14º Meditação do Anjo da Guarda de Maria Valtorta


QUARTO DOMINGO DEPOIS DO PENTECOSTES

Salmo: Ps 27 (26): 1, 2, 3
Coletar: Concede-nos, Senhor, rogamos, que o curso deste mundo seja tão perfeitamente ordenado para nós por Tua direção, que Tua Igreja se regozije em
adoração imperturbável a Ti. Através de nosso Senhor.
Epístola: Rm 8: 18-23
Gradual: Ps 79 (78): 9, 10
Aleluia: Ps 9: 5, 10
Evangelho: Lucas 5: 1-11
Ofertório: Sal 13 (12): 4-5
Segredo: Concede-nos o Teu favor, Senhor, rogamos, ao receber estas oferendas e em Tua bondade, apesar de nossa resistência, atrair a Ti nossas vontades. Através
nosso Senhor.
Comunhão: Sl 18 (17): 3
Pós-Comunhão: Sejamos purificados, Senhor, por estes santos mistérios que recebemos e defendidos por seu poder. Através de nosso Senhor.
7 de julho de 1946
Azarias disse:
“Tudo por Ti, tudo por ti, alma minha, para ser teu conforto e alimento sapiencial no lugar do Pão que para ti realmente
deveria ter sido ‘diário’, querida alma que deu tudo por amor aos vossos irmãos à imitação de Cristo e que, no vosso
aprisionamento como separados pelo Amor imolante, não tinham senão este Sol.
“Diz-se nos Salmos: ‘Bem-aventurado aquele que tem a inteligência do pobre e do indigente.’ E da pobreza
em suas formas, pois pobre e indigente não é apenas aquele que carece de pão material e dinheiro. saciar a
fome do pão que Jesus, pela boca de Isaías, promete, oferece aos pobres, aos que não têm dinheiro, com as
palavras: ‘Vocês que têm sede, venham para as águas, e vocês que não têm dinheiro, venha comprar e comer,
venha comprar sem dinheiro.’ Palavras que reaparecem, engrandecidas em poder, na Palavra de Jesus no
Evangelho de João: ‘Procurai obter para vós não o alimento perecível, mas o que dura para a vida eterna e que
o Filho do Homem dará… Meu Pai vos dá o verdadeiro pão do Céu… Eu sou o Pão da Vida: quem vem a Mim não
terá mais fome; quem crê em mim não será mais com sede …. Todo o que o Pai me der virá a mim, nem rejeitarei quem vier a mim, pois desci do céu para fazer a
vontade de meu pai. E a Vontade do Pai é que eu não perca nem um daqueles que Ele me deu …. Eu sou o Pão
Vivo que desceu do Céu …. O Pão que eu darei é a minha Carne dada por a vida do mundo.’ E depois: ‘Quem
tem sede venha a Mim e beba’.
“A palavra de Deus é clara. Ele quer que o seu Pão seja dado, e em abundância, a todos os que o pedem, especialmente
aos que carregam a cruz, para que sejam fortalecidos com o Pão dos fortes.
“A caridade, que muitos confundem com esmola, não tem limites na impossibilidade de alguém ir, de falar,
de defender-se, de conseguir para si alimento e proteção, verdadeira caridade inteligente e consciente e é assim
porque, sendo verdadeira, tem a perfeição de algo divino, deve ser solicitada justamente onde, por uma
combinação de circunstâncias, há a impossibilidade de vir, falar, obter alimento e defesa para si mesmo. A
caridade compreende as necessidades materiais e espirituais dos pobres, desta categoria especial dos pobres
que são impedidos de ir onde o Pão que desceu do Céu é comprado ‘sem dinheiro’. Esta é a mais alta das
formas de caridade, pois consiste em levar Deus à criatura que o deseja e introduzir na criatura o Consolador,
Mestre, Amigo-Aquele que clama com voz incansável: ‘Todos vocês que sofrem, venham para mim. ‘
“Quem não entende isso não tem inteligência sobre as formas da pobreza e dos pobres e indigentes e não
conhece as almas de seus irmãos, como não conhece a Deus. Não o conhece porque não tem e não é na
caridade, e quem não está e não tem caridade não está em Deus.
“E então? O que você vai fazer, pobre alma que não é assistida por aqueles que não têm piedade de sua indigência? Você vai
ficar ‘sozinho’ porque eles se retiram?’ Você ficará desolado por isso? Você terá que duvidar de ser amado e salvo por Deus?
Nenhuma dessas coisas. Mas, antes, você deve se alegrar, assim como Cristo, que, depois da tremenda hora do Getsêmani, com
todas as dúvida eu” Isso se refere ao Padre Geral [dos servitas],que proibiu que me trouxessem a Sagrada Comunhão
“(anotação de Maria Valtorta em cópia datilografada).

