9º MEDITAÇÕES DO ANJO DA GUARDA DE MARIA VALTORTA


TERCEIRO DOMINGO DEPOIS DA PÁSCOA

Introdução: Sal 66 (65): 1-3
Colete: Senhor, mostras aos que estão errados a luz da tua verdade, para que possam voltar ao caminho da justiça; conceder a todos os que se professam
Cristãos para que rejeitem o que é contrário a esse nome e sigam o que está em consonância com ele. Por meio de nosso Senhor.
Epístola: IP 2: 11-19
Aleluia pascal: Sl 111 (110): 9; Lc 24:46
Evangelho: Jo 16: 16-22
Ofertório: Sal 146 (145): 2
Segredo: Que esses mistérios sagrados, Senhor, nos capacitem a subjugar os desejos mundanos e aprender a amar as coisas do céu. Por meio de nosso Senhor.
Comunhão: Jo 16:16
Pós-comunhão: Que os sacramentos que recebemos, Senhor, te imploramos, sejam um alimento vivificador para nossas almas e uma proteção para nossos corpos.
Por meio de nosso Senhor.
12 de maio de 1946
Azarias diz:
“Seria, de fato, adequado para toda a Terra cantar louvores ao Senhor com uma voz exultante. Mas se, com as faculdades que
lhes foram concedidas, os mais baixos da Terra o fazem, pois simplesmente realizar aquilo para o que se foi criado é também
cantar louvores a Deus, o Criador, o rei do homem da Terra – o rei das criaturas animais, mestre e explorador dos reinos animal,
vegetal, aquoso e mineral – é incapaz de fazê-lo. Nem com ordem, nem com amor. Ordem, por meio da natureza animal, que o
coloca em pé de igualdade com todas as espécies criadas com a matéria, deixando-o em primeiro lugar na escala dos que vivem na
Terra. Amor, pela natureza espiritual com que Deus o dotou para torná-lo semelhante a Si mesmo, este anel que une a
materialidade dos brutos e a espiritualidade dos anjos, este ser para quem Deus reservou uma vida imortal, como o que é
participação em Deus, para quem Ele criou um Reino de bem-aventurança eterna, não pode perecer no nada.
“O homem viola a ordem, toda a ordem. Portanto, ele também viola o amor. Pois a desordem é o ódio,
levando a obras prejudiciais aos irmãos e negligente para com Deus. mal, quem faz mal a seus irmãos, usando
o superior em inteligência com a qual está dotado para causar dano, quem, quem, por pouco tempo se acreditando um pequeno deus, nessa época
for incapaz de homenagear a Deus e obediência, mostra que infringe a ordem e, portanto, está desordenado e demonstra que
odeia seus semelhantes e odeia a Deus, prejudicando os primeiros e ofendendo a Deus de mil maneiras.
«A Liturgia recorda este dever do homem, como vivente na terra, de amar e louvar ao Senhor, o primeiro entre as formas de
amor reverente por Aquele que é digno de todo o louvor, ato prudente que, ao recordar o intelecto do pensamento de Deus,
impede todo o ser do homem de realizar obras que só quem não tem fé pode realizar. Mas muito poucos aceitam o conselho, o
convite litúrgico, e a Terra carece de muitas vozes humanas no coro da criação ao seu Criador. O mais belo as vozes no imenso coro
são escassas, pois muitos homens se esquecem de que existem porque Deus as mantém.
“No tempo do salmista, as obras da Criação ainda eram reconhecidas como sendo de Deus. O homem agora nega até mesmo
estas. E este ser, que é incapaz de criar por si mesmo um único caule de feno delgado, mas inocente e útil, nega a Deus o atributo
de Criador, freqüentemente substitui a Matéria pesada e obscura no lugar de Deus, o Luminoso e, repetindo a frase maldita, ‘Como
você, eu sou’, a frase do Rebelde, consegue ser o criador da morte e da dor, tirando das coisas criadas por Deus, que ‘eram boas’,
os elementos para criar o que ‘não é bom’, o que é tormento e alienação.
“Como nos dias do salmista, porém, enquanto com suas obras e seus pensamentos vão contra Deus, contra pedido,
contrapaz, e contra tudo, é claro que também vão contra a sinceridade e, por hipocrisia, cálculo e baixeza, adulam Deus
com falsas celebrações utilitárias, destinadas a enganar os outros e dignas de ofender a Deus mais do que qualquer
ausência honesta de culto. .
“Ó hipócritas que sempre dizem, ‘Deus! Deus!’ enquanto exclama J! P’in seus corações;sua obras cobrem a Terra. Mas com o
quê? Com ruínas, dor, morte! A sublime terribilidade de Deus deu ‘coisas boas’ em seu terrível Poder, de acordo com o antigo
modo de expressar a grandiosidade ou perfeição de um poder; Ele os deu em seu poder infinito, de acordo com a expressão
adequada de reconhecimento de Deus. E essas obras, terríveis em poder, feitas por Deus, cobriram a Criação com coisas, seres,
elementos, ajudas, leis naturais e leis sobrenaturais que proporcionam edificação, contentamento e vida.
“Este é o homem sem Deus, pois não tem caridade para com Deus nem com os irmãos, fazendo suas obras, verdadeiramente
terríveis no sentido atual da palavra, terríveis, cruéis, que destroem o que Deus fez, atropelam todo direito e todo dever,
ridicularizar todas as leis naturais e sobrenaturais, anular o amor e causar ruína, dor e morte.
