Era do Amor Divino


Era do Amor Divino

A Era da Paz – uma verdadeira Era do Amor Divino – que está prestes a surgir no mundo é uma realidade tão gloriosa e emocionante que, antes de discutir seus detalhes, devemos deixar uma coisa absolutamente clara das palavras de Jesus para Luisa Piccarreta : É tudo sobre o céu.

Uma preocupação que pode surgir na mente de alguns depois que eles aprendem sobre a Era é: “Isso pode ser uma distração do próprio Céu – o final ‘Era da paz’? ”

A resposta, simplesmente, é: não deveria ser!

A era da paz, obviamente, não é definitiva. É um período mais ou menos breve (se várias décadas ou séculos faz pouca diferença), período temporal na Terra, que por sua vez é – para ser franco – uma fábrica de santos para povoar o Céu. Jesus diz a Luisa:

O fim do homem é o Céu, e para quem tem minha Vontade Divina como origem, todos os seus atos fluem para o Céu, como o fim que sua alma deve alcançar e como a origem de sua bem-aventurança que não terá fim. (Abril 4, 1931)

Portanto, você não deve perder tempo pensando se estará vivo para a Era da Paz; e, o mais importante, você não deve se preocupar com essa mesma pergunta. O auge da loucura seria responder ao aprendizado da Era, preocupando-se em garantir os meios mundanos para viver o tempo suficiente para vê-lo da terra. A noção de um santo martírio ainda deve inspirá-lo tanto quanto sempre inspirou todos os cristãos. Que tragédia seria para você perder essa inspiração simplesmente porque “o privaria da capacidade de viver na Era!” Isso seria ridículo. Os que estão no céu desfrutam da Era da Paz muito mais do que os que estão na terra. Aqueles que morrem e entram no Céu antes da Era são muito mais abençoados do que aqueles que “chegam” à Era antes de morrerem.

Em vez disso, devemos aguardar ansiosamente a Era e nos esforçar para fazer tudo o que pudermos para apressá-la – chorando “continuamente”, como Jesus diz a Luisa, “deixe o reino de seu Fiat vir, e deixe sua vontade ser feita na terra como está no céu!”- porque reconhecemos que a Era consiste em nada além das condições terrenas ideais para a edificação da glória eterna do Céu. De fato, a felicidade da Era será enorme; mas não é o nosso destino final, não é o nosso fim, e é totalmente diminuído pela felicidade do céu. Jesus diz a Luisa que:

“… [Viver na Vontade Divina] faz o pagamento inicial da felicidade que reina apenas na Pátria Abençoada.” (Janeiro 30, 1927) “Esta é a razão pela qual insistimos tanto que Nossa Vontade seja sempre feita, que seja conhecida, porque queremos povoar o Céu com nossos filhos amados.” (Junho de 6, 1935)

Aqui vemos que Jesus coloca de maneira ainda mais franca: todo o seu plano é povoar o céu com seus filhos amados. A Era é o maior meio para esse fim.

Mas agora que podemos abordar a antecipação da Era a partir da perspectiva apropriada, não devemos deixar de pensar em quão gloriosa será de fato! Para esse fim, vamos rever apenas um pequeno vislumbre das revelações de Jesus a Luisa sobre a glória desta Era da Vida Divina.

Jesus para o Luisa Piccarreta :

Ah, minha filha, a criatura sempre corre mais para o mal. Quantas maquinações de ruína estão preparando! Irão tão longe a ponto de se esgotarem no mal. Mas enquanto eles se ocuparem no seu caminho, eu me ocuparei com a conclusão e o cumprimento de Meu Fiat Voluntas Tua (“Seja feita a sua vontade”) para que Minha Vontade reine na terra – mas de uma maneira totalmente nova. Ah sim, eu quero confundir o homem apaixonado! Portanto, esteja atento. Quero que você prepare esta época de amor celestial e divino. (8 de fevereiro de 1921)

Aguardo ansiosamente que Minha Vontade seja conhecida e que as criaturas possam Viver nela. Então, mostrarei tanta opulência que toda alma será como uma Nova Criação-Linda, mas distinta de todas as outras. Eu me divertirei; Eu serei seu arquiteto insuperável; Vou mostrar todas as minhas artes criativas … Oh, como eu anseio por isso; como eu quero isso; como eu anseio por isso! A criação não está concluída. Eu ainda tenho que fazer minhas obras mais bonitas. (7 de fevereiro de 1938)

Minha filha, quando minha vontade tiver seu reino na terra e almas viverem nela, a fé não terá mais sombra, nem enigmas, mas tudo será clareza e certeza. A luz da minha vontade trará nas coisas muito criadas a clara visão de seu Criador; as criaturas o tocarão com suas próprias mãos em tudo o que ele fez por amor a elas. A vontade humana é agora uma sombra para a fé; paixões são nuvens que obscurecem a clara luz dEle, e isso acontece com o sol, quando nuvens espessas se formam no ar: mesmo que o sol esteja lá, as nuvens avançam contra a luz, e parece que está escuro como se era noite; e se alguém nunca tivesse visto o sol, teria dificuldade em acreditar que o sol está lá. Mas se um vento forte dissipasse as nuvens, quem ousaria dizer que o sol não existe, pois tocaria sua luz radiante com as próprias mãos? Essa é a condição em que a fé se encontra porque minha vontade não reina. Eles são quase como pessoas cegas que precisam acreditar nos outros que um Deus existe. Mas quando meu Fiat Divino reinar, Sua luz os fará tocar a existência de seu Criador com suas próprias mãos; portanto, não será mais necessário que outros o digam – as sombras, as nuvens não existirão mais. ” E enquanto Ele estava dizendo isso, Jesus fez uma onda de alegria e luz sair do Seu Coração, o que dará mais vida às criaturas; e com ênfase no amor, acrescentou: “Como anelo o Reino da minha vontade. Porá um fim aos problemas das criaturas e às nossas tristezas. Céu e terra sorrirão juntos; Nossas festas e as deles readquirirão a ordem do começo da Criação; Colocaremos um véu sobre tudo, para que as festas nunca mais sejam interrompidas. (29 de junho de 1928)