do mundo e os mundanos movidos por Satanás como um motor militar para derrubar o Forte, revivido na certeza de sua
missão, vendo que o Senhor o consumia em sofrimentos, sobrecarregando-o com todo o peso da expiação, abandonando-o
ao ódio de seus inimigos, para torná-lo, depois, o Vencedor da Morte, do Pecado. Então, enquanto morria paralisado, ferido,
vilipendiado, amaldiçoado, Cristo, em seu coração moribundo, disse: ‘Eu sou o Rei e Redentor. Em vão, ó Satanás, você quis
me fazer duvidar. Este é o sinal de que estou na graça do Senhor e agrado a Ele, e que obterá tudo, pois tudo está contra
Mim. As contradições de Satanás e do mundo, contra aquele que não é do mundo, é o sinal mais seguro de que aquele que
é perseguido está em Ti, ó meu Pai.’
“Sim, Maria. A contradição em relação a uma boa obra, a perseguição de uma alma inocente, é o sinal probatório mais certo,
nunca faltando, de que esta obra é de Deus e que esta alma está a serviço de Deus.
“Acredite, acredite como se fosse uma certeza de fé; você pode acreditar, porque um anjo não mente, que quando
alguém é perseguido sem ter merecido perseguição, que quando uma boa obra se opõe, é porque Satanás os odeia. E o
ódio de Satanás é sempre contra o lugar onde Deus está.
“Alegra-te, pois, porque sois perseguidos e contrariados, pois este é o sinal de que estás em Deus e a tua obra é de Deus. E
repete à tua alma desanimada as palavras do salmo: ‘O Senhor é a minha luz e a minha salvação O que, então, devo temer? O
Senhor protege minha vida. Quem, então, pode me fazer tremer?
“Oh, Maria! Erga os olhos do seu espírito para contemplar os cidadãos dos Céus. Esses cidadãos que, antes de serem
espíritos abençoados na contemplação de Deus, eram homens na Terra. Bem, então? O que você vê neles? Os sinais pela
qual conquistaram aquele lugar. E a nenhum, exceto as crianças que morreram antes do uso da razão, falta o sinal da
contradição do mundo de suas virtudes e missão. Este sinal de martírio, seja sangrento ou incruento, não falta deles. Pois o
mundo odeia, persegue e despreza quem é de Deus.
“Assim como o vermelho é um incitamento para um touro feroz, assim o brilho da caridade que se expande daqueles amados
para o Senhor é um incitamento para os invejosos ou negadores, e eles se lançam sobre ele para demoli-lo e destruí-lo. Cada uivo
faz com que aumente de potência. E seu poder é tal que, como o

Geração 6: 5-8
O Salmo diz: ‘Os inimigos cambaleiam e caem.’ Deixe-os cair sem rancor, sem se alegrar com sua queda. Deixe-os cair
sem se distrair com o barulho de sua queda. Ouça a Deus e suas vozes, e não trema em seu coração.
“Apenas reze. Reze ao Senhor para que o curso do mundo se desenrole tranquilamente, de acordo com suas ordens, e que a
Igreja possa ter a alegria da devoção pacífica. E você entende o que isso significa.
“O mundo não é, de acordo com a idéia comum, tranquilo. Infortúnios, calamidades de todo tipo o atravessam e atormentam.
Mas tudo isso ainda ocorre pela vontade dos homens. O mundo em si, a Terra, o planeta, segue tranquilamente seu curso como a
vontade do Criador o ordenou. Como uma estrela cumprindo sua trajetória no firmamento, o planeta chamado Terra há dezenas
de milhares de anos segue seu curso, que começou com sua criação e que deveria terminar com a desintegração , quando o seu
fim chegou no tempo designado.
“Mas como, em sua infância, foi ameaçado de destruição porque a corrupção dos homens fez o Criador se arrepender de tê-los criado, então, nesta época da Terra,
em que a corrupção excede todas as medidas – e é encontrada igualmente na realeza palácios e casebres, e o lugar santo não está livre de poluições iníquas, e o amor está
morto, para dar lugar ao ódio, mesmo sem uma razão nacionalista, o ódio pelo ódio, o ódio à humanidade e, portanto, a si mesmo. -ódio, e os homens são ao mesmo
tempo suicidas, homicidas e deicídios, levantando as mãos armadas de rancor e impiedade e as descobertas satânicas contra Deus nas criaturas, e contra Deus em si
mesmo, e contra si mesmos, e contra tudo – não pode isso? pecado contínuo contra a caridade e esta fervilhar satânica de orgulho em muitos, em muitos homens e por
todas as razões, provocam um Fiat divino que interrompe o curso do mundo e desencadeia sua desagregação com terríveis convulsões por causa das quais homens
enlouquecidos de terror – por causa de guerras, fomes, massacres de epidemias e terremotos, ciclones, inundações, granizo, fogo, pestilências, invasões de animais
destruidores, e a criação de máquinas mortíferas e venenos, em uma sucessão apocalíptica de punições – e cegos em sua visão pela escuridão e em seus corações pelo
medo e ateísmo, vão para a morte e depois para o tremendo Juízo antes da hora? E a criação de máquinas mortíferas e venenos, em uma sucessão apocalíptica de punições
– e cegos em sua visão pela escuridão e em seus corações pelo pavor e ateísmo, vão para a morte e depois para o tremendo Juízo antes da hora? E a criação de máquinas
mortíferas e venenos, em uma sucessão apocalíptica de punições – e cegos em sua visão pela escuridão e em seus corações pelo pavor e ateísmo, vão para a morte e
depois para o tremendo Juízo antes da hora?
