estrelas, em cada gota de luz do Sol! Oh, como funciona – voa nas asas do vento, enchendo toda a atmosfera! Cruza as águas do mar, se coloca em cada planta, em cada flor; ele se multiplica a cada movimento! É uma voz que ecoa sobre tudo e diz: ‘Amor, glória, adoração ao meu Criador!’

Portanto, aquele que vive na minha Vontade é o eco da minha voz, o repetidor da minha Vida, a glória perfeita da minha Criação. Como eu poderia não amá-la? Como não poderia dar a ela tudo o que deveria dar a todas as outras criaturas juntas, dando-lhe primazia sobre tudo? Ah, meu Amor se sentiria constrangido se eu não fizesse isso! “

 

Volume 14 – 12 de maio de 1922

Aquele que vive no divino concorre em tudo o que Deus faz.

Eu pensava comigo mesmo: ‘Quem sabe em que o ofendi, que o meu doce Jesus não venha como de costume? Como será possível que, sem nada, a bondade do Seu Santíssimo Coração, que facilmente supera a daqueles que O amam, resista a tantos apelos meus? ‘

Agora, enquanto eu pensava nisso e em outras coisas, Ele saiu de dentro do meu interior e me cobriu completamente com um manto da mais refulgente luz, de tal forma que eu não conseguia ver nada além da luz, Ele me disse: “Meu filha, o que você teme? Veja, para mantê-la segura e bem defendida, eu te envolvi com este manto de luz, para que nenhuma criatura e nada possa te machucar. E então, por que você quer perder tempo pensando que tu me ofendeste? O veneno da culpa não entra naquele que vive na minha vontade. Além disso, o teu Jesus te acertaria um raio se te visse com a mais ligeira mancha de pecado; eu te colocaria fora do círculo da minha Will, e você perderia imediatamente a atitude de operar em minha vontade.

Ah, minha filha, a santidade em meu testamento ainda não é conhecida. Cada tipo de santidade tem sua própria distinção especial. Muitos se surpreendem ao saber que venho muitas vezes a vocês, visto que não estou acostumada a fazê-lo com outras almas. A Santidade em minha Vontade é inseparável de Mim, e para elevar a criatura ao nível divino, é necessário que Eu a mantenha identificada com minha Humanidade ou na Luz de minha Divindade. Do contrário, como poderia a alma manter a atitude de operar em minha vontade, se meu trabalho e o dela não fossem um?

Agora, a alma que vive na minha Vontade participa de todos os meus atributos e, junto Comigo, ela concorre em cada um dos meus atos.

Portanto, ela deve concordar Comigo também nos atos de justiça. Por isso, quando quero castigar, escondo de vós a minha Humanidade, que é mais acessível à natureza humana, de tal forma que, nos reflexos da minha Humanidade, sintais o amor e a compaixão que tenho por almas, e arrebateis de Mim os flagelos com que quero feri-los. Então, quando as criaturas fazem tanto a ponto de Me forçar a atacá-las, escondendo minha Humanidade de você, Eu o elevo à luz de minha Divindade; e como Ele te absorve e te deleita, você não sente as reverberações de minha Humanidade, e eu, sendo deixado livre, golpeio as criaturas.

Portanto, ou Eu manifesto minha Humanidade a você, fazendo-o concorrer junto Comigo nos atos de Misericórdia para com as criaturas, ou Eu o absorvo na Luz de minha Divindade, fazendo-o concorrer nos atos de Justiça. Mas você está sempre Comigo; mais ainda, quando te absorvo na Luz da minha Divindade, é uma graça maior que te dou, enquanto tu, não vendo a minha Humanidade, lamentas que te prive de Mim e não aprecio a graça que recebes. “

Ao ouvir que estava concorrendo em atos de Justiça, assustado, disse: ‘Então, meu Amor, agora que Você está batendo nas criaturas, fazendo desabar suas casas, estou fazendo isso junto com Você? Não, não, Deus me livre de tocar em meus irmãos! Quando Tu quiseres golpeá-los, me diminuirei em tua Vontade, não me difundirei nela, para não tomar parte no que tu fazes. Em tudo eu quero fazer o que você faz. Mas nisso – criaturas marcantes – nunca. ‘

E Jesus: “Por que você tem medo? Na minha Vontade você não pode ficar isento de fazer o que eu faço faz. E então, minha Justiça é Santidade e Amor, e Ela serve para equilibrar os direitos divinos. Se eu não tivesse Justiça, toda a plenitude da perfeição estaria faltando à minha Divindade. Então, se você quiser viver na minha Vontade e não quero tomar parte nos atos de justiça, a santidade feita em meu testamento não teria sua plenitude. São duas águas fundidas – uma é obrigada a fazer o que a outra faz. estão separados, cada um segue seu curso. Minha vontade e a sua são as duas águas fundidasjuntos, e tudo o que um faz, o outro também deve fazer.

Portanto, eu quero você sempre na minha vontade. “

Assim, abandonei-me totalmente em Sua Vontade, mas senti grande repugnância em mim pela Justiça; e o meu doce Jesus, voltando, disse-me: “Se soubesses como é pesado para Mim usar a Justiça, e quanto amo a criatura!

Toda a Criação é para Mim como o corpo para a alma, como a casca para o fruto. Estou em ação contínua e imediata com o homem, embora as coisas criadas Me escondam, assim como o corpo esconde a alma. Porém, se não fosse pela alma, o corpo não teria vida. Da mesma forma, se eu me afastasse das coisas criadas, todas elas permaneceriam sem vida. Em todas as coisas criadas visito o homem, toco-o e dou-lhe vida.

 Estou escondido no fogo e o visito com seu calor; se eu não estivesse ali, o fogo não teria calor – seria um fogo pintado e sem vida. Mas enquanto eu visito o homem no fogo, ele não me reconhece, nem me envia uma única saudação. Estou na água e o visito matando sua sede; se eu não estivesse lá, a água não mataria a sede de ninguém – seria água morta. Mas enquanto eu o visito, ele passa diante de mim sem se curvar uma vez a mim. Estou escondido na comida e visito o homem dando-lhe substância, força e sabor; se eu não estivesse lá, ao comer o homem ficaria com o estômago vazio. Ainda assim, ingrato, enquanto ele vive em Mim, ele me dá as costas. Estou oculto no Sol e visito-o com minha luz quase a cada instante; ainda assim, ingrato, ele me retribui com ofensas contínuas. Eu o visito em todas as coisas: no ar que ele respira, na flor que exala sua fragrância, na brisa refrescante, no trovão que golpeia – em tudo. Minhas visitas são inúmeras. Você vê o quanto eu o amo? E você, estando na minha Vontade, está junto Comigo, visitando o homem e dando-lhe a vida.

Portanto, não tenha medo se às vezes você concorda na Justiça. “

 

Volume 14 – 15 de junho de 1922

O batimento cardíaco divino é a pequena célula da alma que vive na vontade divina e faz com que tudo se harmonize dentro da criatura.

Continuando no meu estado normal, estava pensando na Santa Vontade de Deus; e enquanto eu me fundia Nela, meu sempre amável Jesus me disse: ” Minha filha, minha Eterna Vontade foi o ponto central de minha Vida, desde o primeiro ato de minha concepção até meu último suspiro. Ela Me precedeu, Ela acompanhou Eu, tornando-se a Vida do meu ato; e Me seguiu, encerrando meu ato na esfera eterna de minha Vontade, da qual não poderia encontrar saída. E uma vez que minha Vontade Eterna era imensa, não havia um ponto onde não circunda, nem geração na qual Não dominaria.

Portanto, era como se fosse natural para Ele formar meus atos e multiplicá-los por todos, como se fossem para um só.

Um indivíduo pode dar apenas o que possui; por mais poder que ele possa conter, ele não pode dar mais do que aquilo que possui. Agora, minha Vontade possuía a Imensidão, o Poder da multiplicação dos atos em tantos quantos quisesse, a Eternidade na qual Ela subjugou todas as coisas presentes a todos, como no início de todas as coisas, até o fim. É por isso que, desde o primeiro momento de minha concepção, o Poder de minha Vontade formou tantas concepções para tantas criaturas quantas viessem a existir. Multiplicou minhas palavras, pensamentos, obras e passos, e os estendeu do primeiro ao último homem. O Poder da Eterna Volição converteu meu Sangue, minhas dores, em imensos mares dos quais todos poderiam se valer. Se não fosse pelo prodígio da Vontade Suprema, minha própria Redenção teria sido individual, circunscrita,

Agora, minha vontade não mudou: o que foi, é e será. Mais ainda, desde que Eu mesmo vim à terra, e vim vincular mais uma vez a Vontade Divina à humana. E para a alma que não foge deste laço e se coloca à mercê da Vontade Divina, deixando-se ser precedida, acompanhada e seguida, encerrando o seu ato na minha Vontade, aquilo que Me aconteceu, acontece a ela.

Veja, como você estava fundindo seus pensamentos, suas palavras, seus trabalhos, suas reparações, seu amorzinho em minha vontade, eu os estendi, eu os multipliquei, e eles se tornaram antídoto para cada pensamento e para cada obra, reparação para cada ofensa, e amor por cada amor que Me é devido. E se isso não acontecer, a culpa é da vontade humana, que, não se abandonando totalmente presa da Vontade Divina, não leva tudo, nem pode se dar a todos. Assim, ele sente as sensações do humano que o tornam infeliz, circunscrevem-no, empobrecem-no e o tornam incompleto. Esta é a razão de todo o meu interesse que você viva na Minha, e que você entenda bem o que significa viver nela, tanto quanto é possível para uma criatura; porque se você fizer isso, terá obtido tudo e me dará tudo. “

Tendo dito isso, Ele desapareceu. Mas depois Ele voltou e se fez ver todos os feridos. Essas feridas formaram muitas pequenas células nas quais Jesus chamou as almas, para encerrá-las e mantê-las seguras. Disse-Lhe: ‘Meu Amor, e a minha pequena cela – onde está, para que nela me envolva e nunca mais saia?’

