Livro Maria no Reino da Divina Vontade – 31 dias com Maria


Dias com Maria clique no Dia: 01 – 02– 03 –04– 05– 06– 07 – 08 – 09 –10 11 – 12 – 13 – 14 – 15 – 16 – 17 – 18 – 19 – 20 – 21 – 22 – 23 – 24 – 25 – 26 – 27 –28 – 29 – 30 – 31

      Vivendo com a Virgem Maria no Reino da Divina Vontade –
Livro Serva de Deus Luisa Piccarreta – 

Primeiro Dia

APELO MATERNO DA RAINHA DO CÉU

Querido(a) filho(a), sinto a necessidade irresistível de descer do céu para fazer-lhe minhas visitas maternais; se você me assegurar seu amor filial, sua fidelidade, eu sempre permanecerei com você em sua alma, para ser sua mestra, modelo, exemplo e terna Mãe.

Eu venho convidá-lo(a) a entrar no Reino de sua Mãe, no Reino, isto é, da Vontade Divina e bater na porta do seu coração para que você possa me abrir. Você sabe? Com minhas próprias mãos, trago-lhe este livro como um presente: ofereço-o a você com cuidado maternal, porque você, ao lê-lo, aprende a viver no céu e não mais na terra.

Este livro é de ouro, meu(a) filho(a); formará sua fortuna espiritual e sua felicidade até na terra. Nele você encontrará a fonte de todos os bens: se você for fraco(a), você ganhará força; se você for tentado(a), você vencerá; se você caiu em culpa, você encontrará a mão compassiva e poderosa que o(a) elevará; se você se sentir aflito, encontrará conforto; se frio, será aquecido; se estiver com fome, prove a deliciosa comida da Vontade Divina. Com isso você não vai perder nada; você não estará mais sozinho(a), porque sua mãe lhe fará companhia doce e com todo seu cuidado maternal ela assumirá o compromisso para te fazer feliz. Eu, a Imperatriz Celestial, pensarei em todas as suas necessidades, desde que você consinta em viver unido(a) a mim.

Se você conhecesse minhas ansiedades, meus suspiros ardentes e até as lágrimas que derramo por meus filhos(a)! Se você soubesse como eu me queimo do desejo que você ouça minhas lições de todo o Céu e aprenda a viver da Vontade Divina!

Neste livro, você verá maravilhas: você encontrará uma Mãe que te ama tanto, que foi capaz de sacrificar seu amado Filho por você, de modo a ser capaz de fazer você viver da mesma Vida da qual ela mesma viveu na terra. Oh, não me dê essa dor, não me rejeite! Aceite este dom do céu que eu lhe trago; Saúdo a minha visita, as minhas lições. Sei que viajarei o mundo inteiro, irei a todos os indivíduos, em todas as famílias, nas comunidades religiosas, em todas as nações, a todos os povos e, se necessário, irei por séculos inteiros, até formar meu Reino, minhas pessoas e, como mãe, meus filhos(a), que conhecem e fazem a vontade divina reinar em todos os lugares.

Aqui você está explicando o propósito deste livro. Aqueles que o recebem com amor serão os primeiros filhos afortunados que pertencerão ao Reino do Divino Fiat, e eu escreverei seus nomes em meu coração maternal. Veja meu(a) filho(a)? Esse mesmo amor infinito de Deus, que na Redenção queria Me usar para fazer a Palavra Eterna descer na terra, me chama mais uma vez no campo e me confia a árdua tarefa, a mandato sublime para formar os filhos do Reino da sua vontade divina na terra. Maternalmente atenciosa, então me coloco para trabalhar e preparo-te o caminho que te levará a este feliz Reino. Para este propósito, eu lhe darei lições sublimes e celestiais, e finalmente lhes ensinarei orações especiais e novas, através das quais você envolverá o céu, o sol, a criação, a minha própria vida e a do meu Filho, e todos os atos dos santos, para que em seu nome eles possam impetrar o adorável Reino da Divina Vontade. Essas orações são as mais poderosas, porque comprometem o mesmo trabalho divino. Através delas Deus se sentirá desarmado e conquistado pela criatura. Forte desta ajuda, você apressará o advento de seu Reino mais feliz na terra como no céu e, Comigo, você receberá a Vontade Divina como no Céu as almas a vivem, assim na terra, de acordo com o desejo do Divino Mestre. Coragem, minha filha; me faça feliz e te abençoarei.

Orações do Primeiro Dia

Rainha Imaculada, minha Mãe celestial, venho de joelhos para me abandonar em seus braços, para lhe pedir com os mais ardentes suspiros – neste mês consagrado a ti – a maior graça: que admita-me viver no Reino da Divina Vontade. Santa Mamãe, você que é a Rainha deste Reino, me aceita como seu(a) filho(a) para viver nele, para que ele não seja mais abandonado, mas povoado por seus filhos. Portanto, Rainha soberana, a ti eu confio, para que guie meus passos no Reino da Divina Vontade e, agarrado(a) à sua mão materna, tu guiarás todo meu ser, para que eu possa fazer vida perene na Vontade Divina. Você me fará como seu(a) filho (a), e a ti minha mãe, dou-lhe a entrega da minha vontade, para que eu possa trocá-la com a vontade divina e, assim, poder permanecer seguro (a) de não mais deixar esse Reino. Portanto, eu oro para que tu óh Mãe me ilumine para me fazer entender o que significa “Vontade de Deus”.

(Ave Maria)

Folha do mês (todos os dias do mês de maio):

De manhã, ao meio dia e à tarde, três vezes por dia, ajoelhe-se diante de nossa Mãe Celestial e diga:
“Minha Mãe, eu te amo e tu me amas, me dá um gole da Vontade Divina para minha alma; me abençoe para que todas as minhas ações sejam feitas  sob vossos olhos maternais “
(todos os dias antes da meditação e diariamente)

A alma para sua Rainha Imaculada:

Aqui estou eu, oh doce Mãe, prostrado (a) diante de ti; Hoje é o primeiro dia de maio, consagrado para ti, onde todos os seus filhos e filhas querem te saudar com suas pequenas flores para provar-lhes seu amor e assim terem sua atenção para amá-los, e quero ver como posso chegar para debaixo do trono celestial, onde és cortejada por hostes angelicais, e recebes as mais belas rosas, as violetas humildes, os lírios castos de seus filhos, e os agraciar com seus sorrisos de amor, com suas graças e bênçãos, e segurando ao coração, tantos presentes de seus filhos(a), vai tu mesma levá-las para o Céu, e reservá-las como depósito e coroa na hora de nossa morte.

Mãe Celestial, entre muitos, eu, que sou dos (a) menores, dos(a) mais necessitados(a) de seus filhos(a), eu quero ir ao teu ventre minha mãe, para trazer-te, não flores e rosas, mas um sol todos os dias. Mas a mãe deve ajudar o seu filho(a), dando-me suas lições do Céu, para me ensinar como formar-me divino(a), só assim você tem a mais bela homenagem e o amor mais puro. Doce Mamãe, sabias o quer este teu filho(a): Eu quero que você me ensine a viver da Vontade Divina, e eu, transformando meus atos e tudo de mim na Divina Vontade, vou de acordo com os seus ensinamentos, a cada dia eu te levarei em meu coração e todos os meus atos mudarão em si mesmos.”

Lição da Rainha do Céu:

Filha(o) abençoada(o): a sua oração tocou meu coração maternal, e me puxando do Céu já estou perto de ti minha(o) filha(o), para lhe dar minhas aulas sobre o céu.

Olhe para mim, querida(o) filha(o); milhares de anjos em torno de mim são reverentes, são todos atentos, para me ouvir falar do que o Fiat Divino, do qual é a fonte que possuo, e eu sei seus segredos admiráveis, suas infinitas alegrias, sua felicidade indescritível e seu valor incalculável . E, sendo chamada por ti, porque tu queres minhas lições sobre a Vontade Divina, é para mim a maior festa, e a alegria mais pura; e se você ouvir minhas lições, eu me alegrarei da sorte de ser sua mãe. Oh, como eu suspiro de ter uma(o) filha(o) que quer viver toda a vontade de Deus! Diga-me filha(o), você vai me agradar? Você vai me dar seu coração, sua vontade, tudo, vai se colocar em minhas mãos maternais, para que você se prepare, se disponha, se fortaleça, esvazie-se de tudo, para que eu possa preencher todos vocês com a luz da Vontade Divina e formar em vocês sua vida divina? Portanto, coloque sua cabeça no Coração de sua Mãe Celestial e esteja atenta(o) para me ouvir, para que minhas lições sublimes façam você decidir nunca fazer sua vontade, mas sempre a de Deus.

Minha(o) filha(o), ouça-me: é o meu coração maternal que tanto te ama e quer derramar-se sobre você. Saiba que eu tenho você aqui, escrito no meu coração e eu te amo como uma(o) filha(o) verdadeira(o); mas sinto-me uma dor, porque não te vejo como sendo a tua mãe. Mas você sabe quem nos faz diferentes? Aí, é a sua vontade, que tira o frescor da graça, a beleza que se apaixona pelo seu Criador, a fortaleza que conquista e suporta tudo, e o amor que consome tudo. Em suma, não é essa vontade que anima sua mãe celestial.

Você deve saber que eu conhecia a minha vontade humana apenas para mantê-la sacrificada em homenagem ao meu Criador; minha vida era toda a vontade divina. Desde o primeiro momento de minha Concepção fui moldada, aquecida e posta em sua luz, que purificou com seu Poder a semente humana, (de maneira) que fui concebida sem mancha original. Portanto, se minha Conceição era imaculada e tão gloriosa a ponto de formar a honra da Família Divina, foi somente porque o Fiat Todo-Poderoso derramou-se sobre minha semente, e pura e santa permaneceu concebida. Então, se a Vontade Divina não tivesse se derramado sobre a minha semente, mais do que uma mãe terna, para evitar os efeitos do pecado original, eu teria encontrado o triste destino das outras criaturas, de ser concebida com o pecado original. Portanto, a causa primária era toda a Vontade Divina; e assim fosse a honra, a glória, a ação de graças por ter sido concebida sem mancha de origem.

Agora, filha(o) do meu coração, ouça sua mãe: coloque sua vontade humana como uma área da sua humanidade; contente-se em fazê-la morrer em vez de (a) conceder-lhe um ato de vida. Sua Mãe Celeste preferiria morrer milhares e milhares de vezes, em vez de fazer um único ato de minha vontade. Você não quer, portanto, me imitar? Ah, se você mantê-la sacrificado em honra de seu Criador, o Divino fará o primeiro passo na sua alma e você vai se sentir moldado de aura celestial, purificada e aquecida, para que assim sinta destruir os germes de suas paixões, e você se sentirá colocada(o) nos primeiros passos do Reino da Divina Vontade. Portanto, esteja atenta(o); se você me for fiel em me ouvir, eu vou te levar, vou tomar-te pela mão nos caminhos intermináveis ​​da Fiat Divino; Eu vou manter-te defendida(o) sob o meu manto azul, e você será minha honra, minha glória, e minha a sua vitória.

Pontos de meditação:

“Milhares de anjos ouvindo suas lições sobre o divino Fiat”. 

Ao longo do trabalho tremendo da Serva de Deus Luísa Piccarreta, estes textos da meditação são os únicos que foram escritos sob o ditado direto da Divina Maria, Rainha do Reino Supremo da Vontade Divina. Um presente sublime e extraordinário, a ser recebidos com toda a gratidão possível, que a Rainha Mãe deu-lhe para animar as meditações de maio: uma para cada dia (é óbvio, no entanto, que também pode ser ter usado em diferentes contextos a partir do mês de maio). Ninguém sabe tudo sobre o divino Fiat, todos os seus segredos; ninguém como Maria apreciou sua infinita alegria e felicidade indescritível; ninguém pode entender, como Maria, o valor incalculável. A escola da Divina Vontade presidida pela Divina Maria, suas maravilhosas lições não podem ser iguais, nem mesmo entre os mais altos arcanjos do céu, que também vivem na Divina Vontade. Portanto, é necessário arranjar para receber um presente tão grande, um presente no presente, e torná-lo conveniente e santificante. O apelo da Rainha do Céu, também ditada por ela, é a introdução a este livro divino, Ela mesma diz que “aqueles que acolhem este presente com amor do céu, sua visita, suas palestras, serão os primeiros filhos(a) de sorte, que pertencerão ao reino do Fiat Divino “e ela escreverá seus nomes em letras douradas em Seu Coração Imaculado e Materno. Nossa Senhora não mente, nem pode mentir; ela não engana, nem pode enganar; ela não exagera, nem fala por excesso: o que ela promete aqui, indubitavelmente, ela concederá àqueles que, com humildade, alegria, gratidão e amor, aceitarem suas lições sem reservas e as colocarem na em sua vida até no último detalhe.

“O que a faz diferente de nós”

 A Divina Maria não tinha vontade própria, exceto para mantê-la ininterruptamente sacrificada à de seu Criador desde o momento da concepção. Nós, infelizmente, temos o monstro, a vergonha, o horror, a tragédia, a desgraça da nossa vontade humana, que é a causa de todos os nossos males, de toda a miséria, todo o nosso interior, bem como a feiúra exterior, mantêm a perda da graça, e tudo que nos torna odiosos para os outros e para nós mesmos, desagradáveis, desajeitados, mesquinhos e pequeninos. Nossa alma saiu bela e cheia de graça das mãos do nosso Criador. Houve um nano segundo, decorrido entre a sua criação pelo Altíssimo e sua infusão no zigoto formado pelos dois gametas dos nossos pais naturais, o que era bonito. Então desobedeceu manchando a culpa dos pais, porque “concebida em pecado fez nossa mãe” (cfr. Salmo 50) e desde então surgiu em nós o reino amaldiçoado da nossa humanidade separada, individual, rival e concorrente do Divino. E com isso a ruína e desgraça de toda humanidade. Esta distância entre a vontade do ser humano e o de Maria Divina, que foi sempre e para sempre fundida com a Vontade Divina, que é a distância mais abismal entre as galáxias no universo. E deve ser preenchido com um caminho de total desapropriação de toda a nossa vontade humana, por redescobrir união e fusão com o Divino. Ninguém como Nossa Senhora pode e sabe como nos ajudar neste empreendimento, do qual depende a plenitude da felicidade na terra e a abundância da bem-aventurança no céu.

“O que ela recebeu”.

 O Todo-Poderoso Fiat concedido à alma da Divina Maria entrou no zigoto formado (naturalmente) por seus santos pais Joaquim e Ana, sem ser infectado. Um milagre tão grande que perde apenas para aquilo pelo qual Jesus está presente na Eucaristia com todo o seu ser e que talvez somente no céu entendamos adequadamente. Ela, junto com seu Filho, Jesus, vieram para formar o novo casal da nova Criação, o novo Adão e a nova Eva, a primeira para viver, como Deus queria para nossos antepassados, em total união e fusão com a Fiat Divino. E eles tinham que ser colocados exatamente na mesma condição que os primeiros. Esta é também a causa da infinita humildade, incomparável, inatingível, divina e surpreendente de Maria, que sempre soube que toda a sua grandeza está enraizada na Imaculada Conceição e que esta era uma graça única e onipotente, dependente do Supremo Fiat, sem esta ela também teria sido uma alma “comum” e sujeita a contaminados desejos e todas as falhas congênitas que tanto dificultou e atormentou a raça humana, já muito destruída.

“O que ela fez”.

 Nada além da vontade divina. Sua vida foi a vontade divina. Ela teria se rendido ao mais violento das mortes para não fazer um único ato de sua própria vontade. E ela não fez. Nunca. Ela não sabia o que a palavra “eu” significava. Mesmo em resposta ao anúncio do anjo, ela teve o cuidado de não mencionar a si mesmo. Ela não respondeu: “aqui estou” (embora esta seja a versão comum), mas “aqui está a Escrava do Senhor: FIAT de mim de acordo com a Sua Vontade”. O ser de Maria coincidiu com o “ser Escrava” do Senhor. Nada funcionou que não tivesse a aprovação do Altíssimo e sempre e somente para sua mais alta Glória. Seu “FIAT” foi ininterrupto e Deus poderia trabalhar em sua amada filha como Ele queria, o que ele queria, quando ele queria, o quanto ele queria. Uma docilidade absoluta, obediência absoluta, humildade absoluta, pureza absoluta. Deus gostava de contemplar as maravilhas que Ele mesmo trabalhava nesta Criatura Sublime e Inigualável, o Mestre de todo o universo, do qual é a Rainha indiscutível, e absoluta. Que ela se digne a nos receber entre seus servos, filhos, escravos de amor, discípulos e estudantes na Escola da Vontade Divina.

O que você quer de nós”.

Que nós a imitemos, acima de tudo e acima de todos, e sacrificar nossa vontade ao Criador. Quem começou a mover os primeiros passos reais e concretos no reino da Vontade Divina já entende o que o Mestre Divino diz: que se mergulha em uma atmosfera de “aura” Vontade Divina. Um presente sublime e extraordinário, a ser recebido com toda a gratidão possível que a Rainha Mãe deu a essa pobre serva Luisa Piccarreta, para animar as suas meditações de maio: uma para cada dia (é óbvio, no entanto, que também pode se ter usado em diferentes contextos a partir do mês de maio). Ninguém sabe tudo sobre o divino Fiat, todos os seus segredos; ninguém como ela apreciou sua infinita alegria e felicidade indescritível; ninguém pode entender, como você, o valor incalculável. A escola da Divina Vontade presidida pela Divina Maria, suas maravilhosas lições não podem ser iguais, nem mesmo entre os mais altos arcanjos do céu, que também vivem na Divina Vontade. Portanto, é necessário arranjar para receber um presente tão grande, um presente no presente, e torná-lo conveniente e santificante. O apelo da Rainha do Céu, também ditada por ela, que é a introdução a este livro mais divino, Ela mesma diz que “aqueles que acolhem este presente com amor do céu, a sua visita, suas palestras, será do primeiros filhos e filhas de sorte que pertencerão ao reino do Fiat Divino “e ela escreverá seus nomes em letras douradas em Seu Coração Imaculado e Materno. Nossa Senhora não mente, nem pode mentir; ele não engana, nem pode enganar; ela não exagera, nem fala em excesso: o que ela promete aqui, indubitavelmente, o concederá àqueles que, com humildade, alegria, gratidão e amor celestial acolherem com gratidão e privilégio”; igual até aquele feliz “Fiat” com o qual o Dom da Vontade Divina foi recebido por ela, a tivesse feito mestre, começaram a ser diluídas, demolidas, até serem aniquiladas mesmo em seus germes as nossas paixões da nossa vontade contaminada; Finalmente, começa-se a sentir o calor do amor divino, que desce em uma alma que verdadeiramente e de forma séria abriu suas portas, fazendo-se sentir, percebida e desfrutada. Que este ciclo de meditações ser caracterizada por um clima de escuta profunda “bíblica”, que não é uma escuta somente passiva mas uma leitura edificante, mas uma escuta profunda que nos transforme interiormente e que resulte em colocarmos em prática todas as indicações recebidas até o mais ínfimo detalhe. Mesmo a lealdade perfeita para as pequenas flores (mensal e diária) e orações terem uma parte não negligenciada no processo de transformação que o Ensinamento da Rainha da Vontade Divina, quer implementar em seus filhos e filhas seja bem-vindo às almas.

A alma: 
Virgem Imaculada, leva-me para junto de ti e faz de mim seu filho(a); e com suas mãos sagradas, apodera-se vós de minha vontade, para purificá-la, moldá-la, aquecê-la com o toque de seus dedos maternos; e ensina-me a viver unicamente da vontade divina.


Folha diária:
Hoje, para me honrar, pela manhã e em todas as suas ações, você me dará sua vontade em minhas mãos, dizendo: Minha Mãe, ofereço por ti o sacrifício da minha vontade, ao meu Criador.


Jaculatória
Minha Mãe, feche a Vontade Divina em minha alma, para que ela possa tomar o primeiro lugar e formar seu trono e sua morada.


Segundo dia. ¨A segunda passagem da vontade divina na Rainha do Céu.¨

O primeiro sorriso da Santíssima Trindade em sua Imaculada Conceição

Oração preparatória para meditação:

Rainha Imaculada, minha Mãe celestial, venho de joelhos para me abandonar em seus braços, para lhe pedir com os mais ardentes suspiros – neste mês consagrado a ti – a maior graça: que admita-me viver no Reino da Divina Vontade. Santa Mamãe, você que é a Rainha deste Reino, me aceita como seu(a) filho(a) para viver nele, para que ele não seja mais abandonado, mas povoado por seus filhos. Portanto, Rainha soberana, a ti eu confio, para que guie meus passos no Reino da Divina Vontade e, agarrado(a) à sua mão materna, tu guiarás todo meu ser, para que eu possa fazer vida perene na Vontade Divina. Você me fará como seu(a) filho (a), e a ti minha mãe, dou-lhe a entrega da minha vontade, para que eu possa trocá-la com a vontade divina e, assim, poder permanecer seguro (a) de não mais deixar esse Reino. Portanto, eu oro para que tu óh Mãe me ilumine para me fazer entender o que significa “Vontade de Deus”.

(Ave Maria)

Folha do mês (todos os dias do mês de maio):

De manhã, ao meio dia e à tarde, três vezes por dia, ajoelhe-se em nossa Mãe Celestial e diga: “Minha Mãe, eu te amo e você me ama e me dá um gole da vontade de Deus para minha alma; dê-me sua bênção para que eu possa fazer todas as minhas ações sob seus olhos maternais ” (todos os dias antes da meditação).

 A alma para sua Rainha Imaculada:

Aqui estou novamente diante de seus joelhos maternos, para ouvir suas lições. Mamãe Celestial, sua(o) pobre filha(o) está confiada(o) ao seu poder. Sou muito pobre, reconheço; mas sei que tu me amas como mãe, e isso é o suficiente para eu me apressar a estar em seus braços, para que tu tenhas compaixão de mim; e abrindo os ouvidos do meu coração, tu me farás ouvir sua doce voz, para me dar suas lições sublimes. Tu, Santa Mãe, purificas meu coração com o toque de seus dedos maternos, para que guarde o orvalho celestial de seus ensinamentos celestes.

Lição da Rainha do Céu:

Minha(o) filha(o), me escute; Se você soubesse o quanto eu te amo, você confiaria mais em sua mãe e não perderia uma única palavra minha. Você deve saber que não apenas eu te escrevi em meu Coração, mas dentro deste Coração eu tenho uma fibra materna, o que me faz amar mais a ti do que a mim mesma. Por isso, quero fazer com que você sinta o grande prodígio que o Supremo Fiat operou em mim, para que você, me imitando, possa me dar a grande honra de ser minha(o) filha(o) e também Rainha. Como eu suspiro no meu coração, afogada em amor, para ter em volta de mim o nobre anfitrião das pequenas Rainhas e pequenos Reis. Então, me escute, minha(o) amada(o) filha(o).

Assim que o Fiat Divino foi derramado sobre a minha descendência humana, para impedir os tristes efeitos do pecado, a Divindade sorriu, e começou a festa em ver na minha criação a semente humana pura e santa, assim como Ele veio com suas mãos criativas na criação do ‘ homem. O Fiat Divino deu o segundo passo em mim, trazendo esta minha semente humana, Dele purificada e santificada, diante da Divindade, para que ela fosse derramada em torrentes acima de minha pequenez no ato de ser concebida. E a Divindade, percebendo em mim o belo e puro trabalho criativo, sorria com prazer; e querendo celebrar, o Pai Celestial derramou sobre mim: os mares do Poder; o Filho: os mares da Sabedoria; o Espírito Santo: os mares do Amor. Então permaneci concebida na luz interminável da Vontade Divina; e no meio destes mares divinos que minha pequenez não pôde conter, formei ondas muito altas para enviá-los de volta como dons de amor e glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo.

E a Divindade estava toda voltada para mim, e para não ser superada por mim em amor, sorrindo e me acariciando, ele me enviou outros mares, que me embelezaram tanto que, como minha pequena humanidade foi formada, eu adquiri a virtude seqüestradora de seqüestrar meu Criador; e Ele foi realmente levado, tanto que entre mim e Deus sempre foi uma festa; nada nós negamos um ao outro. Eu nunca lhe neguei nada e Ele também não. Mas você sabe quem me animou com essa força de um pinheiro? A vontade divina que reinou em mim como vida. Então a força do Corpo Supremo era minha e, portanto, nós tínhamos força igual para seqüestrar um ao outro.

Agora, minha(o) filha(o), ouça sua mãe: saiba que amo muito você e gostaria de ver sua alma cheia de meus próprios mares. Esses meus mares estão inchados e querem vazar; mas para fazer isso você deve esvaziar-se de sua vontade, para que o Divino Querer dê o segundo passo sobre você, e constituindo-se como princípio de vida em sua alma, chame a atenção do Pai Celestial, do Filho e do Espírito Santo para derramar em você com seus mares regurgitantes; mas para isso eles querem encontrar a mesma Vontade em você, porque eles não querem confiar seus indescritíveis mares de Poder, Sabedoria, Amor e Beleza à sua vontade humana.

Minha querida filha minha, ouça sua mãe; Coloque sua mão em seu coração e conte-me seus segredos: quantas vezes você esteve infeliz, torturada, amargurada, por que você fez sua vontade? Saiba que você rejeitou a Divina Vontade e caiu no labirinto dos males. Queria fazer você pura,

santa, feliz e bela, de uma beleza encantadora; e você, fazendo a sua vontade, você a fez, com tristeza, Você a colocou fora da sua querida casa, que é a sua alma. Ouça, filha do meu coração, isso é uma tristeza para a sua mãe, que eu não vejo em você o sol do Fiat Divino, mas a densa escuridão da noite de sua vontade humana.

Mas vamos lá, vamos lá! Se você prometer me dar a sua vontade em minhas mãos, eu, sua Mãe Celestial, te colocarei em meus braços, te colocarei em meu colo e reordenarei em você a vida da Vontade Divina, e você fará das minhas muitas lágrimas se formar em sorriso,  festa, o sorriso e a festa da Sacrossanta Trindade.

Pontos de meditação:

“A verdadeira santidade infalivelmente traz felicidade“.
O aspecto bonito, muito importante e primário desta meditação é a grande e profunda felicidade que a Santíssima Trindade quer dar àqueles que verdadeiramente acolhem a Vontade Divina. Isso também significa que em nós ou em alguém não vemos essa profunda felicidade, juntamente com uma beleza sobrenatural e uma autêntica santidade, não falsas, artificiais, afetadas, simuladas, ostentatórias (e isso deve ser provado, não dado por com desconto), significa que não há união com a Vontade Divina. Deus é absoluta FELICIDADE!

E feliz são necessariamente aqueles que vivem por Ele, Nele e para Ele! É verdade que aqui estamos num vale de lágrimas, mas devemos caminhar até lá como pessoas FELIZES. Profundamente feliz. A felicidade torna-se, assim, um critério fundamental de discernimento da verdadeira santidade e, portanto, de autêntica união com a vontade de Deus: se isso não existe, algo ou muito está errado e deve ser corrigido. Aceitamos o convite para colocar nossas mãos em nossos corações e contar nossos segredos a Nossa Senhora muito seriamente … olhando para trás, quantas torturas, amarguras e tristezas nós realmente nos comprometemos apenas porque, cavando fundo em nossos corações, nós sempre fizemos e apenas a nossa miserável vontade humana.

“A qualidade de amor entre a Trindade e a Madonna”.
Aqui está a vida do céu! A luta saudável e santa entre a generosidade divina que é dada e derramada com força e plenitude quando ela encontra um coração disposto a recebê-la e a resposta da criatura que retribui, na vontade divina, com tudo de si. Impressionante pensar que a Madona foi (e é) o “seqüestrador de Deus”, que os Olhos do Altíssimo foram (e sempre são) focados nela … Ela é Aquela que, de acordo com uma expressão um tanto ousada, talvez insana mas certamente verdade, ele realmente “virou a cabeça” no Altíssimo, o fez cair loucamente apaixonado e Ele encontrou nela, de uma maneira certamente misteriosa, mas muito verdadeira, um amado adicional e prazer além de sua eterna eternidade, felicidade infinita. É como se ele tivesse visto sua perfeição infinita e concentração absoluta em uma criatura acabada e limitada … e exultada na Felicidade Divina … Nem mesmo no Céu entenderemos o quanto a Santíssima Trindade ama infinitamente a Madona e se deleita nela … Ela retribuiu a Deus com um infinito amor de pomba pura, de amante Eterno Filho … e o Altíssimo foi como aspirado dentro daquele Imaculado Coração que era tudo, só e sempre apaixonado por Ele …

“O mar do poder”.
É lindo ver a complacência divina em Sua obra-prima, a Imaculada Conceição, e ver como ele gosta de desfrutar e derramar seus três mares (de poder, sabedoria e bondade, que são atribuídos a uma das Três Pessoas Divinas) em sua muito amada e amada, nossa mais linda e estupenda senhora e rainha, Maria! Estes mares, que Nossa Senhora evidentemente – como ela mesma, embora muito humilde, deve admitir – receberam de uma forma superlativa, superabundante e inestimável, também estariam disponíveis para nós. Deus quer dar-se também a nós. Que poder poderemos e deveremos ter? O poder da perfeita dominação de nós mesmos e o poder de fazer o diabo fugir, ele não pode manter os verdadeiros filhos de Deus sob o seu jugo ou sob o seu controle, diante dos quais ele só pode fugir para pernas levantadas! Obviamente, somente se eles são verdadeiros filhos de Deus e aprendem, como crianças nos braços de sua mãe, a renunciar a sua própria vontade e agir movido apenas pela vontade divina. Unidos à Divina Vontade, os filhos do supremo FIAT atropelam e desprezam o tentações e feche todas as fissuras da alma (a partir dos pensamentos, que são os primeiros) através dos quais a serpente baba, nojenta e tortuosa se arrasta. Perdidos e dispersos em Maria, dela fazem com que esmague sua cabeça continuamente, sem piedade, porque todo-poderoso eles se tornam na Vontade Divina e em união com o Todo-Poderoso pela graça …

O mar da sabedoria”.
O mar da Sabedoria é atribuído pela apropriação à Palavra Eterna de Deus, ao Logos divino, à Inteligência Suprema que é a Segunda Pessoa da Santíssima Trindade. A Santa Madre Igreja venera a Santíssima Madona como Sede de Sabedoria e ensina que aqueles que querem ter o mar de Sabedoria do qual a Trindade a inundou devem procurá-la e humildemente, pedir-lhe o dom da Sabedoria da qual ela está cheia. Entre as propriedades da Sabedoria, que é a compreensão de tudo em sua relação com a Vontade Divina, está o “discernimento”, que é uma virtude muito difícil para nós humanos e mortais, precisamente porque quase sempre somos muito, de fato muito humano … Nós o receberemos como um presente, em proporção à nossa união real com a Vontade Divina. Em primeiro lugar, a fidelidade aos dois grandes atos diários (o preventivo e a fusão) com os quais se une à Vontade Divina. Obviamente não é suficiente fazê-las, mas é necessário fazê-las sem nunca esquecê-las. A sabedoria é também a capacidade de ver as coisas de uma maneira sobrenatural e não humano, decodificando todas as realidades em que vivemos com os olhos da Fé. Por exemplo, olhando para um irmão que peca, não o julgue, não fique zangado com ele, não reaja mal fazendo mal, mas entenda que aquele pobre está se ferindo porque está fazendo a vontade da cobra (a humana …) e a única coisa correta a fazer é amar e rezar … e assim chegamos ao terceiro mar …

“O mar do amor”.
Aqui todos os nós retornam ao poleiro, aqui temos a única verificação autêntica de cada um dos nossos caminhos, aqui, como se diz no provérbio popular, todos os burros caem e todas as ilusões da fé colapsam. Certamente nenhum mortal pode se levantar como professor nesses assuntos; mas o único Mestre de todos nos ensinou que somente a verdadeira caridade é o critério do discernimento final e definitivo de uma verdadeira união com a Vontade Divina. São João diz duas vezes em sua primeira carta: Deus é amor (1 Jo 4.8.16). E até que a nossa vida se torne uma canção perpétua e incessante de amor a Deus e a todas as suas criaturas, estamos sempre muito “deste lado” de uma verdadeira e firme santidade. O amor é suprema beleza e beleza é amor supremo. É por isso que os santos, queimados pelo amor, mesmo quando não eram fisicamente bonitos, estavam vestidos com aquela beleza sobrenatural que emanava de sua pessoa e brilhava em seus olhos … O Espírito Santo, em si mesmo, é o amor do Pai e do filho do processo como uma pessoa divino; Seu ser eterno dentro da Trindade acontece como uma procissão do amor mútuo do Pai e do Filho. A caridade deve ser muito delicada e perfeita. Pensamos na delicada caridade de uma alma simples e analfabeta (nas ciências humanas, mas mais do que formada nos divinos) que era uma Natuzza Evolo. Ela foi tão cuidadosa em não perder a caridade nem um pouco, que quando uma pessoa doente apareceu para ela, cujo médico ela sabia (por revelação) ter o diagnóstico e terapia errados, para não falhar em caridade com o mesmo médico, ela sugeriu faça verificações adicionais, porque em alguns casos é melhor ouvir mais sinos … este mar será nosso e nós desfrutaremos de sua infinita doçura e beleza se vivermos unidos com a Vontade Divina.

Os “Totus tuus” consagrados veneram estes três mares todos os dias em sua Rainha através da “coroa de 12 estrelas” (uma das práticas externas da santa escravidão do amor) que é composta da coroa do Poder (o primeiro Pater e os primeiros 4 Ave), de Sapienza (o segundo e o segundo 4) e de bondade (a última série). Os filhos de Deus, em Maria, são: fortes e inexoráveis ​​contra o mal, que perdem todo o poder sobre eles, podendo limitar-se apenas à tentação e, em casos muito raros e excepcionais (na presença de grande santidade em ação ou em poder), para irritar, sem prejuízo de um domínio constante de si mesmo; cheio de discernimento e capaz de ter uma visão sobrenatural em todas as coisas; encher e transbordar com uma grande caridade e bondade ilimitada, muito ardente no amor de Deus e de Nossa Senhora, calorosa, presente, terna e santa afetuosa no amor fraterno. Eis o que aguarda aqueles que se abrem para o Reino da Divina Vontade. Como diz a Escritura: “felicidade perene vai ser excelsa em sua mente; alegria e felicidade te seguirá e fugirás da tristeza e das lágrimas “(Is 35,13).

A alma:

Mãe Celestial, se você me ama tanto, peço que não me deixe descer de seu colo materno; e como você vê que eu estou prestes a fazer a minha vontade, vigie a minha pobre alma e, fechando-me em seu coração, a força do seu amor queima minha vontade: então eu vou mudar suas lágrimas em sorrisos de prazer.

Folha diária:

Hoje, para me honrar, por três vezes você se ajoelhará, me entregando a sua vontade dizendo-me: “Minha Mamãe, esta é minha vontade, que ela seja tua, para que eu possa trocá-la com a Vontade Divina”.

Jaculatória

Minha Rainha Soberana, como seu divino Império tome a minha minha vontade, para que a semente da Divina Vontade possa entrar em mim.

Terceiro Dia: O terceiro passo da vontade divina na Rainha do céu.

O sorriso de toda a Criação para a Concepção da Criança Celestial

Preparação para oração para meditação:

Rainha Imaculada, minha Mãe celestial, venho de joelhos para me abandonar em seus braços, para lhe pedir com os mais ardentes suspiros – neste mês consagrado a ti – a maior graça: que admita-me viver no Reino da Divina Vontade. Santa Mamãe, você que é a Rainha deste Reino, me aceita como seu(a) filho(a) para viver nele, para que ele não seja mais abandonado, mas povoado por seus filhos. Portanto, Rainha soberana, a ti eu confio, para que guie meus passos no Reino da Divina Vontade e, agarrado(a) à sua mão materna, tu guiarás todo meu ser, para que eu possa fazer vida perene na Vontade Divina. Você me fará como seu(a) filho (a), e a ti minha mãe, dou-lhe a entrega da minha vontade, para que eu possa trocá-la com a vontade divina e, assim, poder permanecer seguro (a) de não mais deixar esse Reino. Portanto, eu oro para que tu óh Mãe me ilumine para me fazer entender o que significa “Vontade de Deus”.
(Ave Maria)

Folha do mês (todos os dias do mês de maio): De manhã, ao meio dia e à tarde, três vezes por dia, ajoelhe-se em nossa Mãe Celestial e diga: “Minha Mamãe, eu te amo e você me ama e me dá um gole da vontade de Deus para minha alma; dê-me sua bênção para que eu possa fazer todas as minhas ações sob vossos olhos maternais “.

A alma para a virgem:

Mãe Soberana, esta(o) sua(o) filhinha(o), arrebatada(o) por suas lições celestiais, sente a extrema necessidade de vir todos os dias de joelhos a ti, ouvi-la e colocar seus ensinamentos maternos em meu coração. Seu amor, sua doce voz, segurando-me perto do seu Coração em seus braços, infunde-me com coragem e confiança, que vós me dará a grande graça para me fazer entender o grande mal da minha vontade, e me fazer viver da Vontade Divina.

Palestra da Rainha do Céu:

Meus filhos, me escutem; é o coração de uma mãe que fala com você e, enquanto vejo que vocês querem me ouvir, meu coração se alegra e sente a certeza de que vocês meus filhos tomarão posse do Reino da Divina Vontade, que possuo em meu coração materno para entregá-lo a vocês. Portanto,   tenha cuidado para me ouvirem e escreverem todas as minhas palavras em seus corações, para que vocês possam sempre ouvi-las e moldarem suas vidas de acordo com meus ensinamentos.

Ouçam, meus filhos: assim que a Divindade sorriu e você celebrou a minha Conceição, o Supremo Fiat deu o terceiro passo em minha pequena humanidade.Tão pequenina, eu me agradei com a razão divina e movi toda a Criação em comemoração, fiz-me reconhecer por todas as coisas criadas para eles, Rainha. Eles reconheceram em mim a vida da Divina Vontade, e todo o universo se prostra a meus pés, embora pequena e ainda não nascida, e olhando para mim, o sol me celebra e sorri com sua luz, o céu me celebra  com suas estrelas, sorrindo para mim com seu brilho suave e doce e oferecendo-se como uma coroa brilhante na minha cabeça, o mar com suas ondas, subindo e descendo em paz, eu celebro; em suma, não foi criado nada que não se juntasse ao sorriso e à festa da Santíssima Trindade. Todos aceitaram meu domínio, meu império, meu comando e me senti honrada, porque depois de tantos séculos desde que Adão perdeu o comando e o domínio dos reis, retirando-se da Vontade Divina, eles encontraram sua Rainha em mim e toda a criação, proclamam-me Rainha do céu e da terra.

Meus queridos filhos, vocês devem saber que a Vontade Divina, quando ela reina na alma, não sabe fazer pequenas coisas, mas grandes; Ele quer centralizar todas as suas prerrogativas divinas na criatura afortunada, e tudo o que saiu de seu Fiat Todo-Poderoso a cerca e permanece obediente aos seus sinais. O que o Fiat Divino não me deu? Ele me deu tudo; o céu e a terra estavam em meu poder; Eu me senti dominante de tudo e também do meu próprio Criador.

Agora, meus filhos, ouçam sua mãe. Oh, como meu coração sofre vendo vocês fracos, pobres! Pois vocês não têm o verdadeiro domínio de dominarem a si mesmos; medos, dúvidas, apreensões, são aqueles que dominam vocês, todos os farrapos pobres de sua vontade humana. Mas vocês sabem porque? Porque não há em vocês a vida integral da Divina Vontade, que coloca todos os males da vontade humana em fuga, te fazem feliz e te preenchem com todos os bens que Ela possui.

Ah, se vocês, com um propósito firme, decidirem não darem mais vida às vossas vontades próprias, sentirão que todos os males morrem e revivem todos os bens em vocês! E então tudo vai sorrir para vocês, e a Vontade Divina também dará o terceiro passo em vocês, e toda a Criação celebrará a nova chegada no Reino da Vontade Divina.

Então, meus filhos, me digam, vocês vão me ouvir? Vocês me darão a palavra de que nunca, nunca mais farão a sua vontade? Saibam que, se fizerem isso, nunca os deixarei, ponham-me em guarda de suas almas, envolvam-se em minha luz para que ninguém ouse molestar meus filhos, te darei  meu império, para que você possa se impôr sobre todos os males de sua vida.

                                                                    Pontos de Meditação:

Tenha cuidado ao escutar. Escreva no coração e rumine as palavras da Rainha dos Céus “. 
Quando se avança no caminho dourado e divino da Vontade Divina, com um coração aberto, acolhedor e disponível, percebe-se imediatamente, clara e profundamente que aqui não é uma questão de “espiritualidade”, de um dos muitos “caminhos legítimos” de crescimento, e conversão, embora bela, útil e edificante, que a Divina Providência semeou no jardim da Sua Igreja. Essas coisas são todas muito bonitas, mas o caminho do “Supremo Fiat” e a união com a Vontade Divina supera a todos, os compreende e os sublima. Antes do hino à caridade, São Paulo escreveu: “Aspirar aos maiores carismas. E eu te mostrarei um caminho melhor do que todos “(1 Co 12:41). Imediatamente depois, no início do capítulo 13, começa aquela obra-prima única e totalmente divina da mais alta espiritualidade, na qual o apóstolo explica que mesmo as maiores e mais incríveis virtudes e os mais excepcionais e excelentes carismas ( a fé que move as montanhas, falando as línguas dos anjos, o poder de operar milagres, a posse de sabedoria e ciência, só para citar alguns) não são nada e em vão, em comparação com a caridade. Eis que este caminho é totalmente divino porque enquanto até que foi revelado, todos os santos se esforçaram, heroicamente, para fazer a Vontade de Deus (porque consiste em verdadeira e sólida santidade) com sua boa vontade humana precedida e apoiada pela Graça, aqui vamos mais além: vivemos na vontade de Deus, que se torna o sujeito de nossos atos através da vida de união com ela, dando-nos a extraordinária Graça de participar de suas prerrogativas e atributos divinos. Ele, portanto, entende todas as formas mais elevadas de santidade e as supera. É por isso que é necessário estar mais do que atento em ouvir, gravar essas palavras em nossos corações com um estilete, pensar nelas dia e noite e colocá-las em prática sem qualquer hesitação, seja qual for o custo. Só então começaremos imediatamente a provar os frutos requintados deste novo Éden …

“O terceiro passo do” Fiat “toda a criação aos pés de Maria, Rainha do Supremo Fiat. Imediatamente dotada a Divina Rainha do uso da razão e do livre arbítrio (doutrina, esta, comum na Igreja Católica), a Santíssima Trindade mostrou `a Nova Rainha aos criados e ordenou que estas fizessem sua devida e surpreendente homenagem. A Trindade sorria e estava celebrando, enquanto o universo inteiro estava em ato de adoração, cheio de júbilo, por sua rainha. Essas coisas não são imagens piedosas, esplêndidos poemas de amor, vôos estáticos (embora sacrossantos) de uma alma apaixonada pela Madonna, que imagina tal cena certamente digna Dela, mas apenas imaginada. Estas coisas aconteceram REALMENTE: e imediatamente a Rainha Maria, participando da Divina Onipotência e recebendo de toda a criação a aceitação de Seu Domínio (perdida pelo Primeiro Homem) e a proclamação de Sua Rainha, começou a exercer sobre ela seu império absoluto. . Nossa Senhora pode comandar e ser obedecida por qualquer entidade criada para a vida da Vontade Divina em seu presente, à qual nada e ninguém pode resistir ou se opor …

“A Fiat só sabe fazer grandes coisas”. A Madonna explica o que: “centralizar todas as suas prerrogativas divinas na criatura”
Pense profundamente, deixe-se abalar (sim, chocar !!!) por esta consideração. Recebendo as prerrogativas DIVINAS como um presente, com seus atributos? Sim senhor! Isso viveu a Madonna, isso é revelador – lembre-se: sob seu ditado direto, sem qualquer possibilidade que o instrumento humano colocou o seu próprio – e é isso que espera quem realmente entra (não em palavras ou linguagem, mas com fatos e, na verdade, pode-se e deve-se dizer parafraseando São João) em todo este mundo celestial e divino! Tudo se torna obediente aos filhos do Fiat Supremo e percebe-se que tudo é novamente submetido à criatura e que até mesmo o próprio Deus se dá voluntariamente e se oferece como um presente absoluto ao filho de sua vontade divina. Há simplesmente tamanha revelação para tirar o fôlego !

“Como está nosso coração?”
O primeiro passo do reinado da vontade divina é participar em sua criatura sua onipotência sob o aspecto do domínio absoluto de si mesmo: através de medos, dúvidas e apreensões e todos os farrapos da vontade humana, dos quais os corações dos filhos do homem estão abarrotados e dos quais eles mostram continuamente, ” 24 horas”. Não só os medos, dúvidas e apreensões, mas as preocupações, agitação, maldade, mesquinhez, egoísmo contínuo, exige atenção, esmolas ao afeto direita e à esquerda, medos também inteiramente irracionais, ansiedades, ressentimentos, rancores, inveja, ciúme, pequenas ( ou menos pequenas) inimizades, antipatias e todas as outras formas inumeráveis ​​e formas de sentir e de vontade humana. Não é material que entra no reino da vontade divina: são farrapos da vontade humana e devem ser queimados na fogueira do Divino. Mas aqui vem o nosso livre arbítrio e se e quanto acreditamos que somente nos despojando de tudo, nos tornaremos pequenos “deuses” na terra. Esqueça todas essas misérias mesquinhas e feias, que continuarão nos tiranizando e tirando sarro de nós novamente até que decidamos “tirá-las” de uma vez por todas …

“Dê à Madona sua própria palavra de honra”.
Seja sua a resolução firme  para matar a sua vontade, matar a de todos os seres humanos sem misericórdia e sem deixar nada vivo, sentirá a posse dos inumeráveis ​​bens de Deus oferecidos às criaturas e – quase certamente não de maneira sensível, mas não por isso menos verdade – receber-se-á como Maria o sorriso de Deus e da criação, que celebrará um recém-chegado no Reino da Divina Vontade, ao homem que retoma sua posição de Príncipe da criação, perdido com o nascimento da vontade humana. Nossa Senhora nos pede a nossa “palavra de honra” para fazer isso, prometendo em troca: primeiro, para proteger você pessoalmente,  uma alma que faz tal promessa; segundo, envolvê-lo com sua luz, porque ninguém se atreve a importuná-la (inclusive os demônios); terceiro, dar-lhe seu próprio império para que a criatura seja capaz de se auto dominar e governar todos os males advindos de sua própria vontade humana. Vale a pena! No trabalho, portanto, com uma vontade firme e resoluta, sem segundas intenções e sem voltar atrás!

A alma:

Mãe Celestial, suas lições descem ao meu coração e me enchem de bálsamo celestial. Eu te agradeço. Mas ouça, oh minha mãe: eu temo por mim mesmo(a); mas se você quiser, tudo o que eu fizer a partir de agora irei fazer com você. Abandono-me como uma criancinha nos teus braços e tenho certeza de que satisfarei seus desejos maternais.

Folha diária:

Hoje, para me honrar, você olhará para o céu, o sol, a terra e, ao unir-se a todos, por três vezes recitará três Glórias ao Pai…, para agradecer a Deus por ter me estabelecido Rainha de todas as criaturas.

Jaculatória

Rainha Poderosa, governa a minha vontade, para convertê-la em Vontade Divina.

Quarto dia. O quarto passo da vontade divina na rainha dos céus – Serva de Deus Luisa Piccarreta

O julgamento 

Preparação para oração para meditação:

Rainha Imaculada, minha Mãe celestial, venho de joelhos diante de seu colo materno para me abandonar em seus braços, para lhe pedir com os mais ardentes suspiros – neste mês consagrado a ti – a maior graça: que admita-me viver no Reino da Divina Vontade. Santa Mamãe, você que é a Rainha deste Reino, me aceita como seu(a) filho(a) para viver nele, para que ele não seja mais abandonado, mas povoado por seus(a) filhos)a). Portanto, Rainha soberana, a vós eu me confio, para que tu guies meus passos no Reino da Divina Vontade e, agarrado à vossa mão materna, tu guiarás todo meu ser, para que eu possa fazer vida perene na Vontade Divina. Você será minha mãe e como mãe eu faço a entrega da minha vontade para ti, para que eu possa trocá-la com a Vontade de Deus, e assim posso ter certeza de não deixar o Reino Dele. Portanto, eu oro para que vós me ilumine para me fazer entender o que significa “Vontade de Deus”.

(Ave Maria)

Folha do mês (todos os dias do mês de maio): De manhã, ao meio dia e à tarde, três vezes por dia, ajoelhe-se em nossa Mãe Celestial e diga: “Minha Mamãe, eu te amo e você me ama e me dá um gole da vontade de Deus para minha alma; dê-me sua bênção para que eu possa fazer todas as minhas ações sob vossos olhos maternais “.

A alma para a virgem:

Aqui estou novamente no colo da minha querida Mãe Celestial. Meu coração está forte. Repleto de amor pelo desejo de ouvir suas lindas lições; portanto me dê sua mão e me tome em seus braços. Neles eu passo momentos do paraíso, e me sinto feliz. Oh, como eu suspiro ao ouvir sua voz! Uma nova vida desce ao meu coração. Então fale comigo e eu prometo que colocarei com vossa ajuda, seus santos ensinamentos em prática.

Palestra da Rainha do Céu:

Meus filhos, se vocês soubessem o quanto eu amo abraçar vocês em meus braços, descansando no meu coração materno, para fazer vocês ouvirem o arcano celestial do Divino Fiat! E se vocês suspiram tanto para me ouvirem, são meus suspiros que ecoam em seus corações; é a sua mãe que quer os filhos, que quer confiar-lhes os meus segredos e contar-lhes a história do que a vontade divina operou em mim.

Filhos do meu coração, presta atenção em mim: é o coração da sua mãe que quer desabafar com os filhos. Quero contar-lhes os meus segredos, que até agora não foram revelados a ninguém, porque a hora de Deus ainda não tinha soado, que querer dar as graças às suas criaturas surpreendentes, que em toda a história do mundo não concedeu, quer dar a conhecer as maravilhas do Fiat Divino, o que pode operar na criatura se ela se deixar dominar, pois quer para me colocar à vista de todos, como modelo, porque tive a grande honra de formar toda a minha vida de Vontade Divina.

Agora, saibam, meus filhos, que assim que fui concebida celebrei a Divindade. O céu e a terra me celebraram e me reconheceram como sua rainha. Permaneci tão identificada com meu Criador, que me senti nos domínios divinos como amante. Eu já não sabia o que era separação com meu Criador; aquela mesma Divina Vontade que reinou em mim reinou Neles [as Pessoas Divinas], e nos tornou inseparáveis. E enquanto tudo era um sorriso e uma festa entre eu e eles, vi que eles não podiam confiar em mim se não tivessem um teste. Minha filha, a prova é a bandeira que diz vitória. O julgamento coloca em segurança todos os bens que Deus quer nos dar; a prova amadurece e dispõe a alma para compras de grandes conquistas; e eu também vi a necessidade deste teste, porque eu queria testemunhar ao meu Criador, em troca dos muitos mares de graças que ele me dera, um ato da minha lealdade que me custou o sacrifício de toda a minha vida. Como é bonito poder dizer: “Você me amou e eu te amei!” Mas sem prova nunca pode ser dito.

Agora saiba, filha do meu coração, que, conhecendo os graves males da vontade humana em Adão e em toda a sua descendência, eu, sua Mãe Celestial, embora recém-concebida, choramos amargamente e com lágrimas quentes sobre o homem caído; e a Vontade Divina, ao me ver chorar, perguntou-me como prova de que eu lhe desse a minha vontade humana. O Fiat Divino me disse: “Eu não lhe peço uma fruta como a Adão, não, não; mas eu te peço a sua vontade. Você vai mantê-la como se você não a tivesse, e sob o império da minha vontade divina, que será a sua vida e você se sentirá segura para fazer o que Eu vou querer de você “.

Assim, o Fiat Supremo deu o quarto passo em minha alma, pedindo-me a prova de minha vontade, esperando por meu Fiat e a aceitação de tal teste de mim. Agora, amanhã eu vou esperar por vocês de joelhos novamente, para fazer vocês sentirem o resultado do teste; e desde que eu quero que vocês imitem sua mãe, peço-lhes, que vocês nunca recusem qualquer coisa ao seu Deus, mesmo que forem sacrifícios que durem toda a sua vida. O nunca se mover no teste que Deus quer de vocês, sua fidelidade, é o chamado dos desígnios divinos em vocês e o reflexo de suas virtudes, que como tantos pincéis formam a alma do homem. Obra-prima do Ser Supremo. Pode-se dizer que o teste empresta a matéria às mãos divinas, para realizar seu trabalho na criatura. E dos que não são fiéis no julgamento, Deus não sabe o que fazer com eles; não só isso, mas perturba as mais belas obras de seu Criador. Portanto, meus queridos filhos, se vocês forem fieis no julgamento (nas provas), tornarão a Mãe mais feliz, não me faça ficar sem vocês, dêem-me a palavra e eu vos poderei guiar-vos, vos sustentarei em tudo como meus filhos.

Pontos de Meditação:

 

1.”O valor e importância da prova”.

A meditação deste quarto dia é muito importante para entender a relação entre Deus e a criatura inteligente. Estas são relações baseadas na liberdade de ambos e em um relacionamento pessoal e responsável da criatura em relação ao Criador. Antes de Deus, estamos todos nus e sozinhos: Deus nos trata como interlocutores livres e responsáveis ​​e quer ver nossas reações a suas iniciativas. De nós, não dos outros. Sem intermediários ou mediações (embora necessárias em muitos casos e estruturais na vida espiritual e da própria Igreja). Nunca devemos pensar que “tanto Deus sabe tudo”, nem acreditar que nossa vontade humana é irrelevante e, de qualquer modo, incapaz de arruinar os desígnios divinos: longe disso! A história do homem, desde o seu surgimento, é uma história de tragédias precisamente por esse motivo: o desastroso e fracassado exercício da liberdade, que envolveu o nascimento da vontade humana e o fim da felicidade para o homem. Havia provas para os anjos no Paraíso: alguns passaram, outros caíram irreversivelmente. Havia provas para nossos antepassados: eles não o superaram e arruinaram a raça humana. Uma prova foi dada para a redenção da raça humana e, como é fácil prever sem antecipar a meditação de amanhã, a Madonna a superou em grande escala. De acordo com o pensamento de vários autores de inventário, a prova dos anjos era a aceitação do mistério da Encarnação, com o consequente dever de adorar a Palavra Eterna em sua vestimenta humana e venerar Sua Mãe como sua Rainha e seu superior; o teste dos progenitores consistiu em não investigar o mistério da vida, deixando a Deus o conhecimento disto e foi violado por causa de um ato sexual; houve, portanto, também um julgamento para a Madonna e há um julgamento (e prova) na vida de cada ser humano e, portanto, para cada um de nós.

2. ” A prova é a bandeira que diz vitória“.
O julgamento coloca em segurança todos os bens que Deus quer nos dar; a prova amadurece e organiza a alma para compras de grandes realizações. Os exames realizados nas escolas também são chamados de “provas”. Nós somos o professor e nós somos a tarefa escrita. Se você estudou, vai passar, caso contrário, você será rejeitado. Se você passar em todos os testes, você alcançará a vitória, isto é o título (o diploma, o grau, o emprego, a promoção), senão não. É a lei da vida. O teste coloca todos os bens que Deus quer nos dar em segurança, porque somente depois de vencê-lo poderemos receber de Deus seus dons e bens sem transformá-los em nossa ruína: teremos o “certificado”! O teste amadurece, isto é, nos faz crescer e fortalece a alma para andar nos picos da santidade. Sempre e somente neste sentido, devemos ver e entender as provações da nossa vida, os porquês dos sofrimentos que são dados sem explicação para nós e não foi nós que os provocamos: Deus deve realmente saber, confiar em nós ou não e, portanto, confiar-nos os seus bens.

3. ” Nossa Senhora entendeu a necessidade e importância do julgamento”.
“Ela também viu a necessidade à esse teste, porque ela quis testemunhar ao seu Criador, para retribuir os muitos mares de graças que Ele a deu, um ato de sua lealdade à que lhe custou o sacrifício de toda a sua vida. Como é bom ser capaz de dizer: ‘Você me ama e eu te amei!’. Mas sem prova você não pode nunca dizer: Venci!”. Nossa Senhora também entendeu a importância e a necessidade de passar em um teste. Na saga do “Senhor dos Anéis”, escrita por Tolkien como uma grande alegoria imaginativa de algumas importantes verdades cristãs, encontramos a figura de Galadriel (que para muitos intérpretes parece simbolizar a Madona) que é testada para resistir ao sedutor encanto do anel do poder. Embora fortemente tentada, ela resiste e no final da luta põde dizer: “passei no teste”. Somos criaturas livres e é na aceitação e oferta gratuita dos sacrifícios necessários para superar as provações que DEMONSTRAMOS o nosso amor a Deus, dando-lhe a “certeza” (se é permitido expressar-se desta maneira) que Ele pode confiar em nós. Somente a ação, de fato, manifesta a vontade real da pessoa. E somente a ação, uma vez concluída, permanece como um fato indelével, do qual o próprio Deus só pode tomar nota. De fato, a Onipotência Divina pode intervir diante de uma ação para impedi-la; mas uma vez concluído, não pode ser cancelado. A Onipotência Divina pode intervir se, quando e como quiser sobre os efeitos dela, mas não cancelá-la. São Tomás de Aquino explica: “uma vez que uma ação tenha ocorrido, Deus não pode fazer acontecer”. É por isso que nossa resposta é tão importante. Além disso, até mesmo o amor prova-se aos fatos, como o grande São João nos lembra claramente: “Não amemos em palavras ou em linguagem, mas em obras e em verdade” ( Jo 3:18).

4. ” A ruína e a possibilidade de voltar ao Éden 
“.
A prevaricação de Adão diante do pecado de Eva, provou a perda de sua inocência, da santidade e felicidade, bem como o direito de dominar a criação. Exatamente os presentes imensos e magníficos que a Rainha do Céu tinha em plenitude: muito inocente, santíssimo e muito feliz desde a concepção e tendo um império ABSOLUTO sobre toda a criação e sobre os poderes do mal em particular. É certamente o que também nos aguarda, se avançarmos nesta maravilhosa jornada, no Reino da Divina Vontade, tomados pela mão e guiados neste mundo pela bendita Mão da nossa Santíssima Senhora, que nos habita e conhece como ninguém essa jornada de vida na terra. Nossa Senhora nada mais é do que “a vontade de Deus que se fez pessoa”; se, portanto, não chegarmos a esse grau de fusão com a Vontade Divina, ainda estaremos muito aquém de uma verdadeira devoção a Nossa Senhora, que, como ensinou o grande pai São Padre Pio.

5. ” O julgamento de Maria “.
expressão soberba com que Deus ofereceu ao teste: “Eu imploro a sua vontade. Você vai mantê-la como se eu não tivesse, sob o império da minha Vontade Divina, será uma vida em que vai sentir a certeza de fazer-nos o que vamos querer de você. ” A mesma coisa que Deus pede a qualquer um que queira entrar neste Mundo Divino. Ai de pensar que é o suficiente para nós foi Cristo fazer o ato preventivo, o ato de fusão, as ações reais, algumas rodadas no Fiat Criação e Redenção e “automaticamente” tudo já basta, e você pensa, diz e faz se torna “Vontade de Deus”. Ai de cultivar tal pensamento! Viver na Vontade Divina vai além de “fazer a Vontade Divina”, mas ir “além” pressupõe uma meta já alcançada. Na calma, gentileza e paz, devemos sempre vigiar nossos pensamentos, nossas palavras, nosso comportamento, nossas ações e nos perguntar: “É Vontade Divina? Nossa Senhora pensaria que essa coisa, isso diria, ela se comportaria dessa maneira, ela faria essa ação ou omissão? ” Ai de não cuidar de você e não trabalhar para corrigir-se! A união com a Vontade Divina torna esta tarefa enormemente mais fácil (se nos deixarmos ser moldados e manipulados como barro), mas Deus não faz isso por nós … E quando chegamos a conhecer uma Vontade Divina (ou Mariana, que é a mesma coisa), mesmo expressada na forma de desejo (Nossa Senhora nunca dá ordens, mas sempre mostra o que ela gosta e quer), mas devemos aceitá-la como lei e colocá-la em prática. Caso contrário, o caminho dourado da Vontade Divina se torna “poesia piedosa” e pode – Deus não permita – transformar mesmo em “ilusão piedosa”. Vamos dar alguns exemplos. Nossa Senhora quer orações, jejuns e penitências: eu faço isso? Ela pede participação frequente, intensa e devotada nos sacramentos que podem ser repetidos (confissão e eucaristia): eu faço isso? Ela pede a renúncia do mundo e seus ídolos (sexo, dinheiro, a caixa do diabo que é televisão, fumo, alcoolismo, boates, só para citar alguns …): Eu faço isso? Ela pede modéstia e dignidade em se vestir, para as mulheres em primeiro lugar, mas também para os homens: eu faço isso? Ele pede para ser, como você, apenas amor e amor lindo: eu faço isso? Ai daqueles que, como os fariseus, renovam a hipocrisia de enganar a si mesmos ou fingirem ser santos sem se esforçarem para ser um. É necessário se atentar à inspiração do Santo Espírito que nos guiará igualmente para assim percebermos o que podemos desfazer do errado que ainda dá tempo, e se conscientizar do que podemos pedir perdão, e seguir… Atentar-se a olhar para tudo o que é seu, e ver onde você está sendo colocado de maneira errada, seus atos e atitudes de reclamação, murmuração, falta de aceitação dos sofrimentos que você não pode mudar, falta de espírito de humildade diante de Deus nas orações, falta de amor para com Deus, com o próximo que vive contigo e te maltrata, falta de esperança de conversão e mudanças promovidas pelo poder da oração, falta de fé que não encontra em Deus alívio para suas penas, falta de amor pelos seus que pecam, e você os julgando que vão se perder, falta de paz de que Deus está no comando de tudo, e permite provas diárias para nós enquanto não demos ainda a Ele as respostas que Ele sonha receber. E muitos outros Fiat´s que devíamos oferecer diariamente dentro de nós.

