Purificação da Igreja: O que Jesus está fazendo?


Predição de Jesus sobre o futuro da igreja.

Mateus 24:11-14 levantar-se-ão muitos falsos profetas e enganarão a muitos. E, por se multiplicar a iniquidade, o amor se esfriará de quase todos.
Aquele, porém, que perseverar até o fim, esse será salvo. E será pregado este evangelho do reino por todo o mundo, para testemunho a todas as nações. Então, virá o fim.

Você observa que Jesus disse que a multiplicação da iniquidade iria crescer a tal ponto do amor se esfriar de quase todos, pelas pessoas desprezarem ou violarem os mandamentos de Deus o resultado seria o esfriamento do amor, o amor a Deus o amor ao próximo e o amor a si mesmo, e no tempo do apóstolo Paulo ele já tinha dito que o mistério da iniquidade já operava, daí Jesus ele fala algo muito interessante, ele diz que “Este evangelho do Reino”, ele não disse um outro evangelho ou um evangelho ou o evangelho, mas ele disse este, ou seja aquele evangelho que ele pregava o mesmo evangelho, semelhante ao que ele pregava, esse evangelho que ele pregava tem como propósito anular a iniquidade e gerar o amor ágape novamente, pois foi exatamente o afastamento desse evangelho que gerou o esfriamento em quase todos, porque pense bem se esfriou, é porque antes estava quente correto? E
mesmo com essa iniquidade ainda existem pessoas com amor quente, ardendo em seus corações, agora imagina esses corações depois de ouvir este evangelho sem mácula por causa dessa iniquidade? Nossa que maravilhoso, então antes de falar dessa boa nova vamos tratar de forma resumida sobre como a iniquidade foi tomando esse formato dentro da igreja e principalmente no mundo.

Jesus disse a Serva de Deus Luisa Piccarreta, sobre os escritos ditados do Evangelho do Reino:

Veja então como é necessário o pleno abandono em Mim para viver em Minha Vontade; Ela não tem necessidade das misérias da vontade humana, a quer para que viva junto com Ela, bela como a fez sair de seu seio, sem o miserável traje que se tem formado no exílio da vida, de outra maneira haveria disparidade que daria dor à minha e infelicidade à vontade humana. Veja como é necessário fazer entender que é necessário o pleno abandono para viver em minha Vontade, e você diz que não era necessário escrever sobre isto; Eu tenho pena de você, porque você não vê o que vejo Eu, você só vê o hoje, e em minha Omnividência vejo que estes escritos serão para minha Igreja como um novo sol que surgirá em meio Dela, e os homens atraídos por sua luz deslumbrante se aplicarão para transformar-se nesta luz e sair espiritualizados e divinizados, pelo que renovando-se a Igreja, transformarão a face da Terra. Vol.16.46

Agora, o que Eu manifesto sobre minha Vontade Divina e que você escreve, pode-se chamar o Evangelho do Reino da Vontade Divina, nada se opõe nem às sagradas escrituras nem ao Evangelho que Eu anunciei estando na terra, pode-se chamar o sustento de um e do outro, e por isso permito e chamo os sacerdotes a venham, que leiam o evangelho todo do Céu do Reino do meu Fiat Divino, para dizer como disse aos apóstolos: ‘Preguem-no por todo o mundo’. Porque eu me sirvo para as minhas obras do sacerdócio, e assim como tive o sacerdócio antes da minha vinda para preparar o povo, o sacerdócio da minha Igreja para confirmar a minha vinda e tudo o que fiz e disse, assim terei o sacerdócio do reino da minha vontade. Eis a que servirão as tantas coisas que te manifestei: as tantas verdades surpreendentes, as promessas dos tantos bens que devo dar aos filhos do Fiat Voluntas Tua, serão o Evangelho, a base, a fonte inesgotável da qual todos tomarão a Vida Celestial, a felicidade terrena e a restauração da sua criação. Oh! como se sentirão felizes aqueles que com desejo beba a grandes goles nestas fontes de meus conhecimentos, porque elas contêm a virtude de levar a Vida do Céu e de banir qualquer infelicidade”.vol.23.29

Notas: Iniquidade no grego é (anomia), desprezo e violação da lei, iniquidade,maldade.
 Porque já o mistério da iniquidade opera; somente há um que agora o retém até que do
meio seja tirado 2 Tessalonicenses 2:7
++++++++++++++

PREDIÇÃO SOBRE O ESTADO DA IGREJA E O DESENVOLVIMENTO DA APOSTASIA.

Pedro 2:1-2 E também houve entre o povo falsos profetas, como entre vós haverá também falsos doutores, que introduzirão encobertamente heresias de perdição, e negarão o Senhor que os resgatou, trazendo sobre si mesmos
repentina perdição. E muitos seguirão as suas dissoluções, pelos quais será blasfemado o caminho da verdade.

2Timóteo 4:3-4 Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos; e se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se às fábulas.

Observe algumas profecias que se referem ao estado da igreja com o decorrer dos séculos, uma igreja que antes gozava de poderes de um amor verdadeiro, estaria vivendo uma situação tenebrosa, o Espírito profético nos apóstolos trouxe a eles essa revelação, havia uma expectativa muito grande de uma grande apostasia vir governar a igreja por isso nos primeiros séculos da igreja apostólica surgiram muitos apologistas para defenderem a fé cristã, vamos ver como isso se desenvolveu:

1º Século
Simão o mago, considerado o pai do gnosticismo. Atos 8:9-24 Ebion, ensinava o retorno ao judaísmo, e que Jesus não era divino.
Cerinto, outro gnóstico que entre outras coisas ensinava que o Deus demiurgo tinha criado os céus e não o Deus de Abraão e também não acreditava
na divindade de Jesus.

Notas: “Essa opinião seria bem confortável para Ebion, que defende que Jesus é um mero homem, e nada mais que um descendente de Davi. TERTULIANO. On The Flesh of Christ, cap.14

 Jesus, segundo Cerinto, não nasceu da Virgem, porque isto lhe parecia impossível, mas foi filho de José e de Maria de maneira semelhante à dos outros homens e sobressaiu entre todos Isso leva o apóstolo João a escrever uma defesa contra os gnósticos.

+++++++++++
2º século
Menander, sucessor de Simão o mago, dizia-se ser o messias.
Saturnino e Basílides ensinavam que os homens foram feitos por anjos.
Montano, afirmava ter o dom de profecia e que ele tinha sido enviado para inaugurar a era do paráclito (consolador de João 14).
Marcião, esse propunha dois deuses distintos, um mal da 1º aliança e um outro bom da 2º aliança
Carpócrates de Alexandria, esse fundou a seita gnóstica que só usava o livro de Hebreus e ensinava a reencarnação ou transmigração das almas. pela santidade, prudência e sabedoria. LIÃO, Irineu de. Contra as Heresias.5º ed. São Paulo. Paulus,2013,p 108.