“O homem pode controlar esta avalanche de ímpios? Ele pode individualmente, não cooperando com ela, isto é, liderando uma
verdadeiramente Vida cristã de ordem, justiça e amor. E Deus ajuda esses dispostos, dando-lhes todos os meios para viver com ordem,
justiça e amor.
“Ele lhes concede Graça pelos méritos de Cristo, sustenta-os com os Sacramentos, amplia a Fé com as provas da Verdade e do Amor de
Deus. E, desde o nascimento do homem até sua morte, Ele nada faz senão continuar essas ajudas e outras ainda , todas elas sobrenaturais,
entre as quais não menos importante está o ministério angelical, para fazer o homem chegar à morte na graça e na paz para receber a
glória eterna.
“Ele pode fazer isso coletivamente juntando-se a seus outros irmãos com uma irmandade benevolente. Uma sociedade cristã
contra uma sociedade anticristã, uma família de filhos fiéis ao Pai contra uma família de filhos degenerados que abandonaram o
Pai das Luzes para escolher o pai das Trevas como seu pai.
“Mas o homem é tão fraco que sua vontade não é suficiente para oferecer resistência à força do Mal, que em mil formas percorre o
mundo e o corrompe, e corrompe as almas, seja definitivamente
ou por sequestros, com assaltos repentinos. O homem sozinho não pode resistir a Satanás, pois Satanás é você mesmo e a carne e o
mundo. E, então, vamos rezar, anjos, junto com vocês, homens bons, pedindo ao Todo-Poderoso, que deu aos errantes o que eles precisam
para voltar aos caminhos da justiça, para conceder aqueles que já estão neste caminho – mas quem pode ser arrancados dela por alguma
armadilha ou alguma curva de sua vontade – o que eles precisam para ter a força para rejeitar tudo o que é contrário à vida cristã e praticar
o que está em conformidade com ela, com firmeza e constância até o fim- isto é, peçamos que Deus conceda sua ajuda. Com a ajuda do
Senhor, os fracos se tornam fortes; o medroso, heróico; o sensual, temperante; e a Justiça é alcançada, e as pessoas se mantêm e vivem
nela, pois mesmo que alguém caia em uma violência De assalto, através de uma sonolência espiritual momentânea, vemos que com a ajuda de Deus ele rapidamente se levanta e segue
em direção à meta: o paraíso.
“E agora meditemos nos ensinamentos de Pedro, que pode falar como um mestre, tanto pela sua experiência humana
como porque foi instruído pela Palavra e iluminado pelo Espírito Paráclito para que pudesse ser o mestre perpétuo da
Apostólica Igreja.
“Simão de Jonas, de Cafarnaum, Cefas de Nosso Senhor Jesus, pode falar aos homens como um homem que procurado e foi
capaz para se tornar um Apóstolo e como um Apóstolo sobre quem a Chama Pentecostal desceu para consagrá-lo ao ensino
perfeito.
“Você já meditou, ó alma minha, sobre o símbolo daquela língua de fogo que – você o viu – repousava sobre a cabeça de cada
um dos Apóstolos enquanto coroava a Mulher Santíssima com uma coroa? você o compreende. Geralmente é dito: na forma de
uma chama para ser perceptível aos apóstolos e para significar amor e luz. Sim, isso, também – mas não apenas isso.
“O Paráclito poderia ter – e teria bastado – vindo na ‘grande rajada de vento’ e penetrado no Cenáculo – onde o Rito
Eucarístico já havia sido cumprido: a doação de Deus feito Carne aos seus fiéis para que Ele estar neles mesmo
depois da separação e eles não seriam abandonados por seu amado Mestre; Ele poderia ter penetrado e
permanecido, um globo de esplendor maravilhoso para iluminar as mentes que deveriam falar ao mundo do Deus
Verdadeiro e de seu Cristo.
“Mas o Paráclito não se limitou a isso. Ele também, como o Verbo Encarnado, quebrado e gaue a si mesmo, em uma
comunhão, em um derramamento e doação de seus dons de sabedoria, inteligência, conselho, ciência, fortaleza, piedade e
temor de Deus, assim como Jesus se deu em corpo e sangue, alma e divindade. E visto que, apesar da sanguinária e
santíssima lavacre no Sangue do Cordeiro, que lhes tinha purificado as almas, mas não destruído a sua humanidade – que
teve de lutar por conta própria e evoluir para a espiritualidade perfeita – essa humanidade permaneceu, mesmo depois do
Ressurreição, pesada e maçante, Amor Inefável, o Criador junto com o Pai e o Filho – pois a União e a Vontade dos Três que
se amam divinamente são inseparáveis e desejados para criar o novo homem apostólico, quando o Pai no devido tempo já
o havia criado para a vida e o Filho para a graça. O Paráclito, agindo sobre essas duas criações, queria completar
e aperfeiçoá-los, queimando as escórias mais pesadas e venenosas remanescentes na humanidade do homem apostólico,
situadas na cabeça, onde os cinco sentidos se unem a serviço da sensualidade material, onde se encerra o órgão que
preside as sensações e transmitindo-os aos órgãos mais remotos, e onde está o agente do pensamento. A cabeça: o ápice
do homem, o único animal que fica ereto, quase como se para testemunhar sua realeza, e que, por sua erecção, parece
simbolizar o fato de que, como o sol reina mais nos picos e nos parafusos de eletricidade natural desce, então ele, o ápice
da criação, reúne sobre si o divino Sol e recebe os comandos e confortos sobrenaturais maravilhosos de seu Pai que está
nos céus.