A alma: 

Santa Mãe, conheço minha fraqueza, mas sua bondade maternal me dá tanta confiança que espero por você e assim contigo me sinto seguro(a); e coloco em suas mãos maternais as mesmas provas de que Deus se disporá de mim, para que vós possa me dar todas as graças necessárias para assegurar que eu não faça os desígnios divinos irem à ruína.

Folha diária:

Hoje, para me honrar, você virá três vezes nos meus joelhos maternos e me trará toda a sua alma e dores corporais; você trará tudo para sua mãe e eu te abençoarei, para infundir neles a força, a luz, a graça que é necessária.

Jaculatória

Mãe Celestial, me tome em seus braços e escreva em meu coração: “Fiat, Fiat, Fiat!”

Quinto dia.
O quinto passo da vontade divina na rainha dos céus: o triunfo do teste

Preparação para oração para meditação:

Rainha Imaculada, minha Mãe celestial, venho de joelhos diante de seu colo materno para me abandonar em seus braços, para lhe pedir com os mais ardentes suspiros – neste mês consagrado a ti – a maior graça: que admita-me viver no Reino da Divina Vontade. Santa Mamãe, você que é a Rainha deste Reino, me aceita como seu(a) filho(a) para viver nele, para que ele não seja mais abandonado, mas povoado por seus(a) filhos)a). Portanto, Rainha soberana, a vós eu me confio, para que tu guies meus passos no Reino da Divina Vontade e, agarrado à vossa mão materna, tu guiarás todo meu ser, para que eu possa fazer vida perene na Vontade Divina. Você será minha mãe e como mãe eu faço a entrega da minha vontade para ti, para que eu possa trocá-la com a Vontade de Deus, e assim posso ter certeza de não deixar o Reino Dele. Portanto, eu oro para que vós me ilumine para me fazer entender o que significa “Vontade de Deus”.

(Ave Maria)

Folha do mês (todos os dias do mês de maio): De manhã, ao meio dia e à tarde, três vezes por dia, ajoelhe-se em nossa Mãe Celestial e diga: “Minha Mamãe, eu te amo e você me ama e me dá um gole da vontade de Deus para minha alma; dê-me sua bênção para que eu possa fazer todas as minhas ações sob vossos olhos maternais “.

A alma para a virgem:

Soberana Celestial, vejo que tu me estende seus braços e se coloca de joelhos e eu corro, ou melhor, vôo, para desfrutar dos seus sagrados abraços, dos sorrisos celestes de minha Mãe Celestial. Santa Mamãe, sua aparência hoje é de triunfo e no ar do triunfo tu queres me dizer o triunfo do seu julgamento. Ah, sim, eu de bom grado vou ouvi-la e, por favor, me dê graça, para que eu possa triunfar nas provações que o Senhor vai dispor de mim.

Palestra da Rainha do Céu:

Meus filhos queridos, oh, como suspiro para lhes confiar meus segredos a vocês, segredos que me darão muita glória e que glorificarão esse Divino Fiat, que foi a principal causa de minha Imaculada Conceição, de minha santidade, soberania e maternidade! Eu devo tudo ao Fiat; e a mais nada. Todas as minhas sublimes honrarias com as quais a Santa Igreja me homenageia, não são nada além dos efeitos daquela Vontade Divina que me dominou, reinou e viveu em mim. Então eu suspiro tanto que saibam como ela (a Vontade Divina) é, que produziu tantos maravilhosos privilégios e efeitos em mim, para fazer o céu e a terra se maravilharem.

Agora escutem-me, queridos(a) filhos(a): como o Ser Supremo me pediu a minha vontade humana, explicando-me o grave mal que a vontade humana pode fazer na criatura, pois põe tudo em perigo, até as obras mais bonitas do mundo.

A criatura, com sua vontade humana, é toda oscilação, é fraca, inconstante, desordenada. E isto, porque Deus, ao criá-lo, criou-o unido como na natureza com sua vontade divina, de modo que tinha que ser força, o primeiro movimento, suporte, alimento, a vida da vontade humana. Assim, ao não darmos vida à Divina Vontade na nossa, rejeitamos os bens recebidos de Deus na criação e os direitos recebidos na natureza no ato em que fomos criados. Oh, quão bem entendi a ofensa grave que é feita a Deus e os males que chovem sobre a criatura! Eu tive tanto horror e medo de fazer a minha vontade, o que eu temia com razão, porque até mesmo Adão foi criado por Deus, inocente, e ainda, fazendo sua vontade, em quantos males ele e todas as gerações não caíram?

Portanto, eu, sua mãe, tomada pelo terror e mais pelo amor ao meu Criador, jurei nunca fazer a minha vontade; e para ter mais certeza e atestar melhor meu sacrifício Àquele que me deu tantas graças e privilégios, tomei esta minha vontade humana e a amarrei aos pés do Trono divino, em contínua homenagem ao amor e sacrifício, jurando nunca me servir, nem mesmo por um único momento da minha vida, da minha vontade, mas sempre da vontade de Deus.

Meus(a) filhos(a), talvez não pareça grande para vocês meu sacrifício, viver sem minha vontade; e eu lhes digo que não há sacrifício semelhante ao meu, na verdade todos os outros sacrifícios de toda a história do mundo podem ser chamados de sombras. Comparados ao meu, sacrificar-se um dia, agora sim e agora não, é fácil; mas sacrificar-se a todo momento, em todo ato, até mesmo no bem que se quer fazer para a vida, sem nunca dar vida à própria vontade, é o sacrifício dos sacrifícios, é o maior certificado que se pode oferecer, é o amor mais puro, atraído pela mesma Vontade Divina, que pode ser oferecido ao nosso Criador. Este sacrifício é tão grande, que Deus não pode pedir mais da criatura, nem pode descobrir como pode se sacrificar mais por seu Criador.

Agora, meus(a) queridos(a) filhos(a), como eu fiz um presente da minha vontade ao meu Criador, me senti triunfante no teste desejado por mim e Deus se sentiu triunfante na minha vontade humana. Deus esperou pelo meu julgamento, isto é, uma alma que viveu sem vontade, para ajustar os fósforos da raça humana, e para posar como misericórdia em misericórdia. Portanto, estou ansiosa para agora, para contar a história do que a vontade divina fez após o triunfo do teste. E agora, uma palavra para vocês, meus(a) filhos(a): e vocês saibam como eu suspirei ao ver vocês viverem sem a suas vontades próprias! Vocês sabem que eu sou vossa mãe e quero ver meus(a) filhos(a) felizes; mas como vocês podem ser felizes se vocês não decidem viver sem vontades, como sua mãe viveu? Se vocês fizerem isso, eu lhes darei tudo; Vou me colocar à sua disposição, serei toda sua filhos(a), desde que vós tenham o bem, o contentamento, a felicidade de serem filhos e filhas que vivam todas a Vontade de Deus.

Pontos de Meditação:

“Tudo para o Fiat devo: não sei mais nada”.

 As sublimes honrarias com que a Igreja homenageia a Amada Rainha de nossos corações são: a Imaculada Conceição e a plenitude da graça e confirmação na graça, que tornou a Madona impecável nesta terra e soberana absoluta da serpente do mal; a virgindade perpétua, que fez o desenho original da Santíssima Trindade brilhar no homem e também no amor humano em toda a sua beleza e plenitude, que não deveria ter conhecido a emoção da concupiscência ou a picada dos sentidos, mas ser muito ardente e pura subordinada ao amor primário de Deus, supremo e perfeitamente amado e servido; a Divina Maternidade, que a elevou acima de toda entidade criada, dando-lhe o privilégio único de poder dar a natureza humana ao Verbo Divino e ser Dele, em verdade em verdade, chamada “Mãe”; a Assunção ao Céu com a isenção da morte corporal e a imediata glorificação do Seu Corpo Santíssimo, Virgem e Imaculado; a partilha da realeza universal de Cristo, como a Rainha foi coroada e está à direita do Rei. Finalmente, mesmo que esses privilégios ainda não sejam objeto de veneração pública e oficial da Igreja (mas eles logo estarão, mesmo com a ajuda de todos os verdadeiros amantes e devotos da Santíssima Virgem), sendo ela co-redentora no sentido estrito da raça humana (como causa, subordinada a Cristo, mas real, da reabertura do céu, da possibilidade de ter novamente a Graça perdida e de escapar, para isso, da escravidão do diabo), o Medianeira de toda graça (porque todos elas, sem exceção, passam por ela, quer você goste ou não, acredite ou não acredite nisso), a Advogada universal da humanidade (pelo qual sempre intercede e sempre ” ele defende “defendendo a causa diante do trono do Altíssimo, diante do qual ela permanece sempre como e mais do que os sete anjos assistentes). Além destes, existem todas as honrarias e títulos listados nas litanias de Loreto. Aqui está o que a vontade divina quer e pode realizar em uma criatura pura e o que, de fato, alcançou! Tudo isso, na verdade, nada mais é que o efeito da Vontade Divina reinante, dominante e ativa em Maria Santíssima.

“A tragédia da vontade humana”.

A vontade humana põe tudo em perigo, até as mais belas obras de seu Criador. Não precisamos tanto temer como isso, sabendo que todo o trabalho infernal da serpente maligna consiste precisamente nisso: provocar o DESLIGAMENTO da vontade humana da vontade divina, cujo maior sucesso se realiza no pecado, que é precisamente, antes de mais nada, a separação, da vontade humana a partir da vontade divina, com consequente morte imediata da alma (no caso do pecado mortal) ou sangramento da ferida em ação (pecado venial) ou perda de oportunidades de crescimento, santificação e novas graças (imperfeições voluntárias e mesmo involuntárias). Essa vontade humana, esse monstro gerado pelo homem e seu livre arbítrio, “é tudo oscilações, fraco, inconstante, desordenado”.
Ao contrário da Virgem, que foi colocada no mesmo estado que nossos antepassados ​​antes da queda, nossa vontade infelizmente tem isso como ponto de partida, porque todos somos vulneráveis ​​à falha original. Mas o ponto de chegada da jornada da Vontade Divina, à qual Nossa Senhora nos conduzirá se formos fiéis a nossa jornada, é: uma PARADA e uma vontade não-oscilante; FORTE e não fraco; CONSTANTE e não inconstante; PEDIDO E EQUILIBRADO em tudo e não confuso. A vontade humana “oscila”: todos nós a experimentamos até que “paramos” em uma base sólida e segura.
O único fundamento seguro e sólido que Deus finalmente quis dar e revelar é o Reino da Vontade Divina. Estou profundamente convencido de que da aceitação ou não deste presente, depende muito não somente de cada alma individual, mas também do destino do mundo e da própria Igreja, nestes tempos muito difíceis e atormentados. A vontade humana é FRACA: é facilmente derrotada pelos inimigos, cai, é derrotada, desanimada, recua, fica assustada. A vontade humana também é INCONSTANTE: quantas vezes fizemos propostas (que são na maior parte vagas), ou mesmo promessas ou proclamações, para então abandoná-las com extrema facilidade? Quão inconstantes somos, por exemplo, em oração, em penitência, no cumprimento de nossos deveres, em nosso compromisso ativo com o crescimento das virtudes, na luta contra vícios e misérias emocionais, psicológicas e sentimentais?
A vontade humana é finalmente DESORDENADA, isto é, não age divinamente com ordem, equilíbrio, discernimento, peso e apenas mede e é freqüentemente enganada. A serpente infernal é um verdadeiro mestre para agir de maneira sutil, maligna e venenosa em nossa psique, sendo capaz de trazer danos incalculáveis ​​sob o pretexto (aparente) até de boas obras ou boas intenções. O trabalho das obras é revelá-lo e expor em primeiro lugar o que ele faz em nós, para então se tornar forte e capaz de combatê-lo e superá-lo mesmo fora de nós mesmos. Para que esse feliz programa aconteça “é necessário dar vida à Divina Vontade na nossa”, caso contrário, rejeitamos todos os bens recebidos de Deus na criação e os direitos recebidos na natureza no momento em que fomos criados.

Encontrando-nos em uma situação muito diferente daquela da Imaculada, esta atenção particular deve ser ainda mais destacada, a fim de não cair na ilusão espiritual de que nestas coisas, como os hereges luteranos disseram, “Deus faz tudo em nós sem nós”, justificando assim a nossa indiferença, a indolência e a abertura de uma certa porta ao fatalismo de desistir e ignorar essa oportunidade. O significado da meditação de hoje (e de ontem) é ver como Deus confiou a Maternidade Divina depois, seguindo a Imaculada Conceição e o pedido a Ela de toda a sua vontade, ele teve o seu consentimento na maneira em que a Divina Maria explica aqui e em que nos concentramos agora, Deus nos deu liberdade para escolher, mas ter duas opções apenas: Viver com Ele na Divina Vontade ou morrer pra sempre começando aqui, numa vida na nossa vontade própria que nos faz tão infelizes e egoístas!

“O maior dos sacrifícios (non plus ultra)”.

 A Rainha do Céu, teve um horror de tudo isso e um imenso medo (o único medo sagrado) de fazer a própria vontade, vendo os desastres que derivam disso não apenas para si mesmo, mas para o mundo todo. E ele fez seu ato heróico, que, como ela explica, não é imediatamente compreensível em seu valor por nossa humanidade limitada: vincular sua vontade humana (que era e estava muito viva e ativa, como em nós) aos pés do trono divino, jurando nunca usar NUNCA, nem mesmo por um momento de sua vida, sua própria vontade, mas sempre e somente a de Deus, e acrescentando que esse sacrifício não é comparável a qualquer sacrifício que possa ser oferecido a Deus. a condição humana, seja repetida, não nos faz compreender a imensidão absoluta de tal sacrifício, que não teve e nunca terá o mesmo. No entanto, pode-se ouvir o eco do que foi revelado a Montfort entre o final do século XVII e o início do XVIII: “A consagração perfeita a Maria consiste em entregar-se inteiramente, como escravo, a Maria e, por meio de Maria, a Jesus: depois, fazendo tudo com Maria, em Maria, por Maria e por Maria. Deixe-me explicar: Devemos escolher um dia importante para nos entregar, nos consagrar e sacrificar voluntariamente e por amor, não necessariamente, inteiramente, sem reservas, nosso próprio corpo e alma; seus próprios bens externos, como a casa, a família, a renda; os próprios bens internos da alma, isto é, méritos, graças, virtudes e satisfações. Aqui vale a pena notar que com esta devoção tudo é sacrificado a Jesus através de Maria, o que uma alma mais preza e da qual nenhuma Ordem religiosa requer sacrifício, isto é, o direito que temos de dispor de nós mesmos e de valor de suas próprias orações, esmolas, mortificações e satisfações; de modo que toda a disposição é deixada para a Santíssima Virgem, para que ela possa aplicá-la ao seu prazer e à maior glória de Deus, que somente ela sabe perfeitamente “[Segredo de Maria, 28-29]. “[…] com uma alma fervorosa e generosa, mais atenta aos interesses de Deus do que aos seus; que dá a Deus tudo o que ele tem, sem reservas, a ponto de não poder lhe dar mais, “non plus ultra”; que deseja apenas a glória e o reino de Jesus Cristo através de sua santa Mãe e se sacrifica inteiramente para alcançá-lo; […] Nosso Senhor e sua Mãe serão muito generosos neste mundo e no outro, na ordem da natureza e da graça (Tratado de verdadeira devoção, 133). A consagração “Totus Tuus”, nesse sentido, representa uma espécie de etapa quase obrigatória e necessária na jornada da Vontade Divina. Dois séculos antes de revelar a Luísa, o Espírito Santo, iluminando o grande santo bretão, exortou-a a fazer um sacrifício absoluto nas mãos de Nossa Senhora, submetendo a sua vontade a tudo nela e vivendo em perfeita e íntima comunhão com ela (todos com Você, através de você, em você mesmo e por você). Nossa Senhora fez sua consagração pessoal “tota tua” à Divina Vontade e foi inexoravelmente fiel a ela, 100% sem conceder um único ato precisamente a sua vontade humana.

“Viver sem vontade própria”. 

A Igreja, na esteira da Sagrada Escritura, sempre ensinou que a obediência vale mais do que todos os sacrifícios: “Samuel exclamou: O Senhor gosta de holocaustos e sacrifícios a ponto de obedecer à voz do Senhor? Eis que a obediência é melhor que o sacrifício, sendo dócil mais do que a gordura dos carneiros ”(1Sam 15,22). Cristo Jesus assumiu a condição de “escravo” tornando-se obediente até a morte e a morte na cruz (Fp 2: 8). “Por esta razão, ao entrar no mundo, Cristo diz: Você não quer sacrifício nem oferta, mas um corpo me preparou. Você não gostava de holocaustos ou sacrifícios pelo pecado. Então eu disse: Eis que venho – por causa de mim está escrito no rolo do livro – para fazer, ó Deus, a tua vontade “(Hb 10,5-7). Viver sem vontade própria é obedecer a Deus todos os dias; e não num sim e noutro não; julgar se é um pecado mortal, ou, se é venial; ou se é pecado, ou, só imperfeição. Mas ininterruptamente mantenha sua vontade sob seus pés para uni-la com o Divino. Para nós, pobres pecadores, há maneiras obrigatórias de conhecer a Vontade Divina: em primeiro lugar, os dez mandamentos, que devem ser bem conhecidos e compreendidos em seu significado e colocados todos e bem na prática, sem qualquer zona de sombra; imediatamente após a obediência a seus superiores legítimos, em primeiro lugar as autoridades da Igreja (papa, bispos, párocos) e suas leis, seus superiores diretos (marido da esposa, bispo de padre, guardião ou superior um religioso); então siga os deveres do estado (do cônjuge, do pai, sacerdote, consagrado, filho, etc.), que deve ser realizado com a maior perfeição possível; segue o conhecimento e a colocação em prática dos conselhos evangélicos e de todas as coisas que a vontade divina apresenta como melhor, sem medir-lhes ou justificar-se sob pena de pecado; ainda segue o conhecimento muito preciso e escuta dos desejos de Nossa Senhora, como eles foram manifestados nas muitas aparições autênticas dos últimos séculos; segue a atenção vigilante a toda imperfeição mínima, a luta contínua contra nossos defeitos (especialmente a predominante), a compreensão das motivações profundas que nos levam a agir com a nossa própria vontade de desmascará-las e colocá-las sob nossos pés. Um excelente meio de crescimento é colocar-se, voluntariamente, na obediência de um prudente, sábio e santo diretor espiritual, reduzir o perigo de que nossa vontade nos empreste alguma armadilha e nela caiamos contra nossa vontade, lembrando que aqueles que obedecem estão sempre seguros e que a obediência nunca é errada. Fazer o sacrifício da própria vontade e submeter-se a si mesmo e às próprias escolhas voluntariamente, sem ter qualquer obrigação, é uma ferramenta formidável para aterrar e matar a nossa vontade. A vida de união com a Vontade Divina evidentemente ajuda e contribui de maneira decisiva e decisiva, com os exercícios internos que ela envolve e com os efeitos admiráveis ​​que ela gera em nossas almas.

A alma:

Soberano triunfo, em vossas mãos de Mãe, ponho a minha vontade, para que tu mesmo como Mãe purifique-a e embeleze-a, e junto com a tua amarre-a aos pés do Divino Trono, para que eu não viva com a minha vontade, mas sempre com a de Deus.

Folha diária:

Hoje, para me honrar, em cada ato que você fizer, você me entregará a sua vontade em minhas mãos maternais, e você vai me rezar para que no lugar do seu eu, deixe a Divina Vontade fluir. Diga: Destrua oh mãe meu eu, e faça fluir em mim a Vontade Divina!

Jaculatoria

Rainha triunfante, roube minha vontade e me dê a vontade divina.

Sexto dia.
O sexto passo da Vontade Divina na Rainha dos Céus: após o triunfo do teste: posse.

Preparação para oração para meditação:

Rainha Imaculada, minha Mãe celestial, venho de joelhos diante de seu colo materno para me abandonar em seus braços, para lhe pedir com os mais ardentes suspiros – neste mês consagrado a ti – a maior graça: que admita-me viver no Reino da Divina Vontade. Santa Mamãe, você que é a Rainha deste Reino, me aceita como seu(a) filho(a) para viver nele, para que ele não seja mais abandonado, mas povoado por seus(a) filhos)a). Portanto, Rainha soberana, a vós eu me confio, para que tu guies meus passos no Reino da Divina Vontade e, agarrado à vossa mão materna, tu guiarás todo meu ser, para que eu possa fazer vida perene na Vontade Divina. Você será minha mãe e como mãe eu faço a entrega da minha vontade para ti, para que eu possa trocá-la com a Vontade de Deus, e assim posso ter certeza de não deixar o Reino Dele. Portanto, eu oro para que vós me ilumine para me fazer entender o que significa “Vontade de Deus”.

(Ave Maria)


Folha do mês (todos os dias do mês de maio):
 De manhã, ao meio dia e à tarde, três vezes por dia, ajoelhe-se em nossa Mãe Celestial e diga: “Minha Mamãe, eu te amo e você me ama e me dá um gole da vontade de Deus para minha alma; dê-me sua bênção para que eu possa fazer todas as minhas ações sob vossos olhos maternais “.

A alma para a virgem:

Mamãe Rainha, vejo você me esperando de novo e, estendendo a mão, me coloca em seu colo e me prende ao seu Coração, para me fazer sentir a vida daquele Divino Fiat que tu possuis. Oh, quão forte é o calor que vêm Dele! Quão penetrante é a sua luz! Oh, Santa Mãe, mergulhe o pequeno átomo da minha alma naquele Sol da Vontade Divina que você esconde, para que eu também possa dizer: minha vontade acabou, não terá mais vida, mas minha vida será a Vontade Divina.

Palestra da Rainha do Céu:

Queridos(a) filhos(a), confiem na sua mãe e preste atenção nas minhas lições; elas servirão a vocês para fazê-los abominar as vossas vontades e fazer vocês suspirarem por àquele Fiat Divino, que eu tanto amo para formar sua vida em vocês.

Meus(a) filhos(a), vocês devem saber que a Divindade se certificou de mim no julgamento que Ele queria, enquanto todos acreditam que eu não tinha provas, e que era suficiente para Deus fazer o grande portento que Ele fez de mim porque eu fui concebida sem mancha original. Oh, como eles se enganam! Na verdade, Ele me pediu uma prova de que Ele não perguntou a ninguém, e isto Ele fez com Justiça e grande Sabedoria, porque tendo que descer até meu seio a Palavra Eterna, não apenas não era decoroso que Ele encontrasse em mim a mancha de origem, mas nem era decente que Ele encontrasse uma vontade humana em mim. Teria sido demasiado impróprio para Deus descer a uma criatura na qual o humano reinasse. Aqui, portanto, Ele queria de mim como um teste, e por toda minha vida: minha vontade. Assegurando em minha alma o Reino da Vontade Divina. Tendo conseguido isso em mim, Deus poderia fazer o que Ele queria de mim; tudo poderia me dar, e posso dizer que nada poderia me negar. Por enquanto, voltamos ao ponto em que permanecemos. Eu me reservarei no curso de minhas lições para lhe contar o que esta Vontade Divina fez em mim.

Agora ouça, meus(a) filhos(a), depois do triunfo no julgamento, o Fiat Divino fez o sexto passo em minha alma, fazendo-me tomar posse de todas as propriedades divinas, na medida em que a criatura é possível e imaginável. Tudo era meu, céu e terra, e o mesmo Deus, de quem possuía a mesma vontade. Senti-me possuidora da Santidade divina, do Amor, da Beleza, Poder, Sabedoria e Bondade Divina. Eu me sentia como rainha de tudo; nem me senti um estranho na casa do meu Pai Celestial; Senti-me viva sua paternidade e a suprema felicidade de ser sua fiel filha. Posso dizer que cresci no colo paterno de Deus, nem conheci nenhum outro amor ou ciência, exceto o que meu Criador me deu. Quem pode dizer o que esta vontade divina fez em mim? Ele me levantou tão alto, ele me embelezou tanto, que os próprios anjos permanecem em silêncio, nem sabem por onde começar a falar de mim.
Agora, minha querida filha, você deve saber que, como o divino Fiat me fez tomar posse de tudo, me senti possuidora de tudo e de todos. A Vontade Divina, com seu Poder, Imensidão e Unipresença, colocou o seu amor pelas suas criaturas em minha alma, e eu senti um pequeno lugar no meu coração materno para cada uma delas. Desde que eu fui concebida, eu te trouxe para o meu coração, e oh, como te amei e te amo! Eu te amo tanto que me tornei uma Mãe com Deus; minhas orações, meus suspiros, são para vocês e, no delírio de minha maternidade, eu disse: “Oh, como eu gostaria de ver todos os meus(a) filhos e filhas possuidores de tudo, como eu sou!”

Portanto, ouçam a sua mãe: não queiram mais reconhecer sua vontade humana. Se vocês fizerem isso, tudo estará em comum entre vocês e eu; vocês terão o poder divino em seu poder; todas as coisas serão convertidas em santidade, amor e beleza divina. E eu, no calor do meu amor, como o Altíssimo me elogiava: “Toda linda, toda santa, toda pura, ó Maria”, direi: “Meus filhos e filhas são todos lindos, puros e santos; porque eles possuem a vontade divina ”.

Pontos de Meditação:

“Confie na sua mãe e preste atenção nas minhas lições”. 

É necessário ter plena confiança em nossa Mamãe, que é a melhor professora de como entrar e viver no reino celestial da Vontade Divina. Essas lições são tão densas que constituem um puro destilado de Sabedoria e Ciência Divina, que é necessário provar e assimilar suavemente e profundamente.

O Divino para Vontade humana, representa um verdadeiro DESLOCAMENTO na jornada rumo à santidade, uma mudança de marcha e um vôo para as praias celestiais, cheias de encantos e maravilhas. Só é necessário confiar em nossa mãe que nos leva pela mão para nos conduzir, de modo que a atenção a ser dada às lições dela sejam EXTREMA.

Estas palavras da Rainha do Céu, todas divinamente inspiradas, como todas as palavras de Nossa Senhora, pesam uma tonelada cada uma. É realmente necessário fazê-los descer como orvalho nos corações. Esses poucos pontos de meditação têm apenas o propósito de sublinhar algum aspecto particularmente significativo em si mesmo ou sugerir sua aplicação a pontos e fatos concretos da existência humana.

A importância da fidelidade aos “exercícios espirituais” (Jaculatória diária, folha diária, folha mensal, ato preventivo e ato de fusão) é reiterada, ao que este caminho implica.

“A divindade pediu a Madonna para um julgamento que ela não perguntou a ninguém.” Ela é quem deu tudo em tudo. Trata-se de tirar de uma vez por todas da cabeça (nunca fazemos o suficiente) a ilusão de que essas operações são exclusivamente divinas, tendo que nos limitar, quase como espectadores, a testemunhar a obra de Deus. Isso não é o caso, nunca será e nunca foi para nossa amada rainha e senhora. A vontade da Madonna teve que ser aniquilada, melhor FUNDIDA na Vontade Divina, tanto pela dignidade quanto pelo respeito devido à Palavra de Deus que teve que acolher (nem mesmo uma boa vontade, mas humana, teria sido digna de ser morada Dele), mas também – prestemos a atenção – porque somente confiando em Deus tudo poderia dar a ela sem perigo que o presente se transformasse em desgraça e ruína e, de certo modo, nada poderia negá-los.

Em que sentido? No sentido de que Deus, que é amor e felicidade absolutos, se Ele “poderia” preencher cada criatura com seus dons. Mas NÃO PODE fazê-lo, porque daria toneladas de açúcar a um diabético. Somente se a alma é desprovida de vontade própria e é uma fusão absoluta com a Vontade Divina, todo o perigo cessa. E o desejo de Deus (que gostaria de dar a si mesmo e dar tudo a todos)  pode ser implementado sem se transformar em veneno para a alma. Nós receberemos muito de Deus, tanto quanto nós, por sua vez, seremos totalmente FUNDIDOS com a Vontade Divina.

“A possessão das propriedades divinas”. 

Quais são as principais propriedades divinas? Aqui estão apenas alguns. Plenitude da felicidade; onipotência, para que tudo esteja imediata e irresistivelmente sujeito ao império de sua vontade; onisciência, para a qual nada lhe é desconhecido, nem o que é, nem do que foi e será, nem do que poderia ser (no presente e no futuro); amor absoluto e bem absoluto, perfeição absoluta em tudo: no pensar e no trabalho. Tudo isso a MADONNA teve (obviamente “quanto a criatura é possível e imaginável”) em consequência de seu heróico sacrifício da aniquilação de sua vontade de viver do único reino da Divina Vontade. Entre outras vantagens: a beleza absoluta (interior e exterior), a sabedoria divina (isto é, a capacidade de ler e relacionar TUDO em sua relação com Deus que é a causa primária. Deve ser lembrado que tanto o “equilíbrio” “discernimento”, virtudes que são tão necessárias e muito mais importantes do que pensamos. “Eu me senti como rainha de tudo.” Todas essas propriedades participam da criatura (e a percebe claramente) proporcionalmente ao que recebe o Dom e começa a viver, pensar e agir na Vontade Divina.

“Familiaridade com Deus e felicidade”.

 “Senti sua paternidade e a suprema felicidade de ser sua fiel filha viva. Posso dizer que cresci no colo paterno de Deus, nem conheci nenhum outro amor ou ciência, exceto o que meu Criador me deu. Quem pode te dizer isso o que essa vontade divina fez em mim? Ele me elevou tanto que me embelezou tanto que os próprios anjos permanecem em silêncio, nem sabem por onde começar a falar de mim ”. Esta foi a Divina Maria, que é a causa de imensa alegria, e felicidade para seus verdadeiros devotos, que desfrutam e se regozijam em sua alegria mais do que a sua própria. Mas isso também é preparado, de forma proporcional, é adequado, mesmo para aqueles que recebem e vivem o Presente! Para nós! Se formos fiéis e avançarmos, decisivamente e sem medo, ao longo deste caminho. É o suficiente para “respirar” a aura divinamente sobrenatural que essas meditações comunicam e sentir os efeitos altamente santificadores que elas deixam na alma para ter um gosto de tão feliz destino …
“O desejo da nossa rainha é que todos tenham o que ela tem”. Tendo a propriedade de tudo e do todo em geral, ela si possuía e o possui, em particular, sobre as almas criadas por Deus, que ela deseja fazer com que sejam partícipes, tanto quanto possível, desses presentes inefáveis ​​e extraordinários comunicados por Deus, que estão nela. Na medida em que nossa vontade humana morre para deixar somente o Divino viver, trabalhar e agir somente no Divino e Nele nutrido. Devemos parar de reconhecer nossa vontade humana como boa e nos convencermos de que esta é a causa de nada mais do que desastres e ruínas. Devemos notar que um dos sinais que começaremos a entrar e viver neste reino é saber reconhecer em TUDO (com a única exceção dos nossos pecados) é Vontade Divina! Como Santo Afonso Maria de Ligório explica bem. Se alguém te insulta – escreve o santo doutor – Deus que não quer a culpa, mas a proíbe, certamente lhe pedirá uma conta, nesta e na outra vida. Mas a Sua Divina Vontade, no entanto, permitiu que a lesão, embora Ele não queria a malícia do ato, Ele quer que você suporte a dor, aceitando-a e à Ele oferece-la, colocando em prática o preceito de amar o inimigo, respondendo o mal com o bem e orando por aqueles que te insultam e te caluniam. Até que esses novos olhos surjam, ainda estamos no limiar do Reino da Divina Vontade.

“A coisa mais importante”. 

O império de Maria evidentemente manifesta-se da melhor maneira na absoluta sujeição que satanás e todo inferno tem e teve contra ele. É verdade que a Madonna foi tentada (e muito), mas também é verdade que os dardos venenosos da cobra não a afetaram de forma alguma. Na Cidade Mística de Deus, de Sta. Maria d’Agreda, percebe-se muito bem como a serpente enlouqueceu de um lado e, de outro, imaginou como era possível que ali encontrasse um muro intransponível (esse trabalho certamente deve ser lido e preservado na sua biblioteca pessoal). A conseqüência de uma profunda união com Maria na Vontade Divina, portanto, é que o demônio cessa (e deve cessar) sua audácia arrogante e é reduzido a nada. Não no sentido de que não vai mais tentar ou não dar os tormentos que o céu permite (os mártires sabem alguma coisa sobre isso!) Mas NUNCA será capaz de controlar e atormentar à vontade com inúmeros males, infortúnios e sofrimento daqueles que vivem na área sagrada da vontade divina. NUNCA MAIS Nem zombar de tais criaturas. NUNCA MAIS A serpente é esmagada sob o sagrado e abençoado pé da Divina Maria, para o benefício imediato também de seus verdadeiros devotos e filhos da Divina Vontade; e tudo bem. Ele também estará sob nossos pés, se corrermos com as asas da pomba no caminho que a Divina Rainha Maria está nos seguindo.


A Alma para a Rainha do Céu:

Eu também te saúdo: “Minha Mãe Celestial é toda linda, pura e santa”. Por favor, se você tem um lugar para mim em seu Coração materno, feche-me nele, e assim terei certeza de que não farei mais minha vontade, mas sempre a de Deus, e Mãe e filha serão ambas felizes.

Folha diária:

Hoje, para me homenagear, você recitará três Gloria Pai três vezes, graças à SS. Trindade, pelo Reino que Ele estabeleceu em mim, da Vontade Divina, dando-me a possessão de tudo; e em fazer suas as palavras do Ser Supremo, em toda Glória você dirá a mim: “Minha Mãe é toda bonita, pura e santa”.

Jaculatória
Rainha do Céu, faça-me ser possuído(a) pela Vontade Divina!

Sétimo Dia : 

A Rainha do Céu no Reino da Divina Vontade toma o cetro de comando, 

e a Sagrada Trindade constitui sua  Secretária.

Preparação para oração para meditação:

Rainha Imaculada, minha Mãe celestial, venho de joelhos diante de seu colo materno para me abandonar em seus braços, para lhe pedir com os mais ardentes suspiros – neste mês consagrado a ti – a maior graça: que admita-me viver no Reino da Divina Vontade. Santa Mamãe, você que é a Rainha deste Reino, me aceita como seu(a) filho(a) para viver nele, para que ele não seja mais abandonado, mas povoado por seus(a) filhos)a). Portanto, Rainha soberana, a vós eu me confio, para que tu guies meus passos no Reino da Divina Vontade e, agarrado à vossa mão materna, tu guiarás todo meu ser, para que eu possa fazer vida perene na Vontade Divina. Você será minha mãe e como mãe eu faço a entrega da minha vontade para ti, para que eu possa trocá-la com a Vontade de Deus, e assim posso ter certeza de não deixar o Reino Dele. Portanto, eu oro para que vós me ilumine para me fazer entender o que significa “Vontade de Deus”.

(Ave Maria)

Folha do mês (todos os dias do mês de maio): De manhã, ao meio dia e à tarde, três vezes por dia, ajoelhe-se em nossa Mãe Celestial e diga: “Minha Mamãe, eu te amo e você me ama e me dá um gole da vontade de Deus para minha alma; dê-me sua bênção para que eu possa fazer todas as minhas ações sob vossos olhos maternais “.

A alma para a virgem:

Rainha Mãe, aqui estou aos seus pés prostrada. Sinto que, como sua(o) filha(o), não posso ficar sem minha ti; e embora hoje você venha a mim com a glória do cetro de comando e com a coroa de Rainha, mas você é sempre minha mãe; e, embora tremendo, eu me jogo em seus braços para curar as feridas que a minha má vontade fez com a minha pobre alma. Ouça, minha Soberana Mãe, se você não fizer um prodígio, se você não tomar seu cetro de comando para me guiar e manter seu império sobre todos os meus atos, para que minha vontade não tenha vida, aí, eu não terei o belo destino de entrar no Reino da Divina Vontade.

Palestra da Rainha do Céu:

Meus queridos filhos, venham para os braços de sua mãe e prestem atenção em me ouvir e vocês ouvirão as maravilhas sem precedentes que o Divino Fiat fez com sua Mãe Celestial.

Enquanto eu tomava posse do Reino da Divina Vontade, Ele terminou seus passos em mim – Muito mais do que estes seis passos simbolizaram os seis dias da Criação, em cada dia que pronunciou um “Fiat” que Ele fez como um passo, passando para a criação agora uma coisa e agora outra; no sexto dia ele deu o último passo de dizer: “Fiat! Façamos o homem à nossa imagem e semelhança “, e no sétimo ele descansou em suas obras, como se quisesse desfrutar de tudo o que Ele magnificamente criou. E (Deus), em seu descanso, olhando suas obras, disse: “Quão lindas são as minhas obras! Tudo é ordem e harmonia! “; e olhando para o homem, no ímpeto do nosso amor, Ele acrescentou: “Mas o mais belo é você; você é a coroa de todas as nossas obras “. Agora, minha criação superou todas as maravilhas da Criação e, portanto, a Divindade quis fazer com seus seis passos o Fiat em mim e começou sua vida plena – completa e perfeita em minha alma, e oh, em que alturas divinas eu fui colocada pelo ‘Altíssimo! Os céus não podiam me alcançar nem me conter. A luz do sol era pequena diante da minha luz. Nenhuma coisa criada poderia me alcançar. Atravessei os mares divinos como se fossem meus; meu Pai Celestial, o Filho e o Espírito Santo suspiraram em seus braços para desfrutar de sua filhinha; e oh, o contentamento que Eles sentiram ao sentir que, como eu os amava, orava a eles e adorava sua Alteza Suprema, meu amor, minha oração e adoração vieram de dentro da minha alma, do centro da Vontade Divina; eles sentiram ondas de amor divino vindo de mim, perfumes castos, alegrias incomuns, que partiu de dentro do céu que a sua própria Divina Vontade que se formou em minha pequenez, a tal ponto que eles nunca pararam de repetir: “Toda linda, toda pura, toda santa é nossa filhinha; Suas palavras são correntes que nos cativam; sua aparência são dardos que nos ferem; seus batimentos cardíacos são flechas que, ao nos fazer saltar, nos fazem delirar de amor! ” Eles sentiram o Poder saindo de mim, a Fortaleza de sua Divina Vontade, que nos tornou inseparáveis, e eles me chamaram: “Nossa filha invencível, que também trará a vitória sobre nosso Ser Divino”.

Agora me escutem, meus filhos; após a Divindade ter expressado o excesso de amor para comigo, Eles me disseram: “Nossa amada filha, nosso Amor não aguenta; ele se sente sufocado se não confiarmos nossos segredos a você; portanto, nós a elegemos para nossa fiel secretária; para você queremos confiar nossas tristezas e nossos decretos. A qualquer custo, queremos salvar os homens; veja como é precipitado; seu ímpeto rebelde continuamente o arrastando para o mal; sem a vida, a força, e o apoio da nossa Divina Vontade, ele se desviou do caminho de seu Criador e caminha rastejando pela terra, fraco, doente e cheio de todos os vícios. Mas não há outras maneiras intermediárias de salvá-los, nem outras saídas, exceto descer à Palavra Eterna, tomar seus restos mortais, suas misérias, seus pecados sobre Ele, juntá-los a Ele, superá-los por meio de amor inaudito de dores, para dar-lhes tanta confiança que Ele pode trazê-los de volta aos nossos braços paternos. Oh, como o destino do homem nos entristece!

Nossa tristeza é grande, e não podemos [confiar] a ninguém, porque não tendo uma Vontade Divina que os domine, eles nunca poderiam entender, nem nossa tristeza nem os graves males do homem caindo em pecado. Para você, que possui nosso Fiat, é dado para poder entendê-lo e, portanto, como uma secretária nossa, queremos revelar a você nossos segredos e colocar em suas mãos o cetro de comando, para que domine e impere sobre tudo, e seu domínio ganhe a Deus e a Deus o homem e trazê-los para nós como filhos regenerados em seu coração materno”. Quem pode lhe dizer, querida filha, o que meu coração sentiu nessa conversa divina? Uma veia de dor intensa se abriu em mim e propus, mesmo à custa da minha vida, a unir Deus e as suas criaturas.

Agora, meus filhos, ouçam a sua mãe: Eu vi vocês surpresos ao me ouvirem contar a história da possessão, no Reino da Vontade Divina. Agora sabe que esse destino também é dado a vocês; se você decidir nunca fazer a sua vontade, a Vontade Divina formará o seu Céu na sua alma; você sentirá a inseparabilidade divina; você será dado o cetro de comando sobre vós mesmos, sobre suas paixões. Vocês não serão mais escravos para si mesmos, porque somente a vontade humana escraviza a pobre criatura, rasga as asas do amor para Aquele que a criou, tira a força, o apoio e a confiança para correr para os braços do seu Pai Celestial, para que não possam conhecer nem seus segredos nem o grande amor com o qual Ele a ama e, portanto, vive como um estranho na casa de seu Divino Pai. Que distância a vontade humana lança entre Criador e criatura!

Então me escutem, me façam feliz; digam-me que vocês não darão mais vida às suas vontades e eu encherei todos vocês com a Vontade Divina.

Pontos de Meditação:

“Nossa filha invencível”. Deus fez com a Madona o que Ele fez com a criação e nós vimos nas seis meditações anteriores. O equivalente de hoje é o resto de Deus e seu desfrute do que é criado, o qual reaparece, em um grau maior, em nossa Rainha: como Deus gostava de olhar o esplendor da criação com o homem no topo, assim (de fato muito mais) Ele gostava contemplando Sua Obra Prima: Nossa Senhora e Rainha. Eles são maravilhosos, para serem degustados e contemplados, permanecendo em êxtase, envolvida e movidos pelas palavras que a Santíssima Trindade faz a ela: “Toda linda, toda pura, toda santa é nossa filhinha; Suas palavras são correntes que nos cativam; sua aparência são dardos que nos ferem; seus batimentos cardíacos são flechas que, ao nos fazer saltar, nos fazem dar delírio de amor! Nossa filha invencível, que também trará a vitória sobre o nosso ser divino ”. Isto é porque Eles sentiram fora deles “o poder, a força da sua Divina Vontade” e também o ardor da sua oração e adoração e do seu amor ardente que veio da sua alma muito pura fundida com a Vontade Divina. Sim, Nossa Senhora fez (e faz) entrar no “delírio de amor” (!!!) da Santíssima Trindade. Ela é invencível e até conquista o Ser Divino, obtendo sempre o que pergunta e quer. Ela é o Toda-Poderosa pela graça. É o modelo absoluto a seguir em tudo. É necessário aprender tudo com ela e deixá-la entrar o máximo possível dentro de nós, para que seu coração imaculado e ardente viva em nós e, unindo-nos em sua vida, nos torne, tanto quanto possível, uma criatura, outra Maria viva falando, trabalhando e, acima de tudo, amando. Saibam que neste livro, o objeto é Maria Imaculada como mestra, nos livro do céu, é Jesus o modelo soberano, que nos fala como ela nos fala neste. Maria é o modelo 100% Humano perfeito, e Jesus é o modelo 100% Deus e 100% homem mais que perfeito.

“Tudo é ordem e harmonia”. Nunca, especialmente nestes tempos miseráveis, onde o caos, a desordem e a desarmonia reinam de maneira generalizada, meditaremos suficientemente sobre essas características intrínsecas das obras divinas, que devem caracterizar profundamente o ser e o agir dos filhos da vontade divina. Tudo em nós deve ser ordem, harmonia e equilíbrio: em pensamentos, em palavras, em gestos, em obras, no exterior, na maneira como nos vestimos, mantemos nossas coisas (a casa, os ambientes de trabalho, o carro , etc.). TUDO. Se apenas se prestasse atenção a isso, muitos dos problemas e horrores atuais seriam evitados. Os exemplos aqui seriam infinitos. Eu só farei alguns deles, o resto depende da meditação pessoal de cada um. Existe ordem e harmonia, por exemplo, em determinados quadros de mensagens e discussões no Facebook? Existe ordem e harmonia quando se rebela, critica, insulta uma pessoa constituída por Deus em autoridade (os filhos contra os pais, os estudantes contra os professores, os cidadãos contra os governantes, os fiéis contra os seus pastores)? Há ordem e harmonia em ver que alguns homens de hoje se importam com o corpo e são mais vaidosos até do que as mulheres e que em muitas mulheres cada detalhe de seu porte é estudado para seduzir, atrair aparências indecorosas, exaltar até as qualidades da feminilidade são improváveis ​​para aparecer? Você poderia e deveria escrever um livro inteiro se quisesse fazer uma lista que eu não quisesse dizer exaustiva, mas pelo menos representativa da quantidade de desordem e horror produzida pela vontade humana, especialmente quando horrores, abominações, aberrações e monstros se multiplicaram dramaticamente nesses infelizes. Em todas as áreas, em todos os setores, em todos os níveis. Devemos manter firmemente que tudo o que difere da ordem e harmonia adquire intrínseca  INFELICIDADE. E a verdadeira FELICIDADE tão desejada pela raça humana é algo que só vem de Deus. Este equilíbrio e harmonia, perdidos com a falha original, devem ser recuperados, restaurados naqueles que vivem na vontade divina. Maria Santíssima certamente será de enorme ajuda e certamente um exemplo para nos levar a isso. Somente se aprendermos a nos perguntar com mais frequência, em nossos pensamentos, palavras e ações, se Nossa Senhora faria ou não o que eu vou fazer, diga: o que estou prestes a dizer, Maria Santíssima consentiria ou não no que estou pensando? Assim uma boa parte do trabalho já seria muito facilitado.

“O Confidente e o Guardião dos segredos do Altíssimo”. Somente a Nossa Senhora revela seus mistérios. Somente com Nossa Senhora Deus pode falar livremente, sem ser mal entendido ou não entendido. Somente de Nossa Senhora Deus pode ser confiável 100%. Somente de Nossa Senhora pode Deus ser totalmente compreendido. Somente de Nossa Senhora Deus quer e pode ser ajudado em seu plano de salvação para a Humanidade. Somente Ela pode nos conduzir infalivelmente ao VERDADEIRO Deus, desmantelando nossas falsas idéias e representações Dele. Somente Ela pode nos guiar no caminho da Verdade, que Ela conhece e entende perfeitamente e lança luz sobre cada erro, e heresia. Se Deus confia em 100% em sua amada Criatura, se Deus colocou o cetro de comando em suas mãos para que por meio dela os homens dominem e imperem sobre tudo e a si mesmos e (mesmo) Deus, em que loucura os homens não confiariam em tudo sobre ela e não se joguem em seus braços sem nenhuma reserva, tornando-se seus absolutos e fiéis escravos de amor,  obedecendo ao menor detalhe os seus doces convites? Nossa Senhora disse em Fátima, falando da consagração ao seu Coração Imaculado, que este seria o nosso refúgio seguro e o caminho que nos levaria a Deus. ”Por que Ela disse isso? Porque muitas maneiras, mesmo de boa fé, visitada por homens e mulheres embora animados por boas intenções, pela busca da verdade, pelo zelo, pela glória de Deus e pela salvação das almas, algumas dessas intenções podem não levar a Deus, mas à outros lugares. O provérbio popular diz que o inferno é pavimentado com boas intenções e seria bom lembrar disso com frequência. Só Maria sabe e pode nos ajudar, pois essa verdade é uma palavra falada pelo próprio Deus nesta meditação, que é sua secretária e guardiã de seus segredos, assim, é claro, que se acredite no que Luisa afirmou, ou seja, que essas meditações ocorreram sob o ditado direto da Madona. Deus diz: “ninguém pode confiar em nossa dor, se não você, que é capaz de entendê-la e, como secretária, queremos revelar nossos segredos para você”.

“Nosso destino”. Nossa Rainha diz: “esse destino também é dado a nós; se nós decidirmos nunca fazer a nossa vontade, a Vontade Divina formará o Céu na nossa alma; nós sentiremos a inseparabilidade divina; a nós será dado o cetro de comando sobre nós mesmos, sobre nossas paixões. O filho(a) de Maria, e da Divina Vontade, não será mais um escravo de si mesmo, porque somente a vontade humana escraviza a pobre criatura, rasga as asas do amor para Aquele que a criou, tira a força, o apoio e a confiança para correr para os braços da seu Pai Celestial, para que ele não saiba nem seus segredos nem o grande amor com o qual o ama e, portanto, vive como um estranho na casa de seu Divino Pai ”. Nós também podemos alcançar, obviamente de uma forma proporcional à nossa condição de criação marcada pelo tara da culpa de origem, uma união com a Vontade Divina que nos torna “inseparáveis ​​de Deus”: assim teremos o comando de nós mesmos e de nossas paixões . Pensamos em quantas paixões e sentimentos ruins do mal dominam totalmente o coração humano e quão pouco (e mal) eles podem ser controlados: assim não será mais se tomarmos este caminho de santidade, acreditando nisso, investindo em tempo e energia, sendo fiel até nos menores detalhes, incluindo as menores práticas e os compromissos que ela implica. Nós realmente precisamos fazer a nossa prática, transformando-a em grito de oração conforme inspiração nas palavras de São Paulo: joelhos se dobram diante do Pai, do qual toda família nos céus e na terra toma o nome, que Ele pode conceder, entender com todos os santos qual é a amplitude, comprimento, altura e profundidade [do mistério da Divina Vontade] e conhecer o amor de Cristo que ultrapassa todo o conhecimento, para que você seja preenchido com toda a plenitude de Deus, para aquele que em tudo tem o poder de fazer muito mais do que podemos pedir ou pensar, de acordo com o poder que já opera em nós, para ele a glória na Igreja e em Cristo Jesus por todas as gerações, para todo o sempre! Amém “(Ef 3: 14-21).

A alma:

Santa Mamãe, ajude-me; você não vê o quão fraco(a) eu sou? Suas lindas lições me levam às lágrimas, e eu choro minha grande infelicidade de ter caído tantas vezes no labirinto de fazer minha vontade, e me afastei do meu Criador. Oh, deixe-me ser como tu óh mãe, não me deixe comigo mesmo. Com o seu poder, una a vontade divina com a minha; feche-me em seu coração materno, onde terei certeza de nunca fazer minha vontade.

Folha diária:

Hoje, para me honrar, você ficará sob meu manto, aprenderá a viver sob meus olhos e, ao recitar três “Ave-Marias”, você me pedirá que todos saibam sobre a Vontade Divina. Dizendo: Mãe, que todos os seus filhos e filhas saibam sobre a Vontade Divina!

Jaculatória

Mamãe Celestial, feche-me em seu coração, para que eu aprenda com você a viver da Vontade Divina.

Oitavo dia.

 A Rainha do Céu no Reino da Divina Vontade teve o
mandato de seu Criador para salvar o destino da humanidade

 Preparação para oração para meditação:

 Rainha Imaculada, minha Mãe celestial, venho diante de ti de joelhos, para me abandonar em seus braços, para lhe pedir com os suspiros mais ardentes – neste mês consagrados a ti – para a maior graça: que me admite viver no Reino da Vontade Divina. Santa Mamãe, você que é a Rainha deste Reino, me aceita como seu(a) filho(a) para viver nele, para que ele não seja mais abandonado, mas povoado por seus filhos (a). Portanto, Rainha soberana, a ti eu me confio, para que guie meus passos no Reino da Divina Vontade e, agarrado(a) à sua mão materna, tu guiarás todo meu ser, para que eu possa fazer vida perene na Vontade Divina.  Me farás como teu(a) filho(a), e como minha mãe, dou-lhe a entrega da minha vontade, para que eu possa trocá-la com a vontade divina e, assim, poder permanecer seguro de não deixar o reino. Por isso, peço-lhe que me ilumine para me fazer entender o que “Vontade de Deus” significa.

(Ave Maria)

Folha do mês (todos os dias do mês de maio):

De manhã, ao meio dia e à tarde, três vezes ao dia, ajoelhe-se em nossa Mãe Celestial e diga: “Minha Mamãe, eu te amo, me ame e me dê um gole da vontade de Deus para minha alma; dê-me sua bênção para que eu possa fazer todas as minhas ações sob seus olhos maternais “.

A alma à Mandatária Divina:

Aqui estou eu, mãe celestial. Sinto que não posso ficar sem minha querida mamãe; meu pobre coração está inquieto, e então sinto-o em paz, quando estou em seu colo como um bebezinho, perto de seu coração, para ouvir suas lições. Seu doce voz suaviza todas as minhas amarguras, e minha vontade se entrega docemente para dar lugar a Divina Vontade, pois ela me faz sentir seu doce império, sua vida, sua felicidade.

Lição da Mãe Celeste:

Meus(a) queridos(a) filhos(a), saiba que amo muito vocês; confiem na sua mãe e assegurem-se de que vocês trarão a vitória sobre suas vontades próprias. Se vocês forem fieis a mim, eu vou assumir todo o compromisso em vocês, vou me fazer pra vocês uma verdadeira mãe, como pra Jesus eu sou; portanto, ouçam o que eu fiz por vocês no Altíssimo.

Tudo o que fiz foi me colocar no colo do Pai Celestial. Eu era pequena, ainda não nascida; mas a Divina Vontade, na qual eu já possuía a vida, tornou minhas visitas ao meu Criador acessíveis. Para mim todas as portas, as ruas, todas estavam abertas, e eu não tinha medo delas. Somente a vontade humana põe medo, desconfiança e faz as pobres criaturas ficarem longe Daquele que as ama tanto e quer ser cercado por seus filhos e filhas. Então, se as criaturas estão com medo, e não sabem ser como uma(o) filha(o) para seu pai e Criador, é um sinal de que a vontade divina não reina nelas, e portanto essas criaturas são torturadas, e se tornam os mártires da vontade humana. Portanto, nunca façam a vossas vontades, não queiram se torturar e se martirizar sofrendo sobre escravidão de suas próprias vontades humanas, que é o mais horrível dos martírios, sem apoio e sem força do seu criado.

Então me escute: eu me entreguei nos braços da Divindade; muito mais Eles esperando por mim e comemorando ao me ver. Eles me amavam tanto que na minha aparência eles derramavam outros mares de amor e santidade em minha alma. Nunca me lembro de tê-los deixado, sem acrescentar outros presentes surpreendentes.

Então, enquanto eu estava em seus braços, eu orei pela humanidade; e muitas vezes, com lágrimas e suspiros, chorei por vocês, meus filhos todos. Eu chorei por vossas vontades rebeldes, por seu triste destino vendo vocês colocados na escravidão dela, e que faz vocês infelizes. Ver meus(a) filhos(a) infelizes me fez derramar lágrimas amargas ao ponto de banhar as mãos do meu Pai celestial com o meu choro; e a Divindade, tocada pelas minhas lágrimas, continuou me dizendo:

“Nossa amada filha, seu amor nos liga, suas lágrimas amortecem o fogo da justiça divina, suas orações nos puxam para as criaturas, às quais não podemos resistir; portanto, damos-lhe o mandato para salvar o destino da raça humana. Você será nosso agente no meio deles. Nós confiamos suas almas a você; você defenderá nossos direitos, prejudicados por suas falhas; você estará no meio, entre eles e nós, para ajustar as partidas dos dois lados. Sentimos em você a força invencível da nossa vontade divina, que através de você reza e chora. Quem pode resistir a você? Suas orações são comandos, suas lágrimas reinam sobre o nosso ser divino: portanto, avance em seu empreendimento!”.

Agora, meus filhos e filhas, meu pequeno coração sentiu-se consumido pelo amor, pelos caminhos amorosos da fala divina e, com todo amor, aceitei seu mandato, dizendo: “Maior majestade: estou aqui, em seus braços; Dispõe de mim para o que você quer. Eu também darei a vida, e se eu tivesse tantas vidas por quantas criaturas (lá) são, eu as disponibilizaria para elas, para trazê-las todas seguras em seus braços paternos”. E sem saber então que eu tinha que ser a Mãe do Verbo Divino, senti em mim a dupla maternidade: maternidade por Deus, defender seus justos direitos, (e) maternidade pelas criaturas, em colocá-las em segurança. Eu me senti como Mãe de todos; a vontade divina que reinou em mim, que não pode fazer obras isoladas, trouxe-me Deus e todas as criaturas de todas as idades para dentro de mim. No meu coração materno senti o meu Deus ofendido, que queria estar satisfeito, e senti as criaturas, sob o império da justiça divina. Oh, quantas lágrimas eu derramei! Eu queria derrubar minhas lágrimas em cada coração, para fazer com que todos sentissem minha maternidade todo amor.

Eu chorei por você e por todos, meus(a) filhos(a). Então me escute; tem pena das minhas lágrimas; Tire minhas lágrimas para amortecer suas paixões e fazer com que sua vontade perca a vida. Por favor, aceite meu mandato, isto é, que você sempre faça a vontade de seu Criador.

Pontos de Meditação:

“Não há medo de Deus no Reino da Vontade Divina”.

As palavras de hoje da Divina Maria são tais que elas literalmente deixam você sem palavras, e somente com a ajuda do céu é possível balbuciar algumas palavras de comentário diante de tão grande e espetacular encantamento. A primeira coisa a considerar com extrema atenção é que aqueles que ainda não têm um relacionamento terno, filial, amoroso e pacífico com Deus – que é um Pai amoroso – sentem medo, desconfiança antes de atribuírem isso a problemas morais ou outros. Simplesmente pensar que nós somos totalmente escravos de sua própria vontade que, lembre-se, ela dá à alma o mais terrível e doloroso martírio (sem produzir qualquer fruto ou mérito) que pudesse existir: o de ser atormentado por sua própria vontade. Esta é uma revelação absolutamente decisiva e fenomenal. Meditar uma semana inteira somente neste ponto, seria tempo muito bem empregado … NÓS SOMOS FILHOS DE DEUS não escravos … chamados a um relacionamento íntimo e filial com Ele e descobrir, na Vontade Divina, que tudo o que nos rodeia e nos acontece nada mais é que seu eterno, ininterrupto, doce “eu te amo” para a criatura … Nada do que vem de Deus produz medo, ansiedade, angústia, desespero, medo … NADA … Fazer a nossa própria vontade significa torturar-nos e martirizar a nós mesmos, isto é ” o mais horrível dos mártires, sem apoio e sem força ”. Sem apoio porque Deus certamente não ajuda aqueles que fazem sua própria vontade humana em vez da sua Divina (no caso de a serpente maligna e amaldiçoada nos ajudar!); sem força porque esta situação esgota, destrói e mata. As almas que acreditam nesta revelação libertadora e feliz surgem! Mas ainda com bastante medo, ansiedades, que é apenas sua vontade própria! Que a doce escola da celeste Mãe Divina seja recebida e esqueça o horror de uma vida que é inteiramente e somente terrena e humana.

“Mergulhe na bondade divina e na condescendência”. Na medida em que alguém se livra da vontade e entra na divina, assim abre as portas da Divina Bondade e da Divina Condescendência à alma. Nossa Senhora, como proprietária da Vontade Divina e totalmente unida a Ela, teve livre acesso, de todas as portas, quando ela queria a Presença Divina e nunca retornou de mãos vazias de visitas a Seu Senhor. Em proporção à desapropriação de nossa vontade, nós também seremos progressivamente admitidos cada vez mais intensamente na Presença Divina e graças fluirão cada vez mais abundantemente em nós … A oração se tornará imersão e fusão em Deus, não mais uma obrigação, mas um desejo ardente e insaciável, um verdadeiro deleite e prazer da alma, mesmo em tempos de provação e aridez. Temos, portanto, outro espião de controle de nós mesmos e de “se” e “como” começamos a entrar neste mundo completamente divino: a “qualidade” de nossa oração. Se é escasso (pouca lembrança, pouca presença de Deus, pouca percepção de sua luz, pouco amor, pouco calor e fervor do coração), um sinal é que estamos muito longe do que Ele quer de nós … é um termômetro, para o que está aqui revelado, infalível. Deus é amor e quem quer que esteja diante Dele não pode senão permanecer “queimado pelo fogo do Amor Divino”. Se não é, é um sinal de que, mesmo que se diga “muitas orações”, ainda não descobriu o que é a “oração” … e não a experimenta.

“Dissolvidos na caridade divina”. A união absoluta com a Vontade Divina, fez a Virgem Maria, Nossa Mãe, Senhora e Rainha literalmente imbuídas de caridade divina. Tudo sobre ela é e fala de amor: seu olhar, a delicadeza e doçura de sua voz mais doce, a calma e ternura de seus caminhos, a profundidade e bondade de seu olhar do céu, compostura, modéstia de todos Seu porte. Ela “é” a pessoa que faz a caridade. E é misericórdia absoluta, isto é, compaixão que se dobra sem julgamentos e distâncias sobre o grande mal de que todos nós também somos vítimas: a escravidão à nossa vontade. Para nos tirar desta ruína e dessa tirania, ela chorou, chorou e chorou por toda a humanidade imersa em tanta ruína: também por mim e também por vocês que estão lendo estas palavras. E nunca esqueça disso! Com lágrimas de profunda compaixão, isto é, verdadeira e autêntica misericórdia, porque ela teria desejado ardentemente que todos fossem, livres deste monstro e deste verdadeiro câncer, porque a escravidão ao diabo é escravidão ao pecado e pecado está sempre fazendo a sua vontade e não a vontade de Deus. A única. Não há outros.

