A Era da paz ou Reino da Divina Vontade revelado a Luisa Piccarreta


Esta é nossa grande esperança e nossa petição:“ Venha o seu reino ”- um reino de paz, justiça
e serenidade, que restabelecerá a harmonia original de criação.”
– Papa São João Paulo II


Por que a era?

A maior petição da maior oração não ficará sem resposta.

Quando o Filho de Deus andou na terra fisicamente
2.000 anos atrás, Ele ensinou apenas uma oração. O clímax
dessa oração que Ele ensinou é uma petição que alguns até então
assumiram ser boa demais para ser verdadeira:

TUA SERÁ FEITO NA TERRA COMO ESTÁ NO CÉU.

Jesus disse a Luisa – e através dela, ele disse a toda a Igreja e ao mundo inteiro – que é não muito bom para ser verdade. Bom demais para entendermos, talvez, mas seu cumprimento é uma garantia. Chegará o tempo em que Sua vontade será feita na terra, como no céu.
Nossas próprias vidas podem e devem viver essa realidade até agora por meio do dom de viver na vontade divina. Mas Deus
sempre está de olho não apenas em um indivíduo, mas em um povo; e essa revelação é a aplicação definitiva desse princípio.

O mundo inteiro vai viver na vontade divina!

A gloriosa era da paz que Deus produzirá para o mundo através dessa santidade está radicalmente além de tudo o que o mundo
já viu; pois todo o mal – feiúra, doença, decadência, miséria, tudo – é o resultado do pecado. Quando a causa é removida, o
efeito desaparece.
Na missa, o padre reza: “Você é realmente Santo, ó Senhor, e desde o começo do mundo trabalha incessantemente, para que a raça humana se torne santa, assim como você é santo. ”

Esta é uma oração litúrgica oficial da Igreja e se refere não a “alguns humanos”, mas a ” a raça humana. Este é realmente o nosso destino: retornar a Deus no fim dos tempos de uma maneira digna Dele.
Assim como a Criação surgiu da mão de Deus no começo como nobre, bela e santa, também retornará a Ele no final dos tempos em um estado semelhante.
Assim, as palavras de Apocalipse serão cumpridas, e a Igreja, a Noiva de Cristo, ascenderá ao altar de Deus para o Grande Casamento que começa com a consumação da história; não suja, doente e manchada como está agora, mas com jóias e totalmente preparada “como uma noiva adornada para o marido”  graças à Era da Paz.

Jesus diz a Luisa Piccarreta em 24 de fevereiro de 1933.:

E se fosse impossível que Minha Vontade pudesse Reinar na Terra como no Céu, Minha bondade paterna não teria ensinado a Oração
do Pai Nosso, porque para tornar impossível as coisas pelas quais orar, eu não teria feito; nem eu o teria recitado com tanto amor como
antes, colocando-me à frente de todos; nem eu teria ensinado aos apóstolos para que eles pudessem ensiná-lo ao mundo inteiro como
a Oração mais Bonita e Substancial da Minha Igreja.

Não quero coisas impossíveis, nem exijo da criatura, nem eu mesmo, coisas impossíveis. Portanto, e se teria sido Impossível que Minha Divina venha a Reinar na Terra como no Céu, eu teria ensinado uma oração inútil e sem efeito, e não sei como fazer coisas inúteis. No máximo, espero até séculos, mas devo fazer surgir o fruto da minha Oração ensinada, ainda mais porque gratuitamente, sem que ninguém tivesse me contado, dei a esse grande bem que minha vontade fosse feita na terra como no céu …

Portanto, tudo o que manifestei sobre a Minha Vontade está incluído apenas nestas palavras: ‘Seja feita a Sua Vontade na Terra como
no Céu.’

Infelizmente, algumas reações são ouvidas entre alguns católicos que se acostumaram a um certo conjunto de suposições sobre como será o restante da história do tempo.
Pois quando essa gloriosa era lhes é descrita, eles inicialmente respondem com uma das seguintes rejeições:

• “Não. Não chegamos ao céu até chegar ao céu – este mundo nunca se parecerá realmente com ele, de modo geral, de maneira significativa. ”
• “Não. Este lado do céu sempre será um miserável um lugar cheio de pecadores – cheio de guerra, crime, erro, feiura, corrupção, assassinato e coisas assim – essa é a nossa natureza e sempre será assim. ”
• “Não. Até o céu, nós e o mundo sempre estaremos presos ao pecado original e a todas as suas consequências, exatamente da mesma maneira que sempre os suportamos desde a queda. ”

Essas respostas são talvez compreensíveis como uma reação inicial. O problema surge quando alguém se apega a eles, mesmo quando eles
são comprovadamente incorretos. É incrível como algumas pessoas podem se apegar a um hábito arbitrário! Para tudo o que é preciso fazer
em resposta a essas rejeições, pergunte:

“Onde, em seus 2.000 anos de história gloriosa, o Magistério da Igreja ensinou uma dessas reivindicações que você usa para rejeitar a Era da Paz?”
Obviamente, essa pergunta sempre será respondida por nada além de um olhar vazio. Pois, de fato, nada disso foi ensinado pela Igreja.
Naturalmente, essas perguntas retóricas simplesmente revelam o absurdo das suposições habituais que alguns católicos adquiriram em relação ao que o restante da história deve consistir no suposição de que o mundo deve sempre ser essencialmente o mesmo que é agora, e o Reino não pode vir à Terra de forma mais poderosa do que já passou pela Igreja como é agora, e que Sua Vontade não pode ser feita terra como é feita no céu,
exceto talvez na vida de alguns grandes santos.

O artigo da New Catholic Encyclopedia pag. 173 sobre o Reino de Deus ensina que:
O reino também deve ser a principal mensagem da pregação dos discípulos de Jesus … A oração que Jesus ensinou a seus discípulos
tem como centro a petição de que ” teu reino vem … à terra, pois já está no céu ” ‘(Mt 6:20; Lc 11: 2 … Esta oração implica que o reino
é ainda não totalmente realizado na terra; deve vir em sua plenitude no futuro próximo, como um presente divino. A cláusula paralela ‘‘ seja feita a tua vontade ” sugere que o reino significa que a vontade de Deus será feita … A petição também implica que o reino já existe em sua plenitude no céu, mesmo que ainda não esteja na terra. Ainda assim, no ministério de cura e exorcização de Jesus, o reino já está presente (Mateus 12:28; Lucas 11:20 [Q]), em sinal, por antecipação, em semeadura.

E Jesus diz a Luisa em 05 de fevereiro de 1928:

Minha filha, quando Adão pecou, ​Deus lhe deu a promessa do futuro Redentor. Séculos se passaram e a promessa não fracassou;
portanto, as gerações humanas desfrutaram das bênçãos da Redenção. Agora, ao vir do céu para formar o Reino da Redenção, fiz outra promessa mais solene antes de partir para o céu: O Reino da Minha Vontade na terra, que está contido na oração de ‘Pai Nosso’ … Então, depois que fiz essa oração Na presença de Meu Pai celestial, certo de que Ele me concederia o Reino da Minha Divina Vontade na Terra, eu o ensinei aos Meus apóstolos para que eles o ensinassem ao mundo inteiro, e que este pudesse ser o clamor de todos: ‘Seja feita a tua vontade na terra como no céu.’ Uma promessa mais segura e solene que eu não pude fazer […] Minha própria oração ao Pai celestial: ‘Que venha, que venha o seu reino e faça a sua Vontade na Terra como no céu’, significava que, com Minha vinda a Terra, o Reino da Minha Vontade não foi estabelecido entre as criaturas; caso contrário, eu diria: ‘Pai, que o reino que eu já estabeleci na Terra seja confirmado, e que Nossa Vontade domine e reine’. Em vez disso, eu disse: ‘Que venha’. Isso significa que ele deve vir e as almas devem aguardá-lo com a mesma certeza com que aguardavam o futuro Redentor. Pois Minha Divina Vontade está vinculada e comprometida com as palavras do ‘Pai Nosso’. E quando Minha Vontade Divina se liga, tudo o que promete é mais do que certo que acontecerá. Além disso, como tudo foi preparado por Mim, nada mais é necessário, a não ser a manifestação do Meu Reino,
que é o que estou fazendo. 

De fato, a Maior Petição da Maior Oração – proferida pelos lábios do próprio Filho de Deus e que Ele ordenou a todos os cristãos que orassem – não ficará sem resposta.