“Mas na cabeça, às vezes, e muito freqüentemente, informada com pesadas lajes de sensualidade tripla, o Sol Divino e as mensagens do Pai não
podem entrar enquanto os vapores corruptos de uma humanidade corrupta sobem.
“Ele, o Santíssimo Mestre, disse: ‘É do coração que vêm os maus pensamentos, homicídios, roubos,
adultérios, fornicações, falsos testemunhos, invejas e blasfêmias.’ , para a cabeça, produzindo pensamentos
perturbadores que são então transmitidos aos órgãos executivos.
“Mesmo se nos apóstolos não houvesse homicídios, roubos, adultérios, fornicações, falso testemunho e blasfêmias, que
multidão menor de deficiências menores – mas ainda indigna de mestres espirituais – estava neles e poderia crescer, por orgulho
de ser senhores e auxiliados de maneira extraordinária pelos extraordinários dons de Deus! Quantos caem em descrédito por isso!
Em quantos os extraordinários dons são uma ruína!
“Deve-se dizer, na verdade, que a seleção dos espíritos se realiza por causa do pecado, mas pode-se afirmar que não só pela
escuridão os cordeiros se separam dos cabritos, mas também pelos meios luminosos dos dons extraordinários. Deus
freqüentemente se derrama com esses dons, mas raramente persiste, pois é posto em fuga pelo orgulho, engano e sensualidade
espiritual da criatura beneficiada por esse dom extraordinário.
“Nos apóstolos isso não aconteceria. No filho das trevas, no miserável deicida Judas, o dom dos milagres iniciara a ruína
do apóstolo. Mas nos doze destinados a evangelizar o mundo não haveria mais ruínas. E eis que o Espírito em sua
Comunhão Pentecostal queimando e purificando a sede dos sentidos e do pensamento: as cabeças dos homens
apostólicos, enquanto Ele coroou com amor a cabeça da Virgem, sua Esposa, e se aproximou para beijar com o único beijo digno
da Santíssima Virgem Mãe, aquela que foi All-Grace, Filha, Esposa e Mãe da Graça, Maria, Rainha dos Apóstolos e da
Igreja na Terra, Rainha dos Anjos no Céu. Aleluia!
“E agora que eu expliquei o símbolo da quebra do Fogo do Paráclito em tantas línguas e de sua queima sobre as
cabeças dos Apóstolos, voltemos ao Apóstolo Pedro, que, tendo se tornado espiritual após a Comunhão do Espírito,
lembrou que tinha sido um homem e com caridade e conhecimento e verdade disse e diz aos homens que são seus
discípulos e irmãos as regras para alcançar a espiritualidade que os torna santos.
“Ele diz: ‘Eu imploro a vocês, como estranhos e peregrinos, que se abstenham de desejos carnais.’
“Com efeito, o homem cristão é um estrangeiro e peregrino no meio das multidões pagãs. O mundo, pagão nos seus costumes, e a
própria humanidade, mais ou menos latente, ou mais ou menos violenta no cristão, faz com que o espírito proceda como peregrino e
estrangeiro por países que não são seus, desconhecido e perigoso.
“E nós vemos, então, que Pedro avisa: ‘Abstenha-se de desejos carnais’ como seres de outra nação que poderia tomar vocês e então
fazer de vocês seus escravos.
“Proceda com cautela. Pois você não conhece a verdadeira face das coisas ao seu redor. Eles podem ter uma boa aparência e ser
abjetos, uma aparência inocente e ser malandros. Cuidado. Não façam alianças fáceis. Tenham caridade, mas não deixe o que pertence a
outros que não pertencem à linhagem escolhida por você penetrar em você.
“A caridade que ora e perdoa e instrui com ações ainda mais do que com palavras. Mas discrição. Lembre-se sempre que o
espírito é mais delicado que uma virgem e que, se deflorado, não tem mais o belo frescor da inocência. O perdão desce sobre o
espírito arrependido e penitência torna-o mais uma vez aceitável para o Senhor. Mas a memória permanece, a memória da queda.
E a memória mortifica e pode ser útil a Satanás para sacudir espectros nas horas do crepúsculo que todo homem encontra – e
especialmente em a hora da morte – para tornar o homem temeroso e desconfiado de Deus.
“Ó suprema segurança de um espírito imaculado dos pecados mortais e dos pecados voluntários! Como devias ser procurada e
protegida, suprema segurança, para que o homem se alegre de ti!

“Seja cauteloso, então, enquanto vocês são estranhos e peregrinos. Para o seu próprio bem e para a honra de Deus. Você não quer
trabalhar para a glória dele? E você deve, portanto, estar empenhado em converter os pagãos escravizados aos sentidos e aos mundo. Mas
como você pode ser se os sensuais e mundanos pudessem opor contra suas palavras o fato de que você é como eles? Tenha cuidado,
então, para não provocar reclamações por sua conta, mas, ao invés, por suas obras autenticamente sagradas, tome cuidado para provocar
reflexões positivas que preparam a vinda do Senhor aos pagãos do mundo, que, no dia da sua conversão pelo seu mérito, os glorificarão
como seus salvadores, juntamente com o grande e Três Vezes Santo Deus e Salvador.
“E Pedro disse: ‘Esteja sujeito a toda autoridade por consideração a Deus.’