E Jesus: “Minha filha, para ti não há pequenas células no meu Corpo, porque quem vive na minha Vontade não pode viver num compartimento meu, mas deve viver na pulsação do meu Coração. A pulsação do coração é o centro e o vida do corpo humano; se o batimento cardíaco cessa, a vida cessa. O batimento cardíaco mantém a circulação sanguínea, o calor, a respiração e, portanto, a força e a atividade dos membros. Se o batimento cardíaco não é regular, todas as faculdades humanas são na desordem; até a inteligência perde a vivacidade, a engenhosidade e a plenitude da luz intelectual. De fato, ao criar o homem, coloquei um som especial em seu coração, ao qual vinculei a harmonia eterna, de tal forma que se batesse é saudável, tudo está em harmonia na criatura.

Agora, minha vontade é como o batimento cardíaco da criatura. Se palpita, a santidade se harmoniza, as virtudes se harmonizam – ela se harmoniza entre o céu e a terra; sua harmonia se estende até a Santíssima Trindade. É por isso que para ti está o meu batimento cardíaco que se oferece como uma pequena célula para aí envolver-te, e para que, palpitante de um só batimento cardíaco, te harmonizas entre o céu e a terra, circula no passado, no presente e no futuro, e estar presente em tudo – você circulando em Mim, e Eu em você. “

 

Volume 17 – 02 de outubro de 1924

Efeitos da adoração feita na Vontade Divina, com o poder do Pai, a sabedoria do Filho e o amor do Espírito Santo.

Senti-me todo amargurado pela privação do meu doce Jesus. Oh! quanto mais difícil e amargo se torna meu exílio sem Aquele que forma toda a minha vida! E orei a Ele para ter compaixão de mim e não me deixar à mercê de mim mesmo. Agora, enquanto eu dizia isso, meu amado Jesus se fez ver quando estava apertando meu coração com força com Suas mãos e depois me amarrando com uma pequena corda de luz – mas com tanta força que me privou do menor movimento. Então, depois, Ele se colocou dentro de mim e sofremos juntos.

Nesse ínterim, me senti sendo transportado para fora de mim mesmo, em direção à abóbada dos céus, e parecia que encontrava o Pai Celestial e o Espírito Santo. E Jesus, que estava comigo, se colocou entre Eles, e me colocou no colo do Pai, que parecia estar me esperando com tanto amor que me pressionou contra o Seu seio, e me identificou com a Sua Vontade, Ele comunicou Seu poder para mim. E assim fizeram as outras duas Pessoas Divinas.

Mas enquanto eles se comunicavam a mim, um por um, eles todos se tornaram um, e eu senti que estava sendo infundido com, todos juntos, a Vontade do poder do Pai, a Vontade da sabedoria do Filho e a Vontade do amor do Espírito Santo. Mas quem pode dizer o que senti sendo infundido em minha alma?

E meu amado Jesus me disse: “ Filha de Nossa Eterna Vontade, prostre-se diante de Nossa Majestade Suprema e ofereça suas adorações, suas homenagens, seus louvores, em nome de todos, com a força de Nossa Vontade, com a sabedoria e com a Vontade de Nosso amor supremo. Sentiremos em ti a força da Nossa Vontade nos adorando, a sabedoria da Nossa Vontade nos glorificando, o amor da Nossa Vontade nos amando e nos louvando. E uma vez que o poder, a sabedoria e o amor das Três Pessoas Divinas estão em comunicação com o intelecto, a memória e a vontade de todas as criaturas, sentiremos suas adorações, homenagens e louvores fluírem dentro de todas as inteligências das criaturas, que, erguendo-se entre o céu e a terra, nos fará ouvir o eco do nosso próprio poder, sabedoria e amor, adorando-nos, louvando-nos e nos amando.

Adorações mais nobres, homenagens mais nobres, amor e louvores mais divinos, você não pode nos dar. Nenhum outro ato pode igualar esses atos, ou nos dar tanta glória e tanto amor, porque Nós vemos, pairando no ato da criatura, o poder, a sabedoria e o amor recíproco das Três Pessoas Divinas – Nós encontramos os nossos. atua no ato da criatura. Como não desfrutá-los e não dar-lhes supremacia sobre todos os outros atos? ”

Então me prostrei diante da Suprema Majestade, adorando-a, louvando-a e amando-a em nome de todos, com o poder, a sabedoria e o amor de Sua Vontade, que senti dentro de mim. Mas quem pode dizer os efeitos disso? Não tenho palavras para expressá-los, portanto, sigo em frente.

Depois, comunguei e fui me fundindo na Vontade do meu Bem supremo, Jesus, para nela encontrar toda a Criação, para que ninguém faltasse à chamada, e junto comigo, todos podem prostrar-se aos pés do meu Jesus sacramentado, para adorá-lo, amá-lo, abençoá-lo…. Mas enquanto fazia isso, de alguma forma me distraí tentando encontrar todas as coisas criadas em Sua Divina Vontade, para que uma fosse o amor, o louvor, a adoração ao meu Jesus.

E Jesus, ao me ver como se estivesse atrapalhado, recolheu toda a Criação no colo e disse-me: “Minha filha, coloquei toda a Criação no meu colo, para que seja mais fácil para ti encontrar e convocar a todos com ti, para que nada do que vem de mim não me dê, por seu intermédio, a retribuição do amor e da adoração que Me convém, como coisas que me pertencem. Eu não ficaria totalmente satisfeito com você, se algum deles estivesse faltando. No meu testamento quero encontrar tudo em você. ”

Então ficou mais fácil para mim encontrar e reunir toda a Criação comigo, para que todos pudéssemos louvar e amar o meu bem supremo, Jesus. Mas – oh maravilha! – cada coisa criada continha um reflexo distinto e um amor especial de Jesus, e Jesus recebeu o retorno de suas reflexões e de seu amor. Oh! como Jesus estava contente! Mas enquanto fazia isso, me descobri dentro de mim.

 

Volume 1 – 04 de janeiro de 1925

Como todo o céu vai ao encontro da alma que se funde na vontade divina. Como todos querem colocar seus atos nela, e o nobre martírio da alma se forma.

Tendo completado todo o meu dia, pensava comigo mesmo: ‘O que mais me resta fazer?’ E no meu interior, ouvi: “Você tem que fazer a coisa mais importante – seu último ato de Fundir-se na Vontade Divina.”

Então, de acordo com a minha maneira usual, comecei a Fundir todo o meu pobre ser na Suprema Vontade; e enquanto fazia isso, parecia-me que os Céus estavam se abrindo e fui encontrar toda a Corte Celestial, e todo o Céu veio em minha direção.

E meu doce Jesus me disse: “Minha filha, fundir-se na minha Vontade é o ato mais solene, o maior, o mais importante de toda a sua vida. Fundir-se na minha Vontade é entrar na esfera da Eternidade, abraçá-la beije-a e receba o depósito dos bens que contém a Vontade Eterna. Ainda mais, à medida que a alma se funde na Suprema Vontade, todos vão ao seu encontro, para comunicar-lhe todos os bens e a glória que possuem .Os Anjos, os Santos, a própria Divindade – todos se comunicam, sabendo que se comunicam nessa mesma Vontade em que tudo está seguro. Ainda mais, ao receber esses bens, a alma os multiplica por meio de seus atos na Divina Vontade, e devolve a dupla glória e honra a todo o céu.

Portanto, ao se fundir em minha vontade, você coloca o céu e a terra em movimento. É uma nova festa para todo o céu.

E como fundir-se na minha Vontade é amar e dar, por cada um e por todos, sem excluir ninguém – na minha Bondade, para não ser conquistado no amor pela criatura, coloco nela – na minha Vontade – os bens de todos e todos os bens possíveis que contenho dentro de mim. Nem pode faltar espaço para colocar todos os bens, porque a minha Vontade é imensa e tudo pode receber. Se você soubesse o que faz e o que acontece quando você se funde em minha vontade, ansiosamente desejaria fazer isso continuamente.

Depois fiquei pensando se deveria ou não escrever o que está escrito acima. Não achei isso necessário ou importante; mais ainda, visto que a obediência não me deu ordem para fazê-lo.

 

Volume 17 – 27 de janeiro de 1925

Assim como as coisas criadas por Deus não saem dele, porque a vontade divina passa a ser seu alimento e preservação, o mesmo ocorre com a alma que vive na vontade divina.

Enquanto eu estava me Fundindo na Santa Vontade Divina, pensei comigo mesmo: ‘Antes, quando eu costumava me Fundir na Santa Suprema Vontade, Jesus estava comigo, e eu entrei Nela junto com Ele; portanto, entrar era uma realidade. Mas agora não O vejo, então não sei se estou entrando na Volição Eterna ou não. Ao formar o ato de entrar na Vontade Divina, sinto-me, antes, como quem está recitando uma pequena lição, aprendida de cor, ou que aquelas palavras de entrada são apenas uma forma de dizer. ‘

Agora, enquanto eu pensava nisso, meu adorável Jesus se moveu em meu interior, e pegando minha mão na sua, me empurrou para o alto e me disse: “Minha filha, você deve saber que, quer me veja ou não, cada vez que você se funde em minha Vontade, de dentro de seu interior, eu pego sua mão e te empurro para o alto, e do céu eu te dou minha outra mão para pegar sua outra mão e puxar você para Nosso meio, em Nossa interminável Vontade.