Agora, como [Adam] rejeitou Nossa Vontade Divina, fazendo o seu próprio, Nosso Fiat retirou Sua Vida e o Dom de que ele era portador; portanto, ele permaneceu no escuro sem a verdadeira e pura luz do conhecimento de todas as coisas. Assim, com o retorno da Vida da Minha Vontade na criatura, Seu Presente da Ciência Infundida retornará. Este Dom é inseparável da Minha Vontade Divina, como a luz é inseparável do calor, e onde Reina forma nas profundezas da alma o olho cheio de Luz, de modo que, olhando com este Olho Divino, adquira o Conhecimento de Deus e de Deus. criou coisas o máximo possível para uma criatura. Agora, Minha Vontade se retirando, o olho permanece cego, porque Aquele que animou a visão partiu, isto é, não é mais a Vida Operacional da criatura. (22 de maio de 1932)

Então sim !, serão vistos os prodígios que minha Volição sabe fazer e pode fazer. Tudo será transformado … minha Vontade fará uma exibição maior, tanto assim, a ponto de formar um novo encantamento de belezas prodigiosas nunca antes vistas, para todo o Céu e para toda a Terra. (9 de junho de 1929)

Assim, uma vez que a Vontade Divina e o humano são colocados em harmonia, dando domínio e regime ao Divino, como é desejado por Nós, a natureza humana perde os efeitos tristes e permanece tão bonita quanto saiu de Nossas mãos criativas. Agora, na Rainha do Céu, todo o nosso trabalho estava sobre a vontade humana dela, que recebeu com alegria o domínio dos nossos; e Nossa Vontade, não encontrando oposição de sua parte, operou prodígios de graças, e em virtude de minha volição divina, ela permaneceu santificada e não sentiu os efeitos tristes e os males que as outras criaturas sentem. Portanto, minha filha, uma vez que a causa é removida, os efeitos terminam. Oh! se minha vontade divina entrar nas criaturas e reinar nelas, banirá todos os males nelas e comunicará a eles todos os bens – à alma e ao corpo. (30 de julho de 1929)

Minha filha, você deve saber que o corpo não fez nada de mal, mas todo o mal foi feito pela vontade humana. Antes de pecar, Adão possuía a vida completa da minha vontade divina em sua alma; pode-se dizer que ele ficou cheio até Ele, na medida em que transbordou para fora. Assim, em virtude de minha vontade, o humano transfundiu luz para fora e emitiu as fragrâncias de seu Criador – fragrâncias de beleza, de santidade e de saúde total; fragrâncias de pureza, de força, que saíam de dentro de sua vontade como muitas nuvens luminosas. E o corpo ficou tão embelezado por essas exalações, que foi delicioso vê-lo bonito, vigoroso, luminoso, tão saudável, com uma graça arrebatadora … [após a queda, o corpo] ficou debilitado e permaneceu sujeito a todos os males, compartilhando em todos os males da vontade humana, como havia compartilhado com o bem … Então, se a vontade humana é curada ao receber novamente a vida da minha Vontade Divina, todos os males da natureza humana não terão mais vida, como se por, mágica. (7 de julho de 1928)

A Criação, eco da Pátria Celestial, contém música, a marcha real, as esferas, os céus, o sol, o mar e todos possuem ordem e perfeita harmonia entre si, e andam continuamente. Essa ordem, essa harmonia e esse movimento, sem parar, formam uma sinfonia e música tão admiráveis, que se pode dizer que é como o sopro do Fiat Supremo soprando em todas as coisas criadas, como muitos instrumentos musicais, e formando as mais belas de todas as melodias, de modo que, se as criaturas pudessem ouvi-la, permaneceriam extasiadas. Agora, o Reino do Supremo Fiat terá o eco da música da Pátria Celestial e o eco da música da Criação. (28 de janeiro de 1927)

[Depois de falar das variadas delícias da natureza, da montanha mais alta à menor flor, Jesus disse a Luisa:] Agora, minha filha, na ordem da natureza humana, também haverá alguns que ultrapassarão o céu em santidade e em paz. beleza; algumas do sol, outras do mar, outras da terra florida, outras da altura das montanhas, outras da pequenina florzinha, outras da pequena planta e outras da árvore mais alta. E mesmo que o homem se retire da minha vontade, multiplicarei os séculos para ter, na natureza humana, toda a ordem e a multiplicidade de coisas criadas e de sua beleza – e até superá-las de uma maneira mais admirável e maneira encantadora. (15 de maio de 1926)

Deseja que esta Era Gloriosa do Amor Divino chegue em breve? Então apresse sua chegada!

Compartilhe a Divina Vontade