***

Agora, devemos lembrar de algumas coisas (e estas também serão abordadas com mais detalhes na próxima seção). O pecado continua sendo uma possibilidade ontológica quando a Vontade Divina Reina na Terra, mesmo que nem sempre seja uma probabilidade prática. Em outras palavras, é “possível”, mas não temido. Assim como agora, ao ler essas palavras, é possível que você pule pela janela mais próxima; no entanto, nem você
nem ninguém ao seu redor tem o menor medo de fazê-lo. Mais importante, longe de eclipsar ou duplicar o Céu, a Era tem como todo propósito nossa Pátria Celestial. Embora a Igreja se torne bela e gloriosa na Era, sua perfeição completa está apenas no Céu; que esperaremos com mais desejo durante a Era do que esperamos agora. Pois, embora durante a Era a glória da Igreja ofusque muito sua glória atual, estaremos mais cientes
de nosso destino final (a Visão Beatífica), assim, nosso desejo por ela aumentará de passo e excederá em muito o seu grau atual. quanto mais próximo o ímã for colocado de um pedaço de aço, mais forte será a força de tração.

Pois devemos lembrar que Jesus diz a Luisa que Seu plano é restaurar – para o homem e para o mundo – o que foi perdido. Mas a glória original do Jardim não era o destino final do homem ou do mundo; era uma preparação para este destino (o plano original de Deus – se Adão não tivesse pecado – era, no momento oportuno, uma vez que o mundo estivesse suficientemente preparado, encarnado e receber o reinado de Adão e, assim, iniciar a festa do casamento celestial por toda a eternidade. ) Portanto, mesmo com essa restauração, não estamos “terminados”. Muito pelo contrário, após a restauração, ainda estaremos em uma luta épica em direção ao nosso destino final no céu; mas será uma luta bela, vitoriosa e gloriosa, em vez de uma luta feia, desesperadora e miserável que muitas vezes observamos no mundo hoje (não, é claro, que tenha que ser assim mesmo agora!).

Um dia, Jesus disse a Luisa o seguinte em 14 de julho de 1923:

Agora, as nações querem lutar umas contra as outras, e as que se consideram as mais poderosas estão pegando em armas até os
dentes para destruir as nações fracas. É sobre destruição total, minha filha …
… o mundo inteiro está de cabeça para baixo e todos aguardam mudanças, paz, coisas novas. Eles mesmos se reúnem para discutir sobre o assunto e ficam surpresos por não conseguirem concluir nada e tomar decisões sérias. Portanto, a verdadeira paz não surge, e tudo se resolve em palavras, mas sem fatos. E eles esperam que mais conferências possam servir para tomar decisões sérias, mas esperam em vão. Enquanto isso, nessa espera, eles estão com medo, e alguns se preparam para novas guerras, outros esperam novas conquistas. Mas com isso, os povos
estão empobrecidos, são despidos vivos e, enquanto esperam, cansados ​da triste era atual, sombria e sangrenta, que envolve eles esperam e esperam uma nova era de paz e luz. O mundo está exatamente no mesmo ponto em que eu estava prestes a vir à Terra .

Todos aguardavam um grande evento, uma nova era, como de fato ocorreu. O mesmo agora; desde o grande evento, a nova era
na qual a vontade de Deus pode ser feita na terra como está no céu, está chegando – todos estão aguardando esta nova era, cansados ​da atual, mas sem saber do que se trata essa nova coisa, essa mudança, assim como eles não a conheceram quando eu vim à Terra. Essa expectativa é um sinal claro de que a hora está próxima . Mas o sinal mais certo é que estou manifestando o que quero fazer e que, voltando-me para uma alma, assim como me voltei para minha mãe ao descer do céu à terra, comunico-lhe minha vontade e os bens e efeitos que ela contém, fazer deles um presente para toda a humanidade. 

Embora essas palavras tenham sido ditas por Jesus a Luisa no início dos anos 20 o século, sua verdade só se tornou mais óbvia.
Todo mundo parece perceber – através de religiões, nações, culturas; e mesmo na arena secular – que o mundo está em algum
tipo de grande cúspide. Todos os dias são publicados mais artigos em que as grandes mentes do mundo reconhecem que o fim de
uma Era está sobre nós.

Mas apenas os poucos que lêem revelações privadas confiáveis ​têm uma noção do que vem a seguir. No entanto, apenas a expectativa (como Jesus diz a Luisa) é o sinal seguro da transformação iminente – e essa expectativa atingiu um verdadeiro pico de febre hoje.

Jesus também diz a Luisa em 16 de junho de 1928.:

Então, minha filha, o homem se degradou e perdeu todos os bens porque saiu da minha vontade divina. Para se enobrecer, recuperar tudo e receber a reabilitação do casamento com seu Criador, ele deve entrar mais uma vez no Fiat Divino de onde veio. Não há meios no meio; nem mesmo minha própria redenção é suficiente para fazer o homem retornar ao início da era feliz de sua criação. Redenção é meio, caminho, luz, ajuda – mas não o fim. O fim é a minha vontade, porque a minha vontade era o começo e, pela justiça, quem é o começo também deve ser o fim. Portanto, a humanidade deve ser incluída em minha Volição Divina para devolver sua nobre origem, sua felicidade e colocar o casamento com seu Criador
em vigor novamente. Portanto, o grande bem que minha Redenção fez ao homem não é suficiente para o nosso amor, mas anseia por mais. O amor
verdadeiro nunca se contenta; só então fica contente quando pode dizer: ‘Não tenho mais nada para dar a ele’. E sabendo que o homem pode voltar a ser feliz, vitorioso, glorioso, no nobre estado em que foi criado por Deus – e isso, por meio da minha vontade reinando no meio deles – é por isso que todos os anseios divinos, os suspiros, as manifestações são direcionadas a tornar conhecida a nossa vontade, a fim de fazê-la reinar, de modo a poder dizer ao nosso amor:
‘Acalme-se, pois nosso amado filho alcançou seu destino. Ele agora está de posse de Nossa herança que lhe foi dada na Criação, que é
Nossa Fiat! E enquanto ele possui o que é nosso, nós o possuímos.
Portanto, o casamento se realiza mais uma vez, os cônjuges voltaram ao seu lugar de honra; nada resta senão celebrar e
desfrutar de um bem tão grande, depois de tanto tempo uma tristeza ‘.

A profundidade da verdade contida nessas palavras é tão grande que, ao lê-las, uma alma em graça sem dúvida terá sua luz inundada em sua mente. Pois  embora muitos tenham esquecido esse fato (e Deus o tenha permitido talvez porque o tempo não estava suficientemente próximo), é claro que é verdade: a humanidade deve retornar a Deus em um estado semelhante àquele em que saímos dele. Se disséssemos que não seria assim, então blasfemamos com Deus, considerando que Ele é como nós; nós, que começamos uma tarefa apenas para desistir mais tarde, com o resultado final pior do que aquele com o qual começamos, como um empreiteiro sem valor que conclui a demolição e traz as novas matérias-primas
apenas para deixá-las em poucas pilhas pela casa ele deveria renovar completamente.

No final dos tempos, as palavras finais de Deus não serão “Oh, bem, eu tentei”.
De alguma forma, depois de milhares de anos de história da salvação, o sofrimento, a morte e a ressurreição do Filho de Deus, a
árdua jornada da Igreja e de seus santos ao longo dos séculos …
duvido que essas sejam as palavras do Senhor no final … A Palavra de Deus será ser justificado. Suas promessas serão cumpridas: a
criação será renovada, embora não perfeitamente até o final da história humana. Mas com o tempo, as Escrituras falam de um triunfo de Cristo, no qual Sua paz e Evangelho alcançarão os fins de a terra … a sabedoria será vindicado.

***

Mas, a essa altura, talvez o maior obstáculo não seja tanto um argumento racional, mas a simples e vaga tentação de duvidar
de que algo tão grande acontecerá; pois estamos tão acostumados a decepções.
A própria Luisa não era diferente dos que hoje são tentados a duvidar que a Vontade Divina possa triunfar na Terra. Um dia, ela estava pensando consigo mesma: “Nada de novo, o que é bom, pode ser visto no mundo. Os pecados permaneceram como eram; ou melhor, são piores … como pode ser que, de repente, o homem dê a morte a todos os vícios, a fim de dar vida a todas as virtudes? ”

Jesus respondeu a ela em 18 de junho de 1925., dizendo:

Minha filha, ainda assim será … Nossa vontade terá seu retorno; Terá Suas gerações divinas na vontade humana; mais ainda, uma vez que este era o Nosso Ato Principal, através do qual todas as coisas foram criadas – que Nossa Vontade transformaria e regeneraria a vontade humana em Divina. Vontade é o que saiu de nós mesmos – vontade é o que queremos. Todas as outras coisas foram feitas na ordem secundária, enquanto isso foi feito, estabelecido, na ordem primária da Criação. No máximo, pode levar tempo; mas os séculos não terminarão, até que minha vontade não obtenha seu propósito. Se obteve o objetivo da regeneração em coisas secundárias, mais deve obtê-lo no objetivo primário. Nossa vontade nunca teria partido de nosso ventre, se soubesse que não teria obtido seus efeitos completos – isto é, que a vontade humana seria regenerada na
vontade divina.