Portanto, você está entre minhas mãos, em meus braços.

Você deve saber que todos os atos praticados em Nossa Vontade entram no Ato principal quando criamos todos os seres. E os atos da criatura, ao beijar a Nossa – porque Um é a Vontade que dá Vida a esses atos – difundem-se em todas as coisas criadas, assim como Nossa Vontade se difunde em toda parte; eles se tornam o retorno do amor – adoração e glória contínuas, por tudo o que entregamos na Criação. Só o que se faz em Nossa Vontade começa, quase junto conosco, a nos dar retorno de amor perene, adoração divina, glória que nunca acaba.

E como o amor que sentimos por todas as coisas que criamos é tão grande que não permitimos que saíssem de nossa vontade, todos permaneceram conosco, assim como os criamos, e nossa vontade tornou-se a preservação e o alimento do toda a criação. É por isso que todas as coisas permanecem sempre novas, frescas e belas – nem a substância de nenhuma delas aumenta ou diminui, uma vez que foram criadas todas perfeitas por Nós e, portanto, não sujeitas a qualquer tipo de alteração: porque todas conservam a sua origem. , à medida que se deixam nutrir e conservar pela Nossa Vontade, e ficam à nossa volta para cantar a Nossa glória. Mas, miseravelmente, a criatura da razão não o faz, quando, pelo pecado, se separa de Nossa Vontade.

Agora, a obra da criatura em Nossa Vontade entra em Nossas obras, e Nossa Vontade se torna alimento, preservação e ato do próprio ato da criatura. Esses atos praticados em Nossa Vontade pela criatura, colocam-se ao nosso redor e se transfundem em todas as coisas criadas, cantam nossa glória perpétua.

Quão diferente é o Nosso Trabalho e o Amor com que operamos daquele da criatura! Em Nós, é tão grande o nosso amor pelo trabalho que fazemos, que não o deixamos sair de Nós, para que não perca nada da beleza com que foi feito. Por outro lado, se a criatura da razão faz um bom trabalho, ou mesmo um ato virtuoso, ela não consegue mantê-lo consigo. Em vez disso, muitas vezes ela não sabe o que aconteceu com seu trabalho, se ficou sujo ou se o reduziram a um trapo – sinal de seu pequeno amor por suas próprias obras. E desde que a criatura, por causa do pecado, saiu de seu fundamento – isto é, a primeira Vontade Divina da qual ela se originou – ela perdeu o verdadeiro amor para com Deus, para consigo mesma e para com suas obras.

Queria que o homem estivesse em minha vontade por sua própria vontade, não pela força, porque o amava mais do que todas as outras coisas criadas; e eu queria que ele fosse como um rei no meio de minhas obras. Mas o homem, ingrato, quis sair de sua origem; portanto, ele se transformou e perdeu seu frescor e beleza, e estava sujeito a alterações e mudanças contínuas. E por mais que eu o chame para voltar às suas origens, ele se faz de surdo, fingindo não Me ouvir. Mas meu amor é tanto que continuo esperando por ele, e continuo a chamá-lo. “

E o meu doce Jesus, movendo-se no meu interior, disse-me: «Minha filha, como não será importante fazer saber que nela fundir-se na minha vontade é viver nela? A alma que se funde na minha vontade recebe, como embora em depósito, todos os meus bens divinos e eternos. Os próprios Santos competem entre si para depositar os seus méritos na alma Fundidos na minha Vontade, porque sentem nela a Glória, o Poder da minha Vontade, e se sentem glorificados na uma maneira divina pela pequenez da criatura.

Ouça, minha filha: viver na minha vontade supera até o martírio em mérito. O martírio mata o corpo, mas viver na minha vontade implica que a criatura mata a sua própria vontade com uma mão divina e dá-lhe a nobreza de um martírio divino. E cada vez que a alma decide viver em minha Vontade, minha Volição prepara o golpe para matar a vontade humana, e forma o nobre martírio da alma. Mas para chegar a este estado de felicidade, a vontade humana e a Divina Vontade devem estar ligadas: deve-se dar o lugar ao Outro, e a vontade humana deve se contentar em permanecer extinta sob o poder da Divina Vontade. Portanto, cada vez que você se dispõe a viver na minha Vontade, você se dispõe a sofrer o martírio de sua vontade.

Você vê, então, o que significa Fundir- se em minha Vontade? É para ser o mártir contínuo de minha Suprema Vontade. E você acha que é trivial, ou não é importante? “

 

Volume 17 – 10 de maio de 1925

Diferentes maneiras de se fundir na vontade divina. Festa da divindade e razão para isso.

Escrevo apenas por obediência e vou misturar coisas do passado e do presente. Muitas vezes em meus escritos eu digo: ‘Eu estava me fundindo na Santa Volição Divina’, e não explico mais. Agora, forçado pela obediência, direi o que me acontece nesta fusão na Volição Divina.

À medida que me fundei nele, um imenso vazio, todo de luz, surge diante de minha mente, no qual não se pode encontrar nem a extensão de sua altura, nem de sua profundidade, nem os limites à direita ou à esquerda, nem aqueles na frente ou nas costas. No meio desta imensidão, num ponto mais alto, parece que vejo a Divindade, ou as Três Pessoas Divinas à minha espera – mas isto, sempre mentalmente. E, eu não sei como, uma criancinha sai de mim; embora ainda seja eu – talvez seja minha pequena alma. É comovente ver esta criança se pondo no caminho dentro deste imenso espaço vazio – sozinha, tímida, caminhando na ponta dos pés, com os olhos sempre fixos no lugar onde vê as Três Pessoas Divinas, porque teme que se ela abaixa o olhar naquele vazio imenso, ela não saberia em que ponto ela iria acabar.

Toda a sua força está naquele olhar fixo no alto. Na verdade, ao receber em troca o olhar da Altitude Suprema, ela atrai forças ao longo do caminho. Agora, ao chegar a pequena diante deles, ela se lança com o rosto naquele espaço vazio, para adorar a Divina Majestade. Mas uma mão das Pessoas Divinas levanta a criança; e Eles dizem a ela: “Nossa filha, a Filha da Nossa Vontade – venha para os Nossos braços.”

Ao ouvir isso, ela se torna festiva e torna festivas as Três Pessoas Divinas; e, encantados com ela, aguardam o desempenho do ofício que lhe foram confiados. E com a graça típica de uma criança, ela diz: “Venho para Te adorar, para te abençoar, para te agradecer por tudo. Venho para ligar ao teu trono todas as vontades humanas de todas as gerações, do primeiro ao último homem, para que todos possam reconhecer Sua Suprema Vontade. Que todos possam adorá-la, amá-la e dar-lhe Vida em suas almas. “

Então ela acrescentou: “Ó Suprema Majestade, neste imenso vazio estão todas essas criaturas, e eu quero pegá-las todas e colocá-las em sua Santa Vontade, para que todos possam retornar à origem de onde vieram – sua Vontade. É por isso que vim para os seus braços paternos – para trazer-te todos os teus filhos e irmãos meus, e ligá-los a todos com a tua Vontade. E em nome de todos e para todos, quero reparar-te e dar-te homenagem e glória , como se todos tivessem feito a sua Santíssima Vontade. Mas, por favor, eu imploro, que não haja mais separação entre a vontade divina e humana! É uma criança que está pedindo isso, e eu sei que Você não pode negar nada para os mais pequenos. “

Mas quem pode dizer tudo o que eu disse e fiz? Eu demoraria muito. Além disso, não tenho palavras para expressar o que digo perante a Suprema Majestade. Parece-me que aqui no mundo baixo não usamos a mesma linguagem que naquele imenso espaço vazio.

Outras vezes, enquanto me funde na vontade divina e aquele imenso vazio surge em minha mente, perambulo por todas as coisas criadas e imprimo nelas um ‘Eu te amo’ para a Suprema Majestade, como se quisesse preencher o toda a atmosfera com muitos ‘Eu te amo’, a fim de retribuir o Amor Supremo pelo Seu grande amor pelas criaturas. Ainda mais, eu passo por cada pensamento de criatura, e impressiono meu ‘Eu te amo’; através de cada olhar, e deixo meu ‘eu te amo’; através de cada batida do coração, trabalho e passo, e eu os cubro com meu ‘eu te amo’, dirigindo-os ao meu Deus. Eu desço no mar, nas profundezas do oceano, e quero encher cada dardo dos peixes, cada gota d’água, com o meu ‘Eu te amo’.

Então, depois de ter trabalhado em todos os lugares, como se semeando seu “Eu te amo”, a criança se apresenta diante da Divina Majestade, e querendo fazer para Ele uma grata surpresa, diz: “Meu Criador e meu Pai, meu Jesus e meu Amor Eterno – olhe para tudo e ouça como todas as criaturas dizem que te amam. Em todos os lugares há um “Eu te amo” para Você; o céu e a terra estão cheios deles. E então, agora, Você não vai ceder a seu pequenininho que a sua Vontade desça no meio das criaturas, se dê a conhecer, faça as pazes com a vontade humana e tome Seu justo domínio – Seu lugar de honra, para que nenhuma criatura possa fazer sua vontade novamente, mas sempre a Sua ? “

Outras vezes, enquanto me funde na vontade divina, quero sentir tristeza por todas as ofensas feitas ao meu Deus, e começo a minha volta naquele imenso vazio, a fim de encontrar toda a tristeza que Jesus sentiu por todos. pecados. Eu faço isso meu, e eu vago por toda parte, nos lugares mais escondidos e secretos, em lugares públicos, sobre todos os atos dos homens maus, para sentir tristeza por todas as ofensas. E por cada pecado, reunindo dentro de mim toda a tristeza por todos os pecados, sinto vontade de gritar em cada movimento de toda a criação: ‘Perdão, perdão!’ Não há ofensa a Deus, mesmo a mais leve, pela qual eu não sinta tristeza e não peça perdão.

