Estudo 24 Mística Cidade de Deus – Escola da Vontade Divina


MEDITAÇÃO

Maria, luz para as criaturas



301. “E as nações caminharão à sua luz” (v. 24).
Se Cristo, Senhor nosso, chamou aos doutores e santos, luzes acesas (Mt 5, 34) sobre o candelabro da Igreja para a  iluminarem; se o esplendor da luz derramada pelos patriarcas, profetas, apóstolos, mártires e doutores, encheram a Igreja católica de tanta claridade que ela parece um céu com muitos sóis e luas – que se poderá dizer de Maria Santíssima, cuja luz e esplendor excede incomparavelmente, a todos os mestres e doutores da Igreja, e ainda aos mesmos anjos do céu?
Se os mortais tivessem olhos abertos para ver estas luzes de Maria Santíssima, Ela só bastaria para iluminar a todo o homem que vem a este mundo e encaminhá-lo pelas sendas retas da eternidade. E porque todos os que chegaram ao conhecimento de Deus, foi caminhando com a luz desta santa cidade, diz S. João: “As nações caminharão à sua luz. A isto segue-se também:

Maria conduz os chefes e governantes

302. “E os reis da (erra lhe trarão a sua glória e a sua honra” v. 24)
Felicíssimos serão os reis e governantes que, pessoalmente e por seus estados, trabalharem com desvelo para cumprir esta profecia. Todos assim deveriam fazer.
Bem-aventurados os que assim procederem, devotando-se com íntimo afeto à Maria Santíssima; empregando a vida, honra, riquezas e grandezas de seu poder e estados na defesa desta cidade de Deus;
em estender sua glória pelo mundo, e enaltecer seu nome na santa Igreja, contra a louca ousadia dos infiéis e hereges.
Com íntimo sentimento, admiro me que os príncipes católicos não se esforcem por empenhar esta Senhora, invocando-a nos perigos – que para os príncipes são maiores – e para nela encontrar
refúgio, proteção, intercessora e advogada.
Se os perigos são grandes para os reis e potentados, lembrem-se que não é menor sua obrigação de serem agradecidos.
Diz a sagrada Escritura que, por esta Rainha reinam os reis (Pr 8,15-16), mandam os príncipes, os grandes e poderosos administram a justiça. Ama aos que a amam, e os que a glorificam conseguirão a vida eterna, porque agindo por Ela não pecarão (Eclo 14,31).

Maria, protetora da Igreja e extirpadora das heresias

303. Não quero esconder a luz que muitas vezes me tem sido dada, e em particular agora, para que a manifeste.
Tenho entendido, no Senhor, que todas as aflições da Igreja católica e os trabalhos que padece o povo cristão, sempre se reparam por meio da intercessão de Maria Santíssima.
Em nosso atribulado século, quando a soberba dos hereges tanto se levanta contra Deus; quando sua Igreja está tão chorosa e aflita, com tão lamentáveis misérias, só há um único remédio: voltarem-se os reinos e reis católicos à Mãe da graça e misericórdia, Maria Santíssima.
Empenhem-na com algum singular serviço no aumento de sua devoção e glória em toda a terra, para que se inclinem para nós e nos acolha com misericórdia.
Em primeiro lugar, alcance graça de seu Filho Santíssimo para se reformarem os vícios tão escandalosos, que o inimigo semeou no povo cristão.
Em seguida, por sua intercessão, aplaque a ira do Senhor que tão justamente os castiga e ameaça com maiores açoites e desgraças. Da reforma e emenda de nossos pecados, seguir-se-á a vitória contra os infiéis e extirpação das falsas seitas que oprimem a santa Igreja, pois Maria Santíssima é o cutelo que as degola e as extermina do mundo inteiro.

Conseqüências de não recorrer à Maria

304. Atualmente, o mundo experimentou o dano deste esquecimento. Se os príncipes católicos não alcançam êxito no governo de seus reinos, na conservação e aumento da fé católica, no combate de seus inimigos, nas guerras contra os infiéis, tudo sucede porque não atinam com este norte para se guiarem. Não visaram Maria como princípio e fim imediato de suas obras e pensamentos esquecidos que esta Rainha anda pelos caminhos da jutiça para ensiná-la, desejando levá-los por ela e enriquecer aos que a amam (Pr 8,20).

Exortação aos chefes religiosos e civis

305. Ó Príncipe e Cabeça da santa Igreja católica, ó Prelados, também chamados príncipes dela!