Isto vai venha. Isto é uma garantia. Falaremos mais sobre a natureza absolutamente garantida de sua vinda na seção a seguir. Mas, por enquanto, devemos voltar nossa atenção para demonstrar, sem sombra de dúvida, a ortodoxia da Era, pois há alguns que não entendem os ensinamentos de Jesus sobre a Era e procedem de seus próprios mal-entendidos pelos quais eles a confundem com a heresia. do milenarismo, para denunciar a Era.

Jesus falou com a Luisa em  Janeiro 29, 1919 que Deus cumprirá a terceira renovação da humanidade manifestando o que fazia sua Divindade na sua Humanidade.

(1) Estava fazendo a adoração às chagas de Jesus bendito, e por último recitei o credo com a intenção de entrar na imensidão do Querer Divino, onde estão todos os atos das criaturas passadas, presentes e futuras, e os mesmos que a criatura deveria fazer e que por descuido ou maldade não fez, e eu dizia: “Meu Jesus, meu amor, entro em teu Querer e é minha intenção com este credo, refazer e reparar todos os atos de fé que as criaturas não fizeram, todas as incredulidades, a adoração devida a Deus como Criador”. Enquanto estas e outras coisas dizia, sentia perder-me a inteligência no Querer Divino, e uma luz que investe minha compreensão, dentro da qual descobria a meu doce Jesus, e esta luz que dizia e dizia, mas quem pode dizer tudo? Direi isto de forma confusa, e além disso sinto tal repugnância, que se a obediência não fosse tão severa, mas mais indulgente, não me obrigaria a certos sacrifícios, mas Tu, Minha Vida, dá-me a força e não abandones a si mesma esta pobre ignorante. Parecia então que me dizia:

(2) “Minha querida filha, quero que saibas a ordem da minha providência. Em cada período de dois mil anos renovei o mundo, nos primeiros renovei-o com o dilúvio; nos segundos dois mil renovei-o com a minha vinda à terra, na qual manifestei a minha humanidade, da qual como de tantas fissuras se transluzia a minha Divindade, e os bons e os mesmos santos destes terceiros dois mil anos viveram dos frutos de minha Humanidade, e como a gotas gozaram de minha Divindade. Agora estamos perto do final dos terceiros dois mil anos e haverá uma terceira renovação, eis por que da confusão geral, não é outra coisa que a preparação para a terceira renovação, e se na segunda renovação manifestei o que fazia e sofria a minha humanidade e  pouquíssimo que operava a Divindade, agora nesta terceira renovação, depois que a terra foi purgada e em grande parte destruída a presente geração, serei ainda mais magnânimo com as criaturas e levarei a cabo a renovação com manifestar o que fazia minha Divindade em minha Humanidade, como operava meu Querer Divino com meu querer humano, como tudo ficava concatenado em Mim, como fazia e refazia tudo, e até um pensamento de cada criatura era refeito por Mim e selado com meu Querer Divino. Meu amor quer desafogar-se e quer fazer conhecer os excessos que operava minha Divindade em minha Humanidade em favor das criaturas, que superam com os muitos excessos que externamente operava minha Humanidade. Eis por que muitas vezes te falo do viver em meu Querer, o que até agora não manifestei a ninguém, no máximo conheceram a sombra de minha Vontade, a graça, a doçura que contém fazê-la, mas penetrar nela, abraçar a imensidão, multiplicar-se Comigo e penetrar em qualquer lugar, mesmo estando na terra, no Céu e nos corações, abandonar os modos humanos e obrar com modos divinos, isto não é conhecido ainda, tanto que a não poucos parecerá estranho, e quem não tem aberta a mente à luz da verdade não compreenderá nada, mas Eu pouco a pouco abrirei caminho manifestando ora uma verdade, ora outra deste viver em meu Querer, de tal maneira que acabarão por compreendê-lo.

Agora, o primeiro elo que uniu o verdadeiro viver em meu Querer foi minha Humanidade, minha Humanidade fundida com minha Divindade nadava no Querer Eterno e ia encontrando todos os atos das criaturas para fazê-los seus, e dar ao Pai por parte das criaturas uma glória divina, e dar a todos os atos das criaturas o valor, o amor e o beijo do Querer Eterno. Neste ambiente do Querer Eterno Eu via todos os atos das criaturas possíveis de fazer-se e não feitos, os mesmos atos bons malamente feitos, e Eu fazia os não feitos e refazia os mal feitos. Agora, estes atos não feitos e feitos só por Mim, estão todos suspensos em meu Querer, e espero as criaturas que venham a viver em meu Querer e repitam em minha Vontade o que fiz Eu. Por isso te escolhi a ti como segundo elo de conjunção com minha Humanidade, fazendo-se um só com o meu, vivendo em meu Querer, repetindo meus mesmos atos, de outra maneira por esta parte meu amor ficaria sem desabafo, sem glória por parte das criaturas por tudo o que minha Divindade operava em minha Humanidade, e sem a perfeita finalidade da Criação, a qual deve fechar-se e aperfeiçoar-se em meu Querer. Seria como se tivesse derramado todo o meu sangue, sofrido tanto e ninguém soubesse, quem me teria amado? Que coração teria ficado emocionado? Nenhum! E portanto em ninguem teria tido meus frutos, a glória da Redenção”.

(3) E eu, interrompendo as palavras de Jesus, disse: “Meu amor, se tanto bem há neste viver no Querer Divino, por que não o manifestaste antes?”

(4) E Ele: “Minha filha, primeiro devia fazer conhecer o que fez e sofreu minha Humanidade por fora, para poder dispor as almas a conhecer o que fez minha Divindade por dentro; a criatura é incapaz de compreender tudo junto meu agir, por isso vou me manifestando pouco a pouco. Depois, ao teu elo de conjunção Comigo serão unidos os demais elos das criaturas, e 63 terei uma multidão de almas, que vivendo em meu Querer vão fazer todos os atos das criaturas e terei a glória de tantos atos suspensos feitos só por Mim, feitos também pelas criaturas, e estas de todos os tipos: Virgens, sacerdotes, leigos, segundo o seu ofício, não operarão mais humanamente, mas penetrando no meu querer os seus actos multiplicar-se-ão por todos de modo todo divino, e terei a glória divina por parte das criaturas de tantos sacramentos recebidos e administrados em modo humano, outros profanados, outros enlameados pelo interesse, e de tantas obras boas nas quais fico mais desonrado do que honrado. Suspiro tanto este tempo, você reza e deseja-o junto Comigo e não separe seu elo de união com o meu, começando você a primeira”

“Minha filha, tudo o que viste servirá para purificar e preparar a família humana; os transtornos servirão para reordenar, e as destruições para edificar coisas mais belas; se um edifício em mau estado não cair por terra, não se pode formar o novo que será mais belo sobre aquelas mesmas ruínas; Eu tudo dirigirei para o cumprimento de minha Divina Vontade. E além disso, quando Eu vim à terra não tinha sido estabelecido por nossa Divindade que deveria vir o reino de minha Vontade, senão o da Redenção, e apesar da ingratidão humana a Redenção foi efetuada, mas ainda não fez todo seu caminho, muitos povos e regiões vivem como se Eu não tivesse vindo, por isso é necessário que faça seu caminho, que caminhe por todas as partes, porque a Redenção é o caminho preparatório para o reino da minha vontade, Ela é o exército que vai adiante para preparar os povos para receber o regime, a vida, o Rei que é o meu querer divino. Agora, o que não foi estabelecido até então, foi estabelecido para hoje, para realizar o cumprimento do reino do nosso Fiat, e quando Nós estabelecemos algo, tudo está feito, em Nós basta estabelecer para efetuar o que queremos. Eis por que o que parece difícil para você, para nós é muito fácil, nossa potência facilitará tudo e fará como aqueles ventos impetuosos depois de longos dias chuvosos e de densas nuvens, em que a força do vento faz desaparecer as nuvens e leva a chuva e faz regressar o sereno e o sol a abraçar a terra. Assim nossa potência, mais que vento dominante fará fugir as densas trevas do querer humano e fará reaparecer o Sol do meu Eterno Querer e o fará abraçar as criaturas; e todas as verdades que te manifesto sobre Ele, não são outra coisa que a confirmação do que Nós temos estabelecido.