“E daí? Deus talvez proteja certas autoridades desfavoráveis? Oh, não abrigue esse pensamento! Mas o que acumula méritos
sobre você – sua obediência a toda autoridade humana, de modo que não se pode dizer que você é rebelde e turbulento e um
escândalo para os outros – ao mesmo tempo, acumula condenações sobre qualquer pessoa que detém autoridade e a usa
iniquamente. Sujeita-se, portanto. E até que ponto? No que diz respeito à lei humana. Mas se uma autoridade humana desejar
penetrar no domínio de Deus e imponha sobre você leis contrárias à Lei Divina, então seja livre e capaz de morrer, mas sem trair a
Deus e sua Lei por medo de um homem ou de vários homens.
“E também não o faças por cálculo, para ganhar o favor dos homens, mas com um espírito sobrenatural que é
capaz de distinguir e praticar a boa ordem em oposição ao que é mau e de fazer o que não prejudica o direito à vida ,
cujas perseguições não destroem, pois, ao contrário, levam à vida os fiéis à Lei Santa.
“Respeite a todos. Deus deixa a vontade do homem livre. O homem não tem o direito de violar a vontade de seus irmãos. E eternamente
amaldiçoados são aqueles que pela violência impõem a escravidão ao pensamento humano para ter multidões de escravos presos às suas idéias
heréticas e perniciosas.
“Sejam leais adversários de seus inimigos ideológicos. Procurem levá-los à sua idéia, que é sagrada, pela santidade de vida e
não pela eloqüência do seu discurso. Mas nunca se rebaixem aos seus sistemas de acusação e violência secretas, de desprezo e
calúnia. Mesmo que aqueles que o desencaminham sejam irmãos pobres envoltos em ideias heréticas, eles ainda são seus irmãos.
O Salvador veio e
orou, sofreu e morreu por eles também. Deves orar e sofrer pela sua conversão, à imitação de Cristo Nosso Senhor.
“Não dê ao rei ou aos chefes de estado maior honra do que você dá a Deus. Você chora por ter feito isso. Você confundiu um homem,
um homem miserável, com um enviado de Deus, esquecendo que são as obras dos homens que fale de sua pertença a Deus ou Satanás. E
você está ressentindo amargamente por essa sua idolatria tola. Nenhuma idolatria fica sem punição. Tenha isso em mente. Honre as
cabeças, então, mas adore somente a Deus.
“E respeite a maior dependência – isto é, a dependência do cidadão de seus líderes, dos filhos de seus pais e dos servos de seus
senhores – sem rancor e inveja, sem desonestidade ou traição. Aprenda a ver Deus além do homem e conforme você obedece
magistrados, parentes ou mestres, que também podem não atrair o amor, olham para além deles e dizem: ‘Pai, eute servir. Eu o
sirvo cumprindo sua ordem, que é ser manso e obediente. ‘ Oh, você verá que é fácil obedecer se você acreditar firmemente que
essa obediência é vista e abençoada por Deus como a maior das obras meritórias do homem; como o Santo em quem Cristo é tão
visível, o vosso São Francisco de Assis, diz, a alegria perfeita não reside na ciência ou nas coisas diferentes, mas em fazer a vontade
do Pai e ser capaz de sofrer pacientemente as aflições e as tristezas por amor a Deus.
“Vês, alma minha, que as palavras do Apóstolo ressoam nas do Pai Seráfico, proclamando-o uma graça e uma
grande graça – poder, por consideração a Deus, suportar dificuldades e sofrer injustamente, para quando sofre-se o
castigo pelos pecados cometidos, é apenas expiação, uma dívida que se paga, e nada mais. Mas quando sem ter
cometido pecados, feito o bem, é concedido a você sofrer, é uma grande graça que resplandece no olhos de Deus,
um tesouro que se acumula a seu favor no Reino dos Céus.
“E agora te deixarei, alma minha, sob o manto da Esposa Coroada do Espírito Santo e Rainha dos Apóstolos, e,
portanto, das ‘Vozes’, das grandes ‘Vozes’ – e, por causa dela missão, que se perpetua para todo o sempre, de todas
as ‘vozes’ que cumprem com mérito a sua missão para a glória de Deus e a salvação das almas.Ela é, portanto, a tua
Rainha, ó voz.
“Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo”.
1 Uma referência a Mussolini, conforme anotação de Maria Valtorta em cópia datilografada.

QUARTO DOMINGO DEPOIS DA PÁSCOA
Introdução: Sal 98 (97): 1, 2, 1
Colete: Senhor, Tu fazes com que as mentes dos fiéis sejam de uma só vontade; conceda ao Seu povo que ame o que você ordena e deseje o que você promete, então
que em meio às coisas mutáveis deste mundo, nossos corações possam ser fixados onde as verdadeiras alegrias podem ser encontradas. Por meio de nosso Senhor.
Epístola: Jm 1: 17-21
Aleluia pascal: Sl 118 (117): 16; Rm 6: 9
Evangelho: JN 16: 5-14
Ofertório: Sal 66 (65): 1-2, 16
Segredo: Senhor, pela sagrada troca que é efetuada neste sacrifício, Tu nos fizeste participantes da única divindade suprema: conceda, nós oramos, que como
agora conhecemos a tua verdade, para que possamos alcançá-la por meio de uma vida santa. Através de nosso Senhor,
Comunhão: JN 16: 8
Pós-comunhão: Esteja conosco, Senhor nosso Deus, para que por esses dons que recebemos na fé sejamos purificados do pecado e salvos de todos.
perigos. Por meio de nosso Senhor.