“Lembrem-se, todos vocês, que se as orações dos justos e dos a Mulher Cheia de Graça apressou em anos a vinda de Cristo, e foi uma grande graça, esta aceleração dos tempos do fim do
mundo com inúmeros pecados será a maior desgraça que a Humanidade terá que sofrer, pois será a ira do Senhor que vai
atacar.
“Orai, então, ó bons, para que o mundo morra quando for indicado que morra. Rezem para que Deus não envie seus carrascos
para feri-lo, como fez com Lúcifer e com Adão. Pois os decretos de Deus são eternos. Mas podem sofrer mutações quando sua
Justiça e sua própria dignidade forçam o Amor a lembrar às criaturas que só Um é Deus e ninguém é maior do que Ele. Digo isso
em relação ao mundo.
“E para a Igreja, sabes, alma minha, quais são as ‘alegrias de uma devoção tranquila’?
“Um conhecimento preciso da fé e uma aplicação justa do Evangelho – onde, quando aplicado à perfeição, toda a religião
antiga se funde à religião cristã – impedem a criação de heresias e seitas, de exaltação ou frieza censuráveis, e uma a santa
vontade de amor destrói com seu fogo as plantas venenosas das heresias e das seitas.
“É sempre o amor que salva e preserva. Não é exaltação fanática ou severidade congelante. É ser cristão como Cristo quis.
Tanto na Igreja em todas as suas hierarquias como nos fiéis em todas as suas condições. Então, de uma Igreja militante que é
verdadeiramente cristão em todos os seus membros, nutrido de Cristo como a planta se nutre da medula e empurra sua energia
até a última folhinha do galho mais alto, virá a alegria da devoção tranquila, livre das febres intercorrentes de misticismo estéril e
obscurecimentos pelos quais as trevas se elevam para envolver a Luz, dando golpes nocivos aos espíritos, que não são todos os
adultos, mas a maioria das crianças espirituais fracas que precisam de alegria tranquila para crescer no Senhor, fé constante e
caridade calorosa que os envolverá e os fortalecerá, para protegê-los das armadilhas do Adversário, do mundo e da carne.
“Filha da Igreja, reza, reza sempre por esta tua Mãe; reza por teus irmãos que não são, como tu, filhos da
Igreja – talvez pródigos, às vezes separados, outras vezes desviados – para que possam estar com o Mãe, e a
Mãe só pode ter a caridade de Cristo pelo rebanho fiel e as ovelhas desencaminhadas e convocam, exortam, confortam e sustentam
– maternal, maternal, maternal, santo, perfeito como seu
Cabeça: o Senhor Jesus Cristo.
“E agora vamos ler Paulo. Com isso ele te conforta com uma palavra santa. Aceite-a porque é a verdade. Paulo disse isso na
terra. Mas agora desce dos céus, confirmado pela aprovação daquele que sofreu mais do que todos os outros e, divinamente
glorioso, manifesta em seu Corpo que Ele sofreu e que Ele é, portanto, glorioso como homem, além de sua glória como Deus.
‘Estou convencido de que os sofrimentos do tempo presente não são comparáveis à glória que será manifestado em nós.’
“É isso. Muitos são os sofrimentos dos verdadeiros filhos do verdadeiro Deus. Mas incomensuravelmente superior é a glória que eles
terão no Céu.
“O Verbo era Deus. Sua glória como Deus era, portanto, infinita, mas Ele mesmo era glória para Si mesmo. Ele se tornou
homem e sofreu com o tempo, atrozmente, completamente. Ele então subiu ao céu e juntou a glória de todos os salvos ao
sua glória infinita. E cada santo é um aumento de glória que o Verbo obteve para si mesmo sofrendo no tempo. O que
teriam sido os céus sem o seu sofrimento? A glória estática de Deus os teria preenchido, é verdade. Mas eles não
conheceriam os hosanas dos mil e dez mil bem-aventurados, dos cento e quarenta e quatro mil de cada tribo, nem
conheceriam o novo cântico, sustentado por um som semelhante ao de muitas águas e o estrondo de trovão, semelhante a
um concerto de harpistas tocando seus instrumentos, o cântico novo das virgens que seguem o Cordeiro por onde quer que
Ele vá e levam na fronte o seu Nome e o do Pai, o cântico que só podem cantar aqueles que foram resgatados da Terra,
primícias do Cordeiro e de Deus .
“Toda esta glória que se multiplica em torno da do Verbo para todo santo vem a Cristo, pois Ele sofreu no tempo e o que Ele foi
resplandeceu por meio de seus sofrimentos e resplandece eternamente Nele e em seu Corpo glorificado, como brilha em seu Divino
Espírito.