Notas:  E que todos fechados em si mesmos não investigariam sobre os outros com os quais não têm parte nem comunicações; que não haveria um Deus de todas as coisas e seria eliminado o nome de Onipotente. Tudo isso vale também contra os discípulos de Marcião, de Simão, de Menandro… LIÃO, Irineu de. Contra as Heresias.5 ed. São Paulo. Paulus,2013,p 230.

– Outros dizem que o Pai de todas as coisas contém tudo, mas que o nosso mundo não é criação dele, e sim de alguma Potência ou de anjos que ignoravam o Pai, o qual estaria inscrito na imensidade do universo, como o centro no círculo ou a mancha no manto. Mostramos que não é verossímil que este mundo tenha sido feito por algum outro que não o Pai de todas as coisas. Tudo isso vale também contra os discípulos de Saturnino e de Basílides, . LIÃO, Irineu
de. Contra as Heresias.5º ed. São Paulo. Paulus,2013,p 230.

-Como o inimigo da Igreja de Deus é em último grau avesso ao bem e amante do mal e de forma alguma deixa de lado qualquer maneira de conspirar contra os homens, fez com que de novo brotassem estranhas heresias contra a Igreja. Destes hereges alguns, como serpentes venenosas, rastejavam pela Ásia e Frígia, vangloriando-se de ter como modelo Montano e nas mulheres de sua companhia, Priscila e Maximila, as supostas profetisas de Montano.

-CESARÉIA,Eusébio de. História Eclesiástica- Eusébio de Cesaréia. São Paulo, Novo Século, 2002, p 111.
– Sucedeu-lhe Marcião, originário do Ponto, ampliou a doutrina, blasfemando despudoradamente o Deus da Lei e dos profetas, chamando-o autor do mal, desejoso de guerras, inconstante nos sentimentos e em contradição consigo mesmo. LIÃO, Irineu de. Contra as Heresias.5º ed. São Paulo. Paulus,2013,p 109.

-Este Pai é o Criador do céu e da terra, como o provam as palavras do Filho e não o falso Pai inventado por Marcião, Valentim, Basílides, Carpócrates, Simão, ou os outros pseudognósticos.  LIÃO, Irineu de. Contra as Heresias.5º ed. São Paulo. Paulus,2013,p 381.
+++++++++++
3º século
Sabélio, o sabelianismo histórico ensinava que Deus Pai era a única existência verdadeira de Deus, uma crença conhecida como monarquianismo, ou seja existe apenas o pai e mais nada no universo de divino.

Paulo de Samósata, a acusação básica contra ele é a de que ele seria um adocionista, ou seja, em linhas gerais, ele teria afirmado que Jesus Cristo nascera meramente humano e, de alguma forma, teria sido divinizado no correr
de seu ministério.

 

Lembrando meus irmãos que eu não enumerei aqui todos os detalhes possíveis de todas as heresias específicas, porém apenas alguns pontos mais importantes dos mesmos, também não me dei o trabalho de inserir os nomes de todos os hereges pois esses aqui citados também fizeram os seus discípulos,
então apenas como um simples resumo eu coloquei aqui os pontos mais importantes da história da igreja, é digno de nota salientar que comumente aos heresiarcas também houveram os apologistas da fé cristã, os primeiros discípulos dos apóstolos e eles escreveram cartas e livros defendendo a fé cristã a vamos utilizá-los, para fundamentar e mostrar que a  semente da fé cristã, pregada e crida pela igreja do 1º século está bem distante, do que a igreja ensina hoje, mas fiquem calmos, tudo está no controle de Deus, ele sempre tem um plano de escape para a sua igreja, nós temos então como os primeiros escritores cristãos.

NOTAS:
-Ário, basicamente foi o que apregoou o ensino de que Jesus tinha sido criado em algum momento da eternidade, que impulsionou o concílio de Nicéia.
Lembrando meus irmãos que eu não enumerei aqui todos os detalhes possíveis de todas as heresias específicas, porém apenas alguns pontos mais importantes dos mesmos, também não me dei o trabalho de inserir os nomes de
todos os hereges pois esses aqui citados também fizeram os seus discípulos, então apenas como um simples resumo eu coloquei aqui os pontos mais importantes da história da igreja, é digno de nota salientar que comumente aos heresiarcas também houveram os apologistas da fé cristã, os primeiros discípulos dos apóstolos e eles escreveram cartas e livros defendendo a fé cristã a vamos utilizá-los, para fundamentar e mostrar que a
 -Sabelianismo, mesmo que uma justiça superficial seja feita ao Novo Testamento – e isso foi uma preocupação maior no século II do que no século XX – implica ou no mínimo coincide com o que foi chamado Patripassianismo, ou seja, que foi o Pai quem sofreu na cruz. CLARK,
Gordon H. The Trinity. 2º ed. Jefferson, Maryland (E.U.A.): Trinity Foundation, 1990. p 8-12.
– O Logos (Sabedoria) divino não é pessoal, isto é, dotado de hipóstase distinta, mas apenas uma dynamis, faculdade operativa de Deus: é a ordem e o comando com que Deus opera no mundo. SIMONETTI, M. Dicionário Patrístico e de Antiguidades Cristãs. 1º edição, Petrópolis: Vozes, 2002, p. 1117
– “O Deus de Ário é um Deus desconhecido, cujo ser se acha oculto em eterno mistério”
GWATKIN, Henry Melvil. The Arian Controversy: ed. New York, Bombay, and Calcutá 1908,
p.7
+++++++++++++++++


É bom lembrarmos que os pais apostólicos foram os que aprenderam diretamente dos apóstolos, e a grande preocupação deles era manter o exato evangelho e tradição que receberam, não estavam preocupados em elaborar um conteúdo teológico, mas manter o que eles tinham aprendido direto dos apóstolos, os pais da igreja pré Concílio de Niceia, tinham a preocupação além de manter o que tinham aprendido da primeira geração de discípulos dos apóstolos, e agora combater os hereges gnósticos, e os falsos documentos que eram escritos na época com a assinatura dos apóstolos, observemos os defensores da verdade que existiram de 65 d.C. até 185 d.C.