Além disso, se o reino do meu Fiat Divino não tivesse sido primeiro estabelecido pela Divindade e o tempo em que deveria chegar o próximo cumprimento, não haveria nenhuma razão, nem necessidade, nem propósito de escolher-te, de ter-te sacrificada por tão longos anos, de te confiar não só os seus conhecimentos, as suas admiráveis verdades e os seus segredos e ocultas dores, como a sua pequena filha.
—-
“Minha filha, como é doloroso ver tanta perfídia humana, uma nação que engana a outra e arrastam reciprocamente os pobres povos no tormento e no fogo, pobres filhos meus. Você deve saber que a tempestade será tão forte, que acontecerá como quando um vento impetuoso transporta com sua força, pedras, terra, árvores, de modo que fica livre de tudo, tanto que com mais facilidade se podem pôr novas plantas. Assim esta tempestade servirá para purificar os povos e fazer surgir o dia sereno da paz e da união fraterna. Reza para que tudo sirva para a minha glória, para o triunfo da minha Vontade e para o bem de todos”.
—-

JESUS FALA A LUISA PICCARRETA EM Maio 25,1915 Os homens são obedientes aos governos que usam a força, mas não a Deus que usa o amor.

(1) Encontrando-me no meu estado habitual, meu sempre amável Jesus, assim que se fez ver me disse:
(2) “Minha filha, o flagelo é grande, mas apesar disso os povos não se estremecem, antes permanecem quase indiferentes, como se deveriam assistir a representação de uma cena trágica e não a uma realidade; em lugar de vir todos humilhados a meus pés a chorar e a implorar piedade, perdão, estão mais atentos a ouvir o que acontece. ¡ Ah, minha filha, que grande é a perfídia humana! Veja como são obedientes aos governos; sacerdotes, leigos, não pretendem nada, não recusam nenhum sacrifício e devem estar dispostos a dar a própria vida; ah, só para Mim não há obediência nem sacrifícios, e se alguma coisa fazem, são mais as pretensões e os interesses, e isto porque os governos usam a força, mas Eu uso o amor; para as criaturas este amor é desconhecido e diante dele estão indiferentes, como se Eu não merecesse nada delas”.
(3) Mas, enquanto dizia, rompeu em pranto, que dor tão cruel ver chorar Jesus! Depois continuou:
(4) “Mas o sangue e o fogo purificarão tudo e farão com que o homem se arrependa, mas quanto mais tarde voltar, tanto mais sangue correrá e será tal a carnificina, que o homem jamais o teria pensado”.
(5) E enquanto isso dizia me fazia ver esta carnificina humana. Que dor viver nestes tempos, mas seja sempre feito o Querer Divino.
—-
“Minha filha, não é justo que a minha justiça se arme contra o homem para castigá-lo e quase destruir tantas vidas que sujam a terra, e faça desaparecer junto com elas regiões inteiras, a fim de que seja purificada a terra de tantas vidas pestilentas e de tantos demônios encarnados, que mas-carados sob um véu sutil de bem aparente maquinam ruínas para a Igreja e para a sociedade? Vo-cê acha que a minha ausência de você é coisa de nada? ” Não, não! Mas quanto mais longa for a minha ausência de ti, tanto mais graves sucederão os castigos; e Além disso, lembra-te de quantas coisas te disse sobre a minha vontade, por isso os males, as destruições, servirão para cumprir o que te disse, que minha Vontade venha a reinar sobre a terra, mas quer encontrá-la purificada, e para a purificar são necessárias as destruições, por isso paciência minha filha, não saias jamais de minha Vontade, porque tudo o que se desenvolve em ti servirá ao trabalho para que minha Vonta-de tenha seu domínio e venha como em triunfo a reinar no meio dos homens”.
___

“Minha filha, que perfídia humana! Mas é justo, é necessário que depois de tanto tolerar me libere de tanta coisa velha que ocupa a Criação, porque estando infectada leva a infecção à coisa nova, às plantinhas novas. Estou cansado de que a Criação, minha habitação dada ao homem, mas é sempre minha, porque é conservada e vivificada continuamente por Mim, seja ocupada por servos, por ingratos, por inimigos e até por aqueles que nem sequer me reconhecem, por isso quero despachar-me com o destruir regiões inteiras e o que serve para seu alimento; os ministros de justiça serão os elementos, que investindo-os farão sentir a força divina sobre eles. Quero purificar a terra para preparar a habitação para meus filhos, você estará sempre junto Comigo, minha Vontade será sempre seu ponto de partida mesmo em seus menores atos, porque mesmo nas coisas mais pequenas meu Querer quer ter sua Vida Divina, seu princípio e seu fim, não tolera que a vontade humana faça suas pequenas aparições em seu Reino, de outra maneira viria a sair freqüentemente ao reino vicioso de sua vontade, a qual te tiraria a nobreza, o que de fato não convém a quem deve viver no Reino de minha Vontade..

LUISA DISSE A LUISA EM Outubro 16, 1918 Prevê as guerras e o destino de alguns países.

(1) Sentia-me muito afligida pela privação de meu amável Jesus, e minha mente era afligida pelo pensamento de que tudo havia sido em mim, ou trabalho da fantasia ou do inimigo, porque correm notícias de paz e de triunfo para a Itália, e eu lembrava que meu doce Jesus me havia 49 dito que a Itália será humilhada. ¡ Que pena, que agonia mortal, pensar que minha vida era um engano contínuo! Sentia que Jesus queria falar comigo, e eu não queria ouvi-lo, rejeitava-o;
lutei assim três dias com Jesus, e muitas vezes estava tão cansada que não tinha forças para rejeitá-lo, e então Jesus dizia e dizia, e eu tomando força de seu próprio falar lhe dizia: “Não quero saber nada”. Finalmente Jesus cercou-me o pescoço com o seu braço e disse-me: (2) “Acalma-te, acalma-te, sou eu, escuta-me. Não lembras-te que meses atrás lamentando-te comigo da pobre Itália te disse: “Filha minha, perde quem vence e vence quem perde”. A Itália, a França, já foram humilhadas, e não serão mais enquanto não forem purificadas e voltarem a Mim livres, independentes e pacíficas. No triunfo puramente aparente que gozam já sofrem a maior das humilhações, porque não elas, senão um estrangeiro que nem sequer é europeu, é o que veio lançar o inimigo, assim que se se pudesse dizer triunfo, que não o é, é do estrangeiro.
Mas isto é nada, agora mais do que nunca perdem mais, tanto no moral como no temporal, porque isto os fará dispor-se a cometer maiores delitos, a encarnizadas revoluções internas, que superarão a mesma tragédia da guerra. E além disso, o que te disse não se refere apenas aos tempos presentes, mas também aos futuros, e o que não se realiza agora se realizará depois, e se nisto algum encontra dificuldades, dúvidas, significa que não entende meu falar, meu falar é eterno, como sou Eu.

(3) Agora quero dizer-te uma coisa consoladora: a Itália e a França vencem e a Alemanha perde. Todas as nações têm as suas manchas negras e todas merecem ser humilhadas e esmagadas. Haverá desordem geral, desordem por toda parte; com o ferro, com o fogo e com a água, com mortes repentinas, com males contagiosos, renovarei o mundo, farei coisas novas;
—–
as nações farão uma espécie de torre de Babel, chegarão a não se entender nem sequer entre elas mesmas; os povos se rebelarão entre eles, não quererão mais reis; todos serão humilhados e a paz virá só de Mim, e se ouves falar de paz, não será verdadeira senão aparente. Quando tiver purificado tudo porei o meu dedo em modo surpreendente e darei a verdadeira paz, e então todos aqueles que serão humilhados voltarão a Mim, e a Alemanha será católica, tenho grandes desígnios sobre ela; na Inglaterra, na Rússia e onde quer que o sangue tenha sido derramado ressurgirá a fé e se incorporarão à minha Igreja; será o grande triunfo e a união dos povos. Por isso reza, é preciso paciência, porque não será tão cedo, senão que se levará tempo”.

JESUS FALA A LUISA PICCARRETA EM Janeiro 27, 1918 As coisas vão piorar mais.

