Quem vive na Vontade Divina vive no centro de sua luz, em vez daqueles que não vivem nela.


 

13 de fevereiro de 1931

Quem vive na Vontade Divina vive no centro de sua luz, em vez daqueles que não vivem nela, vivem na circunferência de sua luz. 

Minha vida, meu mais doce Jesus! Venha em meu auxílio, não me abandone, com o poder de sua Santíssima Vontade invista minha pobre alma e apague tudo o que me perturba e me tortura. Oh! Deixe o novo Sol de paz e amor nascer em mim. Caso contrário, não sinto mais força para continuar fazendo o sacrifício de escrever; minha mão já está tremendo e a caneta não desliza sobre o papel. Meu amor, se você não me ajudar, se não remover de mim sua justiça que me justifica, no estado em que me encontro, sou incapaz de escrever uma palavra sequer.

 

Portanto, ajude-me e eu me esforçarei, na medida do possível, em obedecer àqueles que me mandarem escrever tudo. Você me contou sobre sua Santíssima Vontade, e, como são coisas passadas, farei tudo junto com um pequeno aceno de cada coisa relativa ao seu Desejo divino.

De onde me sentindo oprimida e cheia de intensa amargura, meu doce Jesus se mostrando e me apoiando em seus braços me disse:

“Minha filha, coragem, pense que uma Vontade Divina reina em você, que é a fonte de felicidade e alegria permanente, pela qual sua amargura e opressão formam as nuvens ao redor do Sol da minha Vontade, que impedem que seus raios brilhem em todo o seu ser, que, querendo fazer você feliz, sente a felicidade que ele quer devolver em troca da sua amargura. E apesar de você ter um Sol Divino à sua disposição, em virtude de sua amargura, sente a chuva que a oprime, que enche sua alma até a borda. Porque você deve saber que quem vive na minha vontade vive no centro da esfera do Sol Divino, e pode dizer:

‘O Sol é todo meu’. Por outro lado, aqueles que não vivem nele vivem na circunferência da luz em que o Sol Divino se espalha por toda parte, porque minha Vontade não pode se negar a ninguém com sua imensidão, nem quer se negar; é como o sol que é forçado a dar luz a todos, mesmo que nem todos quisessem; e por que isso? Só porque é leve; e a natureza da luz é dar a todos, àqueles que não a querem e àqueles que a desejam. Mas que grande diferença existe entre quem vive no centro do meu Sol Divino e entre as vidas  dos que vivem na sua circunferência!

O primeiro (a alma que vive no centro do Sol) possui as propriedades da luz e todos os seus bens que são infinitos; a luz a mantém defendida de todos os males, de modo que o pecado não pode ter vida nesta luz e, se surgir a amargura, são como nuvens que não podem ter vida permanente: basta uma pequena brisa da minha vontade para afastar as nuvens mais densas e a alma se encontra afundada no centro do Sol que possui.

Muito mais do que a amargura daqueles que vivem na minha vontade, eles são sempre por minha causa, e posso dizer que sou amargo junto com você; se vejo você chorar, choro junto, porque minha própria vontade me faz inseparável daqueles que vivem em minha vontade. Ela e eu sentimos suas dores mais do que se fossem minhas. De fato, minha própria vontade que vive na alma, ama a minha humanidade naqueles que sofrem, para fazer a alma repetir Minha vida na terra, e oh quantas maravilhas divinas que acontecem, tantas novas correntes que se abrem entre o céu e a terra, pela nova vida de dores que Jesus guarda em sua criatura!

E meu coração, que enquanto humano é divino, possui a ternura mais doce, [e] essas são as tendências atraentes e poderosas do meu Coração que, ao ver aqueles que Me amam sofrem, meu terno amor liquefaz meu Coração e tudo derrama sobre as dores e corações de minha amada criatura. Portanto, estou com você no sofrimento e tenho dois escritórios: de ator e espectador das suas penas, para apreciar os frutos das minhas dores em você, que estou realizando em você; portanto, para quem vive em minha vontade, eu sou o Sol e o centro de sua vida, portanto somos inseparáveis: sinto sua vida pulsando em Mim e sinto minha vida pulsando nas profundezas de sua alma.

Por outro lado, para aqueles que vivem na circunferência da luz que o Sol da minha Vontade (pessoas que vivem só das luzes ao redor de Jesus, não tem Jesus no Centro da sua alma ), que se espalha por toda parte, não é um mestre da luz, porque a verdadeira maestria é dita quando um bem reside em si; e o bem de dentro ninguém pode tirá-lo, nem na vida nem após a morte; ao contrário, o bem do lado de fora está sujeito a perigo, nem mantém o poder de nos manter seguros, e a alma sofre fraqueza, inconstância, paixões que o atormentam e passa a se sentir tão distante de seu Criador. Portanto, eu sempre quero você na minha vontade, para me fazer continuar minha vida na terra “.

Obs: Se você ainda vive na circunferência dos raios Dele (Ele é o Sol).. que Ele já te ilumina… e você aproveita muito dos raios provenientes de Jesus, já tem até uma intimidade com Jesus. Mas você não admitiu dar sua vontade humana totalmente para a Divina Vontade, não se entregou plenamente, não se consagrou por meio de Maria a Divina Vontade. Não deseja ficar permanente aceitando se renunciar para viver plenamente na Divina Vontade. Você acha que já tá bom sua vida de devoção, e acredita que não precisa se consagrar de novo.

Livro do céu Vol.29

Compartilhe a Divina Vontade