Epístola de Clemente aos Coríntios (entre 65 e 93 d.C.) Foi Bispo da Igreja de Roma de 91 a 100 d.C. companheiro e colaborado o apóstolo Paulo (Filipenses 4:3), Escreveu uma carta à Igreja dos Coríntios, que novamente se
encontrava em dissensões.
Epístolas de Inácio (ente 110 e 115 d.C.) Foi Bispo de Antioquia e discípulo de João, também conheceu o apóstolos Paulo, escreveu várias cartas às Igrejas enquanto ia para o martírio em Roma onde foi comido por leões.
Epístola de Policarpo aos Filipenses (cerca de 110 d.C.) Bispo de Esmirna, também discípulo de João e mártir. Era venerado e respeitado em toda a Ásia. Escreveu várias cartas das quais somente uma chegou aos nossos dias.
Epístola de Barnabé (entre 90 e 130 d.C.) Apesar do nome, não se pode provar que sua autoria seja de Barnabé companheiro de Paulo. Essa carta visava principalmente combater heresias judaizantes. Foi encontrada no manuscrito sinaítico da Bíblia, no fim do Novo Testamento.
Fragmentos de Pápias (cerca de 150 d.C.) Bispo de Hierápolis. Também martirizado, escreveu outras obras, as quais deixaram de existir já no terceiro século, restando apenas citações de Irineu e Eusébio.

Didaquê ou “ensino dos doze apóstolos” (entre 90 e 100 d.C.) De autoria anônima, esse documento é um dos mais antigos a retratar a vida cristã primitiva. É uma súmula doutrinária e litúrgica, escrita provavelmente na Síria.

Pastor de Hermas (entre 100 e 140 d.C.) Escrito em estilo alegórico dando ênfase ao arrependimento, a Igreja e a vinda de Cristo. Esse escrito gozou de alta estima entre os Pais da Igreja.

Justino Mártir (entre 150 e 160 d.C.) Desencantado com a filosofia, abraçou o cristianismo e o defendeu escrevendo duas “Apologias”. Também escreveu um diálogo com um judeu chamado Trifão, no qual defendeu o
messiado de Jesus. Seu martírio lhe conferiu o epíteto que segue o nome.

Teófilo de Antioquia (cerca de 180 d.C.) Sexto Bispo de Antioquia.
Contado entre os apologistas (defensores da fé) do segundo século. Apesar de tentar combater as heresias através dos próprios escritos filosóficos e mitológicos, é mais bem sucedido quando se atém às Escrituras, testemunhando
da fé autêntica ainda existente. Escreveu três livros endereçados a um tal Autólito.

Aristides de Atenas (cerca de 138 d.C.) Outro Apologista do segundo século. Escreveu uma defesa do Cristianismo ao Imperador Adriano. Só restam fragmentos deste documento.

Irineu de Lião (cerca de 185 d.C.) Foi Bispo de Lião, na Gália, e também mártir. Escreveu obra importante contra as heresias que surgiam em meio ao cristianismo, sendo a principal o gnosticismo. Foi discípulo de Policarpo e Pápias
e o último dos Pais da Igreja a defender biblicamente a verdade do Reino de Deus e a vinda de Cristo. Evitou a armadilha de defender a fé com a filosofia (caminho trilhado pela maioria dos escritores cristãos de sua época) e deixou como legado um testemunho mais que veemente da fé autêntica no Reino que, posteriormente, foi suplantada pela Apostasia da Igreja.

Esses brilhantemente defensores da fé cristã foram um escudo da fé nesse tempo, também foi um tempo de muitas perseguições contra os nossos irmãos, a igreja mesmo em tempos de muita apostasia ela conseguia manter os pontos mais importantes da fé cristã, e esse testemunho está documentado por Irineu de Lyon, bispo de Lyon na França e discípulo de Policarpo que foi discípulo direto do apóstolo João, ele em seu livro escreve:

“Tendo, portanto, recebido esta pregação e esta fé, como dissemos acima, a igreja, mesmo espalhada por todo mundo, as guarda com cuidado, como se morasse numa só casa, e crê do mesmo modo, como se possuísse uma só alma e um só coração, unânimente as prega, ensina e entrega, como se possuísse uma só boca. Assim, embora pelo mundo sejam diferentes as línguas, o conteúdo da tradição é um só e idêntico”.
Qual a importância dessa primeira parte do estudo, com todos esses dados históricos? É simplesmente mostrar que se tem um eco forte nos primeiros cristãos entre aqueles que foram discípulos diretos dos apóstolos.
Então como vimos à igreja recebia constante ataques de gnósticos e perseguições do império, porém isso dava mais poder a ela, como disse Tertuliano:
“O sangue dos mártires é a semente dos cristãos”.

Então eu postarei agora um documento do primeiro historiador cristão como ele enxergou a vida dos cristãos nesse período e observe que mesmo a meio toda essa celeuma herética e hecatombe devido as perseguições, a igreja ainda matinha muito das características da igreja dos apóstolos, Eusébio de Cesareia diz:

Irineu, coincidindo com as narrações que discutimos anteriormente nos livros que, em número de cinco, intitulou Refutação e destruição da falsamente chamada gnosis, esboça também estas coisas. No livro segundo da mesma obra assinala que, em algumas igrejas, persistiram inclusive até ele manifestações do maravilhoso poder divino. Ele o diz com estas palavras:
“Muito lhes falta para ressuscitar um morto, como fizeram o Senhor e os apóstolos mediante a oração e como se deu na comunidade de irmãos muitas vezes: por causa da necessidade, a igreja toda do lugar estava rogando com jejuns e repetidas súplicas, e o espírito do morto voltou, e o homem recebeu o favor pela graça das orações dos santos.”
E de novo, depois de outras coisas, diz:
“Mas se chegam a dizer que o Senhor fez tais prodígios apenas em aparência, então os faremos recorrer aos escritos proféticos e por estes lhes demonstraremos que assim está previsto sobre Ele, e que assim sucedeu com segurança e que somente Ele é o Filho de Deus. Por isso, também em seu nome os que são verdadeiramente seus discípulos recebem d’Ele a graça e a utilizaram em benefício dos demais homens, segundo o dom que cada um recebeu d’Ele.
Uns, efetivamente, expulsam firme e verdadeiramente os demônios, de modo que muitas vezes aqueles mesmos que foram purificados dos maus espíritos crêem e estão na Igreja; outros têm conhecimento antecipado do porvir, assim como visões e declarações proféticas;
outros ainda, curam os enfermos mediante a imposição das mãos e os restituem sãos; mais ainda, como dissemos, inclusive mortos foram ressuscitados e permaneceram conosco muitos anos. E para que mais?
Não é possível dizer o número de graças que por todo o mundo a Igreja recebeu de Deus em nome de Jesus Cristo crucificado sob Pôncio Pilatos e que cada dia utiliza em benefício dos pagãos, sem nunca enganar ninguém nem despojá-lo de seu dinheiro, porque gratuitamente o recebeu de Deus e gratuitamente o serve.”
E em outro lugar escreve o mesmo:
“Assim como também ouvimos que há muitos irmãos na Igreja que têm carismas proféticos e que por meio do Espírito falam em todo tipo de línguas, que põe a descoberto os segredos dos homens quando é proveitoso e que explicam os mistérios de Deus.”
Isto é o que há sobre a permanência dos diferentes carismas até os tempos mencionados entre os que deles eram dignos.