19 de maio de 1946
Santo Azarias diz:
“Os homens que já não querem e já não podem ler e apreender as palavras que os acontecimentos escrevem nas páginas do
Tempo, certamente não dizem as palavras do Introit, mas, sim, levantam os punhos e o ódio a Deus, eles amaldiçoam: “Nenhuma
obra maravilhosa! Não há justiça! Ou Deus não existe, ou, se Ele existe, é um Deus ídolo que não pode se opor aos homens. Um
Deus-ídolo. O homem é mais um deus porque o homem pode fazer o que ele quer e ninguém o pune. ‘
“Os homens falam assim, aquela parte da humanidade que é mais numerosa, mas onde a realeza sobrenatural do homem é anulada,
pois eles possuem um espírito morto sobre o qual o Mal está assentado em suas diferentes formas de ateísmo, ódio de Deus, ódio dos
homens , selvageria e corrupção.
“Mas eu não estou falando com eles. Estou falando com você, pequena voz, para todas as ‘vozes’, e também para aqueles que ainda
são homens feitos à imagem e semelhança de Deus, isto é, uma mistura de corpo e alma em que o rei é o espírito que se lembra de Deus,
serve a Deus, obedece a Deus e terá a possessão de Deus, a bem-aventurada possessão que torna os homens tantos deuses, eternos e
abençoados.
“E eu o levo a considerar a verdade das palavras do Introit. Uma verdade que a observação superficial parece
desmentir, mas que é luminosa além da tela esfumada e opaca das ruínas, das matanças, da miséria e de outros
castigos que têm atingiu e atingirá a Humanidade.
“Deus fez maravilhas. Se, como acontece quando você olha abaixo da altitude de um de seus aviões para os continentes sobre
os quais está voando, você poderia olhar do alto, de uma altura muito grande – isto é, das esferas onde a espiritualidade que reina
sobre você e a Verdade e a Luz que são suas rainhas permeiam os habitantes desse mundo sobrenatural – se você pudesse ver com
um único olhar de observação inteligente tudo o que ocorreu nestes últimos anos em seu planeta, você veria, como se em um
enorme mosaico, as maravilhas fragmentárias operadas por Deus sendo recompostas e uma imensa e maravilhosa obra-prima que
aparece testemunhando a justiça do Senhor.
“Pois, ó queridos filhos que são fiéis no Senhor, não há ninguém entre vocês que não possa dizer: ‘O Senhor me protegeu; Ele
proveu todas as minhas necessidades legítimas; eu vi sua Mão naquela hora de guerra, naquele outro de perseguição. ‘ Muitos de
vocês lamentam porque a família já não é o que era antes da guerra, porque o bem-estar já não é como antes. ‘ Vocês choram,
filhos do Senhor, mas não ficariam ainda mais tristes se por acaso aquele por quem vocês choram não estivesse mais entre os
vivos? Para tantos, a morte foi uma misericórdia!
“Você não sabe. Misericórdia no tempo. Misericórdia na eternidade. Se eles tivessem vivido, estariam agora em perigo de cair
como nunca antes. Se eles tivessem vivido, eles teriam encontrado a justiça dos homens, que em suas formas são sempre cruéis
em relação às de Deus, feitas mais de ódio do que de equanimidade, comunicando ódio para com os culpados. Observe, porém,
quanta misericórdia Deus demonstrou em certas mortes que foram uma expiação, o pagamento integral de agrande dívida a
Deus dele ou dela que você chora. E mesmo no caso de nem um único pensamento de arrependimento emergir do espírito
corrupto na hora da morte – e um solteiro clama invocando o Pai, o Salvador, teria bastado para salvar o espírito da morte e
restaurá-lo à Vida na hora em que sua pequena vida estava chegando ao fim – que a morte ainda era justiça misericordiosa porque
evitava que você se envergonhasse,
eu Uma alusão à segunda guerra mundial e à própria família de Maria Valtorta.
de estremecer de horror,  mães,  esposas, filhos, em face da nova aparência moral daquele que vocês agora
choram.
“E os acontecimentos gerais foram e são justiça. Você esperaria que o Deus Ofendido fosse e permanecesse inativo
diante das contínuas provocações do homem, que de mil maneiras atropela e destrói o preceito capital? lícito zombar de
Deus e agir como se Ele não existisse? Você pode fazer muito e abusar desse poder. Mas observe a resposta de Deus: sua
não intervenção em seu favor, em favor não dos indivíduos, mas das massas.
“’O Criador não existe’, clamam. ‘Deus não existe’, eles blasfemam. E o Criador mostra sua existência com
inexplicáveis flagelos meteóricos e animais.
“Não diga: ‘Então Ele não é bom’. Bondade é virtude; tolice é uma doença. Deus não pode ser doente, imperfeito ou
incapacitado em qualquer de seus poderes. E para o homem, que destruiu, violou e pisou nos direitos de seus semelhantes – e essa
criminalidade envolveu otodo Terra-Ele responde com seu direito de destruir o que Ele criou. Deus golpeia o homem, que não volta
a raciocinar com a guerra, mas se torna cada vez mais um demônio, com o golpe da fome, tratando-o como bestas brutas que só
entendem as necessidades dos animais – tratando a humanidade como ela é.