“A Mandatária Celestial e Divina”. Espetacular o mandato dado por Deus à nossa querida e amada Rainha: ser “mandataria”, isto é, mediadora entre a Divindade e todo homem, curadora dos interesses de Deus com o homem e com o alvoroço dos interesses do homem com Deus. Porque – e esta é uma antiga doutrina da Igreja – o pecado do homem é, além de ser uma séria ofensa contra o Criador e a ruína da criatura, também um dano aos seus Direitos Divinos (a “teoria dos direitos de Deus” danificada pelo pecado original e atual remonta ao tempo da patrística) e, como tal, exige justiça e reparação. Uma reparação e expiação, no entanto, que para ser aceito exigiria um sujeito de igual dignidade (Divina) e não manchado por qualquer falta (nem original, nem real). Esta é apenas uma das razões pelas quais o Verbo se tornou carne porque somente Ele, que contém ambos os requisitos, é Aquele que pagou nossa dívida para com a Justiça Divina. Ele queria associar a Madonna com a nova Eva: Não é uma deusa (e, portanto, sua função é dependente e subordinada à de Cristo, sem a qual ela não teria valor), mas tem inocência e vida no mundo no reino da vontade divina. Portanto, ela é o única representante “pura” da raça humana e pode obter de Deus a misericórdia divina sem a qual os homens – todos homens, sem exceção – seriam completamente perdidos. De fato, ela é a única que tem sido capaz de defender em todos os direitos de Deus e respeitá-los plenamente, nunca se afastando de seu Fiat Supremo, e ao mesmo tempo trazendo misericórdia divina para a humanidade com o poder de suas orações (que diante de Deus são comandos) e com a força de suas lágrimas: nada que a Divindade negue a esta Criatura Divina.

“A dupla maternidade de Maria e da justiça divina”. Nossa Senhora aceitou com alegria e a partir desse momento começou a viver o mistério da Dupla Maternidade, que fez da Mãe da Palavra (e portanto Paladina e Curadora dos Seus direitos) e de todas as criaturas (que teriam feito tudo para salvá-las e obtê-las) as graças necessárias para essa finalidade). “Eu me senti como a mãe de todos; a Vontade Divina que reinou em mim, que não sabe fazer obras isoladas, me trouxe Deus e todas as criaturas de todas as idades para dentro de mim “. Lembremo-nos também de que o mistério da justiça divina existe e é importante. E isso sempre nos lembra da importância da reparação (e da oração restaurativa) e da penitência: “No meu coração materno senti o meu Deus ofendido, que queria estar satisfeito, e senti as criaturas, sob o império da justiça divina”. Na medida em que estamos unidos à Vontade Divina, certamente e acima de tudo temos um relacionamento pessoal cada vez mais íntimo, doce e amoroso com Deus, mas, conscientes do estado de ruína e miséria da maioria dos homens (que vivem longe de Deus e escravos de sua vontade humana, como a viciados em um entorpecente), também poderemos, por sua vez, oferecer-nos como pequenas hostes de amor e reparação pelos Seus direitos ofendidos pelo mar dos pecados da humanidade (o que é o mais importante a fazer frente ao horrível espetáculo do mar de lama produzido pelos corações ingratos dos homens), para o qual, no entanto, nós, como a nossa Rainha, devemos aprender a ter um coração MATERNO: isto é, compaixão, piedade e misericórdia. Primeiro de tudo contra nossos vizinhos, vizinhos e “inimigos”. Nenhum outro sentimento ou emoção que estes. A força reparadora e expiatória da oração e da penitência de uma alma unida à Vontade Divina é também imensa, porque quem vive nela, em todas as suas obras, une-se à tripla intenção pela qual Jesus e Maria atuaram sempre na terra (máximo glória de Deus, salvação de almas e reparação de pecados) e, unidos ao infinito Poder do Fiat supremo, o valor de todo ato mínimo, mesmo de expiação e reparação, está na presença do Deus infinito.

A alma:

Mãe Celestial, meu pobre coração não aguenta ouvir o quanto você me ama. Ah, você me ama demais, até chorar por mim! Sinto suas lágrimas descerem ao meu coração e, como tantas feridas, elas me machucam e me fazem entender o quanto você me ama. E quero unir minhas lágrimas às tuas e orar a ti chorando que nunca me deixes sozinha, que me vigie em tudo, e se for preciso, me acorde com palmadas de mãe, e eu, como sua(o) filhinha(o), farei tudo por você, para que o seu mandato seja bem-vindo e você possa me levar ao Pai celestial em seus braços, como um ato consumado de seu mandato divino.

Folha diária:

Hoje, para me honrar, vocês me darão a vossa vontade, vossas dores, vossas lágrimas, vossas ansiedades, vossas dúvidas e medos, em minhas mãos maternas, para que, eu como sua mãe, guardo -as no meu coração materno, como promessas suas; e eu lhes darei a preciosa promessa da Vontade Divina. Diga: Senhora Rainha, eu me entrego inteiramente a ti, em tuas mãos me dou completamente, minhas dores, lágrimas, sofrimentos, medos, ansiedades, desconfianças, tudo em tuas mãos… como minha promessa de que sei que sem isso, não poderei receber de Deus a Vontade Divina.

Jaculatória:

Mãe celestial, derrame suas lágrimas em minha alma, para que eu possa curar as feridas que a minha vontade fez em mim.

Nono dia. 
A Rainha do Céu no Reino da Divina Vontade :

A vontade é constituída pelo Deus Celestial Pacificadora e
o
 vínculo de paz entre o Criador e a criatura

Preparação para oração da meditação:

Rainha Imaculada, minha Mãe celestial, venho de joelhos diante de seu colo materno para me abandonar em seus braços, para lhe pedir com os mais ardentes suspiros – neste mês consagrado a ti – a maior graça: que admita-me viver no Reino da Divina Vontade. Santa Mamãe, você que é a Rainha deste Reino, me aceita como seu(a) filho(a) para viver nele, para que ele não seja mais abandonado, mas povoado por seus(a) filhos(a). Portanto, Rainha soberana, a vós eu me confio, para que tu guies meus passos no Reino da Divina Vontade e, agarrado à vossa mão materna, tu guiarás todo meu ser, para que eu possa fazer vida perene na Vontade Divina. Você será minha mãe e como mãe eu faço a entrega da minha vontade para ti, para que eu possa trocá-la com a Vontade de Deus, e assim posso ter certeza de não deixar o Reino Dele. Portanto, eu oro para que vós me ilumine para me fazer entender o que significa “Vontade de Deus”.

(Ave Maria)

Folha do mês (todos os dias do mês de maio): De manhã, ao meio dia e à tarde, três vezes por dia, ajoelhe-se em nossa Mãe Celestial e diga: “Minha Mamãe, eu te amo e você me ama e me dá um gole da vontade de Deus para minha alma; dê-me sua bênção para que eu possa fazer todas as minhas ações sob vossos olhos maternais “..

A alma para sua Rainha do Céu

Soberana Senhora e minha Mamãe querida: vejo que vós me chama, porque sente o calor do amor que arde em meu coração, porque quer me contar o que fez no Reino da Vontade Divina à sua(o) filha(o). Quão bonito é ver seus passos dirigidos ao seu Criador; e como as pessoas divinas sentem o passos de seus pés, eles olham para você e se sentem encantados pela pureza de sua aparência, e esperam ser  espectadores de seu sorriso inocente, ao sorrir e brincar com você. Oh santa Mamãe, nas tuas alegrias, nos teus singelos ​​sorrisos ao teu Criador, não te esqueças da tua(o) filha(o) que vive no exílio, que tanto precisa, e que muitas vezes a minha vontade, espreitando, gostaria de me esmagar, de me afastar  o Reino da vontade divina.

Palestra da Rainha Celestial :

Filho(a) do meu coração materno, não temas, nunca te esquecerei; em vez disso, se você sempre faz a Vontade Divina e vive em seu Reino, seremos inseparáveis ​​e sempre levarei você com minha mão, para guiá-lo(a), e ensiná-lo(a) a viver no Fiat supremo. Portanto, baniremos todo o medo; Pois tudo é aqui é paz e segurança. A vontade humana que é a perturbação das almas e põe em perigo as mais belas obras, as coisas mais sagradas. Tudo é inseguro: a santidade, as virtudes e até a salvação da alma estão em perigo, e a característica daqueles que vivem da vontade humana é a volubilidade. Quem pode confiar naqueles que são dominados pela vontade humana? Ninguém, nem Deus, nem homens. Assemelha-se àquelas palhetas vazias que giram a cada sopro de vento. Portanto, meu(a) querido(a) filha(o), se algum sopro de vento quer fazer você inconstante, mergulhe no mar da Vontade Divina e venha se esconder no ventre de sua mãe, para que você possa se defender do vento da sua vontade humana, e segurarei você em meus braços fazendo você firme e seguro no caminho do Reino Divino.

Agora, meu(a) filho(a), siga-me perante a suprema majestade e me escute. Com meus vôos rápidos, alcancei seus divinos braços e, quando cheguei, senti seu amor regurgitante, que, como ondas impetuosas, cobria-me de seu amor. Oh, quão lindo é ser amado por Deus! Nesse amor, você sente felicidade, santidade, infinitas alegrias, e a criatura se sente tão embelezada, que o próprio Deus se sente arrebatado pela beleza utópica que infunde na criatura ao amá-la. Eu queria imitá-los e, embora pequena, não queria ficar atrás do amor Deles; então, das ondas de amor que me deram, formei minhas ondas, para cobrir meu Criador com o meu amor. Ao fazê-lo, sorri porque sabia que meu amor nunca poderia cobrir a imensidão do amor Deles. Mas com tudo lá Eu fiz o teste, e no meu lábio meu sorriso inocente apareceu. O Corpo Supremo sorriu ao meu sorriso e comemorou e brincou com a minha pequenez.

Agora, no mais belo de nossos estratagemas amorosos, lembrei-me do estado doloroso de minha família humana na terra e de que eu também sou de sua linhagem; e oh, como isso me machucou, e eu orei para que a Palavra eterna viesse abaixo para remediá-la; e eu disse isso com tanta ternura que consegui transformar o sorriso e a festa em lágrimas. O Altíssimo ficou tão comovido pelas minhas lágrimas, muito mais do que lágrimas de uma menininha, que ao me sacudirem ao seu Divino Peito me secaram as lágrimas e me disseram: “Filha, não chore; seja corajosa; em suas mãos nós colocamos o destino da humanidade, nós lhe demos o mandato, e agora, para consolá-la ainda mais, nós fazemos a paz entre nós e a família humana; portanto, é dado a você para fazer a paz acontecer. O poder da nossa Vontade, que reina em ti, impõe-se a nós para dar o beijo da paz à humanidade pobre, caducada e insegura “. Quem pode dizer-lhe, meu(a) filho(a), o que meu coração estava sentindo sobre essa condescendência divina? Foi tanto o meu amor que me senti desmaiada e delirante, procurando outro amor para refresca-lo.

Agora uma palavra para você, meu(a) filho(a). Se você me ouvir banindo sua vontade, dando o lugar real ao divino Fiat, você também será amado com amor utópico por seu Criador, você será seu sorriso, você o celebrará, e você será um laço de paz entre o mundo e Deus.

Pontos de Meditação:

  1. ” Em Deus tudo é paz e segurança “.A grande conhecedora de Deus, a única que o conhece muito bem, porque toda a Divindade se entregou à Divina Maria, não tem segredos para ela, e Ele não tem razão para não confiar totalmente nela e a ama como nenhuma criatura Do universo. Hoje nos confirma em letras muito claras, uma grande verdade de fé: em Deus tudo é paz e segurança. A aura mística e sobrenatural que envolve aqueles que entram nos caminhos celestiais da Vontade Divina é, acima de tudo, precisamente essa profunda sensação de paz, percebida como um estado permanente da alma, que não se abala com as vicissitudes da vida humana que muitas vezes agitam. os corações dos pobres filhos da humanidade. Deus é paz: o Jesus ressuscitado cumprimentou seu povo dizendo: “paz para vocês”. Ele é o Pacífico, a Divina Maria é a Pacifica, os filhos da Vontade Divina são os filhos da paz. Deus também é segurança. Assim que entendemos que estamos imersos na Vontade Divina, estamos rodeados por ela, a encontramos e podemos desfrutá-la em todos os lugares dentro e fora de nós: colocando a mão em nossos corações para ouvir sua batida, olhando para a forma de nossas mãos, voltando nosso olhar para qualquer criatura que nos rodeia, ouvindo os sons da natureza (o som dos pássaros, o canto dos grilos, o bater da chuva), respirando o cheiro das flores, a grama, o cheiro da comida e saboreando os frutos da Terra, reconhecendo sua mão providente a cada momento do dia, percebendo como Ele organiza tudo e fornece tudo (uma nomeação perdida, um evento inesperado, um despertar antes do tempo programado, uma súbita humilhação), é permeado de uma profunda sensação de segurança. Estamos seguros, porque estamos nas mãos de Deus a quem nada escapa nem pode resistir … TUDO, de fato, contribui para o bem daqueles que amam a Deus (Rm 8:29) e em tudo devemos aprender a ver a Vontade Divina em ação. Então, somente assim entendemos as palavras dos salmos, do grande rei Davi, se tornaram carne de nossa carne: “Se eu fosse andar num vale escuro, não temeria mal algum, porque tu estás comigo (sl 90, 1); o teu cajado e tua mão me dão segurança “(Sl 22,4)” abençoe o Senhor em todos os momentos, nos meus lábios SEMPRE cantem o seu louvor “(Sl 33: 2).

    2. “ A vontade humana: perturbadora e volúvel”
    . É difícil passar do oceano pacífico e da rocha sólida da Vontade Divina para reconsiderar a dolorosa miséria da vontade humana, o perturbador das almas, a mina errante que põe em risco e suja até coisas mais belas e santas. Nenhuma virtude é segura em uma vontade que age, pensa, deseja, raciocina e opera humanamente e muito em perigo é até a sua salvação. O que é preciso para o vômito e a cobra abominável seduzirem uma fraca vontade humana com um prazer carnal baixo e desprezível de cinco minutos, um excedente de nauseante e venenosa baba do inferno? Os homens são mais inconstantes do que as palhetas, totalmente não confiáveis. Não é por acaso que a Sagrada Escritura declara veementemente: “Maldito é o homem que confia no homem, que se apóia na carne” (Jr 17,5). Não há necessidade de dar exemplos porque quase todos os homens vivem assim. E se em nossas almas ainda encontrarmos sinais de inconstância, ou perturbação de qualquer tipo, medos emocionais ou psicológicos, medo do futuro, do amanhã, ou coisas assim, seria a prova certa de que ainda não cruzamos a porta sagrada da entrada do Reino Divino da Vontade de Deus. Apesar disso, os homens passam a vida procurando por apoio humano, afeições humanas nas quais encontrar certezas, entendimentos humanos … assim, passam de desapontamento em desapontamento, tristeza em tristeza, frustração em frustração, morte em morte.

    3. ” Os vôos de amor de Nossa Senhora nos braços do Ser Supremo”
    . Além de se mover, é fascinante ver a humildade e a desenvoltura despreocupada da Divina Maria, que, embora consciente de sua pequenez e limitações diante da imensidão infinita do Ser Supremo, não hesita em se empenhar num santo “terno de amor”, tecendo com Deus: Seu único amor, os “estratagemas amorosos”, como roteirista divino de um espetáculo nunca antes visto, ao qual homens escravos da vontade humana são indignos de ajudar, mas que entendem, imaginam e desfrutam entusiasticamente os felizes habitantes de vales místicos da vontade divina. Deus raptado por uma criatura, Deus que sorri satisfeito com o amor deste pequena (mas grande, divina!). Deus que com tal pequenez “tira sarro”, Deus que celebra com a alma mais pura e encantadora da Madonna. Ela “tentou” ver que ela poderia competir com o infinito mar do amor divino! E de alguma forma, por causa do amor, preencheu o abismo entre o infinito e o finito. Nessas visões absolutamente celestes, não existe apenas uma imagem do que o Paraíso será. Mas o Éden descobriu que pode para se tornar vida aqui na terra. Até a nossa vida pode canalizar através destas ruas do céu. Certamente não a estes níveis, e nem desta forma, não é verdade?

    4. ” A paz da humanidade”. Se alguém cuida da alegria de que a Divina Maria habitualmente em si mesma vive e a confronta com a verdadeira estupidez, insignificância, às vezes horrorosa com que os homens passam (indigna e muitas vezes barbaramente) sua vida terrena, não será difícil, para entender a dor que o Coração desta incrível Criatura que é a Madonna, sentiu. Ela sabia o que é “viver” e viu o doloroso, miserável, e mesquinho estado de toda a sociedade humana (exceto somente ela). Como, então, não ser tomada como uma compaixão materna, carinhosa e divina e tentar contar ao Seu grande Deus: “mas não podemos fazer alguma coisa porque essas pessoas pobres, vestidas de farrapos da vontade humana, entendam o que perderam e encontrem o caminho para recuperá-lo? ” E Deus confiou para ela, em vista da Redenção que o Verbo Encarnado teria cumprido, a tarefa de agir como um pacificador da humanidade, trazendo-lhe o beijo da paz de Deus e começando sua missão de fazer os infelizes entenderem que só em Deus e no seus sagrados testamentos teriam tido a oportunidade de encontrar paz, alegria e descanso …

    5. ” Podemos fazer Deus feliz e trazer paz ao mundo”.Deus desfruta a felicidade de suas criaturas, porque para aqueles que amam é prazeroso fazer o amado feliz. Portanto, ao entrar neste reino abençoado e feliz, a pessoa realmente dá “alegria” a Deus e, tendo encontrado paz com Ele e consigo mesma, tornam-se construtores e criadores da verdadeira paz no mundo. A partir do seu pequeno mundo (família, parentes, amigos, colegas, membros da própria comunidade paroquial, etc.) para continuar depois em todo o mundo. Paz, juntamente com mansidão e calma perpétua, estão entre as principais características distintivas dos filhos da vontade divina. Assim como o litígio  é a marca inconfundível da besta infernal e certa prova de sua presença ativa naqueles que a praticam. Em vez disso, é lindo ser amado por Deus e provar seus efeitos e dons. O caminho da Vontade Divina, se ainda não estivesse claro, é acima de tudo e antes de mais nada redescoberto em profunda imersão no “eu te amo” de Deus, do qual depende toda a nossa vida interior. E isso transforma totalmente a nossa vida.

A alma: 

Linda mãe, ajude sua(o) filha(o); ponha-me no mar da Vontade Divina, cubra-me com as ondas do amor eterno, para que eu não veja nem sinta aquela Vontade e amor humanos.

Folha diária:

Hoje, para me honrar, você me perguntará todos os meus atos e você os fechará em seu coração, para sentir a força da Vontade Divina que reinou em mim, e então os oferecerá ao Altíssimo, para agradecê-lo por todos os ofícios que me confiaram salvar criaturas.

Jaculatória:

Rainha da paz, deixe-me dar o beijo da paz da vontade divina.

Décimo dia.

 A Rainha do Céu no Reino de Vontade Divina Amanhecer que se levanta, 

para pôr em fuga a noite da vontade humana: seu nascimento glorioso.
 

Oração de oração pela meditação:

Imaculada Rainha, Mãe Celestial, venho de joelhos ao seu colo materno, abandonar-me em seus braços, para pedir com mais ardentes suspiros – este mês para ti consagrado – a maior graça: que me admita a viver no reino da Vontade Divina. Santa Mãe, você que é a rainha deste reino, aceita-me como o seu(a) filho(a) para viver nele, a fim de que n]ao fique mais deserto, mas povoado por seus (a) filhos(a). Portanto , Soberano rainha, me entrego a, para que guie meus passos no Reino Divino e perto de seu colo materno, você guia todo o meu ser, porque é a vida perene do rosto Divino. Você vai fazer-me também como tu para Deus, e como tu Minha Mãe, vou fazer a entrega da minha vontade, a fim de que em mim, aconteça a troca com a vontade divina  e assim poderei ter a certeza que não irei mais sair do seu Reino. Por isso peço-lhe que me ilumine para me fazer entender o que é a  “Vontade de Deus.”

(Ave Maria)

Folha do mês (todos os dias do mês de maio): De manhã, ao meio-dia e à tarde, três vezes ao dia, ajoelhe-se em nossa Mãe Celestial e diga a ela:

“Minha Mamãe, eu te amo, e você me ama e me dá um gole da vontade de Deus para minha alma; dê-me sua bênção para que eu possa fazer todas as minhas ações sob seus olhos maternais “.

A alma à Rainha do céu

Aqui estou eu, ó Santa Mamãe, perto do seu berço, para ser uma espectadora do seu nascimento portentoso. Os céus surpreendem, o sol olha para você com sua luz, a terra se alegra com alegria e se sente honrada, porque é habitada por sua pequena rainha recém-nascida, e os anjos competem para cercar seu berço para honrá-lo e estar prontos para seus sinais . Então todos eles te honram e querem celebrar o seu nascimento. Eu também me junto com todo mundo, e me prostro diante do berço, no qual vejo como você seqüestra sua mãe Anna e seu pai Joaquim, quero lhe contar minha primeira palavra, quero lhe confiar meu primeiro segredo, quero esvaziar meu coração seu e lhe diga: Minha Mamãe, você que é a aurora um arauto do Fiat divino na terra, por favor, ponha em vôo a noite escura da vontade humana em minha alma e no mundo inteiro!

Lição da Rainha Recém-nascida do céu:

Filha(o) do meu coração, meu nascimento foi prodigioso. Nenhum outro nascimento pode ser considerado semelhante ao meu. Eu encerrei em mim o céu, o sol da Divina Vontade, e também a terra da minha humanidade, uma terra abençoada e santa que continha as mais belas flores. E embora mal nascesse, eu continha o prodígio dos maiores prodígios; a Divina Vontade reinando em mim, que continha em mim um céu mais belo, um sol mais brilhante que a criação, da qual eu também era Rainha, incluindo também um mar de graças sem fronteiras, que sempre murmurava: amor ao Criador . Portanto, meu nascimento foi a verdadeira aurora que pôs em fuga a noite da vontade humana e, ao crescer, formou a aurora e chamou o dia mais esplêndido, para fazer surgir o sol da Palavra eterna na terra.

Minha(o) filha(o), venha ao meu berço e ouça sua pequena mamãe. Assim que nasci, abri os olhos para ver este mundo aqui embaixo, para ir em busca de todos os meus filhos, para fechá-los em meu coração, para dar-lhes meu amor maternal e regenerá-los para a nova vida de amor e graça, para dar seu passo para fazê-los entrar no Reino do divino Fiat, do qual eu era o possuidor. Eu queria agir como Rainha e Mãe, fechando todos em meu coração, para colocar todos em segurança e dar-lhes o grande presente do Reino divino. No meu coração eu tinha espaço para todos, porque para aqueles que possuem a Vontade Divina não há larguras estreitas, mas infinitas. Então, eu também olhei para você, minha(o) filha(o); Ninguém me escapou. E como todos comemoraram meu nascimento naquele dia, foi uma festa para mim também;principalmente para abrir meus olhos para a luz.

Oh, em que abismo da escuridão é a criatura dominada pela vontade dela! É a noite real, mas a noite sem estrelas; no máximo, alguns flashes fugitivos, flashes que são facilmente seguidos pelo trovão, que retumbam na escuridão e sobrecarregam a tempestade sobre a pobre criatura, tempestades de medo, fraquezas, perigos, quedas no mal. Meu pequeno coração foi esfaqueado para ver meus filhos sob esta horrível tempestade, na qual a noite da vontade humana os tinha varrido.

Agora ouça sua mamãe: ainda estou no berço; Eu sou pequena; olhe minhas lágrimas por você! Sempre que você faz sua vontade, é uma noite que você forma para si mesmo, e se você soubesse o quão ruim é para você esta noite, você choraria comigo. Isso faz com que você perca a luz do dia da Sagrada Vontade, vira você de cabeça para baixo, paralisa você pro bem, quebra o seu amor verdadeiro, e permanece como uma(o) pobre doente, que não tem as coisas necessárias para se curar. Ah, querida(o) filha(o), ouça-me: nunca faça a sua vontade; Dá-me a palavra que agradará a sua pequena mamãe.

Pontos de Meditação:

  1. ” O amanhecer que você quer “.O que mais desejamos, aparecer na nossa alma um novo amanhecer, novo, magnífico e que possa trazer à alma uma nova Luz, nunca vista, esplêndida e surpreendente: a luz da Vontade Divina. É necessário abrir-se a este novo Amanhecer, tomando a firme resolução de colocar a vontade humana sob nossos pés e abrir a porta para a Luz do Divino Sol brilhando na Divina Maria. “Somos mais fracos todos os dias e incapazes de ver, pacifistas não por escolha e medo da dor; inimigos de nós mesmos, trancados na casa esperando que o mundo mude para fora, mas sem intervir. Não é a solução exata: nesse ritmo nunca iremos mudar, nunca nos levantaremos, se não dermos um passo em direção ao Paraíso, ele não virá até nós, para nunca ter dúvidas, é inútil esperar pelos outros quando sabe que tudo começa se você quer isso. Não acho que coragem seja um valor do passado, que o desejo de mudar pareça um crime. Que essa indiferença é apenas um jeito mais educado, para continuar tudo como eles deram a você.

Estamos contemplando a aurora que nasce no nascimento terreno da Divina Maria: o sol da Divina Vontade, o Divino Fiat surge na terra, ansioso, desde então, para nos comunicar. É um novo amanhecer, nunca visto antes (e nunca mais visto): Alba anunciando o advento do Sol, Jesus Cristo, nosso Senhor, fez ao homem porque a Divina Vontade, fundida Nela na Encarnação, ela percebeu através dela a redenção da humanidade. Esta alvorada é agora sobre quem está fazendo esta meditação com amor. Como o nosso Senhor disse a Luísa, somente entrando em contato com o mundo divino da Vontade Divina e aprendendo um primeiro conhecimento disto significa que Deus quer fazer este Dom para a criatura. E Ele nos chama fortemente porque, antes deste presente, você deve necessariamente escolher “que amanhecer você quer”. Se esse novo amanhecer radiante e divino, ou o amanhecer habitual de sempre “mais fraco a cada dia, incapaz de ver, com medo da dor, fechado em si mesmos e inimigos de si mesmos”, porque eles são escravos da própria vontade, sempre esperando mudar algo “fora” para ser mais feliz, menos triste, menos amedrontado, menos fraco, etc. Quantas pessoas pensam que serão realmente felizes – só para dar alguns exemplos – se o cônjuge se tornar melhor, a criança mais educada, o padre mais sutil, menos invasivo, menos irritante o irmão e irmã, menos sogra petulante, menos político desonesto e assim por diante. NÃO A SOLUÇÃO EXATA … A este ritmo, NÃO MUDAREMOS NUNCA. A vida não muda se o que está fora de nós muda, mas sim se o que está dentro de nós muda . E só muda “se você quiser” … Outra possível tentação, sempre na forma de fechamento existe. É o da indiferença diante de tal dom do céu, ou preferindo “levar adiante tudo como se nada fosse”, repetindo a frase nefasta: “sempre foi feito assim. Sempre foi assim. Quais são essas coisas estranhas e incompreensíveis?” A chance de mudança real, da mudança de curso de uma vida medíocre com a aurora dourada da Vontade Divina está à mão. Mas é UM AMANHECER NOVO E NÃO PUBLICADO, onde tudo começa APENAS SE VOCÊ QUER.
E onde não precisa esperar que os outros hesitem. Qualquer um que empreenda este caminho com alegria e determinação experimentará benefícios IMEDIATOS, em termos de “degustação” de paz, alegria, autocontrole, abandono, caridade, uma percepção real de felicidade como nunca antes aconteceu antes. Mas esta VIDA NOVA só entra em nós se quisermos …

2. “O fim da vontade humana “. Esta aurora põe em fuga a noite da vontade humana (“meu nascimento foi a verdadeira aurora que pôs em fuga a noite da vontade humana”), que é a única causa de toda a nossa ruína. Não há possibilidade da nossa noite resistir ao aparecimento desta Nova Vida, se a acolhermos. Todo o inferno pode ser facilmente liberado, mas o pequeno e rosado pé deste bebê o massacra, a macula, o destrói, o mantém imóvel, bom e incapaz de causar danos. Nada, mas a nossa vontade pode evitar esse renascimento.  Foi dito imediatamente após a expulsão de nossos primeiros pais do Éden (Gn 3:15): “Ipsa conteret caput tuum” (“Ela esmagará sua cabeça”). Se você realmente reinar em nós, Cristo reinará. E a serpente permanecerá esmagada para sempre sob o seu pé muito bonito e abençoado e não poderá prejudicar ninguém que entre no seu mundo e se coloque sob o Sol da Divina Vontade que ela é e tem. O diabo não pode encontrar portas de entrada em uma alma que é verdadeira e firmemente resolvida para dar a morte total a cada mínimo ato de vontade própria. Como você sempre fez e como deseja de seus verdadeiros devotos …

3. ” A noite sem estrelas da vontade humana” . Quem se fecha para o Dom, permanece na noite sem estrelas do domínio de sua própria vontade, onde, além do escuro, experimenta o lampejo de relâmpagos escuros seguido por um trovão aterrador e cai, como num vício, no vórtice do medo. Esses flashes simbolizam algum momento positivo, algum bom ato ou virtude, alguns dias felizes. Pequenos flashes, que não mudam para a situação de trevas substanciais, na verdade eles são freqüentemente seguidos por trovões assustadores (infortúnios da vida, caídos em pecados graves, períodos de vida mais ou menos longos ou mornos) que também cancelam a lembrança agradável daquela pequena luz iluminada pelo relâmpago, mergulhar de novo na perturbação, incerteza, insegurança e medo, na maré de fraquezas e misérias descontroladas que tornam a vida (a nossa e a dos que nos rodeiam), muito amarga e a provocar inumeráveis ​​pecados, imperfeições e negligência, no amontoado de perigos contínuos (tolices e mais tolices cometidas sob engano satânico sem perceber, mesmo com boas intenções, pequenas coisas e maldade de qualquer espécie, egoísmo dominante ou continuamente ressurgente como uma fênix árabe) e no risco de sérias e às vezes terríveis cair no mal .Quem é tão tolo de querer ficar na noite quando pode surgir um novo amanhecer? Esta nova aurora? Através de Luisa, o Bom Jesus deu à humanidade tesouros esquecidos e entendido por poucos. Neles a Maria Divina em pessoa quer ajudar a lançar luz, porque nada no homem que acolhe o Dom é mais humano, mas todo Divino. Há um caminho seguro para a santidade e é o caminho da vontade divina. Aqueles que caminham sobre ele podem ter certeza de receber por si mesmos e dar à humanidade abundante graça.

4. ” A dor de Maria pela nossa dolorosa situação” . O Coração da Divina Maria foi imediatamente tomado por imensa compaixão pelas criaturas que se encontram sob a terrível tempestade da noite da vontade humana e é levado até agora se o coração de alguns de seus amados filhos, que já estão todos fechados em Seu Coração. Imaculada e Dolorosa, eles preferem a escuridão à luz, por algumas das razões descritas acima. Que ninguém queira continuar a fazer a Madonna chorar em pessoa, tomada
da aflição e da compaixão por vidas tão pobres, miseráveis ​​e mesquinhas, que poderiam ser semelhantes às dos reis em seu próprio palácio. O humano vai paralisar o bem que não é feito, enraizado no mal mesmo quando não se quer realizá-lo, rompe todas as formas de amor verdadeiro, transformando-o em egoísmo puro (tanto o de Deus, procurado e invocado somente se e quando ele precisa, seja do vizinho, sempre subordinado ou explorado pelos próprios interesses e prazeres). Estamos a fazer estas meditações em Maio após o centenário das aparições de Fátima, que terminam com a promessa do triunfo final do Imaculado Coração sobre todos os males que a antiga serpente teria desencadeado no mundo e, em parte, também na Igreja e dos quais até o momento, não há fim possível. Não há nova aurora no horizonte. No entanto, o Coração Imaculado triunfa onde uma alma se abre para viver o que ela mesmo sempre viveu. Quem recebe o Dom da Vontade Divina inaugura em si o triunfo deste Coração e certamente contribui e acelera o triunfo do Imaculado Coração de Maria na Igreja e no mundo.

5. ” Que alvorada você quer?” Os mestres do espírito ensinam que toda meditação verdadeira (bem feita), depois da oração preparatória, leitura e meditação, resulta em diálogo (com Deus, e com a Madonna), possivelmente ardente e afetuosa, e termina com um propósito ou resolução a ser observado fielmente. Essa meditação deve terminar dizendo à Madonna, com toda a sinceridade de que alguém é capaz, que se quiser a nova Aurora que ela criou na terra. Deixar de lado essa passagem fundamental seria o mesmo que escolher, ainda que implicitamente, o “amanhecer habitual”, onde nada muda, tudo se passa como antes e se permanece aprisionado no cinza de uma vida medíocre, miserável e mesquinha …

A alma:

Mãe Sagrada, sinto tremer ao sentir a noite ruim da minha vontade; por isso estou aqui, perto do seu berço, para pedir-lhe graça, para que, para o seu prodigioso nascimento, deixe-me renascer na Vontade Divina. Eu sempre quero ficar perto de você, Celeste Bambina; unir minhas orações e minhas lágrimas às suas, implorar por mim e por todo o Reino da Vontade Divina na terra.

Folha diária:

Hoje, para me homenagear, você virá três vezes para me visitar no meu berço, dizendo-me todas as vezes: “Garotinha celestial, deixe-me renascer junto contigo na vida da Vontade Divina”.

Jaculatória:

Minha Mamãe, deixe a aurora da Divina Vontade surgir em minha alma.

Décimo primeiro dia: 
A Rainha do Céu no Reino da Vontade Divina, em seus primeiros anos de vida, forma uma aurora mais esplêndida, para fazer surgir nos corações o dia desejado por luz e graça.

 Preparação para oração para meditação:

 Rainha Imaculada, minha Mãe celestial, venho diante de ti de joelhos, para me abandonar em seus braços, para lhe pedir com os suspiros mais ardentes – neste mês consagrados a ti – para a maior graça: que me admite viver no Reino da Vontade Divina. Santa Mamãe, você que é a Rainha deste Reino, me aceita como seu(a) filho(a) para viver nele, para que ele não seja mais abandonado, mas povoado por seus filhos (a). Portanto, Rainha soberana, a ti eu me confio, para que guie meus passos no Reino da Divina Vontade e, agarrado(a) à sua mão materna, tu guiarás todo meu ser, para que eu possa fazer vida perene na Vontade Divina.  Me farás como teu(a) filho(a), e como minha mãe, dou-lhe a entrega da minha vontade, para que eu possa trocá-la com a vontade divina e, assim, poder permanecer seguro de não deixar o reino. Por isso, peço-lhe que me ilumine para me fazer entender o que “Vontade de Deus” significa.

(Ave Maria)

Folha do mês (todos os dias do mês de maio):

De manhã, ao meio dia e à tarde, três vezes ao dia, ajoelhe-se em nossa Mãe Celestial e diga: “Minha Mamãe, eu te amo, me ame e me dê um gole da vontade de Deus para minha alma; dê-me sua bênção para que eu possa fazer todas as minhas ações sob seus olhos maternais “.

A alma pra pequena princesa menina:

Aqui estou de novo perto do seu berço, Óh Criança Celestial. Meu pequeno coração sente-se fascinado por sua beleza e não consigo desviar o olhar de uma beleza tão rara. Quão doce é seu olhar! Administrar suas pequenas mãos me chama para te abraçar e me abraçar em seu coração, afogada em amor. Santa Mamãe, me dê suas chamas, para que minha vontade se queime, para que eu possa me contentar em viver junto contigo da Vontade Divina.

Lição da Rainha do Céu:

Meu(a) filho(a), se você soubesse como meu pequeno coração maternal se alegra em vê-lo perto do meu berço para me ouvir! Sinto com meus feitos de Rainha e Mãe, porque ao me manter perto de ti, não sou uma mãe estéril, nem rainha sem um povo, mas tenho meu(a) querido(a) filho(a), que tanto me ama e que me quer como sua Mãe e Rainha. Portanto, você é o portador da alegria para sua mãe; muito mais porque você está entrando no meu ventre para lhe ser ensinado por mim a viver no Reino da Divina Vontade. Ter um(a) filho(a) que quer viver junto comigo neste Reino tão santo é para sua mãe a glória, a honra, a maior festa! Então, preste atenção em mim, meu(a) querido(a) filho(a), e continuarei contando as maravilhas do meu nascimento.

Meu berço estava cercado de anjos, que competiam para me cantar as belas canções para sua rainha soberana; e desde que eu fui dotada de razão e ciência infundida pelo meu Criador, eu fiz o meu dever de adorar com a minha inteligência – e também com a minha voz como uma criança balbuciadora – a Suprema Sagrada Trindade adorável. E assim foi o calor do meu amor em direção a uma Majestade tão sagrada, que me sentindo definhando, eu estava delirando que eu queria me encontrar nos braços da Divindade, receber seus abraços e dar-lhes os meus. Por isso, os anjos, sendo meus servos, levam-me para eles, tomando-me nas suas asas, conduziram-me aos braços amorosos do meu Pai celestial. Oh, com quanto amor as pessoas divinas estavam esperando por mim! Eu fui do exílio, e as pequenas quebras de separação entre mim e eles foram a causa de novos incêndios de amor, eles tinham presentes para me dar que me prepararam; e encontrei novas descobertas para pedir misericórdia por meus filhos(a), que, vivendo no exílio, estavam sob as chicotadas da Justiça divina, e dissolvida completamente em amor, eu disse a Eles: “Adorável Trindade, eu me sinto feliz, eu me sinto Rainha, e não sei o que são a infelicidade e a escravidão; de fato, da sua Vontade Santa que reina em mim, as alegrias e felicidades são tantas, que quão pouco posso abraçar todas elas. Mas, em tanta felicidade, uma veia de amargura intensa está dentro do meu pequeno coração: sinto nela meus filhos(a) infelizes, escravos de sua vontade rebelde. Piedade, santo Pai, piedade! Faça minha felicidade ser inteira; essas crianças infelizes que eu carrego como mãe em meu coração maternal, as quero felizes; derrube a Palavra eterna na terra, e tudo me será concedido! Dos vossos joelhos paternos, mê dá o rescrito das graças, para que eu possa trazer aos meus filhos as boas novas da sua redenção! “.

A Divindade foi movida por minhas orações e, enchendo-me de novos dons, o Povo do Céu me disse: “Volte ao exílio e continue suas orações; espalhe o Reino da nossa vontade em todos os seus atos, que no devido tempo vamos satisfazê-la”. Mas Eles não me disseram quando ou onde iria cair. Então eu comecei aqui a viver apenas para realizar a Vontade Divina. Este foi para mim o sacrifício mais heróico, mas o fiz de bom grado, para fazê-la sozinha (a Vontade Divina) ter pleno domínio sobre mim.

Agora me escute, meu(a) filho(a). Quanto me custou sua alma, ao ponto de amargurar o imenso abismo das minhas alegrias e felicidade! Sempre que você faz sua vontade, você se torna um escravo e sente sua infelicidade; e eu, como sua mãe, sinto a infelicidade tua em meu coração. Oh, quão doloroso é ter filhos(a) infelizes, e como você deve se preocupar em fazer a Vontade Divina, visto que eu vim do céu, para fazer com que minha vontade não tenha vida em mim. Agora, meu(a) filho(a), continue me ouvindo. O primeiro dever, em todos os seus atos, é adorar o seu Criador, conhecê-lo e amá-lo. Isso coloca você na ordem da criação e vem a reconhecer Aquele que criou você. Este é o dever mais sagrado de toda criatura; reconhecer sua origem. Agora você deve saber que sempre olhando para o céu, orando, formará a aurora ao seu redor.

Pontos de Meditação:

  1. Portadores de alegria para Nossa Senhora”. Nossa Senhora afirma claramente que está feliz se alguém for ao seu berço para ouvi-la e receber a escola dela para aprender a viver no reino da Vontade Divina. Somos todos convidados para esta escola e devemos acreditar firmemente que deixar o Santo Ofício da Rainha Celestial e assumir isto é para lhe dar uma grande alegria e ser uma causa de glória, honra e maior celebração para ela. Não aceitar esse dom, ao contrário, é nutrir sua veia de tristeza ao ver Seus filhos ainda infelizes e escravos … É necessário abrir o coração sem reservas e permitir que Deus faça o resto. Nenhuma palavra precisa ser dita, mas se você não abrir o coração a 360 graus e não se abandonar totalmente em Deus e não entrar no reino da Vontade Divina, nunca irá compreender o alcance e magnitude deste dom.

    2. ” O calor do amor “. É simplesmente maravilhoso ver essas “conversas de amor” entre Deus e Nossa Senhora e ver os resultados. E para ouvir as palavras da rainha celestial que cândidamente revela que a alegria e felicidade que é encontrada neste vórtice interrompido pelo amor (tal era ela) é inestimável. Devotos de Nossa Senhora, os verdadeiros devotos, sabem que podem envolver-se em uma corrida semelhante com a Divina Maria, Rainha do Amor, que, embora na forma de criaturas, tem um imenso mar de amor fechado em Seu Coração Imaculado que aguarda corações disponíveis para recebê-la e imensamente ardente em envolvê-los. Esta “corrida sagrada” pode ser feita e  deve se envolver-se também com Jesus, na Eucaristia, que arde como fogo puro e lança setas de fogo a quem se aproxima do Santo Tabernáculo. E as adorações de corações amorosos sempre devem estar queimando, queimando e queimando. As “conversas privadas” com Jesus na Eucaristia e com a Madona devem marcar os dias dos corações raptados pela Vontade Divina. Não esquecendo a refugiar-se nestas delícias sempre, e desenhar a partir da plenitude da caridade, espalhando-se sobre a humanidade, em orações, sacrifícios, boas obras, proximidades, boas palavras, obras santas de caridade e de misericórdia.

    3. ” A Vontade Divina é o caminho para a felicidade e a cessação de toda a escravidão”. Uma das revelações mais importantes deste caminho sagrado e divino é precisamente esta: quem vive na vontade divina NÃO PODE não ser feliz, porque a Vontade Divina, em si mesma (isto é, dentro da vida trinitária), é a causa da imensa e eterna felicidade e bem-aventurança de Deus: Nossa Senhora viveu-a pela experiência direta, a ponto de dizer que “alegrias” e a felicidade que se encontra Nele é tal e tantos que não posso abraçar todos Eles ”. Qual de nós seria tão tolo a ponto de perder a chance de encontrar a felicidade, que todo mundo está procurando, mas ninguém encontra? O que não é encontrado em qualquer coisa criada, mas apenas em Deus e, em particular, na fusão absoluta com a Sua vontade? Felicidade e cessação de toda escravidão. Não há mais escravidão ao pecado, não mais escravidão às paixões, não mais “eu não posso fazer”, não mais ser pego em cheque pelo demônio, não mais desordem, sentimentos doentios, emoções distorcidas, descrença, inseguranças, transtornos, ansiedades, se saborear e viver das delícias da Vontade Divina.

    4. ” Eles não me disseram quando ou onde iria cair”. Este passo é FUNDAMENTAL para entender as modalidades de toda ação divina. Quanto a Trindade amava Nossa Senhora? Infinitamente. Quanto Ele queria lhe dar tudo e não esconder nada dela? Infinitamente. Mas Ele sabia que não era bom que Nossa Senhora conhecesse os tempos da encarnação da Palavra ou que ela fosse a escolhida. E não revelou isso para Ela. Com isso entendemos bem que a Santíssima Trindade opera QUANDO quer, como quer, e ONDE quer, sem ser obrigada a dar qualquer explicação a ninguém e acima de tudo – muitas vezes – NÃO QUER DAR, porque a criatura é capaz de se entregar totalmente às suas Armas de defesa. Com certeza, mesmo quando Ele permitiu o mais terrível dos males, tudo se torna para a Sua glória para aqueles que o amam e servem, como São Paulo se lembra admiravelmente (“Tudo funciona para o bem daqueles que amam a Deus” que foram chamados de acordo com seu projeto ”. Romanos 8.28). A criatura só deve agradecer a Deus que operou, interveio, falou, salvou, não perguntou o por que Ele fez isso, em um determinado momento e não mais cedo ou mais tarde, por que Ele usou este ou aquele sistema, este ou aquele modo, esta ou aquela ferramenta. Deus sempre surpreende e sua imprevisibilidade divina é absolutamente adorável. Mesmo a Divina Criança e Rainha, como ela mesma afirma aqui, em conformidade com toda a Tradição da Igreja: ela nem sequer remotamente imaginou ser a Eleita para ser a Mãe da Palavra. Nós obviamente não somos maiores que ela.

    5. ” A Rainha Celestial partiu do céu apenas para fazer a vontade divina e sofreu em ver seus(a) filhos(a) escravizados(a) e infelizes porque aprisionados em sua própria vontade”.
    Nossa Senhora afirma que a única e grande causa de seu sofrimento (que é a mesma que, de certa forma, misteriosa, mas real também de Deus, que está na origem de sua misericórdia e a quem os Pais da Igreja têm chamado ” passio charitatis ”-“ paixão de caridade ”) nos via infelizes porque aprisionados em nossa vontade humana e miserável, o Seu desejo ardente era de nos libertar dela e de toda forma de opressão, sujeição e jugo, para nos dar a SOBERANA e DIVINA liberdade dos filhos de Deus, que se encontrem verdadeiramente livres de tudo e de todos (e primeiro de tudo de si mesmos), apenas na medida em que eles se fundem com a Vontade Divina. Este é o caminho de ouro e está em estreita ligação com a consagração “totus tuus” e o doce, pacífico, seguro, doce e santo caminho de perfeição que isso acarreta. Mesmo para os filhos da Divina Vontade, a principal causa do sofrimento deve tornar-se a contemplação da pobreza e miséria de seus irmãos e irmãs aprisionados no jugo da vontade humana e trabalhar eficazmente com oração, sacrifício e imenso amor em tudo para o advento da vontade divina. Este reino abençoado nasça em todos os corações, para que todos sejam libertos da única causa de toda a infelicidade.

    6. ” Nosso primeiro dever: adorar o Criador, conhecê-lo e amá-lo”. Aqui está uma das belas pérolas da meditação de hoje. Nosso primeiro dever é adorar o Criador, conhecê-lo e amá-lo, colocar-nos na ordem correta da Criação e estar em nosso lugar como criaturas. Aprenda a apreciar sua ininterrupta e contínua “Eu te amo”, e retribuir sem parar, colocar o nosso “eu te amo” em toda a realidade criada, em tudo o que nos acontece, em toda a boca que fala a nós, e desempenhar o papel de “vigários de toda a humanidade “para dar por todos, à vontade divina a mudança do” eu te amo “, com a glória e a adoração que é devida a Ele. É uma vida do céu que começamos a viver neste reino. Adorar Ele também é aceitar seus projetos inescrutáveis, como mencionamos antes, sem fazer perguntas demais ou indevidas, às quais, como logo temos que aprender, Ele nunca respondeu, não responde e nunca responderá. Ao amanhecer a madrugada acontece … que pode brilhar em nossos corações …

A alma: 

Bebê celestial, ao vê-la, recém-nascida, me dando lições tão sagradas, me sinto arrebatada(o) e entendo o quanto você ama, a ponto de fazer você infeliz por minha causa. Oh santa mamãe, você que me ama tanto, deixa o poder, o amor, as alegrias que te inundam cair no meu coração, para que cheio deles, minha vontade não encontre lugar para morar em mim, e desista livremente dando lugar para o domínio da Vontade Divina.

  Folha diária:

Hoje, para me honrar, você fará três atos de adoração ao seu Criador, recitando três Glorias ao Pai, para agradecê-lo por quantas vezes tive a graça de ser admitida em sua presença.

 Jaculatória:

Mãe Celestial, deixe a divina aurora da Divina Vontade, subir em minha alma.

Décimo segundo dia. 
A Rainha do Céu no Reino de a Vontade Divina sai do berço, dá seus primeiros passos e, com seus atos infantis, chama Deus a descer à terra e chama as criaturas a viverem na Vontade Divina. 

Preparação para oração da meditação:

Rainha Imaculada, minha Mãe celestial, venho diante de ti de joelhos, para me abandonar em seus braços, para lhe pedir com os suspiros mais ardentes – neste mês consagrados a ti – para a maior graça: que me admite viver no Reino da Vontade Divina. Santa Mamãe, você que é a Rainha deste Reino, me aceita como seu(a) filho(a) para viver nele, para que ele não seja mais abandonado, mas povoado por seus filhos (a). Portanto, Rainha soberana, a ti eu me confio, para que guie meus passos no Reino da Divina Vontade e, agarrado(a) à sua mão materna, tu guiarás todo meu ser, para que eu possa fazer vida perene na Vontade Divina. Me farás como teu(a) filho(a), e como minha mãe, dou-lhe a entrega da minha vontade, para que eu possa trocá-la com a vontade divina e, assim, poder permanecer seguro de não deixar o reino. Por isso, peço-lhe que me ilumine para me fazer entender o que “Vontade de Deus” significa.

(Ave Maria)

Folha do mês (todos os dias do mês de maio): 

De manhã, ao meio dia e à tarde, três vezes ao dia, ajoelhe-se em nossa Mãe Celestial e diga: “Minha Mamãe, eu te amo, me ame e me dê um gole da vontade de Deus para minha alma; dê-me sua bênção para que eu possa fazer todas as minhas ações sob seus olhos maternais “.

A alma pra Rainha Celestial:

Aqui estou eu de novo contigo, minha querida bambina, na casa de Nazaré: quero ser espectador(a) da vossa idade infantil óh Mamãe; Quero dar-lhe a sua mão ao dar os seus primeiros passos e conversar com sua santa mãe Ana e seu pai Joaquim. Pequena como você é, depois de ter sido desmamada, ao caminhar você ajuda a Santa Ana nas suas pequenas orações. Minha Mamãe, como você é querida para mim e toda linda! Por favor, me dê suas lições, para que você possa seguir sua infância e aprender contigo a viver, mesmo em suas pequenas ações humanas, no Reino da Vontade Divina.

Lição da Rainha do Céu:

Meus queridos filhos, meu único desejo é manter vocês perto de mim. Sem vocês eu me sinto sozinha e não tenho ninguém em quem confiar meus segredos. Suas são minhas atenções maternais, que procuram perto de vocês, a quem tenho no coração, para dar-lhe as minhas lições, e assim fazê-los entenderem como viver no Reino da Vontade Divina. Mas a vontade humana não entra nele: pois permanece esmagada no ato de sofrer a morte contínua diante da luz, santidade e poder da Vontade Divina. Mas você acredita que a vontade humana permanece aflita, porque a Vontade Divina a mantém no ato de morrer continuamente? Ah não, não; em vez disso, fique feliz, porque em sua vontade agonizante, a Vontade Divina renasce e sobe, vitoriosa e triunfante sobre a sua, para a qual traz alegria e felicidade sem fim. É o suficiente para entender, querida filha, o que significa ser dominado por Ela, e para provar isso, fazer a criatura abominar sua vontade, tanto que ela prefere ser despedaçada do que deixar a Vontade Divina!

Agora me ouçam, deixei o céu apenas para fazer a Vontade do Eterno; e embora eu tivesse meu céu em Mim, como era a Vontade Divina, e eu fosse inseparável do Meu Criador, eu também gostava de estar na pátria celestial; muito mais, de acordo com a vontade divina em mim, senti os direitos da criança, para estar com eles, para me fazer calmaria como pequeno porto, entre seus braços paternos e participar em todas as alegrias e felicidade, riqueza e santidade, que o povo divino possuía, tanto quanto eu poderia suportar, e me encheu tanto que não pude mais contê-los; e o Ser Supremo desfrutou ao ver que eu, sem medo, de fato com o mais elevado amor, enchia minhas posses; nem me perguntei se me eu podia pegar o que eu queria. Eu era filha deles, um era a vontade que nos animava e ali eu queria o que Eles queriam. Então eu senti que as propriedades do Meu Pai celestial eram minhas. A única diferença é que eu era pequena e não podia abraçar nem aceitar todos os seus bens; tantos quantos eu levei, havia tantos que eu não tinha capacidade de colocá-los em mim, porque eu sempre fui uma criatura Dele; em vez disso, a Divindade é grande, imensa e, em um ato, abraça tudo. Então, apesar disso, assim que fui levada a entender que eu tinha que me privar de suas alegrias celestes e castos abraços que nós mesmos demos, eu deixei o paraíso sem demora e voltei para meus queridos pais. Eles me amavam muito; Eu era toda amável, querida, hilária, pacífica e cheia de graça infantil, para capturar o carinho deles. Eles estavam todos atentos a mim; Eu era a jóia deles; quando me pegavam em seus braços.

Agora, filhos(a) do meu coração, vocês devem saber disso, quando vocês começam  Minha vida aqui embaixo, a Vontade Divina estendeu o Seu Reino em todos os meus atos; de modo que minhas orações, minhas palavras, meus passos, a comida, o sono que eu dei, os pequenos serviços com os quais ajudei minha mãe, foram animados pela Vontade Divina. E desde que eu sempre os carreguei em meu coração, eu os chamei como meus filhos, em todos os meus atos; Eu chamei seus atos junto com os meus, de modo que mesmo em seus atos, mesmo os indiferentes, o Reino da Divina Vontade se estenderia. Vocês sentem o quanto eu os amei: se eu orasse, eu chamava suas orações nas minhas, para que a sua e a minha fossem corroboradas por um único valor e poder, qual era o valor e o poder de uma Vontade Divina; se eu falasse, eu chamava suas palavras; se eu andasse, eu chamava seus passos, e se eu fizesse as pequenas ações humanas indispensáveis ​​à natureza humana, o que era tomar água, varrer, ajudar a entregar a madeira para minha mãe para acender o fogo, muitas outras coisas semelhantes, eu chamei esses mesmos atos seus, para que eles fossem corroborados por uma Vontade Divina, e nas minhas e nas suas ações seu Reino foi estendido. E como eu os chamei em cada ato meu, eu chamei a Palavra Divina para descer à terra. Oh, como os amei, meus(a) filhos(a)! Eu queria seus atos em mim, para os fazer felizes e fazer vocês reinarem comigo. E oh, quantas vezes eu chamei vocês e seus atos, mas a minha maior dor era ver meus pais permaneceram isolados, e os seus eu os vi como perdidos em sua vontade humana, o que era horrível dizer que eles formaram o reino, não divino, mas humano: o reinado de paixões e o reino do pecado, miséria e desgraça. Sua mãe chorou por essa desgraça, e em cada ato de vontade humana que vocês fazem.

Portanto, ouça sua mãe; se você fizer a vontade divina, como por direito a você será dado alegrias, e felicidade; tudo estará em comum com o seu Criador; fraquezas, misérias serão deslocadas de vocês, e então vocês serão os mais queridos de meus filhos; vocês vão ficar no meu próprio reino, para fazerem vocês sempre viverem da vontade divina.

Pontos de Meditação: 

  1. Matar a nossa vontade vontade “. No reino da vontade divina não se entra num ato mínimo da própria vontade. As expressões da Madonna são fortes e decisivas: fazer morrer a vontade humana, em vez de dar-lhe um vislumbre único de vida. Para desfrutar da felicidade decorrente do surgimento da Vontade Divina sobre as cinzas da vontade de alguém, nossa vontade não deve receber o menor suspiro. E nela (na divina) tudo deve ser investido. Os homens passam o tempo à procura de vida em criaturas, apoio humano, consolações humanas, ajuda humana, prazeres humanos, afeições humanas, proximidade humana, caindo na maldição de Jeremias (“amaldiçoado o homem que confia no homem” Jer 17.5), privando-se da vida feliz da Vontade Divina (que não entra onde a vontade escolhe procurar essas consolações humanas voltando-se para elas), e condenando-se a uma vida miserável e infeliz, entre farrapos e mendicância afetiva, embora possam viver como um grande senhor nos “átrios da Vontade Divina”. Somente aqueles que experimentaram um vislumbre mínimo de vida na Vontade Divina compreenderão isso bem e também por que prefeririam ser despedaçados em vez de realizar um único ato de vontade própria.

2. “Simplesmente ÚNICO”. Ouvir a descrição das viagens celestiais da Divina Maria, de sua familiaridade com a Santíssima Trindade, dos prazeres que ela experimentou na pátria celestial, participando das alegrias e felicidade, das riquezas e da santidade do Povo Divino à vontade – com o único limite de não ser capaz de levá-los todos, porque eles vão além da capacidade de uma criatura limitada – ela enche o coração de alegria e nos faz entender melhor Quem é esta Criatura Extraordinária: simplesmente Única. Ainda mais sua capacidade imediata de renunciar imediatamente a tudo isso, quando a vontade divina significava que ela tinha que sair e voltar para a terra, privando-se de abraços castos e divinos. Somente as almas dos santos (e há muitos na Igreja) que tiveram experiências místicas autênticas (abduções, êxtases e visões) pode compreender bem o significado absolutamente heróico de tal sacrifício. Mas mesmo na ordinariedade da vida comum, entrar na Vontade Divina nos faz redescobrir um novo gosto na oração, que não é mais um tédio ou um esforço, nunca, mas sempre uma conversa muito doce e terna entre a criatura e Deus e entre nós e a Nossa Mãe. A nossa Madonna, para o qual não só funciona, mas, ao contrário, custa muito sair da oração para retornar (como um dever) às ocupações comuns e aos deveres comuns. Este é outro dos muitos espiões que nos fazem entender o quanto entramos no Reino da Vontade Divina: a oração se torna uma necessidade, uma união íntima, um porto almejado, um momento de grande crescimento, grande luz, grande amor. … se não for, ainda estamos fora … Mas mesmo na ordinariedade da vida comum, entrar na Vontade Divina nos faz redescobrir um novo gosto na oração e meditação, que não é mais um tédio ou um esforço.

3. ” Como foi a pequena Divina Maria?“. Primeiro de tudo, como acabamos de ver, cheia de todos os dons e maravilhas de Deus, que ela poderia ter à vontade, mesmo com o constrangimento de não saber onde colocá-los, porque a capacidade de criatura, mesmo de uma criatura tão grande, é ainda limitada e sempre vai além do que é mais bonito, beatífico e letificante (que se torna alegre) que você possa imaginar … É isso que Deus quer dar para aqueles que se unem à Vontade Divina (também para você e para mim!). E então ela era toda amável, querida, hilária, pacífica e cheia de graça infantil capaz de capturar o carinho de todos. E aqueles que se aproximaram da Divina Maria sentiram isto, sem a necessidade de tagarelice, sinais ou gestos marcantes. Se ainda não somos assim, significa que muito pouco morremos para nossa vontade humana e não unidos a Divina; e continuamos a nos torturar (lembre-se de você: TORTURE US !!! e torturar nosso próximo sendo pesos, elementos de perturbação, de discórdia, melindrosos, egoístas, imúndos nos pecados, juízes, caluniadores, carentes de amor e caridade. Ela era alegre, isto é, sempre feliz e sorridente; amável em tudo: nos modos, na postura, no tom da voz … graciosa, que é bela, não só da extraordinária beleza externa que ela tinha, mas de sua modéstia em se vestir, nos gestos do corpo, na maneira de olhar; pacífica, sempre calma, serena e portadora de paz; cheio de graça santificante e graciosa em tudo. Impossível não amá-la e não ser atraído por ela de uma maneira sagrada. E (e muito mais) ainda trabalha a vontade divina naqueles que vivem com ela unidos.

  • A vontade divina em atos ordinários e comuns”. Andando, tomando água, varrendo o chão, pegando a madeira e entregando-a a Santa Ana, e todos os atos indiferentes foram realizados por Ela em união com a Vontade Divina. Ela santificou todos os nossos atos humanos mais simples nela mesma, reparando nela assim esses atos, e os tornando divinos, e nós podemos hoje sentirmos seguros de que os atos mais comuns e necessários de sobrevivência, como trabalhar, ajudar em casa, serviços domésticos, e atos de higiene humana e alimentação, e tudo o que é de valor natural dentro dos valores éticos cristãos, foram santificados por meio de Maria e de Jesus quando viveram no Dom da Divina Vontade, aqui na terra. Nós também podemos e devemos fazêr tudo em união com a Vontade Divina para que eles tenham valor infinito e sejam oferecidos ao Pai em união com as intenções de Jesus e Maria, que sempre e somente estes foram: 1. a máxima glorificação do Pai; 2. a reparação dos pecados; 3. a salvação das almas. Todo ato unido à Vontade Divina assume um valor INFINITO aos olhos de Deus e um poder santificador (para aqueles que o realizam e para o mundo todo) simplesmente imenso. Como fazer isso? Em primeiro lugar com a fidelidade aos atos diários (preventivos, de fusão, neste mês a folha mensal),atos atuais de união com a Vontade Divina e se transforma no Fiat Criar, Redentor e Santificante. Todas as coisas que, juntamente com o esforço e atenção de nunca fazer a nossa própria vontade, servem para começar a traduzir o reino da vontade divina em ação.