(1) Os dias são amargos, o doce Jesus quase não vem, ou vem como relâmpago, e nesse relâmpago se faz ver secando as lágrimas, e sem dar razão foge. Finalmente, depois de muito esperar me disse: (2) “Minha filha, depois de tanto tempo que tratas Comigo não aprendeste a conhecer meus modos e a causa de minha ausência, muitas vezes te disse, que fácil é para esquecer o que te digo. As coisas vão piorar ainda mais, esta é a razão”. (3) Depois, encontrando-me fora de mim mesma, via e escutava que duas ou três nações se deviam tornar impotentes para defender-se. ¡¡ Quantas misérias, quantas ruínas, porque outras nações as oprimiam tanto, até lhes pôr as mãos em cima, de modo que ficarão PIORES.
—-
LUISA PICCARRETA EM Junho 29, 1902 Jesus fala de França.

Esta manhã, assim que vi o meu adorável Jesus, ouvi-o dizer, sem saber porquê: (2) “Pobre França, pobre França, ensoberbeceste-te e quebraste e destroçaste as leis mais sagradas, desconhecendo-me como teu Deus, e te converteste exemplo às outras nações para atraí-las ao mal, e teu exemplo tem tanta força, que as outras nações estão por arruinar-se; mas deves saber que em castigo serás conquistada”. (3) Depois disto retirou-se em meu interior, e ouvia que buscava ajuda, piedade, compaixão a tantas penas suas. Era tão triste ouvir que Jesus abençoado queria ajuda de suas criaturas.
—-
Então fundimos juntas as sementes que tinha a Mãe Celestial, que eram muitas, e as poucas minhas, que não sei como as encontrei, e começamos a formar sulcos para pôr as sementes. Mas enquanto fazíamos isso, fora dos muros do jardim, que eram altíssimos, se ouviam rumores de armas, de canhões e que se golpeavam em modo horrível, assim que nos vimos obrigadas a correr para prestar ajuda; havendo chegado, se viam povos de várias raças, de diversas cores, e muitas nações unidas, que lutavam, e davam terror e espanto. Mas enquanto via isto encontrei-me em mim mesma, mas com tal espanto, e com a dor de não ter dito nem sequer uma palavra a minha Celestial Mãe acerca de meu duro estado. Seja sempre bendita a Santíssima Vontade de Deus e tudo seja para sua glória.

Então, depois de muito esperar voltou, mas muito aflito por causa da traição humana, parecia que nações e nações lutavam entre elas, preparando até os depósitos das armas para se combater, preparando coisas imprevistas para fazer surgir os combates. Que loucura, que cegueira humana, parece que já não têm vista para ver o bem, a ordem, a harmonia, mas têm vista só para ver o mal, e esta cegueira lhes afeta o cérebro e fazem coisas de loucos, então ao vê-lo tão aflito por causa disto lhe disse: “Meu amor, deixa esta tristeza, Tu lhes darás luz e não o farão, e se forem necessárias minhas penas, estou pronta desde que estejam todos em paz”. E Jesus disse-me com dignidade e severidade:
“Minha filha, tenho-te para Mim, para formar em ti o meu Reino do Fiat Supremo, não para eles.
Fiz-te sofrer até demasiado para livrar o mundo, mas a sua perfídia não merece que Eu te faça sofrer mais por sua causa”.

—-

(4) “Minha filha, tu não sabes como o meu ardente coração quer correr com o amor para as criaturas, e enquanto corre o rejeitam, mas correm junto a Mim com as ofensas mais brutais e com os fingimentos mais horrendos. Portanto ao ver meu amor perseguido, sai minha justiça em campo e defende a meu amor e com flagelos golpeia a aqueles que me perseguem e descobre os fingimentos que fazem não só Comigo, mas entre elas se fazem as nações, porque, pelejando, fazem saber que, em vez de se amarem, se odeiam ardentemente. Este século pode-se chamar o século dos mais horríveis fingimentos, e isto em toda classe de pessoas, e por isso nunca se põem de acordo entre elas, e enquanto aparentemente parece que se querem pôr de acordo, na realidade vão maquinando novas guerras. O fingimento não traz jamais verdadeiro bem, nem na Volume 21 25 ordem civil nem no religioso, ao mais alguma sombra de bem que foge. Eis por que razão a tão decantada paz permanece em palavras e não em ações, transformando-a em preparativos para a guerra. Como você já vê muitas raças se uniram para combater, umas por um pretexto e outras por outro, outras se unirão, mas Eu me servirei das uniões destas raças, porque para que venha o Reino da minha Divina Vontade é necessário que venha a união de todas as raças por meio de outra guerra muito mais extensa que esta última, na qual a Itália tinha estado comprometida financeiramente. Com a união destas raças os povos se conhecerão e depois da guerra será mais fácil a difusão do Reino de minha Vontade. Por isso tenha paciência em suportar minha privação, é o vazio que quer formar minha justiça para defender meu amor perseguido. Você reza e oferece tudo para que o Reino do meu Fiat venha logo”.
—-

Assim, as guerras, os preparativos que outras nações estão fazendo para entrar em guerra terminariam todas em um jogo. ¡ Não posso, não posso! Na melhor das hipóteses, se quiseres estar lá ou se o confessor te quiser ter, se assim o fizerem terei alguma consideração por Corato, evitarei alguma coisa, mas entretanto as coisas vão avançando mais e minha Justiça quer que não estejas mais neste estado, para poder imediatamente mandar outros flagelos e fazer entrar a outras nações em guerra e humilhar a soberba das criaturas, porque onde acreditam que haverá vitórias encontrarão derrotas. ¡ Ah, meu amor o chora, mas minha Justiça exige sua satisfação! Minha filha, paciência
—–
Agora, viver no meu Querer não é só salvação, mas é santidade que deve elevar-se sobre todas as outras santidades, que deve levar o selo da santidade do seu Criador, por isso deviam primeiro vir as santidades menores como cortejo, como precursoras, como mensageiras, como preparativos desta santidade toda Divina. E assim como na Redenção escolhi a minha inigualável Mãe como elo de união Comigo, do qual deviam descender todos os frutos da Redenção, assim te escolhi a ti como elo de união, do qual devia ter princípio a santidade de viver em meu Querer, e tendo saído da minha Vontade para me trazer a glória completa do fim pelo qual foi criado o homem, devia retornar sobre o mesmo caminho do meu Querer para voltar ao seu Criador. Qual é então o seu espanto? Estas são coisas estabelecidas “ab eterno” e ninguém poderá mudá-las para mim. E como a coisa é grande, é estabelecer meu reino na alma ainda na terra, tenho feito como um rei quando deve tomar posse de um reino, ele não vai primeiro, senão que antes se faz preparar a habitação real, Depois envia os seus soldados para prepararem o reino e prepararem os povos para se submeterem; depois seguem as guardas de honra, os ministros e o último é o rei; isto é digno para um rei. Assim o fiz Eu, me preparei para a minha morada real, que é a Igreja; os soldados foram santos, para me fazerem conhecer pelos povos; depois chegaram os santos que semearam milagres, como os meus ministros mais íntimos; agora como rei venho Eu para reinar, pelo que devia escolher uma alma onde fazer minha primeira morada e fundar este reino de minha Vontade. Por isso me faça reinar e me dê plena liberdade”.


Agora, enquanto dizia isto, sobre o rosto de Jesus via-se uma tristeza, e tomando-me pela mão transportou-me para fora de mim mesma e fez-me ver deputados e ministros, todos transtornados e como se eles mesmos tivessem preparado um grande fogo, no qual ficavam envoltos nas chamas; viam-se os chefes sectários, que cansados de esperar, de amaldiçoar contra a Igreja, ou queriam ser deixados livres para iniciar lutas sangrentas contra Ela, ou se queriam retirar de governar, viam-lhes faltar o piso debaixo de seus pés, tanto por finanças como por outras coisas, e para não fazer o ridículo queriam retirar-se de governar o destino da nação, mas quem pode dizer tudo? E Jesus, todo sofredor disse:
“Terríveis, terríveis são os preparativos, querem fazer tudo sem Mim, mas tudo servirá para confundi-los”.

E Jesus: “Ah! minha filha, terias gostado que a minha Redenção a tivesse feito no segredo de meu Pai Celestial e de minha querida Mamãe que devia me conceber? E além disso, que nenhum outro teria sabido que Eu tinha descido à terra? Um bem, por quanto grande seja, se não é conhe-cido não produz vida, não se multiplica, não é amado nem imitado. Assim que minha Redenção teria ficado sem efeito por parte das criaturas; minha filha, deixe-os dizer e me faça fazer, não se preocupe e faça tudo o que eu fiz estando na terra, tanto interior como exterior, e que ainda não se 93 conhece nem recebeu o seu pleno e desejado fruto, especialmente Minha vida oculta; as criaturas quase nada conheceram de todo o bem que fiz, no entanto serviu admirável e prodigiosamente diante de meu Pai Divino, para preparar e fazer amadurecer o fruto de Redenção, mas aparente-mente Eu vivia ao lado das criaturas ignorado, pobre, abjeto e desprezado, mas isto dizia nada, ante meu Pai Eu era o que era, e meu obrar interno abria entre o Céu e a terra mares de luz, de graças, de paz e de perdão. Meu interesse era o de abrir o Céu para o bem da terra, fechado por tantos séculos, e que meu Pai olhasse com amor às criaturas; o resto, feito isto, viria por si mesmo.