“‘De fato, a criação aguarda ansiosamente a revelação dos filhos de Deus.’
“Preste atenção, alma minha. O que significa esta frase9 De que revelação ela está falando? Uma vez eu te
falei dos dois ramos da Humanidade: o ramo dos filhos da mulher livre e o dos filhos da escrava Essa explica nação, então, ajuda você a entender esta sentença.’
“A criação está esperando para conhecer os filhos de Deus para distingui-los dos filhos do pecado. Quando saberá? Quando, no
fim dos tempos, todos os homens tiverem passado na grande revisão e, segundo a justiça, os filhos de Deus são separados dos
filhos do pecado.
“Por enquanto, é um trabalho contínuo e incessante chegar a esta revelação. Deus para ser distinguido
daqueles que não queriam sê-lo.
“A vida de cada indivíduo é semelhante a uma téssera em um mosaico. E cada um pode livremente dar-lhe a cor que desejar.
Quando todas as vidas forem reunidas na ressurreição final, o grande quadro da história da humanidade será composto, deste
lado da criação, o mais seleto, e, por ser o mais seleto, o mais assediado pelas ciladas do Adversário, que em vossos antepassados
submeteu toda a Humanidade à vaidade, com a permissão de Deus, para testar sua filhos e poder recompensá-los com méritos
multiplicados por sua santidade, obtida por seus próprios esforços e não por um dom gratuito de Deus.
“A que orgulho ruinoso teria chegado o homem se, por um pecado que de duas maneiras foi feliz e propício, ele não
conheceu a humilhação no início de sua existência! Feliz a culpa porque o Cristo foi obtido, feliz porque mortificou o homem
antes séculos de imunidade o deixaram tão orgulhoso quanto Lúcifer, que, por não ter pecado, acreditava ser como Deus.
“Esta queda da Humanidade foi também a Providência, este afundar na lama, para se lembrar de que ela é lama animada por
Deus, em si mesma lama, pela vontade de Deus: espírito na lama, para santificá-lo, para dar-lhe uma marca, uma semelhança com
o Desconhecido, o Perfeito, o Espírito, o Eterno. Esta queda no início de seu dia foi a Providência, para ter uma longa expiação e
poder reerguer todo o caminho, retornar ao Céu do abismo, voltar com boa vontade, com a ajuda do Salvador, com a batalha
contra a tentação, com a fortaleza quebrando as cadeias da concupiscência, com fé, esperança, caridade, com santa humildade e
santa obediência, para vir a ser merecidamente glorioso e livre com a gloriosa liberdade dos filhos de Deus.

“Muitas vezes o homem amaldiçoa estérilmente o primeiro pecado e blasfema contra Deus como um Senhor
imprudente que colocou o homem em tentação mais forte do que ele. fruto proibido, ele se tornaria como
Deus, se, sem nenhum tentador, tivesse chegado a acreditar que era Deus por si mesmo, porque não tinha
pecado, nem dor, nem morte?
“Então não teria havido redenção, porque o homem teria sido um novo Lúcifer – ao contrário, uma legião incontável de
lúcifers, pois, no decorrer dos séculos, a humanidade teria crescido através de todos aqueles gerados, e nenhum homem e
uma mulher, mas todos teriam pecado por esta heresia sacrílega, e toda a raça teria perecido em um castigo infernal.
“O Criador amou a mais bela criatura da criação. Aquele em quem a alma lançou luzes celestiais. E ele queria que ela ainda estivesse
em condições de ser salva. Então? Alguém pode duvidar que Deus não poderia ter impedido Satanás de entrar no Éden? Não, não pense
assim, mas creia que o ato de Deus foi bom, como todos os seus atos, e a causa de um ato infinitamente bom, como foi a Encarnação do
Verbo para a salvação do homem.
“‘Sabemos que até agora todas as criaturas estão suspirando e com dores de parto.’
“De fato, cada um deve dar à luz a si mesmo, o ser eterno, aquele nascido no céu ou no inferno no momento em que a primeira
morte remove a alma e o fôlego, e o primeiro chamado, diante daquele que não pode ser enganado, ocorre. Da matéria, como o
fruto de uma flor – da matéria que os Sacramentos ajudam a mudar (de uma corrente, um obstáculo, um fardo de santificação ao
nascimento, a Vida como filho imortal de Deus, o cidadão abençoado que habita o Céu) – da matéria , como fruto da flor, o filho de
Deus, o irmão de Cristo, participante da divindade pela promessa divina, será gerado, com dores em toda a sua vida, com o peso
da gestação ao longo da vida.
“Vós sois deuses” está escrito nas Escrituras e nas cartas de Paulo. Nem Jesus negou que o homem, ao tornar-se santo com um
esforço constante para a perfeição, se torna semelhante a Deus seu Pai, na medida de um filho para com o Pai , do espírito criado
em relação ao Santíssimo Espírito Incriado.