“Você, a quem eu falo, perguntará: ‘E quanto a nós? É verdade. Por causa dos pecados de um povo, seus justos também perecem. Mas
enquanto você chora pelos castigos presentes, erga o coração, como a Oração ensina, colocando-os no lugar ‘onde o verdade alegrias são. ‘
Nas coisas espirituais, na promessa de uma vida futura, de uma recompensa pelos perseverantes, em Deus, teu Pai e tua Recompensa.
«Para anular todo e qualquer vestígio de dúvida sobre a presença providencial de Deus, mesmo nos acontecimentos que não parecem
ter origem em Deus, origem boa, porque ocasionam choro, aqui estão as palavras do apóstolo João: ‘Todos os excelentes coisa recebida,
todo presente perfeito vem do alto. ‘
“É preciso ser capaz de ver. Isso é vital. Para ver para acreditar. Não ver para crer na existência de Deus – pois, em relação a
isso, bem-aventurado aquele que é capaz de crer mesmo sem ver, e seu contínuo ato de fé lhe dará grande glória no céu – mas
para ver, além do materialidade do evento, as formas de justiça sobrenatural que estão ocultas naquele evento. Quando umé
capaz de ver desta forma, acontece assim que, por meio de uma metamorfose do acontecimento material, ele se transforma em
um sobrenatural, evento benéfico e enobrecido para se tornar o dinheiro para um ganho e mérito imortal.
“Observem a crisálida encerrada no casulo: um animal feio que é esmagado de bom grado pela repugnância que causa.
Mas se a crisálida conseguir escapar da destruição do homem, do frio, dos pássaros e das chuvas e permanecer presa ao
seu casulo no local onde o deixou o cuidado clarividente de quem o colocou, sucede que, no tempo estabelecido por leis
imutáveis e sábias, o casulo então se abre e o homem pasmo vê que a lagarta repugnante e inativa tem transformou-se
em uma borboleta linda e ágil.
“Deus faz o mesmo com seus fiéis e em favor de seus fiéis. Ele leva os acontecimentos humanos feios, cruéis e repulsivos
desejados pelo egoísmo, ódio e ganância da maioria dos homens, que golpeiam como granizo e como açoites ferem os melhores
parte da humanidade, junto com aqueles que merecem torturar uns aos outros porque perderam a fraternidade humana e se
transformaram em uma imensa multidão de bestas e demônios e – se apenas os fiéis de Deus conseguirem permanecer onde o
cuidado perspicaz de Deus os colocou: em o raio de sua Luz-Ele os metamorfoseia em coisas excelentes, dons perfeitos. De tal
maneira que vemos que de um infortúnio comum surge uma seleção, e os filhos da Luz tornam-se mais luminosos e escolhidos,
porque eles são capazes de ver. Enquanto os filhos das trevas se tornam cada vez mais tenebrosos e réprobos, nem mesmo a
observação de todo o mal feito por suas vontades perversas os torna arrependidos, ou pelo menos pensativos, colocando-os assim
no início do caminho que leva de volta a Deus.
“Portanto, bons filhos do meu Senhor, ter sucesso em ver. Vendo sobrenaturalmente. Vendo que das torturas do
mundo que você sofre, e que são obra dos homens, você pode obter um aumento em méritos e glória. Vendo,
portanto, além da mão em garra do Maligno e dos ímpios que te dilacera e atormenta, a Santíssima Mão do Pai, que
te presenteia com os meios para possuir um grande e eterno dom através de sua paciência, sua fé, e sua aceitação
do que não pode ser repelido, como se tudo viesse de Deus.
“Cada coisa excelente, cada presente perfeito, pode ser sabiamente dito que vem de cima, então, enquanto coisas que são perversas e
sem perfeição surgem de baixo e da superfície, como esporos maléficos, e são reunidos por aqueles que servem ao Mais Base e espalhados
como uma chuva de tormento sobre toda a Humanidade.
“’Todo presente perfeito vem de cima e desce do Pai das luzes. ‘
“Veja quanta segurança vem desta frase: ‘desce do Pai das luzes.’ Se Ele é o Pai das luzes, será que algum dia será como alguém
tateando no escuro e escolhendo por acaso o que cai em suas mãos na escuridão, mas sem conhecer sua natureza e efeitos? Não,
Ele não pode ser assim. estejam confiantes, ó queridos filhos deste Pai das luzes, estejam confiantes. Ele sabe quais dons perfeitos
dar a vocês, quando e como, para torná-los perfeitos. Não os repelam, não os usem mal, não os corrompam. Aceite Com
humildade. Com tanto mais humildade quanto mais eles são dons extraordinários – e eu estou dizendo isso para vocês, queridas
vozes. Com grande amor pela verdade, sem adicionar ou remover um jota do que Deus lhes confia, sem esconder um parte ou
introduzindo um babado de falsa vergonha ou falso medo.
“Seja como Deus o faz. Você acredita? Bem-aventurados aqueles que são capazes de ver Deus no instrumento. Você não
acredita? Ore por eles. Eles zombam de você? Eles tentam induzi-lo a repudiar o que você é? Seja gentil em reagir com perdão à
ofensa, masinabalável, tenaz como uma montanha de granito na sua certeza. Só Deus tem o direito de não fazer mais de você o
que você é. E não se queixe se, depois de te usar, Ele te deixa de lado na Terra para despertar os outros. Acredite em mim, 0 vozes:
se você for igualmente obediente ao chamado e à ordem para descansar, mesmo que sua voz tivesse que transmitir umúnica
palavra, seu mérito no Céu seria grande por causa de sua obediência em agir e em descansar depois de ter agido.