E para que todos possam ouvir minha súplica de perdão por todos os pecados, imprimo-o no estrondo do trovão, para que a tristeza por ter ofendido meu Deus possa trovejar em todos os corações. ‘Perdão!’ no golpe de relâmpago. Arrependimento doloroso no assobio do vento, clamando a todos: ‘Arrependimento e súplica de perdão!’ E no tilintar dos sinos: ‘Tristeza e perdão!’ Em suma, o mesmo em tudo. Depois trago a tristeza de todos ao meu Deus e imploro o perdão de todos, dizendo: ‘Grande Deus, que desça a tua Vontade sobre a terra, para que o pecado não aconteça mais! A vontade humana sozinha é o que produz tantas ofensas que parece estar inundando a terra de pecados. Sua vontade será a destruidora de todos os males. Portanto, eu imploro, faça a pequena filha da sua vontade contente,

Eu me lembro que um dia eu estava me Fundindo na Santa Volição Divina, e olhei para o céu, pois estava chovendo torrencialmente. Tive grande prazer em ver água derramando sobre a terra; e meu doce Jesus, movendo-se em meu interior, com indizível amor e ternura me disse:“Minha filha, nessas gotas de água que você vê escorrendo do céu, está a minha Vontade. Ela flui rapidamente junto com a água. Corre para matar a sede das criaturas, para descer nas entranhas humanas e em suas veias , para refrescar e tornar-se vida das criaturas, trazendo-lhes o meu beijo e o meu Amor. Desce para regar a terra, para fecundá-la e para preparar o alimento para as minhas criaturas. Desce para muitas outras necessidades delas. Minha Vontade quer ter Vida em todas as coisas criadas, a fim de dar vida celestial e natural a todas as criaturas, mas, embora desça festiva e cheia de Amor por todos, não recebe um retorno justo por parte das criaturas, e Ele permanece com o estômago vazio. Minha filha, sua vontade também, Fundido em O meu flui naquela água que desce do céu. Corra junto Comigo, aonde quer que vá. Nunca o deixe sozinho, e dê a Ele o retorno de seu amor e gratidão por todos. “

Mas enquanto Ele dizia isso, meus olhos permaneceram encantados. Eu não conseguia tirá-los daquela água torrencial. Minha vontade fluía junto com ela, e naquela água pude ver as mãos do meu Jesus multiplicando-se em muitos, a fim de levar água a todos com as Suas próprias mãos. Quem pode dizer o que senti dentro de mim? Só Jesus pode dizer isso – Ele, que é o autor disso. E quem pode dizer sobre as muitas maneiras de me fundir em sua santíssima vontade? Por enquanto, já disse o suficiente. Se Jesus quiser que eu continue em outra ocasião, Ele me dará as palavras e a graça para dizer mais e eu começarei de novo.

Além disso, dizia ao meu Jesus: ‘Diga-me, meu amor, o que é este vazio que me vem à mente quando me fungo na tua santíssima vontade? Quem é essa criancinha saindo de mim, e por que ela sente uma força irresistível para vir ao seu trono e colocar seus pequenos atos no ventre divino, quase para torná-lo um banquete? ‘

Meu doce Jesus, toda bondade, me disse: e então perguntei se você gostaria de viver em Nosso Testamento; e você respondeu com um “sim”, firme e irretratável, ligando sua vontade ao Nosso trono. E você não queria mais reconhecê-lo, porque a vontade humana e a Divina não se reconciliam e não podem viver juntas. Esse “sim”, a sua vontade, existe e está fortemente ligado ao Nosso trono.

E é por isso que sua alma, como uma criança renascida em Nossa Divina Vontade, é atraída diante da Suprema Majestade: porque conforme você se ergue em Nossa direção, sua vontade – que já é Nossa – precede você, e você sente Nossa Vontade o atraindo como um poderoso ímã. E em vez de olhar para o teu testamento, te interessas apenas em trazer para o Nosso colo tudo o que fizeste no nosso testamento, como a maior homenagem que nos cabe, e como a retribuição mais agradável para nós. A tua indiferença à tua vontade – como já a perdeste de vista – e só a Nossa Vontade habitando em ti, fazem-nos festivos. Seus pequenos atos realizados em Nossa Vontade nos trarão as alegrias de toda a Criação. Parece que tudo sorri para Nós e que todas as coisas criadas fazem festa. E ao ver que você desce do Nosso trono sem a menor atenção à sua vontade – que está como se perdida na Nossa – e ao ver você voltar à terra levando a Nossa Vontade, é uma alegria infinita para Nós. É por isso que eu sempre digo a você: ‘Esteja atento à Nossa Vontade’: porque há muito que fazer nela. Quanto mais você fizer, maior será o banquete que você nos dará – e Nossa Vontade se derramará em torrentes, dentro e fora de você. “

 

Volume 17 – 17 de maio de 1925

(Continuação do Capítulo Anterior).

Outras maneiras de se fundir na vontade divina; Primeiro, em retorno pela criação e depois pela redenção.

Depois que eu fiz o Confessor ouvir o que está escrito acima – com a data de 10 de maio – sobre Fundir-me na Volição Divina, ele não ficou satisfeito e ordenou que eu continuasse a escrever sobre a maneira de me Fundir na Santa Volição Divina. Então, por obediência, e com medo de que meu Jesus fique um pouco decepcionado, eu continuo.

Agora, eu acrescento que quando esse imenso vazio vem à minha mente, em Fundindo-me na Suprema Volição, a criança começa sua volta novamente, e levantando-se bem alto, ela quer retribuir a Deus por todo o amor que Ele teve por todas as criaturas na Criação. Ela quer honrá-lo como Criador de todas as coisas, e assim ela anda ao redor das estrelas, e em cada lampejo de luz eu imprimo meu “Eu te amo” e “Glória ao meu Criador”. Em cada átomo de luz do sol que se põe, meu “Eu te amo” e “Glória”. Em toda a extensão dos céus, entre a distância de um passo a outro, meu “EU TE AMO” e “GLÓRIA”. No gorjeio do pássaro, no bater de suas asas: “Amor” e “Glória” ao meu Criador. Na folha de grama que brota da terra, na flor que desabrocha, na fragrância que sobe: “Amor” e “Glória”. No cume das montanhas e nas profundezas dos vales: “Amor” e “Glória”. Eu vagueio por cada coração da criatura como se quisesse me encerrar e gritar de dentro, para cada coração, meu “Eu te amo” e “Glória ao meu Criador”.

E então, como se tivesse reunido tudo de tal forma que tudo retribui o amor e o reconhecimento da glória por tudo o que Deus fez na Criação, vou ao Seu Trono e digo-Lhe: ‘Suprema Majestade e Criador de todas as coisas, esta criancinha vem aos seus braços para te dizer que toda a criação, em nome de todas as criaturas, te dá não apenas a retribuição do amor, mas também a justa glória pelas tantas coisas que você criou por nosso amor . Na tua Vontade, neste imenso vazio, vaguei por todo o lado, para que todas as coisas te glorifiquem, te amem e te abençoem. E agora que coloquei em relação o amor entre o Criador e a criatura, que a vontade humana quebrou – bem como a glória que todos Te deviam, deixe sua Vontade descer sobre a terra, para que possa ligar e fortalecer todas as relações entre o Criador e criatura,

Portanto, apresse-se, não demore mais – Você não vê como a terra está cheia de males? Só a sua Vontade pode parar esta corrente e salvá-la – a sua Vontade, conhecida e governante. ‘

Depois disso, sinto que meu escritório ainda não está completo. Então desço ao fundo daquele espaço vazio, a fim de retribuir a Jesus pela Obra da Redenção. E como se achasse tudo o que Ele fez em ação, quero dar-Lhe a minha retribuição por todos os atos que todas as criaturas deveriam ter feito esperando por Ele e recebendo-O na terra. Então, como se quisesse me transformar em amor a Jesus, volto ao meu refrão e digo: ” EU TE AMO ‘no ato de descer do céu para encarnar, e impressiono meu’ AMO ‘ VOCÊ “no ato de ser concebido no ventre puríssimo da Virgem Maria. “EU TE AMO” na primeira gota de sangue que se formou em sua Humanidade. “EU TE AMO” na primeira batida do seu Coração, para marcar todos os seus batimentos cardíacos com o meu “EU TE AMO”. “