 

5. ” Nossa Senhora, em sua vida terrena, chamou a si mesma e se uniu com todos os nossos atos, MAS ...”…. “mas com grande tristeza Meus pais permaneceram isolados e eu os vi perdidos em sua vontade humana para formar o reino humano: o reino de paixões, pecado, infelicidade e desgraça”. A Madona, como ainda mais seu Filho Jesus, trouxe em cada ato, sendo realizada em união com a Vontade Divina que está presente em todos os lugares, os atos de todos os homens de todos os tempos, reparando para eles, favorecendo sua conversão, atraindo neles graça sobre graça. No entanto, o consenso das criaturas humanas está faltando nesta operação perfeita e divina. E nas coisas espirituais, NADA acontece automaticamente, magicamente, sem que a criatura coloque a sua própria vontade, esforço, compromisso, perseverança e dedicação. Ela fez sua parte; para nós fazer também a nossa.

6. “Uma notícia incrível “. “Se você fizer a vontade divina, como por direito a você será dado alegrias, felicidade; tudo estará em comum com o seu Criador; fraquezas, misérias serão deslocadas em você, e então vocês serão as mais queridas das(o) Minhas(o) filhas(o); vocês estarão no meu próprio Reino, para fazer vocês viverem sempre da vontade divina ”. Levaria horas para comentar sobre este ponto. Mas nós percebemos isso? Por direito, alegria, felicidade e participação nos bens do Criador são conferidos àqueles que fazem a Vontade Divina; e inexoravelmente TODAS as fraquezas humanas e misérias de todo tipo cessam e fogem. Então, se ainda existem muitas misérias que são encontradas, emoções distorcidas, paixões descontroladas, fraquezas, carências, anseios, estamos fora deste reino; se a felicidade e a alegria não estão presentes, nem a presença de Deus é sentida, o que, com seus atributos divinos, nos sustenta e nos faz sentir protegidos, amados, defendidos, vigiados, mimados, estamos fora deste reino. Se estamos do lado de fora, a culpa é nossa apenas: não tomamos uma decisão firme, não acreditamos, ou dissemos que sim, mas continuamos a nos comportar como homens(a) pobres, buscando em outro lugar a FONTE da vida e da felicidade.

A alma:

Santa Mamãe, quem pode resistir a ver você chorar e não ouvir suas lições sagradas? Prometo de todo coração, juro, nunca, nunca, fazer minha vontade; e tu, Mãe Divina, nunca me deixes em paz, para que o império da tua presença esmague o meu, para que eu reine sempre, sempre, na Vontade de Deus.

Folha diária: 

Hoje, para me honrar, você me dará todos os seus atos, para me fazer companhia na minha infância, me contando três atos de amor em memória dos três anos que vivi com minha mãe Santa Ana. (retire da meditação esses três atos: pegar água, varrer, ajudar a entregar a madeira para minha mãe para acender o fogo.

Jaculatória

Rainha Poderosa, capture meu coração para fechá-lo na Vontade de Deus.

Décimo terceiro dia. 

A Rainha do Céu no Reino de Vontade Divina vai ao Templo e 

dá um exemplo de triunfo total no sacrifício

Oração de oração pela meditação:

Imaculada Rainha, Mãe Celestial, venho de joelhos ao seu colo materno, abandonar-me em seus braços, para pedir com mais ardentes suspiros – este mês para ti consagrado – a maior graça: que me admita a viver no reino da Vontade Divina. Santa Mãe, você que é a rainha deste reino, aceita-me como o seu(a) filho(a) para viver nele, a fim de que n]ao fique mais deserto, mas povoado por seus (a) filhos(a). Portanto , Soberano rainha, me entrego a, para que guie meus passos no Reino Divino e perto de seu colo materno, você guia todo o meu ser, porque é a vida perene do rosto Divino. Você vai fazer-me também como tu para Deus, e como tu Minha Mãe, vou fazer a entrega da minha vontade, a fim de que em mim, aconteça a troca com a vontade divina  e assim poderei ter a certeza que não irei mais sair do seu Reino. Por isso peço-lhe que me ilumine para me fazer entender o que é a  “Vontade de Deus.”

(Ave Maria)

Folha do mês (todos os dias do mês de maio): De manhã, ao meio-dia e à tarde, três vezes ao dia, ajoelhe-se em nossa Mãe Celestial e diga a ela: “Minha Mamãe, eu te amo, e você me ama e me dá um gole da vontade de Deus para minha alma; dê-me sua bênção para que eu possa fazer todas as minhas ações sob seus olhos maternais “.

A alma da rainha triunfante:

Mamãe Celestial, hoje eu venho me prostrar diante de ti, pedir sua força invencível em todas as minhas dores, e você sabe como meu coração está cheio, até que me sinto afogada em dores. Oh, se você ama tanto ser minha mãe, tome meu coração em suas mãos e derrame nele amor, graça, a força para triunfar em minhas dores e convertê-las todas em Vontade Divina.

Lição da Rainha Triunfante:

Minha(o) filha(o), coragem, não tenha medo; sua mãe é tudo para você, e hoje eu estava esperando por você, para que meu heroísmo e meu triunfo em sacrifício lhe infundem força e coragem, para que eu possa ver minha filha(o) triunfante(o) em suas dores e com o heroísmo de suportá-las com amor e para realizar a vontade divina.

Agora, minha(o) filha(o), me escute. Eu tinha apenas três anos e meus pais me disseram que queriam me consagrar ao Senhor no templo. Meu coração se alegrava em conhecer a casa de Deus, isto é, ter que se consagrar e passar meus anos na casa de Deus, mas sob minha alegria havia uma dor, por uma privação das pessoas mais queridas que você pode ter na terra, que eram meus queridos pais. Eu era pequena, precisava de seu cuidado paternal, me privavam da presença de dois grandes santos, e então vi que, ao chegar o dia da privação deles, pois fiz suas vidas plena de alegrias e felicidade, eles sentiram tamanha amargura sentindo-se como morrendo; mas enquanto eles estavam sofrendo, eles estavam dispostos a fazer o ato heróico de me levar ao Senhor. Meus pais me amaram para Deus e me abrigaram como um grande presente dado a eles pelo Senhor.

Portanto, minha(o) filha(o), se você quiser ter uma força invencível para sofrer as dores mais difíceis, que todas as suas coisas sejam para Deus e as mantenham como presentes preciosos dados pelo Senhor, mesmo que temporário. Agora, você deve saber que eu, com coragem, me preparei para ir ao templo, porque Comigo entreguei minha vontade à Entidade divina, e o Fiat supremo tomou posse de todo o meu ser. Adquiri todas as virtudes da natureza; Eu era a dominadora de mim mesma; todas as virtudes estavam em mim como tantas princesas nobres e, dependendo das circunstâncias da minha vida, prontamente se apresentavam para fazer seu ofício, sem qualquer resistência. Em vão teriam me chamado de rainha, se eu não tivesse a virtude de ser rainha sobre mim mesma. Mantive perfeita caridade no meu domínio, paciência invencível, doçura cativante, profunda humildade e todo o suporte das outras virtudes. A Vontade Divina fez minha pequena terra da minha humanidade afortunada florescer e sem os espinhos dos vícios e apegos.

Veja, portanto, querida(o) filha(o), o que significa viver da vontade divina? Sua luz, sua santidade e poder convertem todas as virtudes em natureza; nem se rebaixa para reinar em uma alma onde há natureza rebelde, não, não. É a santidade, e quer a natureza ordenada e santa onde deve reinar. Então, com o sacrifício de ir ao Templo, eles foram conquistas que eu fiz; e no sacrifício o triunfo de uma Vontade Divina foi formada em Mim; e esses triunfos trouxeram-me novos mares de graça, de santidade e de luz, até que me senti feliz em minhas dores, para poder conquistar novos triunfos.

Agora, minha(o) filha(o), coloque sua mão em seu coração e diga à sua mãe: você sente que sua natureza mudou em virtude? Ou você sente os espinhos da impaciência, as ervas daninhas da agitação, o mau humor das afeições não-santas? Ouça, deixe sua mamãe fazer isso; me dê sua vontade em minhas mãos, determinada(o) a não querer mais, e eu farei você possuir pela Vontade Divina, que irá desarranjar-se de você, e o que você não terá feito em tantos anos você fará em um dia, que será o começo da verdadeira vida, felicidade e santidade.

Pontos de Meditação:

  1. ” O valor do sacrifício e o triunfo do sacrifício”. A plenitude da Graça e de toda virtude que estava no Triunfo Divino, tinha que ser constantemente experimentada no cadinho do sacrifício para manifestar-se em sua plenitude e poder exercer no heroísmo que é tão querido e agradável ao Senhor (assim como a Ele é devido ) e constitui a essência da verdadeira santidade (que consiste, precisamente, no exercício das virtudes HERÓICA). Para Maria Bambina este foi o momento da apresentação ao templo, que juntamente com a coroação do Seu eterno sonho de ser a Virgem de Deus, exigiu também um corte limpo com seus santíssimos pais e enfrentar a dupla dor aguda do sofrimento pela perda humana dessas duas mais sagradas afeições humanas e a de ter de lhes trazer tanto sofrimento. Mas tal era a vontade divina e lá foi necessário fazer. E a divina Maria teve um dos seus primeiros triunfos neste ato heróico. Hoje na nossa atualidade, o homem que construiu um mundo ao redor de sua PRÓPRIA VONTADE, tem se deparado com uma linguagem para ele desconhecida, e muito propensa a rejeição automática: a do sacríficio. Antes as crianças eram facilmente deixadas em internatos para seu maior bem e crescimento. Mas hoje, essa época é vista como desumana, e contra os direitos fundamentais das crianças. Hoje se tem estatuto para proteger e os pais não podem educar seus filhos, com rigor; e a nossa sociedade tem se formado em volta de uma superproteção, que ocasionou em males terríveis: obesidade infantil, crianças hiperativas e mimadas, depressão tanto nos pais como em filhos, divórcio dos pais, educação precária e deficiente por professores sendo maltratados por pais e filhos mimados, homossexualismo, pedofilia, violência doméstica, e ainda são ditas que as mudanças no comportamento social evoluiu consideravelmente. Mas cada vez as pessoas, estão mais trancadas dentro de suas casas, por ocasião do tráfico de drogas que trouxe: doenças sociais terríveis; dentre outra tantas coisas que se formos numerar aqui. Isso aumentaria mais um livro inteiro.

2. ” Todas as coisas estão na ordem de Deus”. É de suma importância lembrar a importância da ORDEM, em tudo, porque Deus é ordem absoluta e todas as coisas e criaturas devem estar sujeitas a esta ordem e respeitosamente a ela. Neste contexto, isso significa que mesmo os mais santos afetos, para serem vividos na Vontade Divina, devem ser submetidos à Vontade Divina e, portanto, é necessário estar pronto em todos os momentos para renunciar a eles se tal for assim manifestado como sendo da vontade divina. Devemos estar sempre prontos para dar a Deus tudo, nada excluir. Incluindo pais. Incluindo crianças. Incluindo os entes queridos e as coisas mais caras. Sem mencionar os bens materiais, o último na escala de coisas preciosas neste mundo. E, por último mas não menos importante, esteja pronto para sacrificar nossas vidas. Estas são palavras muito claras do Evangelho: “Como muitas pessoas foram com ele, ele se virou e disse: Se alguém vem a mim e não odeia seu pai, sua mãe, sua esposa, filhos, irmãos, irmãs e até mesmo sua vida, ele não pode ser meu discípulo. Quem não leva a sua cruz e vem após mim, não pode ser meu discípulo. Assim, qualquer de vós que não renunciar a todos os seus bens não pode ser meu discípulo “(Lc 14, 25-27.33). Portanto, é necessário fazer o exercício de se colocar diante de Deus e oferecer-lhe tudo, expressando as coisas com mais afinco. Deus nos pedirá o sacrifício do que Ele considera apropriado para nos deixar por nossa causa e para nossa salvação, mas devemos estar interiormente prontos para dar a ele em qualquer momento, como Abraão fez com Isaque e como a Santíssima Virgem fez e realizou com seus pais e, mais tarde, com seu próprio Filho e Senhor. É bom interromper a bênção neste momento e fazer esse gesto diante de Deus ou da Rainha Celestial, com um coração firme. Sem segundas intenções e sem voltar atrás. Renúncia total e absoluta de TUDO, nada e ninguém excluído.

3. ” Dominadores de si mesmos e ativos nas virtudes”. Aqui está o grande presente que a Divina Vontade comunica aos seus filhos. Deus é onipotente. Nós, batizados em Cristo, em virtude do nosso batismo, bem como dos sacerdotes e profetas, somos também REIS. Rei de que? Sobre nós, capazes de dominar nossos vícios e más tendências e exercitar as virtudes infundidas que recebemos como um presente no Batismo. É por isso que São Luís descreve, entre outras coisas, a vida “totus tuus” como uma perfeita renovação das promessas batismais que começam a ser vividas não em conversas, mas em fatos. A partir da renúncia de Satanás, que deve estar sob os pés dos filhos de Deus, porque é mantida ali pelo poder operante da Vontade Divina e pela força devastadora do mais abençoado e sagrado pé da nossa Rainha. Quais são as virtudes em que ser ativo e através de cuja verificação testamos o grau de nossa jornada e nossa união atual com a Vontade Divina? Aqueles que a Divina Maria nomeia: caridade perfeita, paciência invencível, doçura cativante e humildade profunda … é necessário meditar muito nestas quatro virtudes, cuja presença é uma prova muito certa da autêntica santidade e cuja ausência ou escassa presença testemunha, pelo contrário, falta de sinceridade ou falta de compromisso em andar na vontade divina.

4. ” A vontade divina converte todas as virtudes na natureza”. Nossa Senhora pergunta: “Você sente que sua natureza mudou em virtude?” Esta expressão é muito importante e deve ser explicada. As virtudes não pertencem senão à natureza humana, especialmente as sobrenaturais (fé, esperança e caridade), mas são um dom infundido por Deus em nossa alma com graça santificante. Todas as virtudes são perdidas, juntamente com a Graça, com um único pecado mortal, de modo que, ordinariamente, enquanto estivermos neste mundo, estamos sempre em perigo. Graça Santificante é de fato uma disposição estável, mas não perpétua, não “imperdível”; precisamente porque não faz parte da nossa natureza. O milagre que acontece com a união com a Vontade Divina (e é realmente IMENSO) é que todas as virtudes se tornam NATURAIS, isto é, tão profundamente enraizadas em nós e tão bem exercidas a ponto de serem quase invulneráveis. Nós podemos e certamente seremos tentados enquanto estarmos neste mundo … mas nunca vencemos!? Nossa Senhora pergunta: “Você sente que SUA NATUREZA mudou em virtude? Ou você sente os espinhos do IMPACTO, as ervas nocivas das AGITAÇÕES, o mau humor dos efeitos NÃO-SANTIFICADOS (dentro disso caem idolatrias, invejas, ciúmes, rivalidades, ressentimentos, desejos de superação, apegos nocivos ou desordenados, etc.)? Se ouvirmos essas coisas, a natureza humana ainda domina amplamente em nós … e daí? O que fazer? desejar repelir nossa vontade custe o que custar: com dor e tristeza que virão por causa da sensação de abstinência, como de um entorpecente ou alcool, o corpo e a nossa natureza grita por não aceitarmos fazer a Vontade de Deus. E clamar na oração, meditação e penitências para Deus nos socorrer, e nos infundir com sua misericórdia as forças que nos serão necessárias!

5. “Em um dia você fará o que você não fez em tantos anos”. Aqui está a resposta para a pergunta que acabamos de fazer: “Deixe a sua mãe fazer isso: me dê sua vontade em minhas mãos, determinado(a) a não querer mais dar vida de novo à sua vontade(pecar) e eu farei você possuir a vontade de Deus. O QUE VOCÊ NÃO TERÁ FEITO EM MUITOS ANOS, VOCÊ CONSEGUIRÁ VENCER EM UM DIA, que será o princípio da VIDA REAL, FELICIDADE e SANTIDADE “. Este dia surgiu e surge nos corações de qualquer um que acolhe o Dom, o aprecia, o preserva e o coloca em prática com toda a sua força. Podemos nos tornar a ser sozinhos, como Jesus … ou permanecer em nossa humanidade, no meio das criaturas (pessoas da sua convivência que você não aceita perder) mas na tortura interminável e no doloroso, estéril e inútil serviço em prol de sua própria vontade (pecar e estar preso à misérias humanas) ainda permanecendo nas trevas e na sombra de uma vida medíocre, pobre, embrulhado em farrapos que hoje o mundo acha que é tão precioso! (vida pobre de bens espirituais, aceitamos sorrir poucas vezes, por um breve tempo, e viver o resto da vida enxugando gelo de dificuldades e sofrimentos intermináveis derivados das escolhas erradas que fizemos, ou paralisados, solitários e depressivos etc).

6. “ As oportunidades que perdi “. Há uma canção maravilhosa do “The Sun”, tragicamente profunda, que conta a história de uma alma que termina sua vida com condenação e diz seu pesar de ter perdido todas as oportunidades que Deus colocou diante dele, na vida, pra receber a salvação e escapar da distância eterna de Deus, uma sentença que a própria alma, certamente não Deus, escreveu e assinou por si mesmo. Quando os caminhões de graça chegam, devem ser bem-vindos, levados imediatamente com alegria. É necessário para lembrar a grande verdade que São Francisco de Sales, na Filoteia, descreveu assim: “Os avestruzes não podem voar, as galinhas flutuam raramente, desajeitadamente e no chão; águias, andorinhas e pombos costumam voar com elegância e acima ”. Avestruzes e galinhas, que é a maioria dos homens, permanecem na terra, perdendo a oportunidade decisiva da existência para entrar em um mundo divino e viver uma vida divina … e frustrando o dom de Deus … Deus nos salve de tão grande desgraça e de nós fazer andorinhas menos ágeis, melhor se pombas brancas, melhor ainda se águias douradas com os olhos fixos e apontados diretamente para o céu. Podem pensar que tudo o que Maria disse para você é loucura, forte demais, e que Deus mandou Jesus, e Ele tomou sobre si tudo, até suas escolhas. Ele tomou sobre si, as reparações dos pecados consumados e as indiferenças, cometidas pelo velho homem (Adão), e por todos os pecados que você reconhece que foi por fraqueza, tentação, ignorância, e tantos outros justos motivos que Deus considerar por sua infinita bondade. Mas não por sua decisão após você ouvir tudo o que Jesus ensinou e aqui Nossa Senhora confirmou, de que se você decidir a partir de hoje, permanecer na terra e no reino da sua própria vontade, acima da de Deus. Nem sequer buscar conhece-la? Poderá viver de esperanças inúteis. A Misericórdia de Deus é infinita, e maior que tudo. Mas não podemos deixar de atender um chamado Dela, que veio hoje até você para lhe dar nova visão e oportunidade de uma nova escolha. Eis a sua última tábua de salvação: essa que você quer receber ¨Misericórdia Divina¨.

A alma:

Santa Mamãe, ajude sua(o) filha(o); me faça uma visita em minha alma, e tudo o que você acha que não é a vontade de Deus, com suas mãos maternas arranca-a de mim, queime meus espinhos e ervas daninhas, e você mesmo chama a Vontade Divina para reinar em minha alma .

Folha diária:

Hoje, para me honrar, você virá três vezes até Sua Mãe Celeste, para eu visitar sua alma e tu me darás toda a liberdade para fazer o que eu quero com você. Diga: Minha Mamãe, visite agora minha alma, e tenha toda a liberdade de fazer o que quiseres comigo.

Jaculatória

Rainha Soberana, pegue minha alma e em suas mãos, transforme tudo na Vontade de Deus.

  Décimo quarto dia 

A Rainha do Céu no Reino da Vontade

 Divina chega ao templo, sua casa, e se torna um modelo das almas consagradas ao Senhor 

Preparação: Oração pra meditação:

Rainha Imaculada, minha Mãe celestial, venho de joelhos diante de seu colo materno para me abandonar em seus braços, para lhe pedir com os mais ardentes suspiros – neste mês consagrado a ti – a maior graça: que admita-me viver no Reino da Divina Vontade. Santa Mamãe, você que é a Rainha deste Reino, me aceita como seu(a) filho(a) para viver nele, para que ele não seja mais abandonado, mas povoado por seus(a) filhos)a). Portanto, Rainha soberana, a vós eu me confio, para que tu guies meus passos no Reino da Divina Vontade e, agarrado à vossa mão materna, tu guiarás todo meu ser, para que eu possa fazer vida perene na Vontade Divina. Você será minha mãe e como mãe eu faço a entrega da minha vontade para ti, para que eu possa trocá-la com a Vontade de Deus, e assim posso ter certeza de não deixar o Reino Dele. Portanto, eu oro para que vós me ilumine para me fazer entender o que significa “Vontade de Deus”.
(Ave Maria)

Folha do mês (todos os dias do mês de maio): De manhã, ao meio dia e à tarde, três vezes por dia, ajoelhe-se em nossa Mãe Celestial e diga: “Minha Mamãe, eu te amo e você me ama e me dá um gole da vontade de Deus para minha alma; dê-me sua bênção para que eu possa fazer todas as minhas ações sob vossos olhos maternais “.

 A alma para a Rainha Celestial, Modelo das almas:

Mãe celestial, eu, sua(o) pobre filha(o), sinto a irresistível necessidade de estar contigo, de seguir seus passos, de ver suas ações para copiá-los, fazer de ti o meu modelo e buscá-la como um modelo para minha vida. Sinto muito a necessidade de ser guiada, porque não sei fazer nada; mas com a mãe que tanto me ama. vou saber também fazer a Vontade Divina.

 Lição da Rainha Celestial, modeladora de almas: 

Minha(o) querida filha(o), é meu ardente desejo de fazer você ser uma(o) espectadora(o) de minhas ações, para que você possa se apaixonar e imitar sua mãe. Por isso, dá-me a tua mão na minha; Eu me sinto feliz por ter minha(o) filha(o) comigo. Então, preste atenção em mim e me escute.

Saí da casa de Nazaré acompanhada dos meus santos pais. Ao deixá-la eu queria dar uma última olhada naquela casinha onde nasci, agradecer ao meu Criador por me dar um lugar para nascer, e deixá-la pela sua Vontade, e guardar minha infância e muitas preciosas lembranças –  felizes. Por que eu entendi tudo – elas foram todas mantidas na Vontade Divina e depositadas nela, como promessas do meu amor por Aquele que me criou. Minha(o) filha(o), agradecendo ao Senhor e colocando nossas ações em suas mãos como promessas de nosso amor, se faz assim novos canais de graças e comunicações que se abrem entre Deus e a alma, e a mais bela homenagem que pode ser dada àqueles que Ele nos ama muito. Portanto, aprendei de Mim para agradecer ao Senhor por tudo o que está disponível para você, e em tudo o que você está prestes a fazer é a sua palavra: “Obrigado, oh Senhor, eu coloco tudo em suas mãos”.

Agora, como eu deixei tudo no divino Fiat (Santíssima Trindade), e reinou em Mim, e nunca me abandonou em nenhum instante da minha vida, eu carreguei-o como em triunfo na minha pequena alma, e oh, quantas são as maravilhas da vontade divina! Com sua virtude conservadora, Ele manteve a ordem em todos os meus atos, pequenos e grandes, e em sua ação, dentro de Mim, como no seu e no meu o triunfo se estabeleceu, de modo que nunca perdi a memória de um único ato meu; e isso me deu tanta glória e honra que me senti Rainha, porque todos os meus atos realizados na Vontade Divina eram mais que o sol, e eu estava cravejada de luz, felicidade, e alegrias que me trouxeram o seu paraíso. Minha filha, a vivência da vontade divina deve ser o desejo, o suspiro e quase a paixão de todos; pois tanta é a beleza que se adquire e a paz se sente. Pelo contrário, é a vontade humana; que tem o poder de amargurar as pobres criaturas, oprime-as, formar a noite e andar atrasando-as.

Agora, minha(o) filha(o), deixei o lar paterno com coragem e desapego, porque olhei apenas para a Vontade Divina, na qual mantive meu coração consertado, e isso é suficiente para tudo. Mas enquanto eu caminhava para ir ao Templo, olhei toda a criação e, oh, maravilha! Eu senti o batimento cardíaco da Vontade Divina no sol, no vento, nas estrelas, no céu, e até debaixo dos meus passos senti palpitar, e o Divino Fiat que reinavam em mim ordenaram toda a criação que, como um véu a ocultou, todos se curvaram e me honraram como rainha, e todos se inclinaram, dando-me sinais de sujeição; até a pequena flor do campo não era resistente para me dar sua pequena homenagem. Eu celebrei tudo e, quando por necessidade, deixei a cidade, a criação começou a dar sinais de honra, e fui forçada a ordenar que eles estivessem em seu lugar e que eles deveriam seguir a ordem de nosso Criador.

Agora escute sua mãe; diga-me: em seu coração você sente alegria, paz, desapego de tudo e de todos, e a coragem que você pode fazer para realizar a Vontade Divina, a fim de sentir uma celebração contínua de alegria e paz dela em você? Minha filha, paz, desapego, coragem, forma o vazio na alma onde a Vontade Divina pode acontecer, e, sendo intocável por dores, carregando a festa perene na criatura. Portanto coragem, minha(o) filha(o); diga-me que você quer viver da vontade divina, e sua mãe cuidará de tudo. Agora, amanhã, vou te dizer como me comportei no templo.

 Pontos de Meditação: 

  1. ” Graças a Deus por tudo “. A primeira coisa a pensar é que CANAIS DE AGRADECIMENTOS E COMUNICAÇÕES ENTRE DEUS E A ALMA abrem quando aprendemos a AGRADECER A DEUS POR TUDO que foi e que tivemos e oferecemos, colocando-os em suas mãos, os novos atos que a Vontade Divina ele nos pergunta. “De tudo” significa não apenas coisas bonitas, prósperas e agradáveis, mas também aquelas que não são. No entanto, antes de tudo agradecemos os inúmeros presentes e graças recebidos, que devem ser conhecidos e reconhecidos. Guarde as memórias de tudo que foi, agradeça a Deus por tudo que o ato dos atos foi vivido e colocado em suas mãos: a escolha firme, decisiva e irrevogável para abraçar o Reino da Vontade Divina … Em qualquer caso nós lembramos que cada “obrigado” (respeitosamente) digo a Deus com todo o nosso coração e para todo ato “colocado em suas mãos”, novos canais de graça e novas comunicações nascem entre Deus e a alma! Nunca nos esqueçamos !!!! “Obrigado, oh Senhor, eu coloco tudo em suas mãos.”

2. ” Eu senti a Rainha, cheia de luz, felicidade, alegria “. Por quê? Porque a FIAT Divino reinou nela e nunca lhe deixou um único momento de sua vida. O principal reflexo disso é A ORDEM (nunca nos esqueçamos disso) de todos os atos realizados, mas também sentir realmente a alma “cheia de luz, felicidade e alegria”. Este é um dos atestados mais autênticos e supremos do absoluto esplendor, santidade e verdade de quem contém a via dourada da Vontade Divina. Deus é luz, Deus é alegria absoluta e felicidade, Deus quer compartilhar essas coisas com seus filhos … Mas para ter tudo, como mencionado na meditação anterior, é necessário fazer a VERDADEIRA oferta de tudo … sem excluir nada. É um passo fundamental para abrir as portas para o reino da vontade divina … Outro efeito admirável que é sentido quando se vive na vontade divina é: “Eu nunca perco a memória de um ato único”(pois se vive plenamente ciente de suas ações). Como pode ser entendido a partir da comparação – que logo veremos – com aqueles que vivem da vontade humana, para preservar a memória das boas ações realizadas (certamente não para se gabar delas ou para se orgulhar delas, mas para agradecer ao Senhor, oferecê-las e continuar, encorajados no caminho da santidade), não só não é ruim, mas o que é correto fazer!

3. ” O viver da vontade divina deve ser o desejo, o suspiro e quase a paixão de todos; tal é a beleza que é adquirida e o bem que é sentido “. Em face deste tesouro inestimável, tudo perde valor, consistência e importância. A Vontade Divina concede essa experiência e percepção pessoal àqueles que, com uma vontade firme e decidida, decidem empreender esta jornada sagrada. E faz isso com tanta precisão para empurrar aqueles que aparecem neste mundo do céu para não hesitar, mas continuar e crescer inexoravelmente na vida na Vontade Divina, começando a colocar cada vez mais aos seus pés, cada ato mínimo da vontade humana. Se nada foi ainda percebido em termos de beleza adquirida e bem sentido, significa que ainda se está perto deste reino e que o ato de determinação e firmeza não sentiu e  nem realizou-se para se entrar nele.

4. ” Todo o oposto é a vida da vontade humana”. Ela amarra a criatura, oprime-a, forma a noite, faz com que ela ande atrasada, mancando no caminho do bem e muitas vezes perdendo a memória do bem que fez. Com toda a carga adicional de sentimentos distorcidos, emoções negativas, paixões doentias, complexos mais ou menos ocultos e latentes, fraquezas hereditárias, frustrações profundas disfarçadas ou desabafadas por trás da aparência de falso bem … E perdemos a memória do pequeno bem realizado ( sempre de maneira muito imperfeita e sem interesse) cair em novo desânimo, depressões, às vezes desespero, que são compensados​​buscando conforto humano de criaturas, não importando quão boas ouúteis sejam, e aqui nascem as idolatrias das criaturas ou o apelo (menor ) para os “três”: os ídolos do mundo do sexo, dinheiro e sucesso. Devemos nos examinar com muito cuidado, sair deles … abraçando seriamente o tesouro da Vontade Divina, um tesouro esquecido e compreendido por poucos, sobre o qual a Divina Maria vem para lançar luz, de modo que nada mais em nós é humano (trazendo-nos todas as misérias e porcaria de uma vida horrível vivida na vontade própria) mas TUDO DIVINO. Este é sem dúvida um caminho certo e seguro de verdadeira e sólida santidade e quem anda nele pode ser mais do que certo de receber GRAÇA EM EXCELENTE MEDIDA para si e para toda a humanidade. É necessário avançar resolutamente nesse caminho e propor resolutamente não voltar atrás, aconteça o que acontecer, à custa de qualquer sacrifício!

5. ” Eu celebrei tudo“. A contemplação dessa cena digna do céu é algo completamente charmoso e contém uma maravilhosa revelação … Quem vive coloca-se no Divino Reino e na sua construção partiu, porque aprende a ver Deus em todos os lugares … Há boas razões para acreditar que uma criatura que vive em vontade divina, pode até ter o poder (divino) para parar terremotos, para acabar com as guerras, para repelir o tsunami, para acabar com as doenças e pandemias … que a criação, o que vem de Deus e foi criado com um ato livre do soberano e DIVINA VONTADE, ao contrário de nós que temos livre-arbítrio, está sempre sujeito a ela (porque não pode pecado, sendo incapaz de desobedecer) e, portanto, “perceber” na criatura inteligente unida a Deus a presença da vontade divina que lhe deu vida e não só se submete a ela, mas a celebra. É por isso que São Francisco falou com os pássaros, domesticou o lobo e se reconciliou com toda a criação; é por isso que os leões não devoraram Daniel, e o fogo não queimou os jovens na fornalha (quando a Vontade Divina assim ordenou). Em outras palavras, nós nos tornamos não apenas senhores e governantes de nós mesmos, mas a própria Criação se torna sujeita a nós como foi aos nossos primeiros pais: é o novo EDEN, prometido àqueles que entram no reino da Vontade Divina. A nova era que a humanidade espera, marcada pela promessa feita por Nossa Senhora em Fátima do final e definitivo triunfo do Seu Imaculado Coração, parece coincidir com o advento do Reino da Divina Vontade na terra! É a era do triunfo da vontade divina na criatura! Podemos começar a viver isso imediatamente em um nível pessoal, porque em nós o Imaculado Coração de Maria triunfa como o primeiro fruto sendo em nós e assim procederá para uma criação renovada! Naqueles que vivem na Vontade Divina, de fato, aquele Coração sempre unido a Ela em todo o assunto, já triunfou ao estabelecer seu reino.

6. ” Alegria, paz, desapego, coragem “. Eles são as provisões necessárias para formar o total vazio na alma para fazê-lo tomar o lugar da Vontade Divina. É por isso que é tão importante fazer esse ato interior de desapego de tudo … e renovar a coragem de fazer tudo, seja qual for, à custa de qualquer sacrifício, por causa de nosso Rei Jesus e de nossa rainha Maria. Desfrutando de paz imperturbável e alegria absoluta.

7. ” A Divina Vontade, sendo intocável de toda dor, traz a festa perene na criatura “. FESTA PERENE !!! Perene! Perene (que quer dizer eterna, perpétua)! Não pode ser outra coisa senão isso, porque Deus NÃO PODE sofrer de qualquer forma e se a Vontade Divina estiver em nós, toda dor cessará: certamente não no sentido de que as cruzes terminam – das quais a vida de uma criança é mais do que nunca rica da Divina Vontade – mas no sentido de que eles se tornam leves e fáceis de carregar e oferecer, porque são vividos em obediência à Vontade Divina e não com a recalcitrância da vontade humana. Festa perene! Festa perene. Festa perene …

  A alma: 

Minha Mamãe, suas lições me capturam e descem ao meu coração. Ah, você que ama tanto que sua(o) filha(o) vive da vontade divina, com seu império me esvaziando de tudo, me infunda com a coragem necessária para me fazer dar a morte a minha vontade humana, e eu, confiando em ti, lhe direi: Eu quero viver da vontade divina.

Folha diária:

Hoje, para me honrar, você me dará todos os seus atos como penhor de amor por mim, e os depositarei na Divina Vontade, dizendo-me sempre: Eu amo você, minha mãe.

Jaculatória:

Mamãe Celestial, me esvazie de tudo para me esconder na Vontade de Deus

Décimo quinto dia. 

A Rainha do Céu no Reino da Divina Vontade. 

O mesmo tópico continua: sua vida no templo 

Preparação: Oração pra meditação:

Rainha Imaculada, minha Mãe celestial, venho de joelhos diante de seu colo materno para me abandonar em seus braços, para lhe pedir com os mais ardentes suspiros – neste mês consagrado a ti – a maior graça: que admita-me viver no Reino da Divina Vontade. Santa Mamãe, você que é a Rainha deste Reino, me aceita como seu(a) filho(a) para viver nele, para que ele não seja mais abandonado, mas povoado por seus(a) filhos)a). Portanto, Rainha soberana, a vós eu me confio, para que tu guies meus passos no Reino da Divina Vontade e, agarrado à vossa mão materna, tu guiarás todo meu ser, para que eu possa fazer vida perene na Vontade Divina. Você será minha mãe e como mãe eu faço a entrega da minha vontade para ti, para que eu possa trocá-la com a Vontade de Deus, e assim posso ter certeza de não deixar o Reino Dele. Portanto, eu oro para que vós me ilumine para me fazer entender o que significa “Vontade de Deus”.
(Ave Maria)

Folha do mês (todos os dias do mês de maio): De manhã, ao meio dia e à tarde, três vezes por dia, ajoelhe-se em nossa Mãe Celestial e diga: “Minha Mamãe, eu te amo e você me ama e me dá um gole da vontade de Deus para minha alma; dê-me sua bênção para que eu possa fazer todas as minhas ações sob vossos olhos maternais “.

  A alma para a Rainha Celestial, Modelo das almas:

Mamãe Rainha, sou como sua(o) filha(o) ao seu lado, para seguir seus passos ao entrar no templo; e oh, como eu gostaria que minha mãe tomasse minha pequena alma e a fechasse no templo vivo da Vontade de Deus, para me isolar de todos, exceto do meu Jesus e da sua doce companhia.

 Lição da Rainha do Céu:

Meus(o) queridos(a) filhos(a), quão doce são os vossos sussurros para a minha audição ouvir vocês dizerem que querem ser fechados por Mim no templo vivo da Vontade Divina e que vocês não querem outra companhia além da do seu Jesus e Meu. Ah, queridos(a) filhos(a), vocês me fazem elevar no meu coração materno as alegrias de uma verdadeira mãe; e se vocês me obrigarem a fazê-lo, tenho certeza de que vocês meus(a) filhos(a) serão felizes, minhas alegrias serão tuas e ter meus(a) filhos(a) felizes é a maior felicidade e glória de um coração materno.

Agora me escutem, meus(a) filhos(a); Eu vim ao Templo apenas para viver da vontade divina. Meus santos pais me entregaram aos superiores do templo, consagrando-me ao Senhor; e enquanto lá eles fizeram, eu estava vestida para uma festa, hinos e profecias foram cantadas sobre o futuro Messias, e oh, como meu coração se alegrou! Depois de me despedir ousadamente dos meus queridos e santos pais, beijei a mão direita deles, agradeci-lhes pelo cuidado que tiveram da minha infância e com muito amor e sacrifício eles me consagraram ao Senhor. Minha presença pacífica, sem chorar e corajosa, incutiu neles tanta coragem, que eles tiveram a força para me deixar e se afastar de Mim. A Vontade Divina reinou sobre Mim e estendeu Seu Reino em todos esses meus atos. Ó poder do Fiat, só você poderia me dar heroísmo, que embora tão pequena eu tivesse a força para me separar daqueles que me amavam tanto, e eu via que eles sentiam seus corações se partindo por mim.

Agora, meus(a) filhos(a), ouçam-me: fechei-me no templo e o Senhor quis que eu fizesse meus atos, que eu tinha que fazer, no Reino da Divina Vontade, para preparar o terreno com meus atos humanos no céu, que Ele teve que se formar neste terreno da Vontade Divina para todas as almas consagradas ao Senhor. Eu estava muito atenta a todos os deveres que eram feitos, ​​para agir naquele lugar sagrado; Eu estava em paz com todos e nunca dava amargura ou perturbação a ninguém; Eu me submeti aos serviços mais humildes; Não encontrei dificuldade em nada, nem para varrer nem para lavar os pratos; qualquer sacrifício era para mim uma honra, um triunfo. Mas você quer saber por quê? Eu não era nada; TUDO PARA MIM ERA DEUS.

Então o sino que me chamou foi o Fiat; Ouvi o som misterioso da Divina Vontade me chamando ao som de um sino, e meu coração se alegrou e correu para ir aonde o Fiat (Deus) me chamava. Meu governo era a Vontade Divina e meus superiores eu os via como comandantes de uma Vontade tão santa; portanto, para Mim, o sino, a regra, os superiores, minhas ações, mesmo as mais humildes, eram alegrias e festas que o Divino Fiat preparou para mim, que, que mantendo também fora de Mim, me chamavam para difundir sua Vontade. Para formar o seu reino no menor dos meus atos. E eu gostei do mar, que esconde tudo o que tem e não mostra nada além de água; assim fiz, escondi tudo no imenso mar do Fiat Divino, e não vi nada além de mares da Divina Vontade e, portanto, TODAS AS COISAS me trouxeram alegrias e festas. Ah, meus(a) filhos(a), vocês e todas as almas correram em meus atos. Eu não sabia fazer nada sem pensar em vocês; Foi precisamente para os meus(a) filhos(a) que preparei o Reino da Divina Vontade.

Ah, se todas as almas consagradas ao Senhor nos lugares sagrados fizessem tudo desaparecer na Vontade Divina, como seriam felizes e converteriam as comunidades em tantas famílias celestes, e povoariam a terra de tantas almas sagradas! Mas devo dizer-lhes com tristeza de Mãe: quantas amarguras, problemas, discórdia, não têm? Embora a santidade não esteja no ofício que os toca, mas no cumprimento da Vontade Divina, em qualquer ofício que lhes seja designado, é essa a paz de espírito das almas, força e apoio nos sacrifícios mais difíceis.

  Pontos de Meditação:


  1. ” Fechado no templo vivo da vontade divina 
    “. “Como o corsa anseia por correntes de água, assim minha alma anseia por ti óh meu Deus! Meu coração e minha carne se alegram no Deus vivo “. Estas são as esplêndidas palavras de um salmo (Salmo 41), que descrevem exatamente as disposições com as quais é necessário abordar essas lições do Céu transmitidas pela Divina Rainha ainda mais quando, como neste, ela nos revela os segredos e detalhes de sua inefável santidade, que eles geram RIOS INESTIMÁVEIS de imensas graças, que fluem em corredeiras e cachoeiras e gentilmente varrem o coração e a alma, que sai nova, fresca, renovada, transformada. Quem não conheceu alguns vislumbres da vida adorável de Maria, a criança no templo, pode lê-los nos escritos de S. Maria Valtorta, e nos da Venerável S. Maria d’Agreda, onde ela verá a Divina Rainha exatamente no ato de fazer tudo o que ela descreve aqui, contemplando seu Coração e sua Alma divina todos unidos à Vontade Divina, particular que emerge especialmente na obra de  S Maria d’Agreda (“Cidade Mística de Deus”). Para as almas consagradas à Madonna a leitura do texto do grande mariologista padre Gabriele Maria Roschini (“A Madonna nos escritos de Maria Valtorta”, que é uma espécie de vida de Nossa Senhora segundo S. Maria Valtorta) e “A Cidade Mística de Deus de Maria” d’Agreda é um culto “obrigatório” e “best seller”. Na introdução da lição de hoje, Nossa Senhora se alegra em ouvir (mesmo de qualquer um que esteja fazendo essa meditação) “que você quer ser fechada(o) por ela no templo vivo da Vontade Divina”, não querendo qualquer outra companhia que a de Jesus e Sua (o que é verdade para todos, não apenas para as pessoas consagradas!). E ela renova sua promessa: aqueles que desejam isto e aqueles que o fazem saberão o que significa felicidade neste mundo, participarão da alegria de Maria (que gosta de transmitir sua própria alegria inefável aos outros) e, acima de tudo, fará sua Mãe feliz.

    2. ” Sem lágrimas, se não for santa “
    . Qual era o segredo do heroísmo da Menina Maria em se separar serenamente de seus pais apesar de ser tão pequena? A vontade divina A Divina Maria estava certa de que chegara ao Templo através da Vontade Divina e viveria da Vontade Divina. E não se viu  uma única lágrima e ela permaneceu absolutamente serena e pacífica (ela tinha apenas 3 anos de idade !!!!), graças à Vontade de Deus que governou nela, ela estendeu o reino em todos esses feitos heróicos e viveu nela através do poder de seu “Fiat”. “. É necessário entender e persuadir-se firmemente sem “se” e “mas”, que derramar lágrimas por causas humanas (mesmo as muito sérias) é uma fraqueza que nada tem a ver com a vida de um filho de Deus que vive na vontade divina. Nós não clamamos por destacamentos humanos, nem mesmo pela perda de pessoas muito queridas, até mesmo um pai, um cônjuge, até mesmo uma criança; muito menos por uma ofensa, uma humilhação, um infortúnio. Não é de todo humano. Nós estaremos fundidos com a Vontade Divina quando chorarmos: 1. Acima de tudo, alegria e anseio pelas alegrias que derivam da Presença Divina; 2. De dor pacífica, doce e profundo pelos pecados que cometemos (nada a ver com desespero, tristeza, desespero); 3. De compaixão por Jesus e Maria, tão ofendida pelos pecados dos homens, chorando que leva a feitos cada vez mais heróicos para repará-los; 4. De compaixão e misericórdia pelos pecados dos homens, imputando sua conversão; 5. De compaixão por todas as outras misérias humanas (é o clamor da misericórdia), juntos pelo compromisso de ajudá-la, sejam elas necessidades temporais ou, mais importante: espirituais; 6. De tristeza pela perda de almas, unindo-se às nossas lágrimas de partilha do Divino todo o nosso amor para consolar os Corações de Jesus e Maria; 7. De emoção quando alguém recebe grandes graças e presentes do céu, sentindo-se (que é verdade absoluta) totalmente indigno. Não há outras boas causas para as lágrimas de um filho de Deus e de Maria no Reino da Vontade Divina. Todo o resto é, na melhor das hipóteses, a fraqueza humana dependente da má união com a Vontade Divina.

3. ” Vida da Rainha no Reino da Divina Vontade no Templo”. Essa cena tem um valor educacional inestimável. As palavras de Nossa Senhora devem ser degustadas profundamente e imediatamente transfundidas em nossa vida diária. Varrendo o chão, lavando a louça, cuidando dos serviços mais humildes? Para ela, tudo era divinamente divino e humanamente indiferente e a ser realizado na plenitude de alegria e felicidade, porque por trás dessas tarefas humildes havia apenas uma inscrição: “Vontade de Deus”. Relacionamentos com outras garotas? “Eu estava em paz com todos, nunca dei amargura ou perturbação para ninguém.” Cumprimento dos deveres do Estado como virgem consagrada? “Eu estava muito atento a todos os deveres que eram usados​​naquele lugar sagrado”. Qual foi o sino? Nos mosteiros e conventos, o sino recorda alguns momentos da comunidade: oração, almoço, jantar, começo e fim da recreação, o começo do grande silêncio da noite. Quem toca o sino (de acordo com a Divina Maria)? Um homem? O superior? NÃO! A vontade divina. E assim que ouvimos o som, saltamos para os nossos pés, recebemos ordens com a alegria inefável e divina de fazer em tudo, mesmo nos menores e mais humildes atos, a Vontade Divina. Agora precisamos aplicar imediatamente tudo isso em nossa vida, a partir dos deveres do Estado. Todos nós o fazemos bem, com alegria e amor e com uma consciência absoluta e absolutamente indiscutível de que esta é A VONTADE DE DEUS que é muito certa e segura e é uma das primeiras coisas fundamentais para a minha santificação? Relações com os outros: nos tornamos pequenos anjos, pacíficos com todos, bons com todos, mansos e gentis com todos, com cuidado para nunca ofender ninguém, nem mesmo o menor, não carecer de nenhuma forma de caridade e não trazer amargura (mesmo o menor) ou perturbação para alguém? Nossas ocupações diárias, tarefas, trabalhos, ações feitas em tempo livre: estamos felizes em desaparecer aos olhos de todos, para lidar com as coisas mais comuns e básicas, sem tentar de qualquer maneira aparecer, mostrar-se mesmo que apenas pela fraqueza (se não fosse orgulho) de sentir-se importante, amada, estimada, apreciada por alguém? Eles podem ajudando a entender melhor o que significa viver na VONTADE DIVINA e a simples razão pela qual aqueles que vivem nela são SEMPRE felizes e cheios de alegria….

4. ” Eu fiz todas as coisas no mar da Divina Vontade e, portanto, TODAS AS COISAS me trouxeram alegria e festas” . Aqui é a razão muito simples e o segredo da alegria perpétua de Maria Santíssima e aqui é onde (se quisermos), em BREVE TEMPO, o caminho que ela está mostrando e abriu nos levará, se tivermos a docilidade para segui-lo … Seremos capazes de ver tudo com novos olhos e até mesmo no menor ato indiferente (indo até os banheiros para realizar as funções fisiológicas mortificadoras ligadas à nossa condição terrena e mortal), veremos a Vontade Divina e a realizaremos em união com Ela. E este ato, combinado com as intenções de Jesus (sempre lembrando o triplo propósito de Suas intenções), nos dará IMENSA ALEGRIA! na verdade esta ação também será realizada em obediência a Deus, que, enquanto estivermos neste mundo, também nos sujeitou às necessidades fisiológicas mortificantes e que são, portanto, também manifestações da Vontade Divina. O mesmo se aplica a atos como dormir, lavar, comer, pentear, vestir, andar … Nem um segundo sequer e nem uma única batida do coração ou respiração deve estar do lado de fora e sem união com a Vontade Divina. Orações diárias e exercícios servem para nos fazer entrar nesta familiaridade e união habitual com a Vontade Divina! É por isso que eles são tão importantes e devem ser multiplicados (com calma e sem “ansiedades de desempenho”) mais do que você pode! Mesmo as atividades inconscientes (respiração, batimento cardíaco, gesticulação, piscando, etc. ) pode e deve ser realizado em conjunto com a VONTADE DIVINA. Todos somos ajudados pelo fato de que Nossa Senhora nos levou já consigo mesmo quando ela realizou todos esses atos (como ela expressamente aponta). Ou seja: você já fez tudo por nós, agora espere que façamos tudo (por sua vez) COM você e em você (assim como, é claro, para você e para Jesus). “Vem a Vontade Divina em meu movimento, em minha caminhada, em minha penteação, reorganizando, me vestindo, comendo, arrumando, limpando, lavando louça, arrumando, dormindo, varrendo, respirando, olhando, ouvindo, cheirando, falando, tocando. .. vem na batida do meu coração, vem na batida dos meus cílios, entra no meu sistema nervoso, nas células do meu corpo que fazem a Tua Vontade, na circulação do meu sangue, nos meus gestos inconscientes “… e quem quanto mais você tem, mais você coloca! Não é um jogo ou uma canção de ninar … está operando de Deus …

5. ” A vida das pessoas consagradas ao Senhor”
. Em que convento ou mosteiro é a ordem absoluta em que Maria Santíssima comportou-se em todas as formas e formas de vida consagrada, nestes tempos de crise tão difundida e conturbada que ela não poupou (de fato!) Mesmo os institutos da vida consagrada? Bem acontece, mesmo em algumas comunidades religiosas, encontrar discórdia, inveja, rivalidade, pouco senso de respeito pelos superiores, contestação de suas ordens e regras, reclamações por tarefas muito humildes, por não reconhecimento, por promoções perdidas … distúrbios de ações contínuas para a vida em comum com comportamentos singulares, com várias formas de atrair a atenção, para posar como “o mais sagrado de todos”, de “mais esperto em conhecimento”, “mais preparado e capaz em executar tarefas” e quem tem mais, quanto mais você coloca, etc. Muitas dessas coisas, infelizmente, acontecem também nos ambientes ligados às comunidades paroquiais, algo que magoa tanto os vizinhos (ainda mais) de longe, que vêem esses shows muito pouco edificadores, eles criticam (certamente sem caridade, mas não sem alguma razão) e permanecem escandalizados. É necessário entender que, da Vontade de Deus, até mesmo os lugares mais santos se tornam o receptáculo da pior escória da humanidade muito baixa, um bando nauseante de pequenas coisas infinitas de misérias vergonhosas. Enquanto que se alguém estiver na vontade de Deus, até mesmo na família, mesmo na comunidade paroquial, mesmo num grupo de oração ou específico com qualquer propósito, até mesmo na vida de um leigo consagrado no mundo, de uma viúva, de uma pessoa abandonada pelo cônjuge, torna-se uma canção ininterrupta de alegria e felicidade total … Por quê? …

6. Porque “a SANTIDADE NÃO ESTÁ NO LOCAL ONDE SE ESTÁ (instituição qual for) mas na vocação que se tem, na tarefa, no mosteiro, no convento, na família, sozinho, MAS EM EXECUTAR O DIVINO QUERER”. Amém! Fiat! Mas sem isso, nada é bom e bonito, nada traz alegria e felicidade, nada é obtido, nada beneficia, nada serve …

  A alma:

Ó Santa Mãe, quão belas são as suas lições! Quão doce elas descem ao meu coração! Por favor, estenda o mar do Divino Fiat em mim e coloque-o ao meu redor, para que seu(a) filho(a) não veja e não saiba nada mais do que a Vontade Divina, de modo que, sempre passando por isso, ela possa conhecer seus segredos, suas alegrias, sua felicidade.

  Folha diária:

Hoje, para me honrar, você me fará doze atos de amor, para honrar os doze anos que vivi no templo, rezando para que você me reconheça à união de meus atos. [Um ato de amor por Nossa Senhora é muito simples; “Maria eu te amo [na vontade divina]”.

  Jaculatória:

Mamãe Rainha, coloque-me no templo sagrado da Vontade de Deus.

 Décimo sexto dia. 

A Rainha do Céu no Reino de A Vontade Divina continua 

 sua vida no templo e forma o novo dia, para trazer o 

sol brilhante da Palavra Divina na terra 

Preparação: Oração pra meditação:

Rainha Imaculada, minha Mãe celestial, venho de joelhos diante de seu colo materno para me abandonar em seus braços, para lhe pedir com os mais ardentes suspiros – neste mês consagrado a ti – a maior graça: que admita-me viver no Reino da Divina Vontade. Santa Mamãe, você que é a Rainha deste Reino, me aceita como seu(a) filho(a) para viver nele, para que ele não seja mais abandonado, mas povoado por seus(a) filhos)a). Portanto, Rainha soberana, a vós eu me confio, para que tu guies meus passos no Reino da Divina Vontade e, agarrado à vossa mão materna, tu guiarás todo meu ser, para que eu possa fazer vida perene na Vontade Divina. Você será minha mãe e como mãe eu faço a entrega da minha vontade para ti, para que eu possa trocá-la com a Vontade de Deus, e assim posso ter certeza de não deixar o Reino Dele. Portanto, eu oro para que vós me ilumine para me fazer entender o que significa “Vontade de Deus”.
(Ave Maria)

Folha do mês (todos os dias do mês de maio): De manhã, ao meio dia e à tarde, três vezes por dia, ajoelhe-se em nossa Mãe Celestial e diga: “Minha Mamãe, eu te amo e você me ama e me dá um gole da vontade de Deus para minha alma; dê-me sua bênção para que eu possa fazer todas as minhas ações sob vossos olhos maternais “.

  A alma para sua mãe celestial:

Minha querida mãe, sinto que você roubou meu coração e corro para minha mãe, que segura meu coração nela como sinal do meu amor e, em vez de meu coração, ela quer colocar a Divina Vontade como penhor do amor de minha mãe. . Então eu entro em seus braços, para que, como sua filha, você me prepare, me dê suas lições e faça o que quiser comigo. Então eu imploro que você nunca deixe sua filha sozinha, mas sempre me mantenha sempre com você.

 Lição da Rainha do Céu: 

Minha(o) querida(o) filha(o), oh, como suspiro para manter você sempre comigo! Eu gostaria de ser seu batimento cardíaco, sua respiração, as obras de suas mãos, o passo de seus pés, para fazer você sentir através de mim como a Vontade Divina opera. Eu gostaria de derramar minha vida em você! Oh, quão doce, amável, encantadora e arrebatadora ela é! Oh, como eu iria fazer-te duplamente feliz se eu tivesse você, minha(o) filha(o), sob o Império total do Fiat Divino, que formam toda a minha fortuna, minha felicidade, a minha glória.

Agora, preste atenção em mim e ouça sua mãe, que quer compartilhar minha fortuna com você. Continuei minha vida no templo, mas para mim o céu não estava fechado, eu poderia ir quantas vezes quisesse; meu ritmo estava livre para entrar e sair. No céu eu tinha minha Família divina, e eu queimei e suspirei para ficar com eles juntos. A Divindade em si, as Pessoas divinas, me esperavam com tanto amor para conversar comigo, para me parabenizar e me fazer mais feliz, mais bela, mais querida aos seus olhos; afinal, eles não me criaram para me manter longe, não, não; queriam me divertir, queriam me sentir, sentir como minhas palavras animadas pelo Fiat detinham o poder de colocar a paz entre Deus e as criaturas; eles amavam ser derrotados por sua filhinha e ouvir-me repetindo: Desce, deixa a Palavra descer à terra! Eu posso dizer que a mesma Divindade me chamou e eu corri, eu voei entre eles. Minha presença, nunca tendo feito a vontade humana, retribuiu seu amor e a glória da grande obra de toda a criação e, portanto, eles me confiaram o segredo da história da humanidade; e orei e intercedi para que a paz entre Deus e o homem ocorresse.

Agora, minha(o) filha(o), você deve saber que sou o único ser humano que tem o profundo céu aberto e, portanto, não foi dado a nenhum outro penetrar nessas regiões celestiais, e ter o comércio da família com seu Criador; de fato, a vontade humana jogou a criatura longe daquele que a criou. Após o homem escapar da vontade divina, tornou-se medroso, tímido e perdeu o domínio de si mesmo e de toda a criação. Todos os elementos, porque dominados pelo Fiat, permaneceram superiores a ele e poderiam prejudicá-lo. O homem estava com medo de tudo, e parece-lhe pouco, minha(o) filha(o), que aquele que foi criado rei, governante de tudo, veio a ter medo daquele que o criou? Estranho, minha(o) filha(o), e eu diria quase contra a natureza, que uma criança tem medo de seu pai, enquanto é na natureza que, como ela é gerada, amor e confiança são gerados entre pai e filho; e isso é comum:  haver a herança que pertence ao filho e o direito que cabe ao Pai. De modo que Adão, fazendo sua vontade própria, perdeu a herança de seu Pai, perdeu seu Reino e fez de si mesmo a chacota de todas as coisas criadas.

Minha(o) filha(o), ouça sua mãe e reflita bem sobre o grande mal da vontade humana; tira os olhos da alma e torna-a cega, de modo que tudo é escuridão e temor da pobre criatura. Então coloque sua mão em seu coração e jure à sua mãe que você preferiria morrer do que fazer a sua vontade. Eu, nunca fazendo a minha vontade, não tive medo com o meu Criador; e como eu poderia ter medo se ele me amava tanto? E o seu reino estendeu-se tanto em mim, que com os meus feitos eu estava formando o dia inteiro para trazer o novo sol da Palavra eterna na terra; e eu, quando vi que o dia estava se formando, aumentava minhas súplicas para obter o tão esperado dia de paz entre o céu e a terra. Agora, amanhã estarei esperando por você para lhe contar outra surpresa da minha vida aqui.

Pontos de Meditação:

  1. ” Os desejos e anseios da Divina Maria”. A primeira coisa a fazer e que ordinariamente a Madonna faz ao apresentar o objeto da meditação é externar e compartilhar os desejos e suspiros de seu Coração ardente e imaculado: “Eu suspiro para SEMPRE manter você comigo! Eu gostaria de ser seu batimento cardíaco, sua respiração, as obras de suas mãos, o passo de seus pés … Eu gostaria de derramar em você a vida da Vontade Divina, que é doce, amável, encantadora e cativante “. Quem quer que tenha começado a aceitar o Dom da Vontade Divina não terá dificuldade em compreender a verdade profunda dessas palavras. Quem tem esse destino feliz reconhece sem hesitação que nunca viveu tantos dias felizes e abençoados durante toda a sua vida, imerso em paz, alegria, calma surreal, numa atmosfera de amor pleno e transbordante por Deus e pelas criaturas. , com a qual voltamos à comunhão e aprendemos a reconhecer o ininterrupto “eu te amo” de Deus por nós. Verdadeiramente a Vontade Divina é doce, amável, encantadora e arrebatadora …

2. “O Céu não me foi fechado “. As palavras com as quais a Madonna mostra sua completa e absoluta familiaridade com Deus, com a qual ela descreve suas jornadas celestiais, na qual ela revela como a Santíssima Trindade  estava feliz em passar tempo com ela para torná-la cada vez mais feliz, o amor que reinava entre o Deus trino e essa criatura adorável nos fez entender a verdadeira face de Deus e nos trazer de volta ao verdadeiro propósito da Criação: Deus criou o mundo para que as criaturas pudessem começar já aqui, em união com a Vontade Divina, a desfrutar Dele. Somente o Amor guiou Deus na criação: de dar vida às criaturas livres e inteligentes que desfrutaram de sua própria felicidade inefável e aquelas que são inteligente porque eles eram um reflexo sensível de sua beleza, sua harmonia, sua glória. Quanto mais alguém retorna à Vontade Divina, mais toda a criação também retornará para se submeter ao homem, que foi criado para ser rei e governante. O primeiro passo, obviamente, na Vontade Divina, é unir-se completamente a si mesmo para poder voltar a ser senhores de nós mesmos. Esse é o primeiro e mais importante passo para retornar à união original com Deus, sempre lembrando que um dos principais objetivos da revelação da Vontade Divina é o retorno à condição abençoada de nossos primeiros pais, à ordem e absoluta santidade da criação original, bens que foram perdidos com o surgimento da vontade humana no pecado original.

3. ” O único humano que penetrou o  profundo céu” . Magistral e divina é a explicação da decadência do homem pela Madonna. Depois da tragédia do pecado original, a possibilidade de o homem ter acesso íntimo a Deus acabou e toda forma de familiaridade com o Criador terminou. Os bens perdidos eram de natureza incalculável !!! O homem se torna Tímido e Temeroso, não consegue dominar a si mesmo e perdeu o domínio da criação. Divina a explicação deste último detalhe: por que a criação se rebelou ao homem tornando-o hostil a ele? Muito simples: porque enquanto o domínio do FIAT permaneceu cheio e invariável na criação (na verdade, as criaturas não inteligentes não podem sair da ordem divina em que foram colocadas, não tendo livre arbítrio), o homem saiu de forma assustadora fora. E quem está em união com Deus (os Criados) NÃO PODE estar sujeito àqueles que não estão unidos a Ele. Ponderar bem essa expressão: o homem se tornou a CHACOTA das coisas criadas e, infelizmente, também dos demônios, cuja rebelião (que perturba a ordem do Fiat muito antes do pecado original, criando desorientação e guerra no céu), foi assinada e seguida. O retorno da Vontade Divina, portanto, implica uma verdadeira reconciliação com a criação e coloca os demônios em fuga, que perdem muitos dos poderes que têm para prejudicar e arruinar as almas. Por quê? Porque se você está UNIDO COM A VONTADE DIVINA, participando dos poderes, atributos e propriedades do Supremo FIAT, não é possível ser sujeito e submisso ao rebelde por excelência, que é a Lúcifer. Não é possível. Sua ação ordinária de nos tentar, por disposição divina, permanece, assim como – se a vontade divina assim desejar – também o poder de fazer algum mal vexatório. Mas na Vontade Divina somos mais que vencedores e as portas de acesso à sua astúcia e malícia são praticamente todas barradas. O diabo é o rei do medo e nele ele constrói seu reino horrendo. Nunca um filho da Divina Vontade tem medo no relacionamento com Deus, que estabelece suas relações com seus filhos no amor, confiança, abandono, não no medo! O santo temor de Deus, a reverência devida ao Criador e o doce medo de fazer algo que possa desagradar a um Deus tão bom, amável e santo é outra coisa diferente do terrorismo de origem satânica. Indo para o caminho da Vontade Divina, portanto, é preciso fazer um bom reset e sintonizar o relacionamento com Deus nas freqüências de confiança infinita, de uma intimidade nova e renovada, de amor combinado com um sentido muito profundo de verdadeira filiação e proteção total.