Assim que isto não foi apenas um grande bem, mas foi o todo, foi o fermento, o preparativo, o fundamento da Redenção. Assim é de ti, é necessário que ponha o fermento do meu Querer, que for-me os preparativos, que ponha os fundamentos, que entre você e eu haja sumo acordo, entre meus atos internos e os seus, para abrir o Céu a novas graças, a novas correntes e dispor à Ma-jestade Suprema a conceder a maior graça: que sua Vontade seja conhecida em a terra e que viva no meio das criaturas com seu pleno domínio, como vive no Céu. ‘E enquanto tu te ocupas disto, acreditas que a terra não receba nenhum bem? ” Ah, enganas-te! As gerações correm vertiginosa-mente por uma encosta no mal; quem as sustenta? Quem impede que elas fiquem submersas em sua carreira vertiginosa até desaparecer da face da terra? Lembre-se que não há muito tempo o mar rompeu seus limites sob a terra ameaçando engolir países inteiros, e seu próprio país estava em grande perigo; quem parou esse flagelo? Quem fez deter e fechar as águas em seus limites? É precisamente este o grande flagelo que se prepara para a horrível corrida vertiginosa das criaturas, a mesma natureza está cansada de tantos males e gostaria de reivindicar os direitos de seu Cria-dor, por isso todas as coisas naturais gostariam de se pôr contra o homem; o mar, o fogo, o vento, a terra, estão para sair de seus confins para ferir e bater as gerações para dizimá-las. E parece-te pouco que enquanto a raça humana está imersa em males irremediáveis, eu te chamei e te elevei entre o céu e a terra, e te fundindo com meus mesmos atos te faça correr em minha Vontade para preparar o ato oposto aos tantos males que anelam a terra, preparando o bem, buscando vencer o homem com meu amor, para detê-lo em sua vertiginosa carreira, dando-lhes a coisa maior, qual é a luz de minha Vontade, a fim de que conhecendo-a tome-a como alimento para restaurar suas fo-rças perdidas, e assim, reforçado parar em sua carreira louca e retomar o passo firme para não precipitar-se mais nos males?”

LUISA PICCARRETA ESCREVE O QUE JESUS FALA COM ELA EM Fevereiro 16, 1932 Os atos feitos sem a Divina Vontade estão vazios do infinito. É preciso fazer tudo e esperar os eventos para fazer vir o reino da Divina Vontade. Os atos feitos nela partem para o Céu como propriedade da Pátria Celestial.

(1) Estava continuando meus atos na Divina Vontade para encontrar todos seus atos e fundi-los juntos, e assim poder dizer: “Faço o que Ela faz”. Oh! Que felicidade se sente ao pensar que eu estou fazendo o que faz a Divina Vontade. E meu amável Jesus, visitando sua pequena filha me disse:
(2) “Filha boa, se tu soubesses que vazio se forma no ato da criatura quando não está cheio do todo de minha Vontade, assim que naquele ato falta a plenitude da santidade, falta o infinito, e como falta o infinito se vê um abismo de vazio que só o infinito podia preencher, porque a criatura com todos os seus atos foi feita para o infinito, e quando em seus atos corre minha Vontade, lhe põe o infinito e se vê o ato dela cheio de luz, que o tem em seu colo de luz, e com a infinitude dentro que o torna ato completo. Pelo contrário, quando no ato da criatura não entra minha Vontade como vida, princípio, meio e fim, o ato está vazio, e ninguém pode preencher o abismo daquele vazio, e se está o pecado, vê-se nesse ato um abismo de trevas e de misérias que faz horrorizar, ah! Minha filha, quantos destes atos vazios do infinito houve ao longo dos séculos, o infinito rejeitado pelo ato humano. Minha Vontade Divina tem direito sobre cada ato de criatura, e para vir a reinar quer que quem viva nela vá encontrando todos estes atos vazios para rogar-lhe, pressioná-la para que em cada ato ponha o infinito, a fim de que reconheça em cada ato o seu ato para fazer com que o seu domínio seja completo, e ainda que estes atos sejam atos passados, há sempre, para quem vive na minha Vontade, o poder fazer e reparar, porque nela está a força de poder ajustar e refazer tudo, contanto que encontre uma criatura que se preste; e muito mais, porque são atos de criatura sem minha Vontade, assim que outra criatura unida com minha Vontade pode ajustar, ordenar cada coisa. Por isso minha filha, já te disse outras vezes e repito:
‘Façamos tudo o que for necessário para fazer conhecer a Divina Vontade e fazê-la reinar’. Nada Volume 30 46 deve faltar de nossa parte: Orações, sacrifício da própria vida, fazer todos os atos das criaturas para chamá-las a colocar do seu lado, a fim de que estejam meu te amo e o teu, minha oração e a tua, que gritem: ‘Queremos a Divina Vontade’. Assim, toda a Criação e todos os atos serão cobertos pela Vontade Divina, e Ela será chamada por cada ato de criatura de todos os pontos, desde cada coisa criada, porque Eu e você já fizemos a chamada, querendo pôr ainda o sacrifício da vida em cada coisa e em cada ato, para que venha a reinar. Isto será poder ante o trono de Deus, força magnética, ímã irresistível, o que todos os atos gritem que querem a Divina Vontade reinante em meio às criaturas, mas quem é o que grita? Eu e a pequena filha de meu Querer.
Então, como arrebatada descerá a reinar. Eis por que os giros e mais giros na Criação, em meus mesmos atos, nos da Mãe Celestial, para empenhar a nossos mesmos atos divinos por um reino tão santo, e naqueles das criaturas para copiá-los e pôr o que lhes possa faltar, mas todos devem ter uma só voz, direta ou indiretamente por meio de quem quer fazer o sacrifício de se fazer fornecedora e reparadora, para obter que venha a reinar em meio às gerações. Por isso, o que te faço fazer e que Eu faço junto contigo, são atos necessários, preparativos, formações, substâncias, capitais que se requerem, quando tudo tivermos feito por minha parte e por parte sua, de modo que nada falte, poderemos dizer: ‘Tudo fizemos, não nos resta outra coisa que fazer’. Assim como Eu disse na Redenção, tudo fiz para redimir ao homem, meu amor não sabe que outra coisa inventar para colocá-lo a salvo, e fui ao Céu esperando que tomasse o bem que com o sacrifício de minha Vida lhes havia formado e dado, assim, quando nada mais ficar por fazer pelo reino da minha Vontade sobre a terra, também tu poderás vir ao Céu, esperando na Pátria Celestial que as criaturas tomem as substâncias, o capital, o reino que já está formado do Fiat Supremo. Por isso te digo sempre seja atenta, não omitas nada; quando não se pode fazer outra coisa, façamos nossa parte, o resto, as circunstâncias, os eventos, as coisas, diversidade de pessoas farão o resto, e como já está formado, sairá de si e irá adiante em seu reinar. Uma coisa se necessita, mais sacrifício para formá-lo, que para tirá-lo se faz rápido, mas para formá-lo se requer quem ponha a própria vida e o sacrifício de uma vontade sacrificada com atos contínuos na minha”.