Quero retribuir suas orações, suas reparações, suas ofertas, com o meu “EU TE AMO”. “EU TE AMO” em seu nascimento. “EU TE AMO” no frio que sofreu. “EU TE AMO” em cada gota do leite que você mamava de sua Santíssima Mamãe. Quero encher com o meu “EU TE AMO” as roupas com que a tua Mama te envolveu. Eu coloco meu “EU TE AMO” naquele solo em que sua Mamãe O colocou na manjedoura, pois seus membros mais tenros sentiram a dureza do feno – mas mais do que do feno, a dureza dos corações. Meu “EU TE AMO” em cada um de seus lamentos, em todas as lágrimas e sofrimentos de sua infância. Faço o meu “EU TE AMO” fluir em todas as relações, comunicações e amor que teve com a sua Mamãe Imaculada. “EU TE AMO” em seus beijos mais queridos, em cada palavra que disseste, na comida que comeste, nos passos que deu, na água que bebeste. “EU TE AMO” no trabalho que você fez com as mãos. “EU TE AMO” em todos os atos que praticou durante a sua vida oculta. Selo o meu “EU TE AMO” em cada um dos teus atos interiores e nas dores que sofreste. Deixo o meu “EU TE AMO” nos caminhos que percorreste, no ar que respiraste, em todos os sermões que proferiste durante a tua Vida pública. O meu “EU TE AMO” flui no poder dos milagres que fizeste, nos sacramentos que instituiste. Em tudo, ó meu Jesus, até nas fibras mais íntimas do teu Coração, imprimo o meu “EU TE AMO”, para mim e para todos. Tua Vontade torna tudo presente para mim, e nada quero deixar, em que meu “EU TE AMO” não fique impressionado. nos passos que você deu, na água que você bebeu. “EU TE AMO” no trabalho que você fez com as mãos. “EU TE AMO” em todos os atos que praticou durante a sua vida oculta. Selo o meu “EU TE AMO” em cada um dos teus atos interiores e nas dores que sofreste. Deixo o meu “EU TE AMO” nos caminhos que percorreste, no ar que respiraste, em todos os sermões que proferiste durante a tua Vida pública. O meu “EU TE AMO” flui no poder dos milagres que fizeste, nos sacramentos que instituiste. Em tudo, ó meu Jesus, até nas fibras mais íntimas do teu Coração, imprimo o meu “EU TE AMO”, para mim e para todos. Tua Vontade torna tudo presente para mim, e nada quero deixar, em que meu “EU TE AMO” não fique impressionado. nos passos que você deu, na água que você bebeu. “EU TE AMO” no trabalho que você fez com as mãos. “EU TE AMO” em todos os atos que praticou durante a sua vida oculta. Selo o meu “EU TE AMO” em cada um dos teus atos interiores e nas dores que sofreste. Deixo o meu “EU TE AMO” nos caminhos que percorreste, no ar que respiraste, em todos os sermões que proferiste durante a tua Vida pública. O meu “EU TE AMO” flui no poder dos milagres que fizeste, nos sacramentos que instituiste. Em tudo, ó meu Jesus, até nas fibras mais íntimas do teu Coração, imprimo o meu “EU TE AMO”, para mim e para todos. Tua Vontade torna tudo presente para mim, e nada quero deixar, em que meu “EU TE AMO” não fique impressionado. no trabalho que fizeste com as mãos. “EU TE AMO” em todos os atos que praticou durante a sua vida oculta. Selo o meu “EU TE AMO” em cada um dos teus atos interiores e nas dores que sofreste. Deixo o meu “EU TE AMO” nos caminhos que percorreste, no ar que respiraste, em todos os sermões que proferiste durante a tua Vida pública. O meu “EU TE AMO” flui no poder dos milagres que fizeste, nos sacramentos que instituiste. Em tudo, ó meu Jesus, até nas fibras mais íntimas do teu Coração, imprimo o meu “EU TE AMO”, para mim e para todos. Tua Vontade torna tudo presente para mim, e nada quero deixar, em que meu “EU TE AMO” não fique impressionado. no trabalho que fizeste com as mãos. “EU TE AMO” em todos os atos que praticou durante a sua vida oculta. Selo o meu “EU TE AMO” em cada um dos teus atos interiores e nas dores que sofreste. Deixo o meu “EU TE AMO” nos caminhos que percorreste, no ar que respiraste, em todos os sermões que proferiste durante a tua Vida pública. O meu “EU TE AMO” flui no poder dos milagres que fizeste, nos sacramentos que instituiste. Em tudo, ó meu Jesus, até nas fibras mais íntimas do teu Coração, imprimo o meu “EU TE AMO”, para mim e para todos. Tua Vontade torna tudo presente para mim, e nada quero deixar, em que meu “EU TE AMO” não fique impressionado. em cada um dos seus atos interiores e nas dores que sofreu. Deixo o meu “EU TE AMO” nos caminhos que percorreste, no ar que respiraste, em todos os sermões que proferiste durante a tua Vida pública. O meu “EU TE AMO” flui no poder dos milagres que fizeste, nos sacramentos que instituiste. Em tudo, ó meu Jesus, até nas fibras mais íntimas do teu Coração, imprimo o meu “EU TE AMO”, para mim e para todos. Tua Vontade torna tudo presente para mim, e nada quero deixar, em que meu “EU TE AMO” não fique impressionado. em cada um dos seus atos interiores e nas dores que sofreu. Deixo o meu “EU TE AMO” nos caminhos que percorreste, no ar que respiraste, em todos os sermões que proferiste durante a tua Vida pública. Meu “EU TE AMO” flui no poder dos milagres que fizeste, nos sacramentos que instituiste. Em tudo, ó meu Jesus, até nas fibras mais íntimas do teu Coração, imprimo o meu “EU TE AMO”, para mim e para todos. Tua Vontade torna tudo presente para mim, e nada quero deixar, em que meu “EU TE AMO” não fique impressionado. nos sacramentos que você instituiu. Em tudo, ó meu Jesus, até nas fibras mais íntimas do teu Coração, imprimo o meu “EU TE AMO”, para mim e para todos. Tua Vontade torna tudo presente para mim, e nada quero deixar, em que meu “EU TE AMO” não fique impressionado. nos sacramentos que você instituiu. Em tudo, ó meu Jesus, até nas fibras mais íntimas do teu Coração, imprimo o meu “EU TE AMO”, para mim e para todos. Tua Vontade torna tudo presente para mim, e nada quero deixar, em que meu “EU TE AMO” não fique impressionado.

Sua filhinha de sua vontade sente esse dever – como não há mais nada que ela possa fazer – de que Você possa ter pelo menos meu pequeno “EU TE AMO” por tudo que fez por mim e por todos. Por isso o meu “EU TE AMO” segue-te em todas as dores da tua Paixão, em todas as saliva, desprezo e insultos que te deram. O meu “EU TE AMO” sela cada gota de Sangue que derramaste, cada golpe que recebeste, cada ferida que se formou no teu corpo, cada espinho que te atravessou a cabeça, as dores amargas da Crucificação, as palavras que pronunciaste na Cruz. Até o seu último suspiro, pretendo impressionar o meu “EU TE AMO”. Quero encerrar toda a sua Vida, todos os seus atos, com o meu “EU TE AMO”. Quero que você toque, veja e sinta meu contínuo “EU TE AMO”. Meu “EU TE AMO”

Mas você sabe o que esta criança quer? Que a Divina Vontade de seu Pai, que tanto amou, e que fez durante toda a sua Vida na terra, se dê a conhecer a todas as criaturas, para que todos possam amá-la e cumprir a sua Vontade, na terra como no céu . Esta criancinha deseja superar-te no amor, para que possas dar a tua Vontade a todas as criaturas. Por favor, faça feliz este pobrezinho, que não quer nada além do que você quer: que a sua vontade seja conhecida e reine sobre toda a terra. ‘

Agora eu acredito que a obediência será feliz de alguma forma. Embora seja verdade que em muitas coisas tive que dar alguns saltos, do contrário nunca teria terminado. Fundir-me na Divina Volição é como uma fonte brotante para mim; e cada pequena coisa que ouço e vejo, mesmo uma ofensa feita ao meu Jesus, é ocasião para mim para novos caminhos e novas fusões em Sua Santíssima Vontade.

Agora, continuo dizendo que meu doce Jesus me disse: “Minha filha, a tudo o que você disse sobre Fundir-se em minha Vontade, outra aplicação deve ser adicionada – a de Fundir-se na ordem da graça, em tudo que o Santificador – o Espírito Santo – tem feito e fará por aqueles que devem ser santificados. Além disso, enquanto Nós – as Três Pessoas Divinas – permanecemos sempre unidos no trabalho, se a Criação está relacionada ao Pai, e a Redenção ao Filho – o ” O Fiat Voluntas Tua “foi atribuído ao Espírito Santo. E é exatamente no” Fiat Voluntas Tua “que o Espírito Divino mostrará a Sua Obra. Você o faz quando, ao comparecer perante a Suprema Majestade, diz: ‘Eu vim para dê amor em troca de tudo o que o Santificador faz para aqueles que devem ser santificados.

Venho para entrar na ordem da graça, para te dar glória e retribuição de amor, como se todos tivessem se tornado santos, e para te reparar por todas as oposições e falta de correspondência com a graça … “; e tanto quanto você puder, em Nossa Vontade você busca os atos de graça do Espírito Santificador, para fazer os seus – Sua dor, Seus gemidos secretos, Seus suspiros angustiantes no fundo dos corações, ao ver-se indesejável. E desde o primeiro ato Ele faz é trazer nossa Vontade como o ato completo de sua santificação, ao ver-se rejeitado, Ele geme com gemidos inexprimíveis. E em sua simplicidade infantil, você diz a Ele: ‘Espírito Santificador, apresse-se, eu te imploro, eu te imploro, que todos conheçam a tua Vontade, para que, ao conhecê-la, possam amá-la e acolher o teu ato primordial de sua completa santificação – que é a tua Santa Vontade!’Minha filha, Nós – as Três Pessoas Divinas – somos inseparáveis ​​e distintos, e desta forma queremos manifestar às gerações humanas Nossas Obras por eles: enquanto permanecemos unidos dentro de Nós, cada Um de Nós quer manifestar individualmente Seu Amor e Seu Trabalho para as criaturas. “

 

Volume 17 – 2 de agosto de 1925

O “Eu te amo” é tudo. A Obra De Luísa Com A Santíssima Mama.