“Tiago diz assim: ‘do Pai das luzes, em quem não há variação ou sombra de mudança.’
“Você está ouvindo como Deus é estável, por si mesmo, em seus decretos? Só a criatura é instável e, portanto, às vezes escapa
da vontade estável de Deus, criando sozinho seu próprio estado de tristeza. Mas Deus não varia nem muda. E se te amou a ponto
de te atrair para si para te dar uma missão entre os homens, não pode depois te abandonar e mudar o seu decreto.
“Nosso Santíssimo Senhor Jesus, embora igual ao Pai, não experimentou uma mudança de coração para com os apóstolos.
Conquanto conhecesse muito bem quem era Judas, o inconstante por excelência, foi, Jesus nunca mudou. Até as horas finais Ele
tratou Judas como um apóstolo e amigo. Na Ceia, Ele o purificou junto com aos outros e se comunicou a ele como fazia com os outros, e no Getsêmani.
Ele continuou a saudá-lo como ‘amigo’. E,
imaginemos, se Judas, em vez de se enforcar, tivesse corrido ao pé da Cruz, o Moribundo teria reunido forças para
lhe dizer ainda: ‘Amigo, por que vieste? Para receber perdão? Aqui está e completo. Vá e não peques mais. Ame-me e
faça com que outros me amem. ‘ E Ele teria dito a Nossa Mãe: ‘Mulher, aqui estãosua filhos, ‘juntando o inocente ao
deicídio arrependido; nem a Santíssima Mulher, a maior Criatura depois de Deus, o teria rejeitado, pois Ela é a Santa,
perdendo apenas para Deus em perfeição. O choro de Judas aos pés da cruz teria dado ao mundo a oração
super perfeita de Jesus ao Pai em favor do pecador. Mas o mundo não merecia receber a medida exata do que é o
amor misericordioso. E esta oração não foi proferida ….
“Mas Jesus, Deus, como o Pai, nunca mudou seu coração ou pensamento para com os escolhidos. Não ele, mas Judas mudou
seu coração e seu pensamento e se prejudicou livremente. ‘Ele’, diz Tiago, ‘por sua própria vontade nos gerou com a palavra da
verdade para que sejamos as primícias de suas criaturas. ‘
“É isso: isto deve ser dito de todos os verdadeiros fiéis de Deus, mais especialmente os escolhidos no meio do rebanho escolhido. Mas
os primeiros frutos, para serem tais, isto é, de grande valor, devem ser perfeitos, respondem com boa vontade para a Vontade de Deus,
isto é, ‘rápido para ouvir, tardio para falar e lento na ira’.
“Alma que me foi confiada, eu agora ofereço a você um grande conselho que meu Senhor me dá para apresentar a você.
Receba-o, pois ele vem da Luz e é totalmente luz, da Sabedoria e é totalmente sábio, e da Justiça e é totalmente apenas. Recebe-o
como recebestes os anteriores, com a mesma docilidade com que um tufo de nuvem se deixa levar pelo vento. Deus é o teu vento
e te conduz por caminhos úteis e justos. Nem um só dos seus atos para você não envolve benevolência infinita. Meu Senhor tem
seu ‘bom companheiro’, eu, Azarias, digo a você: ‘Seja lento para falar.’
“Até agora você falou, respondendo com sinceridade ao que era simplesmente curiosidade. Chega, agora. Lembre-se que você
não se depara com intenções retas, caridade real. Com muita humanidade, e nem sempre justo humanidade, eles questionam
você. Porque? Para ajudá-lo? Não. Os melhores, apenas por curiosidade; os outros, pelo desejo de encontrar defeitos em você.
Jesus também foi questionado por fariseus, escribas e saduceus por essas duas razões.

filhos: curiosidade ou má vontade, a ociosidade do discurso inútil ou a esperança de pegá-lo em uma ação condenável.
“Eu disse a você quem são as suas testemunhas quando eu e o seu Senhor me ordenaram que lhe contasse. Veja e trate todos
como estranhos não ser admitido nos domínios do Rei porque ele está em dúvida – pelo menos seu espírito é duvidoso, o espírito
com o qual ele procura entrar inquiridoramente ‘no jardim fechado’. Seja lento, extremamente lento, mesquinho, mais mesquinho,
em palavras com todos, exceto com suas testemunhas. Você vê que os outros não mudam de atitude. Eles parecem estar subindo a
encosta em direção à Luz; então, oprimidos por muitas teorias e não iluminados pela brisa espiritual que poderia contrabalançar o
peso dessas teorias, eles voltam ao ponto anterior. E às vezes eles distorcem os discursos, deliberadamente ou por uma
incapacidade de entender, e tentam, indo contra a prudência e a caridade.
“Você deixou a porta entreaberta, por ordem de Deus, para que não tivessem a ignorância como desculpa. Agora, por ordem
de Deus, fecha-o. Esteja fechado em si mesmo, com o seu grande Tesouro, e com o seu menor tesouro – Deus e a Obra, ‘tendo
grande caridade na oração e no perdão para aqueles que não a têm para você e assim o demonstram de muitas maneiras – mas
também possuindo direito e a devida prudência, pois, quando tudo foi dito para convencer e outros não querem ser convencidos, é
inútil proferir palavras vãs sobre coisas que não são ociosas. Imitai o Santíssimo Senhor Jesus, que, depois de ter falado
incansavelmente durante três anos diante daqueles a quem nenhuma palavra, ato ou exemplo mudaram a seu favor e que se
reuniram para condená-lo, se opôs a eles com silêncio. Você e eles agora falam duas línguas diferentes. E como falta caridade por
um lado, esse lado não tem luz para te compreender.
