#12 MEDITAÇÃO INICIANTES – TRANSIÇÃO DA VIDA HUMANA A VIDA DIVINA


( 40 ) “Quero que você esteja sempre certo em seu trabalho, um olho me olha e o outro olho o que você está fazendo; Eu quero que as criaturas desapareçam.   Se te mandam não olhar para as pessoas, não, mas deves pensar que Eu mesmo quero que faças o que te mandam, por isso com os teus olhos fixos em Mim não julgarás ninguém, não olharás se a coisa for dolorosa ou gostosos, se você pode ou não pode fazê-los, fechando os olhos para tudo isso, você os abrirá para olhar apenas para Mim, você me reunirá com você pensando que estou olhando para você, você me dirá: “Senhor , só por ti o faço, só por ti quero trabalhar, não mais escravo das criaturas”.   Portanto, se você anda, se trabalha, se fala, em qualquer coisa que faça, seu único objetivo deve ser agradar somente a Mim.  Oh! quantos defeitos você evitará se o fizer”.

( 41 ) Outras vezes me dizia: “Quero também que se as pessoas te mortificam, te ferem, te contradizem, com o olhar fixo em Mim, pensando que com minha própria boca te digo:” Filha, sou eu que quero sofrer isso, não as criaturas, desvie seu olhar delas, mas eu e você sempre, destrua todas as outras.   Vê, quero fazer-te bela com estes sofrimentos, quero enriquecer-te de méritos, trabalhar a tua alma, fazer-te semelhante a Mim. Me   farás presente, agradecer-me-ás com carinho, agradecer-te-ás aquelas pessoas que te dão a oportunidade de sofrer, recompensando-as por algum benefício.   Ao fazer isso, você caminhará diretamente à minha frente, todas as coisas não mais lhe darão inquietação e você sempre desfrutará da paz”.

( 42 ) Depois de algum tempo que tentei praticar nestas coisas, um pouco fazendo e um pouco caindo ( embora eu veja claramente que ainda me falta este espírito de justiça, e estou cada vez mais confuso por pensar em tanto minha ingratidão ) , ele falou comigo e me fez entender a necessidade do espírito de mortificação. ( Embora eu me lembre que em todas essas coisas ele me disse, ele sempre acrescentava que tudo tinha que ser feito por amor a ele, e que as mais belas virtudes, os maiores sacrifícios, tornavam-se insípidos se não começassem pelo amor.    A caridade, disse-me ele, é uma virtude que dá vida e esplendor a todas as outras, de modo que sem ela estão todos mortos; meus olhos não recebem atração, e acima do meu coração não têm força; portanto, esteja atento e deixe que suas obras, mesmo as menores, sejam investidas de caridade, isto é, em Mim, Comigo e para Mim ) .   Vamos então à mortificação.

( 43 ) “Quero”, disse-me, “que em todas as tuas coisas, mesmo que seja necessário, sejam feitas com espírito de sacrifício.   Veja, suas obras não podem ser reconhecidas por Mim como minhas se não tiverem a marca da mortificação.   Assim como o dinheiro não é reconhecido pelos povos se não contém em si a imagem de seu rei, na verdade é desprezado e não cuidado.   Assim é com as tuas obras, se não tiverem o enxerto com a minha cruz não podem ter valor algum.   Veja, agora não se trata de destruir criaturas, mas de si mesmo, de se fazer morrer para viver só em Mim e de minha própria Vida.   É verdade que lhe custará mais do que o que você fez, mas tenha coragem, não tenha medo, você não fará isso, mas eu que trabalharei em você”.

Compartilhe a Divina Vontade