Eu estava orando e me fundindo na Santa Vontade Divina. Queria vagar por toda a parte, até aos Céus, para encontrar aquele Supremo “Amo-te” que não está sujeito a qualquer interrupção. Queria torná-lo meu, para que eu também tivesse um “eu te amo” que nunca se interromperia e que pudesse ecoar o “eu te amo” eterno; e por possuir a fonte do verdadeiro “eu te amo” dentro de mim, eu poderia ter um “eu te amo” para cada um e para todos – para cada movimento, para cada ato, para cada respiração, para cada batimento cardíaco e para cada “eu te amo” do meu próprio Jesus. E enquanto eu parecia alcançar o ventre do Eterno, fazendo deles o Seu “eu te amo”, continuei repetindo, em todos os lugares e sobre cada coisa, uma canção de ninar de “eu te amo” ao meu Senhor Supremo. Agora,

E meu doce Jesus, como se se movesse apressado em meu interior, me disse: ” O que você está dizendo? Quão especial é para mim o” eu te amo “dirigido a mim ?! Minha filha, o” eu te amo “é tudo! O “Eu te amo” é amor, é veneração, é estima, é heroísmo, é sacrifício, é confiança naquele a quem se dirige. O “Eu te amo” é possuir Aquele que inclui o “eu te amo”. O “eu te amo” é uma palavrinha, mas pesa tanto quanto a eternidade! O “eu te amo” envolve tudo, envolve a todos; se difunde, se restringe, sobe alto , desce até o fundo, se imprime em todos os lugares e nunca para.

O que, minha filha! Quão especial pode ser o seu “Eu te amo” de verdade ?! Sua origem é eterna. No “Eu te amo” o Pai Celestial Me gerou, e no “Eu te amo” o Espírito Santo procedeu. No “Eu te amo” o Eterno FIAT fez toda a criação, e no “Eu te amo” perdoou o homem culpado e o redimiu. Portanto, no “Eu te amo” a alma encontra tudo em Deus, e Deus encontra tudo na alma. É por isso que o valor do “Eu te amo” é infinito, é cheio de vida e de energia; nunca se cansa, supera tudo e triunfa sobre tudo. E então, esse “eu te amo” dirigido a Mim – quero ver e ouvir nos seus lábios, no seu coração, no voar dos seus pensamentos, nas gotas do seu sangue, nas dores e nas alegrias , na comida que você ingere – em tudo. A vida do meu “Eu te amo” deve ser longa – longa dentro de você, e meu FIAT que reina em você colocará nela o selo do Divino “Eu te amo”. “

Depois disso, um Sol apareceu na minha mente, em um ponto muito alto. Sua luz estava inacessível. Pequenas chamas contínuas saíam do centro dela, cada uma contendo um “eu te amo”; e quando saíram, eles se colocaram em ordem, em torno dessa luz inacessível. Porém, essas pequenas chamas permaneceram como que ligadas por um fio de luz àquela luz inacessível, que alimentava a vida das pequenas chamas. Essas pequenas chamas eram tantas que enchiam o céu e a terra. Parecia ver nosso Deus como o começo e o fim de tudo; e nas pequenas chamas, toda a criação, como um nascimento divino, de puro amor.

Eu também era uma pequena chama, e o meu doce Jesus empurrava-me a alçar voo através de cada pequena chama, para colocar sobre elas um duplo “Eu te amo”. Não sei como, encontrei-me fora de mim mesmo, vagando por aí, no meio daquelas pequenas chamas, e imprimindo o meu “eu te amo” em cada uma delas. Mas eram tantos que eu me perderia; no entanto, uma força suprema faria reencontrar a ordem e a volta do meu “eu te amo”.

Depois, encontrei-me num vasto jardim e, para minha surpresa, encontrei a Rainha Mama que, aproximando-se de mim, disse-me: “Minha filha, venha comigo trabalhar neste jardim. Devemos plantar flores e frutos celestiais e divinos. Agora está quase vazio; e se existe alguma planta, é terrestre e humana; portanto, é apropriado que o arrancemos, para que este jardim seja agradável a meu Filho Jesus. As sementes que devemos plantar são todas as minhas virtudes, minhas obras, minhas dores, que contêm a semente do “Fiat Voluntas Tua”. Não houve nada que eu fiz que não contivesse esta semente da Vontade de Deus. Eu teria me contentado em não fazer nada, ao invés de trabalhar ou sofrer sem essa semente. Toda a minha glória, a dignidade de Mãe, a altura da Rainha, a supremacia sobre tudo, veio a Mim desta semente. Toda a criação, todos os seres, Me reconheceram como governante sobre eles, porque viram a Vontade Suprema reinando em Mim. Então,

Assim, fundimos as sementes que minha Mãe Celestial tinha, que eram muitas, com as poucas que eram minhas – e não sei como as encontrei. E começamos a fazer pequenos orifícios para colocar as sementes. Mas enquanto fazíamos isso, por trás dos muros do jardim, que eram muito altos, ouvimos barulho de armas e de canhões, que rugiam de maneira horrível; então fomos forçados a correr para ajudar. Ao chegarmos lá, pudemos ver povos de várias raças, de cores diferentes, e muitas nações unidas, que travavam batalhas e causavam terror e terror.

Enquanto eu via isso, me descobri dentro de mim, mas – oh, com que susto! E também, com a tristeza de não ter dito nem uma palavra sobre meu estado de dureza, para minha Mamãe Celestial. Que a Santíssima Vontade de Deus seja sempre bendita, e que tudo seja para a Sua glória.

 

Volume 17 – 17 de setembro de 1924

Como aquele que faz a vontade divina é ferido por Deus e fere a Deus.

Eu estava pensando sobre a Santa Vontade Divina, e estava fazendo o máximo que podia para me Fundir Nela, para poder abraçar a todos e trazer ao meu Deus, como um único ato, os atos de todos, que são todos devidos ao nosso Criador. Agora, enquanto fazia isso, vi os Céus se abrirem e sair deles um Sol que, ferindo-me com seus raios, penetrou nas profundezas de minha alma; e minha alma, ferida por aqueles raios, transformou-se em um Sol que, espalhando seus raios, feriu aquele Sol do qual havia sido ferida. E uma vez que continuei a fazer meus atos por todos na Vontade Divina, esses atos foram dominados por esses raios e transformados em atos divinos que, espalhando-se por todos e por todos, formaram uma rede de luz, de modo a colocar ordem entre o Criador e criatura.

Fiquei encantado com esta visão, e meu adorável Jesus, saindo de dentro do meu interior, em meio a este Sol, me disse: “Minha filha, você vê que lindo é o Sol da minha Vontade? Que poder! Que maravilha! ! Assim que a alma quiserFunda-se Nele para abraçar tudo, minha Vontade, transformando-se em Sol, fere a alma e forma outro Sol dentro dela. E à medida que ela forma seus atos, estes se tornam raios que ferem o Sol da Vontade Suprema; e oprimindo tudo dentro desta luz, ela ama, glorifica, satisfaz seu Criador para todos – e o que é mais, não com amor humano, glória e satisfação, mas com Amor e Glória da Vontade Divina, porque o Sol de minha Vontade trabalhou em sua. Você vê o que significa fazer atos em minha vontade? Isto é viver na minha Vontade: o Sol da minha Vontade, transformando a vontade humana em Sol, age nela como se estivesse em seu próprio centro. ”

Depois, meu doce Jesus reuniu todos os livros escritos por mim sobre Sua Divina Vontade; ele os uniu, depois os pressionou contra o Seu Coração e, com indizível ternura, acrescentou: ” Abençoo estes escritos de coração. Abençoo cada palavra; abençôo os efeitos e o valor que contêm. Estes escritos fazem parte de Mim . “

Então Ele chamou os Anjos, que se prostraram, com o rosto no chão, para orar. E visto que estavam presentes dois Padres, que iriam ver os escritos, Jesus disse aos Anjos que tocassem na testa para impressionar neles o Espírito Santo, a fim de infundir neles a luz a fim de fazê-los compreender as verdades e o bom contido nesses escritos. Os anjos fizeram isso e Jesus, abençoando a todos nós, desapareceu.

 

Volume 17 – 6 de outubro de 1924

Como a vontade divina está na criatura como a pulsação do coração no centro da alma.

Eu estava me Fundindo na Santa Vontade Divina, e meu doce Jesus, movendo-se em meu interior, me disse: “Minha filha, que lindo é ver uma alma Fundindo-se na minha Vontade! Enquanto ela se Funde Nela, a criada A batida do coração toma seu lugar e vida na Batida do Coração Incriada e forma uma só, correndo e batendo junto com a Batida do Coração Incriada. Esta é a maior felicidade do coração humano: palpitar na Batida do Coração Eterna de seu Criador. Minha Vontade faz voar, e os batimentos cardíacos humanos se lançam no centro de seu Criador. “

Então eu disse a Ele: ‘Diga-me, meu Amor, quantas vezes a sua Vontade percorre todas as criaturas?’