Desses intelectuais se destacaram muito como grandes defensores e apologistas da fé foram São Basílio, São Gregório Nissa e São Gregório Nazianzeno. E nos Concílios chegaram numa conclusão definitiva contra muitas heresias. Um exemplo fascinante de um dos grandes Concílios da Igreja que foi determinante para acabar com uma grande heresia difundida dentro da igreja, foi o de Nicéia, onde se lutou ferrenhamente por Santo Atanásio, São Nicolau, dentre outros contra o Arianismo, que afirmavam que Jesus não era realmente Deus. Nesse Concílio São Nicolau chegou a ser preso, e retiraram suas roupas de bispo. E por milagre extraordinário, as suas roupas foram restituídas na prisão de forma milagrosa ao mesmo, e assim foi restituído seu posto.

Pouco a pouco, o império romano foi assumindo a religião católica como religião do império. Santo Agostinho, quem declarou que o Império Romano iria cair, e não se sustentaria como estava. E ele afirma que a fé cristã permanece, e por isso escreveu sua regra, para que a cultura apesar da queda do Império seja preservada.

Os princípios essenciais da Regra de Santo Agostinho são:

Pobreza, a Castidade,a Obediência, o desapego do mundo, a repartição do trabalho, o dever mútuo de superiores e irmãos, a caridade fraterna, a oração, a abstinência comum e proporcional à força do indivíduo, o cuidado dos doentes, o silêncio, a leitura e a vida em fraternidade.

O título, Regra de Santo Agostinho, foi aplicado a cada um dos seguintes documentos:

  • Carta 221, dirigida para comunidades compostas por mulheres;
  • Sermões 355 e 356, intitulados “De vita et moribus clericorum suorum”;
  • Consortia monachorum, uma parte da Regra elaborada por clérigos;
  • Regula Secunda (Regra Segunda);
  • De vitâ eremiticâ ad sororem liber;

Infelizmente com o passar dos anos e por conta de muitas pressões a igreja cansada ela passa a mudar de comportamento.
“O reinado pacífico de Alexandre Severo fora motivo de maior mal para a causa cristã do que todas as perseguições juntas. No seu tempo, a igreja falta de zelo, começou a sentir-se cansada de estar em santa separação do mundo, e os bispos cristãos, ensoberbecidos pelo seu crescente poder e importância, aceitavam colocações na corte, e a acumular riquezas colossais. Foi então que os cristãos começaram a concordar com as filosofias da Grécia e de Roma, e encontraram estímulos para a sua fé declinante no misticismo ousado do Egito e da Arábia: e, portanto, ninguém se deve admirar de que, quando uma nova perseguição rebentou, muitos crentes verdadeiros desanimaram e manifestaram receios de que Deus os estava tratando conforme os seus pecados.

E se abre o caminho para a Idade Média. Onde houve a queda real do Império Romano. Nesse período, houve muitos desafios em meio às perseguições dos pagãos. Poucos homens heróicos se levantam para defender a fé. Surgem muitos livros para resgatar a tradição, nomes como Boécio dentre outros. Surge daí muitos países como França pelo Batismo de Clovis, após uma revelação divina; a Polônia é criada por uma união de cristãos que estavam sendo perseguidos; A Irlanda ganha sua identidade com ajuda de São Patrício; a Inglaterra com os beneditinos e São Gregório interferem muito na cultura desse tempo; em meio a um tempo chamada de idade das trevas, surgem grandes luzeiros na história do mundo cristãos que são os únicos que se dedicam ao estudo e cultura; Surgem daí a educação impulsionada pela Igreja, com grandes faculdades e escolas catedrais, que espalham a educação de base para todos os que puderam conceder.

Desse período de estudiosos, surge o grandíssimo intelectual São Tomás de Aquino, que incrivelmente mudou a história da Igreja. Porém, surge cada vez mais, imenso ódio contra a Igreja por parte dos rebeldes heréticos. Derivando muitas guerras religiosas resultando na Grande divisão da Cristandade. Grande combate ao Islã, que conquistam uma grande parte das regiões onde eram todas cristãs. Nesse período que houve as Grandes Cruzadas, buscando evitar essas conquistas do Islã sobre regiões antes totalmente cristãs, por exemplo Turquia antes totalmente católica; Istambul era a Constantinopla que era totalmente cristã, dentre muitas outras regiões de onde foram expulsos os cristãos. Porém, foi um período muito violento. E a conhecida Inquisição, nada mais era, um tribunal para julgar os que eram heréticos que matavam pessoas na época, como mulheres grávidas e eram linchados em público pelo povo. E a Inquisição buscava descobrir realmente se os que eram acusados de heresias, realmente assim o eram, para os entregarem para as autoridades civis.

Contudo isso, disseram que houve muitos abusos na Inquisição, porém, todo tribunal humano é falho. Mas devemos lembrar que a Revolução Francesa foi a que mais matou pessoas nesse período da história, que deu consequência à muitas ditaduras na história francesa. Um dos lemas da revolução francesa era matar todos os padres, pois eram plenamente contra a fé cristã.
Muitos cientistas foram cristãos católicos, até padres e religiosos e a Igreja fundou muitas universidades especializadas e hospitais. Fornecendo educação para a civilização humana.

Na modernidade, estamos acostumados a viver numa sociedade secular que exila a religião para a esfera privada. “Não falamos de Deus”, proclamou há alguns anos um político britânico de destaque. Nada poderia se opor mais à visão católica da sociedade tal como enunciada por Leão, particularmente em sua encíclica Immortale Dei. Embora a Igreja não tenha preferência por nenhum tipo de governo, toda autoridade na sociedade tem origem em Deus e está sujeita à lei divina.
Portanto, é terrível para a Igreja defender um conjunto de valores enquanto o Estado arvora-se em princípios completamente opostos aos dela. Na sociedade moderna, todas as religiões são tratadas igualmente como verdadeiras, falsas ou com indiferença. Mas para a Igreja católica, o que é vital para o homem é a prática de sua religião e a família como bases incontestáveis para o desenvolvimento social humano. O Século XX, é o século dos mártires, foi o período que mais assassinou cristãos como serem cristãos.
No século XXI, a religião é considerada irrelevante e o casamento, reduzido a uma “preferência de estilo de vida”; condições sociais e econômicas tornam cada vez mais difícil a obtenção de propriedade, enquanto as ideologias liberal e socialista continuam a atacar os valores da civilização cristã. Neste contexto, não podemos senão restabelecer a ligação com os valores apresentados por Leão XIII, os quais poderiam formar a base para a reconstrução de nossa sociedade destroçada e lançar as sementes de uma contrarrevolução cristã.

