#17 MEDITAÇÃO INICIANTES – TRANSIÇÃO DA VIDA HUMANA A VIDA DIVINA


LIVRO DO CÉU VOLUME 1

(59) Outras vezes, para me contradizer, se eu não sentisse vontade de comer, ele me dizia:
“Quero que você coma pelo meu amor, e enquanto a comida se une ao corpo, peça-me para unir
meu amor à sua alma e todas as coisas serão santificadas”.
(60) Em uma palavra, sem ir mais longe, mesmo nas menores coisas tratava de fazer morrer
minha vontade, para me fazer viver apenas para Ele. Permitia que até o confessor me
contradissesse como por exemplo: Eu tinha um grande desejo de receber a comunhão e durante
todo o dia e noite não fiz nada além de me preparar, meus olhos não podiam fechar-se para dormir
devido aos batimentos cardíacos contínuos e eu disse a ele: “Senhor, apresse-se porque não
posso ficar sem Ti, acelere as horas, faça surgir logo o sol porque não aguento mais, meu coração
desmaia ”. Ele próprio me fazia certos convites amorosos com os quais me sentia despedaçar o
coração e me dizia; “Olha, eu estou só, não sinta pena de você não poder dormir, trata-se de fazer
companhia a seu Deus, seu Esposo, seu Tudo, que é continuamente ofendido, ah! não me negues
esse consolo, que mais tarde nas tuas aflições Eu não te deixarei ”. Enquanto eu estava com essas
disposições, de manhã ia com o confessor e sem saber por quê, a primeira coisa que ele me dizia
era: “Não quero que você receba a Comunhão”. Digo a verdade, era tão amargo para mim que às
vezes não fazia nada além de chorar, não me atrevia a dizer nada ao confessor, porque era isso
que Jesus queria que eu fizesse, caso contrário, ele me repreendia; mas ia ter com Ele e dizia
minha tristeza: “Oh meu Bem, por isso a vigília que fizemos esta noite, que depois de tanto esperar
e desejar, devia ficar privada de Ti? Sei bem que devo obedecer, mas diga-me posso estar sem
Ti? Quem me dará a força? Ademais , qual o valor de ir a esta igreja sem levar-te comigo? Eu não
sei que fazer, mas Tu podes remediar a tudo. Enquanto assim desabafava, sentia vir um fogo junto
a mim, entrar uma chama no coração e o sentia dentro de mim, e em seguida me dizia: “Acalma-te,
acalma-te, eis me aqui, estou já em seu coração. O que temes agora? No se aflija mais, Eu mesmo
te quero enxugar as lágrimas, tens razão, tú não podia estar sem Mim, não é verdade?
(61) Então eu ficava tão aniquilada em mim mesma por isso, e eu lhe dizia se não tinha sido boa,
Ele não teria colocado dessa maneira, e lhe pedia que ele não me deixasse mais, que sem Ele eu
não queria ficar.
(62) Depois dessas coisas, um dia, após a Comunhão, sentia-o todo amor em mim, e que Ele me
amava tanto, que ficava maravilhada, porque me via tão má, e sem corresponder, e dizia dentro de
mim: “Pelo menos fora boa e lhe correspondera, tenho medo de que me deixe (esse medo de me
deixar sempre tive e ainda tenho, e às vezes é muita a dor que sinto, que acho que a pena de
morte seria menor, e se Ele próprio não vier a me acalmar, não sei como me dar paz) entretanto
Ele quer estreitar-se mais intimamente a mim ”.

Compartilhe a Divina Vontade