Refletindo: Quem vive na Divina Vontade permanece rodeado pela divina imutabilidade.


 22 de fevereiro de 1930
Quem vive na Divina Vontade permanece rodeado pela divina imutabilidade.

Sou sempre presa daquele Fiat Divino que sabe vencer com doçura e força; com sua doçura Ele me atrai de forma irresistível, com sua força Ele me vence para que possa fazer de mim o que quiser. Oh, Santa Vontade, já que você me conquistou, faça-me vencer com sua própria força e doçura e, cedendo aos meus contínuos apelos, venha reinar na terra, forme seu doce encantamento à vontade humana, e tudo se torna Vontade Divina na Terra!

Por isso, enquanto pensava na Vontade Divina, meu doce Jesus, movendo-se no meu interior e fazendo-se ver, disse-me:

Minha filha, se você soubesse o que significa ser vítima de minha Vontade Divina! A alma permanece rodeada de nossa imutabilidade e tudo se torna imutável para ela; santidade imutável, luz, graça, amor. Para que ela não sinta mais a variedade dos caminhos humanos, mas a estabilidade dos caminhos divinos.

Portanto, quem vive em minha Divina Volição pode ser chamado de céu, que está sempre fixo e estável em seu lugar de honra com todas as suas estrelas e, se gira, visto que é toda a Criação que gira, portanto não muda de lugar nem em si mesma muda, mas o céu com todas as estrelas permanece sempre imutável. Tal é a alma que vive na minha Vontade Divina: vai girar, vai fazer várias ações, mas desde que funciona como uma força motriz do meu Divino Fiat, e na montagem da minha Vontade, vive um pré céu que já é imutável em seus bens e nas prerrogativas em que minha Suprema Vontade o dotou.

Por outro lado, quem vive fora do meu Divino Fiat, sem sua força motriz, pode ser chamado como aquelas estrelas errantes que caem no espaço como se não houvesse lugar fixo para elas e são forçadas como estrelas errantes a correr como se estivessem em um precipício, como se foram perdidas da abóbada do céu. Tal é a alma que não vive e não vive em minha Divina Vontade: ela muda a cada oportunidade, sente em si mesma tanta variedade de mudança que se sente entediada em repetir um bem continuado, e se alguma centelha de luz a faz sair de si mesma, é como o brilho de estrelas errantes que desaparece imediatamente. Pode-se dizer que este é o sinal para saber se se vive pela Vontade Divina: imutabilidade no bem; e mudar a cada empurrão, [é o sinal de saber] se se vive da vontade humana ”.

👆A Luisa como nós foi capturada pelo Fiat Divino, queremos muito caminhar envolvidos nessa irresistível força de  Deus, que nos arrebata, nos impulsiona pra Ele… nada na terra mais deve ter valor. Nós não devemos mais parar de buscar amar e compreender tudo o que essa santa Divina Vontade quer de nós. Nós já sabemos o que queremos: Corresponder apesar de nossa incapacidade e limitações.
Sempre nossa resistência cada vez mais nos fala que é impossível, as pessoas nos falam que é impossível. Mas Deus não, Deus dentro de nós nos sequestra para dizer: Vem, vem, vem…
Seremos chamados todos a sermos vítimas mártires da Divina Vontade, uma santidade pura, santa, utópica… porém, que nos convida a estarmos infundidos do desejo de desejá-la.. Algo antes para nós fechado totalmente.
Agora descobrimos, que DEUS NOS QUER VIVENDO NELE, COM ELE, E POR ELE…

Nós somos inundados, afogados do desejo insacíavel que ELE MESMO INFUNDIU em nós.
E Ele não muda, é permanente, constante sem nunca deixar de nos convidar. Somente nós podemos negá-lo, afastá-lo. E Ele ao contrário, está sempre firme, pronto, aberto… Nada além de nós mesmos, pode nos atrasar…

A Alma que vive dessa Vida Divina, é convidada a ser como Deus imutável, constante, serena, perseverante apesar de qualquer obstáculo. Podem fazer, ou dizer qualquer coisa contra nós… Jesus continua ali, e nós continuamos mais apaixonados por seu olhar de amor, por seu convite. E esse encontro de amor, nos faz nunca conseguir deixá-lo… e começamos a experimentar nesses momentos de senti-lo, um pré céu. Pois nós, não conseguimos mais parar de buscar entender como correspondê-lo e entendê-lo…

 SENHOR, tu me sondaste, e me conheces.
Tu sabes o meu assentar e o meu levantar; de longe entendes o meu pensamento.
Cercas o meu andar, e o meu deitar; e conheces todos os meus caminhos.
Não havendo ainda palavra alguma na minha língua, eis que logo, ó Senhor, tudo conheces.
Tu me cercaste por detrás e por diante, e puseste sobre mim a tua mão.
Tal ciência é para mim maravilhosíssima; tão alta que não a posso atingir.
Para onde me irei do teu espírito, ou para onde fugirei da tua face?
Se subir ao céu, lá tu estás; se fizer no inferno a minha cama, eis que tu ali estás também.
Se tomar as asas da alva, se habitar nas extremidades do mar,
Até ali a tua mão me guiará e a tua destra me susterá.Se disser: Decerto que as trevas me encobrirão; então a noite será…Salmo 139

E os que não desejam viver, nem pensar em ti e em sua Vontade Divina, não são constantes, eles mudam conforme o vento sopra, uma infelicidade constante e sempre entediados, por não se firmarem no bem desejado. É o Senhor, que ao convidar, insiste em pararmos, sentarmos e passarmos horas com Ele a conversar.

A partilhar a nossa vida, nossas dores, angustias, encontrar Nele nosso refúgio.

Somente vós o Senhor és o nosso abrigo, se vamos nos distrair com as criaturas, elas também estão ansiosas por encontrar um porto seguro, e enquanto, nós só ouvimos o chamado e não nos entregamos firmemente em ti.

Ficamos sempre a navegar por águas tempestuosas que nos enjoam, nos amedrontam, sempre temerosos.
Olhamos para ti e pensamos que és muito exigente, que vais nos pedir a nossa felicidade. Tirar de nós, tudo o que conquistamos, ou que nem sequer ainda aproveitávamos.

E é ao contrário, o Senhor só quer que nós confiemos que tudo foi vós que nos deu.
Nada nasceu conosco… até nossos próprios dons, nos foram dados por ti. Nossos pais, nossos irmãos, filhos..tudo é teu.. só nos emprestou… e devemos tanto nos sentir agraciados por tudo o que nos destes.

Como somos mesquinhos, em temer que o Senhor vai se aproximar para nos arrancar nossos brinquedos, nossas chupetas…
O Senhor primeiro só quer se aproximar, conquistar nossa confiança… só quer ser conhecido… entendido…
Quer nos contar como foi que nos criou… como foi que projetou nosso mundo.

Como somos medrosos, Senhor…
E diante dessa tua palavra agradecemos: Obrigado, por seu abraço, seu carinho, seu convite… me perdoe por não entender, e temer me aproximar… Tu me seduzistes, mas ainda sou medrosa… Escondendo minhas seguranças atrás de mim… pensando que vieste tomar de uma vez … Rsss…
Obrigada por seres paciente, por se adaptar a mim, a meus medos, por se aproximar para me fazer apaixonar por ti primeiro.. te conhecer..
Obrigada, por me ensinar a não ter tanto medo… Obrigada por ser tão bom!

Aline Aparecidinha

Compartilhe a Divina Vontade