Observemos o que disse Jesus a Serva de Deus Luisa Piccarreta:

11-89 Março 7,1915 Castigos. Os filhos da Igreja serão seus mais ferozes inimigos.
(1) O pensamento dos flagelos e de que eu os pudesse fomentar por sair por mim do meu estado, trespassava-me o coração. O confessor continuava sem estar bem, e eu rezava e chorava, e não sabia decidir-me. O bendito Jesus vinha como relâmpago e fugia e me deixava livre. Finalmente, movido a compaixão veio e me compadecendo e me acariciando me disse:
(2) “Minha filha, tua constância me vence. O amor e a oração me amarram e quase me fazem guerra, por isso vim entreter-me um pouco contigo, não podendo resistir mais; pobre filha, não chores, eis-me aqui todo para ti, paciência, ânimo, não te abatas. Se tu soubesses quanto sofro, mas a ingratidão das criaturas a isto obriga-me, os pecados enormes, a incredulidade, o querer quase desafiar-me, e tudo isto é o mínimo, se te dissesse da parte religiosa, quantos sacrilégios! Quantas rebeliões! segurem-se. Quantos que se fingem filhos meus e são meus mais encarniçados inimigos! Estes falsos filhos são usurpadores, interessados, incrédulos, seus corações são cloacas de vícios, e estes filhos serão os primeiros a desencadear a guerra contra a Igreja e buscarão matar a sua própria Mãe, oh, quantos já estão prontos para libertá-la! Por agora a guerra é entre governos, nações, mas dentro de pouco farão guerra à Igreja, e seus maiores inimigos serão seus próprios filhos. Meu coração está dilacerado pela dor, mas apesar disso tolero que passe esta borrasca e que a face da terra, as igrejas, sejam lavadas pelo sangue daqueles mesmos que a sujaram e poluíram. Também tu junta-te à minha dor, reza e tem paciência enquanto vês passar esta tempestade”.
(3) Mas quem pode dizer a minha dor? Sentia-me mais morta que viva. Seja sempre bendito Jesus e seja feito sempre seu Santo Querer.

NOTAS:
LIÃO, Irineu de. Contra as Heresias. 5 ed. São Paulo. Paulus, 2013, p 62.
TERTULIANO, Dictionarium Sacrum seu religiosum, ADANS, Hanna. A dictionary of all religions, ancient and modern. 4º ed. James eastburn and company, at the Literary roons, córner of Broadway and Pine street N. York, 1817, p. 60
CESARÉIA, Eusébio de. História Eclesiástica, ed. Novo Século, São Paulo 2002, p 107-
++++++++++++++++++++++

 DEUS COMEÇA A RESTAURAR A SUA IGREJA

epois de onze séculos onde só se via a propagação do catolicismo, ressalvando alguns grupos que se levantam contra a igreja como os Cátaros, os Albigenses e Valdenses, a igreja começou uma verdadeira cruzada para poder fazer crescer a fé oficial de Roma. Vamos então mostrar agora como Deus começou a restaurar as suas verdades.

Através de Místicas Católicas como Santa Faustina Kowalka, Serva de Deus Luísa Piccarreta, Mística escritora Maria Valtorta, Serva de Deus Monja Maria Cecilia Baij, Santa Maria de Ágreda, dentre claro todos os Doutores e santos da Igreja católica que cada um colaborou para essa união de verdades reveladas nestes 2 mil anos de igreja.

E surpreendemente temos o mais conhecido local desse reavivamento do movimento da rua Azusa em 14 de Abril de 1906, que derivou para o mundo todo, então você vê que Deus não faz as coisas com apenas uma pessoa, ele usa filhos de todas as partes de diferentes lugares mas com o mesmo propósito, muita das vezes sem se conhecerem como foram os profetas, eles acabam agindo e falando das mesmas coisas. De onde nasce o Movimento : Renovação Carismática Católica.

Agora veja que interessante nós temos nesses 4 séculos de restauração.
Século XVI restauração da fé, Jesus o cordeiro pascoal que me salvou pela fé > Festa da páscoa.
Séculos XVII e XVIII restauração do avivamento, santificação no Espírito> Festa dos pães asmos.
Século XIV restauração dos dons espirituais > Festa de Pentecostes.
Século XX restauração do Evangelho do Reino > Festa das Trombetas.

Mateus 24:14 E será pregado este evangelho do reino por todo o mundo, para
testemunho a todas as nações. Então, virá o fim.

Século XXI restauração de todas as coisas > Festa dos Tabernáculos.

Então nós vemos que desde o século XVI Deus está trabalhando para restaurar a sua igreja paulatinamente, primeiro vem a fé, depois a santificação e os dons espirituais, estamos no tempo das trombetas onde Deus está despertando para algo novo nesse tempo um grande avivamento, e por fim a festa dos tabernáculos que é Deus habitando com os homens, então Deus deixou esse calendário para nós, que são os ciclos das festas para enxergarmos do alto o seu plano para a igreja, existe um interesse de Deus nos mostrar muitas coisas da sua palavra vide Daniel que queria entender, porém Deus foi enfático ao dizer que não iria revelar nada a ele, que isso estava reservado apenas para o tempo do fim é nesse tempo que o Senhor tem preparado para nós uma
palavra reveladora, todos os eventos a seguir são revelados aos seus profetas ele não faz nada sem os avisar antes, e esses dias serão tão maravilhosos que Jesus falou para os seus discípulos:

Lucas 17:22- Então disse aos discípulos: Virá tempo em que desejareis ver um dos dias do Filho do homem, e não o vereis.

Interessante ele falar isso porque um pouco antes ele tinha dito o seguinte:

Lucas 10:24- Pois vos digo que muitos profetas e reis desejaram ver o que vedes, e não no viram: e ouvir o que ouvis, e não no ouviram.
Então o que temos aqui são duas declarações interessantíssimas primeiro que tudo que eles viram e ouviram era desejado pelos profetas e pelos seus servos antes da vinda dele, mas chegará um tempo tão especial que vai ser
superior ao que eles estavam vivendo, pois nem eles vão experimentar isso, eles estavam vivendo dias que os seus antepassados desejariam viver mas não viveram, e chegará um tempo em que nós estaremos vivendo que eles
desejariam viver mas não poderão, com certeza isso não se refere a sua vinda pois eles viverão esse momento, então o que nos aguarda que eles não poderão participar, que vai ser um dia maior que eles viveram?

