Diferença entre Santidade humana das virtudes e a Santidade da Vida na Divina Vontade


3 de dezembro de 1929

Diferença entre santidade fundada em virtudes e santidade fundada em Vontade Divina.

Minha pequena mente estava perdida no Fiat Supremo e pensei: “Qual será a diferença entre aqueles que fundaram sua santidade nas virtudes e aqueles que a fundaram apenas na Vontade Divina?” E meu doce Jesus, movendo-se em meu suspiro interior, me disse:

“Minha filha, se você soubesse que grande diferença! Ouça e você saberá: a terra florida é linda, a variedade de plantas, flores, frutas, árvores, a diversidade de cores, de doces, de gostos, tudo é lindo; mas você poderia encontrar uma planta, uma flor também das mais preciosas que não são cercadas pela terra? [dado] que cada raiz segura a terra, presa ao peito, como se fosse alimentá-la? Pode-se dizer que é impossível para o homem ter uma planta se ele não a confiar na sua mãe terra. Tal é a santidade fundada nas virtudes, a terra humana deve se colocar nela: quantas satisfações humanas nas obras mais sagradas, nas virtudes que praticam! A terra da estima, da glória humana sempre corre e forma seu pequeno armário, de modo que as virtudes são vistas como muitas belas flores perfumadas, de cores vivas, que despertam admiração, mas ao redor, abaixo, há sempre um pouco de terra humana. Para que a santidade fundada nas virtudes possa ser chamada de terra florida, e de acordo com as virtudes que praticam, quem forma a flor, quem planta, quem é a árvore e quem precisa de água para regá-la e o sol para fertilizá-las e que eles saibam os diferentes efeitos que cada um precisa, qual é a minha graça. Caso contrário, corriam o risco de morrer pela raiz [virtudes].

Por outro lado, a santidade fundada em minha vontade divina é o sol, está no topo, a terra não tem nada a ver com ela, nem a água precisa alimentar sua luz: seu alimento recebe diretamente de Deus, e em seu movimento de luz contínua, produz e alimenta todas as virtudes de maneira divina. Até as sagradas satisfações humanas, vanglória, auto-estima, perderam o rumo, nem têm razão de existir, porque sentem [as criaturas] vivas a Vontade Divina que faz tudo nelas, e sentem a gratidão  que este Sol divino habita nelas, abaixando-se e alimentando-as com sua luz, mantém a virtude de eclipsar gentilmente a vontade humana, porque é proibido que mesmo um átomo de terra entre em minha Vontade Divina: luz e terra, as trevas são naturezas contrárias e luz; pode-se dizer que eles fogem um do outro, nem a luz pode suportar um único átomo da terra e, portanto, eclipsa: serve como sentinela, como defesa de que tudo se torna vontade divina na criatura; e já que [assim como] o sol dá tudo à terra, mas nada recebe e é a causa primária de suas belas flores; então, quem fundar sua vida, sua santidade em minha vontade, juntamente com o Sol, será o nutridor da santidade fundada em virtude“.

Compartilhe a Divina Vontade