4. ” O grande mal da vontade humana”. A vontade humana remove a luz da alma e a torna cega: não sabe o que fazer, não sabe discernir, não encontra a medida, o equilíbrio, não vê as coisas com a luz de Deus … e cai em medo em todas as suas formas: a partir de um certo medo de Deus (cuja relação é viciada pelo medo de que se você faz algo que não funciona Ele vai nos punir), para continuar em todos os múltiplos medos, mesmo de natureza psicológica em que todos os homens eles estão emaranhados e é bom fazer uma lista ilustrativa: medo de não ser amado, de ficar só, de não ser estimado, considerado, calculado; medo do amanhã, de não ter dinheiro suficiente, de perder o emprego; medo do sofrimento e da morte; tem medo de questionar e ter que admitir que eu estava errado; medo de mudar as idéias de alguém; medo dos superiores e de toda pessoa constituída em autoridade; medo de se relacionar entre si; medo do escuro, medo de altura (tontura), medo de alguns animais ou insetos, medo de ficar sozinho em casa, medo do fechado, paranóia de vários tipos, medo de não estar na graça de Deus. S. Francesco Bamonte (“A Virgem Maria e o diabo nos exorcismos”) que a Madonna, como de fato reitera aqui, nunca teve nenhum tipo de medo, de nada ou de ninguém, e menos de todo o seu Criador: nem mesmo sob o atravessar e com o mundo inteiro contra, como o diabo com raiva admitiu durante um exorcismo relatado no texto. Como você pode? Ter medo de Deus que nos ama tanto? E como continuar escravos de todos os medos humanos se este Deus Todo-Poderoso, em cuja onipotente Vontade vive e está imerso, nos promete custódia e proteção em tudo e nos garante que nada realmente mal pode acontecer comigo e que tudo é e permanece sempre o controle absoluto da Sua vontade divina? É necessário, neste caminho de ouro, fazer a escolha do amor. O amor perfeito bane o medo, escreveu São João e, como nós, não devemos ter medo de Deus ou de nada, nem de qualquer um, então temos que ter certeza de que ninguém nunca tem medo de nós por causas dependentes de nossos comportamentos não saudáveis. Dom Bosco disse aos seus filhos: “estudem para se fazerem amados”. É um ótimo programa de vida. Se o coração está totalmente aberto à Vontade Divina, a gramática do amor é redescoberta, que é o que é usado no céu e traça todos os remanescentes da maldita humanidade e vontade humana que ainda obscurecem o esplendor do amor.

5. ” Todos devemos aprender a ser apenas amor, fundidos com Jesus”. Isto é possível recitando frequentemente (pelo menos uma vez por dia) a escritura de fusão. Unidos à Divina Vontade e aos raios do Divino Sol, é impossível permanecer no frio do não-amor ou da insatisfação. E trabalhar a partir de Deus para aprender a ser sempre e somente amor. Com todos. Sem condições. Sem hesitações. E sem voltar pra trás.

  A alma: 

Soberana Mamãe Minha, quão doces são as suas lições! Oh, como elas me fazem entender o grande mal da minha vontade humana! Oh, quantas vezes eu também senti medo e timidez em mim e senti que estava longe do meu Criador. Ah, foi a minha vontade humana que reinou em mim, não o Divino! Então eu senti seus efeitos tristes. Então, se você me ama como filha(o), tome meu coração em suas mãos e tire o medo e a timidez que me impedem de voar em direção ao meu Criador; e no lugar dela, coloque-me aquele Fiat que você tanto ama e que quer reinar em minha alma.

  Folha diária:

Hoje, para me honrar, você colocará em minhas mãos tudo o que você ouvir de assédio, medo e desconfiança, para que você possa convertê-lo na Vontade de Deus, dizendo-me três vezes: “Minha mãe, deixe a vontade divina reinar em minha alma” .

  Jaculatória:

Minha mãe, acredite em mim, forma o dia da Vontade Divina em minha alma.

                       Décimo sétimo dia.

                     A Rainha do Céu no Reino da Divina Vontade deixa o templo. Casamento com São Jose. Espelho divino em que ele chama todos aqueles que são chamados
por Deus para o estado conjugal para ser espelhado

Preparação: Oração pra meditação:

Rainha Imaculada, minha Mãe celestial, venho de joelhos diante de seu colo materno para me abandonar em seus braços, para lhe pedir com os mais ardentes suspiros – neste mês consagrado a ti – a maior graça: que admita-me viver no Reino da Divina Vontade. Santa Mamãe, você que é a Rainha deste Reino, me aceita como seu(a) filho(a) para viver nele, para que ele não seja mais abandonado, mas povoado por seus(a) filhos)a). Portanto, Rainha soberana, a vós eu me confio, para que tu guies meus passos no Reino da Divina Vontade e, agarrado à vossa mão materna, tu guiarás todo meu ser, para que eu possa fazer vida perene na Vontade Divina. Você será minha mãe e como mãe eu faço a entrega da minha vontade para ti, para que eu possa trocá-la com a Vontade de Deus, e assim posso ter certeza de não deixar o Reino Dele. Portanto, eu oro para que vós me ilumine para me fazer entender o que significa “Vontade de Deus”.
(Ave Maria)

Folha do mês (todos os dias do mês de maio): De manhã, ao meio dia e à tarde, três vezes por dia, ajoelhe-se em nossa Mãe Celestial e diga: “Minha Mamãe, eu te amo e você me ama e me dá um gole da vontade de Deus para minha alma; dê-me sua bênção para que eu possa fazer todas as minhas ações sob vossos olhos maternais “.

       A alma para sua mãe celestial: 

Santa Mamãe, hoje mais do que nunca sinto a necessidade de me segurar nos teus braços, para que aquela Vontade Divina que reina em você forme o doce encantamento à minha vontade, para que ela me poupe e eu não ouse fazer nada que não seja A vontade de Deus. Sua lição ontem me fez entender a sentença de vida em que o humano lançará a pobre criatura, e temo tanto que ela faça as fugas de mim, e sempre tome seu lugar novamente em mim. Por isso, confio-me à minha mãe, para estar vigilante a ponto de ter a certeza de viver sempre da vontade divina.

Lição da Rainha do Céu: 

Vamos, meu(a) filho(a), coragem e confiança em sua mãe e resolução firme para nunca dar vida à sua vontade própria. Oh, como eu gostaria de ouvir em seus lábios: “Minha mãe, minha vontade acabou, e todo o império mantém em mim o Fiat divino”. Estas são as armas que a fazem morrer constantemente e conquistar o coração de sua mãe para usar todas as minhas artes amorosas, para que seu(a) filho(a) viva no reino de sua mãe. Para você será uma morte doce que lhe dará a vida verdadeira, e para mim será a mais bela das vitórias que você faz no Reino da Vontade Divina. Portanto, coragem e confiança em mim. A desconfiança é dos covardes e daqueles que não estão realmente determinados a obter a vitória e, portanto, estão sempre sem armas e, sem armas, não se ganha; e é sempre intermitente e vacilante em fazer o bem.

Agora, meu(a) filho(a), ouça-me: continuei minha vida no Templo e minhas aventuras em minha Celestial Pátria. Eu mantive meus direitos como filha, para fazer minhas visitas à minha Divina Família, que pertenceu a mim mais do que ao Pai. Mas o que não foi minha surpresa, quando em uma dessas minhas visitas, o Povo Divino me fez saber que foi a Vontade deles era que eu deixasse o Templo, unindo-me primeiro com um laço de casamento, de acordo com o costume desses tempos, com um homem santo chamado José, e ir morar com ele para morar na casa de Nazaré.

Meu(a) filho(a), nesta passagem da minha vida, aparentemente parecia que Deus queria me testar. Eu nunca amei ninguém no mundo e, como a Vontade Divina manteve sua extensão em todo o meu ser, meu humano nunca teve um ato de vida; portanto, a semente do amor humano estava faltando em mim. Como eu poderia amar um homem, não importa quão grande santo ele fosse, na ordem humana? É verdade que eu amava a todos, e foi tanto amor por todos, que meu amor de Mãe os havia escritos em mim um a um, com caracteres indeléveis de fogo, em meu coração materno, mas estava tudo na ordem divina. Porque o amor humano, comparado ao divino, pode ser chamado de sombra, nuances, átomos de amor. E ainda, querido(a) filho(a), de lá que aparentemente parecia estranho para a santidade da minha vida, Deus usou isto admiravelmente para realizar seus desígnios e conceder-me a graça que eu desejava, isto é, para a Palavra Eterna descer à terra. Deus me deu a salvaguarda, a defesa, a ajuda, para que ninguém falasse de mim, mantendo minha honestidade. São José deveria ser o cooperador, o tutor, que tinha que se interessar pelo pouco humano que precisávamos, e a sombra da paternidade celestial, na qual nossa pequena família celestial tinha que ser formada na terra.

Então, apesar da minha surpresa, eu imediatamente disse: “Fiat!”, Sabendo que a Vontade Divina não me machucaria, nem prejudicaria minha Santidade. Oh, se eu quisesse colocar um ato da minha vontade humana, mesmo sob o aspecto de não querer conhecer o homem, eu teria arruinado os planos da vinda da Palavra Eterna na terra! Portanto, não é a diversidade de estados que afeta a santidade, mas a falta da Vontade Divina e o cumprimento dos deveres em que Deus chama a criatura. Todos os estados são sagrados, até mesmo o casamento, desde que dentro dele esteja a vontade divina e o sacrifício exato dos deveres; mas a maioria das pessoas é preguiçosa e desleixadas e não apenas não se tornam santos, mas eles formam o estado de cada um, um que é um purgatório e um que é o inferno. Quando eu soube que tinha que sair do templo, não contei a ninguém, esperando que o próprio Deus movimente as circunstâncias externas para me fazer cumprir sua adorável Vontade, como de fato aconteceu. Os Superiores do Templo me chamaram e me disseram que era sua vontade, e também o costume daqueles tempos, que eu me preparasse para o casamento; E eu aceitei. Milagrosamente, a escolha entre tantos outros homens, recaiu sobre São José, e o mesmo aconteceu com o casamento, e eu deixei o Templo. E eu imploro a você, filho(a) do meu coração, que em todas as coisas você esteja preocupado(a) apenas com a Vontade Divina, se você queira que os desígnios divinos sejam cumpridos acima de você.

 Pontos de Meditação: 



  1. ” Coragem, confiança e propósito firme de nunca dar vida à vontade humana”
    . É preciso coragem para quebrar as correntes da vontade humana, que nos mantém em uma prisão real com muita condenação “à prisão perpétua” (bela essa imagem). Muita coragem, porque todos nós somos muito apegados, mesmo nos pequenos e mínimos atos da nossa vontade humana, que deve desaparecer e viver fundida com o supremo FIAT, se quisermos desfrutar das graças e maravilhas deste caminho de ouro. Uma grande coragem deve ser unida com grande confiança em primeiro lugar em Deus, depois em Nossa Senhora, então na origem divina desta jornada abençoada, sem duvidar, hesitar ou recuar. Finalmente, a “firme intenção” de nunca dar vida a um único ato da vontade humana. Leva apenas um não a ela (como veremos em breve), para comprometer os planos e desejos do Altíssimo …

2. ” As surpresas celestes “. A Madonna nem sequer passou pela “pré-lavagem” do cérebro que seu caminho deveria começar a celebrar um casamento humano. A retira rotineiramente nos vórtices da divindade, tendo já feito e oferecido a Deus um voto de virgindade, ocupado para servir em silêncio e disciplina do Templo. E Ele tinha esse grande surpresa … absolutamente chocante e aparentemente desestabilizadora … é as surpresas divinas que nós não compreendemos quando elas aparecem, mas sempre tem razões muito altas para ser. Nossa Senhora nunca imaginou que este novo chamado era o meio para perceber (e precisamente nela) que ansiava e pedia incessantemente: a Encarnação da Palavra Eterna: Jesus. O Espírito Santo ilumina os olhos da nossa mente sobre este detalhe fundamental da vida de santidade, que é Deus quem decide e traça com suas “surpresas”, o que Ele faz sem dar explicações imediatas, mas exigindo total e grande confiança e abandono ” FIAT ”ao que se manifesta, sem conhecer suas profundas razões e por quê. O que, se for bom e oportuno, será conhecido apenas mais tarde e somente após essa absoluta e plena adesão a Eles. Caso contrário, no Paraíso. Sempre é necessário estar pronto para os evidentes chamados divinos da Vontade Divina, deixando imediatamente e desfazendo a sua própria vontade humana …

3. ” Dificuldade de execução”
. Nossa Senhora explica muito bem que para ela era impossível amar um homem com amor humano, mas somente divino e portanto universal e para com todos. O amor matrimonial, como você sabe, é exclusivo e específico para uma criatura humana e é exatamente o espelho oposto do amor virginal, que ama a todos em Deus e Deus somente com amor e afeição conjugal. Mas isso não a impediu e, acima de tudo, não a fez formular a montanha de objeções muito justas que ela poderia ter oposto. E, como você explica, se, infelizmente, ela tivesse feito isso, opondo-se a uma única objeção, ela o fazendo – prejudicaria a Encarnação da Palavra Eterna. Aqui estão os imensos males que podem fazer a vontade humana … Fazendo bem o exame de consciência sobre quantas objeções nós habilmente fazemos a Deus ou àqueles que o representam, sempre encobertos pelo pretenso (e falso) pretexto de fazer algo mais agradável a Deus …

4. ” FIAT” . “Apesar da minha surpresa, eu disse imediatamente: FIAT”. Isto fez a Rainha do Céu, a Obra Prima do Altíssimo. Somente sabendo que se tal fosse a Vontade Divina, ela não poderia nos causar dano ou prejudicar sua santidade. Muito interessante o que ela diz sobre a hipótese de se opor a sua santa e boa vontade humana de não querer “conhecer o homem”, o que teria até levado à frustração dos planos para a vinda da Palavra na terra! Nossa Senhora fez este raciocínio muito divino (para nunca mais ser esquecido): qualquer que seja o estado que a Vontade Divina me ofereça, certamente será uma forma de santificação, se eu a viver no cumprimento dos deveres inerentes a ela e na união com a Vontade Divina. O estado de vida não conta, mas é importante estar no que corresponde às Vontades Divinas e vivê-las de acordo com elas. Isso (o fato de que uma certa coisa é a Vontade Divina) é a única coisa necessária para saber, porque é a única coisa que deve inspirar nosso “fazer”, nossas escolhas, nossas ações. Nada mais é necessário. O que os homens NÃO fazem e, para eles, o seu estado de vida (e não apenas isso …) torna-se uma antecâmara do Inferno ou, na melhor das hipóteses, do Purgatório. Nada a ver com a FELICIDADE que vive quem faz tudo na Vontade Divina.

5. ” Deus provê tudo”. Tendo dito o “FIAT” à Vontade Divina, Nossa Senhora não se importa com nada, esperando que Deus mova homens e pessoas para realizar o que Ele lhe mostrou. E assim aconteceu. Não precisamos nos preocupar com nada na Vontade Divina, senão nos opormos a qualquer resistência à Sua vontade e nenhum limite à Sua adorável Vontade. Não podemos dizer ao Céu: “pergunte-me tudo, mas não isso! Eu faço tudo, mas não este! Apenas um é o mal que nunca deve ser feito: pecado objetivo . Mas a vontade divina nunca pedirá por isso. Isso também nos faz entender a importância da obediência e como ela é libertadora e necessária. Somente se um pecado objetivo for ordenado, pode ser feito e deve ser ignorado ou desconsiderado. Em todos os outros casos, somente aqueles que obedecem a nenhum erro e apenas uma desobediência (mesmo que bem motivados, mas nós pensamos: o que melhor motivação do que a Madonna em relação à “sua” obediência a casar?) Para atrapalhar os planos de Deus ou cair, de novo e assustadoramente, nos labirintos e nos meandros sombrios da vontade própria.

     A alma

Celeste Regina, sua filha confia em você. Com a minha confiança, quero ferir o seu coração; e que esta ferida sempre diga em seu coração materno: “Fiat! Fiat! Fiat! ”.

Folha diária:

Hoje, para me honrar, você se ajoelhará e recitará 15 Glorias ao Pai, para agradecer ao Senhor por todas as graças que ele me deu até o décimo quinto ano da minha vida, e especialmente porque ele me deu um homem tão santo como São José por companhia.

Jaculatória:

Rainha poderosa, me dê as armas para mover a batalha e me faça vencer pela Vontade de Deus.

Décimo oitavo dia. 

A Rainha do Céu no Reino de Vontade Divina na casa de Nazaré.
O céu e a terra estão prestes a se dar o beijo da paz; a hora divina está próxima. 

Preparação: Oração pra meditação:

Rainha Imaculada, minha Mãe celestial, venho de joelhos diante de seu colo materno para me abandonar em seus braços, para lhe pedir com os mais ardentes suspiros – neste mês consagrado a ti – a maior graça: que admita-me viver no Reino da Divina Vontade. Santa Mamãe, você que é a Rainha deste Reino, me aceita como seu(a) filho(a) para viver nele, para que ele não seja mais abandonado, mas povoado por seus(a) filhos)a). Portanto, Rainha soberana, a vós eu me confio, para que tu guies meus passos no Reino da Divina Vontade e, agarrado à vossa mão materna, tu guiarás todo meu ser, para que eu possa fazer vida perene na Vontade Divina. Você será minha mãe e como mãe eu faço a entrega da minha vontade para ti, para que eu possa trocá-la com a Vontade de Deus, e assim posso ter certeza de não deixar o Reino Dele. Portanto, eu oro para que vós me ilumine para me fazer entender o que significa “Vontade de Deus”.
(Ave Maria)

Folha do mês (todos os dias do mês de maio): De manhã, ao meio dia e à tarde, três vezes por dia, ajoelhe-se em nossa Mãe Celestial e diga: “Minha Mamãe, eu te amo e você me ama e me dá um gole da vontade de Deus para minha alma; dê-me sua bênção para que eu possa fazer todas as minhas ações sob vossos olhos maternais “.

A alma para sua Mãe rainha: 

Minha mãe soberana, estou de volta para seguir seus passos. Seu amor me liga e, como um ímã poderoso, me mantém fixa(o) e decidida(o) a ouvir as belas lições de minha mãe. Mas isso não é suficiente para mim; se você me ama como uma(o) filha(o), me encerre no Reino da Vontade Divina, onde você viveu e vive, e feche a porta para mim, de modo que, mesmo se você quisesse, você nunca mais poderia abandonár-me. Então, Mãe e Filha(o) farão a vida juntos e ambos seremos felizes.

Lição da Rainha do Céu:

Minha(o) querida(o) filha(o), se você soubesse como eu suspirei para mantê-la(o) fechada(o) no Reino da Vontade Divina! Toda lição que lhe dou é uma porta que eu formei para impedi-la(o) de passar e partir, é uma fortaleza para entesourar sua vontade, de modo que você compreenda e ame estar sob o doce império do Fiat supremo. Portanto, tenha cuidado para me ouvir, porque eu não sou nada além de obras que fazem a sua Mãe atrair e capturar sua vontade e fazer a Vontade Divina superar você.

Agora, minha(o) querida(o) filha(o), ouça-me: deixei o templo com a mesma coragem com a qual entrei e só para realizar a Vontade Divina. Eu estava indo para Nazaré e não pude encontrar meus queridos e santos pais. Fui acompanhada sozinho por São José, e olhei para ele meu bom anjo que Deus me havia dado para meus cuidados, embora eu tivesse fileiras de anjos que me acompanhavam na jornada. Todas as coisas criadas me fizeram reverências, e eu, agradecendo-lhes, dei a cada coisa criada meu beijo e a saudação de minha rainha; e assim chegamos a Nazaré.

Assim, você deve saber que com São José nós nos entreolhamos com moderação, e sentimos nossos corações inchados, o que um queria dar a conhecer ao outro que estávamos ligados a Deus com o voto de virgindade perpétua. O silêncio finalmente acabou, e nós dois votamos. Oh, como nos sentimos felizes e agradecendo ao Senhor, nós prometemos que viveríamos juntos como irmãos. Eu fui muito cuidadosa em servi-lo; olhamos um para o outro com veneração e a aurora da paz reinou em nosso meio. Oh, se todos se refletissem em mim imitando-me! Eu me adaptei muito à vida comum; Eu não mostrei nada dos grandes mares da graça que possuo.

Agora ouça, minha(o) filha(o): na casa de Nazaré, senti-me mais do que nunca ligada e orei para que o Verbo Divino viesse à Terra. A Vontade Divina, que reinou em mim, nada mais fez do que investir todos os meus atos de luz, beleza, santidade e poder; Eu senti que isso formou em mim o reino da luz, mas a luz que sempre surge, o reino da beleza, santidade e poder que sempre cresce. De modo que todas as qualidades divinas que o divino Fiat estendeu em Mim com o seu reinado, trouxe-me fecundidade. A luz que me invadiu era tão grande, e minha própria humanidade foi tão embelezada e investida por esse sol da Divina Vontade, que não produziu nada além de produzir flores celestiais. Senti que o céu estava afundando em Mim e que a terra da minha humanidade estava subindo, e o céu e a terra abraçados, reconciliados, dar a si mesmo o beijo da paz e do amor; e a terra preparou-se para produzir a semente para formar o Justo, o Santo e o céu aberto para deixar a Palavra descer a este germe. Eu não fiz nada além de descer e ir até meu lar celestial e me lançar nos braços paternos de meu Pai celestial, e eu disse a Ele com meu coração: “Santo Pai, eu não aguento mais! Sinto-me queimada e, enquanto queimo, sinto uma força poderosa em Mim que quer me consumir. Com as correntes do meu amor quero amarrá-lo para desarmar você, para que você não demore mais, mas nas asas do meu amor eu quero levar a Palavra Divina do céu para a terra ”. E eu orei e chorei que Ele me escutasse. E a Divindade, superada pelas minhas lágrimas e orações, me assegura me dizendo: “Filha, quem pode resistir a você? Você ganhou! A hora divina está próxima. Você retorna à terra e continua seus atos no poder da minha vontade e, com isso, todos serão abalados e o céu e a terra lhe darão o beijo da paz “. Mas, apesar disso, eu ainda não sabia que tinha que ser a Mãe da Palavra Eterna.

Agora, querida(o) filha(o), ouça-me e entenda bem o que significa viver da vontade divina. Eu, com a vida Dele, formei o céu e seu Reino divino em minha alma; se eu não tivesse formado este reino em mim, a Palavra nunca poderia ter descido do céu para a terra; se Ele desceu, foi porque Ele desceu ao seu Reino, que a Divina Vontade havia formado em Mim. Ele encontrou em Mim o Céu, suas divinas alegrias, senão Ele jamais (o Verbo) teria descido a um reino estrangeiro. Não, não; Ele queria primeiro formar o seu Reino em Mim e descer como vencedor. Não só isso, mas vivendo sempre com a Vontade Divina, adquiri pela graça o que em Deus é por natureza: fecundidade divina, para formar a semente sem a obra do homem, para fazer brotar da humanidade a Palavra eterna. O que não pode fazer a vontade divina operando em uma criatura? Tudo e todos os bens possíveis e imagináveis. Portanto levar a sério que tudo é vontade divina em você, se você quer imitar sua Mamãe, e me fazer feliz e satisfeita.

Pontos de Meditação:

  1. Todas as lições que faço“. Neste momento abençoado do mês de maio, a Rainha Celestial, com estas meditações que ela mesma ditou, trabalha para “atrair e seqüestrar” as vontades humanas e fazer a Vontade Divina conquistar as vontades de todos. Sua finalidade é “encobrir” nossa vontade, fechá-la no Divino, formando um portal sagrado que nos impede de se afastar e sair Dele. A condição, evidentemente, é a docilidade a esses ensinamentos celestes, altíssimos e divinos, a fidelidade ao ato preventivo e fusionário cotidiano e, reiteremos, o extremo cuidado na prática diária e mensal, com dedicação, constância e pontualidade, preenchendo o coração e a mente na oração diária que tem a tarefa de recordar à nossa memória a essência da meditação e de implorar do Céu que os frutos dela penetrem em nossa alma e em nosso coração, multiplicar atos atuais e “voltas” no criativo, redentor e santificador do Fiat (Faça-se Senhor o teu querer). Os gestos de ternura, abandono, amor e confiança em nossa Mãe celestial devem – especialmente neste mês – multiplicar-se. A devoção a ela é suave e delicada. Ela se alegra quando nos abandonamos em seus braços, nossos corações em seu Coração, porque todos batem em um só, pois nossa esperanca é encontrar a Paz  que todos os homens procuram, mas que dificilmente alguém encontra sem estarmos fundidos com a Vontade de Deus …

2. “Saí do templo com a mesma coragem com a qual entrei “. A vida da Divina Maria foi marcada por múltiplas mudanças de ritmo, de direção, até de estado de vida. Mover-se das paredes de um mosteiro para a vida doméstica não é nada fácil. Nem é fácil fazê-lo com sua naturalidade (“adaptei-me muito à vida comum”), sem mostrar nada dos mares de graça que continuaram a fluir, diariamente com seu fogo de amor com o céu. Ótimo exemplo para nós! Primeiro, em aceitar com prontidão e abandono a Vontade Divina, as “surpresas” e seus apelos inesperados (já meditamos extensivamente sobre isso ontem); em segundo lugar, não tenha medo de que, seja qual for a direção que queira nos dar, se obedientemente a seguirmos, teremos a possibilidade e a graça de uma vida interior profunda (lembre-se dessa qualidade, bem como da quantidade de oração, é um excelente termômetro para medir como nosso relacionamento com Deus está); terceiro, participar e viver plenamente integrado (sem obviamente se tornar mundano, isto é, sempre fazendo como filhos de Deus – no mundo, mas não do mundo) para a vida social e comum que vivemos em nossos estados de vida, não desprezando nada nem ninguém, capaz de verdadeira caridade, interessar-se pelos problemas e necessidades dos outros, mostrar-nos talvez até perto das pequenas coisas dos nossos vizinhos, em suma viver essa caridade absoluta para com todos que é a maior prova da presença de Deus em nós e da nossa união com a Vontade Divina, junto com alegria e paz (sem nunca desprezar, mortificar ou, pior ainda, esnobar qualquer um).

3. “ A importância da pureza e excelência da virgindade” . A Virgem Santíssima e seu Castíssimo esposo se regozijaram de alegria, porque tinham um segredo comum: até São José foi inspirado por Deus a preservar a virgindade, porque ele era interiormente iluminado por Ele sobre a causa da ruína da humanidade. De fato, a sexualidade não deveria ter existido para a raça humana, e todos os casamentos deveriam ter sido como o de São José e Maria Santíssima. A vida nasceria de uma maneira que Deus conhece (e nós não), mas não como é para o mundo dos mamíferos animais. Uma das principais razões pelas quais era necessário tornar o casamento um sacramento era torná-lo legítimo que tal nunca se tornaria, mesmo quando ele viveu e se exercitou para o único propósito reprodutivo (embora, após o pecado original, a única maneira de perpetuar a raça humana): não é coincidência que o pecado original seja transmitido no ato da concepção. e que o Salmo 50 diz : “em pecado minha mãe me concebeu” (o que é verdade até quando a concepção se realiza legalmente dentro do sacramento do matrimônio, como um testemunho indireto da pecaminosidade intrínseca original desta forma de concepção). Desta verdade, emerge o valor EXCELENTE que a Igreja sempre pagou à virgindade em geral e à castidade consagrada em particular; todo o discurso sobre a castidade conjugal desce (hoje quase obsoleto), mas é uma condição INDISPENSÁVEL para preservar a graça de Deus por parte das pessoas casadas; segue-se também a possibilidade de que os cônjuges, pelo amor de Deus (sob certas condições e sempre sob a orientação de um padre prudente), se abstenham periodicamente de exercer a sexualidade lícita pelo amor de Deus (abstinência periódica, por mútuo acordo), por um tempo limitado e dedicar-se à oração pode-se fazer em qualquer momento) e, em certos casos excepcionais (de preferência quando a idade fértil cessou, com raras exceções), sob certas condições e após grande maturidade espiritual (e absolutamente por mútuo acordo, com escolha livre e consciente) também escolher viver em continente carinho mútuo, como irmão e irmã, como José e Maria. Estas são coisas que a Tradição da Igreja ensinou UNÂNIMENTE e às quais devemos dar total concordância ao intelecto e à vontade. A Madona e São José se regozijaram quando o voto de castidade virginal foi revelado e demonstraram a beleza e a verdade do amor mais puro, mais casto e desinteressado. O mais belo amor que pode existir no mundo, porque o mais próximo do amor de Deus.

4. “ Eu estou doente!” . Nossa Senhora sentiu e foi realmente “queimada pelo amor”. O coração da nossa oração e da nossa vida interior é sempre e somente o amor de Deus, porque a oração é principalmente voltada para isso. Não devemos pensar que a experiência da oração como fogo de amor é reservada à Madona ou aos sacerdotes e religiosos. Quando se começa a orar seriamente, sempre se faz experiência pessoal e direta do amor de Deus, basta ler a Filoteia de São Francisco de Sales para entender como é a experiência da oração e, portanto, da união com Deus através dela. Estar aberto a TODOS os fiéis de todas as condições, estado de vida, cultura, e situação. Sabemos por Montfort que a verdadeira devoção à Madona é terna: isso é feito de ternura de amor. Certa ocasião, um padre pôde falar com uma alma que estava “fazendo muitas orações” (mas “pouca oração” ) e, em certo momento, perguntou-lhe: “Mas você já sentiu seu coração queimado pelo fogo do amor divino? Você já contou a Jesus, ou a Maria, com todo o seu coração, um “eu te amo” como um amante diria que você não está satisfeito em dizer ao seu amado? ” A alma permaneceu sem palavras e maravilhada … multiplicou orações e devoções, sem Atingir o coração da oração e do amor de Deus. Esta situação é frequente nas almas: tantas orações recitadas (talvez com pressa, com distração e sem devoção), mas ainda um conhecimento de Deus quase nada … O Reino da Divina Vontade é também isto: entrar em um relacionamento íntimo e pessoal de amor, terno e ardente, com Deus numa meditação bem feita, cedo ou tarde (nem sempre imediatamente) produz inevitavelmente a iluminação do fogo do amor de Deus e de Maria! As relações entre a Divina Maria e a Santíssima Trindade foram sempre e apenas contínuas incandescências e explosões de amor, às quais o próprio Deus não pode resistir !!! No reino da Divina Vontade, nós verdadeiramente nos tornamos amigos de Deus e Deus obedece suavemente aos santos desejos de Sua criatura … Medos, ansiedades, medos, agitações,

5. ” Se eu não tivesse formado este reino em mim, a Palavra nunca teria vindo“.Temos visto nos últimos dias como Nossa Senhora continuamente o formou, mesmo no Templo: com uma união contínua com a vontade de Deus, mesmo nas menores coisas. A vida terrena da Divina Maria, pelo menos na aparência, era feita de pequenas coisas, de gestos pequenos e comuns e nada mostrava a preciosidade que Ela guardava dentro dela. Sua vida cotidiana, feita de coisas simples e humildes, todas preenchidas, com um sorriso paradisíaco, imprimido no rosto, com extrema simplicidade e humildade. Este é o maior milagre realizado por nossa Mãe: ser fiel no pouco, em coisas sem importância, ser assim também nas coisas muito importantes. E este é o milagre que nós também somos chamados a realizar: acolher Jesus em um coração que, a cada batida, morre para viverFiat. Este é o extraordinário que temos que ansiar, sem procurar grandes coisas, além de nossa força. O estado usual de felicidade vem exatamente dessa união ininterrupta. Sempre que nos sentimos, mesmo no menor, mesmo no menor “fedor” de nossa própria vontade, devemos “matá-lo” e unir-se ao Divino. É por isso que a jornada da vontade divina requer uma preparação adequada, sem a qual é muito difícil realizá-la. Essa é uma boa formação espiritual e ascética e um bom conhecimento de si mesmo, que permite à alma discernir o bem do mal, a vontade do Divino, a fim de trabalhar implacavelmente para mortificar o primeiro e fazer o último reinado. Se alguém não entrar nesta disposição necessária, a Palavra nunca descerá em nossa alma, mas permanecerá errático e instável em nossa pobre humanidade, certamente habitado por graça santificante, mas – como já vimos no passado meditações citando São Francisco de Sales – permanecem como avestruzes não podem voar (e muitas vezes a intenção de colocar a cabeça na areia não quer parar e conhecer a si mesmo na verdade), ou como galinhas que, se tentarem fazer um pequeno vôo, farão isso de maneira desajeitada e grosseira para cair imediatamente depois. Nós nunca alcançaremos a leveza e a elegância da andorinha, da pomba ou (o melhor) da águia, para voar nos céus da Divina Vontade e da união com a Divina Maria.

6. ” Com a vida da Vontade Divina adquiri pela graça o que em Deus é por natureza: fecundidade “. De fato, ela deu a natureza humana somente ao Verbo Encarnado, algo absolutamente impossível em um nível natural, humano e “científico”. Tudo se torna possível e nada pode realmente ferir aqueles que vivem da vontade divina. Nem mesmo a cobra, que não pode entrar e violar uma alma tão unida a Deus, como costumava dizer um velho pai do deserto: “se você obedecer a Deus, Deus lhe obedecerá”. Exatamente no sentido explicado aqui pela Madonna.

 A alma:

Santa Mamãe, se você quiser, você pode; como tens o poder de vencer a Deus, a ponto de fazê-lo descer do céu à terra, assim você não terá falta do poder de vencer a minha vontade, de modo que ela não terá vida; Espero em você e de você todos vão conseguir.

  Folha diária:

Hoje, para me honrar, você me visitará na casa de Nazaré e, por minha homenagem, me dará todos os seus atos, para que possa se juntar a eles com os meus para convertê-los em Vontade Divina. Diga: Oh Mamãe, entrego tudo o que faço e sou, para que convertas em Vontade de Deus.

 Jaculatória:

Imperatriz Celestial, traga o beijo da vontade de Deus para a minha alma.

Décimo nono dia.

A Rainha do Céu no Reino da Divina Vontade na casa de Nazaré.

As portas do céu se abrem, o sol da eterna Palavra se põe a

observar e envia seu Anjo para advertir à Virgem que chegou a hora de Deus 

Preparação: Oração pra meditação:

Rainha Imaculada, minha Mãe celestial, venho de joelhos diante de seu colo materno para me abandonar em seus braços, para lhe pedir com os mais ardentes suspiros – neste mês consagrado a ti – a maior graça: que admita-me viver no Reino da Divina Vontade. Santa Mamãe, você que é a Rainha deste Reino, me aceita como seu(a) filho(a) para viver nele, para que ele não seja mais abandonado, mas povoado por seus(a) filhos)a). Portanto, Rainha soberana, a vós eu me confio, para que tu guies meus passos no Reino da Divina Vontade e, agarrado à vossa mão materna, tu guiarás todo meu ser, para que eu possa fazer vida perene na Vontade Divina. Você será minha mãe e como mãe eu faço a entrega da minha vontade para ti, para que eu possa trocá-la com a Vontade de Deus, e assim posso ter certeza de não deixar o Reino Dele. Portanto, eu oro para que vós me ilumine para me fazer entender o que significa “Vontade de Deus”.
(Ave Maria)

Folha do mês (todos os dias do mês de maio): De manhã, ao meio dia e à tarde, três vezes por dia, ajoelhe-se em nossa Mãe Celestial e diga: “Minha Mamãe, eu te amo e você me ama e me dá um gole da vontade de Deus para minha alma; dê-me sua bênção para que eu possa fazer todas as minhas ações sob vossos olhos maternais “.

A alma para sua mãe celestial: 

Santa Mamãe, aqui estou novamente no colo da minha mãe; Eu sou seu(a) filho(a), que quer ser alimentado(a) com a comida da sua palavra mais doce, o que me traz o bálsamo para curar as feridas da minha vontade humana miserável. Minha Mamãe, fala comigo; deixe suas palavras poderosas descerem ao meu coração e formarem uma nova criação, para formar a semente da Vontade Divina em minha alma.

Palestra da Rainha Soberana: 

Meu(a) querido(a) filho(a), este é precisamente o propósito porque eu amo muito fazer você sentir a Mensagem celestial do Fiat Divino, os presságios que podem funcionar onde Ele reina completamente, e o grande mal daqueles que se deixam dominar pela vontade humana, para que você ame-o primeiro, para fazê-lo formar seu trono em você, e abominar o segundo, para fazer de sua vontade o banquinho da Divina Vontade, sacrificando-a aos seus pés divinos.

Agora, meu(a) filho(a), me escute. Eu continuei minha vida em Nazaré. O Divino Fiat continuou a expandir seu reino dentro de mim; Ele usou o menor dos meus feitos, até os mais indiferentes, o que estava mantendo a ordem na casinha, acendendo o fogo, cozinhando e todos aqueles serviços que são usados ​​nas famílias, para me fazer sentir sua vida palpitante no fogo. Na água, na comida, no ar que respirei, em tudo; e investindo eles, Ele formou acima de meus mares pequenos atos de luz, de graça, de santidade, porque onde a Vontade Divina reina, ela detém o poder de formar, desde pequeninos nada, novos céus de beleza encantadora, porque, sendo imenso, não sabe fazer pequenas coisas, mas com o seu poder fortalece o nada e forma as maiores coisas, para fazer o céu e a terra ficarem maravilhados. Tudo é sagrado, tudo é santo.

Agora, filho(a) do meu coração, preste atenção em mim e me escute: alguns dias antes da descida da Palavra Eterna na terra, eu vi o céu aberto e o sol da Palavra Divina em seus portões, como se para olhar sobre aqueles que tinham que aqui embaixo, para se tornar prisioneiro celestial de uma criatura. Oh, como era lindo vê-lo nos portões do céu, como o vigia, a espionar a criatura afortunada que abrigaria seu Criador! As Pessoas Divinas da Santíssima Trindade, encaravam a terra não mais como estranhas a elas, porque havia a pequena Maria que, por possuir a Divina Vontade, havia formado o Reino divino, onde a Palavra poderia descer com segurança, como em sua própria casa, na qual Ele encontrou o céu e os muitos sóis dos muitos atos da Divina Vontade feitos em minha alma. A Divindade de amor, tirando o manto da Justiça que Ele tinha mantido por tantos séculos com a criatura, as Pessoas divinas se cobriram com o manto da infinita misericórdia, e decretaram entre elas a descida da Palavra. E eles estão no ato de tocar a hora do cumprimento. Nesse som, o céu e a terra surpreendem e chamam a atenção para serem espectadores de um excesso de amor tão grande e de um prodígio sem precedentes.

Sua mãe sentiu-se queimada de amor e, ecoando o amor do meu Criador, eu quis formar um único mar de amor, para que a Palavra Eterna na terra descesse para dentro dele. Minhas orações eram incessantes e, enquanto eu orava no meu quartinho, um anjo foi enviado do céu como mensageiro do grande Rei; Ele estava diante de mim e se inclinou para mim, cumprimentando: “Ave Maria, nossa rainha; o Divino Fiat encheu-te de graça. Ele já pronunciou o Fiat que quer descer; já está nas minhas costas; mas Ele quer que seu Fiat forme o cumprimento de seu desejo ”.

A um anúncio tão grande, tão desejado por Mim, mas que eu nunca pensara em ser eleita, fiquei espantada e hesitei por um momento; mas o anjo do Senhor me disse: “Não temas, nossa rainha, encontraste graça diante de Deus. Vós conquistaste o teu Criador; portanto, para fazer a vitória, pronuncie seu Fiat ”. Eu pronunciei o Fiat e, maravilha! Os dois Fiats se fundiram, e o Verbo Divino desceu até Mim. Meu Fiat, que foi corroborado pelo mesmo valor do Fiat divino, formado pela semente de minha humanidade, a pequenina humanidade que era encerrar O Verbo de Deus, e assim foi cumprido, o grande prodígio da Encarnação.

Oh poder do Fiat supremo! Você me elevou tanto a ponto de me tornar poderosa, a ponto de ser capaz de criar em mim aquela Humanidade que deveria encerrar a Palavra Eterna, que o céu e a terra não poderiam conter! Os céus balançaram e toda a criação posou para uma festa, e por alegria ecoou em torno da casa de Nazaré, para prestar homenagem e respeito ao Criador humanizado, e em sua linguagem muda, eles disseram: Deus poderia fazer! A imensidão tornou-se menor, o poder tornou-se impotente, sua altura inatingível baixou para o abismo do Seio de uma Virgem e, ao mesmo tempo, permaneceu pequeno e imenso, poderoso e impotente, forte e fraco! “. Meu(a) querido(a) filho(a), você não pode entender-nos que Felicidade, sua mãe viveu no ato da encarnação da Palavra. Todos cuidaram de mim e esperaram pelo meu Fiat, eu poderia dizer onipotente.

Agora, querida criança, ouça-me, quanto você deve se preocupar em fazer e viver da Vontade Divina! Meu poder ainda existe: deixe-me pronunciar meu Fiat em sua alma. Mas para fazer isso, quero o seu; o verdadeiro bem não pode ser feito sozinho, mas entre os dois as maiores obras são feitas. O próprio Deus não queria fazer isso sozinho, mas me queria junto, para formar o grande prodígio da Encarnação, e no meu Fiat e neles a vida do Homem Deus foi formada, o destino do gênero humano foi ajustado, o céu não estava mais fechado, e todos os bens estavam fechados no meio dos dois veículos do Fiat. Portanto, vamos pronunciá-los juntos: Fiat! Fiat !, E no meu amor materno fechará em você a vida da Vontade Divina. Isso é o suficiente por agora; Eu estarei esperando por você novamente amanhã, para contar à meu(a) filho(a) a continuação da Encarnação.

Pontos de Meditação: 

  1. ” O encontro entre dois Fiat”. O coração e o pivô em torno do qual as revelações de hoje giram é o necessário encontro condescendente e amoroso entre a Vontade Divina e a vontade da criatura, entre o eterno e supremo “FIAT” e o “FIAT” de resposta da criatura, que realizam apenas deste modo todas as maravilhas e todos os desígnios da Vontade Divina e permitem a inauguração do reino da Vontade Divina na alma dos fiéis consagrados. A Rainha do Céu, em pessoa, explica isto: foi seu “FIAT” pessoal que foi solicitado pelo Anjo e sem ele o desígnio divino da Encarnação não teria sido realizado; está lá para nós agora um “Fiat” pronunciada em nós por Maria Santíssima em pessoa, que espera ser bem-vinda e retribuída pelas nossas almas, a fim de fechar-se na vida da DIVINA VONTADE e realizar as obras e projetos que o céu pensou em cada um de nós. É necessário, na meditação e na conversa, falar sobre isso com a Madona e expressar as intenções …

2.” A preparação imediata de Maria para a Encarnação “. Maria Santíssima preparada ao grande mistério da Encarnação, combinando seu ininterrupto “Fiat” com as pequenas coisas de cada dia. Estas são as circunstâncias a serem vividas e exploradas ao máximo e estas são as que nos levam a uma grande união com Deus, se bem vivida. Assim foi para a Madonna: transformar em céus de beleza encantadora (para a união com a Vontade Divina) os gestos mais indiferentes, como manter a ordem da casa (lembrando a importância da ordem, mesmo em casa, e sempre mantendo-a! !!), acendendo o fogo, varrendo a terra e todos os pequenos serviços diários. Esta foi a sua preparação! Quando alguém é fundido com a Vontade Divina, tudo se torna sagrado e divino e com um alcance infinito de santificação e salvação. Não é outra coisa, se o “Tratado da verdadeira devoção” for relido, que a perfeita realização da vida de união com Maria,

3. “A regurgitação do amor da divindade“. Como a Divindade estava “encarando” do céu para ver a Criatura que teria dado o “Fiat” por excelência, unindo-o com o da Palavra, então é possível pensar que mesmo agora, após o “Fiat” ter sido estendido à humanidade Por toda a pessoa e pela experiência de Luisa Piccarreta, a Divindade, em certo sentido e de maneira misteriosa, também está agora “encarando” do céu para ver se, quanto e como suas criaturas acolhem o chamado divino ao reino de Deus. Vontade Divina para permitir a realização da mesma fusão em cada um de nós. Lembremo-nos do que significa: plena felicidade imediatamente, perfeito autocontrole, transformação em pequenos sóis do amor divino por todos, plena realização da totus tuus consagração, realização pessoal do prometido triunfo do Imaculado Coração de Maria, prejudicar aqueles que estão fundidos com o divino “Fiat” de fato muitos danos que recebe daqueles que vivem em tão feliz condição.

4. ” Meu poder ainda existe. Deixe-me fazer o seu “Fiat” na sua alma. Mas para fazer isso, eu quero o seu. Fale-os juntos: “Fiat!” – “Fiat “. Quem quer e acredita, sabe o que tem que fazer.

  A alma: 

Linda mãe, me surpreendo ao ouvir suas lindas lições. Peço-lhe que pronuncie seu Fiat acima de mim; e eu pronuncio o meu, para que esse Fiat possa ser concebido em mim que você suspira tanto que você reina em mim como vida.

  Folha diária:

Hoje, para me honrar, você virá para dar a Jesus seu primeiro beijo e lhe dirá nove vezes que quer fazer a vontade dele, e repito o milagre de fazer Jesus conceber em sua alma.

   Jaculatória:


Rainha poderosa, pronuncie seu Fiat e crie em mim a Vontade de Deus.

Vigésimo Dia 

A Rainha do Céu no Reino de Vontade Divina

A Virgem era o céu cheio de estrelas.

Neste céu, o sol do Fiat Divino já brilha com seus raios radiantes e preenche o céu e a terra.Jesus no ventre de sua mãe

Preparação: Oração pra meditação:

Rainha Imaculada, minha Mãe celestial, venho de joelhos diante de seu colo materno para me abandonar em seus braços, para lhe pedir com os mais ardentes suspiros – neste mês consagrado a ti – a maior graça: que admita-me viver no Reino da Divina Vontade. Santa Mamãe, você que é a Rainha deste Reino, me aceita como seu(a) filho(a) para viver nele, para que ele não seja mais abandonado, mas povoado por seus(a) filhos)a). Portanto, Rainha soberana, a vós eu me confio, para que tu guies meus passos no Reino da Divina Vontade e, agarrado à vossa mão materna, tu guiarás todo meu ser, para que eu possa fazer vida perene na Vontade Divina. Você será minha mãe e como mãe eu faço a entrega da minha vontade para ti, para que eu possa trocá-la com a Vontade de Deus, e assim posso ter certeza de não deixar o Reino Dele. Portanto, eu oro para que vós me ilumine para me fazer entender o que significa “Vontade de Deus”.
(Ave Maria)

Folha do mês (todos os dias do mês de maio): De manhã, ao meio dia e à tarde, três vezes por dia, ajoelhe-se em nossa Mãe Celestial e diga: “Minha Mamãe, eu te amo e você me ama e me dá um gole da vontade de Deus para minha alma; dê-me sua bênção para que eu possa fazer todas as minhas ações sob vossos olhos maternais “..

A alma para sua Mãe Rainha: 

Aqui estou de novo para você, minha mãe celestial; Venho regozijar-me convosco e, curvando-me aos vossos pés sagrados, saúdo-vos cheios de graça a Mãe de Jesus, não vou encontrar mais a minha mãe, mas vou encontrar contigo o meu pequeno prisioneiro Jesus! Então seremos três, não mais dois: juntos nossa mãe, Jesus e eu. Que sorte para mim, que se eu quiser encontrar meu pequeno Rei Jesus, encontre também sua mamãe e a minha! Oh santa Mamãe, no auge da Maternidade de um Deus em que você está, tenha piedade de sua(o) miserável filhinha(o), e diga a primeira palavra para mim para o pequeno prisioneiro Jesus, para que Ele possa me dar a grande graça de viver em sua vontade divina.

Palestra da Rainha do Céu, Mãe de Jesus:


Meus(a) queridos(a) filhos(a), hoje eu espero por vocês mais do que nunca. Meu coração materno está inchado; Sinto a necessidade de desabafar meu ardente amor com meus filhos e filhas: quero lhes dizer que sou a Mãe de Jesus, minhas alegrias são infinitas; mares de felicidade me inundam. Eu posso dizer: eu sou a mãe de Jesus; sua criatura, sua donzela é a Mãe de Jesus, e somente ao Fiat que eu devo essa grande Graça. Isso me faz cheia de graça, preparando a morada digna para o meu Criador. Portanto, glória seja sempre, honra, ação de graças ao supremo Fiat.

Agora me escutem, filhos(a) do meu coração. Assim que a pequena humanidade de Jesus em meu ventre foi formada com o poder do Fiat supremo, o sol da Palavra Eterna foi encarnado nela. Eu tinha o meu céu, formado pelo Fiat, todo cravejado de estrelas muito brilhantes, o que provocou alegrias, bem-aventuranças, harmonias da beleza divina, e o sol da Palavra eterna, resplandecente de luz inacessível, veio tomar seu lugar dentro deste céu. escondido em sua pequena humanidade; e não sendo capaz de contê-lo, o centro deste sol estava Nele, mas sua luz transbordou, e investindo o céu e a terra alcançou cada coração, e com sua rajada de luz bateu em cada criatura, e com vozes de luz penetrante disse-lhes : “Meus filhos, me abram; me dêem o lugar em vossos corações; Eu desci do céu para a terra para formar minha vida em cada um de vocês; minha mãe é o centro onde eu moro, e todos os meus(a) filhos(a) serão a circunferência, onde quero formar muitas das minhas vidas para quantos filhos houver ”.E a luz batia e perfurava sem cessar, e a pequena humanidade de Jesus gemeu, chorou, doeu e dentro dessa luz, que entrou nos corações, fez fluir suas lágrimas, seus gemidos e seus espasmos de amor e de dor.

Agora vocês devem saber que sua mãe começa uma nova vida. Eu estava lá por tudo que meu filho fez. Eu o vi devorado por mares de chamas de amor; cada batida Dele, respiração e dor, eram mares de amor que Ele desencadeou, com os quais Ele envolveu todas as criaturas para torná-las suas por força de amor e dor. Porque você deve saber que, como sua pequena humanidade foi concebida, ele concebeu todas as dores que teve que sofrer, até o último dia de sua vida. Ele encerra todas as almas em si mesmo, porque, como Deus, ninguém poderia escapar dele. Sua imensidão encerrava todas as criaturas, seu poder que tudo via as tornava todas presentes. Portanto, meu Jesus, meu Filho, sentiu o peso e o fardo de todos os pecados de cada criatura. E eu, sua mamãe, segui-lo em tudo e senti em meu coração maternal a nova geração das dores de meu Jesus e a nova geração de todas as almas que, como Mãe, eu tive que gerar junto com Jesus em graça, em luz e para a nova vida que meu querido Filho veio trazer à terra.

Meus(a) filhos(a), vocêm devem saber que, desde que eu fui concebida, eu te amei como mãe, senti vocês em meu coração, queimei de amor por vocês, mas não entendi o porquê. O divino Fiat me fez fazer os feitos, mas manteve o segredo de mim. Mas, como isso é revelado, o segredo me é revelado e compreendi a fecundidade da minha maternidade, que não só tinha de ser mãe de Jesus, mas de mãe de todos, e essa maternidade tinha que ser formada na estaca da dor e do amor. Meus(a) filhos(a), como eu os amei e os amo tanto tanto!

Agora escutem-me, queridos(a) filhos(a), onde se pode chegar quando a vontade divina leva a vida de trabalho na criatura, e a vontade humana a deixa sem impedi-la. Este Fiat, que na natureza possui a virtude geradora, gera todos os bens da criatura: torna-a frutífera, dando-lhe a maternidade acima de tudo, acima de todos os bens e acima de quem a criou. A maternidade diz e significa amor verdadeiro: amor heróico, amor que se contenta em morrer para dar vida àqueles que geraram; se não existe, a palavra maternidade é estéril, vazia e reduzida a palavras, mas com fatos ela não existe. Portanto, meus(a) filhos(a), se vocês querem a geração de todos os bens, deixe o Fiat levar a vida ativa em vocês, que lhe darão a maternidade e vocês amarão também como eu,  a todos com o amor de uma mãe; e eu, sua mãe, vou te ensinar a maneira de fertilizar essa maternidade (paternidade) totalmente sagrada e divina em vocês.

Pontos de Meditação: 

  1. ” Quem faz a vontade de Deus é para mim um irmão, irmã e mãe”. O coração desta meditação é a explicação real e operativa do sentido muito profundo desta frase, que Jesus disse no seu Evangelho aos seus discípulos, não à sua mãe que a viveu não só com a máxima plenitude e perfeição, mas também com o complemento (único e irrepetível) de ser a Mãe física do Verbo Encarnado. O amor materno, na verdade, é o que mais se assemelha ao amor divino, porque, entre as formas de amor humano, é o mais elevado e, quando não cai nas aberrações e depravações modernas, o mais parecido, em suas características ao de amor. Deus: total, completo, desinteressado, carinhoso, caloroso, cheio de atenção, muito pronto para dar a vida (mesmo em um sentido real e literal). O cumprimento da Encarnação foi, para a Divina Mãe e Rainha,

2. ” Somente em união com a Vontade Divina pode a nossa vida cristã tornar-se frutífera“. Se Jesus explica que somente quem faz a vontade do Pai é para ele “Mãe”; e se tal Madona se tornou apenas correspondente, no ato da concepção, ao supremo “FIAT”, é evidente que seremos transformados neste amor mais puro (e portanto nos tornaremos muito frutíferos e nos aproximaremos e converteremos milhares de pessoas) apenas na medida em que respondermos nosso “FIAT” ao chamado do divino “Fiat”, que estamos recebendo. Uma mãe é amor puro e absoluto por todos. Amor afetuoso, carinhoso, afetuoso, presente e alerta. Mesmo para crianças rebeldes e ingratas, para quem o amor se torna doloroso, mas sempre amor. Uma mãe contra uma criança não acusa, não julga, não reprova duramente; ursos, tolera, aguarda, corrige suavemente.

3. ” Amor e dor“. A descrição da vida e da ação do Verbo Encarnado no Peito da Santíssima Maria é espetacular. O que devemos ser? Amor e dor para com todos. Em que sentido? O amor, quando entra no coração, torna-se um estilo comum (nunca uma palavra meio torta para ninguém, nunca mais sentimentos, emoções e paixões humanas, merecedoras apenas do inferno) e a dor o acompanha. Não apenas isso – embora louvável, importante e necessário – daqueles que em silêncio se imolam na mortificação e na penitência voluntária, para pagar e expiar as dívidas dos outros, para reparar as ofensas feitas continuamente pelos homens a Deus e cooperar em sua conversão; mas tudo se torna assim. Não é dor suportar uma pessoa desagradável com um sorriso e caridade? Não é dor não responder a uma ofensa? Não é dor não apenas não respondendo, mas oferece ao Senhor sem qualquer rancor essa ofensa, perdoando aqueles que a fizeram como uma pobre vítima da serpente, de quem ele executa as obras repugnantes, sujas e abomináveis​​e das quais ele deve ser libertado, também graças ao nosso amor e dor oferecidos? Não é dor sentir-se julgado, criticado, caluniado, respondendo com um sorriso e uma oração e também realizar gestos gentis para com aqueles que se consideram nossos inimigos e nos consideram como tal, desistindo de se defender, de revidar, de se vingar? Esta foi a vida no reino da vontade divina de Jesus e Maria. Isso deve ser nosso.

4. ” Se a FIAT leva a vida ativa dentro de você, ela lhe dará a maternidade e você amará a todos com o amor de uma mãe“. Então realmente é e a vida se torna um absoluto encanto de felicidade, de alegria, de paz profunda e inalterável. Isto viverá qualquer um que não diga “não” ao Dom e se esforçará para recebê-lo e torná-lo vivo e ativo.

5. ” Maternidade e feminilidade“.Um último pensamento para as mulheres, no qual a maternidade deve brilhar clara, visível e esplêndida, sendo a mulher “mãe” pelo “DNA psíquico” intrínseco, tendo nela a capacidade geradora que a faz ser, pelo menos no poder, uma verdadeira mãe e natural. As mulheres casadas devem ser mães exemplares não apenas para com seus filhos, mas também aprender a ser santas com seus cônjuges, vestindo-se com doçura, gentileza, humildade e bondade em tudo. Um homem também procura o rosto de sua mãe na noiva e o que é muito bom quando ela o encontra. Mas a maternidade é também a tarefa e a vocação das mulheres que não têm um cônjuge: tanto aquelas que não o têm por opção voluntária de consagração (na vida religiosa ou mesmo no mundo), ambos os quais por falhas acumuladas na vida não faz mais (casamentos fracassados ​​ou tragicamente terminado), ambos os quais não têm outras circunstâncias da vida (não encontrar a pessoa certa, na viuvez), ambos aqueles que atualmente não têm porque eles ainda não entenderam sua vocação. Em você, mulheres que têm a honra de compartilhar o sexo da criatura amada do céu, essa maternidade deve ser mais palpável do que um corpo grave. Sua feminilidade maravilhosa deve ser tudo Marian, todo absorvido e transformado no coração amoroso de Maria Santíssima e vêm carícia como celeste, casto e suave para todas as pessoas que se encontram, bem como impressos em seus olhos que precisam ser conciso, claro, Jovial, bom, livre não só de toda maldade repugnante, nauseante e vómito, mas também para qualquer outro traço de paixões, sentimentos e emoções minimamente distorcido … e então, senti com todo o seu divino, casto, puro, feminino e azul claro exterior … Quem já está consagrado pelo voto de castidade ou viver a vida religiosa, lembre-se sempre dessas coisas quando renovar sua consagração com alegria e convicção; Aqueles que o fazem pela primeira vez sabem que têm uma missão muito importante. Que se encontra humanamente “sozinho”, lembrando que Deus escreve certo por linhas tortas, medite bem se não é apropriado fazer este gesto e recursos vivos, bem como aqueles com uma falência trás não deixa de ser uma mãe pede o infeliz noivo e sempre atento e amável para as crianças; que ainda está em discernimento sobre o estado de vida, entende as peculiaridades dessa vocação sublime e sublime (virgindade consagrada), queridos à Virgem Maria, separadas e distintas das frutas bonitas e casamento importante, mas igualmente frutífera, graças e bênçãos e não tem medo de enfrentá-lo. A maternidade espiritual, de fato, não é um prejuízo, mas uma sublimação do dom da maternidade, que se torna, à semelhança do mariano, universal e solícito para todos, cooperando em sua salvação com a força e a eficácia que só o o amor materno possui.

A alma: 

Santa Mãe, eu me abandono em seus braços. Oh, como eu gostaria de banhar suas mãos maternas das minhas lágrimas, para levá-lo à compaixão pelo estado da minha pobre alma! Oh, se você me ama como mãe, coloque-me em seu coração e seu amor queimará minhas misérias, minhas fraquezas; e o poder do divino Fiat, que você possui como Rainha, forma sua vida profissional em mim, para que ela possa dizer: “A mãe é tudo para mim e eu sou tudo para ela”.

Folha diária: 

Hoje, para me homenagear, três vezes em nome de todos, vocês vão agradecer ao Senhor que encarnou e se tornou um prisioneiro em meu seio, dando-me a grande honra de me eleger para sua mãe.

Jaculatória:

Mãe de Jesus, faze-me mãe e guia-me no caminho da Vontade de Deus

Vigésimo primeiro dia

 com A Rainha do Céu no Reino de Vontade Divina         

Sol nascente. Tarde inteira: o Verbo Divino entre nós

Preparação: Oração pra meditação:

Rainha Imaculada, minha Mãe celestial, venho de joelhos diante de seu colo materno para me abandonar em seus braços, para lhe pedir com os mais ardentes suspiros – neste mês consagrado a ti – a maior graça: que admita-me viver no Reino da Divina Vontade. Santa Mamãe, você que é a Rainha deste Reino, me aceita como seu(a) filho(a) para viver nele, para que ele não seja mais abandonado, mas povoado por seus(a) filhos)a). Portanto, Rainha soberana, a vós eu me confio, para que tu guies meus passos no Reino da Divina Vontade e, agarrado à vossa mão materna, tu guiarás todo meu ser, para que eu possa fazer vida perene na Vontade Divina. Você será minha mãe e como mãe eu faço a entrega da minha vontade para ti, para que eu possa trocá-la com a Vontade de Deus, e assim posso ter certeza de não deixar o Reino Dele. Portanto, eu oro para que vós me ilumine para me fazer entender o que significa “Vontade de Deus”.
(Ave Maria)

Folha do mês (todos os dias do mês de maio): De manhã, ao meio dia e à tarde, três vezes por dia, ajoelhe-se em nossa Mãe Celestial e diga: “Minha Mamãe, eu te amo e você me ama e me dá um gole da vontade de Deus para minha alma; dê-me sua bênção para que eu possa fazer todas as minhas ações sob vossos olhos maternais “..