NOTAS:
 Daniel 12:8-9 “Eu ouvi, porém não entendi; então, eu disse: meu senhor, qual será o fim destas coisas? Ele respondeu: Vai, Daniel, porque estas palavras estão encerradas e seladas até ao tempo do fim.”

Com certeza Adonai, o SENHOR Soberano, não realizará nada sobre a terra sem primeiro revelar o seu desígnio aos seus servos escolhidos, os profetas. Amós 3:7

Para Jesus conseguir restaurar a Igreja, Ele então disse a Serva de Deus Luisa Piccarreta o que está agora fazendo, por isso, acompanhemos os textos ditados a ela:

3-1 Novembro 1, 1899 Purificação da Igreja. As almas vítimas são o seu sustento

(1) Encontrando-me no meu estado habitual, encontrei-me fora de mim mesma, dentro de uma igreja, e ali estava um sacerdote que celebrava o divino sacrifício, e enquanto isso fazia chorava amargamente e dizia: “A coluna da minha Igreja não tem onde apoiar-se”.

(2) No momento em que dizia isto vi uma coluna, cujo cume tocava o céu, e abaixo desta coluna estavam sacerdotes, bispos, cardeais e todas as outras dignidades que sustentavam essa coluna, mas com minha surpresa, ao olhar vi que destas pessoas, quem era muito fraco, quem era meio acabado, quem era doente, quem era cheio de lama; escassíssimo era o número daqueles que se encontravam em estado de sustentá-la, assim que esta pobre coluna, tantas eram as sacudidas que recebia por baixo, que cambaleava sem poder estar firme. Até acima desta coluna estava o Santo Padre, que com correntes de ouro e com os raios que despedia de toda sua pessoa, fazia quanto mais podia para sustentá-la, para acorrentar e iluminar as pessoas que moravam na parte baixa, Embora alguma escapasse para ter mais oportunidade de degradar-se e enlamear-se , e não só a estas pessoas mas que tratava de atar e iluminar a todo o mundo. (3) Enquanto eu via isto, aquele sacerdote que celebrava a missa (embora tenha dúvidas se e sacerdote ou Nosso Senhor, parece-me que era Ele, mas não sei dizer com certeza), chamou-me junto a Ele e disse-me:
(4) “Minha filha, olha em que estado lamentável se encontra minha Igreja, as mesmas pessoas que deviam sustentá-la, desfalecem, e com suas obras a abatem, golpeiam-na, e chegam a denegri-la.
O único remédio é que faça derramar tanto sangue, até formar um banho para poder lavar esse purulento lodo e curar suas profundas chagas, para que sanadas, reforçadas, embelezadas por esse sangue, possam ser instrumentos hábeis para mantê-la estável e firme”. Depois acrescentou:
“Chamei-te para te dizer: Queres tu ser vítima e assim ser como uma escora para segurar esta coluna em tempos tão incorrigíveis?”.
(5) Eu, em princípio, senti um arrepio correr por medo, e porque possivelmente não teria a força, mas logo me ofereci e pronunciei o Fiat. Enquanto estava nisto, encontrei-me rodeada por muitos santos, anjos e almas purgantes que com flagelos e outros instrumentos me atormentavam; e eu, embora no princípio sentisse temor, mas depois, quanto mais sofria, tanto mais me vinha o desejo de sofrer e saboreava o sofrer, como um dulcíssimo néctar. E muito mais porque me veio um pensamento: “Quem sabe se essas penas pudessem ser meios para consumir a vida, e assim poder empreender o último vôo para meu sumo e único Bem”. Mas com muita pena, depois de ter sofrido acerbas penas, vi que essas penas não me consumiam a vida. ¡¡ Ó Deus, que pena, que esta frágil carne me impeça de unir-me com meu Bem Eterno!
(6) Depois disto, vi o massacre sangrento que se fazia daquelas pessoas que estavam debaixo da coluna. Que horrível catástrofe!
Escassíssimo era o número dos que não caíam vítimas, chegavam a tal atrevimento, que tentavam matar o Santo Padre. Mas depois parecia que aquele sangue derramado, aquelas sangrentas vítimas destroçadas, eram meios para fazer fortes aqueles que ficavam, de modo que sustentavam a coluna sem fazê-la balançar mais. ” Oh, que dias felizes!. Depois disso despontavam dias de triunfos e de paz, a face da terra parecia renovada, a coluna adquiria seu primeiro brilho e esplendor. ¡ Oh dias felizes, de longe eu vos saúdo, pois tanta glória dareis à Igreja e tanto honra a Deus que é sua Cabeça!
+++++++++++++++++++

4-82 Setembro 2, 1901 Jesus fala da Igreja e da sociedade presente.

(1) Esta manhã o meu adorável Jesus fazia-se ver unido com o Santo Padre e parecia que lhe dizia:
(2) “As coisas até aqui sofridas não são mais que tudo o que Eu passei desde o princípio de minha Paixão até que fui condenado à morte; meu filho, não te resta outra coisa que levar a cruz ao Calvário”.
(3) E enquanto dizia isto, parecia que Jesus bendito tomava a cruz e a colocava sobre as costas do Santo Padre, ajudando-o Ele mesmo a levá-la. Agora, enquanto isso, ele agregou:
(4) “A minha Igreja parece estar a morrer, especialmente no que diz respeito às condições sociais, que aguardam ansiosamente o grito de morte; mas coragem, meu filho, depois de teres chegado ao monte, quando levantarem a cruz, todos tremerão e a Igreja deixará o aspecto de moribunda e recuperará o seu pleno vigor. Só a cruz será o meio para isto, como só a cruz foi o único meio para preencher o vazio que o pecado tinha feito e para unir o abismo de distância infinita que havia entre Deus e o homem, assim nestes tempos só a cruz fará levantar a fronte da minha Igreja, corajosa e resplandecente para confundir e pôr em fuga os inimigos”.

(5) Dito isto desapareceu, e depois de um pouco voltou meu amado Jesus, todo aflito, e continuou dizendo: (6) “Minha filha, quanto me dói a sociedade presente, são meus membros e não posso fazer menos do que amá-los; acontece-me como a um tal que tivesse um braço, uma mão infectada e chagada, talvez a odeie, a abomine? Ah! Não, mas procura-lhe todos os cuidados, quem sabe quanto gaste para ver-se curado, e enquanto não chega a obter a cura é causa de fazê-lo sofrer todo o corpo, de tê-lo oprimido, afligido. Assim é minha condição, vejo meus membros infectados, chagados, e por isso sinto dor e pena, e por isso me sinto mais atraído a amá-los. Oh, como é diferente meu amor das criaturas! Eu sou obrigado a amá-las porque são coisa minha, mas elas não me amam como coisa delas, e se me amam, me amam por seu próprio bem”.