E Jesus: “Minha filha, em cada batida do coração da criatura a minha Vontade se forma ao longo de toda a Criação. E assim como a batida do coração na criatura é contínua, e se a batida do coração cessa a vida cessa, a fim de dar Vida Divina a todos criaturas, minha Vontade, mais do que um batimento cardíaco, gira e forma o batimento cardíaco de minha Vontade em cada coração. Vejam, então, como minha Vontade está em cada criatura: como batimento cardíaco primário, porque o dela é secundário; e se eu sinto qualquer batimento cardíaco da criatura, é em virtude do batimento cardíaco da minha Vontade. Ainda mais, minha Vontade se forma em seus dois batimentos cardíacos: um para o coração humano, como vida do corpo, e um para a alma, como batimento cardíaco e vida da alma .

Mas você quer saber o que esta batida do coração da minha Vontade faz na criatura? Se ela pensa, minha Vontade corre e circula como sangue nas veias da alma, e lhe dá o Pensamento Divino, para que ela ponha de lado o pensamento humano e dê lugar à palavra de minha Vontade. Se ela trabalha, se ela caminha, se ela ama, meu testamento quer o lugar de seu trabalho, de seus passos, de seu amor. O amor e o ciúme de minha Vontade na criatura são tão grandes que, enquanto palpita, se a criatura quiser pensar, se torna pensamento; se ela quiser olhar, Torna-se olho; se ela quer falar, torna-se palavra; se ela quer trabalhar, torna-se trabalho; se ela quer andar, Torna-se pé; se ela quer amar, torna-se fogo.

Em suma, Ele corre e vagueia por todos os atos da criatura para ocupar seu lugar principal, que é devido a Ele. Mas, para Nossa maior tristeza, a criatura nega-lhe este lugar de honra e dá lugar à sua vontade humana; e minha Vontade é forçada a permanecer na criatura como se Ela não tivesse pensamento, nem olho, nem palavra, nem mãos, nem pés – incapaz de realizar a Vida de minha Vontade no centro da alma da criatura. Que tristeza! Que maior ingratidão!

Mas você quer saber quem Me dá o campo livre e permite que minha Vontade opere como pulsação de Vida dentro de sua alma? Aquele que vive em minha vontade. Oh, quão bem minha Vontade executa Sua Vida, tornando-se pensamento de seu pensamento, olho de seu olho, palavra de sua boca, batimento cardíaco de seu coração, e assim com todo o resto! Oh, quão rápido nos entendemos com alguém que está vivendo em meu Testamento; e minha Vontade obtém o intuito de formar Sua Vida na alma da criatura!

E não só na criatura com razão a minha Vontade ocupa o seu lugar primordial, sendo como a pulsação do coração que, dando circulação à vida da alma, corre para dar vida a todos os atos da criatura, mas em todas as coisas criadas a minha Vontade mantém Seu lugar principal e circula como o batimento cardíaco da vida – desde a mais ínfima coisa criada, até a maior; e nenhum deles pode mover-se do poder e da imensidão de minha Vontade. Torna-se a vida dos céus azuis, mantendo sua cor celestial sempre nova e vívida; nem pode enfraquecer, mudar ou empalidecer, porque minha vontade assim o quis, e uma vez que foi estabelecido, minha vontade não muda. Minha vontade é a vida da luz e do calor do sol, e com sua pulsação de vida preserva sua luz e calor sempre igual e vivo, mantendo-o imóvel em minha vontade, incapaz de se mover, para crescer ou diminuir no bem que deve fazer a toda a terra. Minha Vontade é a vida do mar, e forma o murmúrio de suas águas, o dardo dos peixes, o rugido das ondas.

Oh, como minha Vontade ostenta o poder que contém dentro de si mesma, e ela realiza sua vida com tamanha majestade e domínio absoluto nas coisas criadas, que nem o mar pode ficar sem murmurar, nem o peixe fazer sem se lançar. Mais ainda, poderia dizer que é minha Vontade murmurar no mar, é minha Vontade lançar-se nos peixes, é minha Vontade formar as ondas; e com o seu rugido, faz com que todos ouçam que a sua vida está ali presente, que pode fazer tudo o que quiser de melhor. Minha Vontade é pulsação de vida no pássaro que gorjeia, no piar do pintinho, no cordeiro que bale, na rola que geme, nas plantas que vegetam, no ar que todos respiram.

Em suma, em tudo, minha vontade tem sua vida, e com seu poder, ela forma o ato que deseja. Assim, mantém harmonia em todas as coisas criadas e nelas dá forma aos diferentes efeitos, cores, ofícios que cada uma delas contém. Mas você sabe por quê? Para me dar a conhecer à criatura; ir a ela, cortejá-la, amá-la, com tantos atos diferentes de minha Vontade para tantas coisas quanto eu criei para ela. O Meu Amor não se contentou em colocar no fundo da sua alma a minha Vontade como pulsação de Vida, mas queria colocar a minha Vontade em todas as coisas criadas, para que, também exteriormente, a minha Vontade nunca a deixasse, e para que criatura com razão pode ser preservada e crescer na santidade de minha própria vontade, e todas as coisas criadas podem ser um incitamento, um exemplo, uma voz e um chamado contínuo para ela, para fazê-la correr sempre no cumprimento da minha Vontade – o único propósito para o qual ela foi criada. Mas a criatura fica surda às tantas vozes da criação, cega à visão de tantos exemplos; e se ela abre os olhos, ela os fixa por sua própria vontade. Que tristeza!

Portanto, eu recomendo que você nunca saia da minha Vontade, se você não quiser multiplicar minha tristeza, e perder o propósito para o qual você foi criado. “

 

Volume 18 – 9 de novembro de 1925

Para Fuse -se no Divino Will é o maior ato honrando nosso Criador.

Eu estava me Fusionando na Santa Vontade Divina de acordo com minha maneira usual, para então fazer minha adoração ao meu Bem Crucificado. E como mais de uma vez fui pego pelo sono enquanto fazia Meus atos na Suprema Volição – o que nunca aconteceu antes – não consegui completar a primeira coisa, nem fiz a adoração. Então eu disse a mim mesmo: ‘Primeiro vou fazer a adoração ao Crucifixo, e depois, se eu não estou surpreso com o sono, vou Fundir -me na Volition Divino para fazer meus atos habituais.

Mas enquanto eu pensava nisso, meu doce Jesus saiu do meu interior e, colocando Seu rosto perto do meu, disse-me: ” Minha filha, quero que primeiro se funda em Minha Vontade – que venha perante a Suprema Majestade para reordenar todas as vontades humanas na Vontade de seu Criador, para reparar com Minha própria Vontade por todos os atos das vontades de criaturas opostas à Minha. Uma Vontade saiu de Nós a fim de divinizar as criaturas, e Uma Vontade O Que Queremos Quando eles rejeitam esta Vontade de fazer sua própria vontade, é a ofensa mais direta ao Criador – é negar todos os bens da Criação e se afastar de Sua semelhança.

Você acha que é trivial que, ao fundir-se na Minha Vontade, coloque esta Minha Vontade como se estivesse em seu colo, e que Minha Vontade, embora Única, traz Seu ato divinizador a cada criatura? Que reunindo todos esses atos da Minha Vontade, você os traz perante a Suprema Majestade, dando a sua vontade em troca, junto com a Minha? E com o teu amor, refazendo todos os atos opostos aos das criaturas, você empurra Minha Vontade para surpreender as criaturas mais uma vez com mais atos repetidos, para que possam conhecer esta Santa Vontade, recebê-la em si como Ato primeiro, amá-la e fazer isso em tudo?

A adoração das Minhas feridas – mais de um já o faz a Mim; mas me devolvendo os direitos da Minha Vontade, como o Ato principal que fiz para o homem – isso, ninguém faz para Mim. Portanto, é seu dever cumpri-lo, vocês que têm uma missão especial com a Minha Vontade. E se o sono te surpreende enquanto o fazes, nosso Pai celestial te olhará com amor, te vendo dormindo em Seus braços – vendo Sua filhinha, que, mesmo dormindo, segura em seu colo todos os atos de Sua Vontade em a fim de repará-los, retribuir o amor e dar a cada ato de Nossa Vontade a honra, a soberania e o direito que Lhe convém. Portanto, primeiro cumpra o seu dever e depois, se puder, fará também a adoração das Minhas feridas. “

Que Jesus seja sempre agradecido. Ontem à noite, graças à Sua bondade, fiz as duas coisas.

 

******************************************************

Extrai do Vol. eu

“Como Luisa viaja fora do corpo e como Jesus se comunica com ela.”

Por ordem do atual confessor, passo a falar de outra coisa. Vou obedecer ao manifestar as várias maneiras pelas quais o Senhor tem falado comigo:

Parece-me que as maneiras pelas quais o Senhor falou comigo são quatro; mas essas quatro maneiras de falar de Jesus são muito diferentes das inspirações.

1 – A primeira forma é quando a alma sai de si mesma. No entanto, primeiro quero explicar um pouco melhor sobre isso sair de mim mesmo. Acontece de duas maneiras: a primeira é instantânea, quase instantânea; e é tão repentino que me pareceu que o corpo se levantaria um pouco da cama para seguir a alma, mas aí ficaria. E parecia-me que o corpo permaneceria morto, enquanto a alma seguiria Jesus, caminhando por todo o universo – a terra, o ar, os mares, as montanhas, o purgatório e o céu, onde muitas vezes Ele me mostrou o lugar onde estarei depois de morrer.

2 – A outra forma, então, para a alma sair, é mais tranquila. Parece que o corpo adormece insensivelmente e permanece como que petrificado na presença de Jesus Cristo; entretanto, a alma permanece com o corpo, e o corpo não sente mais nada das coisas externas – mesmo que todo o universo esteja de cabeça para baixo; mesmo que me queimassem e me reduzissem a pedaços.