“Chegou então o tempo dos ‘grandes silêncios’ que Santo Trasse do Menino Jesus lhes profetizou em seu exílio nas
montanhas no verão de 1944.2 Afunde-se neles. Identifique-se cada vez mais com Deus, separando-se cada vez mais dos homens. Deixe Deus mais uma vez ser o seu único Diretor e Confiante, como no
período em que Nosso Senhor Jesus estava preparando você para ser umvoz. De vez em quando, Ele indicará a você a conduta a ser
observada. Pois, se é verdade que os homens pensam que muita coisa é lícita, também é verdade que Deus se opõe a eles com seu ‘Basta!’
quando a caridade é ofendida.
“Manifeste estas palavras apenas uma vez, e depois o silêncio. Silêncio perante as respostas inúteis e as perguntas inúteis e o
silêncio sobre as referências inúteis a quem não pode mudar as coisas ou não quer mudá-las.
“E agora vamos retomar a epístola. ‘Lento na cólera porque a cólera do homem não faz com que a justiça de Deus
seja cumprida.’ “Por este motivo, também é bom que você fique em silêncio. Há criaturas que não se lembram
que estão cara a cara com outras criaturas e, invertendo o comando, fazem aos outros o que não gostariam que lhes
fosse feito e esperam dos outros o que não podem, mesmo que muito menos. Portanto, silêncio, silêncio, silêncio.
Não fale. E, se questionado e estimulado de forma a perturbar o que morre com o homem e perturbar o espírito, dê a
resposta curta: ‘Em nome do Senhor, rogo-lhe que se abstenha de perguntar o que não é necessário para mim dizer.’
Respeite o comando de justiça de Deus, o comando do silêncio,
“Desta forma, alma minha, você também se libertará da poeira levantada pelo vento do ressentimento, da lama que o
conhecimento profundo da psique humana faz voltar à superfície dos corações: lagos da humanidade afastando o Céu sendo
refletido com clareza ali; cada vez mais esquecerás a malícia, sinal do veneno satânico que permanece no sangue do homem para
torná-lo rancoroso e incrédulo; te libertarás de tudo e ‘com mansidão’ abraçarás teu grande tesouro: Deus e sua Palavra, ‘o palavra
depositada em você, que pode salvar sua alma. ‘ Salve, sim, tanto pelo ensinamento que está em cada palavra quanto pela paz que
ela comunica a você.
“É dito: ‘Cristo, tendo ressuscitado dos mortos, não morre mais. A morte não mais reina sobre Ele.’
“Mas para os pequenos ‘Cristos’ também, isso é depois do julgamento. Agora você está na tumba. Na tumba há solidão e silêncio.
Somente aqueles que são testemunhas do sacrifício e da glória seguem
baixando sobre ele entre na tumba. Para eles, você pode narrar ‘todas as coisas que o Senhor fez por sua alma’. Quanto aos outros,
silêncio.
“’Quando o Consolador vier, Ele convencerá o mundo sobre o pecado, a justiça e o juízo.’
“No teu caso, embora em medida proporcional à criatura em relação ao Santíssimo Salvador, como para Jesus Nosso Senhor, o Consolador
mostrará aqueles que te rejeitam e não têm misericórdia do instrumento e, portanto, se levantam em juízo contra Deus, quem o escolheu, seu
pecado, seu erro de obstinação e surdez, a afronta oferecida à Palavra, que mais uma vez falou por amor, e a anticaridade manifestada a uma irmã;
Ele mostrará a justiça de sua ação em você e através de você e de toda ordem que Ele deu a você; Ele mostrará seu julgamento, não aberto a
apelações, da pequena ‘voz’, a quem o mundo, os grandes do mundo, de seu pequeno mundo como um Cristão, não quis receber. Pois mais uma
vez os homens rejeitam a Luz, que se manifesta quando e onde quer, com os meios mais humildes,com os propósitos mais sagrados, para
contrabalançar a escuridão de uma falsa sabedoria que sabe muito em termos humanos, mas muito pouco sobre a verdadeira Sabedoria, aquela
que sempre falou aos humildes para elevá-los acima dos poderosos e fluiu dos lábios de os simples e não os eruditos, pois o Espírito do Senhor não
busca cadeiras pomposamente preparadas, mas corações ardentes de amor para irradiar seus ensinamentos. Mas corações ardendo de amor a
partir dos quais irradiar seus ensinamentos, mas corações ardendo de amor a partir dos quais irradiar seus ensinamentos.
“Glória ao Pai e ao Filho e ao Espírito Santo! Aleluia!”

1 Uma referência aos escritos de Maria Valtorta como um todo, constituídos pela obra monumental sobre a vida de Jesus (começando com o nascimento da Mãe de Deus, continuando
com Jesus oculto e vida pública, paixão, morte e ressurreição, e concluindo com a de Nossa Senhora assunção ao céu); comentários nas passagens do Antigo Testamento, na Carta de São
Paulo aos Romanos e nos textos do Novo Testamento; e alguns relatos dos primeiros cristãos e mártires. Maria Valtorta afirmou que seus escritos se devem a visões e ditados
comunicados por Deus.
2 Veja a nota 1 na pág. 34

Compartilhe a Divina Vontade