“Mas para chegar a esta glorificação é preciso suspirar e sofrer com paciência e esperança, com fé e amor, como um

mãe que por longos meses sofre e espera, e de boa vontade enfrenta a dor desde que possa dar à luz seu filho.
“Você vê como Deus é bom? Ele concede a procriação à matéria, quase sendo pequenos criadores. Mas Ele concede que todos os
espíritos possam se recriar, pois a alma, dada por Deus, pode recriar e supercriar a si mesma, atingindo a dignidade sublime de filhos de
Deus, participando da glória eterna do Pai.
“‘E não apenas estes, mas também nós, que temos as primícias do Espírito, suspiramos interiormente, esperando a adoção de filhos de Deus e a
redenção de nossos corpos, em Jesus Cristo Nosso Senhor.’
“Possuir dons extraordinários não elimina ter que sofrer para se recriar para o Céu. De fato, na proporção da alegria que vem do Céu, você deve ser capaz de sofrer para chegar a graus cada vez mais elevados de perfeição espiritual. a ‘palavra de Deus’ tendo as primícias do Espírito, alma minha? Que a tua força, portanto, seja proporcional a esta graça. Procede, do teu refúgio seguro, dos braços de teu Pai, que te conforta em teu tribulação e dá-lhe as suas consolações para compensá-lo por aqueles que os homens lhe negam. Mantenha-se na Luz para que seus olhos sejam iluminados e você nunca adormeça na morte espiritual – para que aquele que é seu inimigo nunca possa dizer: ‘Eu a derrotei!’ Considere que você deve estar bem desperto, justo, luminoso e sábio, tanto para sua alma quanto para a Obra de Deus, que mesmo uma ligeira deserção sua depreciaria.
Seja santo para dar alegria a Deus, paz à sua alma e vida eterna, e não diminuir o dom de Deus. Considere que você faria o jogo de seus inimigos. Coroe sua testa com espinhos, seja firme sob a flagelação, vá sob a cruz. Mas faça com que os atormentadores tenham que dizer um dia as palavras dos crucificadores no Calvário: ‘Este foi um espírito justo’, e bater em seus peitos, dizendo: ‘Os sofrimentos que lhe causamos pesam em nossa consciência e clamamos a Deus porque oprimimos um inocente que serviu a Deus. Assim combatemos Deus.’ Considere que você faria o jogo de seus inimigos. Coroe sua testa com espinhos, seja firme sob a flagelação, vá sob a cruz. Mas faça com que os atormentadores tenham que dizer um dia as palavras dos crucificadores no Calvário: ‘Este foi um espírito justo’, e bater em seus peitos, dizendo: ‘Os sofrimentos que lhe causamos pesam em nossa consciência e clamamos a Deus porque oprimimos um inocente que serviu a Deus. Assim combatemos Deus.’ Considere que você faria o jogo de seus inimigos. Coroe sua testa com espinhos, seja firme sob a flagelação, vá sob a cruz. Mas faça com que os atormentadores tenham que dizer um dia as palavras dos crucificadores no Calvário: ‘Este foi um espírito justo’, e bater em seus peitos, dizendo: ‘Os sofrimentos que lhe causamos pesam em nossa consciência e clamamos a Deus porque oprimimos um inocente que serviu a Deus. Assim combatemos Deus.’ Os sofrimentos que lhe causamos pesam em nossa consciência e clamam a Deus porque oprimimos um inocente que serviu a Deus. Assim combatemos Deus.’ Os sofrimentos que lhe causamos pesam em nossa consciência e clamam a Deus porque oprimimos um inocente que serviu a Deus. Assim combatemos Deus.’
“Vem, vem, alma minha, alma cada vez mais amada. Vem, descansa no peito daquele que não trai seus filhos.
Descansa naquele que te é dado como teu Pai.
“Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo.”

QUINTO DOMINGO DEPOIS DO PENTECOSTES

Introito: Ps 27 (26): 7, 9, 1
Colete:Senhor, tens preparado para aqueles que te amam, coisas boas invisíveis a qualquer olho; derrama em nossos corações o fervor do Teu amor, para que amar
Você em todas as coisas e acima de todas as coisas, podemos obter Suas promessas, que excedem tudo o que podemos desejar. Através de nosso
Senhor. Epístola: 1 P 3: 8-15 Gradual: Sl 84 (83): 10, 9 Aleluia: Sl 21 (20): 2
Evangelho:Monte5: 20-24
Ofertório: Sal 16 (15): 7, 8
Segredo:Senhor, aplaca-te com nossas súplicas e em Tua bondade recebe estas oferendas de Teus filhos e filhas; para que, o que cada um ofereceu a
a glória do teu nome, pode ser útil para a salvação de todos. Através de nosso Senhor.
Comunhão: Sl 27 (26): 4
Pós-comunhão:Senhor, Tu nos encheste com Teus dons celestiais; conceda, rogamos, que sejamos purificados de nossas faltas secretas e salvos das armadilhas de nossos
inimigos. Através de nosso Senhor.