– Lançai vossa coroa e monarquia aos pés desta Rainha do céu e da terra;
procurai a Restauradora da humanidade, recorrei a quem, com o poder divino, está acima de todo o poder dos homens e do inferno; voltai vossos afetos àquela que tem em suas mãos as chaves da vontade e tesouros do Altíssimo; levai vossa honra e glória a esta santa cidade de Deus (Ap 21,24) que a deseja, não por precisar aumentar a dela, mas para melhorar e aumentar a
vossa.
– Oferecei-lhe com vossa piedade católica, e de todo o coração, algum grande e agradável obséquio, a cuja recompensa estão ligados infinitos bens: a conversão dos gentios, a vitória contra os hereges e pagãos, a paz e a tranqüilidade da Igreja, nova luz e auxílios para melhorar os costumes, e vos fazer grande e glorioso rei, nesta e na outra vida.

Se à firmeza e zelo da fé que, sem merecer, recebeste da destra do Onipotente, acrescentasses o santo temor de Deus exigido pela profissão desta fé, com que fostes distinguidos dentre todas
as nações do orbe!
– Oh! se para conseguir este fim e cúmulo de tuas felicidades, todos teus moradores se enchessem de ardente fervor na devoção de Maria Santíssima! Como resplandeceria tua glória, como serias iluminada, amparada e defendida por esta Rainha! Teus reis católicos seriam enriquecidos pelos tesouros do alto, e por ti a suave lei do evangelho seria propagada por todas as nações.
– Lembra que esta grande Princesa honra aos que a honram, enriquece aos que a procuram, glorifica aos que a exaltam, e defende aos que nela esperam.
– E para exercitar contigo estes ofícios de singular mãe e usar de novas misericórdias, asseguro que espera e deseja que a empenhes, suplicando seu maternal amor.

– Lembra-te, porém, que Deus de ninguém tem necessidade (SI 15, 2) e é poderoso para das pedras fazer filhos de Abrão (Lc 3, 8). Se te tomas indigna de tantos bens, reservará esta glória para quem lhe aprouver e menos a desmerecer.

Glorificar a imaculada Conceição

307. – Para saberes qual o serviço que atualmente muito agradará esta Rainha e Senhora de todos, entre os muitos que te inspirar a devoção e piedade, trabalha pelo mistério de sua Imaculada
Conceição. Considera como ele se encontra em toda a Igreja, e o que falta para assegurar com firmeza^ os fundamentos desta cidade de Deus – Ninguém julgue esta advertência como de mulher fraca e ignorante, ou nascida de particular devoção e amor ao estado que professo, sob o nome e religião de Maria sem pecado original. Para mim basta minha crença e a luz que nesta
História tenho recebido. Não é para mim esta exortação, nem a daria só por meu juízo e parecer. Obedeço ao Senhor que faz os mudos falarem e torna eloqüentes a língua das criancinhas (Sb 10, 21).
– E quem se admirar desta liberal misericórdia, advirta o que desta Senhora diz mais o Evangelista:

Ilimitada a bondade de Maria.

308. “Suas portas não estarão fechadas durante o dia e ali não há noite” (v. 25).
As portas da misericórdia de Maria Santíssima, nunca estiveram nem estão fechadas. Desde o primeiro instante de sua existência, ao ser concebida, não houve noite de culpa, como nos demais santos, que fechasse as portas desta cidade de Deus.
Como num lugar onde as portas estão sempre abertas, saem e entram livremente todos os que querem, em qualquer tempo e hora: assim, a nenhum dos mortais está vedado que entre livremente ao comércio da Divindade, pelas portas da misericórdia de Maria puríssima.
Ali se derramam os tesouros do céu sem limitação de tempo, lugar, idade e sexo. Desde sua fundação todos têm podido entrar, pois para isto a construiu o Altíssimo com tantas portas abertas à
plena luz.
Desde sua puríssima conceição, começaram a sair por estas portas misericórdias e benefícios para toda a linhagem humana.
Contudo, apesar de tantas portas abertas para distribuir as riquezas da Divindade, a cidade está plenamente segura dos inimigos. Assim, acrescenta o texto:

A pureza de Maria

309. “Não entrará nela coisa alguma contaminada, ou quem pratique abominação ou mentira, mas somente aqueles que estão inscritos no livro da vida do Cordeiro” (v. 27).

