Livro do Céu – é 100% CATÓLICO


100% católico

Que não haja confusão: escrevo este BLOG como, acima de tudo, uma católica romana 100% fiel, ortodoxa e obediente. Eu absolutamente me submeto – sem dúvida, reserva ou hesitação – a todos os ensinamentos da Igreja, e sempre o farei. Tenha certeza de que cada palavra deste blog vem de alguém que prefere derramar cada gota de seu sangue a negar um ensinamento da Igreja Católica. E desejo afirmar desde o início, sem qualquer hesitação ou ambiguidade: Submeto todo o sem qualquer hesitação ou ambiguidade: Submeto todo o conteúdo deste blog, incondicionalmente, ao julgamento da Santa Madre Igreja.

Além disso, escrevo este livro como uma plena conhecedora do fato de que a Revelação Pública já está completa e de que as revelações de Jesus a Luisa são revelações privadas. Como tal, eles não têm o direito de adicionar, muito menos corrigir, qualquer coisa contida no Depósito da Fé.

Em vez disso, o papel deles é explicar mais detalhadamente esse depósito de fé, como ensina o Catecismo da Igreja Católica, parágrafos 66-7.

E, no entanto, escrevo isso também como uma católico totalmente comprometida com as revelações de Luisa Piccarreta, completamente convencida de que são completamente autênticos e profundamente convencidos de que constituem a maior missão da história e a maior revelação particular que já foi dada ou jamais será dado ( embora não menospreze  a enorme importância de muitas outras revelações particulares com as quais o Céu nos abençoou, especialmente nos últimos dois séculos).

Portanto, devemos começar considerando que muito (se não a maioria) dos erros que infectam nossas mentes surge do fato de não vermos uma contradição clara nas que existem. Embora a primeira armadilha prenda especialmente o mundano (isto é, a ditadura do relativismo), é a segunda armadilha que é mais perigosa para as pessoas religiosas; especialmente aqueles que estão sutilmente orgulhosos ou com muita certeza de si mesmos – ou seja, aqueles cujo senso de segurança não provém principalmente da confiança na Divina Misericórdia, mas de uma vã confiança no próprio entendimento intelectual de Doutrina.

É por este último erro que os fariseus condenaram Nosso Senhor; porque eles se recusaram a ver como as palavras de Jesus Cristo não contradiziam as Revelação de Deus para Moisés. E é nessa mesma armadilha que um católico fiel deve estar zelosamente em alerta ao aprender sobre as revelações de Luisa Piccarreta.

Tenha certeza de que não há uma única contradição entre eles e a fé e a moral católicas. Isso já foi resolvido por vários teólogos nomeados pelo Vaticano para essa mesma tarefa. Mas, como às vezes exige paciência e oração para ver como – para dar outro exemplo – não há contradição entre os Documentos do Concílio Vaticano II e os Documentos Magisteriais mais antigos, também sem dúvida será necessário o mesmo para ver como alguns ensinamentos mais surpreendentes nos escritos de Luisa Piccarreta são totalmente ortodoxos.

Da mesma forma aqui, é importante comprometer-se a permanecer paciente, em oração, e humilde; caso contrário, não há motivo para continuar, e você também pode deixar este livro de lado – mas primeiro, faça pelo menos a si mesmo esta pergunta: “ Quando, em Sua infinita sabedoria, Deus decreta que chegou a hora de abençoar o mundo com a Maior Revelação Privada, talvez não seja mais do que uma mera confirmação de todas as minhas opiniões e entendimentos atuais? Não irá, ao contrário, confirmar imediatamente a essência da minha fé e todos os seus verdadeiros ensinamentos, ao mesmo tempo em que corrige minhas próprias limitações que coloquei sobre ela, revelando toda a sua glória como o sol nascente, quando anteriormente procurava apenas com uma lâmpada? “

Se você orou sinceramente por humildade antes de fazer essa pergunta, encontrará facilmente a graça de respondê-la afirmativamente imediatamente após a sua colocação.

“Há mais coisas no céu e na terra, Horatio, do que se sonha em sua filosofia” – Shakespeare

Como em todos os livros, a melhor maneira de ler este conteúdo é não deixar de passar nenhum post, como expus com cuidado e deliberadamente a ordem dos vários capítulos e seções. Mas não há uma necessidade estrita de lê-lo em uma ordem; Este blog pode ser simplesmente usado como referência para responder a perguntas individuais quando necessário. Para o último uso, tornei cuidado para deixar as tags bem detalhadas e expostas, e as datas e volumes bem destacados, para perguntas individuais quando necessário.

Para o último uso, tornei as categorias particularmente detalhadas e separadas e abrangendo os temas centrais e incentivo qualquer leitor a pular livremente para qualquer categoria que ele desejar.

Aqueles que lêem este blog, e deseja saber mais sobre o Livro do Céu,  precisarão perdoar um pouco de repetitividade, pois eu precisava recorrer a esse estilo às vezes para garantir que certas seções pudessem se sustentar por conta própria; no entanto, minha repetição, onde é encontrada, é apenas para essa única intenção, e você pode ter certeza de que não encontrará neste blog essa forma condescendente de repetição, na qual os autores se recusam a confiar que seus leitores se lembrem e anotem coisas importantes que são apresentados pela primeira vez e, consequentemente, dizem a mesma coisa repetidamente. Mas é para manter a ordem do pensamento e do tema relacionado.