14 de julho de 1946
St. Azarias disse:
“Isso, também, inteiramente para você, para consolá-lo nesta hora dolorosa.
“‘Ouça, ó Senhor, as palavras da minha oração. Seja minha ajuda. Não me abandone. Não me despreze, ó Deus, meu Salvador. O
Senhor é minha luz e minha salvação. Quem sou eu para ter medo diz o Introito.
“Eu sempre explico o salmo em detalhes, pois é a nota básica de cada Santa Missa individual. Depois, o cântico litúrgico continua, se
liberta e sobe cada vez mais alto, mas a nota inicial permanece em todas as suas partes. Aqui é um nota de confiança nos socorros divinos,
aqueles que todos precisam, e especialmente você, alma minha, que tem somente Deus como seu auxílio nesta hora. Mas confie. Um único
olhar de Deus é mais poderoso do que todas as forças malignas dos homens se juntaram.
“Você, pobre criatura, deseja tentar dobrar os homens que resistem até mesmo ao Senhor? Suas palavras e suas provações caem,
depois de ter atingido o bloco muito duro de sua vontade, que é antagônica a você, sem deixar sequer um arranhão na superfície
impenetrável a toda penetração, somente uma vontade divina pode penetrá-los,
esmague-os, como o raio quebra o que atinge. E o raio divino é mais forte que todos e não pode ser resistido. Mas
não deseje raios para eles que não são de amor. Este também é um raio, mas não destrói, antes edifica, transforma,
suaviza, torna bons os que não são bons, transforma perseguidores em partidários e, sobretudo, impede a ruína de
suas almas.
“Você, vítima oferecida para a salvação das almas e para que o Reino de Cristo – isto é, o amor – se estabeleça nas almas, deve
ter isso como o objetivo principal de todas as suas ações. Eles, duros; você, mansos. Eles, inimigos; você, uma irmã. Eles se
moveram para ferir você; você, para acariciá-los. Até agora você foi heróico nesse amor oposto ao ressentimento, nessa paciência
contra toda a vontade obstinada de dissolver o que Deus quer e você pede em nome de Deus. Eles levantaram as mãos,
espiritualmente, para trespassar o teu espírito. Pois bem, imita o cordeiro que beija a mão daquele que lhe corta a garganta e o
Divino Cordeiro, que, dócil, não escapou aos golpes Ele, mas, sim, foi estimulado pelo amor a orar por eles em suas últimas
palavras.
“Aja assim. E se nem isso os amolece e você morre consumido diante de seu muro impenetrável, não tenha medo. A
justiça está no céu. E haverá justiça para a chama que se extinguiu, dando luz e calor até o fim. , e para aqueles que
permaneceram frios e escuros antes de seu estremecimento de amor. Confie-se a Deus. Rogue-Lhe apenas para não
abandoná-lo e desprezá-lo, e então não se preocupe com o abandono e o desprezo do mundo. Eles são uma honra para
aquele que os recebe, porque é sinal de que não é do mundo, mas de Deus.
“Você ouve a oração? ‘Ó Deus, que guarda bens invisíveis preparados para aqueles que te amam.’
“Você o ama. Muito mais do que a si mesmo. O que não é a glória de Deus não desperta em você o desejo de possuí-la.
Somente esta glória. Você deu tudo o que Deus lhe concedeu para a glória dele. Lembre-se, para seu conforto. , o episódio
do jovem rico. Ele perguntou ao Mestre: ‘O que devo fazer para obter a vida eterna? E Jesus lhe disse: ‘Você conhece os
mandamentos’. Ele respondeu: ‘Eu os tenho observado desde a minha juventude.’ E então o Divino Mestre lhe disse: ‘Ainda
te falta uma coisa: vende tudo o que tens e dá aos pobres, e terás um tesouro no Céu. Então vem e segue-me.’
“É isso. Depois dos Mandamentos, observados de sua (Lucas 23:34) juventude, e depois de ter
vendido todos os seus bens com o sacrifício de sua saúde, o holocausto supremo e o mais
meritório, porque foi oferecido por você – não aceito, como os outros que Deus lhe pediu – você se colocou no comitiva não
do Rei, mas do Mártir. Os pobres, para você, são aqueles para quem você obteve a amizade de Deus por sua imolação
obscura. Ora, se Jesus Santíssimo assegura a vida eterna a quem vende os seus bens, os seus bens materiais, para os dar
como ajuda material aos pobres, que dará Ele aos que se despojam até da vida e com esta moeda compram a Vida aos que
definham ou morto em espírito?
“Você deu tudo. Deus lhe dará infinitamente. E desde agora Ele lhe dá amor infinito; Ele lhe dá o bem de seu amor
sensível, sua palavra, avanços do bem imensurável que espera por você lá em cima: o bem que seja ele mesmo, seu Deus,
não mais obrigado a se esconder para se adaptar à sua capacidade de criatura de sustentar sua presença.
“‘Infunde nos corações os sentimentos de seu amor.’
“Ah, e de que vives, despojado de tudo, privado de tudo, até do seu Pão, senão desses sentimentos de amor
divino? Senhor te dá de Si mesmo?