(7) Depois disso desapareceu e eu me encontrei em mim mesma.

+++++++++++++++++++++++
4-177 Fevereiro 9, 1903 Os bens da Igreja Católica, e os males dos protestantes.

(1) Esta manhã, encontrando-me fora de mim mesma via o confessor com outro sacerdote santo, o qual dizia: “Tira todo pensamento de que não é Vontade de Deus tua situação”.
(2) Depois falou sobre estes protestantes que dizem de Corato, e disse: “Pouco ou nada farão, porque os protestantes não têm o anzol da verdade para pescar os corações, como tem a Igreja Católica, lhes falta o barco da verdadeira virtude para colocá-los a salvo, estão desprovidos de velas, de remos, de âncora, que são os exemplos e ensinamentos de Jesus Cristo, e chegam a não ter nem um pão para tirar a fome, nem água para tirar a sede e lavar-se, como são os sacramentos, e o que é mais, falta-lhes até o mar da Graça para poder ir pescar almas. Então, faltando tudo isso, que progressos poderão fazer?” E disse tantas outras coisas que eu não sei repetir bem. Depois veio meu amável Jesus e me disse:
(3) “Minha filha, quem me ama fixa-se de frente ao centro Divino, mas quem se resigna e faz em tudo a Vontade Divina, possui em si mesmo o centro da Divindade”.
(4) E como relâmpago desapareceu. Pouco depois voltou, e eu lhe estava agradecendo pela Criação e Redenção e por tantos outros benefícios. E Ele acrescentou:
(5) “Na Criação formei o mundo material, e na Redenção formei o mundo espiritual”.

+++++++++++++++++++++++++

Volume 10 12 Janeiro 8, 1911 A família mata o padre. O interesse é a traça do padre.