Essas duas maneiras, tão diferentes, de sair de mim, tenho percebido com sensatez, porque na primeira forma, tendo que obedecer ao confessor quando ele viesse para me acordar, eu o veria do lugar para onde Jesus me conduziria – isto é, dos confins da terra, ou do ar, ou das montanhas, ou do mar, ou do purgatório, ou mesmo do próprio céu. Mais ainda, parecia-me que não teria tempo de deixar que o confessor encontrasse a minha alma no corpo e, portanto, não poderia obedecer. Parecia que, tão longe como estava de minha alma – digo, parecia-me – que me movimentaria, e me tornaria todo ansioso e preocupado por não poder me deixar ser encontrado ali pelo confessor em tempo e, portanto, eu não seria capaz de obedecer. No entanto, confesso que sempre estive lá no tempo,

Mais ainda, digo a verdade, muitas vezes, de longe, pude ver o confessor chegando, mas para não deixar Jesus, parecia que não estaria pensando que o confessor estava chegando. Mas então o próprio Jesus me apressava a voltar com a alma ao corpo para poder obedecer ao confessor. E então eu sentiria grande relutância em deixar Jesus, mas a obediência venceria; e ao deixar Jesus, Ele mesmo me beijou ou me abraçou, ou faria outra coisa para se despedir de mim. E eu, ao deixar o meu querido Jesus, dizia-lhe: ‘Vou ao confessor, mas tu, meu bom Jesus, volta logo, assim que o confessor se for’.

Essas são, então, as duas maneiras pelas quais a alma parecia sair do corpo, e nessas duas maneiras pelas quais a alma sai, Deus fala comigo.

1.– Essa maneira de falar Ele mesmo chama de fala intelectual. Procurarei explicá-lo: depois que a alma saiu do corpo, encontrando-se diante de Jesus, ela não precisa de palavras para entender o que o Senhor quer dizer-lhe; nem a alma precisa falar para se fazer compreender; mas através do intelecto – oh! quão bem nos entendemos quando estamos juntos. De uma luz que vem de Jesus para o meu intelecto, sinto tudo o que meu Jesus quer que eu entenda sendo impresso dentro de mim. Este caminho é muito elevado e sublime; tanto que a natureza dificilmente consegue se adaptar para explicá-lo com palavras – mal consegue dar algumas ideias. Essa maneira de Jesus se fazer entender é extremamente rápida – em um simples instante a pessoa aprende muitas coisas sublimes, mais do que lendo livros inteiros.

Oh! que mestre mais engenhoso Jesus é – em um simples instante Ele ensina tantas coisas, enquanto levaria anos inteiros para outra pessoa, se é que consegue, porque o mestre terrestre não tem o poder de atrair a vontade de seu discípulo , ou para infundir coisas em sua mente sem esforço e labuta. Mas não com Jesus: a sua doçura, a beleza do seu gesto, a gentileza do seu falar são tão grandes – e então Ele é tão belo, que assim que a alma o vê, ela se sente tão atraída que às vezes a velocidade com que ela corre atrás de Jesus é tão grande, que quase sem se dar conta, ela se encontra transformada na amada, de tal forma que a alma não é mais capaz de distinguir o seu ser terrestre a ponto de se identificar com o Ser Divino. Quem pode dizer o que a alma sente neste estado? Seria necessário o próprio Jesus, ou uma alma perfeitamente separada do corpo, porque ao se encontrar cercada mais uma vez pela parede deste corpo, e perdendo aquela luz que antes a mantinha submersa, a alma perde muito e fica obscurecida. Portanto, se ela tenta dizer algo, ela pode fazer apenas asperamente.

Para se ter uma ideia, direi que imagino um cego de nascença, que nunca teve o bem de ver o que está contido em todo o universo, e que, por alguns minutos, teve o bem de abrir os olhos à luz e foram capazes de ver tudo o que está contido no mundo – o sol, os céus, o mar, as muitas cidades, as muitas máquinas, as variedades de flores e muitas outras coisas que existem no mundo; e quem, após aqueles poucos minutos de luz, voltou à cegueira de antes. Agora, ele poderia descrever, distintamente, tudo o que ele viu? Ele poderia fazer um esboço aproximado e dizer algumas coisas de forma confusa. Agora, algo semelhante acontece quando a alma se encontra separada e, em seguida, de volta ao corpo. Não sei se estou dizendo bobagem, mas assim como aquele pobre cego permaneceria, mas com a tristeza da visão perdida, o mesmo para a alma: ela vive gemendo e quase em estado de violência, porque a alma se sente sempre violentamente atraída para o bem supremo. A atração por si mesmo que Jesus deixa na alma é tão grande, que a alma gostaria de permanecer sempre atraída por seu Deus. Mas isso não pode ser e, portanto, ela vive como se vivesse no Purgatório. Acrescento que a alma não tem nada de próprio neste estado – tudo é operação feita pelo Senhor.

2– Agora tentarei explicar a segunda maneira que Jesus tem ao falar: encontrando-se fora de si mesma, a alma vê a pessoa de Jesus Cristo, por exemplo, em criança, ou crucificada, ou em qualquer outra postura; e a alma vê o Senhor pronunciando as palavras de Sua boca, e a alma responde de sua boca. Às vezes acontece que a alma começa a conversar com Jesus, assim como dois cônjuges íntimos fariam. O falar do Senhor é muito moderado – apenas quatro ou cinco palavras, e às vezes até mesmo apenas uma palavra; muito raramente aumenta um pouco. Mas nessas poucas palavras – ah! quanta luz Ele introduz na alma. Parece que vejo um pequeno riacho à primeira vista, mas olhando mais de perto, em vez de um riacho, dá para ver um mar imenso. Essa é uma palavra dita por Jesus. A imensidão de luz que deixa na alma é tal,

Acredito que se todos os eruditos se unissem, todos permaneceriam confusos e mudos a uma única palavra de Jesus. Ora, este caminho é mais adequado à natureza humana e pode manifestar-se facilmente, porque ao entrar em si, a alma traz consigo o que ouviu da boca de Nosso Senhor, e comunica ao corpo. Não é tão fácil quando é por meio do intelecto.

Para mim, acho que Jesus tem esse jeito de falar para se adaptar à natureza humana. Não é que Ele precise da palavra para se fazer compreender, mas assim a alma compreende mais facilmente e pode manifestá-la ao confessor. Em suma, Jesus age como um professor muito experiente, sábio e inteligente, que possui todas as ciências ao mais alto grau, e ninguém pode igualá-lo. Mas visto que Ele se encontra no meio de discípulos que ainda não aprenderam as primeiras sílabas do alfabeto, mantendo todos os outros estudos dentro de Si, Ele ensina o a, b, c aos discípulos.

Oh! quão bom é Jesus. Ele se adapta aos eruditos e fala com eles de uma maneira muito elevada, de tal forma que, para entendê-lo, devem estudar bem o que Ele lhes diz. E Ele se adapta ao ignorante, fingindo ser, Ele mesmo, um pouco ignorante; e fala baixinho, de tal maneira que ninguém pode ficar com o estômago vazio por causa da lição deste Divino Mestre.

3 – A terceira forma de Jesus falar comigo é quando, ao falar, comunica o seu próprio conteúdo à alma. Parece-me que assim como quando o Senhor criou o mundo, em uma palavra as coisas foram criadas, da mesma forma, visto que Sua palavra é criadora, no próprio ato em que pronuncia a palavra, Ele cria na alma que muito coisa que Ele está dizendo.

Por exemplo, Jesus diz à alma: “Veja como as coisas são lindas, mas por mais que seus olhos percorram a terra e no céu, você nunca encontrará uma beleza semelhante a mim.”

A estas palavras de Jesus, as almas sentem entrar em si algo de divino; a alma permanece muito atraída por essa beleza e, ao mesmo tempo, ela perde a atração por todas as outras coisas. Por mais lindos e preciosos que sejam, não causam impressão em sua alma. Aquilo que permanece fixo nela e quase transmutado nela é a beleza de Jesus: naquela beleza ela pensa, naquela beleza ela se sente investida, e ela fica tão enamorada que se o Senhor não operasse outro milagre, seu coração se partiria, e a alma daria o seu último suspiro de puro amor por esta beleza de Jesus, para voar para o céu e se deleitar nesta beleza de Jesus. Eu mesmo não sei se estou falando bobagem.

Para me explicar melhor sobre esse falar substancial de Jesus, direi outra coisa. Jesus diz: “Veja como sou puro – em você também quero encontrar pureza em tudo.” Com essas palavras, a alma sente que uma pureza divina entra nela. Essa pureza se transmuta em si mesma, e ela passa a viver como se não tivesse mais corpo – e assim com as outras virtudes. Oh! quão desejável é falar de Jesus. Quanto a mim, daria tudo o que há na terra – se pudesse possuí-lo – para ter apenas uma dessas palavras de Jesus.

4 – A quarta forma de Jesus falar comigo é quando me encontro dentro de mim – ou seja, no estado natural. Isso também acontece de duas maneiras: a primeira é quando, estando dentro de mim, recolhido no interior do meu coração, sem articulação de voz ou som ao ouvido do corpo, Jesus fala interiormente. A segunda é exatamente como fazemos; e às vezes isso acontece mesmo quando estou distraído ou falando com outras pessoas. Mas uma dessas palavras por si só é suficiente para me fazer lembrar de mim mesmo se estou distraído, ou para me dar paz se estou perturbado, ou para me consolar se estiver aflito.

Compartilhe a Divina Vontade