A alma para sua mãe Rainha:

Doce mãe, meu pobre coração sente a extrema necessidade de se ajoelhar, confiar meus pequenos segredos a você e confiá-los ao seu coração materno. Ouça, oh minha mãe, ao olhar para as grandes maravilhas que o Fiat Divino trabalha em você, sinto que não estou dado a imitar você porque eu sou pequeno(a), fraco(a) e por causa das tremendas lutas da minha existência, que pousam em mim e não me deixam com um fio da vida. Mamãe Minha, oh, como eu gostaria de desabafar meu coração no seu, para fazer você sentir a dor que me amarra e o medo que me tortura, que pode falhar em cumprir a Vontade Divina. Misericórdia, ó mãe celestial, tenha misericórdia! Esconda-me em seu coração e eu perco a memória dos meus males, apenas para lembrar de viver da vontade divina.

Palestra da Rainha do Céu, Mãe de Jesus:

Querido(a) filho(a), não tenha medo. Confie na sua mãe, despeje tudo em meu coração, e contarei tudo, você será também como eu: mãe, transformará suas dores em luz e eu a usarei para ampliar as fronteiras do Reino da Divina Vontade em sua alma. Então, deixe tudo de lado por enquanto e me escute; Quero lhe contar o que o pequeno rei Jesus fez em meu peito materno e como sua mãe nem perdeu o fôlego do pequeno Jesus.

Então, meu(a) filho(a), a pequena humanidade de Jesus estava crescendo unida hipostaticamente com a Divindade. Meu seio materno era muito estreito, obscuro, não havia lampejo de luz, e eu o vi no meu peito materno imóvel, envolto em uma noite profunda. Mas você sabe quem formou essa escuridão tão intensa para o menino Jesus? A vontade humana, na qual o homem se envolveu voluntariamente, e por quantos pecados ele cometeu, tantos abismos de escuridão se formaram ao redor e dentro de si, de modo que isto o fez imóvel para fazer o bem. E meu querido Jesus, para pôr em fuga as trevas desta noite tão profundas, nas quais o homem se tornou prisioneiro de sua própria vontade sombria, até que Ele perdeu o movimento de fazer o bem, Ele escolheu a doce prisão de sua mãe e voluntariamente realizado aos nove meses de imobilidade. Meu(a) filho(a) Se você soubesse como meu coração materno estava machucado para chorar, suspirei o pequeno Jesus no meu peito! Sua pulsação ardente palpitava alto, e Ele ansiava por amor, Ele fazia seu coração bater em cada coração, pedir por sua alma por piedade, porque Ele, por sua causa, voluntariamente trocava luz com escuridão, para que todos pudessem obtenha a luz real para chegar em segurança.

Meu(a) querido(a) filho(a), quem pode dizer o que meu pequeno Jesus sofreu no meu Seio? Penalidades inaudíveis e indescritíveis! Ele foi dotado com plena razão, Ele era Deus e Homem, e foi tanto o seu amor que pôs de lado os infinitos mares de alegrias, de felicidade, de luz, e mergulhou sua pequena humanidade nos mares de escuridão, de amargura, de infelicidade e as misérias que as criaturas haviam preparado para Ele, e o pequeno Jesus as colocou sobre os ombros como se fossem suas. Meu(a) filho(a), o verdadeiro amor nunca diz o suficiente, não olha para as dores, e por meio da dor procura quem ama; e então Ele fica feliz quando coloca sua vida para dar vida àquele que ama.

Meu(a) filho(a), ouça sua mãe; você vê que fazer a sua vontade é ruim? Não somente você prepara para Jesus, a noite, mas também forma mares de amargura e miséria, nos quais você permanece tão sobrecarregado que você não sabe como sair dele. Então tenha cuidado; faça-me feliz dizendo-me: “Eu sempre quero fazer a vontade divina”.

Agora ouça meu(a) filho(a); o pequeno Jesus, amante do amor, dava o passo para sair à luz do dia. Suas ansiedades, seus suspiros ardentes e os desejos de querer abraçar a criatura, de ser visto e de olhar para ela para seqüestrá-la, não lhe davam mais paz. E assim como Ele uma vez se colocou à procura dos portões do céu para se fechar no meu Seio, Ele está se colocando à procura das portas do meu Seio, que é mais que o céu, e o Sol da Palavra Eterna se eleva no meio do mundo. E forma a tarde inteira. De modo que para as pobres criaturas não haverá mais noite, nem alvorecer, mas sempre sol, mais do que na plenitude do meio-dia. Sua mãe sentiu que não podia mais segurá-la dentro de si. Mares de luz e amor me inundaram, e quando Ele a concebeu dentro de um mar de luz, Ele emergiu do seio da minha mãe para um mar de luz. Querido(a) filho(a), para aqueles que vivem da Divina Vontade tudo é luz e tudo é convertido em luz. De onde eu, arrebatada, esperei para segurar meu pequeno Jesus em meus braços, e quando Ele saiu do meu Seio, senti seus primeiros gemidos amorosos. E o anjo do Senhor entregou-me em meus braços, e eu segurei firme no meu coração e lhe dei meu primeiro beijo, e o pequeno Jesus me deu o Dele. Isso é o suficiente por agora; Eu estarei esperando por você novamente amanhã, para seguir a narração do nascimento de Jesus.

Pontos de Meditação:

  1. ” PARA AQUELES QUE VIVEM DE DIVINO, TUDO É LUZ E TUDO CONTÉM EM LUZ”. Aqui está o coração da meditação de hoje … A Luz do mundo, como a Divina Maria explica (nunca nos esqueçamos da frase de São João Apóstolo: “Deus é luz e nele não há trevas”, 1 Jo 1: 5), Ele se calou na escuridão do ventre virginal de Maria Santíssima, onde ela certamente gostava de se entregar em abraços divinos à sua mãe e receber seu oceano de amor, mas também sofria as trevas materiais, com plenitude de consciência e também lucidez humana (tenha em mente que é Sempre foi uma doutrina comum entre santos e doutores que tanto Jesus quanto Nossa Senhora tinham, desde que estavam isentos da culpa original, o uso imediato do livre arbítrio, imediatamente após a concepção, para compartilhar as trevas geradas pela vontade humana, destruí-los e, uma vez que veio à luz, conceder àqueles que recebem o dom de Deus, para viver não só a madrugada ou o amanhecer, mas “SEMPRE sol como ao meio-dia”. Atenção: SEMPRE !!!!!!! Seja qual for a situação que você esteja vivenciando, não importa o que aconteça, porém as coisas vão … SEMPRE … pelo poder das trevas da sua vontade humana, se você não dizer a ela que terminou seu reino em você para sempre, e deixar a luz do mundo te elevar!

2. “ A vontade humana, além de criar abismos de escuridão, torna o homem imóvel“. Para libertar-nos dessa escravidão ulterior, que nós construímos e nós criamos, fechando-nos em nós mesmos nas gaiolas da imobilidade, incapazes de sair de nós mesmos, de nos abrirmos com confiança à Graça de Deus, de mover passos corajosos e alegres para Deus. E em direção ao próximo, a humanidade de Jesus (que em qualquer momento teria sido facilmente capaz de se livrar de nós, não tendo dificuldade em deixar o útero virginal de Maria, se Ele quisesse, como de fato Ele não teria dificuldade em descer da Cruz e eletrocutar os judeus, se Ele quisesse), fechar-se no espaço estreito da placenta abençoada da Rainha do Céu que conscientemente e voluntariamente ofereceu, além de inúmeras penitências internas, os “externos” da escuridão e de não ser capaz de se mover, para destruir a escuridão e a imobilidade geradas pela vontade humana. É bom parar e meditar neste ponto por um longo tempo e perguntar a si mesmo em que e quantas coisas você está imóvel? Sem progresso? Estagnado, paralisado? Sem crescimento?

3. ” O significado da penitência” 
. É bom passar algumas palavras, por ocasião desta primeira penitência externa do nosso Deus e Senhor, sobre o valor e significado da penitência cristã. Sua alma, claro, é o amor de Deus e do próximo (as três intenções pelas quais Jesus agiu e que também pertencem àqueles que atuam na vontade divina foram: a maior glória do Pai, a salvação das almas e a reparação dos pecados e um de seus sentidos fundamentais é reparar, com um ato igual e oposto, os danos e males causados​​e gerados pelos pecados, isto é, pela vontade humana. Por que ficar no escuro e parado? Porque isso cria a vida da vontade humana, e para destruir esse mal, torná-la impotente, o Filho de Deus teve que levá-la para Si mesmo, vivê-lo com amor e oferecer ao Pai a destruição da imobilidade e escuridão geradas pela vontade humana. Os filhos da vontade divina que são,  “pequenos sóis no divino Sol”, fazem as mesmas coisas e idênticas. Alguém faz a comunhão sacrílega, ousando deixar o Divino Cordeiro descer sobre a língua imunda e a alma imunda? Faz penitência de reparação. Alguém se atreve a enfrentar a consagração ou realizar irreverência e profanação na Igreja? Atos de adoração reparativa são feitos. Os pecados impuros se espalham? Jejuns e mortificações são oferecidos. E assim por diante. Não há nada contra-indicado ou prejudicial à alma ao fazer essas coisas, desde que a discrição seja usada e a pessoa esteja sob a obediência do pai espiritual. Tudo isso evidentemente não tem nada a ver com o conceito de “punição”, que é completamente estranho à tradição católica. Reparação e expiação, para si e para os outros. Nada mais. E grande semelhança com o nosso Mestre. A Madonna, como está bem demonstrado, explica e ela pediu em Fátima, ela quer e gosta de toda oferta, na verdade, não há oferta que ela não goste, nem sacrifício que ela não aceita, tão importante e grande é a missão divina de reparar os pecados cometidos pelos homens.

4. ” O grande mal produzido pela vontade humana “. Aqui estão os produtos da nossa vontade: mares de amargura, de infelicidade, de pobreza em que permanecemos oprimidos e dos quais não sabemos sair. Lembremo-nos sempre, meus queridos filhos, que a fonte da nossa tristeza, infelicidade e amargura NÃO vem de fora de nós (como Jesus explica no Evangelho: “não o que entra no coração do homem o contamina”, embora referindo-se a comida e bebida , mas a frase por analogia é aplicável ao sentido que estamos explicando), mas por dentro de nós (“ci que sai do coração do homem contamina “, acrescenta Jesus), a partir do qual os males dos atos de nossa vontade que atuam como geradores e criadores de amargura, tristeza e infelicidade e multiplicar o já incontáveis ​​nossas misérias, em toda a sua infinita facetas. Alguns exemplos da vontade humana extraída da supracitada passagem evangélica: “fornicações, roubos, assassinatos, adultério, ganância, iniqüidade, engano, falta de vergonha, calúnia, orgulho, tolice. Todas essas coisas ruins vêm de dentro e contaminam o homem “(a passagem inteira é Marcos, 7,14-23). O tolo também é a filha da vontade humana, é seu monstro e sua criatura. Tolice que equivale a usar o intelecto mal com o raciocínio distorcido até que ele acabe se aproximando da Luz.

  • Tente estar entre os poucos”.”A verdadeira e viva devoção, Filoteia, exige o amor de Deus; na verdade, não é nada mais que um verdadeiro amor de Deus; não um amor genericamente entendido. De fato, o amor de Deus é chamado de graça, porque embeleza a alma, porque nos faz aceitar a divina Majestade; chama-se caridade, porque nos dá força para agir bem; quando atingiu tal nível de perfeição, portanto, não apenas nos dá força para agir bem, mas nos leva a trabalhar com cuidado, com frequência e prontamente, então é chamado de devoção. Os avestruzes não podem voar, as galinhas raramente vibram, desajeitadamente e baixas no chão; Águias, andorinhas e pombos costumam voar com elegância e para o alto. Da mesma forma, os pecadores são incapazes de voar para Deus, mas movem-se exclusivamente sobre a terra baixa; as pessoas boas, que ainda não têm devoção, voam para Deus através de boas ações, mas raramente, lentamente e pesadamente; pessoas devotas voam em Deus com freqüência, prontidão e se levantam ”(S. Francisco de Sales, Philothea , parte um, capítulo um). Viver na Vontade Divina (isto é, no amor de Deus, tanto é a mesma coisa, porque Deus é amor e sua vontade é sempre só AMOR) é atingir o máximo de devoção verdadeira e viva de que fala o grande Doutor, é o perfeito cumprimento da consagração mariana “Totus Tuus”, que é “verdadeira devoção” por excelência, sem dúvida, realizando, quase infalivelmente, a nossa (entre outras coisas universal, como ensina a Igreja, isto é, para todos). Chame à santidade Poucos o abraçam, muito poucos, de fato, tentamos estar entre os poucos.

 

A alma:

Santa Mamãe, oh, que sorte você tem, você é a verdadeira abençoada entre todas as mulheres! Por favor, para aquelas alegrias que você experimentou quando agarrou Jesus ao seu Seio e quando lhe deu o primeiro beijo, que por alguns momentos me dê o pequeno Jesus aos meus braços, para que eu lhe dê o meu beijo, dizendo que eu sempre juro amá-lo, e que eu não quero saber nada mais que a sua vontade divina.

Folha diária:

Hoje, para me honrar, você virá para beijar os pezinhos do Menino Jesus, e você lhe dará sua vontade em suas mãos para fazê-lo brincar e sorrir.

Jaculatória:

Minha mãe, feche o pequeno Jesus em meu coração, para que eu possa transformar tudo na Vontade de Deus.

22 Dia

 A Rainha do Céu no Reino de Vontade Divina

O pequeno rei Jesus nasceu. Os anjos o apontam e chamam os pastores para adorá-lo.

 Céu e terra se alegram, e o Sol da Palavra Eterna, rodeado em seu berço, a noite do pecado se dilui e dá princípio pleno ao dia cheio da graça. Fique em Belém.

Preparação: Oração pra meditação:

Rainha Imaculada, minha Mãe celestial, venho de joelhos diante de seu colo materno para me abandonar em seus braços, para lhe pedir com os mais ardentes suspiros – neste mês consagrado a ti – a maior graça: que admita-me viver no Reino da Divina Vontade. Santa Mamãe, você que é a Rainha deste Reino, me aceita como seu(a) filho(a) para viver nele, para que ele não seja mais abandonado, mas povoado por seus(a) filhos)a). Portanto, Rainha soberana, a vós eu me confio, para que tu guies meus passos no Reino da Divina Vontade e, agarrado à vossa mão materna, tu guiarás todo meu ser, para que eu possa fazer vida perene na Vontade Divina. Você será minha mãe e como mãe eu faço a entrega da minha vontade para ti, para que eu possa trocá-la com a Vontade de Deus, e assim posso ter certeza de não deixar o Reino Dele. Portanto, eu oro para que vós me ilumine para me fazer entender o que significa “Vontade de Deus”.
(Ave Maria)

Folha do mês (todos os dias do mês de maio): De manhã, ao meio dia e à tarde, três vezes por dia, ajoelhe-se em nossa Mãe Celestial e diga: “Minha Mamãe, eu te amo e você me ama e me dá um gole da vontade de Deus para minha alma; dê-me sua bênção para que eu possa fazer todas as minhas ações sob vossos olhos maternais “.. .

A alma para sua mãe rainha: 


Minha querida mãe, estou de novo perto dos seus joelhos; esta sua(o) filha(o) não pode mais ficar sem você, minha mãe. O doce encantamento da Criança Celestial, que você agora agarra em seus braços e se inclina e adora e ama na manjedoura, me seqüestra, pensando que seu destino feliz e do mesmo pequeno Rei Jesus, não são nada além de frutos doces e preciosos peões daquele Fiat que espalhou seu reino em você. Oh oh Mamãe, me dê a palavra que você usará seu poder para formar em mim o Reino da Vontade Divina.

Palestra da Rainha do Céu  

Minha(o) querida(o) filha(o), oh, como te suspiro em meus braços, para ter a grande alegria de poder dizer ao nosso pequeno Rei menino: “Não chore, meu querido; veja, aqui conosco está minha(o) filhinha(o), que quer te reconhecer como Rei e lhe dar domínio em sua alma, para fazer com que você descanse nela o Reino de sua Divina Vontade ”.

Agora, filha(o) do meu coração, enquanto todos vocês estão decididos a contemplar a pequena criança Jesus, prestem atenção em mim e me escutem: vocês devem saber que já era meia-noite quando o recém-nascido rei saiu do meu seio materno. Mas a noite muda em um dia; Aquele que era o mestre da luz, pôs em fuga a noite da vontade humana, a noite do pecado, a noite de todos os males; e por sinal do que Ele fez na ordem das almas com seu habitual Fiat todo-poderoso, a meia-noite mudou num dia muito brilhante; todas as coisas criadas correram para cantar seu Criador naquela pequena humanidade. O sol corria para dar seus primeiros beijos de luz ao Menino Jesus e aquecê-lo com seu calor; o vento predominante com suas ondas, purificava o ar daquele estábulo e com seu doce gemido lhe dizia: “Eu te amo”; os céus tremeram; a terra regozijou-se e estremeceu o abismo; o mar caiu com suas ondas muito altas; em suma, todas as coisas criadas reconheciam que seu Criador já estava no meio delas e todas competiam para cantar. Os próprios anjos, formando luz no ar, com vozes melodiosas para serem ouvidos por todos, disseram: “Glória a Deus no mais alto céu e paz na terra aos homens de boa vontade! A Criança Celestial já nasceu na caverna de Belém, embrulhado em panos pobres ”. Tanto é assim que os pastores, porque estavam em vigília, ouviram as vozes angélicas e correram para visitar o pequeno rei divino.

Então, minha(o) querida(o) filha(o), continue me ouvindo. Ao recebê-lo em meus braços e dar-lhe meu primeiro beijo, senti a necessidade de amor para dar ao meu Filho, e entregando-lhe meu Seio, dei-lhe leite abundante, leite formado pelo mesmo Fiat divino em minha Pessoa para alimentar o pequeno rei Jesus, mas quem pode dizer o que eu senti fazendo isso, e os mares da graça, do amor, da santidade que meu Filho me deu para me retribuir? Então eu o enfaixei em panos pobres mas claros e coloquei-o na manjedoura. Esta era a sua Vontade, e eu não pude deixar de executá-la. Mas antes de fazer isso, eu chamei o querido São José, dando-o em seus braços; e oh, como ele se alegrou, e apertou-o ao coração, e os doces versos do menininho na alma, com suas torrentes de graça. Então, junto com São José, ajustamos um pouco de feno na manjedoura e, separando-o de meus braços maternos, colocamos-o dentro dele. E sua mãe, arrebatada pela beleza do bebê divino, passou a maior parte do tempo ajoelhando-se diante dEle; Eu pus em movimento todos os meus mares de amor que a Divina Vontade formou em Mim, para amá-lo, adorá-lo e agradecê-lo.

E a criancinha celestial deitado na manjedoura? Um ato contínuo da Vontade de nosso Pai celestial, que também era Dele, e proferindo gemidos e suspiros, mexeu, chorou e chamou por todos, dizendo em seus gemidos amorosos: “Venham todos vocês, meus filhos(a); por sua causa eu nasci para a dor, para as lágrimas. Venham todos para conhecer o excesso do meu amor! Me dê um abrigo em seus corações ”. E havia um grupo de pastores que veio visitá-lo, e a todos Ele deu seu olhar doce e seu sorriso de amor em suas próprias lágrimas.

Agora, minha(o) filha(o), uma palavra para você: você deve saber que toda a minha alegria era segurar no meu colo meu querido filho Jesus, mas a Vontade Divina me fez entender que o coloquei na manjedoura à disposição de todos, para que quem quisesse, poderia acariciá-lo, beijá-lo e levá-lo em seus braços como se fosse seu. Ele era o pequeno rei de todos; portanto, eles tinham o direito de fazer disso uma doce promessa de amor. E eu, a fim de cumprir a Vontade Suprema, privei-me de minhas alegrias inocentes de mãe, e comecei minha obra de sacrificar-me no ofício de Mãe, de dar Jesus a todos. Minha(o) filha(o), a vontade divina é exigente e quer tudo, até mesmo o sacrifício das coisas mais sagradas e, dependendo das circunstâncias, o grande sacrifício de privar-se do próprio Jesus;

Pontos de Meditação: 

  1. NADA DEVE RECUSAR SUA VONTADE DIVINA “. Este parece ser o coração da meditação de hoje, que nos projeta em altos picos de espiritualidade saudável e santa. A uniformidade de nossa vontade à vontade divina (segundo a famosa expressão de Santo Afonso M. De ‘Lígorio, que também é o título de uma de suas produções douradas, para ser lida e meditada) deve ser plena e absoluta e não menos pronta quando ele nos pede sacrifícios heróicos quando nos concede alegrias inefáveis, que devem ser recebidas com alegria e gratidão, quando a vontade divina se dispõe a nos dar, mas sem apego ou espírito de propriedade …

2. ” A presença de Jesus e seu todo-poderoso Fiat transforma a escuridão em luz e toda a criação entra em festa “. É uma cena a ser contemplada, lembrando também as meditações de ontem e dos dias anteriores. Para aqueles que vivem da Divina Vontade, é sempre sol mais do que ao meio-dia e as trevas devem inevitavelmente escapar e dispersar … Fora da metáfora, à luz deste perene Sol, o conhecimento de Deus cresce dia a dia, junto com o saudável e santo conhecimento de Deus e de a si mesmo e o amor se torna mais vivos e ativo em todas as ações, mesmo as menores. O pecado voluntário (mortal ou venial) vem cada vez mais à luz para ser conhecido, detestado, abandonado e desaparecer, para sempre … incontáveis​​imperfeições, defeitos e misérias permanecem, para nossa mortificação e para evitar o orgulho indevido, a maioria dos quais são involuntários . Deus, de fato, é luz e n’Ele não há trevas (1 Jo 1: 5); e como diz São João, quem não ama seu irmão (seja ele quem for) ainda está em trevas (1Jo 2: 9); pecar, para que uma semente divina habite Nele (1Jo 3,9 e também 5,18: “Sabemos que quem é nascido de Deus não peca: quem é nascido de Deus se preserva e o maligno não lhe toca”). Jesus e Maria são apenas o amor e isso se torna uma espécie de segunda natureza, que repousa e se irradia a todos sem distinção, amigos e inimigos, de uma maneira visível e perceptível para os destinatários. E este amor vence e reina onipotente … A criação também presta tributo ao supremo Fiat de Jesus, recordamos o que foi dito sobre São Francisco de Assis e seus milagres sobre plantas e animais. Recordamos a história da pequena Santa Cristina, que flutua sobre a pedra pesada que se transforma em uma jangada em vez de afogá-la no lago Bolsena. E incontáveis ​​outros episódios, até mesmo bíblicos. Para nós, isso significará a sujeição da NOSSA natureza ao poder do Fiat: a vitória sobre nossos defeitos, sobre nossas misérias, sobre o mal em todas as suas formas e sobre seu príncipe imundo, a serpente, que só pode (e vai) continuar a nos tentar e, se Deus permitir, nos atormentar, NUNCA nos manter “em cheque”. Isto não pode ser e não é, naqueles em quem o divino FIAT reina, como nunca esteve em Jesus e Maria. Finalmente os Anjos … Eles ficarão felizes em acompanhar e servir um filho da Vontade Divina e o ajudarão no pacífico (mas algumas vezes heróico) e contínuo esforço para se conformar em todos os aspectos à vontade divina … Estes são apenas alguns dos milagres e maravilhas que eles acontecem quando o reino da vontade divina surge (e é aceito).

3. ” O êxtase de Maria em amamentar Jesus”. Nunca devemos ceder ao pensamento de buscar alegria (mesmo espiritual) neste mundo, caindo na tentação que São João da Cruz chama de “luxúria e glutonaria espiritual”, isto é, buscar a Deus para desfrutar de seus encantos, doçuras e consolações daqui. Devemos, como sempre ensinou São João da Cruz, desejar apenas “sofrer e ser desprezado pelo seu amor”. No entanto, não há dúvida de que aqueles que vivem na Vontade Divina viverão felizes e com momentos de inefável graça e consolação, aos quais não devem atacar o coração (como a Madona, que imediatamente depôs Jesus nos braços de São José, então na manjedoura), mas certamente vai viver. Estas “experiências” são pequenas antecipações do Paraíso que Deus concede, precisamente por causa de seu amor transbordante por nós, às criaturas que estão dispostas a recebê-lo (e lá é realizado precisamente com a união com a Vontade Divina). Se uma alma permanece fria, insensível, sem qualquer consolo por muito tempo; se tenta e por (muito tempo) só possui tédio na oração, não quer ficar com Jesus, nem passar tempo com ele, é um sinal de que essa pessoa não está no caminho certo. Certamente, como ensinam os mestres do espírito, às vezes Deus esconde e deixa seus filhos no deserto, aridez e desolação para que aprendam a estar com Ele não pelos prazeres e delícias que sentem, mas porque é necessário e para ser feito por sua glória e nosso bem. Mas não pode ser uma situação que dura indefinidamente. Estes são períodos curtos, após os quais o sol da consolação retorna. Quando lá tornar-se uma constante perpétua, repeti-lo, certamente há algo errado. Esses são critérios seguros e bem conhecidos (na verdade, muito bem conhecidos) do ascetismo e da espiritualidade cristã, que podem (na verdade devem) ser usados ​​por todos como critério de discernimento. Também (se não acima de tudo) em relação ao reino da vontade divina. Aqueles que estão dando as boas-vindas ao Dom, examinem seu coração e seu relacionamento com Deus: ele o encontrará inchado de paz, alegria e amor; quem não o acolher, se encontrará cheio das “autotorturas”, tormentos e tribulações que inflige a si mesmo com sua vontade, junto com uma busca contínua de vida e felicidade nos seres humanos ou na satisfação de seus prazeres e desejos terrenos.

4. ” Toda a intenção de fazer a vontade divina “. Jesus na manjedoura se mexeu, chorou, emitiu gemidos e suspiros ao Pai, em um ato contínuo da Vontade Divina, para chamar todos para recebê-lo nos corações. São José, depois de tê-lo recebido e adorado, preparou a manjedoura com a Divina Maria e ficaram em adoração. A Rainha celestial de nossos corações privou-se da alegria inocente de segurá-lo nos braços, de cobri-lo de beijos, de mantê-lo mais ligado ao seu santíssimo seio por nosso amor. Uma cena que nos faz pensar muito sobre como coisas pequenas, aparentemente pequenas, coisas de que trocamos por nossos deveres, e demais sacrifícios são expressões da Vontade Divina, que devem ser prontamente unidas e obedecidas.

5. “ O maior sacrifício: privar-se de Jesus, DE ACORDO COM AS CIRCUNSTÂNCIAS“.
Obviamente, este ponto requer explicações e exemplos cuidadosos, de modo que não seja deturpado. Quem (e eu sei disso) nestes dias abriu seu coração ao Dom, está experimentando alegrias, consolações, contatos e graças divinas que talvez nunca tenha recebido. Como dito, essas graças devem ser aceitas e elas precisam mais do que agradecer ao Senhor. Mas não ataque seu coração, sua vaidade. Então, se acontecer que no momento da meditação, a Vontade Divina nos chamar para um sacrifício (uma criança que tem uma necessidade urgente, um imprevisto, uma urgência do cônjuge, etc.) devemos nos privar da alegria de estar com Jesus. para servi-lo em outro lugar, onde a vontade divina nos chama. A mesma coisa quando deveria acontecer (como ordinariamente não deveria!) De ter que por exemplo desistir da Santa Missa por alguma impossibilidade objetiva. Ou um belo momento de oração por um compromisso familiar importante ou também porque devemos discernir que Deus nos pede para renunciar, talvez para fazer algo agradável a algum vizinho, um familiar próximo, um parente em dificuldade. É por isso que Madonna especifica “de acordo com as circunstâncias”. Obviamente, estes são apenas pequenos exemplos, mas as variáveis ​​são potencialmente infinitas. Cabe ao discernimento bem-feito entender onde a Vontade Divina, em um determinado momento preciso, é necessária. E não se deixe guiar pela sua escolha Obviamente, estes são apenas pequenos exemplos, mas as variáveis ​​são potencialmente infinitas. Cabe ao discernimento bem-feito entender onde a Vontade Divina, em um determinado momento preciso, é necessária. E não se deixe guiar pela sua escolha Obviamente, estes são apenas pequenos exemplos, mas as variáveis ​​são potencialmente infinitas. Cabe ao discernimento bem-feito entender onde a Vontade Divina, em um determinado momento preciso, é necessária. E não se deixe guiar pela sua escolha que é mais agradável (mesmo em um sentido espiritual apenas), mas do que o coração sugere (se a escutarmos bem), porque é lá que a Vontade Divina fala. E dos frutos da escolha (paz e alegria em primeiro lugar ) e suas conseqüências (em nós e ao redor de nós) para percebermos se fizemos a escolha certa. Na verdade, é sempre a fruta que reconhece a árvore. O equilíbrio e o discernimento devem sempre ser a bússola que nos guia em situações cotidianas e concretas de não simplesmente compreender a Vontade Divina.

A alma: 

Santa Mamãe, suas lindas lições me confundem; mas se quer que eu as ponha em prática, não me deixe em paz, de modo que quando me vir sucumbir sob o enorme peso das privações divinas, agarro-me a seu coração maternal e sentirei forças para nunca negar nada à Vontade Divina.

Folha diária: 

Hoje, para me honrar, você virá três vezes para visitar o Menino Jesus, beijando suas mãozinhas e fará cinco atos de amor para honrar suas lágrimas e acalmar seu choro.

Jaculatória:

Santa Mãe, derrame  as lágrimas de Jesus no meu coração, para que Ele possa dispor em mim o triunfo da Vontade de Deus.

 

Vigésimo terceiro dia. 

A Rainha do Céu no Reino de Vontade Divina

A primeira hora de dor soa. Uma estrela com uma voz silenciosa chama os magos para adorar a Jesus profeta revela as dores da Rainha soberana 

Preparação: Oração pra meditação:

Rainha Imaculada, minha Mãe celestial, venho de joelhos diante de seu colo materno para me abandonar em seus braços, para lhe pedir com os mais ardentes suspiros – neste mês consagrado a ti – a maior graça: que admita-me viver no Reino da Divina Vontade. Santa Mamãe, você que é a Rainha deste Reino, me aceita como seu(a) filho(a) para viver nele, para que ele não seja mais abandonado, mas povoado por seus(a) filhos)a). Portanto, Rainha soberana, a vós eu me confio, para que tu guies meus passos no Reino da Divina Vontade e, agarrado à vossa mão materna, tu guiarás todo meu ser, para que eu possa fazer vida perene na Vontade Divina. Você será minha mãe e como mãe eu faço a entrega da minha vontade para ti, para que eu possa trocá-la com a Vontade de Deus, e assim posso ter certeza de não deixar o Reino Dele. Portanto, eu oro para que vós me ilumine para me fazer entender o que significa “Vontade de Deus”.
(Ave Maria)

Folha do mês (todos os dias do mês de maio): De manhã, ao meio dia e à tarde, três vezes por dia, ajoelhe-se em nossa Mãe Celestial e diga: “Minha Mamãe, eu te amo e você me ama e me dá um gole da vontade de Deus para minha alma; dê-me sua bênção para que eu possa fazer todas as minhas ações sob vossos olhos maternais “.. .

A alma para sua mãe celestial e ao menino Deus: 

Hoje, Santa Mamãe, sinto um ímpeto de amor e sinto que não suporto se não venho ao seu colo materno, para encontrar em seus braços o menino celeste. Sua beleza me cativa, seus olhos me machucam, seus lábios se põem a gemer e chorar e em suas lágrimas que magoa meu coração ao ama-lo. Oh meu caro, eu sei que você me ama, e imploro para me dar um lugar em seus braços, para dar-lhe o meu primeiro beijo, falar poemas do meu coração ao pequeno Rei Jesus e confiar meus segredos, que às vezes o oprimi; e para fazê-lo sorrir, diga-lhe: “Minha vontade é sua e a sua é minha e, portanto, o Reino de seu divino Fiat se forma em mim”.

Palestra da Rainha do Céu para sua filha:

Meu(a) querido(a) filho(a), como estou feliz em mantê-lo perto, para poder ensinar-lhe como, em todas as coisas que você pode espalhar o reino da vontade divina. Todas as cruzes, as dores, as humilhações, investidas pela vida do divino Fiat, são como matéria-prima em suas mãos para alimentar seu Reino e difundi-lo cada vez mais. Portanto, preste atenção em mim e ouça sua mãe. Continuei minha morada na gruta de Belém com Jesus e com o querido São José. Quão felizes nós éramos! Aquela pequena caverna, de pé junto ao Divino Menino e à Divina Vontade, operante em nós, havia se transformado no Paraíso. É verdade que não nos faltaram dores e lágrimas, mas comparadas aos imensos mares de alegria, de felicidade, de luz, que o divino Fiat fez surgir em todos os nossos atos, eram gotículas jogadas nesses mares. E então, a doce e amável presença do meu querido Filho foi uma das maiores felicidades.

Agora, querido(a) filho(a), você deve saber que o oitavo dia do Filho celestial veio, desde que Ele nasceu à luz do dia, e o Fiat divino ordenou-nos a circuncidar o pequeno e encantador Bebê. Foi um corte muito doloroso ao qual o pequeno Jesus teve que ser submetido. Foi a lei daqueles tempos que todos os primogênitos tiveram que passar por esse corte doloroso. Você pode chamar da lei do pecado, e meu Filho era inocente e sua lei era a lei do amor, mas com tudo isso, desde que ele veio para encontrar não o rei, mas o homem degradado, para se juntar a ele e criá-lo, Ele queria se degradar e foi submetido à lei. Meu(a) filho(a), São José e eu sentimos uma emoção de dor, mas sem medo e sem hesitação chamamos o ministro e Ele foi circuncidado com um corte muito doloroso. Com a dor amarga, o menino Jesus chorou e se atirou em meus braços, pedindo-me ajuda. São José e eu misturamos nossas lágrimas com as Dele; o primeiro sangue derramado por Jesus foi reunido por amor das criaturas; O nome de Jesus foi imposto a ele, um nome poderoso que tinha que fazer o céu e a terra tremerem e o próprio inferno, um nome que tinha que ser o bálsamo, a defesa, a ajuda de todo coração. Agora meu(a) filho(a) esse corte era a imagem do corte cruel que o homem fizera em sua alma ao fazer sua vontade, e meu querido Filho foi trazido para fazer esse corte para curar o corte duro da vontade humana, curar com seu sangue as feridas de tantos pecados, que o veneno da vontade humana produziu nas criaturas. De modo que todo ato da vontade humana é um corte que é feito e uma ferida que se abre, e a criança celestial, com seu corte doloroso, preparou o remédio para todas as feridas humanas.

Agora, meu(a) filho(a), outra surpresa: uma nova estrela brilha sob a abóbada do céu, e com sua luz busca os adoradores para levá-los a reconhecer e adorar o Menino Jesus, três homens, um longe do outro, eles são envolvidos pela luz celestial  e seguem a estrela, a que trouxe-os para a gruta de Belém, ao pé do Menino Jesus. Mas o que era o espanto destes que reconheceram o Divino no Rei do céu e da terra , que veio amar e salvar a todos? Porque no momento em que os magos o adoravam, arrebatados por aquela beleza celestial, a criança nascida mostrou sua divindade na sua pequena humanidade, e a caverna mudou no paraíso, tanto que já não podiam separar-se dos pés do Divino Infante, exceto quando Ele havia retirado novamente em sua Humanidade a luz da sua Divindade. E eu, colocando em prática meu ofício de Mãe, falei longamente sobre a descida do Verbo e reforcei-os na fé, esperança e caridade, símbolo de seus dons oferecidos a Jesus; e cheios de alegria eles recuaram para suas regiões, para serem os primeiros propagadores.

Meu(a) querido(a) filho(a), não se mova do meu lado, siga-me em todos os lugares. Quarenta dias do nascimento do pequeno Rei Jesus já vão acontecer, e o divino Fiat nos chama ao Templo para cumprir a lei da Apresentação do meu Filho. Bem, nós fomos ao templo. Foi a primeira vez que saí junto com meu doce bebê. Uma veia de dor se abriu em meu coração: fui oferecer-lhe vítima para a salvação de todos! Então entramos no Templo, e antes de adorarmos a divina Majestade, chamamos o sacerdote e o colocamos em seus braços, eu fiz a oferta da Criança Celestial ao Pai eterno, oferecendo-o em sacrifício pela salvação de todos. O sacerdote era Simeão e, ao colocá-lo em seus braços, reconheceu que ele era o Verbo Divino e exultou com imensa alegria; e após a oferta, posando como um profeta, profetizou todas as minhas tristezas … Oh, como o supremo Fiat, quis preparar os músculos do meu coração materno, ouvindo o som vibrante da tragédia feroz de todas as dores do meu Filho! Mas o que mais me perfurou foram as palavras que o santo profeta me disse, a saber: “Este querido filho será a salvação e a ruína de muitos e será alvo de contradições”.

Se a Vontade Divina não tivesse me apoiado, eu teria morrido instantaneamente ali de pura dor. Em vez disso, Ele me deu vida e usou-a para formar em mim o Reino das dores no Reino de sua própria vontade. Então, além do direito da mãe que eu mantinha sobre todos, eu adquiri o direito de Mãe e Rainha de todas as dores. Ah, sim, com as minhas dores, comprei a moeda para pagar as dívidas dos meus filhos e também das crianças ingratas. Agora, meu(a) filho(a), você deve saber que, à luz da Vontade Divina, eu já conhecia todas as dores que me tocariam, e ainda mais que o santo profeta me disse, mas naquele solene ato de oferecer meu Filho, ao ouvi-lo repetir, senti-me tão perfurada que meu coração sangrou e abriu profundas brechas em minha alma.

Agora, ouça a sua mãe: em suas dores, nos dolorosos encontros que você não passar, nunca se desespere, mas com amor heróico, deixe a vontade divina tomar seu lugar real em suas dores, para que você possa convertê-las em moedas de valor infinito, com a qual você pode pagar as dívidas de seus irmãos para resgatá-los da escravidão da vontade humana, para fazê-los retornar como filhos livres no Reino do Fiat divino.

Pontos de Meditação:

  1. ” O REINO DA DOR NO REINO DA VONTADE DIVINA”. A maravilhosa meditação de hoje nos lembra de uma verdade fundamental, a não ser esquecida, que é que, nesta terra, onde infelizmente continuamos a pagar o preço à lei do pecado, não podemos deixar de encontrar a Dor, desde que seja Dor de resposta ao divino FIAT ( que significa “cruz”) é inútil auto-infligir dor em nós. Uma cruz que deve ser vivida na Vontade Divina, isto é, na consciência de que a felicidade, a alegria e a luz que os imensos mares do Fiat divino podem produzir em nós superam grandemente a Dor sofrida e oferecida em resposta ao próprio “Fiat”. De fato, a dor em si é transformada em alegria. A caverna de Nazaré, como vimos, havia mudado no Paraíso, mesmo em sua miséria, fria e extrema pobreza, escuridão material. Por quê? Porque eles estavam lá em resposta à Vontade Divina que ele havia providenciado para o nascimento de Sua Palavra. E tudo se tornou Luz, felicidade, alegria, amor …

2. ” A circuncisão de Jesus”. Considerações bonitas, que nos lembram, antes de tudo, como Jesus, apesar de ser um bebê, sentiu muito a dor penetrante de cortar o prepúcio, já ordenado a Abraão (e que nos lembra a causa da ruína do homem: nunca nos perguntamos por que a circuncisão – e nada mais – era o selo da primeira e antiga aliança? Apenas naquela parte do corpo do homem?, como “lei do pecado”. E a aplicação alegórica deste corte é a própria Madonna: o corte que o homem se dá com a sua própria vontade e as facadas que se auto infligem de manhã à noite com toda a sua vontade (em primeiro lugar, a ele mesmo, mas às vezes também naqueles que vivem ao seu redor! Muitas vezes atribuímos, não sem razão, as falhas de nossos atos à cobra, que é evidentemente a origem e a causa de todos os males e o tentador irônico. Mas qual foi o pecado da serpente? Se rebelar contra Deus fazendo sua própria vontade. E o que causou nossos ancestrais a fazer? Sempre a sua vontade, mesmo escolhendo o modo de reprodução da raça humana para ter a emoção de sentir-se Deus “criando” de alguma forma … Uma vez Jesus disse na obra de Valtorta que o diabo é o artifície de todos os males é culpado apressadamente e pecados. Ele é sempre o “diretor oculto”, certamente, mas a alavanca que ele usa universalmente, as nossas brechas abertas e entra para destruir e devastar, pois aproveita-se apenas da nossa vontade humana. Nunca esqueça essa verdade: não há tortura maior que o homem possa-se auto-infligir do que o da sua própria vontade. NÃO HÁ! Não há martírio mais doloroso (e nem um pouco meritório) do que satisfazer a vontade de alguém ou de si mesmo. Que a Divina Maria seja bendita, por toda a luz e compreensão da verdade muito profunda (e totalmente libertadora) dessas considerações.

3. “A visita dos Magos”. Esta visita foi uma coincidência? Três grandes Reis, desconhecidos um do outro, que seguem a luz de uma nova estrela, decodificando seu significado através dos dados da ciência astronômica. Os Magos são símbolos das pessoas que fazem o intelecto funcionar bem, em vez de torná-lo um instrumento de raciocínio distorcido, inspirado pela cobra, que não pode nem deve ser feito. O intelecto iluminado pela fé, como diz Jesus no Evangelho é capaz de discernir corretamente (e com razão interpretar) os “Sinais”, particularmente os “sinais dos tempos”: “Os fariseus e saduceus para testá-lo, pediram-lhe para mostrar-lhes um sinal do céu. Mas Ele respondeu: ‘Quando é noite, você diz: Bom tempo, pois o céu está vermelho; e de manhã: Hoje tempestuoso, porque o céu é vermelho escuro. Você sabe interpretar a aparência do céu e não sabe distinguir os sinais dos tempos? Uma geração perversa e adúltera pede um sinal, mas nenhum sinal será dado a ela, exceto o sinal de Jonas. E deixa-os ir embora “(Mateus 16.1-4). Quais foram “os sinais dos tempos”? O cumprimento de todas as profecias em Jesus, as que Ele deu fazendo milagres REAIS e afugentando os demônios. Quais foram os raciocínios distorcidos dos fariseus (ontem e para sempre)? Aqui estão eles: “Jesus estava expulsando um demônio que era mudo. Quando o demônio saiu, o mudo começa a falar. Os sinais que Ele deu fazendo REAL milagres e afugentando os demônios. O mudo ia conversando e as multidões ficaram maravilhadas. Mas alguns disseram: é em nome de Belzebu, chefe dos demônios, que Ele afasta os demônios “. Outros, então, para colocá-lo à prova, pediram-lhe um sinal do céu “(Lucas, 11.14-16). Por que eles reagiram assim? Porque eles não estavam abertos para a Luz, eles já haviam decidido. E, como o próprio Jesus disse através do pobre Lázaro ao rico, quando alguém já decidiu que não há nada para fazer, nenhum sinal, nem mesmo a maior e mais incrível vontade funcionará: “Pai Abraão, tem misericórdia de mim e envia Lázaro, para mergulhar a ponta do seu dedo na água e molhar a minha língua, porque esta chama me tortura. Abraão respondeu: Filho, lembre-se que você recebeu suas posses durante a sua vida e Lázaro somente males; mas agora ele é consolado e você está no meio de tormentos. Essas respostas: Então, pai, por favor mande-o para a casa do meu pai, porque eu tenho cinco irmãos. Avisá-los, por que eles também não chegam a este lugar de tormento. Mas Abraão respondeu: Eles têm Moisés e os Profetas; ouça-os. E ele: Não, pai Abraão, mas se alguém dentre os mortos vier a eles, eles se arrependerão. Abraão respondeu: “Se eles não ouvirem a Moisés e aos Profetas, mesmo que alguém ressuscitasse dos mortos, eles não seriam convencidos” (Lucas, 16,24-31). Quando estamos fechados para a luz e já decidimos, expulsar demônios torna-se a obra de satanás, realizar milagres de feitiçaria, perdoar a fraqueza de nossos inimigos, pregar com amor a traição à lei de Moisés … etc. É necessário prestar muita atenção a estes sutis truques satânicos, não confundir vaga-lumes com lanternas, não confundir – infelizmente – o diabo com a água benta, a fim de não considerar o mal para o bem … Os Magos encontraram Jesus Criança e foram preenchidos por sua luz … Herodes, o tolo (como o hino Akathistos chama) permaneceu em sua escuridão … e realizou massacres …

4. “Apresentação no Templo”. O sacrifício é a nossa santa lei da salvação. Qual é a consagração do Totus Tuus? Assim, Montfort escreve no “Segredo de Maria”: 28. “A Consagração por um Escravo de amor consiste em entregar-se inteiramente, como escravo, a Maria e, através de Maria, a Jesus: depois, fazendo tudo com Maria. em Maria, através de Maria e através de Maria. Deixe-me explicar: Fluxo deste sacrifício: é o total abandono de si nas mãos de Maria 29. É necessário escolher um dia importante para se dar, consagrar-se e sacrificar-se voluntariamente e por amor, não necessariamente, inteiramente, sem reserva, corpo e sua própria alma; seus próprios bens externos, como a casa, a família, a renda; os próprios bens internos da alma, isto é, méritos, graças, virtudes e satisfações. Aqui vale a pena notar que com esta devoção tudo é sacrificado a Jesus através de Maria tudo o que uma alma mais quer e de que nenhuma Ordem religiosa requer o SACRIFÍCIO, que é o direito que nós temos de dispor de nós mesmos e de valor de suas próprias orações, esmolas, mortificações e satisfações; para que toda a disposição seja deixada para a Santíssima Virgem, para aplicá-la ao seu prazer e à maior glória de Deus, a quem somente ela conhece perfeitamente ”. Nós ouvimos as palavras de Nossa Senhora: ela já sabia de tudo, mas ouvindo a profecia de Simeão as causas para que toda a disposição seja deixada para a Santíssima Virgem, para aplicá-la ao seu prazer e à maior glória de Deus, a quem somente ela conhece perfeitamente ”. mas ouvindo a profecia de Simeão as causas tamanha laceração que, se a vontade divina não a tivesse apoiado, ela teria morrido no momento da dor pura. E aqui está a grande sabedoria da Cruz, que deve se tornar nossa lei suprema, porque somente com a dor aceita e oferecida podemos comprar moedas de valor infinito, com as quais pagamos nossas dívidas e as de nossos irmãos escravos da vontade humana. Nós, queridos filhos, escolhemos ser escravos de Jesus em Maria, isto é (é a mesma coisa e idêntica) filhos da FIAT Divina à qual respondemos com o FIAT incondicional de todos nós, construindo para sempre o túmulo da nossa vontade humana. Também a cruz se torna açúcar, doce e luz: “É bem verdade que os mais fiéis servos da Santa Virgem, sendo seus maiores favoritos, recebem dela as maiores graças e favores do céu, que são as cruzes; mas eu digo também que são esses servos de Maria que carregam essas cruzes com mais facilidade, mérito e glória; que seria capaz de parar mais mil vezes, ou para soltá-lo, ele não parar uma vez e mantém indo, porque essa boa Mãe, toda cheia de graça e do Espírito Santo gentilmente, adoça todas essas cruzes que prepara no açúcar de sua doçura maternal e doçura do amor puro, para que os ingira alegremente como nozes cristalizadas, embora sejam muito amargas em si mesmas. E eu acredito que uma pessoa que quer ser devota e viver em Jesus Cristo com fé profunda, por isso que deve sofrer perseguição e carregar sua cruz todos os dias, mas nunca será capaz de carregar grandes cruzes, ou ele não as fará com alegria, nem com perseverança, sem uma terna devoção à Santa Virgem, que faz as cruzes doces; assim como uma pessoa, sem ser uma grande força, que não vai durar muito tempo, não pode comer as nozes verdes, não cristalizadas em açúcar “(St. Louis de Montfort, Tratado da Verdadeira Devoção , 154). Ao fazer isso, um realmente começa a voar: como andorinhas, pombas ou águias … Longe de cobras, sapos e da terra …

A alma: 

Santa Mamãe, em seu coração trespassado Eu coloco todas as minhas dores, e você sabe como meu coração me perfura. Por favor, dê-me como Mãe e despeje em meu coração o bálsamo de suas tristezas, para que você possa ter o mesmo destino que o seu, para usar minhas dores como moedas para conquistar o Reino da Vontade Divina.

Folha diária: 

Hoje, para me honrar, você virá em meus braços, para derramar em você o primeiro sangue que a Criança Celestial espalhou para curar as feridas que a sua vontade humana lhe fez, e você recitará três atos de amor para mitigar o espasmo da ferida da Criança. .

Jaculatória: 

Minha mãe, derrame sua dor em minha alma e converta todas as minhas dores na Vontade de Deus.

Vigésimo quarto dia. A Rainha do Céu no Reino da Divina Vontade.

Um tirano impiedoso. O pequeno rei, Jesus é levado por sua mãe e por

São José para uma terra estrangeira, onde eles vão como exilados pobres.

 E Após Retorno para Nazaré

Preparação: Oração pra meditação:

Rainha Imaculada, minha Mãe celestial, venho de joelhos diante de seu colo materno para me abandonar em seus braços, para lhe pedir com os mais ardentes suspiros – neste mês consagrado a ti – a maior graça: que admita-me viver no Reino da Divina Vontade. Santa Mamãe, você que é a Rainha deste Reino, me aceita como seu(a) filho(a) para viver nele, para que ele não seja mais abandonado, mas povoado por seus(a) filhos)a). Portanto, Rainha soberana, a vós eu me confio, para que tu guies meus passos no Reino da Divina Vontade e, agarrado à vossa mão materna, tu guiarás todo meu ser, para que eu possa fazer vida perene na Vontade Divina. Você será minha mãe e como mãe eu faço a entrega da minha vontade para ti, para que eu possa trocá-la com a Vontade de Deus, e assim posso ter certeza de não deixar o Reino Dele. Portanto, eu oro para que vós me ilumine para me fazer entender o que significa “Vontade de Deus”.

                                                                      (Ave Maria)

Folha do mês (todos os dias do mês de maio): De manhã, ao meio dia e à tarde, três vezes por dia, ajoelhe-se em nossa Mãe Celestial e diga: “Minha Mamãe, eu te amo e você me ama e me dá um gole da vontade de Deus para minha alma; dê-me sua bênção para que eu possa fazer todas as minhas ações sob vossos olhos maternais “.. .

A alma para sua rainha, oprimida em dor:

Minha mãe soberana, sua(o) filhinha(o) sente a necessidade de se aproximar de colo, para manter-me como uma pequena companhia para ti. Eu vejo seu rosto coberto de tristeza, e algumas lágrimas fugazes fluem de seus olhos. O doce menino treme e, soluçando, chora. Santa Mãe, uno minhas dores com as suas para consolá-lo e acalmar o grito da criança celestial. Mas, oh, minha mãe, não me negue revelar o segredo para mim. O que há de errado com meu querido menino Deus?

Lição da Rainha Mãe:

Minha querida(o) filha(o), o coração de sua mãe hoje está inchado de amor e dor, tanto que não consigo parar de chorar. Você conhece a vinda dos magos, que fizeram um barulho em Jerusalém pedindo o novo Rei. E o perverso Herodes, por medo de ser derrubado pelo trono, já deu o mandato para matar meu doce Jesus, minha querida vida, com todas as outras crianças. Minha(o) filha(o), que dor! Aquele que veio para dar vida a todos e trazer ao mundo a nova era da paz, da felicidade, da graça, quer me matar! Que ingratidão! Que traição! Ah, minha(o) filha(o), onde a cegueira da vontade humana vem! A ponto de se tornar feroz, amarrar as mãos ao seu próprio Criador e tornar-se mestre Dele.

Aquele que o criou. Portanto, tem pena de mim, minha(o) filha(o), e tente acalmar o grito da doce criança. Ele clama pela ingratidão humana, que o quer morto assim que Ele nasce, e para salvá-lo somos forçados a fugir. Já o querido São José foi avisado pelo anjo para sair cedo para uma terra estrangeira. Acompanha-nos, querida(o) filha(o), não nos deixa em paz, e continuarei a dar-lhe minhas lições sobre os graves males da vontade humana.

Agora, você deve saber que assim que o homem escapou da Vontade Divina, ele a quebrou com o seu Criador. Tudo tinha sido feito por Deus na terra para Ele, tudo era seu, e o homem, por não fazer a vontade divina, perdeu todos os direitos, e pode-se dizer que ele não tinha lugar para definir o ritmo. Então ele se tornou o pobre exilado, o peregrino que não podia ter um quarto permanente, e isso não apenas na alma, mas também no corpo. Todas as coisas se tornaram mutáveis ​​para o pobre homem; e se qualquer coisa fugitiva é realizada, foi em virtude dos méritos previstos desta criança celestial. E isso, porque toda a magnificência da criação foi destinada por Deus para dar àqueles que teriam feito a vontade divina e vivido em seu reino. Todos os outros, se tomam alguma dificuldade, são os verdadeiros ladrões de seu Criador e com razão; Eles não querem fazer a vontade divina, e eles querem os bens que pertencem a ela.

Agora, querida(o) filha(o), você sente o quanto nós amamos você e esta querida Criança, que no alvorecer da vida vai para o exílio e para uma terra estrangeira para libertá-lo do exílio em que o humano o colocará, para chamá-lo de volta para viver não na terra estrangeira, mas em seu país, que foi dado a Ele por Deus quando Ele foi criado, isto é, no Reino do Fiat supremo. Filha do meu coração, tenha piedade das lágrimas da sua Mãe e das lágrimas desta doce e querida Criança, porque quando choramos, oramos para que você nunca faça a sua vontade; mas nós oramos a você, nós imploramos a você: retorne ao útero da Divina Vontade que suspira tanto por você!

Agora, querida criança, em meio à dor da ingratidão humana, e entre as imensas alegrias e felicidade que o Fiat divino nos deu e a festa que toda a criação fez para a doce Criança, a terra tornou-se verde novamente e floresceu sob nossos passos, para dar homenagem ao seu Criador. O sol estava olhando para Ele e, olhando para Ele com sua luz, sentiu-se honrado em lhe dar a luz e o calor; o vento o acariciava; os pássaros quase como nuvens se afundaram ao nosso redor, e com seus trinados e canções fizeram as mais belas canções de ninar para a querida Criança, para acalmar suas lágrimas e conciliar seu sono. Minha(o) filha(o), a Divina Vontade estando em nós, nós detínhamos poder sobre tudo.

Assim, nós viemos para o Egito e depois de um longo período de tempo, o anjo do Senhor avisou São José que voltaríamos para a casa de Nazaré, porque o tirano ímpio estava morto. E assim voltamos para nossa terra natal. Agora, o Egito simboliza a vontade humana, uma terra cheia de ídolos, e onde quer que o pequeno Jesus pise nela, Ele pegou esses ídolos e os enfiou no inferno. Quantos ídolos tem a vontade humana! Ídolos da vaidade, da auto-estima e das paixões que tiranizam a pobre criatura! Portanto, esteja atento, escute sua mãe; que para não permitir que você faça a sua vontade, eu faria qualquer sacrifício e também colocaria minha vida Nele, para lhe dar o grande bem, para que você sempre viva no ventre da Vontade Divina.

Pontos de Meditação:

  1. ” Idolatria“. Tanto a fúria de Herodes como a terra do Egito são, de várias formas, símbolos e imagens da idolatria da vontade humana, que se manifesta em toda a sua nefasta, violenta mas muitas vezes sutil oposição à Vontade Divina através deste pecado mais sério, que é necessário desmascarar e lutar resolutamente, porque é a ruína total das almas que são suas vítimas. Herodes idolatrava o poder, que é um dos grandes ídolos deste mundo, muito mais sutil do que se poderia pensar. O poder não é apenas o poder político humano de um reino (como foi para a concubina adúltera). O poder também é “poder espiritual”, tendo dons, carismas, “contatos”; o poder é também desejar desesperadamente o sobrenatural ou procurar, de alguma forma, desejá-lo, mesmo de maneira sutil e refinada. “Poder” é tudo que de alguma forma nos faz grandes, superiores, distintos dos outros, o que nos coloca, de alguma forma, “superior”. Essa terrível tentação e idolatria é muito fina e não é fácil de encontrar. Jesus abomina o “poder”, ele renunciou por quase toda a sua vida até o próprio uso, e ele ama aqueles que vivem no vale sagrado da humildade de uma vida comum e comum (mas extraordinária no sentido que vimos nas meditações dos dias anteriores) ). É necessário entrar em nosso coração e fazer um exame preciso de consciência e nos perguntar o que ele quer e o que procura profundamente …
  1. A ruptura do homem com o seu Criador“. Devemos nos deixar ser desnudados, humilhados, corajosamente vulneráveis ​​por essa amarga verdade. Somos homens e mulheres sem direitos, não merecemos absolutamente nada, nem mesmo pisamos na terra em que andamos, nem respiramos o oxigênio que nos mantém vivos, nem nada de tudo lá que nós temos. Somos ladrões como a nossa Madona. Porque gozamos de bens que são da vontade divina, apesar de termos sido rebeldes, em Adão acima de tudo, mas também em nós . Jamais entenderemos suficientemente essa realidade, cuja compreensão é vital e é uma das características fundamentais do verdadeiro devoto de Maria: “Para esvaziar-nos devemos primeiro conhecer nosso fundo ruim, nossa incapacidade de trabalhar bem com a luz do Espírito Santo. o bem útil para salvação, nossa fraqueza em tudo, inconstância contínua, indignidade para graça e maldade em todo lugar. O pecado do primeiro pai quase nos estragou completamente, azedou, pois inchado e corrompido, como o fermento azedo, infla e corrompe a pasta onde foi colocada. Os pecados reais cometidos por nós, mortais ou veniais, mesmo que tenham sido perdoados, aumentaram nossa concupiscência, fraqueza, inconstância e corrupção, deixando resíduos em nossa alma. Nossos corpos são tão corrompidos a ponto de serem chamado ¨templos¨ do Espírito Santo, concebidos em pecado, nutridos em pecado e capazes de tudo; corpos sujeitos a mil doenças, que são corrompidas a cada dia mais, capazes de gerar apenas sarna, parasitas e corrupção. Nossa alma, então, unida ao corpo, tornou-se tão carnal a ponto de ser chamada carne: “Toda carne perverterá sua conduta na terra”. Herdamos apenas orgulho, cegueira do espírito, dureza de coração, fraqueza e inconstância da alma, concupiscência, paixões em turbulências e doenças do corpo. Somos, por natureza, os mais orgulhosos pavões, mais apegados à terra dos sapos, mais feios que os bodes, mais invejosos que cobras, mais verdes que os porcos, mais zangados que os tigres, mais preguiçosos que as tartarugas, mais fracos que os juncos e mais inconstante que yenas. Não temos nada em nós senão o pecado e não merecemos nada além da ira de Deus e do inferno eterno “(Tratado de verdadeira devoção, 79). Ai, três vezes, dez vezes, mil vezes mais do que aqueles que não estão convencidos de todas essas coisas da primeira à última sílaba e agem de acordo. A hostilidade da criação e as adversidades da vida terrena atual são um eco contínuo e fiel dela. Humildade, suprema humildade, é a única resposta adequada a essa condição humilhante, que devemos reconhecer nas profundezas e, repeti-la, agindo de acordo. Começando a lutar sem fronteiras a única guerra santa que existe: contra si mesmo e contra o próprio humano em nós, manchado com todas essas coisas e inexoravelmente hostil ao Divino.
  1. Aflito, mas sempre feliz”. A Sagrada Família tomou sobre si os males e as conseqüências do reinado da vontade humana entre os homens e agiu de acordo (fuga para o Egito), mas … “entre as imensas alegrias e felicidade que o divino Fiat nos deu”. Aqui está o segredo, aqui está o presente que nos é oferecido. A Vontade Divina, o caminho do Fiat supremo, não significa “felicidade e alegria sem cruzes”, mas significa “suprema felicidade e alegria nas cruzes”, talvez maior (na verdade, certamente, sem “talvez”) do que as dos inimigos da Vontade de Deus. Vontade Divina, vivida de maneira completamente divina, sublime, supremamente meritória, supremamente expiatória, supremamente frutífera para a conversão e salvação das almas. “Estando em nós a vontade divina, mantivemos o poder sobre tudo”. Em nós, que ao contrário da Sagrada Família, não seremos capazes de alcançar uma união absoluta e perfeita com a Vontade Divina.
  1. ” Os ídolos do Egito“. O Egito simboliza a vontade humana, que é uma terra cheia de ídolos que devem ser desembarcados. Não apenas o pecado da idolatria no sentido explicado acima, mas também todos os ídolos da vontade humana. Vanglória, auto-estima e paixões, que tiranizam a pobre criatura. Os filhos da vontade divina do nada se glorificam, se não da cruz e da paixão de seu rei; eles se orgulham de nada, se não de suas próprias fraquezas, que eles conhecem e reconhecem; eles têm uma concepção muito baixa de si mesmos e um conhecimento muito profundo e sábia de suas misérias, para o qual a Vontade Divina os leva através do cadinho de provações muito grandes, mas saudáveis; eles não vão em busca de grandes coisas, superiores à sua força (Salmo 130), mas são como crianças nos braços de sua mãe; eles não buscam a estima ou consentimento dos homens, mas a de Deus somente e da Rainha de seus corações; eles não se consideram dignos de nada e não merecem nada, e servem a Deus com humildade e justiça, sabendo que são muito pequenos; eles perdoam mesmo antes de terem acabado de pecar contra eles, porque a humildade em que a Vontade Divina os colocou, faz com que se sintam realmente dignos de qualquer mal, insulto e indignação (lembre-se do episódio bíblico de Samuel e David, cf 2 Samuel 16.5-13, que, especialmente para aqueles que não o conhecem, é muito bom ler com extrema atenção); ainda: paixões tão baixas quanto a luxúria, são abominadas, pisoteadas, vomitadas, rejeitadas e desprezadas, em todas as suas formas (incluindo a impureza da língua, isto é, a linguagem repulsiva e vulgar); vapores de orgulho, fragmentos repugnantes de inveja satânica, lodo infernal de avareza, abominação da raiva e todos os outros vícios mortais estão sob controle estrito e divino; toda fraqueza psicológica é superada e superada; todo medo desaparece dentro do útero virginal de Colei, que nunca teve medo de nada nem de ninguém; começa-se a chorar apenas por razões santas (alegria e saudade incluídas, ver meditação no décimo quinto dia); se respira e se move num clima sobrenatural, surrealista, quase “místico” (uma expressão, evidentemente, para ser bem entendida). Ídolos são cortados e pisoteados. A vontade humana destruída e o reinado do Divino renovaram e restauraram … começa-se a chorar apenas por razões santas (alegria e saudade incluídas, ver meditação no décimo quinto dia); se respira e se move num clima sobrenatural, surrealista, quase “místico” (uma expressão, evidentemente, para ser bem entendida). Ídolos são cortados e pisoteados. A vontade humana destruída e o reinado do Divino renovaram e restauraram … começa-se a chorar apenas por razões santas (alegria e saudade incluídas, ver meditação no décimo quinto dia); se respira e se move num clima sobrenatural, surrealista, quase “místico” (uma expressão, evidentemente, para ser bem entendida). Ídolos são cortados e pisoteados. A vontade humana destruída e o reinado do Divino renovaram e restauraram …
  1. Eu também colocaria minha vida nisto, para lhe dar o grande bem que você sempre vive no ventre da Vontade Divina “. Se Nossa Senhora se deixasse matar para nos salvar um único ato da vontade humana, fica claro o quanto é, por mais leve e superficial que seja a avaliação, uma verdadeira gangrena mortal para a alma (e para o corpo). Se Deus tirou os véus e as escamas de nossos olhos e nos mostrou o monstro horrível que é um único ato de vontade, acho que morreríamos de dor e ficaríamos tão horrorizados a ponto de preferir as mais cruéis torturas e mortes violentas mil vezes. faça um conscientemente .Vamos ouvir o apelo de Nossa Senhora: “Nós te imploramos: retorne ao ventre da Vontade Divina que tanto te suspira!” Na nossa terra natal, que é o reino do Supremo FIAT em que fomos concebidos e criados. Egito significa, em hebraico (“mitzraim”), etimologicamente, “angústia”. Estado habitual daqueles que vivem por sua própria vontade humana. Mas está escrito profeticamente para os filhos da Divina Vontade: “e eles fugirão da tristeza e das lágrimas” (Is 35,10). E toda angústia com eles. Viveremos entre as imensas alegrias e felicidades que o divino Fiat dá aos seus filhos (não só para a Sagrada Família durante a fuga), a terra sentir-se-á feliz ao pisotear os nossos passos, o sol a nos beijar, o vento a nos acariciar, o chuva para banhar, os pássaros para nos animar com seus ruidos e músicas … Vamos viver inundados e cercados pelo Divino “eu te amo” e com a intenção de recebê-lo,

A alma:

Doce mãe, como te agradeço, que me faz entender o grande mal da vontade humana! Portanto, peço-lhe, pela dor que sofreu no exílio do Egito, para fazer a minha alma sair do exílio da minha vontade e para me fazer repatriar para o querido lar da Divina Vontade.