(1) Agora, por obedecer, escrevo coisas passadas e explico sobre estas reuniões de sacerdotes que o bendito Jesus quer. Tendo vindo um santo sacerdote no passado mês de Novembro, e tendo-me pedido que perguntasse a Jesus o que queria dele, o meu sempre amável Jesus disse-me:
(2) “A missão do sacerdote escolhido por Mim será alta e sublime, trata-se de salvar a parte mais nobre, mais sagrada, que são os sacerdotes, que nestes tempos se tornaram o escárnio das nações. O meio mais adequado seria formar estas casas de reunião de sacerdotes para separá-los da família, porque a família mata o sacerdote; estas casas ele deve promovê-las, estimulá-las, mesmo que tenha que ameaçar. Se me salvar a estes, salvou a todos os povos”.
(3) Depois tive quatro comunicações de Jesus com respeito a estas reuniões, as escrevi e as dei ao sacerdote, por isso não acreditava necessário repeti-las em meus escritos, mas a obediência quer que as escreva, e eu faço o sacrifício:
(4) 1.- Meu adorável Jesus me disse: “A missão que lhe darei é alta e sublime, de modo especial pelos sacerdotes. A fé nas pessoas está quase apagada, e se há alguma chama está como escondida sob as cinzas; a vida dos sacerdotes e seus maus exemplos, a vida quase toda secular e talvez pior ainda, se dão a mão para fazer morrer aquela chama, e o que será das nações? Por isso o chamei, a fim de que se interesse por minha causa, e com o exemplo, com a palavra, com as obras e com o sacrifício, ponha um remédio. O remédio mais adequado, mais oportuno e eficaz seria formar as casas de reunião dos sacerdotes nos diferentes povos, separá-los da família, porque a família mata o sacerdote e lança nas nações trevas de interesse, trevas de apreciação de coisas mundanas, trevas de corrupção, em suma, tira-lhe todo o brilho, o esplendor da dignidade sacerdotal e faz-no tornar-se o escárnio do povo. Eu lhe darei intrepidez, valor e graça se se põe à obra”.
(5) Além disso, parecia que o bendito Jesus lhe embelezava o coração, hora de amor e hora de dor, fazendo-o participante das suas penas.
(6) 2.- Continua meu sumo e único bem dizendo-me o grande bem que viria à Igreja com formar estas casas de reunião: “Os bons se tornarão melhores; os imperfeitos, os mornos, os enfraquecidos, se tornarão bons; os maus sairão para fora, e então tenho aqui crivado e purificado o corpo dos ministros da minha Igreja, e ficando purificada a parte mais eleita, mais sagrada, as pessoas serão reformadas”.
(7) Enquanto estava nisto, via ante minha mente como dentro de um quadro a Corato, e a os sacerdotes que deviam colocar-se à frente da obra, mas dirigida pelo padre G., os sacerdotes parecia que eram dom C., D., B., e D., C., F., seguidos por outros, e parecia que deviam colocar parte de seus pertences. E o meu amável Jesus acrescentou:
(8) “É necessário organizar bem a coisa para não fazer fugir a nenhum, e procurar-lhes os meios necessários para não oprimir o povo; para isto eis o pagamento, as entradas da paróquia, há que comprometer estes que farão parte destas reuniões, e eles manterão o coro e todos os outros ofícios pertencentes a seu ministério. No princípio se levantarão contradições e perseguições, mas, na maior parte dos casos, dentro dos próprios sacerdotes, mas logo as coisas mudarão e o povo estará com eles, e com as mãos cheias os proverão e gozarão a paz e o fruto de suas fadigas, porque a quem está Comigo, Eu permito que todos estejam com eles”.
(9) Depois, o meu sempre amável Jesus lançou-se nos meus braços, todo aflito e suplicante, tanto de comover às mesmas pedras, e disse:
(10) “Diz ao padre G. que lhe peço, suplico-lhe que ajude a que se salvem, e que não deixe perecer os meus filhos”.
(11) 3.- Continua meu sempre amável Jesus sobre o mesmo argumento. Estando presentes os pais viam o Céu aberto e a meu adorável Jesus e a Celestial Mãe que vinham a mim, e aos santos que do Céu nos olhavam, e meu benigno Jesus dizia:
(12) “Minha filha, diz ao padre G. que absolutamente quero a obra; já começam a colocar dificuldades, diz-lhe que não se necessita outra coisa que lance, coragem e desinteresse, é necessário fechar os ouvidos a tudo o que é humano e abri-los ao que é divino, de outra maneira as dificuldades humanas serão a rede que os enredará, de tal maneira que não saberão sair fora, e Eu justamente os castigarei convertendo-os os trapos dos povos; mas se em troca prometem pôr-se à obra, Eu serei tudo para eles, e eles não serão outra coisa que as sombras que seguirão a obra tão desejada por Mim, e não só, senão que terão outro grande bem, porque é necessário que a Igreja seja purgada e lavada com o derramamento de sangue, porque muito, muito se sujou, tanto, de me dar náuseas; e onde se purifiquem neste modo, Eu evitarei o sangue, o que mais querem?”.
(13) Depois, virando-se como se olhasse para um sacerdote acrescentou:
(14) “Eu escolho-te a ti por cabeça desta obra por ter posto em ti um germe de coragem, isto é um dom que te dei, e este dom não quero que o tenhas inútil, até agora o desperdiçaste em coisas frívolas, em loucuras e em política, e estas te pagaram te amargurando e não te dando jamais paz;
agora basta, basta, põe-te à minha obra, põe o valor que te dei tudo para Mim, e Eu serei tudo para ti e te pagarei dando-te paz, graça, e te farei adquirir aquela estima que foste buscando no passado Volume 10 14 e não a obtiveste, é mais, não te darei a estima humana, senão a divina”.
(15) Depois disse ao padre G.: “Meu filho, coragem, defende a minha causa, sustenta, ajuda aqueles sacerdotes que vires um pouco dispostos para esta obra, promete todo bem em meu nome àqueles que se metem, ameaça aqueles que suscitam contradições e obstáculos. Diga aos bispos e aos chefes que se querem salvar o rebanho, este é o único meio, toca a eles salvar os pastores, e aos pastores cabe salvar o rebanho, e se os bispos não põem a salvo os pastores, como pode o rebanho ser salvo?” (16) 4.- Havendo eu entendido as dificuldades dos sacerdotes em formar as casas de reunião, rogava ao bom Jesus que, se fosse sua vontade que isto fosse feito, eliminasse todos os obstáculos que impediam tão grande bem, e o meu adorável Jesus ao vir me disse:
(17) “Minha filha, todos os obstáculos vêm de que cada um olha as coisas segundo suas próprias condições e disposições, e naturalmente mil laços e obstáculos encontram que lhes impedem o passo, mas se olharem a obra segundo minha honra, minha glória, e o só bem de suas almas e das almas dos outros, todos os laços ficariam quebrados e os obstáculos desvanecidos. Não obstante, se eles se filiarem Eu estarei com eles e os protegerei tanto, que se algum sacerdote quiser opor-se e dificultar minha obra, estou disposto a tirar-lhe ainda a vida”.
(18) Depois meu sempre amável Jesus acrescentou todo aflito: “Ah minha filha, você sabe qual é o obstáculo mais impenetrável e o laço mais forte? É o interesse, o interesse é a traça do sacerdote, porque o torna madeira podre apto só para ser queimado no inferno. O interesse volta ao sacerdote o brinquedo do demônio, o ridículo do povo e o ídolo das próprias famílias, por isso o demônio porá muitos obstáculos para impedir que façam isto, porque vê a rede que os mantinha atados e escravos em seu domínio. Por isso diga ao padre G. que infunda valor a quem veja disposto, que não os deixe se não vê a obra encarrilhada, de outra maneira começarão somente a fazer projetos e não concluirão nada. Diga também aos bispos que não aceitem ordenações de outros, se não estiverem dispostos a viver segregados da família; diga-lhes também que muitos o ferirão zombando dele e desacreditando-o, mas que ele não lhes dê importância, todo o sofrimento lhe será doce se for por minha causa”.
+ + + +++++++++++
13-50 Janeiro 11, 1922 As almas que vivem no Divino Querer, serão ao corpo místico da Igreja como pele ao corpo, e levarão a todos os seus membros a circulação de vida.
(1) Encontrando-me em meu habitual estado, estava pensando no Santo Querer Divino e dizia entre mim: “Todos os filhos da Igreja são membros do corpo místico, do qual Jesus é a cabeça; qual será o lugar que ocuparão as almas que fazem a Vontade de Deus neste corpo místico?” E Jesus, sempre benigno, ao vir me disse:
(2) “Minha filha, a Igreja é meu corpo místico, do qual Eu me glorio de ser a cabeça, mas para poder entrar neste corpo místico os membros devem crescer a devida estatura, de outra maneira deformariam meu corpo; mas ai! quantos não só não têm a devida proporção, senão que estão putrefatos, chagados, tanto que dão asco a minha cabeça e aos outros membros sãos. Agora, as almas que vivem em meu Querer ou viverão, serão ao corpo de minha Igreja como a pele ao corpo; o corpo contém pele interna e pele externa, e como na pele está a circulação do sangue que dá vida a todo o corpo, e é em virtude desta circulação que os membros atingem a devida estatura, se não fosse pela pele e pela circulação do sangue, o corpo humano seria horrível à vista e os membros não cresceriam a devida proporção. Veja então quanto me são necessárias estas almas que vivem em meu Querer, tendo-as destinado como pele ao corpo de minha Igreja e como circulação de vida a todos os membros, serão elas que darão o devido crescimento aos membros não crescidos, as que curarão os membros chagados e as que com seu contínuo viver em meu Querer restituirão o frescor, a beleza, o esplendor a todo o corpo místico, fazendo tudo igual à cabeça, que reinará com toda majestade sobre estes membros. Eis por que não poderá chegar o fim dos dias se não tenho estas almas 56 que vivam como perdidas em meu Querer, elas me interessam mais que tudo. Que ridículo faria este corpo místico na Jerusalém celestial sem elas! E se isto é o que me interessa mais que tudo a Mim, também deve interessar-te mais que tudo a ti, se me amas, e eu, de agora em diante darei a todos teus atos feitos em meu Querer virtude de circulação de vida a todo o corpo místico da Igreja, como circulação de sangue ao corpo humano, teus atos estendidos na imensidão de meu Querer se estenderão sobre todos, e como pele cobrirão estes membros, dando-lhes o devido crescimento, por isso seja atenta e fiel”.
(3) Depois estava rezando toda abandonada no Querer de Jesus, e quase sem pensar disse:
“Meu amor, tudo em teu Querer: minhas pequenas penas, minhas orações, meu batimento, meu respiro, tudo o que sou e posso unido a tudo o que és Tu para dar o devido crescimento aos membros do corpo místico”. Jesus ao ouvir-me, mais uma vez fez-se ver e sorrindo de satisfação acrescentou:
(4) “Como é bonito ver no teu coração as minhas verdades como fontes de vida, que imediatamente têm o seu desenvolvimento e o efeito para o qual se comunicaram. Por isso, corresponde, e Eu terei a honra de que assim que veja desenvolvida uma verdade, uma nova fonte de verdade farei surgir”.
+++++++++++++++++++++++

 

 

Compartilhe a Divina Vontade