(3) Depois disso fez silêncio e depois acrescentou: “Minha filha, tu deves saber que cada ato de criatura tem seu posto em torno de Deus, assim como cada estrela tem seu posto sob a abóbada do céu, assim os atos delas, cada um tem seu lugar, mas quem são os que vão pelo caminho régio como propriedade da Pátria Celestial, e tomam os postos mais honrados e dão glória divina a seu Criador? Os atos feitos em minha Vontade. Quando um desses atos sai da terra, os Céus se inclinam, todos os bem-aventurados vão ao seu encontro e acompanham aquele ato ao posto de honra em torno do trono supremo. Nesse ato todos se sentem glorificados, porque a Vontade eterna triunfou no ato da criatura, e ali colocou seu ato divino. Em troca, os atos não feitos em  minha Vontade, e talvez até bons, não partem pelo caminho régio, partem pelas vias tortuosas e fazem uma longa parada para ir ao purgatório, e aí esperam a criatura para purificar-se juntos a via de fogo, e quando terminam de purificar-se, então partem para o Céu para tomar o seu lugar, mas não nos postos de primeira ordem, mas nos postos secundários. Vês a grande diferença? Os primeiros atos, não mal formados, não ficam sequer junto com a criatura, porque sendo coisa de Céu não podem ficar sobre a terra, e por isso rapidamente empreendem o voo a sua pátria, e não só isso, senão que todos os anjos e santos reclamam no Céu o que foi feito pela Divina Vontade como coisa deles, porque tudo o que é feito por Ela, tanto na terra como no Céu, tudo é propriedade da Pátria Celestial. Por isso cada pequeno ato seu é reclamado por todo o Céu, porque todos são fontes de alegrias e bem-aventuranças eternas, que pertencem a eles. Tudo o contrário para quem não trabalha em minha Vontade”.


Tu deves saber que eu sou o Deus de todos, e quando faço um bem não o faço jamais isolado, faço-o a todos, a menos que, quem não quer tomar, não toma, e quando uma criatura me corresponde Eu a vejo não como uma só, mas pertencente a toda a família humana, e por isso o bem de uma vem comunicado às outras. Agora, se existe o reino, humanidades que viveram o possuíram e fizeram vida nele, e agora minha Vontade quer reinar no meio das criaturas, meus mesmos conhecimentos o dizem claramente, como então você achas que é impossível este reino vir? Para Mim tudo é possível, me servirei das mesmas tempestades e de novos acontecimentos para preparar aqueles que devem ocupar-se em fazer conhecer minha Vontade. As tempestades servem para purificar o ar mau, e também para remover coisas nocivas; por isso Eu disporei o todo, sei fazer tudo, tenho os tempos à minha disposição. Por isso deixa fazer a teu Jesus, e verás como minha Vontade será conhecida e cumprida”.

Minha filha, quando chamo as almas de modo especial e extraordinário, faço como um rei quando escolhe seus ministros e junto com eles faz as leis, domina e governa o reino. Assim faço Eu, chamo a estas almas a tomar parte de meu regime, de meu domínio, formo as leis que regem todo o mundo, e como te chamei em modo especial a te fazer viver na morada real de minha Vontade, meu mesmo Querer leva-te os meus segredos mais íntimos e faz-te ver os graves males, as guerras, os preparativos infernais que destruirão muitas cidades, e a tua pequenez não podendo  resistir ante a vista destes males, justamente quer vir-se ao Céu, Mas deves saber que muitas vezes os ministros dissuadem o rei de fazer leis punitivas, e se não obtiverem tudo, sempre obtêm alguma coisa. Assim será para ti, se não obténs tudo, enquanto estiveres na terra alguma coisa obterás, por isso dê-te ânimo e teu voo em minha Vontade seja contínuo”

—-
Agora, assim estou fazendo contigo para preparar o Reino do Fiat Supremo. Tenho-te Comigo, faço-te navegar o mar interminável d‟Ele para te dar o acesso junto ao Pai Celestial a fim de que lhe supliques, venças, imperes, para obter o Fiat do meu Reino. E para cumprir e consumar em ti toda a força milagrosa que se necessita para um Reino tão santo, tenho-te continuamente ocupada em teu interior no trabalho de meu Reino, faço-te girar continuamente para fazer, para refazer, para completar tudo o que se necessita e que todos deveriam fazer, para formar o grande milagre de meu Reino, e externamente nada deixo aparecer de milagroso em ti, exceto a luz de minha Vontade. Alguns poderão dizer: Como! Tantos presságios que manifesta o bendito Jesus a esta criatura deste reino do Fiat Divino, os bens que trará ultrapassarão Criação e Redenção, aliás, será coroa tanto de uma como da outra, e apesar de tanto bem nenhuma coisa milagrosa no exterior se vê nela como confirmação do grande bem deste Reino do Eterno Fiat, enquanto os outros santos, sem o presságio deste grande bem, fizeram milagres a cada passo. Mas se você olhar para trás e considerar a minha amada Mãe, a mais santa de todas as criaturas, o grande bem que encerrou em Si e que trouxe as criaturas, não há quem possa comparar-se a Ela, fez o grande milagre de conceber em Si o Verbo Divino e o presságio de dar um Deus a cada criatura. E diante deste prodígio jamais visto nem ouvido, de poder dar o Verbo Eterno às criaturas, todos os outros milagres unidos juntos são pequenas chaminhas diante do sol. Agora quem deve fazer o mais não é necessário que faça o menos, assim diante do grande milagre do Reino de minha Vontade restabelecido em meio às criaturas, todos os outros milagres serão pequenas chaminhas diante do grande Sol de meu Querer; cada dito, verdade e manifestação sobre Ele, é um milagre que saiu de minha Vontade como preservativo de todo mal e para vincular as criaturas a um bem infinito, a uma glória maior, a uma nova beleza toda divina. Cada verdade minha sobre meu Eterno Querer contém o poder e a virtude prodigiosa, mais que se ressuscitasse a um morto, que se curasse a um leproso, que um cego visse, que um mudo falasse, porque minhas palavras sobre a santidade e poder de meu Fiat, ressuscitarão as almas à sua origem, as curarão da lepra que produziu a vontade humana, lhes dará a vista para ver os bens do Reino de minha Vontade, porque até agora eram como cegos, lhes dará a palavra a tantos mudos que enquanto sabiam dizer tantas outras coisas, somente para minha Vontade eram como tantos mudos que não tinham palavra; e além disso o grande milagre de poder dar uma Vontade Divina a cada criatura, que contém todos os bens. O que não lhes dará quando estiver na posse dos filhos do seu Reino? Eis por que te tenho toda ocupada no trabalho deste meu Reino, e há muito que fazer para preparar o grande milagre de que o Reino do Fiat seja conhecido e possuído. Por isso seja atenta em atravessar o mar interminável de minha Vontade, a fim de que venha estabelecida a ordem entre Criador e criatura, e assim poderei fazer o grande milagre por meio de ti, de que o homem regresse à sua origem de onde saiu”.

“Minha filha, ânimo, deixa-me que termine de te manifestar o que é necessário em relação ao Reino da minha Vontade, a fim de que nada falte para poder formá-lo no meio da família humana, e depois de ter cumprido tudo, em seguida te trarei a nossa Pátria. Você acredita que tem que ver o pleno triunfo do Eterno Fiat para vir ao Céu? Seu pleno triunfo o verá do Céu. De ti sucederá o que aconteceu de Mim para o Reino da Redenção, fiz tudo o que se necessitava, formei o fundamento, dei as leis, os conselhos que se necessitavam, instituí os Sacramentos, deixei o Evangelho como norma de sua vida, sofri penas inéditas, até a morte, mas pouco ou quase nada vi estando na terra dos frutos, do desenvolvimento da Redenção. Depois de ter feito tudo e não ter mais o que fazer, confiei tudo aos apóstolos, a fim de que fossem eles os anunciadores do Reino da Redenção, para que saíssem os frutos de meus trabalhos que fiz para este Reino. Assim acontecerá para o Reino do Fiat Supremo, juntos o faremos filha minha, tuas penas, teus grandes sacrifícios, tuas incessantes orações para que venha logo meu Reino e minhas manifestações sobre Ele, os unirei todos Comigo e formarei os fundamentos, e, quando tudo estiver concluído, confiarei o meu Reino aos meus ministros, para que, como segundos apóstolos do Reino da Minha Vontade, sejam anunciadores. Você acredita que seja por acaso a vinda do Padre Di Francia e que mostra tanto interesse, e que levou a sério a publicação do que se refere a minha Vontade? Não, não, o preparei Eu, é um ato providencial da Suprema Vontade que o quer como primeiro apóstolo do Fiat Divino e anunciador d‟Ele, e como é fundador de uma obra é mais fácil que se aproxime de bispos, sacerdotes e pessoas e também em seu mesmo instituto para anunciar o Reino de minha Vontade,  e por isso o assisto tanto e lhe dou luz especial, porque para entender minha Vontade se necessitam graças grandes e não pequenas luzes, mas um sol, para compreender uma Vontade Divina, Santa e Eterna, e grande disposição por parte de quem lhe vem confiado este ofício. E além disso, também a vinda diária do sacerdote eu a preparei, para que encontrasse rapidamente os primeiros apóstolos do Fiat do meu reino, a fim de que pudessem anunciar o que diz respeito ao meu Eterno Querer. Por isso deixe-me primeiro completá-lo, a fim de que depois de cumprido o possa confiar aos novos apóstolos da minha Vontade, e você possa ir ao Céu para ver desde lá de cima os frutos do suspirado Reino do Eterno Fiat”.