“‘Para te amar em tudo e acima de tudo.’
“O amor é retribuído com amor, e no amor todo sacrifício é possível, e com amor ‘as coisas que Deus prometeu foram obtidas,
que são superiores a todo desejo’.
“Eles são superiores a todo desejo! Verdadeiramente, que criatura, por mais avançada que seja no conhecimento do
Bem, pode chegar com seu pensamento desejoso à fronteira – mesmo à fronteira – de qual é a recompensa que o espera no
céu? E lá, não na fronteira, mas dentro, os espíritos daqueles que, tendo amado a Deus em todas as coisas e acima de todas
as coisas, obtiveram a posse de Deus, serão imersos em perfeita bem-aventurança. pelas criaturas, ali recompensados
pelo Criador.
“Esqueça o tempo e os homens. Olhe para a eternidade e o Eterno. Seu lugar não é aqui. Como um peregrino em um hotel
onde os mercenários lhe servem mal, ou se recusam a servi-lo, você está na Terra. Mas na Honra do Pai você não conhecerá mais
os desconfortos do presente. Não se aflija, então, com o que você sofre agora, mas considere que cada dia que chega ao fim se
aproxima aproxime-se do lugar celestial onde será amado pelo Pai e seus irmãos como amam no céu, onde só há perfeição, e
aumente sua formação constantemente, lembrando as palavras de Jesus, Nosso Senhor: ‘Sede perfeitos como meu
Pai é perfeito.’
“Como se chega a esta perfeição? Oh, sempre por amor! Seu Santíssimo Mestre não ensinou nenhum outro
meio; seu primeiro Vigário, o Beato Pedro, não ensinou nenhum outro. amoroso para com seus irmãos,
misericordioso, modesto e humilde, todos vocês.’ Essas diferentes manifestações das virtudes cristãs não são,
talvez, amor? Amor pelos irmãos nas quatro primeiras. Amor a Deus nas duas últimas, reconhecendo que se
um ato de bondade da parte dele faz de você algo mais do que os outros são, isso é um dom de Deus e,
portanto, em sua eleição, seja cada vez mais modesto e humilde, para que a eleição não se transforme em
ruína, em uma falsa santidade capaz de enganar os homens, mas não o Senhor,
“Destas primeiras virtudes, Pedro passa então a uma virtude mais difícil, a do perdão. O perdão das ofensas
é a prova de sua caridade e de sua união com a Palavra. Ame aqueles que te odeiam e ofereça a outra face a
quem te algemar.’ Nosso Senhor Jesus disse isso porque Ele quer que vocês sejam salvos E se o Sinédrio
condenasse quem lançasse um insulto ao próximo e o fogo da Geena fosse prometido para quem ofendesse
seu próximo – e isso ocorreu quando o Amor ainda não havia vindo para ensinar e reinar na Terra no coração
de seus seguidores – aquele que, na Nova Lei, é incapaz de amar seus inimigos e tolerar ofensas, mas reage
com animalidade oposta à animalidade dos outros, uma besta pronta para toda reação vil de o bruto,
“Pedro, fiel eco de seu Mestre, repete: ‘Não pague mal com mal, nem amaldiçoe com maldição, mas, antes, abençoe, pois é
para isso que você foi chamado: para herdar a bênção’.
“Ah, é difícil! Eu entendo que é difícil!

A Criaturas espirituais a carne quando não é anulada e tenta pular sob o chicote das ofensas. Mas quero te ensinar o segredo
para obter a vitória sobre o eu humano, excessivamente incitado pelas flechas que continuamente te ferem.
“Ouça, alma minha. Se você contemplar as flechas das ofensas pelo que são – ofensas – você não pode amá-las. Se você
contemplar aqueles que atiram em você pelo que são – injustos – você não pode amá-los. contemplas as flechas das ofensas
como armas do martírio e fazes o mesmo que o Beato Sebastião, que considerou que cada flecha adicional era mais uma
pena concedida para o seu vôo próximo, se as contemplares como numerosos dardos de fogo que, consumindo o teu carne
com chamas rápidas, sirva para purificá-la e dissolver a prisão de sua alma, se você vê seus torturadores como os
colaboradores mais eficazes para lhe dar a coroa de mártir, se você considera que Deus te ama sem limites a ponto de
permitir que você seja como suas Confessoras, como seu Filho, morto pelos homens para redimir os homens, se você fizer o
que eu estou dizendo a você, amarás as ofensas que te transfixam, as beijarás como os mártires beijaram as suas correntes,
e amarás aqueles que, abrindo-te o céu tirando-te a vida, são, sem perceber, os teus primeiros benfeitores.
“‘Eles não sabem o que estão fazendo’ no mal. Pois se eles soubessem e fizessem o mesmo, suas almas seriam miseráveis!
eles acreditam que estão servindo a Deus, esses novos judeus, e salvando o povo ao matar o inocente. Mas ‘eles não
sabem o que estão fazendo’ também é bom. Pois com suas próprias mãos eles te dão os meios para serem coroados
após esta batalha final. Você deve amá-los por isso.