Pontos diversos:

  • Sempre que um trecho contênha apenas uma data (mês, dia, ano) ou uma cotação é atribuída apenas a uma data, isso é uma referência à entrada que corresponde a essa data no diário de Luisa.
  • Por uma questão de brevidade, usarei regularmente a frase  “livro do céu” nas referências. Deve-se entender que o que estou falando é do diário onde contêm as revelações de Luisa” neste texto.  Que são “as revelações particulares dadas por Jesus e Maria à Serva de Deus Luisa Piccarreta”.
  • Com relação às próprias citações das Revelações de Luisa, é possível acrescentar ênfase (em negrito, itálico ou sublinhado),  mas entendo que toda essa ênfase foi adicionada por mim e não foi encontrada no original, a menos que indicado de outra forma. Isso é verdade para todas as citações deste livro; não apenas os dos escritos de Luisa.
  • Por favor note que se encontrar “CCC” é uma referência ao catecismo da Igreja Católica.
  • A maioria das citações da Bíblia será retirada da Versão Padrão Revisada: Edição Católica; embora outras traduções sejam usadas ou da edição Ave Maria.• Evito notas de rodapé, aproveito e coloco links por trás do conteúdo que não possuir referência. Ou deixo sem referência, por minha prioridade ser mais focada no Livro do Céu.

Por uma questão de brevidade, uso internamente ao citar as revelações de Luisa. Faço isso para não dar a impressão de que a breve amostra deste livro das palavras de Jesus a Luísa é suficiente. Não, é realmente necessário mergulhar de cabeça nos próprios escritos; portanto, as citações que eu forneço geralmente são cuidadosamente escolhidas, de modo que apenas a essência do ensino seja apresentada – dessa maneira, espero, ninguém ficará tentado a supor que eu acho esse livro indigno que escrevi, que nada mais é do que uma introdução, NÃO É realmente qualquer tipo de substituto para o próprio livro do céu; os 36 volumes reais (e outros escritos) que Jesus deu a Luisa, estão sendo postados aqui completos para também para vocês mergulhares e ruminarem profundamente os conteúdos.

Alguns veteranos da espiritualidade da Vontade Divina podem criticar este blog como inadequado; especialmente quando se trata dos modos mais altos e melhores de viver na vontade divina. Eu concordo completamente com eles; totalmente inadequado é ter de existir esse blog. Costumo me referir à minha tarefa neste livro de “apresentar”, mas uma maneira melhor de encará-lo é talvez considerá-lo apenas como um convite ou uma prévia, assim como uma visualização de filme é apenas um convite para assistir ao filme.

E, assim como ninguém reluta uma prévia por apenas dar vislumbres, espero que ninguém se ofenda por fazer o mesmo neste blog, agora que minha intenção é clara. E como não temos a publicação oficial a venda, nem a disposição de todos. Também, deixamos disponível os escritos completos e em separado pelos trechos para que, aqui você encontre tudo à sua mão. Para mergulhar profundamente do Reino da Divina Vontade.

Os próprios escritos de Luisa contêm todas as verdades necessárias para o crescimento real, e tudo para qualquer pessoa conseguir viver e agir continuamente no mais alto nível da Vontade Divina.

Por outro lado, neste blog, tudo o que você encontrará é o apelo sincero do seguidora mais fraca e indigna de Luisa Piccarreta, pedindo a outros que, pelo menos, comecem a dar os primeiros passos.

Eu preferiria apenas convidar as pessoas, para que, ao entrarem, pudessem aprender essas verdades com os escritos de Luisa, mas também – que encontrassem comentários adicionais – de conteúdos muito mais valiosos que os meus. E há muitos deles: penso em, Daniel O Connor, Pe. Joseph Iannuzzi, Pe. Robert Young, Thomas Fahy, Hugh Owen, Pe. Gabriel Barrera, Pe. Claudio Barbut, Pe. Edward, Madre Gabrielle, Pe. John Brown, Robert Lozano, Robert Hart, Tony Hickey e muitos outros.

Se esses professores da  Vontade Divina e outros como eles são o ato principal, então eu nem sou um ato de aquecimento. Pelo contrário; Sou apenas uma pessoa nas ruas subindo para o maior número de almas que posso encontrar e implorando para que entrem no caminho de viver na Divina Vontade.

Espalhados por todo este blog, material publicado anteriormente no meu canal do You Tube, conteúdos dos livros de outras místicas católicas que vêem iluminar o conhecimento e entendimento de como era a vida dos únicos antes de Luisa Piccarreta, que viveram na Divina Vontade: Maria e Jesus, e em uma boa parcela São José.

E também conteúdos sobre a Vontade humana e Diabólica para sabermos regular bem o conhecimento sobre nós mesmos, e nossa vontade rebelde como foi formada e como ser identificada facilmente, afim, de termos plena consciência de como renega-la e abandonar todos os vícios e paixões derivados deste mal.

Finalmente, escrevi parte da Parte Três deste blog (sobre a Era da Paz) originalmente como um trabalho de pesquisa para um curso de teologia em Escatologia em 2017 de Daniel O Connor e Mark Mallet.

Desnecessário dizer que todo e qualquer trabalho criado por outros é apresentado e citado claramente como tal. No entanto, quando informado a fonte na parte inferior do post.

Qualquer dúvida, deixo claro, minha incapacidade e misérias, não consigo por mim mesma fazer nada. Uso até palavras de base de outros autores, devido minha dificuldade redativa.

Não tenho vergonha, de informar isso, e só desejo que, deixem toda vaidade para fora desse ambiente. Abandonem todos os racionalismos que possam ser obstáculos para seu abandono a vida da graça.

Fiat Fiat Fiat

 

Aline Aparecidinha – leia meu testemunho clique aqui
E veja também: Quem somos e o que pretendemos

 

Compartilhe a Divina Vontade