Meu reino é vosso, reinai filhos meus.‟ Esta é a minha finalidade, que no meu Reino não haja servos, mas filhos e reis como Eu. Assim será da minha Divina Vontade. Oh! como espera que lhe seja dada sua glória completa na Criação, que seja reconhecido que tudo é seu para poder dizer: „Tudo é vosso, reinemos juntos.‟ Como espera que seus conhecimentos sobre o Fiat Supremo percorram os caminhos para sacudir, para chamar, para apressar que venham ao meu reino e me forme meus verdadeiros filhos aos que possa dar o título de reis. Por isso tenho tanto interesse que estas manifestações sobre meu Divino Querer sejam conhecidas, porque se trata de meu ato maior, qual é o cumprimento de minha glória e o bem completo das criaturas”

“Minha boa filha, ânimo, se você se abater perderá a força de viver sempre em meu Querer, não se preocupe pelo que dizem e fazem, toda nossa vitória está em que não nos podem impedir de fazer o que queremos; então eu posso falar sobre o meu querer divino, e você pode me ouvir, nenhuma potência pode nos impedir. O que Eu te digo a respeito de meu Querer não é outra coisa que o desenvolvimento de nosso decreto, feito ‘ab eterno’ (eternamente) no consistório de nossa Trindade Sacrossanta, que nosso Querer deve ter seu reino sobre a terra; e nossos decretos são infalíveis, Ninguém nos pode impedir de o fazer. Assim como foi decreto a Criação, a Redenção, assim é decreto nosso o reino de nossa Vontade sobre a terra, por isso, para cumprir este nosso decreto, Eu devia manifestar os bens que há nele, suas qualidades, suas belezas e maravilhas, Eis a necessidade pela qual Eu devia falar-te tanto, para poder cumprir este decreto. Filha, para chegar a isto Eu queria vencer o homem por caminhos de amor, mas a perfídia humana me impede, por isso usarei a justiça, varrerei a terra, tirarei todas as criaturas nocivas, que como plantas venenosas envenenam as plantas inocentes. Quando eu tiver purificado tudo, as minhas verdades encontrarão o caminho para dar aos sobreviventes a Vida, o bálsamo, a paz que as minhas verdades contêm, e todos as receberão, dar-lhes-ão o beijo de paz, e para confusão de quem não acreditou nelas, antes as condenou, reinará e terei o meu reino sobre a terra, para que a minha vontade seja feita como no céu, assim na terra. Por isso eu repito, não nos desviemos em nada, façamos nosso caminho e cantaremos vitória, e eles façam seu caminho, no qual encontrarão confusão e vergonha deles mesmos. Acontecerá a eles como aos cegos que não creem na luz do sol porque eles não a veem, eles ficarão em sua cegueira e aqueles que a veem e creem gozarão, se encherão de júbilo com os bens da luz, com sumo contentamento deles”.

Será possível chegar a tanto vivendo no Querer Divino?” E meu amado Jesus me surpreendeu, todo bondade me disse:

(2) “Minha bendita filha, não se maravilhe, minha Vontade tem poder de fazer chegar a criatura onde quer, desde que esteja junto com Ela. Tu deves saber que o seu reino será formado, fundado sobre as verdades que tem manifestado; por quanto mais verdades manifesta, tanto mais suntuoso, belo, majestoso e mais superabundante de bens e de alegrias será este reino. As minhas verdades formarão o regime, as leis, o alimento, o exército aguerrido, a defesa e a própria vida de quem nele viverá; as minhas verdades assumirão, cada uma, um ofício diferente: quem fará de mestre, quem de pai amoroso, quem de mãe terníssima que para não expor ao perigo a sua filha a leva em seu colo, a embala em seus braços, a alimenta com seu amor, a veste de luz, em suma, cada verdade será portadora de um bem especial. Vê como será rico o reino da minha Vontade, de que tanto estou a dizer, e me desagrada quando tu não estás atenta a escrever tudo, porque farás faltar um bem a mais, porque gozarão segundo conheçam; o conhecimento levará a vida, a luz, o bem que possui.

Possuir um bem sem conhecê-lo é quase impossível, seria como se não tivesse olhos para olhar, inteligência para compreender, mãos para operar, pés para caminhar, coração para amar. Ao contrário, a primeira coisa que o conhecimento faz é dar os olhos para não deixá-lo ser um pobre cego, e fazendo-se olhar faz-se compreender e faz desejar o bem, a vida que lhe quer dar; muito mais que ao conhecer minha verdade, Ela mesma se torna atriz e espectadora para transmitir sua vida na criatura. Agora, você deve saber que os atos feitos em meu Querer são inseparáveis, mas muito distintos entre eles, distintos na santidade, na beleza, no amor, na sabedoria; terão o distintivo da Trindade Sacrossanta, que enquanto as Divinas Pessoas são distintas entre Elas, são inseparáveis, uma é a Vontade, uma a santidade, uma a bondade e assim de todo o resto; assim, estes atos serão inseparáveis e distintos, encerrarão neles o distintivo da Trindade Suprema: ‘Uma e Três, Três e Uma’. Na verdade, vão possuí-la como vida própria. Estes atos serão a maior glória nossa e de todo o Céu, ao ver neles tantas vezes multiplicada nossa Vida Divina por quantos atos a criatura fez em nosso Querer Divino”.

“Minha filha bendita, ânimo, não te assustes, minha Divina Vontade te dá tudo em teu poder, de modo que podes dizer tudo é meu; minhas dores, minhas chagas, meu sangue, tudo é teu, assim que não tens necessidade de me pedir, senão tome-as e te serve delas para tuas necessidades, tão é verdade, que em quem reina minha Divina Vontade não há necessidade de leis, senão que sente em si mesma a natureza mudada em lei divina. Assim como em natureza sente a força do respiro, do pulso, assim sente a força da lei como parte substancial de sua vida; e como minha lei é lei de amor, de santidade, de ordem, por isso sente em si a natureza do amor, da santidade, da ordem. Onde reina minha Vontade, é tanto seu amor, que transforma em natureza os bens que quer dar à criatura, a fim de que seja proprietária deles, nenhum pode ser tirado, e Eu mesmo me faço guardião dos dons concedidos em natureza a esta criatura”.

(1) Minha pequena mente se sentia cheia das doces lições de meu amável Jesus, e pensativa queria suscitar-me dúvidas e temores, e se bem sei que quando Jesus quer, faz chegar à alma onde quer e como quer, nem há leis para Ele, nem se faz ditar leis por ninguém, nem presta atenção aos interesses humanos, mas bem faz sempre coisas novas para confundi-los, nem permite que ninguém se adiante à potência de seu amor, quem quer que seja, por quantas dúvidas e dificuldades possam dizer e fazer, ao contrário, zomba deles e os faz permanecer em seu dizer e realiza os fatos com a alma que escolheu, mas com tudo isso, minha fragilidade recordava minhas dolorosas vicissitudes e me sentia perturbada e dizia: “Quem sabe quantas dúvidas surgirão sobre este modo de falar de Jesus”. E me sentia toda aflita e oprimida, mas Jesus que vigia minha pobre alma, repetindo sua visita, com toda bondade me disse:

“Filha bendita, não se preocupe com nada, minha Vontade tem a virtude de fazer morrer tudo aquilo que a Ela não pertence, e de mudar em vida de luz as mesmas fraquezas e misérias da criatura, tudo o que te digo não é virtude dela, mas é virtude e poder da minha Vontade que tudo pode; a minha Vontade é simbolizada pelo sol, que, à medida que se liberta as trevas, as faz desaparecer e morrer, e à medida que investe a terra, assim dá a todas as coisas a sua vida de luz, assim o meu Querer, enquanto a criatura se faz investir pela potência de sua luz, bem as trevas a deixam, seus males morrem e são mudados em vida de luz, e quem isto não entende significa que é analfabeto, e por isso não entende nem o que é minha Vontade, nem o que pode fazer, nem onde pode chegar quem vive nela e que se faz investir de sua luz. Por isso deixa-os falar, Eu farei as obras e eles ficarão com as palavras, se não fizeram um estudo profundo, o que queres que compreendam? Talvez sejam sábios, doutores de outras coisas, mas de minha Vontade serão sempre ignorantes, por isso deixemo-los de lado e pensemos em fazer não palavras, mas fatos verdadeiros.

 

 

Compartilhe a Divina Vontade