Tornando a recordar o privilégio da imunidade desta cidade de Deus. Maria, termina o Evangelista este capítulo, garantindo-nos que nela jamais entrou coisa manchada, porque lhe foram dados
corpo e alma imaculados.
Isso não poderia ser dito se houvesse contraído o pecado original, mesmo se depois não entrassem as manchas dos pecados atuais.
Tudo o que entrou nesta cidade santa, foi o que estava escrito na vida do Cordeiro. Foi formada pelo padrão de seu Filho Santíssimo, e de ninguém mais foram suas virtudes copiadas, ainda as
mais pequenas, se Nela pôde haver alguma coisa pequena.
E cidade de refúgio para os mortais, mas sob a condição de nela não entrar quem comete abominação e mentira.
Nem por isto desistam os manchados e pecadores filhos de Adão, de se dirigirem às portas desta cidade santa de Deus. Se chegarem arrependidos e humilhados em busca da limpeza da graça,
só a acharão nas portas desta Rainha e em nenhuma outra.
Ela é limpa, pura, opulenta, e acima de tudo Mãe de misericórdia, doce, amável e poderosa para enriquecer nossa pobreza, e limpar as máculas de todas as nossas culpas.

DOUTRINA QUE ME DEU A RAINHA DO CÉU SOBRE ESTES CAPÍTULOS.

Correspondência à graça

310. Minha filha, os mistérios destes capítulos encerram grande ensinamento e luz, mesmo que tenhas deixado de dizer muitas coisas. Mas de tudo o que entendeste e escreveste, trabalha
por tirar proveito (2Cor 6,1), e não recebas em vão a luz da graça. Em resumo, o que desejo de ti é que te lembres: apesar de seres concebida em pecado, descendente da terra e com inclinações terrenas, nem por isso desanimes no combate contra as paixões até vencê-las, e com elas a teus inimigos. Auxiliada com a força da graça do Altíssimo, podes elevar-te sobre ti mesma e vir a ser descendente do céu, donde procede a graça.
Para o conseguir deves habitar nas alturas, conservando a mente fixa no conhecimento do Ser imutável de Deus e suas perfeições, sem consentir que qualquer coisa, ainda necessária, afaste daí tua atenção. Com a contínua memória e visão interior da grandeza de Deus, estarás disposta para tudo o mais. Praticarás o mais perfeito das virtudes e serás idônea para receber o influxo e dons do Espírito Santo, e chegar ao estreito vínculo da amizade e comunicação com o Senhor.
Esta é a sua santa vontade como muitas vezes te manifestou, e para não faltares a ela trabalha em mortificar a parte inferior da natureza, onde vivem as funestas inclinações e paixões. Morre a tudo o que é da terra, sacrifica diante do Altíssimo todos os teus apetites sensitivos, e em nenhum satisfaças, nem sigas tua vontade, sem permissão da obediência.
Não deixes o segredo do teu interior onde serás iluminada pela lâmpada do Cordeiro. Prepara-te para entrar no leito nupcial de teu esposo, e deixa-te adornar como o fará a destra do Todo-poderoso, se com Ele colaborares e não ofereceres impedimento.
Purifica tua alma com muitos atos de contrição por tê-lo ofendido, e com ardentíssimo amor louva-o e glorifica-o.
Procura-o e não sossegues até achares aquele que tua alma deseja, e encontrando o não o largues (Ct 3,2-4).
Quero que vivas na peregrinação da terra ao modo dos que a terminaram, contemplando sem cessar o objeto que os toma gloriosos. Este há de ser o alvo de tua vida: com a luz da fé e a claridade de Deus onipotente a encher e iluminar teu espírito, continuamente o ames, adores e reverencies. Não tentes alcançar isso por ti mesma, mas submete tua vontade e entrega-te toda
ao ensinamento de teu Esposo, ao meu e à obediência com a qual hás de conferir tudo.

Oração da filha

311. Rainha e Senhora de toda a criação, a quem pertenço e desejo pertencer por toda a eternidade, louvando a onipotência do Altíssimo que tanto vos quis engrandecer. Já que sois tão feliz e
poderosa junto de Sua Alteza, suplico vos, Senhora minha, olheis com misericórdia a esta vossa pobre e mísera serva. Com os dons que o Senhor colocou em vossas mãos para distribuir aos
necessitados, socorrei minha vileza, enriquecei minha pobreza.
– Como Senhora, compeli-me até que eficazmente eu queira e faça o mais perfeito, e ache graça aos olhos de vosso Filho Santíssimo. Conquistai para vós mesma a glória de erguer do pó a mais inútil criatura (SI 30, 16).
Em vossas mãos entrego minha sorte. Desejai-a, Senhora e Rainha, pois vosso querer é santo e poderoso pelos méritos de vosso Filho, e pela palavra da beatíssima Trindade empenhada em receber todas as vossas súplicas e vontades sem negar nenhuma. Não posso obrigar-vos porque sou indigna, mas apresento-vos, Senhora minha, vossa mesma santidade e clemência.

 

Compartilhe a Divina Vontade