“Nosso Santíssimo Senhor disse uma vez, falando em uma visão: ‘Não há homem que seja completamente ruim, voluntariamente
ruim ao longo da vida. É, pois, necessário sentir pena, pensando no bem que alguém pode ter feito que não conhecemos.’ Aja assim,
alma minha.
“‘Então, quem quiser amar a Vida e ver dias felizes, refreie sua língua do mal e seus lábios da fala fraudulenta,
evite o mal, faça o bem, busque a paz e se esforce para obtê-la.’
“O bem-aventurado Pedro nomeia não a pobre vida de uma hora, mas a Vida Eterna, e fala de dias eternos, aqueles que
para quem ‘vivendo’ no Senhor serão eternamente felizes. Oh, vale a pena poder ficar calado! Pois a fala muitas vezes afasta
as pessoas da caridade, deixando o espírito confuso com o barulho das palavras de si mesmo e dos outros, e na confusão a
fraude pode surgir com vistas à excelência no combate com o adversário, e a disputa pode degenerar da justiça para a injustiça, e
aquele que está certo pode passar para o lado errado, ultrapassando os limites do respeito e do amor e, acima de
tudo, ele altera a paz e a altera nos corações dos outros.
“Em paz está Deus. Deus não deve ser perdido, então, para obter uma pobre vitória. Mas, antes, sufocando toda a rebelião da
humanidade que se ergue sob os açoites injustos, deixe cair todos os seus direitos, mesmo os direitos justos e lícitos, a seja livre para aderir
com todas as suas forças somente a Deus. E cheio de paz, luminoso, um bom amigo e santo mestre, ‘porque o Senhor tem seus olhos sobre
os justos e seus ouvidos atentos às suas orações’ – estará em você Com efeito, Deus não estará em cima, mas dentro de vós, porque o
pacífico estará no Pai e o Pai neles, segundo a promessa beatífica do Verbo.
“Ter Deus, Paz em você! Se nós anjos considerarmos o que é ver Deus, podemos entender bem o que deve ser para você
ter Deus, o Pacífico em você. E também podemos intuir o que as vidas devem ser como aqueles que, em uma hora de
meditação, entendem que agiram mal e, portanto, têm sobre eles o olhar irado de Deus e seu severo julgamento.
“Oh, alma minha! Paz, paz, sempre paz em ti. Pois tu estás no tabernáculo, debaixo da tenda de Deus. Não saias dele, mesmo
que todos os redemoinhos agitem a tenda e agitem o tabernáculo para te assustar, mesmo se chacais ou bandidos vagarem pelo
deserto ao seu redor, você se perderia em fuga; ao reagir, seria derrotado. Permaneça onde está. Lembre-se do que Jesus diz sobre
sua Igreja: “E as portas do inferno não prevalecerão contra ela. . ‘
“Vocês, encerrados no pavilhão da sabedoria de Deus, no tabernáculo do seu Coração, do seu Amor, estão numa espécie de
Igreja viva, ‘e as forças do mal não prevalecerão’. Digo-vos porque o meu Senhor me manda dizer-vos, juntamente com o bem aventurado Pedro, que vos assegura que ninguém poderá prejudicar aqueles que são zelosos do bem e da verdade chama o
sofrimento por causa da justiça «beatitude, ‘recordando mais uma vez as palavras de seu Mestre, que prometeu o Reino dos Céus a
quem sofre perseguições por causa da justiça.
“E, com o Apóstolo e Pontífice, digo: ‘Não tema as ameaças deles. Não se inquiete, mas santifique a Cristo Senhor em seu coração,
dando-lhe louvor por sua justiça, para que os homens tenham que proclamar “, Cristo, o Santificador, estava verdadeiramente vivo nela, e,
portanto, ela foi vitoriosa sobre sua humanidade e tentações, e sobre aqueles que a perseguiram sem motivo, como
perseguiram a Cristo, seu Esposo, Mestre e Senhor”.
“Bendize o Senhor, que te aconselha. Permaneça sempre diante do Senhor e tenha diante de seus olhos o Modelo Divino, para
reproduzi-lo fielmente em você. Apoie-se naquele que te ama e não vacilará. Peça apenas uma coisa. do Senhor e buscar somente
isto: habitar na casa de Deus, sob a tenda da sabedoria que Ele ergueu para defesa e conforto, na segurança de seu tabernáculo
vivo, em seu coração, por todos os dias da vida terrena, até o momento em que a chama, depois de um último lampejo, se
desprende da lâmpada terrena e sobe ao Céu, um pouco de luz retornando à Luz, um pouco de fogo que é reabsorvido pelo Fogo
Divino, amor de criatura que se diviniza ao perder-se na de Deus.
“Glória, Glória, Glória ao Senhor, que recompensa divinamente seus servos e mártires! Glória ao Pai e ao
Filho e ao Espírito Santo.”

Compartilhe a Divina Vontade