Folha diária:

Hoje, para me honrar, você oferecerá suas ações unidas às minhas, em um ato de gratidão ao Santo Menino, pedindo-lhe para entrar no Egito do seu coração para transformar tudo na Vontade de Deus.

Jaculatória

Minha Mamãe, feche o pequeno Jesus no meu coração, para que eu reorganize tudo na Vontade Divina.

25º dia. A Rainha do Céu no Reino da Divina Vontade.
Nazaré, símbolo e realidade do Reino do divino Fiat. Vida oculta. O Confessor, fonte e canal perene dos bens de Jesus.

Preparação: Oração pra meditação:

Rainha Imaculada, minha Mãe celestial, venho de joelhos diante de seu colo materno para me abandonar em seus braços, para lhe pedir com os mais ardentes suspiros – neste mês consagrado a ti – a maior graça: que admita-me viver no Reino da Divina Vontade. Santa Mamãe, você que é a Rainha deste Reino, me aceita como seu(a) filho(a) para viver nele, para que ele não seja mais abandonado, mas povoado por seus(a) filhos)a). Portanto, Rainha soberana, a vós eu me confio, para que tu guies meus passos no Reino da Divina Vontade e, agarrado à vossa mão materna, tu guiarás todo meu ser, para que eu possa fazer vida perene na Vontade Divina. Você será minha mãe e como mãe eu faço a entrega da minha vontade para ti, para que eu possa trocá-la com a Vontade de Deus, e assim posso ter certeza de não deixar o Reino Dele. Portanto, eu oro para que vós me ilumine para me fazer entender o que significa “Vontade de Deus”.
(Ave Maria)

Folha do mês (todos os dias do mês de maio): De manhã, ao meio dia e à tarde, três vezes por dia, ajoelhe-se em nossa Mãe Celestial e diga: “Minha Mamãe, eu te amo e você me ama e me dá um gole da vontade de Deus para minha alma; dê-me sua bênção para que eu possa fazer todas as minhas ações sob vossos olhos maternais “.. .

A alma para sua Rainha soberana: 

Doce mãe, aqui estou de novo perto de seu colo materno, onde vós estás junto com o menino Jesus, e a senhora está lhe dando carinho maternal, contando a Ele sua história de amor, e Jesus lhe fala Dele. Oh, que lindo é encontrar Jesus e a mãe que conversam um com o outro! E o ardor de seu amor é tão grande que a Mãe no Filho e o Filho na Mãe permanecem em silêncio, arrebatados. Mamãe Santíssima, não me ponha de lado, mas me abrace, para que, ouvindo o que você diz, eu aprenda a amar a mim mesma e sempre faça a mais Sagrada vontade de Deus.

Lição da Rainha Mãe: 

Querido(a) filho(a), oh, como eu esperava que você continuasse minha lição sobre o Reino que mais e mais estendeu em Mim o supremo Fiat. Agora, você deve saber que a pequena casa de Nazaré para mim, para o querido e doce Jesus e para São José era um paraíso. Meu(a) querido(a) Filho(a), sendo a  Palavra Eterna, possuía a Divina Vontade em si mesmo em virtude de sua própria; e imensos mares de luz, de santidade, de infinitas alegrias e belezas residiam naquela pequena Humanidade; e eu possuía a Vontade Divina pela graça, e embora eu não pudesse abraçar a imensidão como o amado Jesus – porque Ele era Deus e Homem, e eu sempre fui sua Criatura acabada – com tudo isso, o Fiat Divino me encheu tanto que Ele formou seus mares de luz, de santidade, de amor, de belezas e de felicidade em Mim, e foi tanta luz, amor e tudo aquilo que Ele pode possuir uma Divina Vontade que veio de nós, que São José permaneceu eclipsado, inundado e vivido por nossos reflexos.

Querido(a) filho(a), nesta casa de Nazaré, o Reino da Divina Vontade estava em pleno vigor. Cada pequeno ato nosso, isto é, trabalhar, acender o fogo, preparar a comida, foi todo animado pela Vontade Suprema e formado na firmeza da santidade do amor puro. Portanto, do menor ao maior ato nosso, brotaram alegrias, felicidade e imensas bem-aventuranças; e nós estávamos tão inundados que sentimos como se estivéssemos sob uma chuva de novas alegrias indescritíveis. Meu(a) filho(a), você deve saber que a vontade divina possui na natureza a fonte de alegrias; e quando Ela reina na criatura se deleita em dar em cada ato o novo ato contínuo de suas alegrias e felicidade. Oh, que feliz que fomos! Tudo era paz, uma grande união e sentíamos honrados em obedecer ao outro. Até meu querido Filho competiu porque Ele queria ser comandado em pequenos trabalhos por mim e pelo querido São José. Oh, como foi lindo vê-lo no ato de ajudar seu pai no prédio ou vê-lo levar comida! Mas quantos mares de graça fluíram naqueles atos para o bem das criaturas?

Agora, querido(a) filho(a), ouça-me: nesta casa de Nazaré, o Reino da Vontade Divina foi formado em sua Mãe e na Humanidade de meu Filho, para torná-lo um presente para a família humana, quando eles estariam dispostos a receber o bem deste Reino. . E embora meu Filho fosse rei e eu rainha, nós éramos rei e rainha sem um povo; nosso Reino, embora pudesse abranger a todos e dar vida a todos, estava desamparado, porque primeiro precisávamos de redenção, para preparar e dispor o homem para vir a esse Reino tão santo. Muito mais do que as criaturas receberam o direito de entrar neste Reino e serem possuídas por Mim e meu Filho, que pertencemos de acordo com a ordem humana à família humana, e em virtude do divino Fiat e do Verbo Encarnado para a Família Divina, a Divindade deixou as portas abertas para aqueles que queriam entrar. Por nossa vida oculta de longos anos serviu para preparar o Reino da Vontade Divina para as criaturas. É por isso que eu quero que você saiba o que este Fiat supremo trabalha em Mim, para que você esqueça sua vontade, e dando sua mão para sua Mãe, pode levá-lo aos bens que eu lhe preparei com tanto amor. Diga-me, filho(a) do meu coração, você vai me agradar e ao seu e meu querido Jesus, que com tanto amor esperam por você neste Reino tão sagrado para viver junto conosco para vivermos toda a Vontade Divina?

Agora, querido(a) filho(a), ouça o outro traço de amor que meu querido Jesus me deu nesta casa de Nazaré: Ele fez de mim o repositório de toda a sua vida. Deus, quando faz um trabalho, não o deixa em suspenso, nem no vazio, mas sempre procura uma criatura em que descansar de toda a sua obra; caso contrário, passaria o perigo de que Deus expusesse suas obras à inutilidade, o que Ele não pode ser. Portanto, meu querido Filho colocou em Mim suas obras, suas palavras, suas dores, tudo; até que a sua respiração se depositou em sua mãe. E quando, tendo se retirado para o nosso pequeno quarto, Ele tomou sua doce voz e me contou todos os Evangelhos que Ele tinha que pregar ao público, os Sacramentos que Ele tinha que estabelecer, Ele me confiou tudo, e colocando tudo em Mim, me constituiu um canal e uma fonte perene, porque Sua vida e todas as suas posses tinham que sair de Mim para todas as criaturas. Oh, quão rico e feliz me senti ao ouvir tudo isso depurado em mim, que meu querido filho Jesus fez! A Vontade Divina que reinou em Mim deu-me o espaço para poder receber tudo, e Jesus sentiu-se dando à sua Mãe o retorno do amor, da glória da grande obra da redenção. O que eu não recebi de Deus, porque eu nunca fiz a minha vontade, mas sempre a Dele! Até a própria vida de meu Filho, estava à minha disposição; e enquanto Ele sempre permaneceu em Mim, eu pude equilibrá-lo para dar àqueles que me pediram com amor.

Agora, meu(a) filho(a), uma palavra para você. Se você sempre fizer a Vontade Divina e nunca a sua, e você viver nela, eu, sua Mamãe, faço o depósito de todos os bens do meu Filho em sua alma. Oh, que sorte você sentirá! Você terá à sua disposição uma vida divina que lhe dará tudo; e eu, fazendo de você uma verdadeira mãe, guarde-me para que esta vida cresça em você e você forme o Reino da Vontade Divina.

Pontos de Meditação:

  1. ” Você terá à sua disposição uma vida divina que lhe dará tudo “. É necessário refletir bem sobre a grandeza e absoluta excelência do caminho dourado, maravilhoso e único da Vontade Divina e realizar as portas da felicidade absoluta – mesmo terrena – que se abre. A Vontade Divina, como ela bem sabia, como Nossa Senhora viveu e explica, é um tesouro que nos permite viver o Paraíso previsto na terra. Uma felicidade que, como já vimos, não significa nada sem cruz e sofrimento, mas é também júbilo acima de tudo, neles (na cruz e no sofrimento). É a realização de nós que mesmo crentes verdadeiros, convertidos, aqueles que são sérios com sua fé, tentam realizar esforços sinceros e grandes com os seus (os de Cristo), obtendo alguns pequenos resultados, algumas pequenas vitórias e, depois, implacavelmente recuando devido à miséria e fraqueza da condição humana. Aqui está disponível uma vida divina, que só precisa ir buscar e aprender a viver. É outra dimensão, outro mundo, outra história. Temos à nossa disposição uma VIDA DIVINA, a possibilidade de nos tornarmos “possuidores da vontade divina” e verdadeiros amigos íntimos de Deus, repositórios dos dons e confidências Dele e de Nossa Senhora, para viver um Paraíso antecipado na terra, para deificar cada mínimo de nossos atos … Já não acolhê-lo, não tentar entendê-lo e não vive-lo parece simplesmente inconcebível e absurdo …

2. “Nazaré era um paraíso”. Qualquer um que aceite o presente pode escrever, no lugar de Nazaré, a cidade onde mora. Seja qual for e em qualquer condição, estado de vida ou situação, e onde é localizado. E pode também ser um lugar dramático ou até humanamente desesperado. Quando se acolhe o dom da Vontade Divina, vive-se sob o reflexo de imensas luzes, imensas alegrias, infinitas belezas, verdadeira santidade … Quando se entra no reino da Divina Vontade, se redescobre a beleza e o gosto de um intenso, profundo e até vida prolongada de oração … sente-se uma leveza nunca sentida, um sabor, uma imensa alegria, percebe-se a proximidade da Madona, sente-se o infinito amor de Deus e pode ser visto em toda parte … não mais medo, angústia, agitação … permanece literalmente eclipsado, como foi a família de Nazaré, que após voltar do Exílio do Egito, estrangeiro, distante, voltar para casa será sempre visto como paraíso, e ainda mais, no contexto da vida na Divina Vontade, como viviam Jesus e Maria, e São José refletindo Neles.

3. ” Em Nazaré plena força do Reino da Divina Vontade”. “Do menor ao maior ato nosso, alegria, felicidade, imensas bem-aventuranças surgiram” … Aqui não é uma questão de conversa, mas de experiência vivida … que, apesar de ter empreendido essa jornada e de fazer essas meditações, não vive na alegria, na felicidade e em êxtase é porque ele ainda não pisou em sua própria vontade, que continua a dominá-lo totalmente e, ao fazê-lo, escolhe render-se à perpétua tortura de viver de sua própria vontade … A santidade mais elevada do Reino da Divina Vontade, como diz Nossa Senhora (“Firmeza da santidade do amor puro”); é viver de puro amor e amar … Viver sob um dilúvio contínuo, uma chuva torrencial de novas alegrias e conteúdo indescritível … Assim é … e todos os gestos mínimos da nossa vida cotidiana (mesmo as involuntárias e irrefletidas, como a respiração).

4. “ A Vontade Divina possui NA NATUREZA a fonte das alegrias “ … E quando reina na criatura, se deleita em entregar em cada um de seus atos o novo ato contínuo de suas alegrias e felicidade. Deus é perfeitamente feliz em si mesmo precisamente por causa da Vontade Divina, porque são atos voluntários, mesmo para nós, que causam reações de alegria ou tristeza. Portanto, aqueles que vivem juntos não podem nem sempre ser alegres. Devido o egoísmo contínuo da vontade humana. Que em vez de fazer perguntas ou objeções. Seria muito sábio fazer pelo menos um teste de viver agradecidos pela vida de cada um ao nosso lado… Jesus e Maria eles viveram 30 anos em Nazaré para formar, escondendo, o povo dos filhos da Divina Vontade, para não permanecerem Soberanos sem um povo. O tempo do público começou, na revelação desses mistérios  por S. Luisa e a partir desse momento, começar a se espalhar nos corações que desejam acolher essa Graça! E sacuda a angústia do Egito para viver na alegria mística de Nazaré …

5. ” Se entrarmos no reino da vontade divina, podemos esperar tudo de Deus como um presente “. Para Maria que vivia totalmente em absoluta obediência ao supremo Fiat, a Trindade não escondeu nada e a Palavra Eterna (Verbo Divino) se Encarnou todos os seus segredos do que seria sua vida, todas as obras que faria, só porque na Divina Maria houve o Fiat para poder receber tudo …  para hoje revelar às criaturas em qual pode encerrar e descansar DE TODO O SEU TRABALHO, entretanto, naqueles que se abrem ao Dom do Fiat Divino ou não para quem não aceitá-lo adequadamente, auto-impedindo tanta graça e alegria … Sabemos que esta é a condição essencial do homem: o livre arbítrio, que Deus respeita de uma maneira soberana e absoluta. Embora, de certo modo misterioso mas verdadeiro, Ele “sofra” ao ver a criatura perto de seus dons e se privar em suas escolhas livres, de recebê-las e apreciá-las, como um pai que vê o filho tolo desistindo dos bens da família, para viver como um sem-teto. O coração do homem é tão estranho e misterioso: um abismo. Vamos nos apressar para pronunciar (e acima de tudo começar a viver) o nosso “FIAT”, a fim de não perder a extraordinária e excepcional oportunidade de começar a viver o Paraíso na Terra.

A alma: 

Santa Mãe, eu me abandono em seus braços. Eu sou sua filhinha(o) que sente a extrema necessidade de seu cuidado maternal. Peço-te: toma esta minha vontade e fecha-a no teu coração e não a devolva a mim, para que eu seja feliz em viver sempre da Vontade Divina; então vou contentar você e meu querido Jesus.

Folha diária:

Hoje, para me honrar, você virá visitar três na casa de Nazaré, para honrar a Sagrada Família, recitando três Pai Nossos, Ave Marias e Glória, rezando para que admitamos que você viva entre nós.

Jaculatória:

Jesus, Maria e José, me coloque junto com vocês para viver no Reino da Vontade do Deus

Vigésimo sexto dia. 

A Rainha do Céu no Reino de Vontade Divina A hora da dor se aproxima.
Separação dolorosa. Jesus em sua vida pública e apostólica

 

Preparação: Oração pra meditação:

Rainha Imaculada, minha Mãe celestial, venho de joelhos diante de seu colo materno para me abandonar em seus braços, para lhe pedir com os mais ardentes suspiros – neste mês consagrado a ti – a maior graça: que admita-me viver no Reino da Divina Vontade. Santa Mamãe, você que é a Rainha deste Reino, me aceita como seu(a) filho(a) para viver nele, para que ele não seja mais abandonado, mas povoado por seus(a) filhos)a). Portanto, Rainha soberana, a vós eu me confio, para que tu guies meus passos no Reino da Divina Vontade e, agarrado à vossa mão materna, tu guiarás todo meu ser, para que eu possa fazer vida perene na Vontade Divina. Você será minha mãe e como mãe eu faço a entrega da minha vontade para ti, para que eu possa trocá-la com a Vontade de Deus, e assim posso ter certeza de não deixar o Reino Dele. Portanto, eu oro para que vós me ilumine para me fazer entender o que significa “Vontade de Deus”.

 (Ave Maria)

Folha do mês (todos os dias do mês de maio): De manhã, ao meio dia e à tarde, três vezes por dia, ajoelhe-se em nossa Mãe Celestial e diga: “Minha Mamãe, eu te amo e você me ama e me dá um gole da vontade de Deus para minha alma; dê-me sua bênção para que eu possa fazer todas as minhas ações sob vossos olhos maternais “.. .

A alma para sua Mãe Celestial: 

Aqui estou eu de novo, minha Rainha mãe. Hoje o meu amor como filha(o) em relação a ti faz-me correr para ser espectador, quando o meu doce Jesus, separando-se de mim, faz o caminho para formar a sua vida apostólica no meio das criaturas. Santa Mamãe, sei que você sofrerá muito; cada momento de separação com Jesus lhe custará a vida, e eu, sua(o) filha(o), não a deixarei em paz; Quero secar suas lágrimas e, com minha companhia, quero quebrar sua solidão; e enquanto estivermos juntos, vocês continuarão a me dar suas lindas lições sobre a Vontade Divina.

Lição da Rainha do Céu:

Minha(o) querida(o) filha(o), sua companhia será muito bem-vinda, porque sentir em você o primeiro presente que Jesus me deu: um presente formado de puro amor produzido por Ele e meu sacrifício, um presente que me custará a vida de Meu filho. Agora preste atenção em mim e me escute. Escute, minha(o) filha(o), para sua mãe uma vida de dor começa, de solidão e longas separações do meu Supremo Bem, Jesus, a vida oculta acabou, e Ele sente a necessidade irresistível de o amor sair em público, ser conhecido e buscar o homem perdido no labirinto de sua vontade, nas garras de todos os males. Caro São José já estava morto. Jesus foi embora e eu permaneci sozinha na pequena casa. Quando o meu amado Jesus me pediu obediência para sair – porque Ele nunca fez nada antes que Ele não me dissesse – senti o estrondo no meu coração, mas sabendo que esta era a vontade suprema, eu imediatamente disse meu Fiat, não hesitei um instante, e com o meu filho Fiat e o meu nos separamos. No calor do nosso amor, Ele me abençoou e me deixou. Eu o acompanhei com o meu olhar o máximo que pude, e depois me retirei, me abandonei para aquela Vontade Divina que era a minha vida. Mas, oh poder do Divino Fiat, esta santa Vontade me fez nunca perder de vista meu Filho, nem Ele me perdeu, ao invés disso eu senti seu batimento cardíaco no meu e Jesus sentiu o meu no Dele.

Minha(o) querida(o) filha(o), eu recebi meu Filho da Divina Vontade, e o que esta santa Vontade dá não está sujeito a terminar ou ser separado; seus dons são permanentes e eternos. Então meu Filho era meu, ninguém poderia tirar isso de mim, nem morte, nem dor, nem separação, porque a Vontade Divina me dera. Então nossa separação era aparente, mas na realidade nós fomos fundidos juntos. Muito mais do que uma foi a vontade que nos animou. Como poderíamos nos separar?

Agora, você deve saber que a luz da Vontade Divina me fez ver quão mal e com quanta ingratidão eles trataram meu Filho. Seu passo se voltou para Jerusalém; sua primeira visita foi ao templo sagrado, onde começou a série de sua pregação. Mas ai, dor! Sua palavra cheia de vida, portadora de paz, amor e ordem, foi mal interpretada e mal ouvida, especialmente pelos sábios daqueles tempos! E quando meu Filho disse que era o Filho de Deus, a Palavra do Pai, que veio para salvá-los, eles o desejaram tão mal que, com sua aparência furiosa, queriam devorá-lo. Oh, como meu amado sofreu, Jesus! Sua palavra criativa rejeitada o fez sentir a morte que eles deram à sua palavra divina, e eu era toda a atenção, todos os olhos olhando para aquele coração divino que estava sangrando e eu ofereci a Ele meu coração maternal para receber as mesmas feridas, para confortá-lo e dar-lhe um apoio no ato que estava prestes a sucumbir. Oh, quantas vezes, depois de quebrar sua palavra, eu o vi esquecido por todos, sem que ninguém lhe oferecesse um descanso, sozinho, fora dos muros da cidade, ao ar livre, sob a abóbada do céu estrelado, repousando sobre uma árvore chorando, rezando pela salvação de todos. E eu, sua mamãe, querida(o) filha(o), da minha pequena casa choramos juntos e, à luz do Divino Fiat, enviei-lhe minhas lágrimas para o refrescar, meus castos abraços e meus beijos para o seu conforto. Portanto, meu amado Filho, ao ver-se rejeitado pelos grandes, pelos eruditos, não parou e nem poderia parar; seu amor correu, porque Ele queria almas. Então, cercou-se dos pobres, dos aflitos, dos doentes, dos aleijados, dos cegos, dos possessos e sofredores de muitos outros males, cujo essas pobres criaturas eram oprimidas; pelos muitos males que produziram sua vontade humana. E o querido Jesus curou a todos, consolou e ensinou a todos. Então Ele se tornou o amigo, o pai, o médico, o professor dos pobres.

Minha(o) filha(o), podemos dizer que foram os pobres pastores que com suas visitas o receberam no nascimento, e são os pobres que o seguem nos últimos anos de sua vida até a morte Dele. Porque os pobres, os ignorantes, são mais simples, menos apegados ao seu julgamento e, portanto, são os mais favorecidos, os mais abençoados e os queridinhos do meu querido Filho; tanto, que Ele escolhe pescadores pobres para serem os apóstolos, como colunas da futura Igreja.

Agora, querida(o) filha(o), se eu quisesse dizer-lhe o que eu trabalhei e sofri com meu Filho, e com Ele, nestes três anos de sua vida pública, eu estaria relaxando demais. No Fiat nós não nos separamos, ficamos juntos, e o Fiat me deu força Ele para fazer o sacrifício. O que eu recomendo para você é que em tudo que você pode fazer e sofrer, o divino Fiat é seu primeiro e último ato. Assim, você encontrará força para tudo, mesmo nas dores que lhe custam a vida, se você fechar tudo no eterno Fiat. Portanto, dê a palavra à sua mãe, que você sempre se encontrará na vontade Divina. Então você também sentirá a inseparabilidade de sua Mamãe e do nosso maior Bem: Jesus.

PONTOS DE MEDITAÇÃO
clique e veja o video meditação

  1. ” Paralelos surpreendentes “. Antes de mergulhar nesta nova maravilhosa e divina meditação, é bom destacar a perfeita harmonia que existe entre essas meditações e os escritos da mística italiana Maria Valtorta. Alguns detalhes relativos à despedida entre Jesus e Maria, com referência ao início da vida pública, são idênticos. Como, por exemplo, o detalhe da Madonna que fixa Jesus no ato de caminhar até que Ele desapareça de seus olhos no horizonte. Idêntico !!! A cena da partida de Jesus de Nazaré narrada por Valtorta é realmente linda e comovente e mostra o quanto a Madona aqui diz e explica. “Ele estava saindo e eu estava sozinha na casinha” … São José já estava morto … Tudo 100% verdadeiro …

2. “O valor nunca suficientemente compreendido da obediência“. Esse detalhe é extremamente surpreendente. Jesus pede a sua mãe “a obediência para sair” !!! Muita necessidade de refletir sobre a importância formidável da obediência, que nos salva da ruína de nossa vontade e em cuja importância pouco se reflete. É muito importante colocar nossas ações sob o selo da obediência e seria altamente recomendável encontrar um pai espiritual santo a quem submeter nossas escolhas livres tanto quanto possível, de modo a não cair nos labirintos mortais da nossa vontade, nas armadilhas do amor-próprio, na ilusão de fazer a Vontade Divina quando fazemos sempre e somente a nossa, às vezes até nas coisas mais sagradas e abençoadas. E mesmo quando você não tem alguém para obedecer no sentido estrito, ou você não quer se colocar sob estrita obediência, é sempre muito bom e aconselhável, pelo menos, pedir conselhos prudentes. Se não a um pai espiritual, ou ao seu confessor de confiança, pelo menos antes de fazer escolhas significativas. Deve ser sempre lembrado que a obediência é a única virtude que o diabo não pode e Ele não sabe simular: todos os outros podem ser simulados por Ele, infelizmente também a humildade e a caridade, mas nunca obediência. É demais para Ele. Ele não sabe e não pode fazer isso. Não se objetar que, como se sabe, às vezes durante alguns exorcismos ele é forçado a dizer a verdade. Sim, é assim, mas não o faz por obediência, mas precisamente porque forçado pela Onipotência Divina a que ninguém, nem mesmo ele, pode resistir. A obediência é um ato livre e voluntário, que nos mantém a salvo do perigo nefasto e mortal da NOSSA vontade humana e nos aproxima muito do reino da vontade divina e do supremo FIAT. A ruína da humanidade, como sabemos, veio de uma coisa muito simples: não obedeceu a Deus.

E o reino do supremo FIAT nada mais é que uma uniformação ABSOLUTA à Vontade Divina, tal como nunca a abandonar, matando a nossa vontade … Devemos obediência a Deus e à sua Igreja, isto é aos nossos legítimos superiores, membros da Hierarquia Sagrada ( o papa, nosso bispo, nosso pároco, quem ele coloca diante de nós agora, aqueles que são nossos coordenadores, responsáveis, representantes etc). Sem nunca menos ousar falta de honra, respeito filial e obediência. Nem criticar, reclamar e murmurar. Reiteremos que, livremente, também se pode confiar na obediência de um prudente e sábio diretor espiritual, ser ainda mais confiante e tranqüilo em conceder o mínimo possível à nossa infernal vontade humana; essa coisa pode fazer em vários níveis (todos dependentes do livre arbítrio daqueles que pedem obediência, porque cabe a ele decidir se vai obedecer), mesmo formulando um voto privado de obediência ao pai espiritual (depois de muita oração, consciência do que somos, os meios disponíveis e o consentimento do próprio pai espiritual) … Nós podemos, mas não devemos, é claro … Mas se nós não entendemos que apenas a nossa vontade nos arruína e que todo o significado e importância deste caminho de ouro é fazê-lo morrer e enterrá-lo sem Nunca permitir que ele se levante novamente, você está apenas perdendo tempo. Talvez desfrutando de meditações tão elevadas e edificantes, mas se elas não alcançam esse efeito primordial e prioritário, elas fazem pouco bem. Nossa Senhora deu com dor, mas com firme resolução a Jesus a obediência para sair, porque ela sabia que tal era a vontade suprema, que assim o Fiat Supremo tinha decretado … e quando isto é assim, isto deve ser feito, custe o que custar …

3. ” Se alguém obedece a Deus, não perde nada “. As considerações que a Madonna faz do fato de que, apesar de ter que enfrentar a separação material de Jesus, ela nunca perdeu a fusão com Ele, incluindo a possibilidade de ver ou ouvir à distância o que Ele fez e viu … É espetacular e também a EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS que fornece: “ciente que esta santa vontade não está sujeita a terminar ou sujeitar a separação: seus dons são permanentes e eternos “. Verdade linda e muito consoladora! Isso deve nos levar a não ter medo ou hesitação em dizer qualquer sim ao Altíssimo, sabendo que não é sua intenção tirar nada de nós, ou nos privar de alguma coisa, mas sempre nos preencher com Ele. E nesse sentido nós não apenas aceitamos, mas Acolhamos com amor e alegria tudo o que Ele nos envia e dispõe … Aqui está o segredo da calma imperturbável e da alegria eterna … E é por isso que São Luís escreve sobre os servos e escravos de Maria: “Eles serão nuvens trovejantes e nuvens voadoras no ar”. Menor fôlego do Espírito Santo; sem se apegar a nada, sem se maravilhar com nada, sem sentir dor, espalharão a chuva da Palavra de Deus e da vida eterna “. Deixe que estas palavras sejam cuidadosamente meditadas. Muitas pessoas se aborrecem e semeiam desordem, e discordância sob o pretexto – que não está totalmente claro no ar – de uma atual situação delicada da Igreja. Tudo bem fazer isso? Deus quer reagir assim? NÃO !!! Deus tem tudo sob controle e Deus permitiu tudo e o Imaculado Coração de Maria triunfará. Além disso, junto com as sombras, pela graça de Deus ainda existem muitas fontes de luz, que precisam ser vistas, reconhecidas e aceitas. E o que deve ser feito então? O que Padre Pio disse: “SANTIFICADO E SANCTIFIAS!” E é isso !!! Vida de graça, oração, sacramentos, observância dos mandamentos, testemunho integral da vida cristã, sacrifício, penitência e reparação; e obediência total a todos os ministros sagrados da Igreja. Isso precisa ser feito. E mais nada. O uso que muitas pessoas fazem das redes sociais hoje é o mais vergonhoso e repulsivo que podemos ser e responderemos diante de Deus: polêmicas, discussões, proclamações, poeira, inúteis espaços de rastreamento, atirando em tudo e em todos, incluindo nas hierarquias superiores da Igreja, completas com nomes e sobrenomes. Lembre-se de você não apenas não fazê-lo, mas também de não participar, cooperar ou, pior, aconselhar tais ações. A mídia social deve ser apenas uma vitrine para compartilhar o bom e edificante treinamento e oração católicos.Considerar que não só, não nos é autorizado a fazê-lo, Deus nos salve e nos liberte de tudo, mas também Deus fica honrado com divinas missões de louvor para proteger e servir a verdade. E é isso. A Igreja nunca será destruída nem entrará em colapso, não por causa das ações desordenadas e pecaminosas dos defensores da verdade e justiça, não por causa da inquietação ou imprudência daqueles que só vêem o mal e em toda parte, não por imprudentes proclamações fora do lugar, mas pela promessa de Cristo em sua estabilidade para a plena realização de que somente nossa profunda, contínua e confiante oração coopera, junto com nossos sacrifícios, nosso amor, nossas boas obras, nossa fidelidade à verdade, ao Magistério, à doutrina e aos escritos dos santos. e para nossa obediência! E é isso!

4. ” O amor da mãe a Jesus “. “Da minha casinha, eu chorei junto e, à luz do divino Fiat, enviei-lhe minhas lágrimas para o refrescar, meus castos abraços e meus beijos para o seu conforto.” Vamos nos perguntar algo imediatamente. Temos com Jesus e Maria um relacionamento tão terno, íntimo, inflamado de amor, que também se externaliza em gestos secretos, mas constantes de amor, delicadezas, momentos de oração íntima, palavras de afeição, amor, oferendas? Estamos conscientes de como é santificante uma vida deste tipo? E quanta segurança você dá? Quando existe isto, a alma imediatamente deixa de procurar consolações humanas, paliativas, comiserações, mesmo (se não acima de tudo) dos sacerdotes de quem procuramos. Que eles não devem e não podem dar: meramente consolo humano! O que ofende muito a Deus! Quando movemos o eixo do nosso amor para o Céu, a relação com o sacerdote também muda, o que não é mais (apenas) um ombro sobre o qual chorar (pelo amor de Deus, também deve ser isso!). Mas um meio que nos faz crescer na união com Deus sozinhos e como tal é “usado”. Não para mais nada. É também necessário compreender a importância da fidelidade às pequenas flores e jaculatórias, que são a expressão e implementação (certamente não única, mas importante) desta canção de amor ininterrupta e que não deve ser desprezada ou (pior) ridicularizada como se fosse algo de pouca conta ou um exercício devoto adequado para beatas idosas(os)! Nosso coração deve ser continuamente fundido em uma profunda canção de amor, que deve antes de tudo voltar-se para eles! Para Jesus e Maria! O primeiro mandamento é amar a Deus com todo o coração !!! A verdadeira devoção, escreveu São Luís entre outras coisas, é : “Uma verdadeira devoção tenra, isto é, cheia de confiança na Santíssima Virgem, como a de uma criança para com sua boa mãe. Isso faz com que uma alma se volte para Maria e para todas as suas necessidades, de corpo e espírito, com grande simplicidade, confiança e ternura; em todo momento, em todo lugar e por tudo, a alma invoca a ajuda de sua boa Mãe: em dúvidas, para ser iluminada; na perda, para encontrar o caminho novamente; nas tentações, para ser sustentado; nas fraquezas, para ser revigorado; nas quedas, para ser levantado; em desânimo, para ser encorajada; em escrúpulos, para se libertar de si mesmo e do mal; nas cruzes, nos trabalhos e retrocessos da vida, para ser consolado. Em todos os tipos de males, corpo e espírito, Maria é a sua ajuda comum, sem medo de que esta boa Mãe se sinta perturbada, ou que Jesus Cristo lamente “(Tratado de verdadeira devoção, n. 107). Ternura, portanto, acima de tudo para com a nossa mãe! Ela está sempre conosco, a todo momento. Mesmo aqueles que são casados ​​devem crescer nessas disposições, evitando, assim, sobrecarregar o marido ou a esposa, buscando nele aquela Consolação e aquele Amor imenso que só o Céu pode suportar. e sabe como doar. Só a Divina Maria é capaz de nos fazer voar, sempre e em tudo! E só nela devemos buscar amor, força, refúgio, coragem e consolo! Não em criaturas, por mais santos que eles sejam (ou pensam que são)! É necessário ser ardente no Espírito, ter puro e ardente amor contínuo e profundo por você e por Jesus! E você experimentará a força invencível e a felicidade indescritível que só eles dão …

5. “ Somente os pobres recebem o presente “. Isso era verdade nos tempos da vida pública de Jesus, é verdade hoje, é bem verdade para aqueles que recebem o Dom do Divino Fiat. Só os pobres o acolhem plena e perfeitamente. Não apenas os pobres de bens materiais humanos (embora freqüentemente é de grande ajuda), mas os pobres da cultura humana e sobretudo os pobres de espírito, que são os humildes, aqueles que estão abertos às surpresas e iniciativas de Deus e não raciocinam segundo a vontade humana, mas segundo Deus (porque não é isso não devemos pensar, mas devemos aprender a raciocinar bem). E mesmo se alguém fosse rico (de bens, cultura, amizades, consolações humanas) é necessário se despir pelo menos internamente (e, pelo menos em parte, também externamente) e abrir-se totalmente às surpresas divinas. É muito difícil abandonar as próprias idéias, aceitando mudá-las e humildemente reconhecendo, se for o caso, que se cometeu um erro, por mais que tenha sido bom pensar ou agir. É muito mais importante e delicado do que você pensa. Também é muito útil pedir humildemente ajuda e ouvir as advertências e correções que, providencialmente, nos vêm.

A alma :

Doce mãe, como tenho pena de ver você sofrer tanto! Por favor, suas lágrimas e as de Jesus, despeje-as em minha alma, para a arrumar e feche-a no divino Fiat.

Folha Diária:

Hoje, para me honrar, você me dará todos os seus sofrimentos na companhia da minha solidão, e em cada dor você colocará um “eu te amo” para Mim e seu Jesus, para consertar aqueles que não querem ouvir os ensinamentos de Jesus.

Jaculatória :

Mãe Divina, sua palavra, a de Jesus, desce ao meu coração e forma em mim o Reino da Vontade Divina.

  Vigésimo sétimo dia.

 A Rainha do Céu no Reino da Divina Vontade. 

A hora da tristeza soa: a paixão. Um Deicide.

O grito de toda natureza 

Preparação: Oração pra meditação:

Rainha Imaculada, minha Mãe celestial, venho de joelhos diante de seu colo materno para me abandonar em seus braços, para lhe pedir com os mais ardentes suspiros – neste mês consagrado a ti – a maior graça: que admita-me viver no Reino da Divina Vontade. Santa Mamãe, você que é a Rainha deste Reino, me aceita como seu(a) filho(a) para viver nele, para que ele não seja mais abandonado, mas povoado por seus(a) filhos)a). Portanto, Rainha soberana, a vós eu me confio, para que tu guies meus passos no Reino da Divina Vontade e, agarrado à vossa mão materna, tu guiarás todo meu ser, para que eu possa fazer vida perene na Vontade Divina. Você será minha mãe e como mãe eu faço a entrega da minha vontade para ti, para que eu possa trocá-la com a Vontade de Deus, e assim posso ter certeza de não deixar o Reino Dele. Portanto, eu oro para que vós me ilumine para me fazer entender o que significa “Vontade de Deus”.

  (Ave Maria)

Folha do mês (todos os dias do mês de maio): De manhã, ao meio dia e à tarde, três vezes por dia, ajoelhe-se em nossa Mãe Celestial e diga: “Minha Mamãe, eu te amo e você me ama e me dá um gole da vontade de Deus para minha alma; dê-me sua bênção para que eu possa fazer todas as minhas ações sob vossos olhos maternais “.. .

A alma para a sua Mãe Dolorosa: 

Minha querida e triste Mãe, hoje, mais do que nunca, sinto a necessidade irresistível de estar perto de ti. Não, não me mova do seu lado, para ser um espectador de suas amargas dores e pergunte a si mesmo, como uma(o) filha(o), a graça que coloca em mim suas tristezas e as de seu Filho Jesus, e até sua própria morte, para que sua morte e suas dores me dê, a graça de me fazer continuamente morrer minha vontade, e acima disso me fazer ressuscitar para a vida da Vontade Divina.

Lição da Rainha das Dores: 

Querida(o) filha(o), não me negue a sua companhia em grande parte da minha amargura. A divindade já decretou o último dia do meu filho aqui embaixo. Já um apóstolo o traiu, entregando-o nas mãos dos judeus para fazê-lo morrer. Já meu querido Filho, dando em excesso de amor e não querendo deixar seus filhos, que veio buscar a terra, com tanto amor, deixa-se no Sacramento da Eucaristia, para que quem assim o desejar possa possuí-lo. Então a vida do meu Filho está prestes a terminar e está prestes a voar para a sua pátria celestial. Ah, querida(o) filha(o), o Divino Fiat me deu, e eu recebi no Divino Fiat, e agora no mesmo Fiat eu o entrego. Meu coração está atormentado; mares imensos de dor me inundam; Eu sinto que a vida me falha por causa do espasmo atroz. Mas eu não podia negar nada ao divino Fiat; de fato, Eu me senti disposta a sacrificá-lo com minhas próprias mãos, se Ele quisesse. A força da vontade divina é onipotente; e senti tanta força em virtude disso que me contentaria em morrer em vez de negar qualquer coisa à Vontade Divina.

Agora, minha(o) filha(o), ouça-me: meu coração materno está afogado de dores; Só de pensar que meu filho deve morrer por mim, meu Deus, minha vida, é mais do que a morte para sua mãe; no entanto, sei que devo viver. Que tormento! Que lacunas profundas são formadas em meu coração, que, como espadas afiadas, me afastam! E, ainda assim, querida(o) filha(o), me dói dizer isso, mas tenho que lhe dizer: nessas dores e profundos cortes e nas dores do meu amado Filho havia sua alma, sua vontade humana, que, por não ser dominado por Deus, nós a cobrimos com dores, a embalsamamos, fortalecemos com nossas dores, para que você estivesse pronta para receber a vida da Vontade Divina.

Ah, se o divino Fiat não me tivesse apoiado e não tivesse continuado o seu curso, dos infinitos mares de luz, de alegria, de felicidade junto aos mares das minhas amargas dores, eu teria morrido tantas vezes por quantos sofrimentos sofri pelo meu querido filho! Oh, como me senti atormentada, quando a última vez que Ele se mostrou pálido, com uma tristeza de morte no rosto, e com uma voz trêmula, como se quisesse soluçar, Ele me disse: ” Mãe, adeus! Abençoe o seu Filho, e me dê obediência para morrer. Meu e seu divino Fiat me fez concebido, e meu e seu divino Fiat deve me fazer morrer. Em breve, ó mãe querida, pronuncia o teu Fiat e diz-me: abençoo-te e dou-te a obediência para morrer crucificado! Isso é o que a vontade eterna quer, então eu também quero. Minha(o) filha(o), que acidente no meu coração trespassado! No entanto, eu tinha que dizer isso, porque em nós não havia penalidades forçadas, mas todas elas voluntárias. Por outro lado, abençoamos um ao outro e nos entregamos àquele olhar que não sabe mais separar-se do objeto amado, meu querido Filho, minha doce vida, e eu, sua triste mãe, permaneci; mas o olho da minha alma nunca perdeu da vista Dele. Eu o segui até o jardim, em sua terrível agonia, e oh, como eu sangrei o coração ao vê-lo abandonado por todos e também dos seus mais fiéis e queridos apóstolos! Minha(o) filha(o), o abandono dos entes queridos é uma das maiores dores do coração humano nas horas tempestuosas da vida, especialmente para o meu Filho, que os amou e os beneficiou tanto, e que estava dando a vida por aqueles os mesmos que já o haviam abandonado nas horas extremas de sua vida, na verdade fugiram! Que dor, que dor! E eu, vendo-o suar sangue, agonizando, estava agonizando junto e apoiando-o em meus braços maternos. Eu era inseparável do meu filho; suas dores se refletiram em meu coração liquefeito de dor e amor, e eu as senti mais do que se fossem minhas. Então eu o segui a noite toda. Não houve dor ou acusação que o fez não ressoar em meu coração. Mas ao amanhecer da manhã, incapaz de poder fazer mais por Ele, acompanhada pelo discípulo João, pela Madalena e por outras mulheres piedosas, eu queria segui-lo passo a passo, de uma corte para outra, até mesmo corporalmente. Minha(o) querida(o) filha(o), senti o rugido das surras que choveu no corpo nu do meu Filho; Ouvi as piadas, o riso satânico e os golpes que lhe deram sobre a cabeça no ato de coroá-lo com espinhos. Eu o vi quando Pilatos mostrou Ele às pessoas desfigurado e irreconhecível; Mantive meus ouvidos surdos do ” Crucificai-O, Crucifica-o!”Eu o vi carregar a cruz em seus ombros, exausto, sem fôlego; e eu, incapaz de suportar, corri para lhe dar o último abraço e enxuguei o rosto todo molhado de sangue. Não havia misericórdia para nós. Os soldados cruéis rasgaram-no com cordas e o soltaram pendurado pelos pregos. Querida(o) filha(o), que pena dolorosa por não poder ajudar meu querido Filho em tantos sofrimentos! Portanto, toda dor abriu um mar de dor no meu coração perfurado. Finalmente, eu o segui até o Calvário, onde, em meio a inauditas penalidades e horríveis contorções, Ele foi crucificado e morto na cruz; e então me permitiram ficar ao pé da cruz, receber de seus lábios moribundos o dom de todos os meus filhos e o direito e selo de minha maternidade a todas as criaturas. E logo depois, em meio a espasmos sem precedentes espirituais. Toda a natureza ficou de luto e chorou pela morte de seu Criador. O sol chorou, escureceu e recuou horrorizado da face da terra. Ele chorou a terra com um forte tremor, rasgando em vários pontos pela dor da morte de seu Criador. Todos gritaram: os sepultamentos com a abertura de túmulos, mortos ressuscitaram e também o véu do templo chorou de dor quando se rasgou ao meio. Todos perderam a paciência e sentiram terror e medo, minha(o) filha(o), e sua mãe ficou petrificada pela dor, esperando por Ele em meus braços para fechá-lo no sepulcro. Agora, me escute na minha dor intensa: quero falar com as dores do meu Filho dos males graves da sua vontade humana. Olhe isso, nos meus braços doloridos, como está desfigurado! É o retrato verdadeiro dos males que a vontade humana faz às pobres criaturas. E meu querido filho queria sofrer tantas dores para levantar esta vontade caída ao fundo de todas as misérias; e toda dor de Jesus e toda minha dor a(o) chamam para ressurgir na Vontade Divina. Foi tanto o nosso amor que, para assegurar esta vontade Divina, nós a(o) enchemos com as nossas dores, a ponto de afogá-la e fechá-la nos imensos mares das minhas tristezas e do meu amado Filho. Portanto, neste dia de tristezas por sua mãe triste, e tudo por vocês meus filhos(as), me dê por sua reciprocidade em minhas mãos a sua vontade humana, para que eu possa fechá-la nas feridas sangrentas de Jesus.

Pontos de Meditação: 

clique aqui video da meditação


  1. ” O poder da vontade divina é onipotente
    “. É muito difícil comentar sobre esta meditação, isto é, acrescentar algo à obra-prima que envolveu a Madona contando os eventos aterrorizantes que a envolveram na primeira pessoa … Apenas alguns sublinhados. Primeiro de tudo, a história, mais uma vez, é quase comparável a literatura da história da S. Maria Valtorta, incluindo a cena de despedida entre Jesus e Maria antes do Getsêmani, cena do mais doloroso Fiat divino … e aqui encontramos uma estupenda verdade: a força da Divina Vontade é onipotente, de modo que não só a Divina Maria a deu mas também acrescenta que ela teria sido capaz de sacrificá-lo com suas próprias mãos (como o Pai Abraão chegou a fazer também, e Isaac foi polpado por Deus), se tal fosse a vontade do Altíssimo. É por isso que, se abraçarmos este caminho de luz absoluta, sempre diremos a Deus “sim”, sem negar nada a Ele. A união com o supremo Fiat nos tornará capazes de tudo, para que possamos participar do poder da onipotência divina. Qualquer pedido. Para qualquer renúncia. Em qualquer sacrifício. Mesmo antes da Divina Vontade aparecer, estaremos prontos para dizer nosso “FIAT”! Sempre e a qualquer custo.

2. ” O decreto da morte crucificada “. Depois da obediência de partir para a vida pública, a obediência do morrer crucificado … e aqui devemos voltar a refletir sobre a importância da obediência … esses detalhes são completamente novos, verdadeiras pérolas reveladas pela Madona nestas meditações de ouro: ” Dê-me a obediência para morrer … o Fiat divino me fez ser concebido e meu e seu divino Fiat deve me fazer morrer”. Observe a MOTIVAÇÃO: “não houve penalidades forçadas em nós, mas TODOS OS VOLUNTÁRIOS !!!”. Isso é Deus! Sem obrigação, sem pressão, sem chantagem, sem violência, sem imposição, sem forçar … Liberdade soberana e perpétua que se realiza ao dizer incessantemente, mas livremente, o supremo FIAT à Vontade Divina. E mesmo a obediência não é uma restrição ou perda de liberdade, mas seu exercício SUPREMO E LIBERTANTE. São Tiago, o primo terreno de Jesus, em sua carta fala de uma aparente contradição em termos: LEI DE LIBERDADE. Como pode ser uma lei (que de fato, como uma lei obriga) “liberdade”? A liberdade não consiste na possibilidade de fazer o que se quer sem qualquer obrigação? NÃO! A verdadeira liberdade é saber mover a vontade somente para o bem, voluntariamente conhecida, recebida com alegria e livremente colocada em prática. “Quem quer que fixe seu olhar na lei perfeita, a lei da liberdade, e permaneça fiel a ela, não como ouvinte esquecido, mas como alguém que a coloca em prática, encontrará sua felicidade em praticá-la” (Tiago 1:25). A liberdade encontra-se totalmente sujeita ao divino FIAT, isto é, à vontade divina. E sua felicidade em praticá-lo. Aqui está o significado profundo dessa expressão … aqui está !!!!! Deus tem filhos livres, NÃO ESCRAVOS. Sem sentenças forçadas, mas todas voluntárias!

3. ” O abandono dos entes queridos”. Nossa Senhora faz clara referência ao estado de abandono em que Jesus veio a encontrar-se durante a Paixão, devido à traição de Judas, a negação de Pedro e a fuga dos apóstolos. Penso que este sofrimento é uma das coisas mais lancinantes que podemos experimentar … E penso no quanto Jesus e Maria poderiam ter sofrido, que sofreram tal abandono sem de modo algum tê-los provocado, nem causado nem, pelo menos em parte, merecido, quase sempre acontece nos abandonos que sofremos, que não somos santos e inocentes como Jesus e Maria … É por isso que é obra da maior misericórdia espiritual: consolar os aflitos e aproximar-se daqueles que sofrem. É verdade que todos nós devemos aprender a nos unir com o divino Fiat e aceitar essa inevitável solidão que se sente quando se está diante do “meu” teste. Que “eu” tenho que enfrentar e outros não podem fazer isso por mim. Mas o encorajamento, a ajuda e o conforto de amigos verdadeiros não podem e nunca devem faltar. A maturidade de uma autêntica comunidade cristã (de uma paróquia, de um movimento, de um grupo eclesial) consiste precisamente em levar a fraternidade e a comunhão cristãs (já nem sempre, infelizmente, garantidas) ao grau de amizade. Não foi talvez o nosso mestre dizer e querer? “Eu já não te chamo servos, mas te chamei AMIGOS”. Em primeiro lugar, os amigos Dele e de Maria, mas também amigos um do outro. Verdadeiros. Sinceros. Com a modalidade fundamental da pura amizade que é a suprema liberdade deixada ao amigo, com a ausência de pretensões, de expectativas, de laços e vínculos … amizade com Deus, que faz de Jesus e Maria, realmente (e não falar) seus melhores amigos, seus íntimos e confidentes, aqueles a quem tudo é falado, a quem se confia com confiança, a quem se abre o coração e confia em tudo sem medo, todo pensamento, emoção, todo sentimento … e a amizade em Deus entre os irmãos, sempre prontos a dissolver as velas da proximidade humana, mesmo de maneira extrema (com a morte), quando isto deveria ser chamado de SUPREMO FIAT. E fazendo isso com alegria também.

4. ” A tragédia do Gólgota e a dor de Nossa Senhora e a criação “. Essa é uma cena a ser contemplada sem pesar as palavras humanas … Pois é necessário perceber a dor da criação … E lembrar que a união, mesmo com a criação, vem apenas da fusão total com a VONTADE DIVINA … Nenhuma criatura podemos nos opor ou nos prejudicar, se nos encontrarmos fundidos no divino FIAT, a menos que haja um decreto explícito e diferente do próprio FIAT. Nesse sentido, todos os infortúnios, catástrofes, males de todos os tipos (coletivos ou pessoais) não são de todo “punições” divinas ou mesmo “punições”, se essa palavra (usada na Sagrada Escritura) não faz sentido, muito preciso, circunscrito e determinado: de fato, essas coisas nada mais são do que a reflexão e a conseqüência de um estado (talvez antigo, mas que em qualquer caso existiu) de desunião da Vontade Divina e de um reino da vontade humana: e portanto seu salário! , com a nossa vontade humana de nos preparar para sofrimentos e tribulações inauditas e insuportáveis! Além disso, é o próprio São Paulo quem escreve: “o salário do pecado é a morte” (Rm 6:23). Isso realmente faz com que a vontade humana: a revolta, a revolta, quase uma espécie de “vingança” da criação, que é indissoluvelmente e perpetuamente unida pela Vontade Divina da qual saiu e da qual é mantida e que se volta contra o único homem desobediente: o homem … No entanto, imediatamente depois, o próprio apóstolo acrescenta: “mas o dom de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus nosso Senhor”. Quem recebe o Dom da Vontade Divina começa a desfrutar da alegria plena da vida eterna …

5. “ O retrato da vontade humana”.Agora é necessário contemplar Jesus à imagem da Pietà … e nos espelhar nEle: é assim que os condenados ficam reduzidos … nas torturas inauditas da Paixão? São aqueles que nos damos todos os dias com a nossa vontade (torturas) … Sendo desfigurados para se tornarem monstros? Idem … As atrozes dores e espinhos infligidos no coração do nosso Divino Salvador e da nossa Dolorosa Rainha, são causados ​​apenas por nossa abominável, repugnante e maldita vontade humana … SAI DE NÓS! Todo horror absoluto !!!!!!! Quem vive por sua própria vontade verdadeiramente se compadece! E nós vemos tão bem que nenhum artifício consegue esconder ou mascarar esse estado deplorável, traído por olhares, movimentos, palavras, tudo … Devemos ter apenas um objetivo: fazê-la morrer. Crucificar a nossa vontade humana. De modo a nunca deixa-la reviver. Nesse caso, é ser definitivamente carbonizada dentro do Fiat Divino. E sair ressuscitada somente na Divina Vontade.

6. ” Se o divino Fiat não tivesse me apoiado e não tivesse continuado seu curso dos infinitos mares de luz, de alegria, de felicidade ao lado dos mares de minhas amargas dores, eu teria morrido muitas vezes por quantos sofrimentos meu querido filho sofreu”. Concluímos com esta declaração da Divina Maria, da qual teremos que nos tornar testemunhas. Na verdade, o teste e a tribulação experimentada na Divina Vontade, vai se comportar nesse emaranhado misterioso e inseparável de um mar de tristeza, juntou aos mares de luz, alegria e felicidade … Um(a) filho(a) da Divina Vontade, na verdade, vive em comunhão ininterrupta de amor com Deus, nunca mais perdê-lo, mesmo quando algum momento passageiro de desolação ou aridez ocorreu. Esta é a sua força secreta e invencível. A alegria que dá consciência de obedecer às mais sagradas ordens do supremo FIAT é aquela que, como disse nosso Mestre, “ninguém jamais pode tirar de nós”. Está pronto e preparado para quem quiser. Quando não havia, a motivação é sempre dolorosamente a mesma: estamos vivendo pela vontade humana. E nela não há alegria, mas somente escuridão.

 A alma: 

Minha mãe triste, suas palavras feriram meu coração, e eu me sinto morrendo pela vontade de sentir que foi a minha vontade rebelde que fez você sofrer tanto. Portanto, eu oro para que você me feche nas feridas de Jesus, para viver de suas dores e de suas amargas dores.

 Folha diária:

Hoje, para me honrar, você beijará as feridas de Jesus dizendo cinco atos de amor, rezando para que minhas tristezas selem sua vontade na abertura de sua sagrada chaga do coração.

 Jaculatória:

As feridas de Jesus e as tristezas de minha mãe me dão a graça de fazer ressurgir minha vontade na Vontade de Deus.

28 dias. 

A Rainha do Céu no Reino da Divina Vontade. 

O Limbo. A expectativa. Vitória sobre a morte. A ressurreição 

Preparação: Oração pra meditação:

Rainha Imaculada, minha Mãe celestial, venho de joelhos diante de seu colo materno para me abandonar em seus braços, para lhe pedir com os mais ardentes suspiros – neste mês consagrado a ti – a maior graça: que admita-me viver no Reino da Divina Vontade. Santa Mamãe, você que é a Rainha deste Reino, me aceita como seu(a) filho(a) para viver nele, para que ele não seja mais abandonado, mas povoado por seus(a) filhos)a). Portanto, Rainha soberana, a vós eu me confio, para que tu guies meus passos no Reino da Divina Vontade e, agarrado à vossa mão materna, tu guiarás todo meu ser, para que eu possa fazer vida perene na Vontade Divina. Você será minha mãe e como mãe eu faço a entrega da minha vontade para ti, para que eu possa trocá-la com a Vontade de Deus, e assim posso ter certeza de não deixar o Reino Dele. Portanto, eu oro para que vós me ilumine para me fazer entender o que significa “Vontade de Deus”.
(Ave Maria)

Folha do mês (todos os dias do mês de maio): De manhã, ao meio dia e à tarde, três vezes por dia, ajoelhe-se em nossa Mãe Celestial e diga: “Minha Mamãe, eu te amo e você me ama e me dá um gole da vontade de Deus para minha alma; dê-me sua bênção para que eu possa fazer todas as minhas ações sob vossos olhos maternais “.. .

A alma para sua Mãe-Rainha: 

Mãe trespassada, sua(o) filhinha(o), vendo-te sozinha sem o amado Bom Jesus, quero manter-me perto de ti, para lhe fazer companhia em sua amarga desolação. Sem Jesus, todas as coisas se transformam em dor para ti. A lembrança das dores do seu filho, são de partir o coração, a doce som de sua voz, que ainda ressoa em sua audição, o olhar fascinante do querido Jesus, agora ausente, que deixa agora inchado os teus, de lágrimas, por seu coração materno que sempre o carregou consigo, para não mais tê-lo agora, essas dores são espadas afiadas que passam pelo seu coração perfurado. Mãe desolada, sua(o) querida(o) filha(o) quer lhe dar um alívio, por toda essa dor. De fato, eu gostaria de ser Jesus para lhe dar todo o amor, todo o conforto, e compaixão que o próprio Jesus teria lhe dado neste estado de amarga desolação. O doce Jesus me deu a ti como filha(o); Por favor, Ponha-me no lugar dele em seu coração maternal, e serei toda(o) tua(o) minha mamãe, enxugarei suas lágrimas e lhe farei sempre companhia.

Lição da Rainha e Mãe Desolada:

Queridos(a) filhos(a), obrigada pela sua companhia; mas se você quer que sua companhia seja doce e querida para mim e me traga alívio para o meu coração trespassado, quero encontrar em você a vontade Divina operando, dominante e que não ceda à sua vontade nem mesmo um sopro de vida. Então sim, eu vou trocar você com meu Filho Jesus, porque de acordo com a Sua Vontade em você, Nele você sentirá Jesus em seu coração; e oh, como Ele será feliz em encontrar em você o primeiro fruto de suas dores e sua morte. Ao encontrar meu amado Jesus em vocês meus(a) filhos(a), minhas dores se transformarão em alegrias e minhas tristezas em conquistas.

Agora, ouça-me, filhos(a) das minhas tristezas. Assim que meu querido filho entrou em espírito, Ele desceu ao Limbo como o triunfante e portador da glória e felicidade, naquela prisão onde estavam todos os Patriarcas e Profetas, o primeiro pai Adão, meu querido São José e meus santos pais, e todos aqueles que, em virtude dos esperados méritos do futuro Redentor, foram salvos. Eu era inseparável do meu Filho, e nem a morte poderia tirar isso de mim. Então, no calor de minhas tristezas, eu o segui ao Limbo e fui espectadora da festa, dos agradecimentos, que toda aquela grande multidão de pessoas deu ao meu Filho, que tanto sofreu e cujo primeiro passo foi em direção a eles, para beatificá-los e trazê-los, consigo na glória celestial. Então, quando Ele morreu, as conquistas começaram, a glória para Jesus e para todos aqueles que o amavam. Este, queridos(a) filhos(a), é um símbolo de como, quando a criatura a faz morrer com a união da Vontade Divina, as conquistas começam na ordem divina, na glória, na alegria, mesmo no meio das maiores dores. Portanto, a despeito do fato de que os olhos de minha alma seguissem meu Filho e nunca o perdesse de vista, mesmo naqueles três dias em que Ele foi sepultado, senti tanta ansiedade ao vê-lo ressuscitado, que repetia em meu ardor de amor: ” Levanta-te a minha glória, levanta-te a minha vida! Meus desejos eram ardentes, meus suspiros de fogo, até que me senti consumida.

Agora, nessas ansiedades, vi que meu querido Filho, acompanhado por aquela grande multidão de pessoas, saiu do Limbo em um ato de triunfo e se elevou ao sepulcro. Era o amanhecer do terceiro dia e, como toda a natureza chorava por Ele, agora ela se regozijava, tanto que o sol antecipou seu curso para estar presente no ato em que meu Filho ressuscitou. Mas, admira, antes de Ele ressuscitar, Ele mostrou àquela multidão de pessoas sua Santíssima humanidade sangrando, ferido, desfigurado, como foi reduzido por seu amor e pelo bem de todos. Todos se comoveram e admiraram os excessos do amor e o grande presságio da Redenção. Agora, meus(o) filhos(a), oh, como eu gostaria que você estivesse presente no momento em que a Divina Vontade ressuscitou meu filho! Ele era todo majestoso; sua Divindade unida à sua alma fez surgir mares de luz e beleza encantadoras, para encher o céu e a terra, e como triunfo, fazendo uso de seu poder, Ele comandou sua humanidade morta, para receber sua alma novamente e ressuscitar triunfalmente e glorioso para a vida imortal. Que ato solene! Meu querido Jesus triunfou sobre a morte dizendo: “Morte, você não será mais a morte, mas a vida!”Com este ato de triunfo, Ele colocou o selo que era Homem e Deus, e com a sua ressurreição, Ele confirmou sua doutrina, os milagres, a vida dos sacramentos e toda a vida da Igreja, e não só, mas Ele deu o triunfo sobre as vontades do humano enfraquecido e quase extinto do verdadeiro bem, para fazer triunfar a vida dessa Divina Vontade, que deveria trazer às criaturas a plenitude da Santidade e de todos os bens; e ao mesmo tempo Ele lançou nos corpos, em virtude de sua ressurreição, a semente de ascender à glória imperecível. Meus(a) filhos(a), a ressurreição do meu Filho encerra tudo, diz tudo, confirma tudo, e é o ato mais solene que Ele fez por amor às criaturas.

Agora me escutem, meus(a) filhos(a); Eu quero falar com vocês da mãe que ama muito os(a) filhos(a). Eu quero lhes dizer o que significa fazer a Vontade Divina e viver por ela, e nós damos a você o exemplo, meu Filho e eu. Nossa vida estava repleta de dores, com pobreza, com humilhações, a ponto de ver meu amado Filho morrer de dor, mas em tudo o que a Divina Vontade corria. Foi a vida de nossas dores, e nos sentimos triunfantes e conquistadores, de transformar a própria morte em vida. Tanto que, ao ver o grande bem, nós voluntariamente nos comprometemos a sofrer, porque estando em nós a Vontade Divina, ninguém poderia impor sobre ela ou sobre nós. O sofrimento estava em nosso poder chamamos isso de alimento e triunfo da Redenção, para poder trazer todo o bem para o mundo inteiro. Agora, queridas crianças, se as vossas vidas e as suas dores tiverem a Vontade Divina como seu centro das vossas vidas, assegurem-se de que o doce Jesus usarão vocês e suas dores para dar ajuda, luz e graça a todo o universo. Então, tome coragem; a Vontade Divina sabe como fazer grandes coisas onde reina, e em todas as circunstâncias espelhadas em Mim e em seu doce Jesus e segue em frente.

Pontos de Meditação: 

  1. ” Ninguém pode impor àqueles que vivem na Vontade Divina“. O coração e o ápice dessa maravilhosa meditação é a consideração dessa verdade maravilhosa e consoladora. Consideremos bem a grandeza desta vocação à luz das palavras do Apóstolo: “TUDO contribui para o bem dos que amam a Deus” (Rm 8,28). Estar sujeito a todos os tipos de mal e à ação devastadora e destrutiva do príncipe deste mundo, a serpente maligna e amaldiçoada, é algo possível e dura até que alguém entre no Reino da Vontade Divina. Depois desta entrada, devemos e podemos dizer com o nosso Rei Jesus: “ele (o príncipe do mundo) não tem mais poder sobre mim” (Jo 14:30) e nós podemos, com a nossa Rainha, esmagar o seu cabeça orgulhosa e soberba, sem qualquer piedade e sem qualquer hesitação, como aquele excesso de sujidade imunda e fétida que parece um vômito. Até que alguém entre nesse reino, seu poder maligno sobre nós, por causa do pecado original, nossos pecados atuais, nossas feridas, seus feitos terríveis, as impurezas e tantos outros fatores, são realmente grandes. Para ver os efeitos devastadores, tudo o que você precisa fazer é olhar em volta: doenças, infortúnios, reveses, maldades, separações, ódios, divisões e sofrimento (físico, psíquico, moral, espiritual, às vezes diabólico), inaudito em que eles negociam – sem saber por quê – tantas pobres almas, no auge do desespero, tristeza, depressão, ansiedade, medo, angústia e todas as outras emoções e sentimentos negativos. Quem vive na vontade divina não é que ele não sofra, de fato! Mas pode das suas feridas,  usar o mesmo poder que Maria disse: ¨chamamos isso de alimento e triunfo da Redenção, para poder trazer todo o bem para o mundo inteiro¨.Pode ter certeza de que o menor sofrimento NÃO é permitido apenas por Deus, como o salário correto pelo poder que a criatura deu a satanás (que a exerce atormentando-a porque ela mesma disse “amém” com o pecado), mas é QUERIDA por Deus, por ser meio de redimir, dar salvação a si e pra outras almas. E em união com a Vontade Divina, todo sofrimento se torna até mesmo gozo espiritual. É por isso que todas as dores de Jesus e Maria foram “ofertas voluntárias” (“voluntariamente nos submetemos a sofrer, porque a vontade divina em nós nos capacita, e ninguém poderia impor a ela ou a nós”) e estas devem ser nossas ofertas voluntárias hoje: porque eles se ofereceram livremente depois de conhecer os sofrimentos e decidiram recebê-los e vivê-los para a glória de Deus e a salvação das almas, sem nunca sofrer de forma irreparável e inexorável. Vamos entender como é importante oferecer e oferecer.

2. ” A descida ao Limbo “. Além de contemplar a beleza e encanto desta cena (também experimentada pela Divina Maria, por sua inseparabilidade, no supremo FIAT, dela e de Jesus), é necessário acolher e meditar na leitura alegórica que a própria Virgem dá. Quando Jesus morreu, suas conquistas e glória começaram. Assim, logo que fazemos a nossa vontade morrer, pela união com a Vontade Divina, grandes conquistas também começam para nós na ordem divina (isto é, muito grande, rápido, não difícil e perceptível progresso na santidade e acima de tudo na caridade), nós começamos a viver na verdadeira alegria (que se torna absolutamente imperdível e imperturbável, mesmo em lágrimas de dor !!!!) e antecipação de uma vida atual na glória futura! De fato, experimentamos a glória de sermos DOMINADORES de nós mesmos, receptores de graças contínuas e estrondosas, livres de sujeição a paixões satânicas e más, emoções ruins e assim por diante. Atenção: livre de sujeição para elas, apegos etc. Livre de sujeição a satanás, não isento de tentações ou, às vezes, divinamente permitido vexações. Mas é perfeitamente possível ganhar e dominar ambos. Uma vida completamente nova, absolutamente divina.

3. “A ressurreição”. O ato mais solene que Jesus fez é o começo de nossa futura ressurreição, mas também o motor de nossas ressurreições terrestres: a primeira e mais importante é aquela que ocorre em uma confissão geral bem feita; o maior que pode ocorrer é morrer para a nossa vontade humana e abrir o coração para o triunfo da Vontade Divina. Nesse momento, a luz flui na alma e no intelecto, juntamente com uma beleza absolutamente sobrenatural. E você se torna senhor, triunfante, vitorioso. O medo deixa de existir. Percebe-se o sentido da Onipotência Divina, da qual nos tornamos um determinado participante e cessa toda perturbação, angústia e preocupação possíveis. Mesmo se a terra estivesse tremendo! O caminho do divino FIAT é uma verdadeira caixa de Pandora, é a pedra filosofal que contém o segredo da felicidade até mesmo nesta terra! Aqueles que se fecham a esse dom ou são desencorajados pela dificuldade de entrar nele cometem um suicídio mortal e o maior (e talvez o menos perdoável) erro de suas vidas. Dos quais ele certamente será perguntado. *Nell’aureo manual preparado por Dom Paul Martin, “O Catecismo Divino”, lê-se, entre outras coisas, colocar essas palavras na boca de nosso Senhor Jesus Cristo: “Se eu dar uma alma a graça de conhecer o Divino.  A vontade é porque eu quero fazê-la viver “… ISSO, nada mais, é a coisa que nunca foi vista no planeta Terra, que todos gostariam, mas poucos encontram. Aberto a todos, sem qualquer preclusão (perda da oportunidade), certamente abençoado pela Santa Madre Igreja, que já abriu o processo de canonização do primeiro cidadão humano do Reino da Divina Vontade. Uma rua que atravessa a luz do sol, ao ar livre, ar fresco, uma forma que rejuvenesce a alma e dá asas … Mesmo a pena para aqueles que escolheu para ser avestruz ou galinha se dissolve na alegria de ver formando andorinhas águias e pombas … Tudo depende de como o livre vai receber e interagir com este Dom Divino. Lá, em nossa pátria, não há nada além de um canto contínuo de hinos de louvor à Vontade Divina e à Caridade, cuja manifestação é acima de tudo a liberdade deixada para as crianças “. Que a terra faça o bom uso e santo, que o Céu deseja …

4. ” Uma vida de dor, pobreza, humilhação na vontade divina “. Esta foi a vida terrena de Jesus, Maria e José, mas … atenção ao “mas”: “Em tudo havia a Vontade Divina que transformou a própria morte em vida”. Considere, por exemplo, a cena da Natividade … Em um estábulo fétido, escuro, sujo e apertado, êxtase? Mares de luz? Consolações inefáveis, alegria inexprimível ?… O que isso significa? Isso significa que quem vive na vontade divina aprenderá a desfrutar, divina e sobrenaturalmente, da cruz e na cruz, porque isso envolve a união com ela. Um prazer interior perpétuo (também nesta terra, um avanço muito verdadeiro dos prazeres extáticos da visão beatífica) que deriva da perfeita consonância com as Vontades Divinas. Isso nos faz lembrar bem e considerar e ajudar no exame correto da consciência: uma “queda” mínima do verdadeiro prazer interior significa que a vontade humana está nos comandando e assumindo o controle. Nós não estamos falando sobre quando tivemos que voltar a nos torturar, como escravos, de paixões ruins, emoções ruins, sentimentos ruins, vícios ou (horror!). Pecados. Todas as coisas para enterrar no dia do funeral da nossa vontade. Vamos decidir dar ao nosso testamento os últimos golpes mortais. E após a sua morte, não hesitamos em prosseguir (apenas para a vontade humana, não para qualquer outra coisa), para a cremação imediata. Isso desaparecerá para sempre sem nunca reaparecer. E nós podemos viver sofrendo e nos perdendo continuamente na Vontade Divina, pois é Amor! Amor incalculável… amor gratuíto, amor inegável, amor entrega infinita, amor que nunca se cansa, Amor que perdoa sempre, ensinando o outro a amar, amor que aceita dores por amar… por isso a Vontade Divina, é compreensível!!!

A alma:

Santa Mamãe, se você me ajudar e me manter sob o seu manto de defesa, agindo como uma sentinela celestial, tenho certeza de que todas as minhas dores se transformarão na vontade de Deus e lhe seguirão passo a passo nos caminhos intermináveis ​​do Supremo Fiat, porque sei que seu amor encantador de Mãe e seu poder vencerão a minha vontade, e ela se manterá em seu poder e tu a retirará de mim, fazendo a troca com Vontade Divina. Portanto, minha mãe, eu me confio a ti e em teus braços me abandono.

Folha diária:

Hoje, para me honrar, você dirá sete vezes: “Não a minha vontade, mas a sua seja feita”, oferecendo-
se às minhas tristezas, para pedir-me a graça, para que você sempre faça a vontade divina.

Jaculatoria:

Minha Mamãe, pela ressurreição do seu Filho, deixe-me levantar na vontade de Deus.

Vigésimo nono dia. 

A Rainha do Céu no Reino da Divina Vontade. A hora do triunfo. 

Aparições de Os fugitivos se amontoam ao redor da Virgem
como uma arca de salvação e perdão. Jesus sai para o céu. 

Preparação: Oração pra meditação:

Rainha Imaculada, minha Mãe celestial, venho de joelhos diante de seu colo materno para me abandonar em seus braços, para lhe pedir com os mais ardentes suspiros – neste mês consagrado a ti – a maior graça: que admita-me viver no Reino da Divina Vontade. Santa Mamãe, você que é a Rainha deste Reino, me aceita como seu(a) filho(a) para viver nele, para que ele não seja mais abandonado, mas povoado por seus(a) filhos)a). Portanto, Rainha soberana, a vós eu me confio, para que tu guies meus passos no Reino da Divina Vontade e, agarrado à vossa mão materna, tu guiarás todo meu ser, para que eu possa fazer vida perene na Vontade Divina. Você será minha mãe e como mãe eu faço a entrega da minha vontade para ti, para que eu possa trocá-la com a Vontade de Deus, e assim posso ter certeza de não deixar o Reino Dele. Portanto, eu oro para que vós me ilumine para me fazer entender o que significa “Vontade de Deus”.

   (Ave Maria)

Folha do mês (todos os dias do mês de maio): De manhã, ao meio dia e à tarde, três vezes por dia, ajoelhe-se em nossa Mãe Celestial e diga: “Minha Mamãe, eu te amo e você me ama e me dá um gole da vontade de Deus para minha alma; dê-me sua bênção para que eu possa fazer todas as minhas ações sob vossos olhos maternais “.. .

A alma para sua Mãe-Rainha: 

Mãe admirável, aqui estou outra vez de joelhos maternal, para me unir convosco na festa e no triunfo da ressurreição de nosso querido Jesus, como é bela sua aparência hoje, toda amável, toda doçura, toda alegria; Eu pareço ver você ressuscitada junto com Jesus Oh, santa Mãe, em tanta alegria e triunfo, não esqueça sua(o) filha(o). Pelo contrário, feche em minha alma a semente da Ressurreição de Jesus, para que em virtude dela, me eleve totalmente na Vontade Divina e eu viva sempre unida(o) a Ti e ao meu doce Jesus.

Lição da Rainha do Céu: 

Abençoada filha(o) do meu coração maternal, grande foi a minha alegria e o meu triunfo na Ressurreição do meu Filho; Eu me senti renascer e ressuscitar nele. Todas as minhas tristezas transformaram-se em alegrias e mares de graças, de luz, de amor, de perdão para as criaturas, e espalharam minha maternidade sobre todos os meus filhos(a), dados a mim por Jesus, com o selo de minhas tristezas .

Agora me escute, querida(o) filha(o). Você deve saber que depois da morte de meu filho eu me retirei para o cenáculo junto com meu amado João e Madalena. Mas meu coração permaneceu trespassado, pois somente João estava perto de mim e, em minha dor, eu disse: “E onde estão os outros apóstolos?” Mas assim sentiram que Jesus estava morto, tocado por graças especiais, todas movidas em tristeza e desolação, os fugitivos, um por um, vieram-se em torno a Mim, fazendo-me uma coroa e, com lágrimas e suspiros, pediram-me perdão, porque haviam abandonado tão covardemente o seu Mestre e fugido. Recebi-os maternalmente na arca de refúgio e salvação do meu Coração e assegurei-lhes todo o perdão do meu Filho, encorajei-os a não temer, disse-lhes que o seu destino estava nas minhas mãos, porque todos os tinham sido dadoa a mim para filhos e eu os reconheci como tal.

Abençoada(o) filha(o), você sabe que eu estava presente na ressurreição do meu filho, com meu coração. Esperando que o próprio Jesus se manifestasse, que se glorificasse e triunfasse. O primeiro que o viu ressuscitado foi a afortunada Madalena, depois as mulheres piedosas; e todos vieram a mim, dizendo que tinham visto o Jesus ressuscitado, que o sepulcro estava vazio; e eu escutei a todos e, num ar de triunfo, confirmei a todos na fé da ressurreição. Até a tarde quase todos os apóstolos O viram, e todos se sentiram triunfantes por terem sido apóstolos de Jesus. Que mudança de cenário, querida(o) filha(o): símbolo daqueles que primeiro se deixam dominar pela vontade humana, que é representada pelos apóstolos que eles fogem, eles abandonaram seu Mestre, (e é tanto medo e covardia, que eles se escondem, e Pedro vai tão longe a ponto de nega-lo ainda). Oh!

Agora, querida(o) filha(o), meu amado Filho Jesus permaneceu na terra quarenta dias. Freqüentemente Ele aparecia com frequência aos apóstolos e discípulos para confirmá-los na fé e certeza de sua ressurreição, e quando não estava com os apóstolos, permaneceu junto com sua mãe no cenáculo, cercado pelas almas que haviam saído do limbo. Mas, ao final dos quarenta dias, o amado Jesus ensinou os apóstolos e, deixando Sua Mãe como guia e mestre, prometeu-nos a descida do Espírito Santo; e abençoando a todos nós partimos, levantando vôo para a abóbada dos céus, junto com aquela grande multidão de pessoas que tinham saído do Limbo. Todos aqueles que eram, e eram em grande número, viram-no subir, mas quando Ele chegou No alto, uma nuvem de luz o tirou de minha vista. Agora, minha(o) filha(o), sua mãe o seguiu ao céu e testemunhou a grande festa da Ascensão. Muito mais que para mim a pátria celestial não era estrangeira, e então sem mim a festa do meu Filho ascendido no céu não teria sido completa.

Agora uma palavra para você, querida(o) filha(o). Tudo o que você ouviu e admirou, não era nada além do poder da Vontade Divina operando em Mim e em meu Filho. Por isso, eu amo tanto fechar em você a vida da Vontade Divina e da vida apóstolica, porque todo mundo a segura, mas a maioria a mantém sufocada; e enquanto ela podia trabalhar maravilhas de santidade, de graça e obras dignas de seu poder, ela é forçada por criaturas a se sentar com as mãos cruzadas sem poder realizar seu poder. Portanto, esteja atento e deixe que o céu da Divina Vontade se espalhe em você e trabalhe com seu poder, o que Ele quiser e como quiser.

Pontos de Meditação: 

  1. ” As coisas do passado passaram, novas nasceram “. Não é possível que a aurora da ressurreição apareça sem as dores da paixão e da morte. Não é possível que o novo homem se levante sem que o velho morra. Não é possível abraçar coisas novas sem enterrar as antigas … São Paulo diz: “De fato, agora considero uma perda diante da sublimidade do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor, pelo qual perdi todas essas coisas e as considero como lixo, para ganhar a Cristo “(Fil 3,8). Você pode Parafraseando esta sentença levemente, dizendo que antes do conhecimento sublime da Vontade Divina, tudo se torna perda se não for verdade para o lixo de alguém. As primeiras coisas passaram e saíram do sepulcro … uma nova vida nasce … da qual você pode provar imediatamente primorosos primores … uma nova manhã, uma nova jornada, uma nova jornada: a DIVINA VONTADE.

2. “À luz do sol “.Jesus ressuscitado mostra o mistério e mostra-se primeiro, claro, à sua querida Mãe, depois à Madalena e depois a todos em suas roupas novas … muito significativo foi o fato de ter sido visto pela primeira vez pela grande pecadora que, embora ainda tenha muito a purificar, tinha algo que é precioso e tem atraído e aspirado a Jesus para mostrar-se a ela primeiro: um amor louco. É minha convicção pessoal que o dom da Vontade Divina é feito pelo Céu e (acima de tudo) bem-vindo por aqueles que – apesar de terem cometido um erros, percorrido caminhos inseguros ou escorregadios – em ações, escolhas, desejos, pensamentos sempre foram guiados pelo amor sincero a Jesus e a Nossa Senhora, independentemente de quaisquer erros ou conflitos… e Jesus e a Divina Maria, a quem o coração olha, quando vêem e sentem o amor combinado com o sincero desejo de conhecê-los.

3. “ Fim do medo” . O medo é uma paixão e uma emoção muito pesada, que nos levam a preocupações com perigos reais ou presumidos iminentes, a se preocupar com o futuro que é percebido como incerto ou ameaçador, e que leva dor e preocupação por fatos que podem nunca acontecer. Na Vontade Divina não há espaço para o medo, mas apenas para a confiança e o abandono em Deus: Pedro e os apóstolos fugiram do medo, quando ainda eram escravos e sujeitos aos meandros escuros e opressivos da vontade humana. Depois de ver Jesus ressuscitado e ascendido ao Céu e receber o Espírito Santo, eles nunca teriam fugido, nunca mais teriam ficado perturbados, preocupados ou desesperados com qualquer coisa. Imergir-se na vontade divina transforma tudo: não se pode e não se deve ter medo se, como mencionado nas meditações anteriores, se “vive” (não apenas “se sabe”) o mistério que TUDO contribui para o bem daqueles que amam a Deus, o medo … não existe mais! E se permanece, significa que a vontade humana, como as cinzas do árabe feliz, de alguma forma recuperou a vida e se mantem em nós … será, portanto, necessário providenciar algum outro tiro pra refazer (melhor e mais solene) o funeral e a cremação … dessa vontade que insiste em permanecer se mexendo em seus restos e estercos.

4. “ Para fazer a vontade divina funcionar“. O último passo da meditação doada pela Mamãe Celestial é muito importante. Todos “seguram” a Vontade Divina (porque dela chegamos e nela, voluntariamente ou não, vivemos e trabalhamos), mas “a maioria a mantém sufocada”. Ou seja, eles não deixam que funcione em nós, sem oferecer resistência, com absoluto e pacífico abandono a TUDO, sem a menor perturbação, mas pelo contrário, rezam e desejam apenas que a Divina Vontade dê e obtenha pra eles o que querem … Nesse caso, aqui é quase a totalidade das miseráveis ​​vidas humanas), não encontrando o Fiat de resposta ao Supremo Fiat, a Vontade Divina permanece “de mãos postas, sem poder exercer seu poder”. E sobe na fumaça (e não é uma piada ou uma coisa trivial, é a realidade de quase todos os homens) uma vida muito grande de Graças e de verdadeira e sólida santidade, rica em “obras dignas de seu poder”: desperdiçada . O Espírito Santo abre mais nossos olhos e nos faz entender … o suficiente como as misérias e coisas mesquinhas … e se fazer de coitadinhos … o suficiente com a suas humanidades e apegos terrestres … que nunca os satisfazem! Escolha o quer ser?: uma bela andorinha, humilde e simples, que irradia radiantemente no anúncio da primavera e isso é possível para todos nós; uma pomba para quem pode e ele escolhe viver esta jornada também em absoluta pureza e castidade e que faz do amor absoluto (a Deus e a todos) sua única lei; uma águia, para aqueles que mergulham sem reservas e são ressuscitados, para alturas estonteantes, para a compreensão de altos mistérios, para uma grande união com Deus … Para alcançar estas alturas é essencial uma meditação e adoração diária e prolongada. diante do Santíssimo Sacramento, na companhia de Maria Santíssima, para o coração pronto e disposto a voar muito alto … Ou a morte: fim único do pecador obstinado.

A alma: 

Mãe Santíssima, suas lindas lições me fascinam e, oh, como desejo e suspiro a vida de trabalho da Vontade Divina em minha alma! Eu também quero ser inseparável do meu Jesus e de ti, minha mãe. Mas, para ter certeza disso, Eu devo assumir o compromisso de manter meu testamento fechado em seu Coração maternal e, apesar de ver que isso me custa muito, você nunca deve me devolve.lo. Só então estarei seguro(a); do contrário, sempre serão apenas palavras, mas os fatos nunca se farão . Então, sua filho(a) é recomendada para você e espero tudo de você.

Folha diária: 

Hoje, para me honrar, você fará três genuflexões no ato em que meu Filho ascendeu ao céu, e você orará a Ele, para que Ele faça você ascender para a Vontade Divina.

Jaculatória: 

Minha Mamãe, com o seu poder, triunfa na minha alma e deixa-me permanecer na Vontade de Deus.

30ª Dia

 A Rainha do Céu no Reino de Vontade Divina O Mestre dos Apóstolos,
assento e centro da Igreja nascente, barco de refúgio. A descida do Espírito Santo 

Preparação: Oração pra meditação:

Rainha Imaculada, minha Mãe celestial, venho de joelhos diante de seu colo materno para me abandonar em seus braços, para lhe pedir com os mais ardentes suspiros – neste mês consagrado a ti – a maior graça: que admita-me viver no Reino da Divina Vontade. Santa Mamãe, você que é a Rainha deste Reino, me aceita como seu(a) filho(a) para viver nele, para que ele não seja mais abandonado, mas povoado por seus(a) filhos)a). Portanto, Rainha soberana, a vós eu me confio, para que tu guies meus passos no Reino da Divina Vontade e, agarrado à vossa mão materna, tu guiarás todo meu ser, para que eu possa fazer vida perene na Vontade Divina. Você será minha mãe e como mãe eu faço a entrega da minha vontade para ti, para que eu possa trocá-la com a Vontade de Deus, e assim posso ter certeza de não deixar o Reino Dele. Portanto, eu oro para que vós me ilumine para me fazer entender o que significa “Vontade de Deus”.

 (Ave Maria)

Folha do mês (todos os dias do mês de maio): De manhã, ao meio dia e à tarde, três vezes por dia, ajoelhe-se em nossa Mãe Celestial e diga: “Minha Mamãe, eu te amo e você me ama e me dá um gole da vontade de Deus para minha alma; dê-me sua bênção para que eu possa fazer todas as minhas ações sob vossos olhos maternais “.. .

A alma para sua Mãe Celestial: 

Aqui estou eu novamente, soberana do céu. Eu me sinto tão atraída(o) por ti, que conto os minutos, esperando quando Vossa Alteza Suprema, me chama para me dar as belas surpresas de suas lições maternais. Seu amor maternal me arrebata, e meu coração se alegra em saber que tu me amas, e eu sinto toda a confiança que minha mãe me dará tanto amor e muita graça, a ponto de formar o doce encantamento à minha vontade humana, para que a Divina Vontade espalhe seus mares de luz em minha alma e porá o selo de seu Fiat em todos os meus atos. Oh santa Mãe, não me deixe mais em paz, e deixe o Espírito Santo descer em mim, para que eu queime o que não pertence à Vontade Divina.

Lição da Rainha do Céu:

Meu(a) filho(a) abençoado(a), suas palavras ecoam em meu coração e me sento tocada, eu despejo em você os meus mares de graça. Oh, como eles correm em direção a meu(a) filho(a), para te dar a vida da Vontade Divina. Se você for fiel a mim, não deixarei mais você . Estarei sempre com você para lhe dar em cada ato, palavra, batimentos cardíacos seus: a comida da Vontade Divina.

Agora me escute, meu(a) filho(a). Nosso Supremo Bom Jesus subiu ao céu e está diante de seu Pai celestial para implorar por seus filhos e irmãos deixados na terra. Ele, da pátria celestial, olha para todos, ninguém lhe escapa; e é tanto seu amor que Ele deixa sua mamãe ainda na terra por conforto, ajuda e treinamento e companhia para seus filhos. Agora você deve saber que, quando meu Filho foi para o céu, continuei a estar junto com os apóstolos no cenáculo, esperando pelo Espírito Santo. Todos se apertaram perto de mim, oramos juntos; eles não fizeram nada sem o meu conselho. E quando tomei a palavra para instruí-los e dizer alguma colocação de meu Filho, que eles não conheciam, como por exemplo, as particularidades de seu nascimento, suas lágrimas infantis, seus traços amorosos, dele mesmo com os apóstolos, reservando-me a tarefa de deixá-los saber o quanto os amou e as particularidades que só sua mãe conhecia. Então, meu(a) filho(a), eu estava entre os meus apóstolos mais do que o sol do dia; e eu era a âncora, o leme, o barco onde eles encontraram o abrigo para ficarem seguros e defenderem-se de todos os perigos. Portanto, posso dizer que dei à luz a Igreja nascente de meu seio, e meus braços foram o barco no qual a guiei até um porto seguro e ainda a dirijo.

Então chegou a hora em que veio o Espírito Santo prometido pelo meu Filho no Cenáculo. Que transformação, meu(a) filho(a)! À medida que foram investidos, adquiriram nova ciência, fortaleza invencível, amor ardente; uma nova vida fluía neles, o que os tornava destemidos e corajosos, de modo que eles estavam divididos em todo o mundo para tornar a Redenção conhecida e colocar suas vidas para o seu Mestre; e permaneci com meu amado João e fui forçado a deixar Jerusalém, para começar a tempestade da perseguição.

Meu(a) querido(a) filho(a), você deve saber que ainda continuo meu Magistério na Igreja: não há nada que não siga sem Mim; Eu posso dizer: eles me dissecaram por causa dos meus filhos e eu os alimento com o leite da minha maternidade. Agora, nestes tempos, quero mostrar um amor mais especial, deixando as pessoas saberem como minha vida inteira foi formada no Reino da Vontade Divina. Por isso vos chamo de joelhos, diante de meus braços maternos, para que, fazendo de vós um barco, permaneçam seguros de viver no mar da vontade divina. Maior graça eu não poderia fazer você. Por favor, por favor sou sua mamãe! Venha e viva neste Reino tão santo! E quando você ver que sua vontade gostaria de ter um pouco de vida, venha e refugie-se no barco seguro de meus braços, me dizendo: “Minha Mamãe, minha vontade quer me trair, e eu me dou para você, para que coloque em seu lugar a Vontade Divina ”. Oh, quão feliz ficarei se eu puder dizer: ” Meu(a) filho(a) é todo(a) meu(a), porque vive da vontade divina”. E eu derrubo o Espírito Santo em sua alma, para que Ele queime o que é humano com sua respiração, refrigerando os impérios acima de você e você se confirme na Vontade Divina.

Pontos de Meditação: 

  1. ” O guardião dos segredos do Altíssimo, Mãe e Mestre da Igreja“. Esta meditação é para nos fazer entender que a nossa vida interior é acima de tudo a possibilidade de viver no reino da Divina Vontade, e depende de duas coisas: estar perpetuamente no colo da Divina Maria para sermos instruídos por Ela e pedir que nós permaneçamos incessantemente ligados ao Seu Santíssimo e Abençoado Seio para sermos nutridos por Ela. Somente com a mais pura e saudável Doutrina, segura e sagrada, sem sombras de trevas, risco de envenenamento, perigos de se deparar com caminhos íngremes e agitados. E para que no Seio Santíssimo suguemos apenas o Leite puro da Vontade Divina, para não saber mais nada, nem mais nada para fazer, nem pensar. Na verdade tudo é inerente à consagração do Totus Tuus e constitui sua essência e significado profundo. A consagração e a vida do Totus Tuus na Vontade Divina referem-se umas à outra e se complementam. Não é apenas uma questão de sinais e práticas externas, que não constituem a essência ou a coisa mais importante, mas de se tornar uma “fusão” completa com a Madonna, vivendo em um estado de união habitual (do comum, não místico) com ela, não fazendo nada fora do olhar dela ou sem ela.

    2. ” Só Nossa Senhora sabe tudo sobre Jesus 
    “. Esse detalhe parece muito evidente a partir dessa meditação e do que se faz durante a novena de Pentecostes. O próprio Jesus queria que esse fosse assim. Portanto, para ser totalmente forjado em Jesus, encha-se Dele, conheça seu profundo pensamento, a quintessência de sua Doutrina e também – se o Céu assim desejar – seus segredos, de que devemos viver no no colo da Divina Maria e nos apegar ao Seu Santíssimo Leite, dia e noite, 24 horas”, sem nunca sair. Precisamos “respirar” Maria incessantemente, nunca remover o coração ou a mente do pensamento dela e de amor ininterrupto a ela. Viva, com calma (sem ansiedade!), tudo para este propósito: as jaculatórias do amor, as uniões internas e contínuas (em todos as o que fazemos) para a vontade divina (que está nela e que é ela!), os olhares de amor para suas estátuas e imagens, os beijos para o rosário, aos pés de suas estátuas, para suas imagens, para segurar a coroa do amor em sua mão, olhando para a cadeia de consagração com amor e alegria, lembrando a única coisa que importa: que a nossa vontade esteja ligada à Dela. Ela nos instruirá e nos guiará em tudo e faremos grandes progressos e avançaremos em pouco tempo, destacando-se um vôo incontrolável em direção aos picos de santidade de onde, como deve ser, os pobres da terra parecerão tão pequenos e miseráveis. Você terá grande compaixão por quase toda a raça humana, que vive sob o pesado jugo da escravidão da vontade humana (começando com as pessoas mais próximas a nós) e orará ao Senhor (“deixe o seu reino vir, faça sua vontade ”) que essas pessoas pobres sejam libertadas de uma condição tão triste e miserável. Nunca qualquer julgamento, nem aspereza ou desprezo, somente muita misericórdia vigilante e ativa, para arrancar algumas das trevas e levá-las a viver na luz do Sol Divino. Mas acima de tudo, sentiremos essa alegria profunda e a paz imperturbável, essa leveza e serenidade interior que são os sinais da presença renovada da Divina Maria e da Divina Vontade em nossa alma.

3. ” A especialidade de Nossa Senhora é a Vontade Divina” . “Agora, nestes tempos, quero mostrar um amor mais especial, deixando as pessoas saberem como minha vida inteira foi formada no Reino da Vontade Divina. Por isso eu te chamo de joelhos” .Não há ninguém como especialista neste assunto como a Divina Maria. Ninguém. E tenha cuidado: “Maior graça eu não poderia fazer por você”. Este mês recebemos a revelação e explicação da maior Graça que Nossa Senhora poderia fazer para nós! A maior! Nós entendemos? Juntamente com seus muitos pedidos para fazê-la feliz, aceitando viver neste reino tão sagrado. É um presente para o qual é necessário responder, depois de ponderar e preparar-se adequadamente, com o “FIAT” pessoal. O dia da consagração à Vontade Divina deve ser o ponto de virada, o ponto em que a página gira, a divisão definitiva e essencial entre “antes e depois”. Para realizar a consagração à Vontade Divina não é necessário já estar completamente fundida com Ela, mas é necessário ter decidido que, a partir de agora, por TODA A VIDA, nós ocuparemos todas as nossas energias internas nisto: ser um com o SUPREMO FIAT em tudo. NO CUSTO DE QUALQUER SACRIFÍCIO. Sem qualquer objeção ou repensar ou negar. Ver uma pessoa que fez da consagração a Vontade Divina cair nas profundezas das misérias, das pequenas coisas e da maldade odiosa da vontade humana, é um espetáculo que é tão doloroso e devastador como sempre e que não pode, pois entristece imensamente o Coração da Rainha do Reino da Divina Vontade. É melhor esperar e adiar em vez de cair tão baixo. Já muitos, infelizmente, realizam a consagração do Totus Tuus com extrema leveza, deslumbrados apenas pelos sinais externos que implica e sem um mínimo de interioridade. O mesmo triste espetáculo não acontece com a consagração à Vontade Divina, cujo “lema” requer uma pequena e leve paráfrase daquilo que São Paulo (com razão) escreveu: “Não quero saber outra coisa senão Jesus Cristo e a cruz” ( Cf 1Cor 2,2). Para nós, a frase será: “Eu não quero saber outra coisa senão a Vontade Divina, guiada e instruída aos Joelhos de Maria Santíssima e presos (as) ao seu Peito. Eu não quero, não vou procurar e não vou negociar qualquer outra coisa “. Nós entendemos o que isso significa? FIM ULTIMO… SEM VOLTAR ATRÁS … aqueles que não têm certeza se querem passar o resto de suas vidas nestas Ocupações Divinas, aqueles que não querem envelhecer na companhia de Nossa Senhora, dia e noite, num ato ininterrupto e união contínua com o divino FIAT, que dá a Deus grande glória, salva um imenso número de almas e repara miríades e miríades de pecados, leva tempo para refletir. Lembrando que, para estar na Vontade Divina, devemos primeiro aprender constantemente a VIVER NA Vontade Divina: “a Divina Maria faria esse pensamento? Ela diria isso (ou escrevê-lo no correio ou SMS, dado que hoje fazemos isso com muita frequência)? Ela faria essa ação? Ela passaria tempo assim? Ela assiste este programa? Ela usaria esse vestido? Ela faria esse sacrifício? Ela tomaria essa escolha? Ela trataria essa pessoa assim? Ela olharia isso com esse visual? Ela usaria esse tom de voz? Ela choraria por essa razão humana? Ela riria dessa piada? Ela faria essa piada? Ela dirigiria assim? Ela estaria com esse rosto mal-humorado? Ela gostaria dessa atitude?Ela seguiria esse sentimento? Ela reagiria com essas palavras ou gestos? Ela se apegaria a essa criatura (humana ou material) dessa maneira? A lista poderia continuar … Por favor, por favor nós não transformamos essas coisas santas em partículas ou paródias que só nos fazem rir com o seu horrendo sorriso de satanás e com ele os seus desprezíveis e abomináveis ​​escravos, que zombam e brincam com aqueles que fazem tais grandes proclamações e não se importam ou ) não percebe que ele ainda está andando ao nível do solo muito pior do que uma galinha desajeitada e esganiçada. Esperar e pensar, nesses casos, é a melhor coisa …

4. ” Totus tuus “. Quem é o Totus Tuus consagrado?
 A própria Madona diz: “Minha filha é toda minha, porque ela vive da vontade divina” … Não devemos nos mover nem um passo se houver a menor dúvida de que a vontade divina não gostaria de faze-la. Não basta levar a coroa nas mãos para ser devota da Divina Maria: é necessário imitá-la nas virtudes. Vamos reiterar que devemos aprender a nos perguntar: “Será que a Divina Maria se comportaria assim?” E nós raramente vamos cair em erro. Ser “Totus tuus” nada mais é do que viver da “Vontade Divina”. A Doutrina Divina revelada a Luisa é, em alguns aspectos, certamente e admiravelmente nova e carrega consigo rios de imensas graças e mares de felicidade infinita, mesmo terrena; mas também foi, e talvez até mais” tudo contido no tesouro da sabedoria que é o Tratado da Verdadeira Devoção, que muitos leram, poucos compreenderam, dificilmente alguém colocou em prática em sua dimensão mais importante: a dimensão interna . O próprio São Luís escreveu: “Como essa forma de devoção visa essencialmente formar a interioridade da pessoa, ela não será entendida igualmente por todos. Alguns vão parar no que têm do lado de fora e não vão mais longe, e estes serão a maioria. Outros, em pequeno número , entrarão em seu interior, mas só subirão um passo. Quem vai subir o segundo? Quem vai chegar ao terceiro? E finalmente, quem vai ficar lá permanentemente? Somente aquele a quem o Espírito de Jesus revelar o segredo, o mesmo Espírito introduzirá a alma muito fiel neste segredo, porque se move de virtude em virtude, de graça em graça, de luz em luz, e atingirá a transformação de si mesmo em Jesus. Cristo e para a plenitude de sua época na terra e sua glória no céu “( Tratado de verdadeira devoção, 119). Entrar em Maria é o mesmo que entrar no Reino da Divina Vontade, porque ela é a guardiã e executora perfeita, junto com Jesus, do segundo Fiat, o redentor. E toda a sua vida não passava de um “Fiat” ininterrupto, dito não em palavras nem em linguagem, mas em ações e em verdade. É hora de começar a viver assim. Através deste caminho dourado, abre-se um caminho que conduz à liberdade, à luz e à união com a Divina Maria. Para felicidade total nesta terra, para grande glória no céu.

A alma:

Professora divina, hoje seu(a) filhinho(a) sente o coração inchado, tanto que choro e molho suas mãos maternas com minhas lágrimas. Um véu de tristeza me invade e temo não tirar proveito de seus muitos ensinamentos e de suas muitos, mais que cuidados maternais. Minha Mamãe, ajude-me, fortaleça minha fraqueza, ponha meus medos em fuga e eu, abandonando-me em seus braços, terei a certeza de viver toda a Vontade Divina.

Folha diária:

Hoje, para me honrar, você recitará sete Glórias em honra ao Espírito Santo, rezando para que suas maravilhas sejam renovadas em toda a Santa Igreja.

Jaculatória:

Mãe celestial, fogo e chamas derramam em meu coração, para que eu possa consumir e queimar tudo o que não é da vontade de Deus.

31ª dia. 

A Rainha do Céu no Reino de Vontade Divina

Passagem da terra para o céu, feliz entrada.

O céu e a terra celebram a nova chegada

Preparação: Oração pra meditação:

Rainha Imaculada, minha Mãe celestial, venho de joelhos diante de seu colo materno para me abandonar em seus braços, para lhe pedir com os mais ardentes suspiros – neste mês consagrado a ti – a maior graça: que admita-me viver no Reino da Divina Vontade. Santa Mamãe, você que é a Rainha deste Reino, me aceita como seu(a) filho(a) para viver nele, para que ele não seja mais abandonado, mas povoado por seus(a) filhos)a). Portanto, Rainha soberana, a vós eu me confio, para que tu guies meus passos no Reino da Divina Vontade e, agarrado à vossa mão materna, tu guiarás todo meu ser, para que eu possa fazer vida perene na Vontade Divina. Você será minha mãe e como mãe eu faço a entrega da minha vontade para ti, para que eu possa trocá-la com a Vontade de Deus, e assim posso ter certeza de não deixar o Reino Dele. Portanto, eu oro para que vós me ilumine para me fazer entender o que significa “Vontade de Deus”.

 (Ave Maria)

Folha do mês (todos os dias do mês de maio): De manhã, ao meio dia e à tarde, três vezes por dia, ajoelhe-se em nossa Mãe Celestial e diga: “Minha Mamãe, eu te amo e você me ama e me dá um gole da vontade de Deus para minha alma; dê-me sua bênção para que eu possa fazer todas as minhas ações sob vossos olhos maternais “.. .

A Alma para sua Rainha

Minha querida mamãe celestial, estou de volta aos seus braços maternais e ao olhar para você vejo que um sorriso doce toca seus lábios puros. Sua atitude hoje é toda para a festa; Parece-me que algo que mais me surpreende é me contar e confiar em sua filha. Santa Mamãe, por favor, com suas mãos maternais, toque minha mente, esvazie meu coração, para que eu possa entender seus santos ensinamentos e colocá-los em prática.

Lição da Rainha do Céu: 

Querida(o) filha(o), sua mãe está celebrando hoje, porque quero falar com você sobre a minha partida da terra para o céu, o dia em que terminei de viver fazendo a Vontade Divina na Terra. Porque em Mim não havia nem fôlego, nem batida de coração, nem passagem em que o fiat divino não teve seu ato completo, e isso me embelezou, me enriqueceu, me santificou tanto, que os próprios anjos foram seqüestrados por mim. Agora, você deve saber que antes de partir para a pátria celestial, eu, com meu amado João, voltei a Jerusalém novamente. Foi a última vez que passei pela terra em carne mortal, e toda a criação, como se a tivesse sentido, se prostrou em torno de mim; mesmo dos peixes do mar, por onde eu cruzei até o menor pássaro, eles queriam ser abençoados por sua rainha, e abençoei todos eles e dei a eles meu último adeus. Então eu vim para Jerusalém, e me ocultei.

Agora, filha(o) abençoada(o), você deve saber que comecei a sentir em mim mesmo um martírio de amor, unido a ardentes ansiedades para alcançar meu Filho no céu, a sentir-me consumida, até que senti um débil amor e tive fortes delírios. E todos vocês se deleitam em amor. Porque nunca conheci doença ou qualquer ligeira indisposição; para a natureza concebida sem pecado e vivida toda a Vontade Divina faltou o germe dos males naturais. Se as penas me cortejavam tanto, eram todas de ordem sobrenatural, e essas punições eram para vossas honras e triunfos da Mãe celestial, e me deram o campo para fazer com que minha Maternidade não fosse estéril, mas conquistadora de muitos filhos. Veja, portanto, querida(o) filha(o), o que significa viver da vontade divina? Para perder o germe dos males naturais, que produzem não honras e triunfos, mas fraquezas, misérias e derrotas. Portanto, querida(o) filha(o), ouça a última palavra de sua mãe que está prestes a partir para o céu; Eu não a deixaria feliz, se não deixasse minha(o) filha(o) em segurança. Antes de partir, quero fazer de você o Meu Testamento, deixando-o por dote a mesma Vontade Divina que possui a sua Mãe e que me agraciou tanto, a ponto de me tornar a Mãe da Palavra, Senhora e Rainha do coração de Jesus e Mãe e Rainha de tudo. .

Ouça, querida(o) filha(o), é o último dia do mês consagrado a mim. Eu lhe falei com tanto amor do que a Vontade Divina opera em Mim, do grande bem que ela sabe fazer, e isso significa se tornar dominado por ela; Eu também falei com você sobre os graves males da vontade humana. Mas você acha que foi para conseguir uma narrativa simples? Não, não Sua mãe quando ela fala, quer dar. Eu, no calor do meu amor, em cada palavra que lhe contei, liguei sua alma ao fiat divino e preparei-lhe o dote em que você poderia viver rica(o), feliz, e dotada(o) de força divina.

Agora que estou prestes a partir, aceite minha vontade; sua alma é a carta na qual escrevo, com a caneta dourada da Divina Vontade e com a tinta do meu ardente amor que me consome, o testemunho do dote que lhe dou, filha(o) abençoada(o), concede-me que você nunca vai fazer a tua vontade, coloque a mão sobre o coração da sua mãe e jura que você vai fechar a sua vontade no meu coração, para não sentir mais ela, você não terá mais chance de fazê-la, e eu mesmo a porta do céu, como em triunfo: ganho minha(o) filha(o).

Oh querida(o) filha(o), ouça a última palavra de sua mãe agonizante de puro amor, receba minha última bênção como um selo da vida da Vontade Divina que deixo em você, que formará seu céu, seu sol, seu mar de amor e graça. Nestes últimos momentos, sua Mãe celestial quer afogar você com amor, envolver você, contanto que você tenha a intenção de ouvir minha última palavra, isto é, você se contentará em morrer, fará qualquer sacrifício, em vez de dar um ato de vida a sua vontade. Diga-me, minha(o) filha(o)! Diga-me!

Pontos de Meditação: 

  1. ” O último êxtase do amor, e delírios de amor“. Escutemos esta última doce história cujo coração é este: quem quer que viva da Vontade Divina, não mais sofrerá de maneira ESTÉRIL, como sofrem os mortais comuns que, por causa de sua vontade e de seus pecados, adquirem SEMELHANÇA PARA SEU MESMO da vida terrena, que produz fraquezas, misérias e derrotas; mas sempre e somente sofrerá de maneira sobrenatural e altamente meritória, isto é, aquelas cruzes e sofrimentos desejados e dispostos POSITIVAMENTE pela Vontade Divina e não somente permitidos por Ela como conseqüências amargas da vontade humana. Voando, deste modo, para a mais alta e verdadeira santidade e contribuindo tanto para a salvação de muitas almas. Que o Espírito Santo nos ilumine e nos faça entender este conceito ABSOLUTAMENTE CAPITAL. Que todos nos tornemos doentes com amor e viver entre delírios de amor na Vontade Divina. E nada mais …

2. ” Toda a criação aos pés de Maria e dos anjos, surpreendida, maravilhada e arrebatada“. A taxa de beleza alcançada pela alma da Divina Maria – que na época de sua Assunção foi entre 70 e 75 anos (a coroa franciscana é composta de 72 Ave-Marias em memória da idade precisa em que a Madonna teria sido assumida, que uma tradição piedosa transmitiu) – e os méritos alcançados por aqueles que, desde que foi concebido, não realizaram um único ato, nem um sopro, nem um batimento cardíaco que não pertencia inteiramente ao FIAT SUPREMO, são algo absolutamente inimaginável. Não há mente, nem humana nem angelical, que possa penetrar no infinito abismo do poder, santidade, beleza de Nossa Senhora e Rainha. Um feitiço total do céu. E toda a criação, reconhecendo-a fundida com o divino FIAT que lhe dera o seu ser, competiu para prestar-lhe homenagem. Vamos mais uma vez lembrar de São Francisco e sua união com toda a criação, alcançada porque foi completamente derretida e perdida na Vontade Divina. Pensemos na nostalgia da Criação na partida da Divina Maria: a terra perdeu a Presença física e sensível daquela para quem Deus colocou em movimento o universo e a criação, que todos convergem e foram criados em vista do Verbo Encarnado e do Uno. que se tornaria sua casa, mãe, perfeita cópia viva. Nós nunca vamos perdê-lo, com a condição que aprendemos de você, como este mês nos encorajou a fazer, para não deixar que até mesmo a sombra do nosso humano viva até mesmo em uma respiração. É necessário desejar estar perdido nela, fundir-se com ela, esquecer tudo e todos a fim de encontrar, nela, a vontade divina de se fundir, consagrar e de que e para o qual continuamente, dia a dia, minuto a minuto, momento a momento, vive. Nada mais é necessário, não há mais nada a fazer, não deve haver outras aspirações, outros desejos, outros projetos ou objetivos: em Maria e com Maria, a Vontade Divina. Isso é o suficiente.

3. ” Nossa Senhora traz um modo seguro de santidade” .Um mundo certamente se abriu para muitos que abordaram essas meditações. É um mundo que existe há cerca de 120 anos, mas parece ser semelhante a esse tesouro evangélico escondido, doado pelo Bom Jesus, e que foi esquecido (caindo no esquecimento) ou bem compreendido por alguns (e infelizmente pode também acontecer com aqueles que fizeram essas meditações). A própria Divina Maria queria lançar luz sobre este inestimável tesouro, para que nada em nós seja humano, mas todo Divino.
Existe apenas um modo seguro de santidade e é o caminho da vontade divina. Quem anda nele pode viver, e não se esqueça de receber para si mesmo e dar à humanidade uma graça abundante. Por si só, porque nada santifica o quanto para realizar a Vontade Divina e estar sempre unido a eles, não permitindo sequer que uma respiração ou um batimento cardíaco seja realizado sem a união com a Vontade Divina. Para a humanidade, porque o valor dos atos realizados em união com a Vontade Divina é infinito e trouxe infinita força em cooperar na conversão de pecadores e em reparar a imensa massa horrenda e impressionante quantidade de pecados com que o homem escravo de o humano nunca deixará de ofender seu Criador. A Divina Maria ilumina neste mês com meditações ditadas por ela pessoalmente. Ela mesma nos assegurou que este é um caminho SEGURO para a santidade. Ele nos assegurou que andar nela significa CERTEZA (não esperança) de receber para si mesmo e dar à humanidade GRAÇA EM EXCELENTE MEDIDA: a Vontade Divina se formará em cada um daqueles que verdadeiramente a recebem (não em palavras ou linguagem), mas com ações e em verdade “seu céu, seu sol, seu mar de amor e graça”. É uma vida divina e bela, que nos transforma em verdadeiros filhos de Maria e muitos pequenos sóis, em imitação do Sol Divino que é Jesus. Este caminho é tomado à luz do sol. Não há nada a esconder, nada a temer, nada de que se envergonhar. Apenas luz para brilhar, amor para viver, felicidade para começar a desfrutar imediatamente. Quem meditou (depois de ter aprendido com a experiência) quais e quantos danos derivam da vida da vontade humana e escolheu permanecer ainda na escravidão dela (da qual o Egito bíblico é uma figura) realmente deve ter pena mais do que todos os homens, fazê-lo por fechamento, seja por causa de pouca compreensão, ou por causa da fraqueza ou medo em matar a própria vontade (que é uma condição necessária e indispensável para entrar no reino da vontade divina), e por não querer renunciar a esses vícios, defeitos, paixões ruins de que todos reclamam, mas poucos têm a coragem de pisar, correndo o risco de rasgar a alma, de se livrar desses monstros e cânceres. É muito fácil saber se vivemos na Vontade Divina: a vida é simplesmente um MAR ininterrupto e inalterável de felicidade sobrenatural, que nada pode seja devido à fraqueza ou medo de matar a própria vontade (que é uma condição necessária e indispensável para entrar no reino da Divina Vontade). Se isso não existe, não há sentido em nos enganar: as portas desse reino não foram cruzadas. Portas, não nos esqueçamos de que são estreitas, apertadas, como o Divino Mestre repetidamente lembrou no Evangelho, porque envolvem mortes, sacrifícios, renúncias, cortes limpos, mudanças de curso, humilhações, sofrimentos sagrados e muito profundos do verdadeiro arrependimento, abnegação . Mas o reinado da Divina Vontade, encerrando outra famosa expressão de Nosso Deus e Senhor Jesus:
“Sofre violência e só os violentos agarram-na”. Quem não tem a coragem de RENÚNCIA DE TODAS SUAS PRÓPRIAS VONTADES (material, moral, emocional e espiritual), ELE MESMO, SUA PRÓPRIA VIDA, suas próprias idéias e convicções, seu PRÓPRIO EU. Não poderá entrar no reino da vontade divina. Tudo lixo que nos mantém longe deste reino divino e como tratá-lo, sem hesitações ou segundas intenções. E sem nunca reter para si mesmo, mesmo que fosse um alfinete, um chapéu, um afeto mínimo, um “tudo menos isso” …

4. ” À custa de qualquer sacrifício”. “Sua Mãe celestial quer afogar você com amor, gastar a mim mesma em você, contanto que você tenha a intenção de ouvir sua última palavra, ou seja, você se contentará em morrer, fará qualquer sacrifício, em vez de dar um ato de vida à sua vontade. Diga-me, minha filha! Diga-me. ” Agora a meditação, como qualquer meditação, torna-se uma conversa de amor e resolução com a Divina Maria. Estas palavras são dirigidas a todos que estão meditando: “Sua Mãe celestial quer se afogar em amor e se gastar em você”. Quem quiser isso e pede a Madonna vai sentir, sem qualquer dúvida. Este ato divino de amor da Divina Maria, tem um propósito: provocar a resposta que ela quer ouvir. Uma resposta firme e determinada, ponderada e calibrada e, em seguida, pronunciada a você pessoalmente aos seus verdadeiros filhos, antes que ela deixe de pisar a terra deste mundo: qualquer sacrifício em vez de dar vida a um único ato de vontade próprio. QUALQUER SACRIFÍCIO Aqueles que chegaram a esta resolução firme, não hesitam em dizer a Nossa Senhora (e depois ter o cuidado de lembrar e viver, sem negar na prática): é a maneira em que Nossa Senhora gostaria que todos terminassem estas meditações de ouro, do mês dedicado a ela, indubitavelmente a mais linda, doce e abençoada do ano.

A alma:

Santa Mamãe, no calor da minha dor, digo-te, chorando, que se vires que estou prestes a fazer um ato da minha vontade, deixa-me morrer, vem tu para levar a minha alma aos teus braços e traga-me para ti, e eu Eu prometo o meu coração, eu juro que nunca, nunca, nunca farei minha vontade.

A Rainha do amor: 

Filha(o) abençoada(o), como estou contente! Não pude decidir contar-lhe minha história para o céu se minha(o) filha(o) não estivesse segura na terra, dotada da Vontade Divina; mas saiba que do céu você não será deixado; não vou deixar você órfão(a); irei guiá-los em tudo, e desde a sua menor necessidade até a maior, me chame, e eu irei até você imediatamente, para ser sua mãe. Agora, querida(o) filha(o), me escute. Eu já estava doente de amor. O divino Fiat, para consolar os apóstolos e eu também, quase permitiu o caminho prodigioso que todos os apóstolos, exceto um, fizeram de mim uma coroa no ato que eu estava prestes a deixar para o céu; todos sentiram o estrondo do coração e choraram amargamente. Eu os consolei; a todos, de maneira especial, recomendei a Santa Igreja nascente e comuniquei a toda a Bênção materna; deixando em seus corações, em virtude disso, a paternidade do amor pelas almas. Meu querido filho não fez nada além de ir e vir do céu; Ele não podia mais ficar sem sua mãe; e dando-lhe o último desejo de amor puro na interminabilidade da Vontade Divina, meu Filho me recebeu em seus braços e me levou para o céu, no meio das hostes angélicas, que elogiavam sua rainha. Eu posso dizer que o céu todo me celebrou, e à minha vista ficaram arrebatados e em coro disseram: ” Quem é ela, que vem do exílio, toda inclinada sobre o seu Senhor? Toda linda, toda santa, com o cetro de Rainha? E a sua grandeza é tão grande que os céus se aquietou-se para recebê-la. Nenhuma outra criatura entrou nestas regiões celestes tão ornada e poderosa,  que detém supremacia sobre tudo “. Agora, minha(o) filha(o), você quer saber quem ela é, que todo o céu elogia e permanece retido? Eu sou aquela que nunca fez a minha vontade e a vontade divina me abunda tanto, que espalha os céus mais belos, o mais radiante, os mares de beleza, de amor, de santidade, com os quais eu poderia iluminar a todos, amar, santificar a todos e encerrar em meu céu tudo e todos; foi o trabalho da Vontade Divina operando em Mim, que operou um grande milagre; Eu era a única criatura que veio para o céu que fez a vontade divina na terra, como é feito no céu, e que formou seu reino em minha alma. Agora, toda a corte celestial, ao olhar para mim, ficou maravilhada, pois olhando para mim encontraram o céu, e voltando a olhar para mim me encontraram sozinha, e não conseguindo desviar o olhar, me olhando mais profundamente me viram mar, e também acharam a terra em mim muito da minha humanidade com as mais belas flores, e presos a me olhar, exclamaram: “Quão linda ela é! Tudo centralizou-se em si mesmo; nada está faltando! De todas as obras do seu Criador, é a única obra completa de toda a criação! “

Agora, filha(o) abençoada(o), você deve saber que foi a primeira festa que aconteceu no céu para a Vontade Divina, que tinha trabalhado tantos milagres em sua Criatura. De modo que, em minha entrada no céu, toda a corte celestial celebrava o que o divino Fiat pode operar, belo, grande, na criatura. A partir de então, essas festas não se repetem e, portanto, sua Mamãe ama tanto que a Vontade Divina reina absolutamente nas almas, para lhe dar o campo para fazê-la repetir seus grandes prodígios e suas maravilhosas festas.

A alma: 

Mamãe de amor, Imperatriz Soberana, oh, do céu onde gloriosamente você reina, vire seu olhar lamentável para a terra e tenha piedade de mim! Oh, como sinto a necessidade da minha querida mãe! Sinto que sinto falta da vida sem você; tudo me abala sem minha mãe; portanto não me deixe no meio da minha jornada, mas continue a me guiar até que todas as coisas se convertam para mim na Vontade de Deus, para que eu possa formar sua vida e seu Reino em mim.

Folha diária: 

Hoje, para me honrar, você recitará três Glorias na SS. Trindade, para agradecer-lhe em Meu Nome pela grande glória que ela me deu quando fui assumido no céu, e você vai me pedir para vir e ajudá-lo no ponto de sua morte.

Jaculatória:

Mamãe Celestial, feche minha vontade em seu Coração e me deixe o sol da Vontade Divina em minha alma.

Oferta da vontade humana à Rainha Celestial : 

Doce mãe, aqui estou eu antes dos pés do seu trono prostrado. Eu sou seu(a) filho(a), quero te dar todo o meu amor filial, e como seu(a) filho(a) eu quero tecer todas as flores, orações, minhas promessas que muitas vezes eu fiz, neste mês de agradecimento, nunca fazer a minha vontade; e formando uma coroa, quero colocá-la em sua cabeça, como um testemunho de amor e ação de graças à minha mãe. Mas, ai não sou, o suficiente; Eu quero que você tome isso em suas mãos, como um sinal de que você aceita meu dom, e ao toque de seus dedos maternos eu o converto em tantos sóis, pelo menos por quantas vezes eu tentei fazer a Vontade Divina em meus pequenos atos. Ah, sim, Madre Rainha, seu(a) filho(a) quer lhe dar os tributos de luz e de sóis muito brilhantes; Eu sei que você tem tantos desses sóis, mas eles não são os do(a) sua(a) filho(a); em vez disso, quero lhe dar o meu para lhe dizer que amo você e comprometo-me a te amar. Santa Mamãe, Você sorri para mim e com toda bondade aceita meu presente, e eu agradeço do fundo do meu coração. Mas eu quero te dizer muitas coisas; Quero fechar no seu coração materno as minhas dores, os meus medos, as minhas fraquezas e todo o meu ser como lugar do meu refúgio; Eu quero consagrar minha vontade para ti.. Oh oh oh, aceite isso, faça disso um triunfo da graça e um campo onde a Vontade Divina estenda seu Reino! Esta minha vontade consagrada a ti, nos tornará inseparáveis ​​e nos manterá em relacionamentos contínuos; as portas do céu não se fecharão para mim, porque tendo consagrado a minha vontade a ti, em retorno você me dará o seu. Assim, ou a Mãe virá para ficar com seu(a) filho(a) na terra, ou o(a) filho(a) irá morar com sua Mãe no céu. Como serei feliz! Escuta, querida Mãe, para tornar mais solene a consagração da minha vontade a vós, chamo a Santíssima Trindade, todos os anjos, todos os santos e, faço um juramento de consagrar solenemente a minha vontade à minha Mamãe Celestial. E agora, Rainha Soberana, para cumprimento, peço-lhe sua santa bênção para mim e para todos; seja a sua bênção o orvalho celestial que desce sobre os pecadores e os converta, sobre os aflitos e os conforta, desce sobre o mundo inteiro e os transforme em bons, desce sobre as almas do purgatório e suaviza o fogo que os queima; Que sua bênção maternal seja um penhor de salvação para todas as almas.

Glória a Jesus em Maria! Gloria a Maria em Jesus! Glória a Deus!

Compartilhe a Divina Vontade